Fotos: Cristiano Estrela/Secom

O Governo do Estado irá contratar empresa especializada para fazer uma avaliação minuciosa das estruturas das pontes Pedro Ivo Campos e Colombo Machado Salles, em Florianópolis. Uma vistoria realizada por engenheiros da Secretaria de Estado da Infraestrutura e Mobilidade indicou a necessidade de um estudo específico para reparar ao menos seis eixos de sustentação. A situação foi apresentada pelo governador Carlos Moisés em entrevista coletiva na tarde desta quarta-feira, 20. Para a licitação de 2016, as condições dos blocos não foram analisadas nos estudos realizados em 2015.

"Esse trabalho precisa ser realizada antes da intervenção, para que a obra seja feita exatamente nos pontos mais críticos e com segurança. Historicamente tivemos um descaso, uma falta de compromisso, que não vamos repetir daqui para frente. Vamos agir", disse o governador. "Não existe risco iminente. Essa medida que estamos tomando é por cautela. Vamos contratar uma empresa altamente especializada e fazer tudo o que for necessário para garantir a segurança, com total transparência", completou.

::: VEJA A SITUAÇÃO DOS SEIS EIXOS DE SUSTENÇÃO 

O governador destacou que a situação é estável, mas os engenheiros da Secretaria da Infraestrutura vão fazer análises mais frequentes a partir de agora. Cada ponte tem 16 eixos de sustentação, sendo três em cada uma em condição aparentemente mais críticas: os de número 4, 6 e 10 da Colombo Salles, e 7, 7N e 9 da Pedro Ivo. A empresa especializada vai verificar todos, inclusive as estruturas sem danos aparentes.

De acordo com o secretário de Estado da Infraestrutura, Carlos Hassler, a deterioração se agravou em progressão geométrica a partir de 2015, resultado da falta de manutenção adequada nas pontes ao longo das últimas décadas: "A empresa especializada a ser contratada terá 20 dias úteis para fazer o laudo, que vai indicar a real situação da estrutura. O processo de dispensa de licitação será lançado na semana que vem". 

A análise especializada deve demandar um investimento de aproximadamente R$ 900 mil. A partir do novo parecer, o Estado terá uma estimativa do quanto custará a reforma estrutural, caso ela seja necessária. 

Hassler ainda lembrou que a vistoria só foi possível porque o Governo do Estado decidiu contratar novos engenheiros para reforçar as equipes técnicas. "A situação da ponte hoje é estável e não há motivos para a população se preocupar. Nossos engenheiros que já estão atuando na reforma vão fazer verificações diárias e nos manter informados", afirmou o secretário.


Informações adicionais para a imprensa
Renan Medeiros
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
E-mail: renan@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3058 / (48) 99605-9196
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC

 Foto: Eduardo Guedes de Oliveira /Agência AL

O Governo do Estado divulgou, nesta quarta-feira, 20, os relatórios da execução orçamentária do 4º bimestre e de gestão fiscal do 2º quadrimestre de 2019 do Poder Executivo de Santa Catarina. A explanação, realizada pelo secretário da Fazenda (SEF), Paulo Eli, na Comissão de Finanças e Tributação da Alesc, incluiu dados entre janeiro e setembro sobre arrecadação do Estado, repasses aos poderes e órgãos, aplicação dos mínimos constitucionais na Saúde e Educação, além da dívida pública.

“Santa Catarina vem se destacando no cenário nacional na geração de empregos, abertura de empresas e no desenvolvimento econômico. Porém, o Estado está trabalhando com muita cautela. Iniciamos 2019 com déficit de R$ 2,5 bilhões e vamos encerrar com déficit de R$ 1 bilhão. Por isso, estamos comprometidos no projeto de recuperação financeira, baseado na economia de despesas e no aumento de receita”, disse Eli.

A arrecadação tributária própria nos primeiros nove meses do ano foi de R$ 21,33 bilhões, crescimento de 13,6% em comparação com 2018. A principal fonte é o ICMS, que corresponde a R$ 17,52 bilhões. Outra informação positiva é relacionada ao resultado orçamentário, que apresentou um superávit de R$ 1,16 bilhão no período, com receita líquida de R$ 18,18 bilhões e despesa liquidada de R$ 17,03 bilhões. No ano passado, as contas do Governo do Estado haviam apresentado déficit de R$ 230 milhões.

