Foto: Andréia C.Oliveira/ADR Chapecó

As 20 toneladas de equipamentos para instalação do Radar Meteorológico Oeste chegaram a Chapecó nesta sexta-feira, 28. A equipe responsável pela instalação começou a montagem das peças. São técnicos do Brasil, Alemanha e Irã.

O investimento do Governo do Estado é de  R$ 2,3 milhões na estrutura da obra e R$ 10 milhões nos equipamentos. O radar, instalado no Loteamento Desbravador, irá garantir a cobertura de 42% do território catarinense para alerta de eventos climáticos. Tem um  raio de cobertura de 200 quilômetros, com isso cobre 138 municípios da região Oeste de Santa Catarina. Somado ao radar do Vale (Lontras) e do Sul (móvel que ficará em Araranguá), todo o Estado estará coberto.

A chegada dos equipamentos foi acompanhada pelo secretário de Estado da Defesa Civil, Rodrigo Moratelli, no início da manhã desta sexta. “O equipamento serve para que você consiga junto com os planos de contigência, os protocolos de linha crítica, emitir os alertas à população e definir a forma de atendimento ou de gerenciamento de crise que possa estar abatendo o Estado”, afirma o secretário.

A execução da torre e instalação dos equipamentos surpreende pela agilidade. “A obra entra na reta final, em cinco semanas a instalação dos equipamentos deve ser concluída. Depois inicia a  fase de testes e operação assistida. Tudo isso em seis meses, o que demonstra a preocupação do governo em entregar o mais rápido possível esta obra ”, comenta o secretário Moratelli.

O equipamento veio da Alemanha, chegou no Brasil no início de março e ficou no Porto de Itajaí aguardando a liberação alfandegária. É composto pelo radome – proteção da antena que capta as imagens e por computadores que irão processar e fazer a leitura das informações para emitir os alertas no Centro Integrado de Gerenciamento de Risco e Desastres (Cigerd) de Florianópolis.

A obra

A construção do prédio de cinco andares onde funcionará o radar começou em novembro do ano passado, está em fase de acabamentos. Simultamente ocorre a instalação dos equipamentos. O base do heliponto também foi executada.

Segundo o secretário executivo da ADR Chapecó, Edegar Giordani, esta é mais uma importante e aguardada obra do Governo do Estado. “O radar meteorológico vem para beneficar toda a população, que irá conseguir receber alerta de tempestades e vendavais com confiabilidade”, afirma.

Mais informações para a imprensa:
Andréia Cristina Oliveira
Assessoria de Comunicação
ADR Chapecó
Fone: (49) 99938-6966
E-mail: imprensasdrcco@gmail.com
www.adrs.sc.gov.br/adrchapeco

 


Foto: SargentoEwerton Oliveira / CBMSC

Até sábado, 29, bombeiros brasileiros e de outros dois países da América do Sul, que trabalham com cães de busca e resgate, estão reunidos em Xanxerê, no Oeste, para a 9° prova de Certificação Internacional de Cães de Busca e Resgate. Os cachorros são submetidos a testes para obter a certificação internacional e, assim, estarem aptos a atuarem em ocorrências envolvendo pessoas desaparecidas, podendo inclusive, serem acionados para ocorrências em outros países. O evento começou na manhã desta quinta-feira, 27, no Centro de Referências de Desastres Urbanos de Xanxerê. 

Em maio, a secretaria de Estado da Defesa Civil começa um trabalho para fortalecer os municípios de Santa Catarina. Trata-se do II Seminário Regional de Proteção de Defesa Civil: A gente não pode mudar o passado, mas pode prevenir o futuro. O Seminário é realizado em parceria com a Fecam, as inscrições são gratuitas com vagas limitadas. Serão 20 Seminários que seguem até setembro em cada Coordenadoria Regional da Defesa Civil de SC. O objetivo é sensibilizar os gestores públicos municipais e profissionais das áreas relacionadas à proteção e defesa civil sobre a gestão de risco e desastres. 

