Municípios catarinenses devem enviar até o dia 31 de março as indicações de nomes de seus representantes para participar da etapa regional para seleção dos novos membros do Conselho Estadual de Cultura, nas cadeiras ocupadas pela sociedade civil. A escolha dos novos conselheiros passará por três etapas: municipal, regional e estadual. O processo completo deve ser finalizado até o início de julho de 2019. Vale destacar que os nomes sugeridos deverão ter atuação nas áreas que vão compor o novo colegiado:

Arquivos, Bibliotecas e Museus 
Artes Visuais
Audiovisual
Cultura Popular e Diversidade
Dança
Letras
Música
Patrimônio Cultural Imaterial
Patrimônio Cultural Material
Teatro

Qualquer cidadão que tenha relação com essas áreas pode manifestar seu interesse procurando o órgão de cultura de sua cidade ou o conselho municipal de cultura, se houver. Os representantes eleitos deverão ser residentes em Santa Catarina há pelo menos dois anos e não podem ocupar cargo comissionado ou função gratificada na administração pública federal, estadual, distrital ou municipal.

Com essa iniciativa, o Conselho Estadual de Cultura quer democratizar e dar mais transparência à escolha dos novos conselheiros. Além disso, com a oficialização do Sistema Estadual de Cultura por meio da lei 17.449/2018, as indicações dos representantes da sociedade civil passam a ser, obrigatoriamente, realizadas por meio de fóruns com a exigência de respeitar as representações regionais, por isso a importância da parcipação dos municípios em todo o processo.

Para orientar a indicação dos nomes e informar sobre critérios e etapas necessárias, foi elaborada uma cartilha de instruções.

Assessoria de Comunicação
Fundação Catarinense de Cultura (FCC)
Fone: (48) 3664-2571 / 3664-2572 
Email: imprensa@fcc.sc.gov.br
Site: www.cultura.sc.gov.bracebook: www.facebook.com/FundacaoCatarinensedeCultura
Twitter: www.twitter.com/fccoficial


Imagem: Divulgação

O Museu de Arte de Santa Catarina (MASC) está com inscrições abertas para visitas mediadas e cinco oficinas de arte que oferecerá gratuitamente a crianças, jovens e adultos neste verão, por meio de seu Núcleo Educativo. O objetivo é oportunizar, neste momento de férias, visitas mediadas e oficinas, especialmente em diálogo com as exposições do 6º Prêmio Marcantonio Vilaça, para diferentes públicos interessados em interagir com a arte contemporânea e o Museu.

Serão oferecidas 15 vagas para cada dia e horário (ver cronograma abaixo). As inscrições nas oficinas propostas para crianças de faixa etária específica (de 7 a 10 anos) somente serão aceitas mediante o acompanhamento de adultos (familiares ou responsáveis). Os interessados podem inscrever-se nas visitas mediadas e oficinas que correspondem à respectiva faixa etária enviando os seguintes dados para o e-mail agendamentomasc@gmail.com:

-Nome completo e idade;
-Especificar a data desejada da visita mediada e oficina;
-E-mail e telefone (residencial/celular/comercial) para contato;
-Escolaridade;
-Profissão.

Cronograma das oficinas:

Oficina de escultura em papel para crianças
Faixa etária: de 7 a 10 anos
Dia: 23 de janeiro de 2018 (quarta-feira)
Horário: das 14h às 17h

Oficina de pintura para crianças
Faixa etária: de 11 a 13 anos
Dia: 24 de janeiro de 2018 (quinta-feira)
Horário: das 14h às 17h

Oficina de Fanzine para adolescentes
Faixa etária: de 14 a 17 anos
Dia: 29 de janeiro de 2018 (terça-feira)
Horário: das 14h às 17h

Oficina de pintura em aquarela com café
Público-alvo: adultos
Dia: 23 de janeiro de 2018 (quarta-feira)
Horário: das 19h às 21h

Oficina de pintura em aquarela com café
Público-alvo: adultos
Dia: 29 de janeiro de 2018 (terça-feira)
Horário: das 19h às 21h

Mais informações podem ser obtidas diretamente com o Núcleo Educativo do Museu pelo telefone (48) 3664-2633, de segunda a sexta-feira, das 13h às 19h. O MASC está localizado no Centro Integrado de Cultura (CIC), na Avenida Governador Irineu Bornhausen, 5600, bairro Agronômica, em Florianópolis (SC).

Informações adicionais para imprensa
Assessoria de Comunicação Fundação Catarinense de Cultura
Telefone: (48) 3664-2571 / 3664-2572
E-mail: imprensa@fcc.sc.gov.br
Facebook: www.facebook.com/FundacaoCatarinensedeCultura 
Twitter: www.twitter.com/fccoficial 

Foto: Márcio H. Martins/FCC

Estão abertas as inscrições para as oficinas de arte e cultura, selecionadas por meio de edital, que acontecem no Centro Integrado de Cultura (CIC).  As aulas começam a partir desta semana, conforme o cronograma de cada professor. Os interessados deverão dirigir-se à Diretoria de Difusão Artística da Fundação Catarinense de Cultura (FCC) para realizar a matrícula, portando carteira de identidade e CPF. 