O pagamento da dívida pública também registrou alta, de 14,5%. Até setembro, foram desembolsados R$ 1,32 bilhão com esta finalidade, incluindo juros, encargos e amortização. Segundo o secretário, o comprometimento previsto com a dívida neste ano é superior a R$ 2 bilhões. O Governo catarinense iniciou 2019 com R$ 1,01 bilhão em restos a pagar de exercícios anteriores. Até setembro, foram pagos R$ 562,44 milhões e cancelados R$ 259,66 milhões. A estimativa é que sejam quitados, até o fim deste ano, mais R$ 190,95 milhões.

A despesa pública cresceu 2,8%, abaixo do Produto Interno Bruto (PIB), cuja alta está estimada em 3,9% no Estado. No mesmo período no ano passado, a despesa pública havia registrado crescimento de 6%. “Há um comprometimento, nesta gestão, de manter a austeridade com os gastos do Poder Executivo”, explicou Eli. A Dívida Consolidada Líquida se manteve estável, representando 85,05% da Receita Corrente Líquida (RCL). Já o Resultado Primário e o Resultado Nominal apresentaram superávit de R$ 2,15 bilhões e R$ 1,25 bilhão, respectivamente.

Os repasses obrigatórios somaram R$ 2,94 bilhões, sendo R$ 1,25 bilhão para o Tribunal de Justiça (TJ/SC); R$ 579 milhões para Alesc; R$ 531 milhões para o Ministério Público (MP/SC); R$ 332 milhões para a Universidade do Estado da Santa Catarina (Udesc); R$ 222 milhões para o Tribunal de Contas (TCE/SC); e R$ 23 milhões para o Fundo de Apoio aos Hospitais Filantrópicos de Santa Catarina.

De acordo com dados do Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público (Siconfi), da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), Santa Catarina continua com o 3º maior déficit previdenciário do país. No 2º quadrimestre de 2019, o Estado registrou déficit de R$ 2,82 bilhões, atrás de Minas Gerais, com R$ 11,12 bilhões e São Paulo, com R$ 13,75 bilhões.

Mínimos constitucionais

O Governo do Estado deve aplicar, até o final de cada ano, 25% da Receita Líquida de Impostos (RLI) em Educação; e 12% em Saúde. Em Santa Catarina, de setembro de 2018 a setembro de 2019, foram investidos 25,73% em Educação, o que corresponde a R$ 4,22 bilhões. Já a despesas na Saúde somaram R$ 2,43 bilhões, ou seja, 12,75% da RLI.

Informações adicionais:
Assessoria de Comunicação da Secretaria da Fazenda
Michelle Nunes
Fone: (48) 3665-2575/ (48) 99929-4998
E-mail: jornalistaminunes@gmail.com
Sarah Goulart
E-mail: sgoulart@sef.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-2504/ (48) 99992-2089
Site: www.sef.sc.gov.br 
FACEBOOK: 
facebook.com/fazendasc


Fotos: Mauricio Vieira / Secom

Produzir mais alimentos, de forma mais responsável e sustentável, para atender aos mercados mais exigentes do mundo. Essa é a proposta do AgroConsciente, nova diretriz do Governo de Santa Catarina na elaboração de políticas públicas e ações voltadas para o setor agropecuário. O programa foi apresentado nesta quarta-feira, 20, pelo governador Carlos Moisés e pelo secretário de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural, Ricardo de Gouvêa, durante as comemorações dos 28 anos da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri), em Florianópolis.

:: Mais imagens na galeria 

A partir de agora, Santa Catarina terá um alinhamento de programas já existentes para que atendam à nova diretriz e também ao desenvolvimento de ações que oportunizem mais renda ao produtor rural, ofereçam segurança alimentar à população e minimizem os impactos ao meio ambiente. 