O roteiro começa em Canoinhas, no dia 5 de maio, no auditório do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC). O evento começa de manhã com palestra do secretário de Estado Rodrigo Moratelli e segue à tarde com palestra da Diretoria de Resposta e Prevenção aos Desastres. O trabalho continua no município durante a semana com oficinas sobre Planos de Contingência e reunião do colegiado de defesa civil.

Moratelli comenta que tudo isso faz parte do novo sistema integrado de proteção e defesa civil que a secretaria de Estado da Defesa Civil está construindo, na qual todos os municípios podem e devem registrar seu plano de contingência.

"O conjunto de ações integradas se constitui como um sistema pioneiro de enorme importância para a gestão de risco e desastres no Estado, estabelecendo um vínculo de planejamento, comunicação e ação entre municípios, regiões e Estado. Este ano teremos o Centro Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cigerd) na Capital ligado a outros 20 Centros Regionais e o Plano de Contingência Municipal é uma das ferramentas que compõe os Centros Regionais e também da Capital. Isso possibilita uma resposta mais rápida ao cidadão para não deixar que uma crise se torne um desastre", comenta Moratelli.

Conforme a diretora de Prevenção, Caroline Margarida, o plano de contingência é um dos principais instrumentos municipais de gestão de risco e desastres. "Ele é um dos componentes fundamentais da fase de preparação, visando tanto essa fase como a de resposta", comenta.

O diretor de Resposta, Anderson Ciotta, também comenta o assunto. "Os seminários são fundamentais, uma vez que visam nivelar e difundir conhecimentos acerca da Defesa Civil, facilitando o trabalho da municipalidade na preparação e enfrentamento aos desastres. Os planos de contingência visam organizar os órgãos envolvidos na prevenção e resposta, permitindo aos gestores a execução de ações planejadas e pré-estabelecidas, na ocorrência do desastre, minimizando assim os seus impactos", diz.

Para fechar o trabalho na região, terá a reunião do colegiado de Defesa Civil. O encontro visa atualizar as ações que estão sendo desenvolvidas pela secretaria de Estado da Defesa Civil no âmbito das 20 coordenadorias regionais. Também é uma oportunidade para implementação dos colegiados nas regiões que ainda não possuem.

Programe-se

O quê: II Seminário Regional de Proteção de Defesa Civil: A gente não pode mudar o passado, mas pode prevenir o futuro
Quando: 05/05/17
Local: Auditório do IFSC - Av. Campo da Água Verde - Canoinhas/SC
Inscrições: Gratuitas no www.egem.org.br
Público - alvo: Prefeitos e vices, coordenadores municipais de defesa civil e pessoas que tenham interesse na área de proteção de defesa civil.

Canoinhas Email

Informações adicionais para a imprensa
Cleiton Ferrasso
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Defesa Civil
Fone: (48) 3664-7009 / 99185-3889
E-mail: defesacivilsc@gmail.com
Site: www.defesacivil.sc.gov.br


Foto: Rodrigo Moratelli / Defesa Civil SC

O secretário de Estado da Defesa Civil, Rodrigo Moratelli, sobrevoou as regiões do litoral Norte e Médio Vale do Itajaí nesta quarta-feira, 26. Na noite de terça-feira, 25, e madrugada de quarta um temporal atingiu diversos municípios de Santa Catarina. No total, 23 municípios foram atingidos pelo evento climático e causou destelhamento em 135 casas, sete famílias ficaram desalojadas e três pessoas morreram. Conforme a Celesc, 350 mil consumidores ficaram sem energia elétrica.

"Com base nas ocorrências repassadas pelas defesas civis municipais, sobrevoamos para ver se há necessidade ou não de decretação situação de emergência. Foi percebido que os casos são bem pontuais, porém os danos existem, principalmente no setor privado. A prefeitura está fazendo o levantamento e assim que estiver pronto, vamos avaliar junto nas prefeituras o que pode ser feito para auxiliar as famílias", comenta Moratelli.