Serão oferecidas oito oficinas no primeiro semestre de 2019:

Introdução à Direção de Arte Audiovisual
Ministrante: Isabel Xavier

Início em 21 de março / Término em 25 de abril de 2019
Quintas-feiras – período vespertino (15h-18h)
Carga horária: 18h (seis encontros).
Valor da oficina: R$ 400,00 (2x R$200,00)


Atelier de Colagem

Ministrante: Pati Peccin

Início em 22 de janeiro de 2019 / Término em 16 de abril de 2019
Terças-feiras – período noturno (19h-22h)
Carga horária: 36h (12 encontros).
Valor da oficina: 3x R$ 240,00


Oficina Livre de Piano
Ministrante: Harold Auras

Início imediato / aulas individuais 
Dias e horários personalizados
Carga horária semanal: 50 minutos.
Valor para quatro aulas: R$ 250,00


Oficina de Vídeo
Ministrante: João Ricardo Cararo Lazaro

Turma 1: Início em 15 de janeiro de 2019 / Término em 24 de janeiro de 2019
Terças e quintas – período noturno (19h-21h30)
Carga horária: 10h (quatro encontros)
Valor total da oficina: R$100,00

Turma 2: Início em 29 de janeiro de 2019 /  Término em 07 de fevereiro de 2019
Terças e quintas – período noturno (19h-21h30)
Carga horária: 10h (quatro encontros)
Valor da oficina: R$100,00


Piano Clássico ou Teclado
Ministrante: Vanira Wolff

Início imediato - aulas individuais 
Dias e horários personalizados
Carga horária semanal e valores:
Aula individual de 60 minutos/semana – Mensalidade: R$295,00.
Aula individual de 40 minutos/semana – Mensalidade: R$250,00.


Reeducação do Movimento e Danças Brasileiras
Ministrante: Fernanda Damerau

Início em 06 de fevereiro de 2019 / Término em 26 de junho de 2019
Quartas-feiras – Período Noturno (18h30-20h)
Carga horária: 30h (20 encontros)
Mensalidade: R$180,00


Encontrando Sua Identidade: Teoria e Prática em Fotografia e Audiovisual
Ministrantes: Lui Mendes e Sharlene Melanie

Início em 14 de fevereiro de 2019 / Término em 09 de maio de 2019
Quintas-feiras – Período Noturno (18h30-21h30)
Carga horária: 45h (15 encontros)
Valor da oficina: 4 x R$189,00


Escrita de Textos Dramáticos

Ministrante: Paulo Ricardo Berton

Início em 12 de março de 2019 / Término 02 de julho de 2019
Terças-feiras – Período Matutino (9h30-12h)
Carga horária: 42,5h (17 encontros).
Mensalidade: R$100,00


:: Clique aqui e saiba mais sobre o conteúdo das oficinas e seus ministrantes 


Assessoria de Comunicação
Fundação Catarinense de Cultura (FCC)
Fone: (48) 3664-2571 / 3664-2572 
Email: imprensa@fcc.sc.gov.br
Site: www.cultura.sc.gov.br
Facebook: www.facebook.com/FundacaoCatarinensedeCultura
Twitter: www.twitter.com/fccoficial 

Encouraçado Potenkim 2

O Cinema ao Vivo está de volta em uma edição especial neste mês de janeiro, com a exibição do drama histórico Encouraçado Potemkin, um clássico do cinema mudo russo de 1925. A trilha sonora será feita ao vivo pela banda paulista ATR - Aeromoças e Tenistas Russas -, no dia 23 de janeiro, às 20h, no Cinema do Centro Integrado de Cultura (CIC). Os ingressos estarão à venda na bilheteria do CIC a partir de 22 de janeiro, por R$20 inteira e R$10 meia-entrada.

O projeto do Museu da Imagem e do Som de Santa Catarina (MIS/SC) recebe a banda ATR - Aeromoças e Tenistas Russas -, de São Carlos (SP), que está em turnê pelo sul do Brasil. Os integrantes têm uma relação próxima com o campo audiovisual, seja pela formação acadêmica em cursos universitários de Cinema e TV ou pelo envolvimento com projetos de live cinema. Para o clássico russo, a ATR apresenta sua proposta de trilha sonora com elementos de synthwave.

“Escolhemos o filme O Encouraçado Potemkin pois ele representa um marco na história do cinema, utilizando técnicas de filmagem e montagem muito inovadoras para a época. Além disso, o enredo do filme, sobre uma revolta de marinheiros de um navio de guerra na Rússia czarista, nos faz pensar e traçar paralelos com o contexto atual”, afirma o guitarrista Gustavo Koshikumo.

Sergei Eisenstein, o diretor do filme, frisou que gostaria que a produção tivesse sua trilha refeita de tempos em tempos para que ele ficasse sempre atual. “Usamos no palco três sintetizadores, bateria eletrônica e samplers. O resultado é bem diferente da versão original”, avisa o baixista Juliano Parreira.

“A trilha foi composta num período de três meses em 2018, e já foi apresentada ao vivo no Sesc Jundiaí e no Sesc Bom Retiro” explica Eduardo Porto, baterista.

