O governador Raimundo Colombo, como presidente do Conselho de Desenvolvimento e Integração Sul (Codesul), promove nesta segunda-feira, dia 19, das 11h às 14h30min, reunião do grupo na sede da Fiesc, em Florianópolis. Participam o governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, e os vice-governadores do Paraná, Flávio José Arns, e do Mato Grosso do Sul, Simone Tebet. Também estarão presentes o presidente do BRDE, Carlos Henrique Horn, e o presidente da província argentina do Chaco, Jorge Milton Capitanich. O presidente da Fiesc, Glauco José Côrte, será o anfitrião da reunião. Em pauta, o aumento e melhora na distribuição de gás natural na região Sul, a assinatura de um protocolo de cooperação conjunta na defesa sanitária, a criação de um órgão de planejamento e gestão para a região Sul, entre outros temas. Às 12h, os governadores e vices concederão uma entrevista coletiva.

Gás Natural

Os quatro estados do Codesul são atendidos exclusivamente pelo Gasoduto Bolívia-Brasil (GASBOL), que limita a capacidade de operação para o Sul do país em 12 milhões metros cúbicos diários de gás natural. Atualmente a região opera no limite de sua capacidade de oferta. Segundo informações da Transportadora do Gasoduto Bolívia-Brasil (TBG), em janeiro de 2013, foi registrado a distribuição de 95,9% da capacidade de transporte.

"A falta de mais suprimento de gás natural engessa o desenvolvimento da indústria de toda a região, que é a alavanca da economia do Sul do Brasil. Se não solucionado o problema, corremos o risco de observar sérios danos ao desenvolvimento econômico de nossa região", alerta o presidente da SCGÁS, Cósme Polêse. No encontro desta segunda, os governadores assinarão ofício endereçado à Petrobras, solicitando a ampliação da oferta e o acesso aos estudos da empresa que apontam as alternativas de ampliação da capacidade de fornecimento de gás aos estados do Codesul. Entre as soluções sugeridas pelo grupo, baseadas em estudo da UFRJ, estão a ampliação da capacidade de transporte do GASBOL e a implantação de um terminal de regaseificação de Gás Natural Liquefeito (GNL) em um dos portos do Sul do Brasil.

Defesa Sanitária

Os órgãos de vigilância sanitária animal e vegetal dos membros do Codesul lançaram a proposta de compartilhar a estrutura física das barreiras sanitárias das divisas entre os estados para operações de emergência e promoção de ações conjuntas entre Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul.

No encontro desta segunda, os governantes assinam o protocolo de cooperação que vai regulamentar a medida e colocar o acordo em prática. Segundo o presidente da Cidasc, Enori Barbieri, a parceria também permitirá que uma equipe de um Estado possa entrar até 12 quilômetros no Estado vizinho para trabalhos de vigilância sanitária animal e vegetal. “Será criada uma área comum para trabalhos mais urgentes”, explica. Hoje, apenas Santa Catarina conta com mais de 60 barreiras sanitárias em operação.

Região Sul

Os representantes dos estados do Codesul também vão debater a proposta de recriação de um grupo dentro dos moldes da extinta Superintendência de Desenvolvimento da Região Sul (Sudesul). A proposta é que o grupo articule com o Governo Federal os investimentos na região, principalmente em infraestrutura e logística, com destaque em um primeiro momento para a construção de novas ferrovias, explica o secretário de Estado de Planejamento de SC, Murilo Flores.

Nesta segunda-feira, os governantes estruturam um documento a ser enviado para a presidente Dilma Rousseff oficializando a proposta, que já recebeu sinal positivo do Ministério da Integração Nacional. O secretário Flores destaca, no entanto, que a medida prevê uma estrutura bastante enxuta e eficaz, podendo inclusive funcionar dentro de outro órgão, como o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE).

Serviço
O quê: coletiva com os governadores do Codesul
Quando: segunda-feira, dia 19, às 12h
Onde: sede da Fiesc, no bairro Itacorubi, em Florianópolis

{text}

Três cidades da região do Vale do Itajaí foram beneficiadas, nesta sexta-feira, com o Badesc Cidades Juro Zero, programa lançado no começo do ano para incentivar o desenvolvimento dos municípios catarinenses. O governador Raimundo Colombo assinou contratos de financiamento com 100% dos juros subsidiados pelo governo do Estado em Apiúna, José Boiteux e Vidal Ramos.