Informações adicionais para a imprensa
Cleiton Ferrasso
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Defesa Civil
Fone: (48) 3664-7009 / 99185-3889
E-mail: defesacivilsc@gmail.com
Site: www.defesacivil.sc.gov.br


Foto: Divulgação / CBMSC

As fortes rajadas de vento que atingiram o Litoral Norte na noite de terça, 25, e madrugada de quinta-feira, 26, causaram estragos em  pelo menos 20 cidades. Uma das mais afetadas foi Itajaí, onde três pessoas morreram eletrocutadas. O Corpo de Bombeiros Militar montou um Sistema de Comando de Operações, na cidade, sede do 7° Batalhão de Bombeiro Militar, desde as primeiras horas da manhã. A iniciativa reúne várias forças num mesmo local para facilitar e agilizar os atendimentos decorrentes dos ventos. Equipes de força-tarefa de Blumenau e de Itajaí foram acionadas.

Os trabalhos do Corpo de Bombeiros de Itajaí e região se concentram ainda na desobstrução de rodovias e estradas em decorrência das inúmeras árvores que caíram na cidade. Muitas casas também foram danificadas e destelhadas. Os trabalhos são feitos em parceria com a Defesa Civil do Estado e outras insituições de apoio.

De acordo com o coronel BM César Assumpção Nunes Pires, comandante regional do Litoral, uma reunião com representantes do Corpo de Bombeiros, da Defesa Civil Estadual, da Prefeitura de Itajaí e de outras autoridades municipais e estaduais vai contabilizar os estragos, avaliar os atendimentos prestados e verificar se há a necessidade de manter a concentração dos trabalhos na região. “Tudo vai depender da previsão meteorológica para os próximos dias”, disse.

Já no Oeste do Estado, apesar das inúmeras ocorrências referentes a destelhamentos e quedas de árvores, não houve vítimas. De acordo com o comandante interino do 14°Batalhão de Bombeiro Militar, com sede em Xanxerê, major Walter Parizotto, não foi preciso acionar a força-tarefa pois as equipes das guarnições estão conseguindo atender à demanda, que também se concentra no corte de árvores para desobstrução de ruas.

Informações adicionais para a imprensa
Krislei Oechsler
Assessoria de Imprensa 
Corpo de Bombeiros Militares de Santa Catarina - CBMSC
E-mail: ccs@cbm.sc.gov.br
Fone: (48) 3251-9614 / 98843-4427
Site: www.cbm.sc.gov.br


Foto: Defesa Civil Itajaí

O mau tempo da madrugada desta quarta-feira, 26, causou a morte de três pessoas em Itajaí e estragos em pelo menos 20 municípios de Santa Catarina. Além de chuva, foram registrados ventos, que ultrapassaram os 100 km/h. Um adolescente, 15 anos, e duas meninas (4 e 10 anos), três irmãos, morreram depois de levar um choque elétrico após um poste cair. As mãe das crianças está hospitalizada. Outras ocorrências de destelhamento em residências, queda de árvores e rede de energia elétrica (postes) foram registradas.


Foto: Divulgação / CBMSC

Um homem que estava com uma prancha longa caiu numa corrente de retorno e sem conseguir remar de volta à praia. Ao perceberem que o surfista se afastava cada vez mais da costa, os guarda-vidas da Praia Mole, em Florianópolis, acionaram o Grupo de Busca e Salvamento, que por determinação do Oficial Comandante de Área do dia empregaram a Aeronave Remotamente Pilotada (drone) na ocorrência.

Ao saber da ocorrência, o Comando de Área e equipes do GBS, ambos do 1º Batalhão de Bombeiros de Florianópolis, se deslocaram para a Praia Mole. Cerca de 10 minutos depois de iniciar o primeiro voo, o drone começou a enviar as primeiras imagens do homem. Ele já estava a mais de 4 quilômetros da praia, na região da Ilha do Xavier. De tanto insistir em tentar remar de volta, ele aparentava sinais claros de extrema exaustão.

Com a exata localização do surfista, através das imagens do drone, um jet-ski foi então acionado na praia da Joaquina e o surfista rebocado até o posto de guarda-vidas na praia, onde recebeu um primeiro atendimento. Apesar da exaustão e de sintomas de hipotermia, ele estava bem e não precisou ser conduzido ao hospital.