O filme*
Encouraçado Potemkin
Título original: Bronenosets Potyomkin
Ano: 1925 
Duração: 1h12min
Direção: Sergueï Mikhailovich Eisenstein, Grigori Aleksandrov
Elenco: Grigori Aleksandrov, Sergueï Mikhailovich Eisenstein, Aleksandr Antonov
Gênero: Drama / Histórico
País: Rússia
Sinopse: Em 1905, na Rússia czarista, aconteceu um levante que pressagiou a Revolução de 1917. Tudo começou no navio de guerra Potemkin quando os marinheiros estavam cansados de serem maltratados, sendo que até carne estragada lhes era dada com o médico de bordo insistindo que ela era perfeitamente comestível. Alguns marinheiros se recusam em comer esta carne, então os oficiais do navio ordenam a execução deles. A tensão aumenta e, gradativamente, a situação sai cada vez mais do controle. Logo depois dos gatilhos serem apertados Vakulinchuk (Aleksandr Antonov), um marinheiro, grita para os soldados e pede para eles pensarem e decidirem se estão com os oficiais ou com os marinheiros. Os soldados hesitam e então abaixam suas armas. Louco de ódio, um oficial tenta agarrar um dos rifles e provoca uma revolta no navio, na qual o marinheiro é morto. Mas isto seria apenas o início de uma grande tragédia.
(*Fonte: site Adoro Cinema)

A banda
ATR é um projeto de música instrumental que mescla dançantes vertentes do rock e da música eletrônica, como house music e synthwave. Os músicos já realizaram mais de 400 shows pelo Brasil, incluindo importantes eventos como a Virada Cultural, Festival Universo Paralello, Festival Bananada, além de passagens pela América Latina e Europa, com destaque para as feiras Circulart, MIL e Primavera Pro.

Em 2018, comemoraram 10 anos de carreira com o lançamento do quinto trabalho autoral, o EP Mood, em que as experimentações com a estética eletrônica são ainda mais evidentes. O grupo é composto por Juliano Parreira (contabaixo e sinthbass), Gustavo Koshikumo (guitarra e sintetizador) e Eduardo Porto (bateria e spd-x).

O projeto
O Cinema ao Vivo teve início em 2015 e já adaptou para as telas quatro filmes, com a trilha sonora feita ao vivo a cada apresentação: Nosferatu (de F. W. Murnau, 1922), com a banda Skrotes; O Circo (de Charlie Chaplin, 1928), com a Banda da Lapa; A General (de Buster Keaton, 1926), com a Orquestra de Choro da Escola Livre de Música de Florianópolis; Tempos Modernos (de Charlie Chaplin, 1936), com a Orquestra Manancial da Alvorada; e Metrópolis (Fritz Lang, 1927), com Diogo de Haro e colaboração de Johanna Hirschler.

Sucesso incontestável de público, o projeto já levou quase 6 mil pessoas às 37 sessões que promoveu - todas com lotação esgotada. "A essência do Cinema ao Vivo é proporcionar ao público a oportunidade de assistir a grandes espetáculos que remontam às origens do cinema mundial. Assim, resgatamos a tradição do antigo cinema mudo, em que, devido a limitações tecnológicas, o som era executado ao vivo a cada exibição, o que tornava cada sessão única. Agora, com mais recursos, é possível criar uma atmosfera, onde o passado e o presente ganham uma nova relevância em termos de experiência cinematográfica”, explica a administradora do MIS/SC, Ana Lígia Becker.

Serviço:
O quê: Cinema ao Vivo
Filme: Encouraçado Potemkin
Trilha sonora ao vivo: Banda ATR- Aeromoças e Tenistas Russas
Quando: 23 de janeiro de 2019, às 20h.
Onde: Cinema do Centro Integrado de Cultura (CIC)
Avenida Governador Irineu Bornhausen, 5600 - Agronômica - Florianópolis (SC)
Ingressos: R$20 inteira e R$10 meia-entrada (mediante comprovação na entrada do evento).
À Venda nos dias 22 de janeiro (das 13h às 19h) e 23 de janeiro (das 13h até o horário do espetáculo), na bilheteria do CIC. 
Classificação etária: 10 anos
Informações: (48) 3664-2650

-----------------------------------------------------

Informações adicionais para imprensa
Assessoria de Comunicação Fundação Catarinense de Cultura
Telefones: (48) 3664-2571 / 3664-2572
E-mail: imprensa@fcc.sc.gov.br
Site: cultura.sc.gov.br
Facebook: www.facebook.com/FundacaoCatarinensedeCultura
Twitter: www.twitter.com/fccoficial 

Os museus administrados pela Fundação Catarinense de Cultura (FCC) que estão localizados no Centro Integrado de Cultura (CIC), em Florianópolis, realizaram 452 eventos ao longo de 2018. É como se, juntos, o Museu de Arte de Santa Catarina (MASC) e o Museu da Imagem e do Som de Santa Catarina (MIS/SC) realizassem aproximadamente 1,2 evento por dia, contando finais de semana, feriados e as segundas-feiras, dia em que habitualmente estão fechados para manutenção. Destas, 451 ações tiveram entrada gratuita e aberta à comunidade.