"Precisamos fazer com que a produção mais consciente chegue a todos os lugares. Essa ação é de respeito não só à terra e ao ar, mas ao agricultor, àquele que está todo dia no campo se expondo. Não significa banir o uso de defensivos agrícolas, mas é um incentivo à tecnologia e à pesquisa para que o nosso produtor tenha condição de se proteger e trazer alimentos seguros à mesa do consumidor, com mais valor agregado. Nosso estado será uma referência no cenário nacional e internacional na produção rural equilibrada e sustentável", projetou Carlos Moisés.


Governador e presidente da Epagri plantaram um Garapuvu 

O secretário da Agricultura Ricardo de Gouvêa explica que o termo AgroConsciente é um compromisso de todo o setor para que haja mais responsabilidade na produção de alimentos e isso envolve todos os elos da cadeia produtiva. “Não estamos falando apenas orgânicos. Nossa intenção é envolver todo o agronegócio, aqueles que produzem alimentos de forma convencional, os pecuaristas e os produtores de grãos. Queremos que essa seja uma marca agrocatarinense, que reforce nosso compromisso de produzir alimentos de qualidade capazes de abastecer os mercados mais exigentes mundo”, ressalta. 

Sistema orgânico de produção de tomate

Um dos exemplos que o AgroConsciente pretende apostar foi o Tomatorg, um sistema orgânico de produção de tomate desenvolvido pela Estação Experimental da Epagri em Itajaí (EEI). Ele foi apresentado também nesta quarta-feira, 20, durante a programação de aniversário 28 anos da Epagri, celebrado em todo o estado.

"É um divisor de águas na produção orgânica de tomates em Santa Catarina. Escolhemos o tomate por ser a cultura mais difícil de ser produzida. Aqui tem 20 anos de pesquisa e desenvolvimento", destacou o pesquisador Rafael Morales, coordenador da equipe que trabalhou no projeto.

O sistema agrega todas as práticas culturais necessárias para a correta produção de tomates orgânicos no Litoral Norte catarinense, entre elas produção em abrigos, adubação com base em composto orgânico, enxertia, uso de biofertilizantes e de agentes de controle biológico.

Estudo elaborado pela Epagri comprovou que, na comparação com o sistema convencional, a adoção do Tomatorg reduz custos e aumenta o lucro líquido do produtor. No experimento realizado, ficou demonstrado que o custo de produção por planta pode cair de R$ 4,58 no sistema convencional para R$ 3,38 no Tomatorg. Como consequência, o lucro líquido do produtor que aderir ao sistema orgânico criado pela Epagri aumenta em 2,7 vezes.

Outras ações previstas no AgroConsciente 

Com o AgroConsciente, os programas da Secretaria da Agricultura e de suas empresas vinculadas - Epagri, Cidasc e Ceasa - passarão por mudanças significativas. A nova diretriz prevê ações na geração e na difusão de tecnologias; políticas públicas potencializadoras de ações em produção agroconsciente; revisão de legislações; fiscalização do uso irregular de agrotóxicos; capacitação de produtores e profissionais; difusão da rastreabilidade na produção vegetal com o Programa e-Origem e apoio à comercialização de produtos agrícolas, em especial os alimentos orgânicos.

A assistência técnica executada pela Epagri terá atividades específicas para incentivar a agrobiodiversidade, com o resgate e manutenção de sementes, ervas, plantas e alimentos tradicionais e na conservação do solo e da água. A empresa terá também três novos Centros de Referência Tecnológica: produção de leite a pasto (Campos Novos), fruticultura temperada (Videira) e boas práticas em bovinos de corte (Tubarão). 

Na área da pesquisa, serão contempladas tecnologias homeopáticas e fitoterápicas para produção em base ecológica; a implantação da produção integrada de banana;  boas práticas para produção de milho e soja; biofertilizantes; desenvolvimento de sistemas integrados de produção agrícola e análise do mercado de produtos orgânicos. 

Políticas públicas

Os tradicionais programas da Secretaria da Agricultura, que apoiam os investimentos e melhorias no meio rural catarinense, possuem agora linhas especiais para incentivo à produção agroconsciente.

