Reunião no BNDES no  Rio de Janeiro - Foto: Claudio Thomas / Secom

Foi confirmada a liberação de R$ 750 milhões para a realização da segunda edição do Fundo de Apoio aos Municípios (Fundam 2). A notícia foi anunciada pelo governador Raimundo Colombo nesta quarta-feira, 23, em Brasília, após audiência com o presidente Michel Temer e o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. O tema também foi tratado pelo governador em reunião pela manhã com a diretoria do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), no Rio de Janeiro. 

“Já temos toda as autorizações e nesta quinta-feira oficializaremos a parceria em um novo encontro com a equipe do Ministério da Fazenda. O Fundam é um programa que deu muito certo na primeira edição, tem seu sucesso reconhecido e, por isso, será repetido, beneficiando mais uma vez os municípios catarinenses de forma democrática e apartidária”, destacou o governador Colombo.

O Fórum Nacional de Gestores Estaduais de Relações Internacionais (Fórum RI 27) se reunirá pela quarta vez entre os dias 29 e 30 de agosto em Belo Horizonte. A reunião será organizada pela Secretaria de Assuntos Internacionais (SAI) de Santa Catarina, que ocupa a presidência rotativa do Fórum, em parceria com a Assessoria Internacional do Governo de Minas Gerais, anfitriã do evento. A pauta colocará em debate o regimento interno do Fórum e a proposta de decreto federal para cooperação descentralizada. Também será formalizada a entrada de novos estados membros.

Segundo o secretário da SAI e presidente do Fórum RI 27, Carlos Adauto Virmond, a reunião contribuirá para a consolidação do Fórum. “O regimento interno ampliará a legitimidade do Fórum RI 27 como grupo principal de discussão sobre as formas de atuação internacional das unidades federadas brasileiras”, avaliou. Ainda de acordo com Virmond, este avanço resultará a adesão de todos os estados ao Fórum.

O Fórum RI 27 é composto por representantes dos estados do Acre, Amapá, Bahia, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Rio de Janeiro, Roraima, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e o Distrito Federal. Na reunião em Belo Horizonte serão formalizadas a entrada dos estados de Amazonas, Espirito Santo, Maranhão e São Paulo.

Dentre da atuação internacional, os entes federados brasileiros firmam cooperações técnicas com entidades de outros países. Agora, a Agência Brasileira de Cooperação pretende rever os procedimentos para o estabelecimento destas cooperações. “Os membros do Fórum RI 27 analisarão os pontos da proposta de cooperação descentralizada, e as atribuições e competências constitucionais dos entes subnacionais neste assunto para que possamos nos posicionar e dar a nossa contribuição ao Governo Federal”, prevê Virmond.

Visitas técnicas

No dia 30, a programação da reunião conta com a apresentação do governo local sobre a participação social como estratégia de governança e internacionalização de Minas Gerais. Os participantes do Fórum RI 27 também conhecerão o Startups and Entrepreneuship Ecosystem Development, projeto com modelo de fomento público único no país, pelo qual empreendimentos em fase inicial de todo o mundo são estimulados ao fazer negócios em Minas Gerais. Outro programa que será visitado é o + Gastronomia, cujo objetivo é preservar as traduções culinárias mineiras, estimulando as exportações dos produtos gastronômicos.

Na quinta-feira, 31, os representantes de Santa Catarina visitarão o parque tecnológico de Belo Horizonte BH-TEC e Associação Comercial e Empresarial de Minas, onde está prevista uma explanação sobre programa Internacionaliza BH. “Conhecer os projetos e iniciativa de internacionalização em outros estados nos ajudam a identificar formas de ampliar a internacionalização de Santa Catarina e nos mantem atualizados com as práticas da área internacional bem-sucedidas realizadas no Brasil”, concluir o secretário da SAI.

Além do secretário Carlos Adauto Virmond, a equipe da SAI na reunião é formada pela diretora de Missões, Recepções e Eventos em exercício e secretária-geral do Fórum RI 27, Alice Borba; e pelo consultor de Articulação Internacional, Rafael da Silva Paulo.