Entre o voo para localização do surfista e seu resgate, o equipamento percorreu cerca de 15 quilômetros. Para o 2° tenente BM Pedro Reis o equipamento já pagou seu investimento de aquisição. “Com menos de um ano de uso, o drone já foi empregado em diversas situações. Mas, nesta em específico, conseguimos rapidamente localizar a vítima ainda com vida e monitorar todo o seu resgate,” explica.

Informações adicionais para a imprensa:
Krislei Oechsler
Jornalista- CCS-CBMSC
ccs@cbm.sc.gov.br
(48) 98844-43-27


Fotos: Leneza Della Krás/ ADR Araranguá

O secretário de Estado da Defesa Civil, Rodrigo Moratelli e equipe técnica, recepcionados pelo secretário executivo da Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) de Araranguá, Heriberto Afonso Schmidt, vistoriou na tarde desta quarta-feira, 19, em Araranguá, o terreno que abrigará as instalações do Centro Regional de Gestão de Riscos e Desastres da Defesa Civil – CIGERD Araranguá, e o Radar Móvel Sul.

Participaram ainda da visita técnica o coordenador Regional de Defesa Civil, Sebastião Antônio de Souza; o gerente Regional de infraestrutura, engenheiro Jocilon Coelho; a gerente Regional de Políticas Socioeconômicas Rurais e Urbanas, Jane Aparecida Soares de Souza; o gerente Regional da Epagri, Reginaldo Ghellere; e o diretor da Fundação Ambiental do Município de Araranguá (FAMA), Luiz Leme.

A vistoria foi acompanhada pelos técnicos da Defesa Civil Estadual da área responsável pela implantação do equipamento do radar móvel, que terá cobertura em 52 municípios da Região Sul de Santa Catarina. “Em meados do próximo mês de maio, o Radar estará pronto nos Estados Unidos para ser embarcado para Santa Catarina e em breve entrar em operação no Sul”, disse Moratelli.

O secretário de Estado da Defesa Civil citou ainda que a definição por Araranguá para receber o equipamento foi do Centro Nacional de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais, atendendo a critérios técnicos de logística, no que diz respeito à localização e maior abrangência de municípios. O investimento do Governo do Estado para aquisição do Radar foi de R$ 3,4 milhões.

Para o secretário executivo da ADR Araranguá, Heriberto Afonso Schmidt, é uma satisfação para a Região receber este importante equipamento de prevenção. “Juntamente com nossa equipe, seremos parceiros da Defesa Civil em todos os trâmites necessários para a preparação do terreno”, disse.

O terreno em Araranguá está recebendo adequações para receber também a estrutura modular de 150 metros quadrados que abrigará o CIGERD – Centro Regional de Gestão de Riscos e Desastres da Defesa Civil, que contará com sala de videoconferência, para a realização de reuniões e capacitações, com tecnologia e agilidade no repasse de dados para a base, em Florianópolis, possibilitando uma melhor resposta e informação necessárias para a gestão do evento em andamento. A previsão de inauguração é no mês de julho.

Informações adicionais para a imprensa
Leneza Della Krás
Assessoria de imprensa
Agência de Desenvolvimento Regional de Araranguá
E-mail: email=imprensa@aru.sdr.sc.gov.br" target="_self">imprensa@aru.sdr.sc.gov.br
Telefones: (48) 3529-0084/(48) 99183-1773/(48) 99148-1191
Site: www.adrs.sc.gov.br/adrararangua
Facebook: www.facebook.com/regional.ararangua

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Foto: ADR concórdia

As obras de infraestrutura para receber o Centro Regional de Operações e Treinamento e sala de situação da Defesa Civil (CROTSS) em Concórdia estão avançadas. Os trabalhos estão concentrados em terraplanagem, pavimentação e instalações de água, luz, esgoto e as partes da estrutura da casa. O Centro Regional será instalado ao lado da Escola de Educação Básica Walter Fontana com o objetivo de fomentar as ações da Defesa Civil, ou seja, prevenção, mitigação, resposta a desastres, reabilitação e construção pós desastre.