Colombo também entregou a ordem de serviço, no valor de R$ 26,4 milhões, para a revitalização da SC-110, entre Ituporanga e Imbuia.

Apiúna
O primeiro compromisso foi no Centro de Eventos de Apiúna, que recebeu R$ 2,5 milhões. No município, o governador e opresidente do Badesc, João Paulo Kleinübing, assinaram o primeiro contrato na nova modalidade do programa, num total de R$ 1 milhão. Para o governador, esta é uma grande oportunidade para os municípios. “Com este financiamento, o Estado paga o juro, enquanto a cidade tem um ano de carência, além de três anos para pagar e sem correção”.

apiuna 20130816 1800288172
Foto: Antônio Carlos Mafalda/Secom

Colombo ainda anunciou o repasse de R$ 1,5 milhão pelo Fundam. “O Estado também cuida de grandes obras, mas as prefeituras perderam a capacidade de investimento de obras pequenas, por isso, nós precisamos ajudá-las. Esse dinheiro pode ser usado em uma praça, para comprar máquinas ou para ampliar uma creche, por exemplo. São obras menores, mas que, no conjunto, fazem toda a diferença”.

O prefeito de Apiúna, Nicanor Morro, explicou que o recurso do Programa Badesc será usado na aquisição de dois caminhões caçamba e de uma patrola. “Quanto à verba do Fundam, vamos reunir as lideranças para dar o melhor encaminhamento. Já sabemos que R$ 400 mil serão usados na reforma da praça do Posto Fiscal”.

José Boiteux
Por volta das 11h, Colombo seguiu para José Boiteux, onde fechou contrato com o Badesc Cidades no valor deR$ 499,9 mil para a compra de dois caminhões basculantes. O governador ainda anunciou recurso de R$ 1 milhão pelo Fundam. O secretário de Desenvolvimento Regional de Ibirama, Roberto Ferrari, e autoridades locais acompanharam as solenidades.

Vidal Ramos
No início da tarde, por volta das 13h, R$ 500 mil foram repassados, também por meio do Badesc Cidades Juro Zero, para a prefeitura de Vidal Ramos, no Alto Vale do Itajaí, na presença do secretário de Estado de Desenvolvimento Regional de Ituporanga, Elia Souza, e do secretário de Infraestrutura, Valdir Cobalchini.

A verba será investida em um ônibus para transporte escolar e em uma pá carregadeira. Ainda na mesma solenidade, que aconteceu no Anfiteatro Municipal Tranquilo Dognini, Colombo entregou a ordem de serviço para restauração da SC-110, dentro do Pacto por SC. “É uma obra praticamente nova. Devido ao alto fluxo de veículos pesados por causa de uma fábrica de cimento, a estrada se deteriorou. É uma obra urgente”.

A obra inclui o trecho de Ituporanga até o entroncamento com a SC-281. Serão 16 quilômetros de restauração completa do pavimento, construção de terceiras faixas e eliminação de pontos críticos entre os dois municípios. A empresa responsável pela execução da obra da rodovia será a Terraplanagem e Transportes AZZA Ltda, vencedora do processo licitatório no valor total de R$ 26,4 milhões. Os recursos para a execução da obra estão garantidos pelo Governo do Estado e são provenientes de financiamento junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), através do Programa BID V. O prazo estimado para a execução do projeto de revitalização, depois de iniciado, é de aproximadamente 18 meses.

Mais informações
Qualquer informação adicional pode ser obtida por meio do telefone da redação da Secom/SC no (48) 3665-3006 ou com a assessora Mauren Rigo, que acompanha o governador. O celular do assessor é (48) 9145-6761. Outros contatos e informações do Governo estão disponíveis na página Sala de Imprensa. As fotos também estão disponíveis na página Galeria de Fotos e são de uso livre da imprensa. Para pedidos de fotos ou outro material de imagens, favor enviar no  fotografia@secom.sc.gov.br ou diretamente pelo telefone (48) 3665-3013.

Estamos à disposição.

Durante o mês de julho, o Programa Juro Zero destinou R$ 2,7 milhões em 960 operações de microempreendedores individuais de Santa Catarina. Desde sua implantação, há quase dois anos, o programa já atingiu a marca de R$ 45,5 milhões em empréstimos em 16.245 operações.

As regiões com o maior número de movimentação financeira em julho, por meio das instituições de microcrédito foram Florianópolis, com quase R$ 540 mil; São Miguel do Oeste, com R$ 390 mil; Blumenau, com R$ 226 mil; e Lages, com R$ 216 mil. O principal benefício é isenção dos juros para quem paga as sete primeiras parcelas em dia.

A maior parte dos empréstimos é solicitada por vendedores autônomos e prestadores de serviço. “O objetivo agora é ampliar o benefício para as microempresas, com empréstimos de R$ 15 mil a R$ 100 mil. A expectativa é de iniciar as operações ainda este ano”, salienta o presidente da Agência de Fomento de Santa Catarina (Badesc), João Paulo Kleinübing.

O secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDS), Paulo Bornhausen, destaca o sucesso do programa a anuncia outras novidades. “Já ultrapassamos a primeira meta, que era de 10 mil operações. Agora, vamos levar o Juro Zero para dentro das agências do Sine de todo o estado. Como registrou o principal jornal de economia do país, o Valor Econômico, em sua edição de 30/07, este é o maior programa de inclusão social do estado. O próprio Valor é que afirma: é modelo para o país”.

Além do empréstimo, os microempreendedores com faturamento bruto anual de até R$ 60 mil, recebem uma consultoria em gestão e inovação do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Santa Catarina (Sebrae/SC). Para o diretor de administração e finanças da instituição, Sérgio Cardoso, o acompanhamento de consultores do Sebrae/SC é fundamental para que o recurso seja bem aplicado. "O programa é inovador por isso: oferece crédito sem juros e consultoria gratuita para que o empresário otimize ao máximo esse aporte", sustenta. O Juro Zero também tem o apoio da Associação das Organizações de Microcrédito de Santa Catarina (Amcred/SC).

Saiba como se beneficiar do Programa Juro Zero.

Mais informações:
Fones: (48) 3027-6000/ 9125-7623

Lançado no início do ano para incentivar ainda mais o desenvolvimento dos municípios catarinenses, o Badesc Cidades Juro Zero é uma oportunidade para que as prefeituras ampliem investimentos para melhorar a qualidade de vida. Nesta sexta-feira (16), o Governador Raimundo Colombo e o presidente do Badesc, João Paulo Kleinübing, estarão no Vale do Itajaí para assinar três contratos de financiamento nesta modalidade, com 100% dos juros subsidiados pelo Governo do Estado.

A primeira cerimônia será em Apiúna, a partir das 9h40, no Centro de Eventos. O município receberá R$ 1 milhão para aquisição de caminhões. Na sequência, às 10h40, a prefeitura de José Boiteux recebe R$ 499,9 mil que serão investidos na compra de dois caminhões basculantes. O secretário de Desenvolvimento Regional de Ibirama, Roberto Ferrari, e autoridades locais acompanham as solenidades.
No início da tarde, por volta das 13h, um recurso de R$ 500 mil será repassado, também por meio do Badesc Cidades Juro Zero, para a prefeitura de Vidal Ramos, na presença do secretário de Estado de Desenvolvimento Regional de Ituporanga, Elias Souza. A verba será investida em um ônibus para transporte escolar e em uma pá carregadeira. Ainda na mesma solenidade, que acontece no Anfiteatro Municipal Tranquilo Dognini, Colombo entrega a ordem de serviço para restauração da SC-110, no trecho entre Imbuia e Ituporanga.

“Os recursos do Badesc Cidades Juro Zero também podem ser utilizados pelas prefeituras em obras de saneamento básico, pavimentação asfáltica, construção de escolas, postos de saúde e demais obras de infraestrutura urbana. Ao longo do ano, são R$ 350 milhões no total à disposição de todos os municípios catarinenses, sem encargos”, explica Kleinübing.

Mais informações:
Fones: (48) 3027-6000/ 9125-7623

 

 

O secretário executivo do Movimento Nós Podemos Santa Catarina (MNPSC) e secretário adjunto do Nós Podemos Brasil, Odilon Luís Faccio, participaram, esta semana, da 9ª alternância do programa SC Rural, realizada no Centro de Treinamento da Epagri (Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de SC).  A iniciativa é uma ação da Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca, em parceria com a Secretaria de Turismo, Cultura e Esporte (SOL), além de outros órgãos do Estado. Participaram da capacitação 22 jovens entre 16 e 29 anos de três cidades catarinenses: Major Gercino, Angelina, Leoberto Leal.

movimento nos podemos santa catarina 20130815 1319343593
Foto: SOL/Divulgação

O movimento nacional Nós podemos propõe-se a promover a Declaração o Milênio, cujos objetivos estão alinhados com as metas do programa SC Rural. A declaração é uma agenda global de desenvolvimento com oito objetivos e diversas metas a serem atingidas até 2015 por 191 países-membros da Organização das Nações Unidas (ONU). Na visão de Faccio, os objetivos do milênio podem ser entendidos como um caminho em direção à sustentabilidade: “O mundo tem jeito. Se temos uma boa causa, basta trabalhar junto que a gente consegue”, afirmou aos jovens. Além da SOL, duas outras secretarias de Estado integram o movimento ‘Nós podemos’: a Secretaria de Assistência Social, Trabalho e Habitação e a Secretaria de Desenvolvimento Econômico Sustentável.

A SOL participa do programa oferecendo capacitação aos jovens rurais, com o objetivo de apresentar o turismo rural como uma alternativa de geração de renda para evitar o êxodo rural. O módulo de turismo rural do projeto contempla temas como empreendedorismo, dinâmicas das regiões turísticas e turismo sustentável.

A 9ª etapa da capacitação acontece até quarta-feira e é ministrada pela analista de turismo da Gerência de Políticas de Turismo, Greyce Umeki Hanashiro. Na ocasião, a Analista de Turismo do Sistema Estadual de Incentivo à Cultura, ao Turismo e ao Esporte (SEITEC), Daniela Nunes e Castro, fez uma apresentação sobre o Turismo Sustentável e a Infância. Em sua fala, Daniela destacou as ações da Secretaria para lutar contra o turismo com fins de exploração sexual.

A Analista de Relações Internacionais SOL, Ariane Emí Nakamura, destaca a importância de abordar os Objetivos do Milênio esta semana no SC Rural, já que o evento foi a única atividade realizada no Brasil selecionada pela Divisão de Políticas para a Juventude da ONU para integrar o mapa de eventos que marcaram o Dia Internacional da Juventude, celebrado em 12 de agosto. O tema escolhido foi “Migração e desenvolvimento”. O mapa pode ser acessado aqui.

Ana Paula Flores
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Turismo, Cultura e Esporte
(48) 3665-7435

A Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca comemora a reação da suinocultura em Santa Catarina. A cotação do animal vivo sobe em todas as regiões, a Associação Catarinense de Criadores de Suínos (ACCS) aponta que o produtor recebe R$ 2,70 por quilo de peso vivo, e a Bolsa de Suínos rejustou em R$ 2,85 por quilo. O aumento é devido à movimentação do mercado das carnes no país, ação desenvolvida pelo Governo do Estado e as exportações.

O secretário de Estado da Agricultura e da Pesca, João Rodrigues, destaca a importância das medidas adotadas pelo Governo do Estado para dar suporte aos produtores enquanto enfrentavam a crise na suinocultura no ano passado e a conquista do mercado japonês à carne suína neste ano. “O Governador Raimundo Colombo solicitou aumento na utilização de carne suína nas refeições oferecidas pelo Estado nas escolas, abrigos e centros de atenção social, hospitais e nos presídios, e as primeiras exportações da carne suína catarinense ao mercado japonês já iniciaram”, completou Rodrigues.

O secretário defende que a abertura de mercados como o japonês representa um grande passo para garantir estabilidade para a suinocultura catarinense, setor que nos últimos anos passou por diferentes momentos de crise diante do alto custo de produção e da oscilação dos preços pagos aos produtores. A entrada da carne suína catarinense foi autorizada pelo governo japonês em maio deste ano. Em junho, o governador Raimundo Colombo e o secretário João Rodrigues estiveram em Tóquio para oficializar a parceria histórica.

Oito frigoríficos de cinco empresas foram habilitados a exportar carne suína ao mercado japonês nesta etapa: BRF (com as unidades de Campos Novos e de Herval D’Oeste), Seara (unidades de Seara e de Itapiranga), Pamplona (Rio do Sul e de Presidente Getúlio), Aurora (Chapecó) e da Sul Valle (São Miguel do Oeste). Os primeiros embarques foram enviados em julho e chegam ao Japão no final deste mês.

Entrevista com o secretário-adjunto de Estado da Agricultura e da Pesca, Airton Spies:

  Baixar áudio

A Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca promove nesta terça-feira (13), no Centro de Cultura e Eventos Plínio Arlindo de Nês, em Chapecó, a partir das 19h, o painel “Qualidade da Carne Suína Catarinense e o Mercado Japonês", que será ministrado pelo adido agrícola na Embaixada do Brasil em Tóquio (Japão), Gutemberg Barone de Araújo Nojosa, na abertura da sexta edição do Simpósio Brasil Sul de Suinocultura. O evento será realizado de 13 a 15 de agosto.

O simpósio é considerado um dos mais importantes eventos técnicos de suinocultura com a missão de debater tendências e antecipar temas e tecnologias relacionadas à produção de suínos. Vão participar do painel, além do adido agrícola do Brasil na Embaixada em Tóquio, o secretário de Estado da Agricultura e da Pesca, João Rodrigues, o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (Faesc), José Zeferino Pedrozo, o presidente da Associação Brasileira da Indústria Produtora e Exportadora de Carne Suína (Abipesc), Rui Vargas, e o presidente da Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc), Enori Barbieri.

“Com a habilitação de frigoríficos catarinenses para exportar para o Japão, agroindústrias e técnicos estão atentos às exigências desse cobiçado mercado, por isso, a importância desse evento para o setor”, destaca o secretário João Rodrigues. O acesso ao painel de abertura do simpósio é gratuito.

As novas perspectivas mundiais com a abertura de novos mercados também serão apresentadas pelos convidados. Durante os três dias do simpósio, promovido pelo Núcleo Oeste de Médicos Veterinários e Zootecnicas (Nucleovet), com a presença de palestrantes nacionais e internacionais. Uma das apostas do simpósio será a palestra "Perspectivas Mundiais para a Carne Suína Brasileira: Mitos e Fatos" com Rui Vargas, presidente da Abipecs. Vargas abordará os reflexos no país com a abertura de novos mercados como o Japão, que passará a comprar carne produzida em Santa Catarina.

Maior importador mundial do produto, o Japão compra cerca de um 1,2 milhão de toneladas por ano. Atualmente, Santa Catarina é o único Estado brasileiro que pode vender carne suína ao país japonês, pois é o único livre de febre aftosa sem vacinação.

A palestra "Qualidade da Carne Suína e Fatores que a Influenciam" será apresentada pela professora Dra. Ana Maria Bridi. Para a especialista, as etapas da cadeia produtiva devem ser normatizadas e certificadas para garantir a padronização do produto e satisfazer os novos conceitos de qualidade que foram incorporados recentemente, como a segurança alimentar e o respeito dos sistemas de produção ao bem-estar do homem, dos animais e pelo ambiente.

Entre os temas técnicos, destaque para "Disenteria Suína: Situação brasileira", "Disenteria Suína Controle e Erradicação", "Análises de Resíduos Veterinários e Contaminantes em Carnes" e "Atualizando o Manejo Nutricional de Matrizes Suínas Hiperprolíficas". Mais informações e a programação completa estão no site www.nucleovet.com.br.

Confira o boletim produzido pela Rádio Secom

  Baixar áudio

Confira o programa semanal com Raimundo Colombo. Veículos de comunicação podem baixar vídeo e áudio

 

vargem 20130810 1541800746

O governador Raimundo Colombo esteve em Vargem, na tarde deste sábado,10, onde visitou o prefeito e oficializou o repasse de R$ 900 mil ao município, por meio do Fundo de Apoio aos Municípios, o Fundam. Colombo ressaltou que a parceria do governo do Estado é fundamental para a realização das obras que representam as prioridades locais. “No Pacto por Santa Catarina, estão contempladas as grandes obras, e, muitas vezes, os municípios pequenos, que já enfrentam dificuldades financeiras não conseguem executar suas demandas sem os recursos que o governo está repassando a todas as cidades catarinenses”, destacou o governador. 

Durante a conversa com outras autoridades da região, o governador também explicou sobre outros programas de financiamento aos quais os gestores podem ter acesso para fazerem investimentos. Entre elas, está o Badesc Cidades - o programa, lançado no mês de fevereiro, oferece financiamentos de médio e longo prazo para ações de melhorias de infraestrutura e de serviços nas cidades catarinenses, promovendo o crescimento econômico com geração de emprego e renda. Neste ano, estão disponibilizados R$ 350 milhões, com 100% dos encargos subsidiados pelo governo do Estado.

De acordo com o prefeito de Vargem, Nelson Gasperin Junior, os R$ 900 mil liberados pelo Fundam serão aplicados na execução de duas ações prioritárias, uma delas é a pavimentação da principal rua do município, a Benjamin Margotti, na área central. O projeto contempla não só o asfalto, mas a urbanização do trecho e a implantação de passeios públicos. O restante do recurso será investido na aquisição de maquinário para o trabalho de manutenção das estradas vicinais, já que a base da economia do município vem da produção agrícola.

vargem 20130810 1547866463

{text}

O governador Raimundo Colombo palestrou nesta sexta-feira, dia 9, para a plateia do 15º Congresso Catarinense de Rádio e Televisão, em Florianópolis, apresentando um balanço da sua gestão e destacando a importância da economia de Santa Catarina no cenário nacional. O evento, que termina nesta sexta, é uma promoção da Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e Televisão (Acaert) e tem apoio institucional do Governo do Estado. O secretário de Estado da Comunicação, Nelson Santiago, também participou do evento.

O governador abriu a palestra ressaltando a diversidade da economia catarinense, lembrando que apesar de ter apenas 1,1% do território nacional, Santa Catarina tem uma indústria com grande participação na economia nacional. Colombo citou o peso do agronegócio catarinense, ressaltando que Santa Catarina é o maior produtor de carne suína do país e o segundo maior produtor de carne de frango. Lembrou ainda que o modelo de negócio implantando nas empresas do Estado virou referência nacional, citando o caso do empresário Atílio Fontana, que fundou a Sadia, e outros exemplos de pioneirismo catarinense.

Colombo falou também dos desafios à frente do Governo do Estado. Ele apresentou dados das contas públicas, demonstrando que hoje, de cada R$ 100 arrecadados em SC, a divisão é a seguinte: R$ 25 é repassado para os municípios, R$ 25 para a educação, R$ 12 para a saúde, R$ 20 para os poderes e R$ 13 para o pagamento da dívida do Estado, sobrando R$ 5 para os demais investimentos. O governador destacou o trabalho da atual gestão para reduzir o custeio do Estado, por meio de um sistema que permite a comparação de preços de serviços e produtos com o pago em outros estados.

O governador citou exemplos práticos da economia que já está sendo feita com a troca de fornecedores, mas sempre mantendo contrato com empresas com todas as credenciais necessárias. Para realizar, por exemplo, o teste do pezinho (aplicado em recém-nascidos), o Governo do Estado gastava R$ 8,4 milhões por ano (dados de 2011), valor que passou para R$ 2,6 milhões, uma redução de 69%. O gasto com compra de medicamentos, mantendo a mesma lista e os mesmos produtos, passou de R$ 42 milhões por ano para R$ 22,2 milhões, redução de 47%. Ele lembrou ainda o trabalho da atual equipe para a renegociação da dívida com o Governo Federal, reduzindo os juros.

Outro ponto de destaque da palestra foi o programa Pacto por Santa Catarina, que vai garantir R$ 10 bilhões em investimentos no Estado. O governador ressaltou as obras em estradas catarinenses, que receberão R$ 3 bilhões, e as obras na área da saúde, onde serão aplicados R$ 500 milhões, além de investimentos que contemplam segmentos como segurança, educação, defesa civil e cultura.

Em entrevista aos jornalistas, o governador Colombo falou sobre a importância do Congresso Catarinense de Rádio e Televisão e do papel desse setor na sociedade. “Um evento como esse integra e discute modernidade, avanços tecnológicos e profissionalismo e fortalece todo o setor. Quem ganha com isso é a sociedade catarinense, todos estão de parabéns”, destacou.

{text}