Mais informações para a imprensa:
Rafael Paulo
Assessoria de Comunicação
Secretaria Executiva de Assuntos Internacionais
E-mail: rafael@sai.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-2214 / (48) 99952-4504


Foto: James Tavares/Secom

Com a meta de levar mais tecnologia e inovação para a rotina do meio rural catarinense, foi lançado nesta terça-feira, 22, o Núcleo de Inovação Tecnológica para Agricultura Familiar (NITA). O ato, em Florianópolis, contou com a presença do governador Raimundo Colombo, do coordenador setorial para Desenvolvimento Sustentável do Banco Mundial, Paul Procee, e do secretário de Estado da Agricultura e da Pesca, Moacir Sopelsa, entre outras lideranças do setor.

>>> Galeria de fotos

“Nós temos que reconhecer o grande sucesso da agricultura familiar catarinense. E para continuar com esse sucesso, temos que dar condições para as novas gerações, oferecendo estrutura, competitividade e rentabilidade. A iniciativa do NITA contribui para projetar um futuro seguro do setor para as próximas décadas”, afirmou o governador Colombo.

O NITA funcionará como um elo entre startups e pequenas e médias empresas desenvolvedoras de inovações com as cadeias produtivas organizadas dos agricultores. A intenção é identificar quais são as demandas, onde estão os gargalos tecnológicos e se já existe uma tecnologia para atender e resolver esse aspecto. O grande desafio será levar essas tecnologias de ponta a um baixo custo para os agricultores catarinenses.

Em Santa Catarina, 90% dos produtores são agricultores familiares que, juntos, respondem por cerca de 70% de toda a produção agropecuária do estado. “Esse é um momento em que Santa Catarina mais uma vez se diferencia dos demais estados do país. O NITA vai permitir que a agricultura familiar catarinense seja ainda melhor atendida. Os polos tecnológicos estarão mais pertos do campo, ajudando a melhorar a nossa produtividade”, acrescentou o secretário Sopelsa.

O presidente da Cooper Rio Novo, Valmor Raul de Farias, destacou a importância do novo programa. A cooperativa reúne 73 cooperados, de 23 famílias, que são produtores de banana na região de Corupá. Valmor, que junto à esposa e seus dois filhos, cultiva uma área de 16 hectares, reconhece a necessidade de buscar aprimoramentos para o trabalho diário. “A agricultura tem se modificado tanto. As ferramentas mais antigas têm que ser conciliadas com as mais recentes, e o NITA vai nos ajudar a buscar essa união”, afirmou.


Lineu Del Ciampo

O otimismo também é forte entre as empresas que participarão do núcleo. Criada neste ano, a i4AGRO oferece serviços em inteligência geoespacial, como a elaboração de diagnósticos por imagens coletadas por satélites ou drones. “Vamos participar do núcleo com o objetivo de tornar o nosso serviço mais acessível para diferentes produtores. Enquanto a direção do núcleo nos ajuda com a parte burocrática e com a intermediação, nos dedicamos a fazer o que sabemos fazer melhor, que é lidar com a tecnologia”, afirma o representante da empresa, Lineu Del Ciampo.

Parceria com o Banco Mundial

O Banco Mundial é o grande apoiador do projeto, e Santa Catarina representa a América Latina em uma lista de nove iniciativas como essa ao redor do mundo. O objetivo do banco é repetir o sucesso alcançado no estado com o programa SC Rural, focado no aumento de competitividade no meio rural.

O coordenador setorial para Desenvolvimento Sustentável do Banco Mundial, Paul Procee, elogiou a trajetória catarinense no desenvolvimento do agronegócio ao longo das últimas décadas. “Santa Catarina é um exemplo para o Brasil e queremos levar o modelo do trabalho que estamos fazendo aqui também para outros países”, ressaltou.

Composição do NITA

O NITA é composto por diferentes entidades e seu conselho gestor é constituído por dirigentes das seguintes instituições: secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca (SAR), secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDS), Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri), Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc), Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Associação Catarinense de Tecnologia (Acate), Associação Polo Tecnológico do Oeste Catarinense (Deatec), Associação Catarinense de Fundações Educacionais(Acafe), Fundação Centros de Referência em Tecnologias Inovadoras (Certi) e Universidade Católica de Santa Catarina.