No total, as atividades atraíram um público de quase 42 mil pessoas, pelo menos, ao CIC. O número de visitantes das exposições tende a ser cerca de 70% superior ao registrado, uma vez que é pequena a parcela de pessoas que assina o livro de registro presente nas mostras, o que dificulta a contagem real de público. Os Museus estudam a possibilidade de implantar algum sistema eletrônico para contagem de visitantes.

Ambos os museus estão com exposições abertas à visitação durante todo o mês de janeiro. O horário de funcionamento vai de terça-feira a domingo, sempre das 10h às 21h, com entrada gratuita.

MASC

MASC visitantes

Pelo menos 20 mil pessoas passaram pelos salões do septuagenário museu catarinense em 2018. Entre as atrações que o MASC ofereceu a este amplo público estão 21 exposições de arte, 167 visitas mediadas, 25 oficinas educativas, palestras e debates, 53 atendimentos a pesquisadores e seis edições do projeto Gerações MASC. No total, foram 272 atividades gratuitas voltadas à comunidade.

Com um acervo de mais de 1,8 mil peças, em 2018 novas aquisições permitiram ampliar o número de obras de arte sob a guarda do MASC. Graças ao Prêmio Elisabete Anderle, doações de artistas, comodatos e transferência de bens patrimoniais (como as obras do acervo da extinta CODESC), o Museu conta, agora, com novos trabalhos de Antonio Vargas, Janor Vasconcelos, Giba Duarte, Diego Rayck, Claudio Trindade, Yiftah Peled, Elke Hering, Martinho de Haro, Silvio Pléticos, Eli Heil e Rodrigo de Haro.

MIS

MIS

O MIS/SC promoveu um total de 181 eventos somente no ano de 2018, o que corresponde a um evento a cada dois dias, aproximadamente. O Museu também é responsável, junto com a Assessoria de Comunicação da FCC, pelo programa de Rádio MISCUTA, veiculado semanalmente pela Rádio Udesc FM de Florianópolis, que teve 48 edições ao longo do ano.

Toda essa produtividade atraiu um total de 21,9 mil pessoas, pelo menos, às atividades promovidas pelo MIS/SC. A programação incluiu 19 shows e performances audiovisuais; oito exposições (sendo uma itinerante); 142 sessões de filmes, com um total de 391 curtas ou longas exibidos; e 12 oficinas e bate-papos. Todos os eventos tiveram entrada gratuita e aberta à participação da comunidade, com exceção do show MIS Verão, realizado em janeiro.

Informações adicionais para imprensa
Assessoria de Comunicação Fundação Catarinense de Cultura
Telefones: (48) 3664-2571 / 3664-2572
E-mail: imprensa@fcc.sc.gov.br
Site: cultura.sc.gov.br
Facebook: www.facebook.com/FundacaoCatarinensedeCultura 
Twitter: www.twitter.com/fccoficial  

Design sem nome 6

O mês de janeiro terá oficinas gratuitas de desenho no Museu Histórico de Santa Catarina, sediado no Palácio Cruz e Sousa, no centro de Florianópolis. Nos dias 8 e 10, terça e quinta-feira, será oferecida a oficina de desenho livre, com 15 vagas que serão preenchidas por ordem de chegada. Já nos dias 15, 17, 22 e 24, também terças e quintas, as aulas serão de desenho com lápis de cor. O objetivo da oficina é que o aluno conheça técnicas de pintur com lápis, utilizando materiais básicos (lápis e papel), além de estimular o estudo de cores e o desenho de observação. Também serão oferecidas 15 vagas, com preenchimento por ordem de chegada.

As aulas serão ministradas pelo artista MC Coelho, que atualmente expõe suas obras  na mostra Paisagem Passagem: uma ponte em 30 dias.  A mostra foi contemplada no edital de exposições temporárias do museu.

Sobre o Ministrante:

Mário César Coelho ou MC Coelho, como é mais conhecido, é natural de Florianópolis. É arquiteto, tem mestrado e doutorado em História, pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Professor do Departamento de Expressão Gráfica/CCE/UFSC, atualmente pesquisa a relação entre quadrinhos e Arquitetura. Participou como pesquisador no documentário - Ponte Hercílio Luz: patrimônio da humanidade, do diretor Zeca Pires. Realizou as exposições Cores Traços Rastros, na Fundação Hassis, em 2012 e Ruínas em Florianópolis, na Fortaleza de Anhatomirim, em 1992.

Serviço

:: Oficina Livre de Desenho

Datas: 08 e 10 de janeiro de 2019 (terça e quinta-feira)

Horário: das 15 às 17h

Público: interessados a partir de 7 anos de idade.

:: Oficina de Desenho com Lápis de Cor

Datas: 15, 17, 22 e 24 de janeiro de 2019 (terças e quintas-feiras)

Horário: das 15 às 17h

Carga horária: 08h

Público: interessados a partir de 7 anos de idade

Obs: Será fornecido material, mas solicita-se que os alunos que puderem, levem lápis de cor e papel colorido, preferencialmente preto.

-- 
Assessoria de Comunicação
Fundação Catarinense de Cultura (FCC)
Fone: (48) 3664-2571 / 3664-2572 
Email: imprensa@fcc.sc.gov.br
Site: www.cultura.sc.gov.br
Facebook: www.facebook.com/FundacaoCatarinensedeCultura
Twitter: www.twitter.com/fccoficial

Neste fim de ano, alguns espaços administrados pela Fundação Catarinense de Cultura (FCC) terão alteração no horário de funcionamento. As casas estarão fechadas nos dias 24, 25 e 31 de dezembro e 1º de janeiro. Diversas exposições estão em cartaz e haverá sessões gratuitas de cinema de quinta a domingo. Confira a programação:

Galeria do Artesanato da Casa da Alfândega (Florianópolis)

Fechada nos dias 24, 25, 31 e 01.
Nos demais dias, horário normal, das 9h às 13h.

Museu Nacional do Mar (São Francisco do Sul)

Fechado nos dias 24, 25, 31 e 01.
Nos demais dias, horário normal.
Horário de atendimento: terça a sexta-feira, das 9h às 18h. Sábado e domingo, das 10h às 18h.

Museu Histórico de Santa Catarina / Palácio Cruz e Sousa (Florianópolis)

Fechado nos dias 24, 25, 31 e 01.
Nos demais dias, horário normal: segunda a sexta-feira das 10h às 18h. Sábado e domingo das 10h às 16h.
Confira as exposições em cartaz

Centro Integrado de Cultura (Florianópolis)

Fechado nos dias 24, 25, 31 e 01.
Confira as exposições em cartaz
Confira a programação da Sala de Cinema

Museu de Arte de Santa Catarina (MASC) 

Fechado nos dias 24, 25, 31 e 01.
Nos demais dias, o horário de visitação é terça a domingo, das 10 às 21h.
Confira as exposições em cartaz

Museu da Imagem e do Som de Santa Catarina (MIS/SC)

Fechado nos dias 24, 25, 31 e 01.
Nos demais dias, o horário de visitação é terça a domingo, das 10 às 21h.
Confira a exposição em cartaz

Casa de Campo do Governador Hercílio Luz (Rancho Queimado)

Fechada nos dias 24, 25, 31 e 01
Dias 22 e 23: aberta das 13h às 17h
De 26 a 30/12: aberta das 13h às 17h
De 02 a 06/01: aberta das 13h às 17h.

Biblioteca Pública de Santa Catarina (Florianópolis)

Fechado nos dias 24, 25, 31 e 01.
Nos dias 26, 27 e 28 de dezembro, funcionará das 8h às 19h.

Museu Etnográfico Casa dos Açores (Biguaçu)

Fechado nos dias 24, 25, 31 e 01.
Sexta, sábado e domingo: aberto das 8h às 12h e das 13h às 17h.

Teatro Ademir Rosa e Teatro Álvaro de Carvalho (Florianópolis) 

Fechados nos dias 24, 25, 31 e 01/01.

 

Assessoria de Comunicação
Fundação Catarinense de Cultura (FCC)
Fone: (48) 3664-2571 / 3664-2572 
Email: imprensa@fcc.sc.gov.br
Site: www.cultura.sc.gov.br
Facebook: www.facebook.com/FundacaoCatarinensedeCultura
Twitter: www.twitter.com/fccoficial

Nossa Senhora da Lapa
Foto: Marcelino Melo - FCC

Santa Catarina acaba de ganhar sua primeira lista de bens sacros tombados. A relação de cerca de 120 bens móveis foi publicada no Diário Oficial do Estado nesta terça-feira,18, e passará a constar no Livro do Tombo. O elenco é composto principalmente por esculturas e pinturas existentes em igrejas da Grande Florianópolis. A conquista é do Ateliê de Conservação e Restauração de Bens Culturais Móveis (Atecor), vinculado à Fundação Catarinense de Cultura (FCC). 

Desde 2008, o Atecor coordena a realização de inventários de bens sacros em todo estado. Antes disso, o levantamento era feito pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Esses documentos serviram de base para a criação da primeira lista de bens tombados, porém, conforme a equipe técnica do Atecor, serão publicadas novas listas no futuro com itens como cálices e castiçais, com o intuito de salvaguardar esses importantes itens do patrimônio cultural catarinense.

Com o tombamento, os responsáveis pelos objetos deverão respeitar o disposto na lei nº 17.565, de 6 de agosto de 2018, que atribui deveres, sanções  e até mesmo multa em caso de descaracterização do bem.

Sobre o Atecor

Criado em 1982, tem como objetivo atuar na conservação-restauração do patrimônio cultural móvel do estado de Santa Catarina, com enfoque especial à restauração de pintura de cavalete e escultura policromada. Atua diretamente junto ao acervo das unidades museológicas da FCC, como o Museu de Arte de Santa Catarina (Masc), Museu Histórico de Santa Catarina e Museu Etnográfico - Casa dos Açores. Contribui ainda com instituições públicas, religiosas e particulares, orientando na conservação e restauração de seus acervos. Presta assessoria e acompanhamento às intervenções em objetos, pinturas murais e altares e em bens tombados pelo Estado.

Confira a relação de bens sacros tombados:

:: Florianópolis

Capela Menino Deus    
Senhor Jesus dos Passos                            

Igreja Nossa Senhora da Lapa  

Via Sacra (conjunto de 14 estações)      

Nossa Senhora da Lapa               

Nossa Senhora da Lapa                

Nossa Senhora Livramento       

Santo Antônio 

São Miguel Arcanjo       

Igreja Nossa Senhora das Necessidades             

Nossa Senhora das Necessidades          

Via Sacra ( conjunto de 14 estações)     

Cristo Crucificado           

Cruz processional           

Pomba do Espírito Santo            

Estandarte        

Nossa Senhora dos Aflitos         

Pia Batismal                     

Igreja Nossa Senhora Imaculada Conceição      

Nossa Senhora da Conceição    

Oratório             

Via Sacra (conjunto 14 estações)            

Nossa Senhora dos Navegantes             

Sagrado Coração de Jesus          

Senhor Morto  

Nossa Senhora das Dores          

Sinos                   

Catedral Metropolitana Nossa Senhora do Desterro e Santa Catarina 

Esculturas

Menino Jesus  

Nossa Senhora

São José             

Rei Mago – Gaspar        

Rei Mago – Baltazar      

Rei Mago Belchior          

Anjo     

Pastor I - chefe

Pastor II - com chapéu 

Pastor III - cajado           

Pastor IV - ajoelhado    

Ovelha I              

Ovelha II            

Ovelha III           

Carneiro I           

Carneiro II         

Burro   

Boi        

Elefante             

Santa Zita           

Nossa Senhora das Cabeças      

Santa Rosa de Lima       

Santa Isabel da Hungria               

São Joaquim     

São Luiz Gonzaga           

Santa Terezinha do Menino Jesus          

São Brás             

Santa Cecília     

São João Maria Vianey

São Pedro          

São José             

São Judas Tadeu             

Sagrado Coração de Jesus          

Nossa Senhora de Lourdes        

Cristo Crucificado (madeira policromada)           

Nossa Senhora Aparecida          

Santa Catarina de Alexandria    

Santo Antônio 

Nossa Senhora das Dores          

Sant’Ana            

Fuga para o Egito            

Monte Calvário - São João Evangelista 

Monte Calvário - Nossa Senhora            

Monte Calvário - Maria Madalena          

Monte Calvário - Cristo Crucificado        

Senhor Morto (esquife)             

Cruz      

Cristo Crucificado

São Vicente de Paula    

São Cristóvão   

Crucifixo em metal        

Pinturas

Via Sacra (conjunto de 14 estações)      

Retrato de São Francisco            

Pe. José Anchieta e Indígenas (Cópia do Retrato do Padre Anchieta)   

Pe. José Anchieta (Retrato do Padre Anchieta)               

 Cristo Crucificado (pintura)       

Retrato Pe. Anchieta (desenho)         

Igreja São Francisco de Paula   

São Francisco de Paula  (Em conjunto com seu cajado)

Via Sacra (conjunto de 14 estações)      

Cristo crucificado            

Jesus sobre as águas    

Pomba do Divino                           

Capela São João Batista              

São João Batista              

Via Sacra (conjunto de 14 estações)                   

          

:: São José       

Igreja Matriz de São José           

Nossa Senhora do Parto (em conjunto com coroa)

Ostensório Divino Espírito Santo             

Nossa Senhora das Dores (em conjunto com auréola)

Nossa Senhora do Rosário (em conjunto com Menino Jesus)

Senhor Bom Jesus (em conjunto com coroa de espinhos e  resplendor)

São Benedito    (em conjunto com resplendor e Menino Jesus)

São José (em conjunto com Menino Jesus, coroa, auréola, cetro e haste)

São Lucas           

Cristo Morto     

Via Sacra (conjunto de 14 estações)      

Coroa do Divino              

Salva    

Cetro   

Vara do Provedor          

Adaga e Bainha               

Capela Nosso Senhor do Bonfim            

Senhor do Bonfim         

Estampa do Senhor do Bonfim

Senhor Bom Jesus (em conjunto com a peruca, coroa, manto e resplendor)

São José de Botas (em conjunto com cajado)

São Sebastião (em conjunto com penas de flecha, faixa e resplendor)

São Joaquim (em conjunto com cajado, cesta de pássaros e resplendor)

Coroa do Divino Espírito Santo 

Lâmpada do Santíssimo              

Via Sacra (conjunto de 14 estações)      

               

:: Palhoça   
      

Igreja Nossa Senhora do Rosário

Nossa Senhora do Rosário (em conjunto com coroa)

São Domingos (em conjunto com resplendor)

São Francisco de Assis (em conjunto com resplendor)

Nossa Senhora das Dores (em conjunto com auréola e espada)

Cristo Crucificado (em conjunto com placa INRI)

Cristo Crucificado           

Crucifixo             

Coroa do Divino Espírito Santo 

Salva    

Cetro   

Ostensório do Divino Espírito Santo      

 Nossa Senhora do Rosário (em conjunto com coroa e Menino Jesus)

               

:: Biguaçu

        

Igreja de São Miguel Arcanjo   

São Miguel Arcanjo         

Assessoria de Comunicação
Fundação Catarinense de Cultura (FCC)

Fone: (48) 3664-2571 / 3664-2572 
Email: imprensa@fcc.sc.gov.br
Site: www.cultura.sc.gov.br

Facebook: www.facebook.com/FundacaoCatarinensedeCultura
Twitter: www.twitter.com/fccoficial

Laguna, no Sul do estado, será a sede em 2019 do 5º Fórum Catarinense de Museus. O evento, promovido pela Fundação Catarinense de Cultura (FCC), por meio do Sistema Estadual de Museus (SEM/SC), está previsto para ocorrer entre 15 e 17 de julho.

A nova edição terá como tema Política Museológica em Perspectiva. A escolha do local ocorreu após meses de trabalho da Comissão Especial de Planejamento instituída, em fevereiro de 2018, especificamente para este fim. Depois de diversas reuniões e discussões em grupo, e após manter contato com a Fundação Lagunense de Cultura e com a prefeitura da cidade, a Comissão conseguiu definir não só o local como a data e o tema do evento.

O Fórum é a instância máxima do SEM/SC, de onde emanam proposições, diretrizes e decisões para o campo museológico de Santa Catarina. O 5°Fórum Catarinense de Museus marca a retomada da periodicidade e regularidade do encontro mais importante para o campo museal catarinense após cinco anos sem ser realizado. As edições anteriores ocorreram nas cidades de Florianópolis (2005), Joinville (2010), Chapecó (2011) e Florianópolis (2013).

Informações adicionais para imprensa

Assessoria de Comunicação Fundação Catarinense de Cultura
Telefones: (48) 3664-2571 / 3664-2572
E-mail: imprensa@fcc.sc.gov.br 
Site: www.cultura.sc.gov.br 
Facebook: www.facebook.com/FundacaoCatarinensedeCultura 
Twitter: www.twitter.com/fccoficial 

Foto: Julio Cavalheiro/Secom

O ano de 2018 teve importantes investimentos no setor cultural. Um dos principais projetos financiados pelo Governo do Estado é o Prêmio Catarinense de Cinema, que prevê a distribuição de R$ 8,4 milhões aos vencedores, lançado no mês de abril. Do total dos recursos, R$ 3,5 milhões são do Governo do Estado e R$ 4,9 milhões do Fundo Setorial do Audiovisual da Agência Nacional de Cinema (Ancine). Este foi o maior valor destinado ao prêmio desde que foi criado. Foram contemplados 23 projetos do segmento audiovisual.

“O edital é considerado uma importante ferramenta para fomentar a cadeia produtiva do setor audiovisual catarinense, desde os diretores e atores até os provedores de serviços de alimentação e maquiagem”, destaca o presidente da Fundação Catarinense de Cultura (FCC), Ozeas Mafra.

Salvaguarda do patrimônio cultural

Ainda neste ano, a FCC concluiu o registro de Patrimônio Imaterial dos Festejos da Irmandade do Divino Espírito Santo de Florianópolis, da produção do queijo artesanal serrano, da pesca com botos em Laguna e da Dança do Catumbi de Araquari. Também foi concluído o tombamento de 57 imóveis da Rota Nacional de Imigração.

Em 2018 Santa Catarina ganhou sua primeira lista de bens sacros tombados. A relação, de cerca de 150 bens, é composta principalmente por esculturas e pinturas existentes em igrejas da Grande Florianópolis. A conquista é do Ateliê de Conservação e Restauração de Bens Culturais Móveis (Atecor), vinculado à Fundação Catarinense de Cultura (FCC). Desde 2008 o Atecor coordena a realização de inventários de bens sacros em todo estado. Antes disso, o levantamento era feito pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Esses documentos serviram de base para a criação da primeira lista de bens tombados, porém, conforme a equipe técnica do Atecor, serão publicadas novas listas no futuro, com o intuito de salvaguardar esses importantes itens do patrimônio cultural catarinense. Com o tombamento, os responsáveis pelos objetos deverão respeitar o disposto na legislação do tombamento estadual, que atribui deveres, sanções e até mesmo multa em caso de descaracterização do bem.

Apoio a projetos culturais

Alguns grupos artísticos receberam apoio financeiro do Governo do Estado, em 2018, para realização de espetáculos gratuitos em Santa Catarina. O mais significativo foi conquistado pela Camerata Florianópolis para apresentar 18 espetáculos da Ópera Frankenstein em diversas cidades catarinenses, sendo 50% delas com baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e com menos de 20 mil habitantes. Para este fim, a Camerata recebeu R$ 1,5 milhão.

O grupo Pró-Música de Florianópolis também contou com apoio financeiro estadual, na ordem de R$ 200 mil, para apresentações gratuitas do Ballet Giselle, realizadas no Teatro Governador Pedro Ivo, na capital, durante mês de julho.             

O Florianópolis Audiovisual do Mercosul (FAM), evento que existe há 22 anos e que se consagrou como um dos festivais audiovisuais mais importantes do Sul do Brasil, foi contemplado com apoio de R$ 150 mil. O FAM foi realizado de 19 a 24 de junho na capital. Foram 250 horas de programação, com 85 atividades, além de palestras e oficinas.

Por fim, o coral Polyphonia Khoros, que anualmente realiza diferentes repertórios na Grande Florianópolis, recebeu apoio no valor de R$ 100 mil para duas apresentações do espetáculo Canta Brasil, em Florianópolis e São José.

