Compartilhe


Fotos: Thobias Leôncio Rotta Furlanetti/SPG

Santa Catarina passa a contar com uma nova ferramenta de prevenção contra desastres naturais. A entrega dos Mapas de Setorização de Riscos aos municípios catarinenses foi realizada nesta terça-feira, 5, em Florianópolis. Com coordenação da Defesa Civil e da Secretaria de Estado do Planejamento (SPG), o trabalho foi desenvolvido nos últimos seis meses por técnicos da Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM) e resultou na identificação das áreas suscetíveis à inundação e à movimentação de massa em 100% dos municípios de Santa Catarina. 

O evento, que reuniu representantes de diferentes cidades no Centro Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cigerd) da Capital, contou com a presença do secretário da Defesa Civil, Rodrigo Moratelli, e do procurador-geral adjunto para Assuntos Administrativos da PGE, Francisco José Guardini Nogueira. O Mapa de Setorização é apenas a primeira parte do diagnóstico de risco a ser desenvolvido no Estado. O convênio entre Governo de SC e CPRM conta com investimento de R$ 4,7 milhões e ainda compreende a elaboração e a entrega de cartas de suscetibilidade, mapeamento de Perigo e Risco baseado na metodologia desenvolvida com o governo japonês no Projeto Gides (Projeto de Fortalecimento da Estratégia Nacional de Gestão Integrada de Riscos e Desastres) e modelagem de suscetibilidade.

“A ideia é que o projeto atenda demandas que vão além da Defesa Civil do Estado, com o uso pelo municípios e outras áreas de planejamento e gestão territorial”, disse o engenheiro cartográfico da SPG, Thobias Leôncio Rotta Furlanetti.



Trabalho inédito no Brasil

Pela primeira vez no Brasil, serão aplicados os aspectos metodológicos preconizados no manual de mapeamento do Projeto Gides em municípios-pilotos: Braço do Norte, Santo Amaro da Imperatriz, Guaramirim, Rio do Sul e Herval d’Oeste. Essas cidades têm características geológicas distintas e representam diferentes regiões de SC.

O objetivo geral do mapeamento em todo o Estado é criar uma base de dados com informações precisas para prevenção de desastres. Assim, Santa Catarina será o primeiro Estado brasileiro com diagnóstico completo sobre as áreas suscetíveis a desastres naturais, como deslizamentos, quedas de blocos e inundações e das áreas de risco alto e muito alto.

A identificação dos riscos geológicos e hidrológicos, especialmente em áreas habitadas, permitirá a ação preventiva, que pode ocorrer por meio da incorporação das informações nos planos diretores evitando ocupações irregulares, bem como a possibilidade, em áreas de risco já habitadas, de emitir alertas mais precisos, protegendo a vida da população.

Serviços realizados durante o mapeamento

- Setorização de risco geológico alto e muito alto frente a movimentos de massa e eventos destrutivos da natureza geológica, em nível muito alto e alto;

- Elaboração de pré-cartas de suscetibilidade a movimentos gravitacionais de massa e eventos de natureza hidrológica (enchentes, inundação e enxurrada, em 238 municípios;

- Mapeamento de perigo de acordo com a metodologia do Projeto Gides para 5 municípios-pilotos (Braço de Norte, Santo Amaro da Imperatriz, Guaramirim, Rio do Sul e Herval do Oeste);

- Elaboração de cartas finais de suscetibilidade a movimentos gravitacionais de massa e eventos de natureza hidrológica (enchente, inundação e enxurrada) para 40 municípios.

Mais informações para a imprensa:
Mauren Rigo
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado do Planejamento - SPG
Fone: (48) 3665-3319 / 99186-9740
E-mail: mauren@spg.sc.gov.br
www.spg.sc.gov.br
www.facebook.com/PlanejamentoSC
@PlanejamentoSC