Informações adicionais para a imprensa:
Alexandre Lenzi
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: lenzi@secom.sc.gov.br
Telefone: (48) 3665-3018 / 98843-4350
Site: www.sc.gov.br 

Ana Ceron
Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca
E-mail: imprensa@agricultura.sc.gov.br
Telefone: (48)-3664-4417/ (48) 98843-4996
Site: www.agricultura.sc.gov.br


Fotos: Julio Cavalheiro/Secom

Em reunião com representantes do Fórum Empresarial da Acil, em Lages, na manhã desta quinta-feira, 17, o governador Raimundo Colombo, além de receber os pleitos da região, fez um relato das obras do Governo do Estado na Serra catarinense. De 2011 até agora, a região recebeu investimentos do Estado que somam quase R$ 1,5 bilhão. São pavimentações, novos prédios para a Educação, Centro de Inovação e Tecnologia, quadras esportivas e ampliações nas escolas, incentivos para aumentar a produtividade agrícola e obras na área da Saúde, como a ampliação que vai transformar o Hospital Tereza Ramos em um dos mais modernos e completos do Sul do Brasil.

Na apresentação, Colombo explicou que o Brasil atravessa uma de suas piores recessões econômicas da história, e para a maioria dos estados, que também enfrentam a queda acentuada na arrecadação, os desafios da gestão passam por fazer contas. Nesta matemática, alguns praticamente quebraram, outros atrasaram pagamentos e salários e outros ainda aumentaram impostos, na tentativa de minimizar os prejuízos. Apesar da crise, Santa Catarina vem na contramão dessa realidade com pleno equilíbrio fiscal, contas em dia e sem aumentar impostos.

“Essa decisão tem um único objetivo: proteger a sociedade, proteger quem dá emprego e fazer esse dinheiro sobrar no bolso do catarinense. Caso contrário, o supermercado não vende, o cidadão não compra, o empresário demite e a economia, que já está fragilizada, entra em colapso”, disse o governador Raimundo Colombo, durante a reunião.

Entre outros mecanismos de gestão, o Estado enxugou a estrutura pública com o fechamento de empresas que já contribuíram, mas atualmente não apresentavam bons resultados. “Ninguém gosta de fazer isso, mas a sociedade também não pode pagar o preço de manter um custo que não se justificava mais operacionalmente”, observou Colombo. A renegociação da dívida pública também ajudou o Estado, com a redução do valor mensal que era de aproximadamente R$ 90 milhões.

“Pode não ser uma obra física, mas são atitudes que, no momento de uma crise tão profunda, nos dão hoje a condição de estarmos com as contas em dia, com nenhum servidor com o salário atrasado e atuando fortemente para preservar o emprego das pessoas”, avaliou o governador.

De acordo com o relatório apresentado aos empresários lageanos, o Estado de Santa Catarina também tem realizado investimentos na região. Segundo o governador, o setor do agronegócio tem contribuído de maneira muito forte com o desempenho econômico de Santa Catarina e da Serra catarinense. Com o apoio do Estado em diversos programas de incentivo à produção rural, conseguiu ampliar a área cultivada de 86 mil hectares em 2011, para 110 mil hectares em 2017.

A safra de soja, no mesmo período, passou de 49 mil toneladas para 199,2 mil. E a produção de milho, embora a área cultivada tenha diminuído, a produtividade também aumentou com a oferta de calcário e sementes de melhor qualidade. Em 2017, a produção do grão na região foi de 264 mil toneladas. No setor madeireiro, outra vocação econômica da região, o Governo do Estado baixou o ICMs de 12% para 7,5%, para ajudar o setor a superar a crise e a queda nas exportações.

“Quem consegue produzir no campo com qualidade e tem seu produto valorizado, não vai pedir emprego na cidade, pelo contrário, vai comprar no comércio, vai pagar a faculdade do filho... A produção agrícola precisa ser incentivada, e o Governo não mediu esforços para atender o produtor e ajudá-lo a fazer mais e melhor em sua propriedade”, relatou Colombo.

Com o rebanho bovino da região de Lages, os números também são positivos. A taxa de natalidade de terneiros subiu de 50% para 80% na região. Ações para o melhoramento genético dos animais e da qualidade das pastagens também são desenvolvidas com a ajuda dos programas do Governo do Estado na região. Em outras áreas, o Estado trouxe a Lages e região oportunidades de desenvolvimento e fortalecimento da característica de município polo da Serra catarinense.

Programa Juro Zero

Como incentivo aos projetos de micro e pequenos empresários, o programa oferece empréstimos de até R$ 3 mil com os juros pagos pelo Governo. Somente no último ano, em Lages, os empréstimos ampliaram em R$ 1,5 milhão.