Com o Menos Juros, os agricultores e pescadores contam com financiamentos de até R$ 100 mil, com o subsídio de juros de 2,5% e um prazo de 8 anos para o pagamento. Os investimentos podem ser utilizados para captação, armazenagem e distribuição de água para consumo humano e animal; energias renováveis ou inovação e produção limpa. 

O Programa de Fomento à Produção Agropecuária traz um limite de financiamento de R$ 30 mil para melhoria de sistemas produtivos e de R$ 40 mil para agregação de valor. A linha não tem juros e os produtores têm 5 anos de prazo para pagamento.

O Programa Terra-Boa este ano conta também o projeto piloto Kit Solo Saudável, que libera conjunto compostos por sementes de, ao menos, duas espécies ou cultivares de plantas para adubação verde e insumos. Os produtores seguem a orientação técnica da Epagri para o uso em SPDH - Sistema de Plantio Direto de Hortaliças e na Cobertura Verde de Pomares. O valor do kit é de cerca de R$ 2 mil e o produtor tem dois anos de prazo para pagamento, com parcela anual. Se o pagamento for único, haverá subvenção de 60% sobre o valor da segunda parcela.

Sobre a Epagri

A Epagri foi fundada em 20 de novembro de 1991, com a fusão entre a Acaresc, até então responsável pela extensão rural, a Acarpesc, que respondia pela extensão pesqueira, e a Empasc, que fazia a pesquisa agropecuária. A essas entidades se uniram outras que formaram a Epagri.

O estado catarinense foi o primeiro a reunir numa empresa os serviços de pesquisa agropecuária e extensão rural. A partir desta iinovação se construiu uma história de sucesso. Hoje, a Epagri é referência nacional e internacional em pesquisa e extensão rural.

"É um momento de comemoração não só para quem está hoje na ativa, mas por todos que fizeram parte dessa história. Até hoje o Estado de Santa Catarina é um dos únicos que unem pesquisa e extensão na mesma empresa. Somos o braço do governo na casa de cada um dos agricultores", ressalta a presidente da Epagri, Edilene Steinwandter.

Informações adicionais para a imprensa
Renan Medeiros
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
E-mail: renan@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3058 / (48) 99605-9196
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC


Ana Ceron
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural
imprensa@agricultura.sc.gov.br
Fone: (48)-3664-4417/(48) 98843-4996
Site: www.agricultura.sc.gov.br
www.facebook.com/AgriculturaePescaSC/



 Foto: Paulo Santana/CCS/PMSC

Na tarde desta quarta-feira, 20, a Polícia Militar de Santa Catarina (PMSC) e Secretaria de Estado da Educação assinaram o Termo de Cooperação Técnica entre as instituições, em evento na Capital. O objetivo da parceria é estabelecer um regime de mútua colaboração entre os órgãos para estimular atividades de ensino e promoção da cidadania por meio do aperfeiçoamento e desenvolvimento das ações realizadas pela Rede de Segurança Escolar, programa da PM nas unidades estaduais de ensino.

A assinatura do ato foi realizada durante a formatura do Estudante Cidadão, realizada na EEB Edith Gama Ramos, na região continental de Florianópolis. O programa, principal projeto envolvido no acordo, é uma iniciativa da PMSC e tem como objetivo desenvolver nos estudantes noções de civismo e cidadania, estimulando o respeito ao professor, aprimorando o aspecto comportamental e o consequente zelo pelo patrimônio público.

Em 2020, a parceria vai atender 12 escolas estaduais em atividades extracurriculares com alunos do ensino fundamental em Florianópolis, Balneário Rincão, Herval d’Oeste, Indaial, Laguna, Palhoça, Porto União, São Bento do Sul e São José. 

Durante a solenidade, o secretário de Educação, Natalino Uggioni, falou sobre a importância da parceria para o desenvolvimento do setor, gerando mais segurança e bem-estar aos estudantes em ambiente escolar: “Este é o tipo de investimento que gostamos de fazer, o investimento na prevenção. Alunos que convivem nesse ambiente, tendo noções básicas de civismo e cidadania, com certeza se tornarão jovens e adultos mais comprometidos com a sociedade”.