Além de servir de base para os municípios que integram a Agência de Desenvolvimento Regional de Concórdia e Seara para atuarem em Defesa Civil, o Crot estará integrado ao Centro Integrado de Gestão de Riscos e Desastres (Cigerd), em Florianópolis, na sede da Secretaria da Defesa Civil, onde os serviços de prevenção e gestão de eventos extremos estão interligados, garantindo agilidade de atendimento e diminuição significativa de riscos para a população.

A previsão de término da obra é em maio. O inauguração deve contar com a presença do governador do Estado, Raimundo Colombo, secretário de Estado da Defesa Civil, Rodrigo Moratelli, secretário executivo da ADR, Wagner Bee, prefeitos e autoridades regionais. O centro faz parte do projeto global da Secretaria de Estado da Defesa Civil em criar, a partir do segundo semestre, um novo sistema estadual de Defesa Civil para fortalecer os serviços de proteção aos catarinenses.

Informações adicionais para a imprensa:
Dalva Paznoncelli Pichetti
Assessoria de Imprensa
Agência de Desenvolvimento Regional de Concórdia
E-mail:  ascom@cda.sdr.sc.gov.br
Telefone: (49) 3482-6007 / 99125-5924
Site: www.adrs.sc.gov.br/adrconcordia


Fotos: Julio Cavalheiro/Secom

O governador Raimundo Colombo repassou na manhã desta terça-feira, 11, em Joinville, R$ 4,5 milhões para a Associação dos Bombeiros Voluntários no Estado de Santa Catarina (Abvesc). Os recursos do governo estadual são destinados à manutenção e compra de equipamentos. O ato foi realizado no novo quartel do Corpo de Bombeiros Voluntários, com a presença dos secretários de Estado da Infraestrutura, Luiz Fernando Vampiro; da Comunicação, João Evaristo Debiasi, e da Agência Regional de Joinville, Simone Schramm.

>>> Acesse a galeria de fotos

“A entidade trabalha com muitas dificuldades e, mesmo assim, atende vários municípios e presta um serviço de grande relevância, com um custo muito menor. Então a gente tem que ajudar e dar esse apoio para que os bombeiros voluntários continuem se aperfeiçoando, comprando novos equipamentos e se superando para enfrentar os desafios da sua missão”, destacou o governador.

A entidade engloba 31 corporações de Santa Catarina, e cada município recebe valor proporcional à população. Os Bombeiros Voluntários são sociedades civis autônomas, de direito privado, com certificado de entidade filantrópica, que sobrevivem de contribuições e doações da comunidade em geral e pessoas jurídicas. Conquistaram institucionalmente o direito de receber, sistematicamente, uma subvenção financeira do Governo Estadual desde 1991.

“Somente aqui em Joinville temos 35 mil contribuintes que pagam valores pequenos pela conta de luz, que é a nossa principal fonte de receita. Mas esses recursos nunca são suficientes. Todo ano, complementamos a receita com recursos transferidos do Estado. Dessa vez, foi o convênio de valor mais expressivo na história da Abvesc”, contou o diretor-presidente da associação, Moacir Thomazi.

A  Abvesc foi fundada em 1994, quando existiam apenas 11 corporações voluntárias no Estado, atuando com integrantes civis, com qualificação e treinamento para poder prestar o serviço. Atualmente, são 3,7 mil pessoas que prestam serviço, sob regime de voluntariado, para a execução de serviços de combate a incêndios, busca e salvamento, prestação de socorros em caso de emergências, desabamentos, inundações, catástrofes e calamidades públicas.

Leia também:

>>> Raimundo Colombo repassa R$ 3,6 milhões para a Escola do Teatro Bolshoi no Brasil

Informações adicionais para a imprensa:
Rafael Vieira de Araújo 
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: rafael@secom.sc.gov.br  
Telefone: (48)  3665-3018 / 99116-8992
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e  @GovSC