Gás Natural

Está em execução no Estado, a implantação da rede de 230 quilômetros que chegará até Lages trazendo o gás natural. Segundo o governador Raimundo Colombo, o investimento será fundamental para aumentar a competitividade e atrair novos investimentos para a região.

Geração do primeiro emprego

O Governo do Estado viabilizou a instalação, em Lages, de uma empresa do setor de telemarketing. O quadro de funcionários que começou com 200 vagas, atualmente tem duas mil, ocupadas, em sua maioria, por jovens que conseguiram a oportunidade do primeiro emprego.

Infraestrutura para desenvolver a região

Com investimentos do Estado de mais de R$ 70 milhões, está em execução, em pista de concreto, mais durável, a pavimentação da SC-114 entre Lages e Otacílio Costa. Entre Lages e Painel, a SC-114 também está sendo revitalizada num trecho de 24 quilômetros e recursos da ordem de R$ 14,4 milhões. A obra é classificada como ecologicamente correta com um sistema que garante mais aderência e maior segurança. De Painel a São Joaquim, o asfalto também é novo, com o traçado totalmente reformulado com terceiras pistas e alteração de curvas perigosas.

Na Serra do Corvo Branco, citada pelo governador como uma das paisagens naturais mais bonitas do Estado, também está sendo pavimentado o trecho que liga a Serra (em Urubici) e o Sul de Santa Catarina (em Grão Pará), com as obras 90% concluídas. O investimento é fundamental para o desenvolvimento do turismo de toda a Serra.

Também está em execução na região, com recursos do Governo do Estado, a pavimentação da SC-120, entre São José do Cerrito e Curitibanos, num trecho de aproximadamente 40 quilômetros. “Uma região com um extraordinário potencial agrícola e que a chegada do asfalto vai potencializar”, observou o governador.

Com a função de ajudar no escoamento da produção agrícola, a SC-390 entre Anita Garibaldi e Celso Ramos também está em obras com investimentos do Governo do Estado.

Na região da Coxilha Rica, cinco pontes estão sendo reformadas e o projeto de asfaltamento de 22 quilômetros, pelo Governo do Estado, tem o objetivo de reforçar o potencial turístico e agrícola da região. “O município de Campos Novos, com 22 mil hectares de área cultivada, é considerado o celeiro do Estado. A Coxilha Rica tem 25 mil hectares de terras agricultáveis, agora imaginem o quanto dá pra crescer e se desenvolver ali, levando o asfalto”, disse Colombo.

Saúde

“Lages terá um dos hospitais mais completos do Sul do Brasil”, Informou o governador Raimundo Colombo ao apresentar as obras do Hospital Tereza Ramos. Com 80% das obras finalizadas, o novo prédio deverá ser entregue até o fim deste ano e vai dobrar a capacidade do hospital. Serão 120 novos leitos e 30 de UTI.

A ampliação do Hospital Infantil Seara do Bem também foi realizada com recursos do Governo do Estado. Na nova ala, destaca-se a construção do Centro de Imagens que ajuda na antecipação dos diagnósticos e eficiência dos tratamentos pediátricos.

Inovação e Tecnologia

Lages foi o primeiro dos 13 municípios do Estado que contarão com os Centros de Inovação construídos pelo Governo do Estado a colocar a estrutura em funcionamento. O espaço é para os projetos da chamada economia do futuro, com foco na tecnologia, e traz um novo conceito de desenvolvimento para a região.

Educação

Duas das principais Universidades de Lages, a Uniplac e a Udesc tiveram seus campus ampliados e receberam investimentos para os laboratórios. As melhorias também ocorreram nas escolas estaduais, com reformas e ampliações. Colégio Industrial (R$ 7,8 milhões), Escola Flordoardo Cabral (R$ 5 milhões); Escola Visconde de Cairu (R$ 3,7 milhões); e Godolfin Nunes de Sousa (R$ 4,1 milhões). Ao todo, foram construídas nove arenas multiuso para a prática de esportes e atividades de lazer dos estudantes.

Segurança

Além da construção do complexo de segurança com a Delegacia Regional, o IGP e o Detran, Lages conta com a vigilância do helicóptero Águia 4 salvando vidas e levando mais segurança a toda a Serra catarinense.