Na oportunidade, o comandante-geral da PMSC, coronel Carlos Alberto de Araújo Gomes Júnior, também comentou sobre o pacto firmado, destacando os benefícios que a iniciativa irá gerar para ambos os órgãos contemplados: “Quem ganha com essa parceria são as nossas crianças e adolescentes. Digo isso, pois elas são nosso futuro, e consequentemente, precisamos protegê-las no presente”. 


Informações adicionais para imprensa:
Assessoria de Imprensa
Marcelo Passamai (PMSC) e Patrícia Antunes (SED)
E-mail: ccschefia@pm.sc.gov.br e imprensa@sed.sc.gov.br 
Fone: (48) 3229-6920  e (48) 3664-0347 / (48) 988177973
Site: www.pm.sc.gov.br  e www.sed.sc.gov.br 


Foto: Doia Cercal / Secom

O Detran vai disponibilizar a versão digital da CNH antes da impressa. A chamada inversão na emissão é uma opção disponível para quem abrir um processo presencial ou digital  de habilitação definitiva ou renovação. Santa Catarina é um dos quatro estados do país a oferecer mais essa comodidade aos condutores.

Para ter essa inovação, o motorista precisa estar com todos os dados atualizados junto ao órgão de trânsito, o que pode ser feito através do Portal Digital do Detran e fazer o download do aplicativo Carteira Digital de Trânsito (CDT), do Governo Federal.

Ao abrir um processo de CNH, o usuário terá duas opções: CNH impressa ou CNH impressa + CNH digital. Quem optar pela segunda opção deve ter as informações do telefone celular e e-mail válidos cadastrados no sistema. Caso contrário, uma mensagem será mostrada ao usuário ou operador, solicitando a atualização. Para isso, é preciso acessar a aba Meus Dados, dentro do Portal Digital.

Essa atualização é obrigatória, pois é pelo e-mail que o condutor receberá o número de registro da habilitação e o número de segurança, que serão utilizados para validar a CNH digital no aplicativo CDT. Tudo isso, antes mesmo de retirar o documento físico, que continua sendo indispensável.

“Nosso objetivo é modernizar os serviços do Detran. Com a parceria do Governo Federal conseguimos disponibilizar cada vez mais melhorias ao cidadão catarinense. Aproveitem esses recursos tecnológicos”, ressaltou a diretora do Detran, Sandra Mara Pereira.

O coordenador-geral do Denatran, Eduardo Sanches, frisou a importância de somar esforços com os estados como Santa Catarina, para efetivar cada vez mais a transformação digital no país, reduzir custos, desburocratizar e entregar serviços de qualidade. E revelou que esse foi o primeiro passo para o fim da obrigatoriedade da CNH física, cujo projeto está em fase de elaboração para ser implantado em 2020 por meio de uma resolução do Contran.

Além de SC, Pernambuco, Espírito Santo e Ceará implementaram esse sistema. A previsão do Denatran é de que ainda este ano todos os estados ofereçam esse serviço.

CNH digital 

A versão digital da CNH está disponível em SC desde fevereiro de 2018. Ela só pode ser gerada para quem tem a última versão da CNH impressa, que conta com um QR Code na parte interna. O código está disponível nos documentos de habilitação emitidos a partir de 2 maio de 2017.

Em Santa Catarina, foram emitidas até hoje 2.212.203 CNHs com QR Code, sendo que apenas 247.053 estão na versão digital.

CDT

A nova versão da CDT, lançada na segunda-feira, 18, pelo Ministério da Infraestrutura, possibilitará a adesão de um maior número de pessoas à CNH Digital. Hoje, existem três milhões de CNH digitais válidas em todo o Brasil, e outras 40 milhões com potencial para a versão eletrônica, ou seja, que possuem o documento impresso com o QR Code.

Informações adicionais para imprensa
Janaina Guliato
Assessoria de Imprensa
Departamento Estadual de Trânsito de SC (Detran)
E-mail: imprensa@detran.sc.gov.br  
Fone: (48) 3664-1733
www.detran.sc.gov.br 

Com o tema Sustentabilidade: inovação e políticas públicas, o I Green Summit 2019 será realizado nesta sexta-feira, 22, em Florianópolis. O evento reúne importantes atores do ecossistema nacional e internacional para uma discussão integrada sobre o fortalecimento de ações para o desenvolvimento sustentável aliado à inovação. 

