Foto: Julio Cavalheiro/Secom

Uma boa novidade para a Operação Veraneio deste ano é a publicação do Decreto Nº 1.333, de 16 de outubro de 2017, que regulamenta a atuação voluntária de guarda-vidas civis em praias e balneários do estado. O modelo de operacionalização dos serviços é o mesmo que já vem sendo empregado em outras temporadas. Mas agora, o atual decreto beneficia diretamente os guarda-vidas civis que, em caso de acidentes ou mortes durante as atividades desempenhadas nas praias, terão direito a indenizações ou pensão vitalícia para dependentes. Além disso, a nova legislação corrobora com a atual política aplicada pelo Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina, que pretende integrar a comunidade com as atividades de segurança desenvolvidas nas praias durante o verão.

Apesar de ser um trabalho voluntário, os guarda-vidas civis são previamente treinados para poderem atuar durante a temporada de verão nas praias e balneários, na orientação a turistas e veranistas sobre os cuidados com o mar para evitar afogamentos e nas ações de resgate e salvamentos aquáticos. Antes da atual legislação, os guarda-vidas não tinham garantias legais que os resguardassem em caso de acidentes para atuarem voluntariamente nas praias. Eles também recebem uma ajuda de custo por dia trabalhado, para alimentação e transporte. Todas as atividades são supervisionadas pelo Corpo de Bombeiros Militar.

A publicação do documento mostra que estamos no caminho certo, de parcerias entre o Corpo de Bombeiros Militar e a comunidade. “Quando oferecemos treinamento a pessoas da comunidade, estamos atuando positivamente de duas formas: preparando pessoal para uma atuação estreita junto à corporação e formando pessoas com uma visão bem ampla sobre segurança, ampliando sua capacidade de intervir durante uma ocorrência ou agindo para evitá-la. É o que vemos diretamente nas praias durante o verão, com a queda no número de mortes por afogamentos em áreas monitoradas”, explica o coronel BM Onir Mocellin.

Como funciona a Operação Veraneio

Anualmente, durante os meses mais quentes do ano, Santa Catarina recebe a visita de inúmeros turistas e veranistas que procuram as belezas naturais do Litoral ou das estâncias hidrominerais para lazer e turismo. Em virtude disso, em algumas cidades do Litoral o número de habitantes nesses meses chega a ser três vezes maior, a exemplo de Balneário Camboriú.

Para atender bem e garantir a segurança dessas pessoas, o Governo do Estado mobiliza todas as forças da Segurança Pública durante esta época do ano. A Operação Veraneio 2017/2018 abrange 34 cidades, com 167 locais monitorados do estado. No Corpo de Bombeiros Militar, por ser a instituição responsável pelas atividades de prevenção a sinistros e salvamentos aquáticos, a mobilização é grande. Por ano, cerca de duas mil pessoas da comunidade são treinadas e cerca de 1,4 mil atuam no monitoramento de praias e balneários, orientando veranistas e fazendo salvamentos. Outros cerca de 300 bombeiros militares são deslocados do interior para cumprimento de escalas de trabalho em áreas mais movimentadas do Litoral.

Toda a Operação Veraneio acontece entre 5/10/2017 e 16/04/2018, sendo dividida em:

Baixa Temporada: Entre os dias 6/10/2017 e 14/12/2017;
Alta Temporada: de 15/12/2017 a 04/03/2018;
Pós-Temporada: entre 5/03/2018 e 15/04/2018.

Informações adicionais para a imprensa
Krislei Oechsler
Assessoria de Imprensa 
Corpo de Bombeiros Militares de Santa Catarina - CBMSC
E-mail: ccs@cbm.sc.gov.br
Fone: (48) 3251-9614 / 98843-4427
Site: www.cbm.sc.gov.br

 


Fotos: Jaqueline Noceti/Secom

O serviço gratuito de notificação de emergência via SMS da Defesa Civil, a construção do Centro Integrado de Gestão de Riscos e Desastres (Cigerd) e a unificação dos serviços e os radares meteorológicos foram alguns dos assuntos abordados pelo governador Raimundo Colombo e pelo secretário de Estado da Defesa Civil, Rodrigo Moratelli, durante coletiva de imprensa na manhã desta quarta-feira, 18, em Florianópolis.