Outras obras

A Avenida Santa Catarina ganhou reurbanização completa, com investimentos de R$ 3,7 milhões. Na Avenida das Torres e na Rua Nossa Senhora da Penha, estão sendo investidos outros R$ 2,5 milhões. E do Fundam – programa do Governo do Estado que distribui recursos a todos os municípios de Santa Catarina para a realização de obras – Lages recebeu, na primeira edição do programa, R$ 5,4 milhões, o que permitiu a pavimentação de 25 ruas da cidade.

Desde 2011, a região de Lages recebeu investimentos do Governo do Estado da ordem de R$ 1,5 bilhão. “A gente sabe que há muito por fazer, mas, às vezes, não basta a boa vontade e o desejo de contribuir ainda mais. Por outro lado, seja uma obra física ou uma ação que fica no anonimato, o verdadeiro legado é saber que tudo o que é possível você está fazendo pra deixar a vida das pessoas um pouquinho melhor", finalizou o governador. 

Informações adicionais para a imprensa
Francieli Dalpiaz 
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: francieli@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3018 / 98843-5676
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC


Foto: Leneza Della Krás/ADR Araranguá

Representantes do poder público estadual e municipal e entidades representativas da sociedade civil dos municípios que integram as Agências de Desenvolvimento Regional de Araranguá, Criciúma, Tubarão, Laguna e Braço Norte participaram na tarde desta quinta-feira, 17, do workshop para elaboração do Plano de Desenvolvimento Santa Catarina 2030, que aconteceu na sede da ACIC, em Criciúma. 

A construção do Plano é uma ação do Governo do Estado, coordenada pela Secretaria de Estado do Planejamento, com apoio da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), com objetivo de construir uma visão de futuro para Santa Catarina; definir indicadores, metas e objetivos setoriais; traçar linhas de ação estratégicas para as regiões de Santa Catarina e identificar os desequilíbrios socioeconômicos.

Este foi o primeiro de oito workshops que serão realizados no estado. Foram apresentadas a metodologia do Plano de Desenvolvimento, Tendências e Cenários, e workshop "Construção da Visão de Futuro Santa Catarina 2030", além da apresentação de dados sintetizados nos workshops setoriais previamente realizados. Os participantes, divididos em grupos por dimensão e áreas temáticas de diversos setores, discutiram os obstáculos que dificultam o desenvolvimento macrorregional e propuseram ações estratégicas, que foram apresentadas em plenária.

O secretário adjunto da Secretaria de Estado do Planejamento, Fábio Murilo Botelho, destacou que o workshop é uma oportunidade para a construção de componentes que oferecerão informações que serão lapidadas para o desenvolvimento de Santa Catarina. "É essencial a participação dos agentes dos diversos setores nesta construção, já que somos responsáveis por pensarmos juntos no que é importante até 2030", disse.

Participaram do workshop macrorregional Sul os secretários executivos das ADRs de Araranguá, Heriberto Afonso Schmidt; Criciúma, João Fabris; Tubarão, Nilton Campos; Laguna, Luiz Felipe Remor; e Braço do Norte, Ricardo Medeiros.

Informações adicionais para a imprensa
Leneza Della Krás
Assessoria de imprensa
Agência de Desenvolvimento Regional de Araranguá
E-mail: imprensa@aru.adr.sc.gov.br
Telefones: (48) 3529-0084 / 99183-1799
Site: www.adrs.sc.gov.br/adrararangua
Facebook: www.facebook.com/regional.ararangua


Foto: Secom/Arquivo

A geração de empregos em Santa Catarina é destaque nacional mais uma vez. Pesquisa do IBGE divulgada nesta quinta-feira, 17, mostra que o estado registrou taxa de 7,5% de desocupação no segundo trimestre deste ano, o menor índice do país. Os dados revelam ainda uma melhora em relação ao primeiro trimestre, quando Santa Catarina já havia apresentado o melhor resultado, mas com taxa de 7,9% de desocupação.

“A geração e manutenção do emprego é uma das principais preocupações do governo, no sentido de proteger as famílias catarinenses contra a crise. É para garantir resultados como os comprovados agora pelo IBGE que Santa Catarina ousou e tomou decisões difíceis, mas necessárias, como não aumentar impostos mesmo diante da queda de arrecadação. Essa foi uma decisão que contribuiu para promover a competitividade das nossas empresas e para atrair novos investimentos”, destacou o governador Raimundo Colombo.