O objetivo é suscitar a discussão a respeito da sustentabilidade e o papel dos agentes na formulação de políticas públicas voltadas a uma economia regenerativa, que valorize a conservação da biodiversidade. 

A iniciativa da Secretaria Executiva de Meio Ambiente (SEMA), que integra a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE), vai reunir agentes públicos das três esferas e poderes, empresas sustentáveis, universidades e sociedade civil organizada, para o amplo debate de como desenvolver o hoje sem prejudicar o amanhã. 

“Nosso intuito é estabelecer conexões para o desenvolvimento sustentável a partir de práticas econômicas, de desenvolvimento social e de preservação ambiental. Só com a união destes pilares poderemos encontrar um equilíbrio entre o crescimento e a preservação”, destaca o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Lucas Esmeraldino. 

Palestrantes de renome nacional e internacional em suas respectivas áreas de atuação farão parte da programação, que também contará com diretores de organizações multinacionais. O evento representa uma oportunidade singular de ouvir e discutir como o mercado mundial vem tratando do tema sustentabilidade, além de proporcionar para Santa Catarina soluções com resultados concretos em países do primeiro mundo.

Serviço
O quê: I Green Summit 2019
Data: 22 de novembro, sexta-feira,  das 8h às 18h
Local: suditório da Epagri - Rodovia Admar Gonzaga, 1347 – Itacorubi, Florianópolis 
Público-alvo: servidores públicos de todas as esferas, empresários e acadêmicos 
Inscrições: gratuitas e limitadas neste link

Mais informações para a imprensa:
Mônica Foltran
Assessoria de Comunicação
Secretaria do Desenvolvimento Econômico Sustentável - SDE
Fone: (48) 3665-2261 / 99696-1366
E-mail: jornalistamonicafoltran@gmail.com
Site: www.sds.sc.gov.br




Foto: Mauricio Vieira / Secom

A importância da aproximação do Governo do Estado com prefeituras, vereadores e associações de municípios e os resultados positivos dessa relação. Esse foi o principal assunto abordado pelo governador Carlos Moisés na abertura do Congresso Estadual de Vereadores, na manhã desta quarta-feira, 20, em Florianópolis.

Em sua fala, o governador reforçou o caráter municipalista de gestão e destacou alguns resultados da parceria com as prefeituras e associações de municípios. “A forma municipalista de governo que traçamos como objetivo está trazendo excelentes resultados. Nós lançamos uma proposta para vereadores, prefeitos e associações de municípios, que é o Projeto Recuperar. Com a ação, repassamos dinheiro público estadual aos municípios para fazer a manutenção das rodovias estaduais”, ressaltou.

O governador citou como exemplo o Consórcio Interfederativo Santa Catarina (Cincatarina), que conseguiu economizar cerca de 40% na licitação para sinalização e manutenção. “O município está próximo do problema e tem capilaridade. Os vereadores e prefeitos que recebem as demandas e sabem onde tem buraco na rodovia e precisa de manutenção, por isso esse modelo tem dado certo”, afirmou.

A solenidade foi acompanhada pelo chefe da Casa Civil, Douglas Borba, deputados estaduais, vereadores e demais autoridades. O evento, promovido pela União dos Vereadores de Santa Catarina (Uvesc), segue até 22 de novembro na Assembleia Legislativa de Santa Catarina.

Informações adicionais para imprensa:
Karine Wenzel
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
Fone: (48) 3665-3005 
E-mail: karinew@secom.sc.gov.br 
Site: www.sc.gov.br 
www.facebook.com/governosc e @GovSC

 Foto: Maurício Vieira/Secom

As medidas adotadas para reorganizar o Estado e provocar a retomada dos investimentos em Santa Catarina pautaram a palestra do governador para empresários da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Florianópolis. Carlos Moisés aproveitou a oportunidade para expor algumas das dificuldades encontradas no início do mandato e apresentar os resultados de quase um ano de governo. O evento foi realizado na sede da entidade, na noite desta terça-feira, 19.

