Compartilhe


Foto arquivo: Jamil Correia da Silva Junior / Cidasc

De olho no mercado internacional, Santa Catarina quer ampliar as exportações de carnes. De acordo com informações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), nos próximos dias, Coreia do Sul, China, México e Indonésia devem aumentar as compras de carnes brasileiras – principalmente carne suína e de frango, que são o carro-chefe do agronegócio catarinense. Além disso, a Rússia pode retomar as importações da carne suína brasileira.

A notícia mais esperada pelos produtores rurais catarinenses deve chegar já na semana que vem, quando a Coreia do Sul irá anunciar quais são os frigoríficos de SC autorizados a exportar carne suína. Com 50 milhões de consumidores, o mercado sul-coreano é o quarto maior importador de carne suína do mundo e uma importante conquista para o setor agropecuário de Santa Catarina.

Segundo o secretário da Agricultura e da Pesca, Airton Spies, o status sanitário diferenciado do Estado foi fundamental para essa conquista – este é considerado um mercado Premium e Santa Catarina é o único Estado do país autorizado a exportar carne suína para a Coreia do Sul.

A Coreia do Sul já é um comprador de carne de frango catarinense. Em 2018, o Estado já embarcou 7,6 mil toneladas do produto com destino ao mercado sul-coreano, faturando cerca de US$ 14 milhões.

CHINA

A China já é um grande comprador das carnes catarinenses - é o principal destino da carne suína e o segundo maior mercado para carne de frango produzida no Estado.

No primeiro trimestre deste ano, a China dobrou as compras de carne suína, em relação ao mesmo período de 2017, chegando a 28,6 mil toneladas. Já as exportações de carne de frango catarinense para a China fecharam o trimestre em 20,9 mil toneladas. Só este ano, o mercado chinês gerou ao Estado um faturamento de US$ 95,44 milhões com os dois produtos.

Em maio, uma missão chinesa deve vir ao Brasil para habilitar mais plantas frigoríficas e ampliar ainda mais a compra de carnes.

MÉXICO

O México deve anunciar mais 30 plantas habilitadas para vender carne de frango em todo o país. Este já é um mercado importante para Santa Catarina e que vem aumentando significativamente as compras ao longo dos últimos anos. Nos primeiros meses de 2018, foram 8,7 mil toneladas de carne de frango embarcadas – 39,6% a mais do que no primeiro trimestre de 2017, com receitas de US$ 13,6 milhões.

O México é o terceiro maior importador mundial de carne de frango. Em 2017 o país importou cerca de 750 mil toneladas, das quais 27,5 mil foram de Santa Catarina. “A exportação de carnes para o continente asiático e o México são uma grande esperança para continuidade do crescimento da produção de proteína animal de Santa Catarina”, ressalta Airton Spies.

RÚSSIA

Segundo o Mapa, o Brasil está em fase final para reabertura do mercado da Rússia para a carne suína brasileira. Até o ano passado, o país era o principal destino da carne suína catarinense e respondia por 37% do total exportado pelo Estado (em termos de quantidade). De janeiro a dezembro de 2017, Santa Catarina embarcou 102,2 mil toneladas para a Rússia, faturando mais de US$ 269,5 milhões.

Está prevista para o próximo dia 24 de abril, uma reunião entre autoridades sanitárias do Brasil e da Rússia para os acertos finais à retomada do comércio. As exportações à Rússia foram suspensas em dezembro de 2017, sob a alegação de presença de ractopamina em cortes suínos.

INDONÉSIA

Há expectativa que a Indonésia anuncie a abertura do mercado para compra de carne bovina produzida no Brasil.

Informações adicionais:
Ana Ceron
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca
imprensa@agricultura.sc.gov.br
Fone: (48)-3664-4417/ (48) 98843-4996
Site: www.agricultura.sc.gov.br 
www.facebook.com/AgriculturaePescaSC/