A Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca vai apoiar as escolas agrícolas públicas e particulares de Santa Catarina com a cessão de equipamentos agrícolas e a distribuição de calcários e sementes de milho do Programa Terra Boa. A decisão foi anunciada pelo secretário da Agricultura e da Pesca, João Rodrigues, nesta segunda-feira, 5, em reunião com os diretores e representantes das Escolas Agrícolas estaduais e particulares de Santa Catarina para tratar das demandas das unidades de ensino.

Na oportunidade, o secretário João Rodrigues anunciou a liberação, via termo de cessão de uso, de um equipamento agrícola para cada escola. Além disso, para minimizar os custos com a aquisição de insumos agrícolas, que custam R$ 50 mil a cada Centro de Educação, a Secretaria da Agricultura construiu uma proposta para que as Escolas Agrícolas, por meio das Cooperativas de Alunos, sejam incluídas no Programa Terra Boa para aquisição de calcário e sementes de milho. “Queremos incentivar a permanência do jovem no campo e a qualificação dos técnicos agrícolas, para isso vamos incluir as Escolas Agrícolas estaduais e particulares no Programa Terra Boa, com um limite de até 100 sacas de milho por estabelecimento”, explica João Rodrigues. A proposta será apresentada ao Conselho de Desenvolvimento Rural nesta terça-feira, 6, e caso seja aprovada as Escolas já estarão aptas a participar do Programa ainda este ano. 

O secretário afirma que é um momento de aproximação entre Escolas Agrícolas e Secretaria da Agricultura em prol dos jovens rurais. João Rodrigues autorizou ainda a criação de um termo de cooperação entre as Escolas e a Secretaria para que os alunos possam cumprir o estágio curricular não remunerado nos escritórios municipais da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri) e da Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc). Cada Escola Agrícola de Santa Catarina possui em média 230 alunos internos em processo de formação para técnico agrícola. 

Participaram da reunião representantes do Sindicato dos Técnicos Agríolas de Santa Catarina; do Centro de Educação Profissional Getúlio Vargas de São Miguel do Oeste; do Centro de Educação Profissional Caetano da Costa de São José do Cerrito; do Centro de Educação Profissional Água Doce; do Centro de Educação Profissional Campo Erê; do Centro de Educação Profissional Vidal Ramos de Canoinhas; do Colégio Agrícola La Salle de Xanxerê.

Informações adicionais:
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca 
E-mail: imprensa@agricultura.sc.gov.br 
Telefone: (48) 3239-4039 / 8843-4996

O Governo do Estado repassou, na quarta-feira, 31, recursos para os municípios de Iraceminha e Serra Alta pertencentes à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional de Maravilha. O secretário Regional, Valci Dal Maso, salientou que estes valores foram disponibilizados através da Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca. "A aquisição destes maquinários beneficiará toda população, trazendo melhorias nas estradas e promovendo o desenvolvimento", disse.

Para Iraceminha, foi assinado convênio no valor de R$ 300 mil para aquisição de um conjunto de britagem móvel, sendo R$ 150 mil de repasse do Governo do Estado e contrapartida do município de Iraceminha, de R$ 150 mil. Já para Serra Alta, o convênio totalizou R$ R$ 214,2 mil para aquisição de um rolo compactador. Deste valor, 150 mil são oriundos do Estado e R$ 64,2 mil de contrapartida do município.

Os recursos foram repassados por meio do novo modelo de transferências voluntárias, adotado pelo Governo do Estado neste ano, o Portal SCTransferências, que foi criado para aumentar o controle e a transparência em relação aos pagamentos de convênios, subvenções sociais e contratos de apoio financeiro.

Além do prefeito de Iraceminha, Bruno Roberto Pan; do vice-prefeito Jeri Tumelero e do prefeito de Serra Alta, Francisco Both, participaram da assinatura o diretor geral da SDR Maravilha, Vilson Warmling; gerentes da SDR Maravilha; vereadores e equipe das prefeituras.

Informações adicionais:
Carla da Silva Trentin
Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional de Maravilha
E-mail: 
carla@mvh.sdr.sc.gov.br

Telefone: (49) 8839-1117

 

A Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca irá encaminhar proposta para alteração das instruções normativas interministeriais 10/2011 e 12/2012, que tratam do modelo de permissionamento para pesca no Brasil e da proibição da pesca com redes de emalhe por embarcações motorizadas até a distância de uma milha náutica (1.850 metros) a partir da linha da costa. Nesta quarta-feira (31), a Secretaria realizou reunião com pescadores e entidades ligadas ao setor para elaborar documento a ser encaminhado ao Ministério da Pesca e Aquicultura e ao Ministério do Meio Ambiente. 

De acordo com a Federação dos Pescadores do Estado de Santa Catarina (Fepesc), a normativa 10/2011 igualou as atividades de pesca artesanal com as de pesca industrial, mesmo estas categorias apresentando estruturas, poder de captura e rendimentos diferentes. A base do permissionamento será a liberação de permissão de pesca principal para captura de uma espécie alvo e uma complementar. “Essa decisão prejudica significativamente os pescadores artesanais, que têm como característica usar diversos tipos de redes e modalidades, capturando poucas quantidades de pescado”, explica o presidente da Fepesc, Ivo da Silva. 

Os Ministérios exigem ainda que o pescador escolha entre uma rede de emalhar de fundo ou de superfície, o que contraria a característica básica da pesca artesanal que é realizar diversos tipos de pescaria. Os pescadores e entidades sugerem que haja uma modalidade única para emalhe costeiro de peixe alvo, contemplando ainda peixes diversos. O secretário de Estado da Agricultura e da Pesca, João Rodrigues, afirma que o documento elaborado hoje será enviado aos Ministérios para que as alterações aconteçam logo e não prejudiquem a pesca artesanal de Santa Catarina. “Somos contrários a essas instruções normativas feitas por pseudointelectuais em Brasília que não conhecem a realidade da pesca artesanal catarinense e que podem inviabilizar o setor “, enfatiza Rodrigues. 

A normativa 12/2012 proíbe, no Art. 6º, a pesca com redes de emalhe por embarcações motorizadas até a distância de uma milha náutica a partir da linha da costa. Os pescadores ressaltam que essa determinação torna inviável a pesca artesanal em Santa Catarina, já que grande parte deles faz uso desse tipo de embarcação. A sugestão é para que seja permitida a pesca por embarcações classificadas como de navegação interior segundo os critérios da Autoridade Marítima. 

Estiveram presentes na reunião, representantes da Federação de Pescadores do Estado de Santa Catarina; da Federação das Associações de Pescadores de Santa Catarina; do Ministério da Pesca e Aquicultura; da Secretaria da Pesca de Florianópolis; da Comissão de Pesca da Assembléia Legislativa do Estado de Santa Catarina; Marinha do Brasil; técnicos da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri) e pescadores.

Informações adicionais:
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca 
E-mail: imprensa@agricultura.sc.gov.br 
Telefone: (48) 3239-4084

O Governo do Estado, por meio da Secretaria da Agricultura e da Pesca, efetuou nesta quarta-feira, dia 31, o repasse de cerca de R$ 150 mil ao município de Iraceminha, Oeste do Estado, para aquisição de conjunto de britagem móvel. A assinatura do convênio foi realizada na sede da Secretaria de Desenvolvimento Regional (SDR) de Maravilha.

A autorização para a transferência de recursos foi feita pela Secretaria da Casa Civil, nesta quarta-feira, após determinação do governador Raimundo Colombo e solicitação do secretário de Estado da Agricultura e da Pesca, João Rodrigues. “Com esse repasse, estaremos auxiliando a prefeitura a adquirir maquinários para atender os agricultores catarinenses”, destacou o secretário.

O pedido para aquisição do conjunto de britagem móvel foi feita ao secretário João Rodrigues pelo prefeito Bruno Roberto Pan. Os recursos foram repassados por meio do novo modelo de transferências voluntárias, adotado pelo Governo do Estado neste ano, o Portal SCTransferências, que foi criado para aumentar o controle e a transparência em relação aos pagamentos de convênios, subvenções sociais e contratos de apoio financeiro.

A Secretaria de Estado da Casa Civil, a partir de determinações do governador do Estado, avalia o programa e autoriza a publicação no Portal SCTransferências. Feito isso, o Programa Transferência fica disponível na internet para que os proponentes possam encaminhar as propostas. Os projetos são avaliados tecnicamente e aprovados pelas autoridades competentes para que os instrumentos sejam assinados.

Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca
E-mail: imprensa@agricultura.sc.gov.br
Fone: (48) 3239-4137

Com o objetivo de promover e fortalecer a agricultura familiar dos 15 Municípios do Extremo-Sul, será realizada, nos dias 09 e 10 de agosto, a 2ª Expofeira da Agricultura Familiar do Extremo Sul Catarinense. O evento será  na Praça Hercílio Luz, em Araranguá. A realização é da Secretaria do Desenvolvimento Regional de Araranguá, Gerência Regional da Epagri, Associação dos Municípios do Extremo-Sul (Amesc), Instituto Federal Catarinense- Campus Sombrio e Prefeitura de Araranguá. A proposta da feira também é valorizar o agricultor e seus produtos, enfocando o mundo rural como um lugar de oportunidades e potencialidades, por meio da integração com o meio urbano,

A comissão composta por integrantes dos órgãos realizadores da Expofeira reúne-se constantemente desde o mês de abril para definir os detalhes do evento. O próximo encontro está agendado para a próxima quarta-feira, 31, às 14 horas no Centro de Treinamento da Epagri de Araranguá. “Iremos conversar com os agricultores dos Municípios que irão expor seus produtos na Feira. A Expofeira oportunizará a comercialização dos produtos oriundos da agricultura familiar”, explica a gerente de Agricultura e Desenvolvimento Econômico e Sustentável da 22ª SDR, Marizete de Oliveira.

A Expofeira contará com exposição e comercialização de produtos de todos os 15 Municípios da área de abrangência da SDR Araranguá, com funcionamento das 7h às 18h. Paralelamente à Feira serão realizadas apresentações culturais e demonstrações nas feiras vivas – tear de fios e de pedra, fibras naturais, artesanato em barro e em couro, e confecção de tarrafa artesanal.

A onda de ar polar que trouxe neve e geada em proporções atípicas para o tradicional inverno catarinense prejudicou a produção de hortaliças em Santa Catarina. Para viabilizar o replantio, a Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca irá disponibilizar sementes e calcário para os agricultores. O secretário João Rodrigues salienta que o Governo do Estado não tem como cobrir as perdas por questões climáticas. 

Segundo o secretário, a entrega dos insumos dependerá de levantamento das perdas em cada município pelos escritórios da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri). “Os agricultores deverão procurar os nossos escritórios municipais da Epagri para obter maiores informações e oficializar o pedido de sementes ou calcário. As perdas só não foram maiores, porque nós tivemos a felicidade do alerta feito pelo Governo do Estado sobre a onda de frio e muitos agricultores se preveniram da melhor forma possível”, observa. 

Rodrigues ressalta que a preocupação maior é com as hortas e os viveiros de mudas, pois as culturas de inverno são mais resistentes às quedas de temperatura. Enquanto o frio persistir, o conselho para os agricultores é que seja realizada a cobertura e irrigação das hortas e que os animais sejam colocados em locais mais protegidos para que não sofram com as baixas temperaturas. Na Secretaria da Agricultura e da Pesca, há kits com sementes de hortaliças com caixas contendo 100 pacotes de sementes com nove variedades (alface, cenoura, pepino, rabanete, beterraba, feijão-de-vagem, almeirão, rúcula e salsa).

Assessoria de Imprensa da Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca
Fone: (48) 3239-4137
E-mail: imprensa@agricultura.sc.gov.br

 

 

A Epagri em parceria com as Secretarias Regionais de Tubarão, Braço do Norte e Laguna realizam a 7ª Mostra Regional de Produtos Coloniais, Artesanato e Turismo da Agricultura Familiar, de 24 a 28 de julho. O evento ocorre no piso térreo do estacionamento do Farol Shopping, em Tubarão, das 10h às 22h. Produtos coloniais e artesanatos elaborados pelos produtores rurais da região serão comercializados e saboreados pelos visitantes. A abertura será nesta quarta-feira, 24, a partir das 20h, com a presença de autoridades.

Para o gerente regional da Epagri, Luiz Marcos Bora, este evento consolida o empreendedorismo do agricultor. “O artesanato e as delícias produzidas na região, poderão ser apreciadas pelos inúmeros visitantes que são esperados para esta mostra. Nossa região produz muitos produtos que às vezes muita gente nem sabe que é feito aqui. Estarão à venda queijos, vinhos, sucos, embutidos, geleias, pães, biscoitos, doces, e outros produtos típicos do Sul”, enumera Bora. 

Os produtos coloniais e artesanatos elaborados pelos produtores rurais da região serão comercializados  e saboreados pelos  visitantes, que já se tornou evento obrigatório pela boa aceitação das pessoas que circulam pelo Shopping. Cerca de 17 municípios participarão, mostrando seus produtos coloniais.

A feira é uma promoção da Epagri, em parceria com as prefeituras da Associação dos Municípios da Região de Laguna (Amurel), SDRs de Tubarão, Braço do Norte, Laguna e Farol Shopping. A entrada é gratuita.

Os municípios que participarão são: Armazém, Braço do Norte, Capivari de Baixo, Gravatal, Grão-Pará, Imaruí, Imbituba, Jaguaruna, Laguna, Pedras Grandes, Rio Fortuna, Santa Rosa de Lima, São Ludgero, São Matinho, Sangão, Treze de Maio e Tubarão. Todos os produtos serão comercializados pelos próprios agricultores.

Agricultores familiares da Região do Extremo-Sul participaram nesta terça-feira, 23, no Centro de Treinamento da Epagri, em Araranguá, da aula inaugural do curso de qualificação do Pronacampo – Programa Nacional de Educação no Campo, com ênfase em Turismo Rural. Este primeiro módulo terá ainda um encontro nesta quarta-feira, 24.

Participaram da solenidade de abertura do curso o diretor geral da Secretaria do Desenvolvimento Regional de Araranguá, Marcos Leone de Oliveira; o gerente Regional da Epagri, Clódis Odacyr Ramos de Brito; o diretor geral do Instituto Federal Catarinense - campus Sombrio, Carlos Antônio Krause; a coordenadora de Turismo e Meio Ambiente da Associação de Municípios do Extremo-Sul Catarinense (Amesc), Cristiane Tonetto Biléssimo e a gerente de agricultura e desenvolvimento econômico e sustentável da 22ª SDR, Marizete de Oliveira.

A primeira capacitação do curso foi ministrada, ainda na manhã desta terça-feira, 23, pela professora do IFC - Campus Sombrio, Carolina Braghirolli Stoll, Mestre em Turismo e Hotelaria, coordenadora do Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Turismo.

O objetivo da qualificação é promover a sustentabilidade e o desenvolvimento sócioeconômico da agricultura familiar através de uma nova alternativa de renda na região turística denominada Caminho dos Canyons. Entre os temas abordados nos encontros estão Turismo e Hospitalidade; Cultura e Patrimônio; Meio Ambiente e Sustentabilidade; Serviços de Alimentos, de Recepção, de Hospedagem; Arquitetura; Paisagismo; Serviços de Guiamento Turístico; Marketing; Elaboração de Projetos; entre outros, além de aulas práticas e visitas técnicas.

No total, a qualificação terá 200 horas, com previsão de encerramento em 2014. Os cinco módulos de qualificação inseridos na matriz curricular são: Conscientização e envolvimento da Comunidade Rural (32h); Qualificação para a Estruturação dos Serviços Turísticos na Agricultura Familiar (32h); Qualificação para a Estruturação dos Equipamentos Turísticos na Agricultura Familiar (48h); Noções de Elaboração de Produtos Turísticos (32h) e Noções de Elaboração de Produto Turístico Direcionado (56h).

O Programa Pronacampo é uma ação do Governo Federal, com parceria da Secretaria do Desenvolvimento Regional de Araranguá, Associação de Municípios do Extremo-Sul Catarinense (Amesc), Gerência Regional da Epagri de Araranguá e Instituto Federal Catarinense (IFC), campus Sombrio.

O ex-presidente da Embrater (Empresa Brasileira de Assistência Técnica e Extensão Rural), ex-secretário estadual de Agricultura e fundador do Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Glauco Olinger, vai integrar o quadro de titulares da Academia Brasileira de Ciência Agronômica. A solenidade de posse acontece nesta quarta-feira, dia 24, às 18h, em sessão especial da 65ª Reunião da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), no auditório Centro de Ciências Sociais Aplicadas da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Cidade Universitária, Recife (PE).

A indicação do nome de Olinger para integrar a Academia Brasileira de Ciência Agronômica foi do secretário de Estado da Agricultura e da Pesca, João Rodrigues, em setembro de 2011. “Glauco Olinger é uma das mais importantes referências do setor agrícola catarinense, por isso sua indicação. Ele incentivou o desenvolvimento da moderna agricultura de Santa Catarina, modelo para vários outros estados brasileiros. Contribuiu para o desenvolvimento das cadeias produtivas de arroz irrigado, maçã, uva, gado de leite, suínos e aves, dentre outros”, destaca Rodrigues.

Olinger foi secretário de Estado da Agricultura nos governos de Ivo Silveira (1966-1971) e Colombo Salles (1971-1975), e é responsável pelo plano de implantação do curso de agronomia na Universidade Federal de Santa Catarina (UfSC). Olinger também participou da instalação do Ministério da Agricultura e Pesca, em Cabo Verde e da fundação do Serviço de Extensão Rural em Angola.

Informações adicionais:
Ney Bueno
Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca
E-mail: imprensa@agricultura.sc.gov.br
Telefone: (48) 3239-4137