"Nós encontramos um Estado sem planejamento, sem projetos e sem controle dos seus gastos e ativos. Herdamos 74% das rodovias em estado ruim ou péssimo, um déficit anual de R$ 2,5 bilhões, uma dívida de R$ 750 milhões na saúde e uma despesa com a folha acima do limite prudencial. Tudo isso é resultado de um processo histórico, e não é uma realidade que se muda em 11 meses, mas já conseguimos avanços muito importantes", mencionou o governador. 

Carlos Moisés mencionou a digitalização de processos e serviços, o aumento na austeridade em relação aos contratos firmados pelo Estado e o critério técnico para a seleção do primeiro escalão, a exemplo do que ocorre na iniciativa privada. 

"Os primeiros resultados já estão aparecendo. No ano que vem, poderemos repassar até R$ 300 milhões aos hospitais filantrópicos. No ano passado, foram R$ 84 milhões. Herdamos muitas dificuldades na saúde, como a dívida, mas é uma área valiosa para melhorar a vida das pessoas, que é o nosso objetivo", detalhou.

O governador ainda citou o reforço dos efetivos da segurança pública, os investimentos de R$ 1,2 bilhões para a educação projetados pelo programa Minha Nova Escola e o aumento de mais de 100% no volume de bolsas de estudo de ensino superior oferecidas pelo Estado. As parcerias com os municípios e associações para recuperar rodovias e os investimentos estratégicos nas prioridades de cada região pelo programa Novos Rumos com recursos próprios também foram lembrados. O chefe da Casa Civil, Douglas Borba, esteve presente no evento. 

O presidente da CDL Florianópolis, Ernesto Caponi, destacou a importância da presença do governador para dividir com os empresários os sucessos e desafios do Governo do Estado. "É um dia ímpar para a CDL. Aqui é a casa das pessoas que geram emprego e renda. As promessas da campanha, o governador está realizando. Nós temos um governo que age e tem que agir sempre, da melhor forma possível", declarou. 


Informações adicionais para a imprensa
Renan Medeiros
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
E-mail: renan@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3058 / (48) 99605-9196
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC

arvore cruz e sousa
Foto: Divulgação / FCC


Se Cruz e Sousa estivesse vivo, que mensagem você escreveria para ele?
  É com essa proposta que visitantes do Museu Histórico de Santa Catarina (MHSC), no Palácio Cruz e Sousa, são convidados a deixar recados para o poeta, pendurando bilhetes em uma escultura de árvore de metal, instalada na sala que abriga os restos mortais do poeta. A ação foi pensada para marcar o aniversário de Cruz e Sousa, comemorado no dia 24 de novembro.

A árvore tem um ninho que representa o nascimento. "Minha inspiração vem do fato que os ninhos representam as casas, o pouso e o afeto", explica a administradora do MHSC, Lena Peixer, criadora da escultura. A árvore ficará no local até dia 30 de novembro e, posteriormente, os bilhetes serão lidos em um evento nos jardins do Palácio Cruz e Sousa. "Depois de lidas, as mensagens serão queimadas para que cheguem ao céu", explica Lena Peixer.

O MHSC fica na Praça XV de Novembro, 227, em Florianópolis. O horário de atendimento é de segunda a sexta-feira das 10h às 18h, aos sábados, domingos e feriados, das 10h às 16h.

Assessoria de Comunicação
Fundação Catarinense de Cultura (FCC)
Fone: (48) 3664-2571 / 3664-2572 
Email: imprensa@fcc.sc.gov.br
Site: www.cultura.sc.gov.br
Facebook: www.facebook.com/FundacaoCatarinensedeCultura
Twitter: www.twitter.com/fccoficial


Foto: Julio Cavalheiro / Secom

O ano de 2019 continua positivo para o emprego em Santa Catarina. O percentual de população catarinense desempregada caiu de 6% para 5,8%, entre o segundo e o terceiro trimestre deste ano, resultado que fortalece a posição do estado com o menor índice do Brasil. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgados nesta terça-feira, 19.