Foto: Maurício Vieira/Secom

O secretário de Estado da Comunicação, Gonzalo Pereira, junto com o Comandante-Geral do Corpo de Bombeiros, Coronel BM João Valério Borges, apresentou na manhã desta quarta-feira, 14, a campanha “Abra Caminho Para a Vida”, criada para sensibilizar a população sobre a importância de abrir passagem para os veículos de emergência.

O intuito do Corpo de Bombeiros ao solicitar campanha para a Secretaria de Estado da Comunicação (Secom) foi de alertar a população para que se tenha um bom senso dos motoristas no trânsito. Além de tornar o caminho para as equipes de atendimento dos Bombeiros, Serviço de Atendimento Móvel de Urgência, (SAMU) e a SC Transplantes mais rápido, esse tempo no trânsito é extremamente relevante em um salvamento.

“A diferença entre o sucesso e o insucesso de um atendimento, o salvamento de uma vida ou do patrimônio se dá pelo tempo resposta, em que a equipe demora a chegar na ocorrência. Então a colaboração das pessoas no trânsito intenso das grandes cidades é muito importante, esperamos que a campanha conscientize as pessoas para dar a passagem para a vida”, afirma Borges.  Outro ponto que o comandante-geral destaca é que nestas situações de ocorrências as equipes que estão se deslocando acabam mais tensas pela situação. “Esta é mais uma razão que pedimos para a comunidade ter a sensibilidade de saber que ali estão indo profissionais que estão, de certa forma, tensos com a ocorrência e também pelo trânsito”, explicou.


Foto: Jeferson Baldo/Secom

Além disso, existe uma informação que muitas pessoas desconhecem referente aos sinais luminosos. Quando um veículo de emergência tiver com as luzes acesas, mesmo sem o sinal sonoro, significa que a equipe de serviço está transitando, retornando de uma ocorrência e isso também deve ser feito rapidamente.

“A guarnição vai atender as ocorrências e para elas estarem prontas, novamente em trem de socorro e atendendo um novo chamado, o veículo precisa estar higienizado, com a sua assepsia totalmente concluída. Então o deslocamento rápido também é importante para que esta viatura esteja preparada para ser aplicada”, complementa o comandante.

A cerimônia aconteceu no Centro de Ensino do Corpo de Bombeiros de Santa Catarina, em Florianópolis, com a presença da imprensa e também de integrantes da corporação. Também esteve presente o Coordenador Médico Aéreo do Grupo de Resgate e Atendimento de Urgência (GRAU), do SAMU, Bruno Quércia.

 Sobre a campanha

Criada internamente pela Secretaria de Estado da Comunicação a campanha foi desenvolvida para ser divulgada por meios digitais.

“Esta é uma campanha que se destaca em inovação, porque foi produzida exclusivamente com o corpo técnico da Secretaria de Comunicação”, detalhou o secretário. Além disso, Pereira também convida a população para replicar esta campanha nas redes sociais. “Não só convidando a compartilhar os materiais, mas também convidando a se associar. Que a gente possa chegar em casa e comentar com a família: hoje eu ajudei a salvar uma vida, hoje eu abri caminho para um veículo de emergência”, complementa.

>>> Corpo de Bombeiros, Samu e SC Transplantes se unem em campanha “Abra Caminho para a Vida”

Informações adicionais para a imprensa:

Melina Cauduro
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado da Comunicação - Secom
(48) 3665-3009 / (48) 9 9938-9839
melina@secom.sc.gov.br 
www.sc.gov.br 


Foto: Jeferson Baldo/Secom

Em 2018, o Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina atendeu mais de 100 mil ocorrências relacionadas a urgências e em todas elas existiu algo em comum: o tempo. Em muitos casos, o período gasto no deslocamento é imprescindível para o sucesso do atendimento e, por isso, a campanha “Abra Caminho para a Vida” busca conscientizar a população para que as viaturas de emergência tenham sempre preferência.

O tenente Ian Triska, subchefe da Comunicação Social do Corpo de Bombeiros de Santa Catarina, conta que existe uma prática na corporação chamada de “golden hour” ou “hora de ouro”, em português, dizendo que quanto mais rápido for o atendimento, mais chances de sobrevida possui a vítima, ou menor a chance de sequelas decorrentes do acidente.

“Imagine um acidente de carro, com uma pessoa presa nas ferragens. A hora de ouro é o tempo completo do atendimento. Ou seja, desde a identificação do acidente, passando pelo acionamento pelo telefone, deslocamento até o local, atendimento da ocorrência e novo deslocamento até o hospital. Tudo isso influencia, então, quanto mais rápido a gente conseguir realizar o nosso trabalho, maior a sobrevida que nós damos para essa vítima. É importante que as pessoas estejam conscientes que isso pode custar a vida ou a morte do cidadão e é muito grave”, informa.

Confira o boletim da Rádio Secom com o resumo da campanha "Abra Caminho para a Vida"

Segundo o tenente, é mais comum que as pessoas pensem apenas na ambulância como veículo de emergência. Na verdade, são todos aqueles que estão prontos para atendimentos de urgência. Pode ser um caminhão, uma viatura tracionada 4x4 ou ainda uma aeronave. "São veículos que estão prontos para dar suporte imediato à vida", pondera Ian Triska. Atualmente a corporação conta com 435 viaturas de emergências ativas, sendo 184 ambulâncias (ASU), 113 caminhões ABTR, 34 caminhões tanque AT, 100 viaturas de resgate AR, além de quatro aeronaves.

“Quando a ocorrência chega ao telefone 193, o Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina está pronto pra atender, e a gente vai deslocar para onde quer que seja ou para quem quer que seja, fazendo o bem sem olhar a quem. Por isso contamos com a população para nos auxiliar prestando a atenção no trânsito, deixando espaços para as nossas viaturas“, suplica Triska.

Além do trânsito, com os veículos no dia a dia, as situações envolvendo aeronaves também precisam de atenção redobrada. O Arcanjo, helicóptero dos Bombeiros, pode precisar pousar em estradas e ruas para concluir resgates e, por isso, é necessário que os motoristas tenham paciência com a situação, que depende muito da cooperação das pessoas.

"Em algumas situações, a gente pousa em áreas que uma aeronave comum não pousa, com pessoas e veículos, então a gente precisa contar com consciência da população, que precisa se afastar, abrir uma boa área, para que o atendimento seja realizado com sucesso, sem que haja uma intercorrência”, explica o coordenador médico aéreo do Grupo de Resgate e Atendimento de Urgência de Santa Catarina (Grau), Bruno Quércia.

Bom senso

MAIS IMAGENS NA GALERIA DE FOTOS

O intuito do Corpo de Bombeiros ao solicitar a campanha para a Secretaria de Estado da Comunicação foi de alertar a população para que haja um bom senso dos motoristas no trânsito. Quando um veículo de emergência tiver luzes acesas, mesmo sem o sinal sonoro, significa que a equipe de serviço está transitando, retornando de uma ocorrência. Mais uma situação que precisa ser feita com agilidade. “É necessário fazer a assepsia dos veículos antes de seguir para um novo atendimento, as equipes fazem a higienização do veículo, a esterilização dos equipamentos e também a reposição de materiais. Ou seja, mesmo nesses casos a abertura da pista para a passagem é importante”, pondera o tenente. 

Nestes momentos, apenas os sinais luminosos estão ligados e muitos motoristas deixam de dar passagem, fazendo com que as viaturas fiquem presas nos engarrafamentos. Assim, outras ocorrências podem ser prejudicadas. “É sempre bom respeitar e ajudar estes veículos porque eles precisam estar sempre prontos para receber alguém. Inclusive, pode ser um familiar dessas pessoas que estão trancando o trânsito”, justifica Triska.

Samu de SC pode atender mais pacientes com a redução do tempo de resposta

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), também apresenta dificuldades relacionadas com o deslocamento. A média do tempo, calculada em setembro, foi de 13 minutos e 30 segundos. O objetivo é diminuir essa resposta e chegar a 10 minutos, desde o chamado telefônico, pelo número 192, até a chegada da unidade até o local indicado.

Hoje o Samu atende mais de dois mil pacientes por mês em Santa Catarina, com 25 ambulâncias de Suporte Avançado, que possuem acompanhamento médico e funcionam como uma UTI móvel, além de 96 unidades de Suporte Básico, que atendem os casos com menor risco de morte e possuem acompanhamento de técnico de enfermagem. Com a diminuição do tempo de deslocamento, a previsão é que passem a ser atendidos mais pacientes ao mês.

“É necessária uma mudança de cultura da população para entender que qualquer veículo de emergência que esteja na rua, mesmo sem as sirenes ligadas, apenas os sinais luminosos, que têm um motivo. As nossas ocorrências só terminam quando as viaturas retornam para a base, assim reorganizamos os nossos materiais para que estejamos prontos para um próximo atendimento”, justifica Quércia.

O tempo também conta para o transporte de órgãos da SC Transplantes

A agilidade conta também para o sucesso das cirurgias realizadas no Estado.  Segundo o coordenador estadual de transplantes em Santa Catarina, Joel de Andrade, o tempo é curto e preponderante para que o procedimento seja bem sucedido. Principalmente no caso de órgãos específicos. É fundamental a precisão nos procedimentos: “Entre o órgão ser retirado do doador e ser implantado no receptor, existem tempos máximos, especialmente para coração e pulmão. Entre parar de funcionar no doador e estar implantado no receptor, são apenas quatro horas de intervalo, com o máximo de extensão até seis horas”, esclarece. 

Imaginando a logística de um doador que está em Chapecó e um receptor em Joinville, existe uma série de processos que devem ser realizados. “Existe o tempo de sair do hospital, ir ao aeroporto, decolar, aterrissar, sair do aeroporto e chegar ao segundo hospital. É fundamental, nesses braços que envolvem rodovias, que o trânsito seja aberto, porque sem isso o tempo se dilata e a qualidade do transplante cai muito”, detalha Andrade.

A coordenadora do sistema nacional de transplantes, Daniela Salomão, parabeniza o Estado pela iniciativa inédita. “Quanto mais rápido o órgão chegar até a equipe para ser transplantado maior a chance de sucesso. Essa iniciativa é muito bem-vinda porque também é mais uma forma de divulgar a doação e das pessoas ouvirem falar da importância de todas as etapas necessárias”, comemora.  

Legislação            

Além de bom senso, grande parte da população desconhece o fato de que existem penalizações para quem não abrir passagem para os veículos de emergência. O Código Brasileiro de Trânsito em seu artigo 29, inciso 7, diz que “os veículos destinados a socorro de incêndio e salvamento, os de polícia, os de fiscalização e operação de trânsito e as ambulâncias, além de prioridade de trânsito, gozam de livre circulação, estacionamento e parada quando em serviço de urgência e devidamente identificados por dispositivos regulamentares de alarme sonoro e iluminação vermelha intermitente”.

O que muitas pessoas não sabem é que a própria lei indica que: quando os dispositivos luminosos e sonoros estiverem acionados, todos os condutores deverão deixar livre a passagem pela faixa da esquerda, posicionando-se ao lado direito da via e parando se necessário. O uso dos dispositivos de alarme sonoro e iluminação vermelha intermitente só acontecem quando existe efetiva prestação de serviço de urgência.

Não dar a passagem para estes veículos é uma infração gravíssima, penalizada com multa de R$ 293,47 e aplicação de sete pontos na carteira de habilitação. E para aqueles motoristas que aproveitam a passagem dos veículos para desfrutar do caminho aberto, a infração é grave, com multa de R$ 195,23, com aplicação de cinco pontos na carteira. O código também indica que os pedestres, ao ouvirem os sinais sonoros, deverão aguardar na calçada, esperando para atravessar a via apenas após o veículo de emergência ter passado pelo local. 

Sobre a campanha

Criada internamente pela Secretaria de Estado da Comunicação, a campanha foi desenvolvida para ser divulgada por meios digitais.
“Esta é uma campanha que se destaca em inovação, porque foi produzida exclusivamente com o corpo técnico da Secretaria de Comunicação”, detalha o secretário de Estado da Comunicação, Gonzalo Pereira. Além disso, Pereira também convida a população para replicar esta campanha nas redes sociais. “Não só convidando a compartilhar os materiais, mas também convidando a se associar. Que a gente possa chegar em casa e comentar com a família: hoje eu ajudei a salvar uma vida, hoje eu abri caminho para um veículo de emergência”, complementa.

Informações adicionais para a imprensa:

Melina Cauduro
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado da Comunicação - Secom
(48) 3665-3009 / (48) 9 9938-9839
melina@secom.sc.gov.br 
www.sc.gov.br 

Após sete meses de treinamento no Curso de Formação de Soldados – CFSd, os alunos Soldados de Curitibanos deram início ao estágio supervisionado que marca o período final das aulas. Entre os dias 22 de outubro à 9 de novembro de 2018, cerca de 33 alunos realizarão diversas atividades no 2º Batalhão Bombeiro Militar. Após o término do estágio, os futuros Bombeiros farão a cerimônia de formatura, para enfim serem efetivados como Soldados Bombeiros Militares.  Até meados de novembro, cerca de 300 alunos serão formados e se tornarão Soldados do Corpo de Bombeiros Militar, passando a integrar as ações da Operação Veraneio.

 

31 10 EstagioCuritibanos3

 

O CFSd teve início em 19 de março de 2018, em Curitibanos e outras oito cidades do estado. Dando continuidade aos conhecimentos adquiridos, o estágio proporciona a prática de ações reais, contemplando as áreas de Seção de Atividades Técnicas (SAT), Central de Operações Bombeiro Militar (Cobom), Serviço Operacional na Guarnição de Serviço do Auto Socorro de Urgência (ASU) e Auto Bomba Tanque Resgate (ABTR).

No Cobom, os alunos Soldados recebem as ligações de emergência ao 193, atendendo ocorrências como acidentes de trânsito, combate a incêndio, captura e manejo de insetos e corte de árvores, entre outros. Após o atendimento, eles geram as ocorrências e realizam o acionamento da guarnição.

 

31 10 EstagioCuritibanos7

 

O estágio supervisionado na guarnição do ASU e ABTR proporciona aos futuros Bombeiros a aplicação das técnicas estudadas durante o CFSd. Na SAT- Seção de Atividades Técnicas, o objetivo do estágio supervisionado é ambientar os alunos com a análise de projetos preventivos contra incêndio e pânico e realização de vistorias em edificações.

 

 

Créditos: Aluno Soldado BM Elizandra Campos
Centro de Comunicação Social
Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina

 

 

Iniciaram, no mês de outubro, os primeiros cursos de formação de guarda-vidas civis, que estarão aptos até meados do mês de dezembro, para serem contratados, de forma temporária, para orientação e salvamento de banhistas e turistas no litoral e balneários do Estado. Os cursos são coordenados pelos batalhões de Bombeiro Militar que fazem parte da Operação Veraneio. As aulas são gratuitas e acontecem em diferentes cidades de Santa Catarina, geralmente em regiões de praia ou balneários, onde são executadas as aulas práticas. Para os cursos de formação, serão oferecidas, até o final do ano, 793 vagas. Apesar disso, nem todas são preenchidas.

Durante toda a última semana, a Defesa Civil de Santa Catarina acompanhou a formação de um ciclone extratropical no oceano atlântico, próximo ao litoral catarinense, emitindo os avisos meteorológicos e alertas necessários. Devido a informações não oficiais divulgadas nas redes sociais, por meio de Fake News, milhares de catarinenses ficaram apreensivos.

"Com base em dados científicos e trabalho sério, como sempre é feito, conduzimos a situação vivenciada nesses últimos dias em Santa Catarina. A população catarinense foi informada de tudo no devido tempo pelo Governo do Estado", comentou o secretário de Estado da Defesa Civil, João Batista Cordeiro Júnior, que reiterou que todas medidas necessárias foram tomadas e todas as situações decorrente dos fortes ventos, que foram de intensidade moderada, foram atendidas.

"Convém destacar a atuação célere das equipes da CELESC e do CBMSC, que com suas equipes extras, colocadas em pontos estratégicos antecipadamente, foram essenciais naquele momento", completou o secretário.

WhatsApp Image 2018 10 29 at 15.45.52

Nos últimos anos, a Defesa Civil catarinense deu salto quântico em relação as atividades e serviços prestados para a população. Para garantir a segurança das pessoas, o Centro Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres (CIGERD) faz o acompanhamento constante das condições meteorológicas. Este monitoramento é feito com base nas informações geradas pelos três radares meteorológicos e por imagens de satélite em tempo real. As avaliações dos dados são feitas pela Epagri/Ciram e filtradas pelos técnicos da Defesa Civil Estadual, que fazem a emissão de alertas quando necessário.

Assim, a Defesa Civil de Santa Catarina pede aos catarinenses que, na dúvida, confirmem as informações por meio do site e nas redes sociais da Defesa Civil e da Epagri/Ciram.

Em nosso Estado, a população conta com o envio de alertas por SMS, ação pioneira no Brasil. O objetivo é  informar os catarinenses sobre situações iminentes de desastres, emergência ou estado de calamidade pública, para a minimização dos riscos.

Para receber notificações de emergência é fácil. Basta cadastrar o Código de endereçamento postal (CEP) que deseja ser monitorado. Para isso, envie um SMS do seu celular para o número 40199, contendo apenas no corpo do texto o número do CEP (com ou sem hífen ou espaço). Quem já possui cadastro não precisa registrar-se novamente. Para incluir novo CEP, basta repetir o procedimento.

Já para consultar um CEP cadastrado, o usuário deverá enviar a mensagem "consultar" para o número 40199. O usuário receberá mensagem avisando se existe ou não algum CEP cadastrado para aquele número de celular.

Na manhã desta quarta-feira, 26, o Governo do Estado, através da Secretaria de Estado da Defesa Civil (SDC), lançou a “Operação Primavera”, que busca trazer mais segurança para a população. O objetivo é preparar os municípios para reduzir riscos durante a estação, que tende a ter fortes chuvas.

“É a estação do ano em que, estatisticamente,  as condições climáticas se alteram mais e quando aconteceram as grandes enchentes. Por isso agora nós estamos concentrando as nossas energias pra estimular a sociedade para a autoproteção”, declarou o secretário de Estado da Defesa Civil, Coronel Bombeiro Militar João Batista Cordeiro Junior.

De acordo com o secretário, a cultura de prevenção ao risco é o principal caminho para evitar desastres. “Nós vamos apresentar, durante a operação, o ‘Plano de Emergência Familiar’ em que a própria família vai se planejar sobre como agir em caso de algum evento, com informações sobre para aonde devem se deslocar, quais os telefones de contato, trazendo uma série de indicações que ajudem a população em momentos emergenciais”, completou.

Prevenção

Segundo o gerente de monitoramento e alertas, o oceanógrafo Frederico de Moraes, a previsão é que esta estação tenha chuvas dentro da média, porém com temperaturas mais elevadas. “Isso quer dizer que pode ter uma maior probabilidade de formação de tempestades, então nós vamos ficar atentos a todas essas situações e acompanhar durante este período”, afirmou.

A primavera marca o período em que ocorreram as maiores séries de inundações e tempestades com granizo e vendavais. O objetivo da Operação é agir preventivamente, integrando todos os órgãos e instituições catarinenses, em ações preventivas conjuntas nos municípios. Também busca aumentar a percepção de riscos da população demonstrando a importância de cada pessoa na redução de riscos.


Histórico

A primavera traz históricos de mudanças climáticas que afetaram os municípios catarinenses, seja com chuvas ou vendavais com consequências para muitas cidades. Em 2015 foram decretadas 73 situações de emergência, em 2016 foram 13 e 16 em 2017.

“Não só a Defesa Civil melhorou as suas estruturas para atender esses eventos, mas o Corpo de Bombeiros Militar criou o Batalhão de Operações Aéreas que é utilizado nas ações, mas também auxilia e muito a nossa sociedade. Foram criadas as Forças Tarefa, que são 14, uma em cada batalhão, que são enviadas para a região que precisa de suporte. A Polícia Militar formou ainda o o Batalhão de Ajuda Humanitária. É  uma série de estruturas que melhoraram para atender a população”, explicou o secretário.

Alertas no  telefone

Santa Catarina foi o Estado pioneiro no serviço de emissão de alertas por mensagens SMS. A notificação é mais uma ferramenta para comunicar a população sobre situações iminentes de desastres, emergência ou estado de calamidade pública. O serviço é gratuito e está disponível para todos os usuários de telefonia móvel.

Para receber notificações de emergência basta cadastrar o CEP que deseja ser monitorado. Basta enviar um SMS com o CEP (com ou sem hífen ou espaço) para 40199. Quem já possui cadastro não precisa se registrar novamente. Para incluir novo CEP, basta repetir o procedimento. O serviço é gratuito.


Para consultar um CEP cadastrado, o usuário deverá enviar a mensagem "consultar" para o número 40199. O usuário receberá mensagem avisando se existe ou não algum CEP cadastrado para aquele número de celular.

Sobre a Defesa Civil

A Defesa Civil de Santa Catarina completou 45 anos de atividades, em 2018. Hoje o sistema de proteção catarinense é referência internacional. O principal ponto é a forma integrada de administrar e planejar. Todo o sistema foi pensado para ser autossuficiente, sem onerar a máquina administrativa do Estado. Segundo a Organização das Nações Unidas, para cada dólar investido em prevenção ocorre uma redução de sete dólares nos prejuízos.

O objetivo foi estruturar Santa Catarina para enfrentar todas as adversidades e dentro deste contexto surgiu o conceito do Centro Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres de Santa Catarina (Cigerd). Interligado ao local estão os 20 Centros Regionais que foram estrategicamente distribuídos pelo Estado, com base na reincidência de fenômenos, número de habitantes e localização geográfica.

Essas regionais são edificações autossuficientes em comunicação e energia, ou seja, permanecem operacionais mesmo nas mais difíceis situações. Junto ao CIGERD existe o Centro de Monitoramento Climático, responsável pela emissão de alertas. Atualmente são oferecidas informações seguras, com base nos dados gerados pelos três radares que fazem a cobertura total do território catarinense. Em breve contará também com imagens de satélite em tempo real.

Já o Centro Integrado de Operações, ponto Central da “Operação Primavera”, é o local onde todas as agências de Governo irão trabalhar de forma integrada no acompanhamento e gerenciamento de crises e desastres garantindo uma resposta mais rápida à população.

Informações adicionais para a imprensa:

Melina Cauduro
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado da Comunicação - Secom
(48) 3665-3009 / (48) 9 9938-9839
melina@secom.sc.gov.br 
www.sc.gov.br 



Informações adicionais para a imprensa
Flávio Vieira Júnior
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Defesa Civil - SDS
Fone: (48) 3664-7009 / 99185-3889 / 99651-5888
E-mail: defesacivilsc@gmail.com
Site: www.defesacivil.sc.gov.br

Na próxima quarta-feira, 26, a partir das 10 horas, o Governo do Estado de Santa Catarina, através da Secretaria de Estado da Defesa Civil, inicia a “Operação Primavera”, no Centro Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres (CIGERD). A Operação tem como objetivo agir preventivamente com ações conjuntas em municípios. 

A iniciativa surgiu após a análise da previsão climática elaborada pelo Fórum Climático (EPAGRI/CIRAM e IFSC) e  com foco na segurança da população, uma vez que a estação é uma época de fortes chuvas. Nesse período ocorrem as maiores séries históricas de inundações e tempestades com granizo e vendavais, como a de 2008, ainda lembrada pelo deslizamento do Morro do Baú, no Vale do Itajaí.

Serviço:
O que: Lançamento da Operação Primavera
Quando: 26/09 – quarta-feira
Onde: Centro Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres (CIGERD) – Avenida Governador Ivo Silveira, 2320 – Florianópolis
Horário: 10h
Contato: Assessoria de Imprensa – Defesa Civil - Flávio Vieira Júnior (48) 3364-7009 / 99185-3889

 

Informações adicionais para a imprensa
Flávio Vieira Júnior
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Defesa Civil - SDS
Fone: (48) 3664-7009 / 99185-3889 / 99651-5888
E-mail: defesacivilsc@gmail.com
Site: www.defesacivil.sc.gov.br

A Secretaria de Estado da Defesa Civil (SDC) irá instalar mais quatro kits de transposição na Região Oeste de Santa Catarina. A montagem das pontes começou nesta terça-feira, 18, no município de Ouro, nesta quarta, 19, será a vez de Vargeão, Maravilha, 20, e em Planalto Alegre, 21.

A ação é uma parceria entre a SDC e os municípios atingidos por desastres climáticos. No convênio, as prefeituras ficam responsáveis pelas cabeceiras e a Defesa Civil faz a instalação da estrutura pré-moldada. As pontes substituem estruturas antigas de madeira que foram danificadas ou inutilizadas em eventos adversos.

Esta é mais uma das ações que SDC realiza, além de prestar auxílio em situações de desastres. "Com os kits de transposição conseguimos garantir às comunidades atingidas a mobilidade e o escoamento da produção em um curto espaço de tempo. Nos próximos dias serão beneficiadas mais 30 comunidades por todo o Estado com o kit de transposição", comentou o secretário de Estado da Defesa Civil, João Batista Cordeiro Júnior.

Em função do período eleitoral a SDC realizou consulta junto à Procuradoria Geral do Estado (PGE) que possibilitou a montagem dos kits durante este período devido à importância da ação.

O projeto de kits de transposição começou em 2013 e até o momento foram instaladas 368 pontes em SC. Já foram investidos R$ 41 milhões nesse programa. O tamanho dos kits varia de 6 a 15 metros de comprimento, com 5 metros de largura.

MUNICÍPIO - VALOR

Maravilha - R$ 65.730, 86
Ouro - R$ 46.444,10
Planalto Alegre - R$ 41.801,34
Vargeão - R$ 65.730,86

Informações adicionais para a imprensa
Flávio Vieira Júnior
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Defesa Civil - SDS
Fone: (48) 3664-7009 / 99185-3889 / 99651-5888
E-mail: defesacivilsc@gmail.com
Site: www.defesacivil.sc.gov.br





Foto: Divulgação/Secom

O avanço de uma intensa massa de ar polar vinda da Argentina chega ao Estado e deve derrubar as temperaturas a partir deste sábado, 25. A previsão da Epagri/Ciram é que as temperaturas mantenham-se baixas, inclusive com possibilidades negativas, até a segunda-feira, 27.

A massa de ar polar deve passar ainda pelo Uruguai e pelo Rio Grande do Sul. Chega em Santa Catarina pelo oeste e deve se intensificar , principalmente, na madrugada de segunda-feira.

Para quem espera a neve, existe pequena possibilidade no sábado, 25, entre a tarde e a noite, seguindo pela madrugada de domingo, aliada a um fenômeno chamado de chuva congelada, que é a mistura entre os flocos de neve com gotículas de chuva, trazendo gelo visível na vegetação.

A atenção deve voltar-se para o vento sudoeste, já que a presença de um ciclone extratropical próximo à costa do Rio Grande do Sul deve afetar Santa Catarina, trazendo rajadas moderadas a fortes.

A partir de domingo a frente fria, que traz as chuvas, se afasta, dando condições de tempo firme e frio intenso, seguindo assim na segunda-feira.

Atenção para as recomendações da Defesa Civil

A Defesa Civil de Santa Catarina recomenda que em situações climáticas adversas a população siga as seguintes instruções:

Ventos fortes: proteja-se em local abrigado e distante das janelas, ao ar livre longe de placas, de árvores, de postes de energia e de objetos que podem ser arremessados.

Frio intenso: atenção com população mais vulnerável, como enfermos, moradores de rua, idosos e crianças. Além disso, abrigar animais domésticos nas noites mais frias. De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde, em virtude das doenças causadas pelo frio (gripe, resfriados, pneumonia, meningite) é essencial tomar medidas simples como manter-se bem agasalhado, beber bastante água e evitar locais fechados e de grande circulação de pessoas, além da higiene frequente das mãos. Essas medidas são de grande valia na prevenção destas doenças, ressaltando que crianças e pessoas idosas são mais suscetíveis às doenças agravadas pelo frio e devem estar mais atentas.

Geada: agricultores deverão tomar medidas preventivas.

Informações adicionais para a imprensa:

Melina Cauduro
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado da Comunicação - Secom
(48) 3665-3009 / (48) 9 9938-9839
melina@secom.sc.gov.br 
www.sc.gov.br 


Foto: James Tavares/Secom

A Secretaria de Estado da Defesa Civil de Santa Catarina reforça o aviso emitido pela Epagri/Ciram sobre a possibilidade de fortes temporais com a passagem de uma frente fria pelo Estado.

Dessa forma, existe o risco de fortes tempestades com a possibilidade de granizo, ventos com rajadas acima de 60 km/h e mar agitado a partir da madrugada desta sexta-feira.

Segundo meteorologistas da Epagri/Ciram , os ventos podem ser provocados por frentes de rajadas, tornados ou micro explosões durante a passagem da frente fria, ou seja, existe o risco de tempestades severas neste período.

Ressaltamos que o aviso não relata a ocorrência de um tornado, apenas que existem condições favoráveis para tempestades com este potencial.

 

Informações adicionais para a imprensa
Flávio Vieira Júnior
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Defesa Civil - SDS
Fone: (48) 3664-7009 / 99185-3889 / 99651-5888
E-mail: defesacivilsc@gmail.com
Site: www.defesacivil.sc.gov.br