A média nacional no primeiro trimestre ficou em 13% de desocupação, revela a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua). No primeiro trimestre, o índice no país era de 13,7%.

Entre os estados, Santa Catarina manteve o melhor resultado no acumulado do segundo semestre, com índice de 7,5%, seguido por Rio Grande do Sul (8,4%) e Mato Grosso (8,6%). Os piores desempenhos no período foram registrados nos estados de Pernambuco (18,8%) e Alagoas (17,8%). “Trabalhar para evitar que estes números cresçam é um grande desafio que continuamos a enfrentar diariamente”, acrescentou Colombo.

>>> Confira a pesquisa completa

Informações adicionais para a imprensa:
Alexandre Lenzi
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: lenzi@secom.sc.gov.br
Telefone: (48) 3665-3018 / 98843-4350
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC


Fotos: Jaqueline Noceti/Secom

Nesta quarta-feira, 16, foi a vez de nove prefeitos da região de Joinville conhecerem a segunda edição do Fundo de Apoio aos Municípios (Fundam 2). O governador Raimundo Colombo apresentou o programa que vai garantir uma nova rodada de investimentos em todas as regiões catarinenses.

“O programa é um vetor para o desenvolvimento equilibrado do estado, garantindo que todos os municípios sejam contemplados com um valor mínimo. É uma forma de contribuir para a manutenção da boa distribuição demográfica de Santa Catarina”, destacou o governador.

>>> Mais imagens na galeria de fotos

Os municípios participantes do encontro desta quarta foram Araquari, Balneário Barra do Sul, Campo Alegre, Garuva, Itapoá, Joinville, Rio Negrinho, São Bento do Sul e São Francisco do Sul. Na primeira edição do Fundam, juntos, eles receberam R$ 27,8 milhões. E agora, todos poderão participar novamente.

O prefeito de Joinville, Udo Döhler, lembrou que os recursos da primeira edição foram aplicados na pavimentação de ruas da cidade e ressaltou que já estão sendo definidos os projetos para apresentação ao Fundam 2.

Anfitrião do encontro, o presidente da Associação dos Municípios de Nordeste de Santa Catarina (Amunesc) e prefeito de Rio Negrinho, Julio Cesar Ronconi, destacou o caráter apartidário do programa e agradeceu a iniciativa do Governo do Estado em promover o Fundam 2 mesmo em meio ao cenário de crise econômica nacional.

Em todo o estado, a primeira edição do Fundam garantiu R$ 606 milhões em investimentos, com 453 convênios assinados (cada município pode assinar até dois projetos). O montante permitiu a compra de 976 equipamentos, máquinas e veículos, a realização de 56 obras e a pavimentação de 1.358 ruas (538 km lineares). “Fizemos um trabalho forte, com bons resultados e obras executadas com agilidade. Agora queremos repetir esse mesmo sucesso”, afirmou Colombo.

Meta do Fundam 2

O investimento previsto para a nova edição é de R$ 700 milhões. O projeto do Fundam 2 foi aprovado pela Assembleia Legislativa no dia 21 de junho e os primeiros contratos devem ser assinados ao longo desse semestre. A exemplo da primeira edição, a meta é contemplar todos os 295 municípios catarinenses e garantir autonomia para que cada prefeitura escolha o investimento a ser feito dentro das áreas previstas.

As áreas de destino dos recursos do Fundam são: infraestrutura (logística e mobilidade urbana); construção e ampliação de prédios nas áreas de educação, saúde e assistência social; construção nas áreas de desporto e lazer; saneamento básico; aquisição de equipamentos, veículos e materiais destinados aos serviços de saúde e educação; e aquisição de máquinas e equipamentos rodoviários novos, fabricados em território nacional.

O encontro desta quarta foi realizado na sede da Associação dos Municípios de Nordeste de Santa Catarina (Amunesc). O evento foi o 20º da série de 21 programados pelo Governo do Estado para detalhar o programa em reuniões com prefeitos de todas as regiões catarinenses. Ainda neste mês, será promovido um último encontro, em Florianópolis.

A secretária executiva da Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) de Joinville, Simone Schramm, o secretário da ADR de Mafra, Abel Schroeder, deputados estaduais e outras lideranças regionais também acompanharam o evento. O governador aproveitou o encontro para ressaltar e agradecer ao apoio do legislativo estadual para a realização do Fundam. “Essa compreensão por parte dos deputados da importância do programa foi e é fundamental”, acrescentou.