Estrutura e reparo

O Museu Histórico de Santa Catarina (MHSC), sediado no Palácio Cruz e Sousa, no centro da capital, passou por uma reforma completa da rede elétrica. Para execução dos trabalhos, o local ficou fechado por 45 dias. Por 40 anos, o prédio não recebeu nenhuma grande obra na parte elétrica, o que apresentava perigo de dano ao patrimônio. Ainda em 2018, foi concluída a etapa de restauração da marchetaria do piso do Palácio e ainda estão em execução as obras de restauro das pinturas murais.

Em relação ao Museu Nacional do Mar, em São Francisco do Sul, foi contratado serviço especializado para elaboração de projetos para reforma da Sala Maranhão, atualmente interditada, e reforma do telhado. Esses projetos estão sendo feitos em parceria com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), que também é responsável pela edificação e acervo.           

De forma geral, a FCC investiu até dezembro R$ 572 mil em trabalhos de restauro, manutenção e jardinagem nos cinco museus que administra: Museu de Arte de Santa Catarina (Masc), Museu da Imagem e do Som de Santa Catarina (MIS/SC), Museu Histórico de Santa Catarina (MHSC), Museu Etnográfico Casa dos Açores (Biguaçu) e Museu Nacional do Mar (São Francisco do Sul).

Além disso, o Governo do Estado, por meio da FCC, também entregou a nova sede da Casa do Jornalista, local que deve sediar, no futuro, o Memorial da Imprensa Catarinense. O prédio fica no Bairro Agronômica, em Florianópolis.

Exposições

O ano de 2018 também teve importantes exposições nos museus administrados pela FCC. Entre as que tiveram mais circulação de público, com assinatura no livro de presença, estão: “Almofada de Penas: Arte em Stop Motion” (MIS/SC), com 3,5 mil pessoas; “Desterro Desaterro, Arte Contemporânea em SC” (Masc), com 2,3 mil pessoas, “Imagens Impressas: um percurso Histórico pelas gravuras do Itaú Cultural” (Masc), com 3,1 mil visitantes; "Barcos do Brasil e do Mundo: a coleção de modelismo naval do Museu Nacional do Mar" (MHSC), com a presença de 4,6 mil visitantes.

Foto: Márcio H. Martins/FCC

Outras ações importantes para o setor cultural

O Centro de Cultura Popular Catarinense, na Casa da Alfândega, região central de Florianópolis, teve um edital para selecionar 65 artesãos e 35 trabalhadores manuais divididos por técnica de produção para comporem o espaço de exposição e comercialização de produtos artesanais com referência cultural catarinense. Esse grupo ficará no local até o fim de 2019, conforme o edital, que foi lançado em 2017 e concluído em 2018.    

Embora contasse com recursos estaduais do ano passado, o projeto Estação Cultural foi executado, na maior parte, entre fevereiro e abril de 2018. A iniciativa surgiu para democratizar o acesso às atividades culturais, com atrações de abrangência estadual. Foram 150 projetos selecionados, levados a 51 municípios catarinenses. Cada cidade recebeu três atividades, divididas entre oficinas (46 no total) e apresentações artísticas (89). O projeto recebeu o investimento estadual de R$ 400 mil. Pelas cidades por onde passou, levou oficinas e apresentações artísticas a mais de 11 mil pessoas.

Outro projeto que circulou por cidades catarinenses foi a exposição Claro Gustavo Jasson - O Fotógrafo do Contestado. A exposição é itinerante e conta parte da história do estado, mostrando de perto os registros do conflito feitos por Jasson. O projeto, iniciado em 2016, exibe o trabalho de pesquisa de Rosa Maria Tesser, autora que estudou por quase dois anos e meio a vida do fotógrafo e seu acervo de 2,5 mil imagens que retratam diversos momentos da história do Brasil. Em 2018, a mostra passou por Brusque, Araquari, Irineópolis, Fraiburgo, Corupá, Campos Novos e chegará a Irani, onde as fotos ficarão em definitivo.

Por meio do Projeto Cinema ao Vivo, do Museu da Imagem e do Som (MIS/SC), foram realizadas sessões na capital e em cidades do interior com exibição de um filme clássico com trilha sonora tocada ao vivo por uma banda catarinense. Foram realizadas duas sessões em São Lourenço do Oeste, sete em Florianópolis, uma em Laguna, uma em Araranguá, uma em Rio do Sul, uma em Joinville, uma em Chapecó e uma em Braço do Norte. No total, em 2018, cerca 2,5 mil pessoas prestigiaram as sessões.

Trabalho contínuo, o mapa disponibilizado no site da FCC para dar visibilidade à programação das cidades conta atualmente com informações de cerca de 250 municípios. Já estão cadastrados 1.254 eventos públicos, como festivais e encontros de música, teatro, dança, folclore, artes visuais, feiras literárias, entre outros.

Foto: Márcio Henrique Martins/Arquivo FCC

Informações adicionais para imprensa
Fundação Catarinense de Cultura (FCC)
Raquel Santi
Assessoria de Comunicação
Fone: (48) 3664-2571 / 3664-2572
Email: imprensa@fcc.sc.gov.br
Site: www.cultura.sc.gov.br
Facebook: www.facebook.com/FundacaoCatarinensedeCultura
Twitter: www.twitter.com/fccoficial