“Santa Catarina evoluiu muito na área de Defesa Civil para proteger a população. Hoje temos a informação antecipada, com mais qualidade e condições de operar todos os nossos equipamentos, como as barragens e o serviço SMS. Podemos informar qual é o fenômeno climático que vai ocorrer e quais as providências que cada um de nós deve tomar. Isso é uma conquista extraordinária e transformadora. Santa Catarina está muito mais protegida”, explicou o governador.

>>> Galeria de fotos

Raimundo Colombo ressaltou que os investimentos na Defesa Civil chegam a R$ 1 bilhão, incluindo as barragens. Destacou que os três radares - em Lontras, Chapecó e Araranguá - atendem todo território catarinense, cobrindo 100% do estado com qualidade e precisão.

O governador falou ainda sobre a unificação das equipes para trabalhar no Cigerd quando o centro estiver concluído. "Sobre a Epagri/Ciram atuar neste espaço é uma questão administrativa, técnica e operacional. Todos os serviços precisam ser concentrados e se valer desta estrutura e tecnologia disponíveis. Nós estamos enviando para a Assembleia Legislativa um projeto de lei unificando todos os setores do governo para atuarem em conjunto nesta área", afirmou Colombo.

Com relação ao preenchimento de vagas para trabalhar no Cigerd, o governador disse que está criando algumas vagas por meio de concurso público. "Não são muitas vagas, mas são as necessárias para poder operar o sistema. Ainda em outubro, encaminharemos o projeto de lei", explicou.

Na ocasião, o governador visitou o Centro Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres, estrutura que está em construção na Avenida Governador Ivo Silveira, e será a futura sede da Secretaria de Estado da Defesa Civil.  

O secretário Rodrigo Moratelli apresentou a obra. "O Cigerd é o coração de tudo que está sendo feito na Defesa Civil. As informações estarão aqui, e é daqui que sairão os alertas públicos e as operações coordenadas junto aos centros regionais. É preciso gerenciar em curto prazo as situações para evitar que uma crise se transforme em desastre”, explicou.

A previsão é que o Cigerd comece a operar a partir de janeiro e seja inaugurado entre fevereiro e março de 2018. Ele acrescentou que outros 20 centros regionais também estão em construção e devem ficar prontos até o final deste ano. O projeto faz parte do novo sistema de proteção e defesa civil, que conta com a ampliação da rede de radares meteorológicos em SC, plataformas de comunicação de desastres e novos centros de operação e gerenciamento de riscos.

Cigerd Florianópolis

O Centro Integrado de Gestão de Riscos e Desastres está em construção na Avenida Governador Ivo Silveira, 2320, na Capital, e é a base dos centros regionais. Ele deverá contar com diversos órgãos que atuam diretamente nos desastres. Todas as forças estarão reunidas num mesmo local para que as medidas sejam tomadas em conjunto e seja possível diminuir o tempo de resposta ao cidadão.

A estrutura vai contar com o Centro de Monitoramento e Alerta, Meteorologia, Sistema de Hidrometeorologia, Geologia, Mapeamento de Áreas de Risco, Planos de Contingência, Planos de Ações Emergenciais, Gestão de Crise e Respostas a Desastres.

Cigerd Regional

Ao todo, são 20 centros regionais estrategicamente distribuídos no estado. Eles vão funcionar praticamente como o Cigerd em Florianópolis, porém, num espaço menor e em abrangência local. Em caso de evento meteorológico adverso, o Cigerd Regional servirá de ponto de encontro para as autoridades tomarem as decisões e conversarem com a equipe em Florianópolis. Possui tecnologia de ponta (dado e voz) para os agentes se comunicarem direto com a base em Florianópolis através de videoconferência.

Cobertura por radares meteorológicos

A Secretaria de Estado da Defesa Civil está ampliando a cobertura meteorológica. O estado já conta com um radar em Lontras, inagurado em 2014, e um em Chapecó, entregue em 2017. A mais recente aquisição é o radar meteorológico móvel, que ficará em Araranguá, no Sul.

Os radares fixos abrangem um raio de 200km e podem chegar até 400km, no modo vigilância. Já o radar móvel atinge um raio de aproximadamente 100km. Com isso, Santa Catarina passa a ter 100% de cobertura meteorológica. No momento, o radar móvel está em Florianópolis aguardando a conclusão da infraestrutura em Araranguá.

Aviso por SMS

Recentemente, foi ampliado o serviço de notificação de emergência via SMS para todos os municípios de Santa Catarina. O projeto iniciou em fevereiro, como piloto, para 20 municípios. Agora, em 16 de outubro, o serviço estadualizou. Com uma mensagem de texto (SMS), a Defesa Civil avisa os moradores sobre riscos de desastres. O serviço não tem custo e, para aderir ao sistema, basta enviar um SMS com o número do CEP para 40199.

Todo esse sistema que está sendo implantado pela Defesa Civil em Santa Catarina possibilita o envio de notificação de emergência via SMS. 

Informações adicionais para a imprensa:
Elisabety Borghelotti
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: bety@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3018 / 98843-5460
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC

Cleiton Ferrasso
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Defesa Civil - SDS
Fone: (48) 3664-7009 / 99185-3889
E-mail: defesacivilsc@gmail.com
Site: www.defesacivil.sc.gov.br

O governador Raimundo Colombo e o secretário de Estado da Defesa Civil, Rodrigo Moratelli, concedem entrevista coletiva nesta quarta-feira, 18, a partir das 9h. Serão abordados três assuntos assuntos:

- Os três radares meteorológicos em operação no Estado - Lontras, Chapecó e o do Sul
- Os novos centros regionais de Defesa Civil
- Os novos sistemas de gerenciamento de riscos e gestão de desastres.

A entrevista será no novo prédio do Centro de Defesa Civil, que está em fase final de obras, onde todos os órgãos setoriais do Estado irão trabalhar de forma integrada.

Coletiva de imprensa
Local: na Avenida Ivo Silveira, 2.320, Florianópolis
Horário: 9h

Informações adicionais para a imprensa
Cleiton Ferrasso
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Defesa Civil - SDS
Fone: (48) 3664-7009 / 99185-3889
E-mail: defesacivilsc@gmail.com
Site: www.defesacivil.sc.gov.br

A partir de segunda-feira, 16, começa a segunda etapa do serviço de notificação de emergência via SMS (mensagem de texto) da Defesa Civil. Na primeira fase, 20 municípios catarinenses participaram de testes. Agora, todas as cidades são abrangidas pelo sistema. A notificação é mais uma ferramenta para comunicar a população sobre situações iminentes de desastres, emergência e/ou estado de calamidade pública.

Na semana que vem começa a campanha para a adesão ao serviço. O cadastro continua da mesma forma do projeto piloto. Ao receber a mensagem de texto convite, o cidadão responde somente com o CEP (com ou sem hífen ou espaço) para o número 40199. Mesmo sem receber o convite, o cidadão pode fazer o cadastro quando desejar. Ainda, o serviço permite cadastrar mais de um CEP (um por SMS) para ser monitorado pela Defesa Civil.

Além de Santa Catarina, o Estado do Paraná também entra nesta fase. As mensagens das Campanhas serão enviadas nos dias úteis (segunda a sexta-feira, exceto feriados), entre 9 e 20 horas, respeitando os limites técnicos operacionais e/ou capacidade de tratamento das redes de cada uma das prestadoras SMP, além dos limites técnicos operacionais e/ou capacidade de tratamento da plataforma do integrador.

Conforme dados do Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (Sinditelebrasil), em Santa Catarina, pouco mais de 8 milhões de aparelhos celulares estão ativos para receber as notificações. Nos dois Estados do Sul, são cerca de 20 milhões de terminais telefônicos móveis.

Com o passar do tempo, o serviço vai sendo ampliado pelo Brasil a partir do cronograma proposto pelo Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad). São Paulo (a partir de 16 de novembro), Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e Espírito Santos (a partir de 18 de dezembro), Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Goiás (a partir de 15 de janeiro de 2018), Distrito Federal, Mato Grosso e Tocantins Bahia, Sergipe, Alagoas, Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Norte, Ceará, Piauí e Maranhão, Pará, Amapá, Acre, Amazonas, Rondônia e Roraima (a partir de 19 de fevereiro de 2018).

O trabalho é realizado pelas Defesas Civis Estaduais, em parceria com o Ministério da Integração Nacional, Sinditelebrasil, Anatel e ABR Telecom.

Saiba mais

CADASTRO

Para receber notificações de emergência basta cadastrar o CEP que deseja ser monitorado. Envie um SMS com o CEP (com ou sem hífen ou espaço) para 40199. Quem já possui cadastro não precisa se registrar novamente. Para incluir novo CEP, basta repetir o procedimento.

CONSULTAR

Para consultar um CEP cadastrado, o usuário deverá enviar a mensagem "consultar" para o número 40199.

Caso o usuário tenha ao menos um CEP cadastrado com o status "cadastrado", ele receberá o(s) cep(s) cadastrado conforme a seguinte mensagem:

"Para este numero de celular existe(m) o(s) seguinte(s) CEP(s) cadastrados: 00000000,00000000,00000000"

 Caso o usuário não possua nenhum CEP cadastrado com o status "cadastrado", ele receberá a seguinte mensagem:

"Para este numero de celular não existe CEP cadastrado. Para realizar o cadastro, envie SMS gratuito para 40199 com o CEP de interesse, sem espaços ou hífens "

CANCELAR

Considerando que o usuário poderá ter mais de um CEP cadastrado, caso ele queira cancelar o cadastro em um CEP específico, basta ele enviar a mensagem "sair" seguida do CEP (com ou sem hífen) que deseja cancelar o cadastrado para o mesmo número do cadastro.

Caso ele envie a mensagem "sair" e não informe o CEP, o sistema irá alterar o status de todos os registros contidos na Base de Dados de Emergência do usuário correspondente para "cancelado".

Caso o usuário siga qualquer um dos passos supracitados e tenha o CEP cadastrado, ele receberá a seguinte mensagem:

"Cancelamento com sucesso do CEP 00000000. Para cancelamento de outros CEPs vinculados a este numero, refaça o procedimento "

AJUDA

Para obter a lista de comandos a população poderá enviar a palavra ajuda ou uma mensagem inválida para número do sistema.

O sistema retornará a lista dos comandos (CADASTRAR, CONSULTAR e SAIR CEP), com a seguinte mensagem:

"Para cadastro envie o numero do CEP para 40199. Para cancelamento envie SAIR e o CEP para 40199. Para consultar CEP cadastrado envie CONSULTAR para 40199"

Informações adicionais para a imprensa
Cleiton Ferrasso
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Defesa Civil - SDS
Fone: (48) 3664-7009 / 99185-3889
E-mail: defesacivilsc@gmail.com
Site: www.defesacivil.sc.gov.br


Foto: Ana Cenatti/ADR Jaraguá do Sul

A Defesa Civil do Estado vai construir, em Jaraguá do Sul, o Centro Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres, que estará interligado com o Cigerd de Florianópolis, assim como os outros 19 centros do estado. A estrutura modular, autônoma e resistente a situações críticas a que o estado está exposto, começou a ser montada na tarde desta terça-feira, 10, e deve ser concluída nesta quarta-feira, 11. A partir desta data, começam os trabalhos de acabamento da parte externa, como estacionamento, energia elétrica, instalação de fossas, recebimento dos móveis e equipamentos. A conclusão está prevista para dezembro.

São cerca de 150 metros quadrados, resistentes a ventos acima de 180km/h, com geração de energia própria, internet e telefonia, radio, vídeo wall para acompanhamento da situação regional, vídeo conferência com o Centro Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres, estações de trabalho estruturada para dez agências e mais dez postos para trabalho para instituições necessárias em operações.

No centro, vai funcionar a Coordenadoria Regional de Defesa Civil, que deve contar com dois servidores. Os demais membros vão ao local para atuar em ações específicas, que incluem preparação, gestão de crise e reabilitação.

O valor do investimento do Governo do Estado é R$ 663,9 mil, sendo R$ 428 mil da estrutura modular. O projeto faz parte da estruturação da Defesa Civil de Santa Catarina.

Informações adicionais para a imprensa
Ana Cenatti
Assessoria de imprensa
Agência de Desenvolvimento Regional de Jaraguá do Sul
E-mail: anacenatti@jgs.adr.sc.gov.br 
Telefone: (47) 3276-9241 / (47) 98861-2652
Site: sc.gov.br/regionais/jaraguadosul


Foto: Jackson Jacques / CBMSC

Ao ser aprovada em março deste ano e sancionada pelo presidente de república, a lei federal 13.425 estabelece diretrizes gerais sobre as medidas de prevenção e de combate a incêndio e desastres em estabelecimentos comerciais, edificações e áreas de grande concentração de público. A nova legislação, que passou a vigorar final de setembro setembro, ganhou o nome popular de “Lei Kiss”, uma alusão à casa noturna de Santa Maria onde um incêndio acabou matou 242 jovens queimados ou por intoxicação de fumaça e feriu outros 680, em 27 de janeiro de 2013. Desde então, o Brasil passou a dar mais rigor para os sistemas preventivos e de segurança em edificações. 

Pela lei, cabe aos Bombeiros Militares orientação, aprovação de projetos preventivos e fiscalização do cumprimento das normas de segurança, nos estabelecimentos comerciais, indústrias, locais de reunião de público e empresas que organizam eventos.

O que muda em Santa Catarina com a nova Lei?

O Estado passa a ser o único responsável pela fiscalização da segurança contra incêndio e pânico das edificações, conforme as legislações de segurança pública e contra incêndio, diminuindo este ônus das prefeituras e permitindo que os Corpos de Bombeiros Voluntários possam se dedicar, ainda com mais afinco, às atividades de combate a incêndios e salvamento.

Para o cidadão não muda quase nada, pois o Estado, por intermédio do Corpo de Bombeiros Militar já vem há bastante tempo demandando atenção para a importância da orientação e fiscalização dos estabelecimentos comerciais e locais de grande concentração de público. Agora, com a legislação em vigor, algumas cidades que tinham este serviço feito pelo município, por meio de Associações de Bombeiros Voluntários, passarão a receber atenção do ente estatal, por meio dos Bombeiros Militares. Dessa maneira, os estabelecimentos poderão atuar e funcionar em sintonia e alinhados com a Lei Federal, trazendo ainda mais segurança para a população e seus clientes.

Quem fiscaliza?

A entrada em vigor da Lei tem gerado dúvidas por parte de empresários e comerciantes dos municípios que contam com as Associações de Bombeiros Voluntários e que, através destes, eram fiscalizados. Com a vigência da nova Lei, o Corpo de Bombeiros Militar orienta os cidadãos que, quando da necessidade de entrada de processos inerentes à prevenção contra incêndios tais como:, alvarás, habite-se, vistorias ou perícias, estes serviços sejam solicitados junto a SAT- Seção de Atividades Técnicas do Corpo de Bombeiros Militar ou de preferência no site www.cbm.sc.gov.br/serviços.

Para realização dos serviços é necessário protocolar os documentos , conforme as orientações emanadas junto a própria SAT.

Informações adicionais para a imprensa
Krislei Oechsler
Assessoria de Imprensa 
Corpo de Bombeiros Militares de Santa Catarina - CBMSC
E-mail: ccs@cbm.sc.gov.br
Fone: (48) 3251-9614 / 98843-4427
Site: www.cbm.sc.gov.br

 


Foto: 1ºBBM

Ação integrada entre diferentes órgãos da Segurança Pública, a já tradicional Operação Veraneio de Santa Catarina é sempre planejada e organizada com meses de antecedência. Para a próxima edição, diferentes profissionais estão sendo treinados para reforçar o efetivo que vai atuar ao longo de toda temporada, especialmente no período de maior movimento nas praias catarinenses.

>>> Galeria de fotos

A logística necessária envolve todas as forças da Secretaria de Segurança Pública (SSP), que trabalham com o objetivo de promover o bem-estar e a segurança de moradores, turistas e veranistas que visitam algumas das regiões do Litoral catarinense, com mais de 560 quilômetros de praias e baías com balneabilidade que atraem pessoas do mundo inteiro. Para esta próxima edição, a Operação Veraneio 2017/2018 vai abranger 34 cidades, com 167 locais monitorados, entre praias, represas ou estâncias hidrominerais.

O período de cobertura da Operação Veraneio envolve três momentos diferentes, divididos de acordo com o movimento de pessoas nas áreas monitoradas. A pré-temporada começa nesta quinta-feira, 5 de outubro, com ênfase na atuação do Corpo de Bombeiros. A alta temporada vai de 15 de dezembro de 2017 até 4 de março de 2018, com o maior reforço de pessoal, por todos os órgãos da Segurança Pública. E ainda existe trabalho na pós-temporada, que vai de 5 de março até 15 de abril do próximo ano. Nos períodos de pré e pós-temporada, equipes do Corpo de Bombeiros Militar permanecem nas áreas mais estratégicas, em continuidade com os serviços de guarda-vidas, e a Polícia Militar segue com atuação mais seletiva e estratégica nos fins de semana e feriados.

Para o período de alta temporada, os diferentes órgãos da segurança pública ganham reforço no efetivo. O comandante do Corpo de Bombeiros Militar, coronel Onir Mocellin, explica que a corporação trabalha no monitoramento, orientação e salvamentos aquáticos, realizados em praias e balneários. Para isso, há um reforço nesses locais com efetivo próprio do Corpo Bombeiro Militar e com guarda-vidas civis, voluntários que são treinados e atuam temporariamente para execução das atividades, recebendo ajuda de custo. 

Em setembro, em Florianópolis, finalizaram o curso de recertificação guarda-vidas civis que já haviam atuado em temporadas passadas. Foram recertificados 206 guarda-vidas civis que agora estão prontos para atuar na nova operação. Nas próximas semanas, ainda serão realizados cursos com voluntários interessados em atuar pela primeira vez como guarda-vidas.

Em toda a área de cobertura, a previsão é que nesta temporada atuem temporariamente em Santa Catarina cerca de 1,4 mil guarda-vidas civis e que sejam movimentados outros 200 bombeiros militares, para cumprimento das escalas em praias e balneários.

No policiamento, como uma das novidades previstas para este ano, a Diretoria de Integração da Secretaria de Estado da Segurança Pública trabalha em parceria com a província de Misiones, na Argentina, e o Ministério das Relações Exteriores, em uma iniciativa que prevê a participação de policiais argentinos em operações nas cidades de Florianópolis e em Balneário Camboriú. Os trâmites para garantir a parceria ainda estão em andamento.

Mas além da expectativa do reforço internacional, a Polícia Militar está promovendo desde abril curso para formação de mais de 900 novos policiais, que já participarão da Operação Veraneio. Na Polícia Civil, também há equipe em treinamento: são 142 agentes de polícia e 47 delegados que estão na reta final dos cursos de formação na Academia da Polícia Civil. Depois de formados, eles atuarão em delegacias situadas em cidades do Litoral ao longo da alta temporada.

Para o secretário de Estado da Segurança Pública, César Augusto Grubba, a meta é repetir o sucesso da operação anterior, quando o registro de ocorrências ficou dentro da normalidade. “Tudo isso se deve à união das forças e ao reforço que recebemos na Operação Veraneio, em especial ao nosso projeto de recomposição dos efetivos”, avalia.

Informações adicionais para a imprensa:
Alexandre Lenzi
Assessoria de Imprensa Secom
E-mail: lenzi@secom.sc.gov.br
Telefone: (48) 3665-3018 / 98843-4350

João Carlos Mendonça Santos
Assessoria de Imprensa SSP
E-mail: imprensa@ssp.sc.gov.br
Telefone: (48) 3665-8183 / 98843-7615

Krislei Oechsler
Assessoria de Imprensa Corpo de Bombeiros 
E-mail: ccs@cbm.sc.gov.br
Telefone: (48) 3665-8426 / 98843-4427


Foto: Defesa Civil/Divulgação

O mau tempo causou estragos em Santa Catarina, neste domingo, 1º de outubro. Chuva, granizo e vendaval deixaram danos nos municípios de Chapecó, Dionísio Cerqueira, Concórdia, Itá, Seara, São Lourenço do Oeste, Campos Novos, Faxinal dosGuedes, Jardinópolis, Palmitos e Bom Retiro, conforme dados da Defesa Civil até as 8h desta segunda-feira, 2. 

O secretário-adjunto da Defesa Civil, tenente-coronel Fabiano de Souza, disse que o temporal que aconteceu é característico da primavera e que o principal fator da destruição, especialmente na região Oeste, não foi a chuva, mas a precipitação de granizo. "As equipes da Defesa Civil iniciaram os trabalhos ainda no domingo, com levantamentos dos danos e assistência humanitária com a distribuição de lonas. Os serviços continuam nesta segunda. Temos a informação que os municípios mais atingidos foram Chapecó e Dionísio Cerqueira”, afirmou.

>>> Semana será com sol e temperatura mais baixa em Santa Catarina

Em Chapecó, por volta das 16h30, a chuva de granizo e os fortes ventos atingiram, principalmente, os bairros Grande Efapi, Jardim América, São Cristovão, Santo Antônio, Alvorada, Eldorado, Bela Vista, Saic, Presidente Médici e Centro. Dados preliminares da Defesa Civil mostram que 395 famílias foram atingidas no município, 15 árvores caíram e três empresas foram danificadas. Em Dionísio Cerqueira, ainda está sendo feito o levantamento dos danos.

Em Jardinópolis, o mau tempo danificou 25 residências e um galpão caiu. Em São Lourenço do Oeste, ventos fortes e granizo deixaram estragos na Linha Santana do Bela Vista. Ainda foram verificados estragos em prédios públicos, escolas, igreja, ginásio e outras propriedades.

Ainda no Oeste, em Palmitos, um vendaval atingiu o barracão do parque de máquinas da prefeitura, causando destelhamento parcial. Em Concórdia, uma residência foi parcialmente danificada e, em Itá, houve estragos em uma casa, chiqueirões, aviários e galpões. Na SC-283, em Seara, o trânsito está em meia-pista por causa de um deslizamento de rochas.

Em Campos Novos, cinco residências tiveram danos e, em Faxinal do Guedes, dez casas foram prejudicadas. Em Bom Retiro, um poste quebrou com a força do vento, porém não houve destelhamentos. Outros municípios no estado também registraram chuva, ventos e granizo, porém sem danos.

O tenente-coronel Fabiano de Souza solicitou que a população acompanhe as orientações passadas pela Defesa Civil, como alertas e boletins informativos. Durante a ocorrência de qualquer desastre, a orientação é procurar um local seguro, não transitar em áreas abertas e acionar a Defesa Civil do município.

Radar do Oeste

O secretário-adjunto explica que o radar meteorológico instalado em Chapecó é o pontapé inicial para o processo de monitoramento e alerta, fundamental para antecipar a informação da ocorrência. Porém, é necessária a parceria de toda a comunidade e dos veículos de comunicação para a disseminação das informações. “Além do radar, temos uma série de outras tarefas para aprimorar cada vez mais. Uma delas é a comunicação. A informação que o radar passa e a análise dos meteorologistas precisam chegar até a população. Para isso, pretendemos implantar o serviço de SMS na região até o final do ano, com a liberação da Anatel", disse.

O serviço de SMS é um projeto-piloto de Santa Catarina para envio de alerta via mensagem de celular. Com coordenação da Secretaria de Estado da Defesa Civil, o objetivo é informar a população sobre situações de desastres e emergências. Em um primeiro momento, foram selecionados 20 municípios para participarem do projeto-piloto. "Em Itapiranga, por exemplo, o serviço já está funcionando, e os moradores receberam as informações por meio de mensagens. Estamos buscando para melhorar este sistema. Apesar de tudo, o radar de Chapecó cumpriu com o esperado”, explicou Fabiano de Souza.

Recomendações da Defesa Civil

Tempestades com descargas elétricas (raios), ventos fortes e granizo: Proteja-se em local abrigado, longe de placas, de árvores, de postes de energia e de objetos que podem ser arremessados. Se não encontrar um abrigo, agache-se com os pés unidos, com a cabeça encostada em seu peito ou entre os joelhos e as mãos cobrindo suas orelhas ou apoiadas em seus joelhos. Se estiver na praia, jamais fique na água. Não olhe para o raio. Se estiver em casa ou qualquer outro local abrigado, desligue os aparelhos eletrônicos, não use o telefone e fique longe das janelas. O banheiro em alvenaria é o melhor local durante uma tempestade.

Alagamentos/inundações: Evite o contato com as águas e não dirija em lugares alagados. Evite transitar em pontilhões e pontes submersas e cuidado com crianças próximas de rios e ribeirões.

Deslizamentos de terra: Deve ser observado qualquer movimento de terra ou rochas perto de residências, inclinação de postes e árvores e rachaduras em muros ou paredes. Neste caso, é recomendável que a família saia de casa e acione a Defesa Civil Municipal pelo 199 ou Corpo de Bombeiros pelo 193.

Recomenda-se o permanente acompanhamento dos boletins e informações através dos sites da Defesa Civil e Epagri/Ciram.

Celesc trabalha para recuperar energia no Oeste

Os ventos de aproximadamente 114km/h que atingiram as regiões Oeste, Meio-Oeste e Extremo-Oeste catarinense no domingo causaram destelhamento de centenas de casas e provocaram danos ao sistema elétrico da Celesc. O temporal, associado a descargas atmosféricas e granizo, provocou o desligamento de subestações e o rompimento de cabos. No pico do problema, aproximadamente 60 mil unidades consumidoras ficaram sem luz. As cidades de Dionísio Cerqueira, Campo Erê, São Lourenço, Palmitos, Itapiranga, Xanxerê, Pinhalzinho, Quilombo e Concórdia foram as mais afetadas.

As equipes trabalharam desde a passagem da tempestade para a recuperação do sistema. Até as 10h desta segunda-feira, aproximadamente 50 equipes da Celesc e de empreiteiras estão nas regiões atingidas providenciando os reparos necessários. A previsão é que a maior parte das unidades consumidoras tenha o abastecimento normalizado até o final do dia desta segunda-feira. O término dos trabalhos, se não houver novos eventos, está previsto para o final de terça-feira, 3. Em Chapecó, aproximadamente cinco mil unidades consumidoras estão sem energia. Já em São Miguel do Oeste, são pouco mais de duas mil unidades sem energia.

>>> Mais informações sobre o volume de ocorrências na ferramenta Em Tempo Real

Contato com a Celesc

O cliente pode enviar um SMS para o número 48196 com a mensagem SEM LUZ + o número da Unidade Consumidora, relatar a falta de energia pelo site ou ligar para o Call Center no telefone 0800 48 0196.

>>> Saiba como o sistema da Celesc trabalha em situações adversas

Informações adicionais para a imprensa:
Elisabety Borghelotti
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: bety@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3018 / 98843-5460
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC


Fotos: Jaqueline Noceti / Secom

Como será a integração dos serviços de atendimento do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina (CBMSC) em conjunto com o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi tema de coletiva com a imprensa, nesta quinta-feira, 28, no Centro Administrativo da Segurança Pública, em Florianópolis. Participaram o secretário de Estado da Saúde, Vicente Caropreso; o comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar, coronel BM Onir Mocellin; e o gerente Estadual do Samu, Coronel João Batista Cordeiro Júnior.

Algumas mudanças já começaram, mas o sistema deverá estar totalmente integrado em maio de 2018. O novo modelo definido foi aprovado pela Comissão Intergestora Bipartite (CIB), que integra gestores da saúde do Estado e municípios.


A única foto da ocorrência foi tirada quando a criança estava estabilizada e com a equipe de suporte avançado do Samu -  Foto: Soldado BM Zonato / CBMSC 

Entre todas as felicitações pelo dia 26 de setembro, dia do Bombeiro catarinense, uma foi mais que especial: salvar uma vida. Passava das 13h, de terça-feira, 26, quando um casal em pânico entrou no Centro de Ensino Bombeiro Militar, no Bairro Trindade, em Florianópolis. Nos braços, o filho de um ano e três meses, inconsciente e em parada cardiorrespiratória (ausência de pulso cardíaco e de respiração), já aparentando cianose (extremidades da boca, dos olhos e dedos das mãos e pés na cor roxa).

Ao se aproximar do casal, a aluna sargento Krueger recebeu a criança e a levou para dentro de uma sala do Centro de Ensino. Imediatamente, ela começou a fazer o procedimento de reanimação cardíaca e respiratória. Ao lado dela, estavam os sargentos BM Amorim e Jacymir. Nas primeiras compressões torácicas e ventilações a criança voltou a ter pulso, a respirar e logo abriu os olhos.