Informações adicionais para a imprensa:
Alexandre Lenzi
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: lenzi@secom.sc.gov.br
Telefone: (48) 3665-3018 / 98843-4350
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC

A falta de colaboração no ambiente de trabalho é um problema que atinge instituições públicas e privadas. Para incentivar a cooperação e a mudança de cultura no ambiente organizacional, a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDS) está promovendo a Oficina de Trabalho Intersetorial Colaborativo, que será realizada nesta quinta-feira, 17, às 14h, no Sapiens Parque, em Florianópolis. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pela internet.

>>> Fazer a inscrição na Oficina de Trabalho Intersetorial Colaborativo

A ação faz parte do Festival de Aprendizado HubGov, programa interinstitucional de inovação que a WeGov está realizando há cinco meses, com 14 instituições públicas. O objetivo do HubGov é o compartilhamento de conhecimentos sobre inovação, comunicação e gestão, entre servidores e agentes públicos de diversas instituições.

A SDS está representada pelos profissionais Ana Letícia Aquino e Gustavo Ferrer Monteiro Diôgo, da Diretoria de Mudanças Climáticas e Sustentabilidade (DMUC); Carlos Eduardo Lozano Leonel, da Diretoria de Ciência, Tecnologia e Inovação (DCTI); e Diego Fabrício Damiani, do Conselho Estadual de Combate à Pirataria (Cecop). O encerramento do Festival de Aprendizado HubGov é no dia 23 de agosto.

Informações adicionais para a imprensa
Michelle Nunes
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável - SDS
E-mail: michelle@sds.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-4243 / 99929-4998
Site: www.sds.sc.gov.br

A partir da próxima quinta-feira, 17, o Plano de Desenvolvimento Santa Catarina 2030 entra em uma nova fase com a realização dos workshops regionais em oito macrorregiões.

Após a definição de modo participativo de objetivos estratégicos, metas e indicadores em diferentes áreas da atuação governamental em Santa Catarina, por ocasião dos 11 Workshops Setoriais realizados no período de maio a julho do corrente ano, chega a vez agora de se discutir sobre os desafios para o desenvolvimento regional, identificando-se obstáculos ao desenvolvimento no âmbito macrorregional e principais ações a serem implementadas.

O governador Raimundo Colombo estará em Joinville nesta quarta-feira, 16, para apresentação da segunda edição do Fundo de Apoio aos Municípios (Fundam 2) para prefeitos da região. À noite, participa também da abertura do 10º Mutirão Brasileiro de Comunicação (Muticom), evento promovido pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e pela Diocese de Joinville.

O encontro com prefeitos está marcado para começar às 16h, na sede da Associação dos Municípios de Nordeste de Santa Catarina (Amunesc), localizada na Rua Max Colin, 1843, no Centro de Joinville.

O projeto para a segunda edição do Fundam foi aprovado pela Assembleia Legislativa no dia 21 de junho, e os primeiros contratos devem ser assinados ao longo desse semestre. O investimento previsto para a nova edição é de R$ 700 milhões. A exemplo da primeira edição, a meta é contemplar todos os 295 municípios catarinenses e garantir autonomia para que cada prefeitura escolha o investimento a ser feito dentro das áreas previstas.

Para apresentação da nova edição, o Governo do Estado está promovendo uma série de reuniões com prefeitos de todas as regiões catarinenses. Já foram realizados 19 encontros, a reunião desta quarta é 20ª e ainda neste mês será promovido um último evento, em Florianópolis.

10º Muticom

Ainda em Joinville, a partir das 19h30, o governador Colombo participa da abertura oficial do 10º Mutirão Brasileiro de Comunicação (Muticom), no Centro de Convenções Expoville. É a primeira vez que Santa Catarina recebe o evento, promovido pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e pela Diocese de Joinville.

A programação, que segue até domingo, 20, contará com palestrantes na área de comunicação. Com o tema “Educar para a Comunicação”, o evento tem como objetivo auxiliar no uso das novas tecnologias e também na formação do senso crítico para evitar a manipulação e auxiliar na compreensão do potencial da comunicação e de cada meio de comunicação. 

Informações adicionais para a imprensa:
Alexandre Lenzi
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: lenzi@secom.sc.gov.br
Telefone: (48) 3665-3018 / 98843-4350
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC