Construção civil foi um dos setores que mais criou empregos no estado | Foto: Julio Cavalheiro/ Secom

Com a criação de 3.433 novas vagas de emprego, Santa Catarina conquistou em julho deste ano o melhor desempenho para o mês desde 2010. Os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) foram divulgados na manhã desta sexta-feira, 23, e reforçam a retomada da economia catarinense, em ritmo superior à média nacional.

Este é o segundo mês consecutivo de saldo positivo para o emprego no estado. Em 2019, já foram abertos 53.755 novos postos de trabalho, terceiro melhor resultado do país, atrás apenas de São Paulo e Minas Gerais, que são estados bem mais populosos.

“Dados como esse comprovam que a economia catarinense caminha em uma boa direção. Acreditamos em um segundo semestre positivo, com um cenário mais favorável nacionalmente. Aqui em Santa Catarina estamos trabalhando em diversas frentes para que estes índices positivos se mantenham. Estamos, entre diversas outras ações, digitalizando os processos de abertura de novas empresas, facilitando a vida do empreeendedor, que é quem gera as oportunidades de emprego. O resultado desse e de outros tantos esforços está aparecendo”, declarou o governador Carlos Moisés ao saber do resultado.

Os setores de serviços, com a abertura de 1.793 vagas, e da construção civil, com 1.094, foram os que tiveram melhor desempenho no mês passado em Santa Catarina. A indústria também teve saldo positivo, com a geração de 487 postos de trabalho. O resultado do emprego em Santa Catarina no último mês foi também o melhor do Sul do Brasil, já que o Paraná ficou estável e o Rio Grande do Sul perdeu vagas. Nacionalmente, foram gerados 43,8 mil postos de trabalho em julho.

Na visão do secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Lucas Esmeraldino, o resultado catarinense desde o começo do ano é muito positivo e demonstra o poder de superação do setor produtivo catarinense, que, mesmo diante de incertezas, manteve investimentos na contratação de pessoal.

“O catarinense tem essa capacidade de passar por cima das dificuldades. Nossa economia extremamente diversificada é um exemplo disso. Nosso papel, enquanto administradores públicos, é seguir com o apoio a quem produz”, diz o secretário.

Oportunidades de emprego
Nesta semana, Santa Catarina tem cerca de 1,7 mil vagas de emprego disponíveis pelo Sistema Nacional de Emprego (Sine/SC). A região Oeste lidera com quase 900 oportunidades. Em Concórdia, apenas uma loja de móveis está disponibilizando 100 vagas. 

Candidatos 
Quem tiver interesse em alguma das vagas deve se dirigir à unidade do Sine da sua cidade. É imprescindível levar RG, CPF e a carteira de trabalho. Sem estes documentos, não é possível fazer as inscrições. Não há necessidade de levar currículo. O cadastro é feito direto no balcão do Sine.

Sine Fácil
A lista de oportunidades disponíveis pode ser acessada no aplicativo Sine Fácil, disponível para smartphones. Pelo Sine Fácil, o trabalhador poderá agendar entrevistas com empregadores, acompanhar a situação do benefício do seguro-desemprego e acessar outros serviços de seu interesse. Um diferencial importante é que o aplicativo permite inúmeras consultas a vagas de emprego, em qualquer horário, de qualquer local, sem a necessidade de o trabalhador se deslocar até um posto de atendimento.

Informações adicionais para imprensa:
Leonardo Gorges
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
E-mail: leonardogorges@secom.sc.gov.br 
Fone: (48) 3665-3045
Site: www.sc.gov.br 

 Foto: Ricardo Wolffenbuttel/Secom

Após reunião na Casa d’Agronômica, nesta quinta-feira, 21, com entidades ligadas ao agronegócio catarinense, o governador Carlos Moisés propôs uma nova regra de transição para a tributação de agrotóxicos no estado. Os produtos seguem isentos de ICMS até 31 de dezembro e, a partir de janeiro de 2020, o imposto passará a ser por grau de toxicidade. O objetivo é promover o uso consciente dos produtos na agricultura em função do seu potencial tóxico para o meio ambiente e a saúde pública. 

“Ouvimos as reivindicações e, com equilíbrio, construímos uma alternativa que atende o setor produtivo e à sociedade, que apoia a produção de alimentos mais saudáveis. Entendemos que o prazo é necessário para que os agricultores possam ter o período de safra para a adaptação com as novas regras”, disse o governador.

:: VEJA GALERIA DE FOTOS

A proposta é que os agrotóxicos sejam classificados em seis categorias, com variação na carga tributária de acordo com o grau de toxicidade. Os produtos alta e extremamente tóxicos não teriam redução na base de cálculo e permanecerão na faixa vermelha, com 17% de ICMS; já os que são moderadamente tóxicos, inseridos na faixa amarela, terão 12%; na faixa azul, há os produtos pouco tóxicos, cuja carga tributária será de 7%, e os improváveis de causar dano agudo, com carga de 4,8%; por fim, isentos de ICMS estarão os produtos biológicos e os bioinsumos, incluídos na faixa verde. 

“Acreditamos que a proposta deve ser vista como um bem coletivo. Este novo modelo de aplicação de tributos considera não apenas custos econômicos e de produção, mas também os custos para o meio ambiente e para a sociedade”, salientou o secretário de Estado da Fazenda (SEF), Paulo Eli.

O chefe da Casa Civil, Douglas Borba, destacou a importância do diálogo e do equilíbrio para construir a alternativa: “Conseguimos alcançar o equilíbrio entre as demandas das entidades do agronegócio e a responsabilidade fiscal do Governo do Estado. O diálogo é contínuo, não só para o agrotóxico, mas também para outras políticas públicas do Estado."

A classificação proposta pelo Governo do Estado se baseia na Resolução 2080 da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), do Ministério da Saúde, publicada no Diário Oficial da União (DOU) de 31 de julho de 2019, que dispõe a rotulagem de produtos químicos usados na agricultura. O texto será editado como uma Medida Provisória (MP), que será assinada digitalmente pelo governador nos próximos dias e terá validade retroativa a 1º de agosto.

O secretário da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural, Ricardo Gouvêa, destacou que o acordo preserva o período de plantio da safra em Santa Catarina: “O produtor catarinense pode ficar tranquilo. Até o fim do ano teremos um período de transição. Este acordo mostra a maturidade de todos.” 

As lideranças do agronegócio comemoraram a nova regra proposta pelo governo. “Nós conversamos entre nós, que representamos o setor primário de Santa Catarina, e concordamos com as ponderações que o governo colocou, porque nessa safra não vamos sentir nenhum revés. Será plantada nas mesmas condiçãos anteriores. Por isso estamos saindo daqui satisfeitos, agradecendo essa compreensão do governo”, comentou José Zerefino Pedrozo, presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de Santa Catarina (Faesc).

Também acompanharam o encontro os presidentes da Organização das Cooperativas do Estado de Santa Catarina (Ocesc), Luiz V. Suzin, da Federação das Cooperativas Agropecuárias de Santa Catarina (Fecoagro), Cláudio Post, e a Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetaesc), José W. Dresch.

Informações adicionais para a imprensa
Júlia Pitthan
Coordenadora de Imprensa
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: juliapitthan@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3027
Site: www.sc.gov.br 
www.facebook.com/governosc e @GovSC 

O projeto Novos Talentos/ SC Games, que já formou mais de 1670 alunos, completa 10 anos de atuação no Estado. A iniciativa da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE) abrange, principalmente, crianças e adolescentes provenientes de escolas públicas, dando oportunidades de um futuro promissor no concorrido mercado profissional de games, entretenimento digital e cinema de animação. Para comemorar esta data, a SDE, em parceria com o Senac, realiza entre 23 e 25 de agosto, a primeira edição da SC Criativa Weekend, uma maratona para a criação de jogos digitais voltada para crianças e adolescentes de 9 a 15 anos.

O desafio tem o objetivo de fomentar a economia criativa, levando a este público a oportunidade de explorar este segmento promissor que somente em 2016 faturou US$ 1,6 bilhão. O Game Jam ocorre nas faculdades Senac de quatro cidades catarinenses e, em cada uma delas, os participantes terão o desafio de desenvolver um jogo segundo a temática da economia criativa local: moda em Criciúma, gastronomia em Blumenau, tecnologia em Chapecó e patrimônio cultural e histórico em Palhoça.

Reforma Administrativa

“O setor de games e jogos digitais é bastante promissor, um nicho que prospera cada vez mais, onde Santa Catarina, referência em inovação, vem se destacando. O Projeto Novos Talentos/SC Games é bom exemplo de empreendedorismo inovador. Nossa missão é fomentar ainda mais este ecossistema, oferecendo oportunidades e abrindo portas a um futuro promissor aos nossos jovens e, assim, desenvolvendo nosso Estado”, analisa Lucas Esmeraldino, Secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável.

Mercado de games aquecido em SC

Dados do Sebrae revelam que Santa Catarina tem se posicionado como polo nesta área: atualmente, o estado é o quarto no país com mais empresas no setor de games e jogos digitais, com uma diversidade de gêneros que vai do eSports a gamification. “Iniciativas como a SC Criativa Weekend fortalecem o ecossistema da economia criativa em especial do segmento de games e geram ainda mais interesse para este cenário que é favorecido por incentivos públicos, ofertas de cursos de profissionalização e perfil empreendedor dos catarinenses", afirma Juliano Vieira, analista de informação e comunicação do Senac SC. 

Capacitação de desenvolvedores

Não é à toa que a entidade comemora 10 anos de atuação com resultados bastante positivos no segmento. “Desde a implantação do programa no Estado, diversos cursos de jogos digitais e animação foram criados, estúdios de games tomaram forma, impulsionando o setor e o ecossistema. Muitos alunos e estagiários do projeto SC Games atuam diretamente na área”, explica.

Em todas as quatro cidades contempladas, a maratona também se torna um ponto de convergência entre participantes e os players que incentivam o aprimoramento e formação neste segmento. “É fundamental que as crianças e os adolescentes apropriem-se dos jogos como ferramentas de aprendizagem, tanto pelas técnicas aliadas a produção de jogos quanto pelo engajamento gerado em atividades lúdicas e que facilitam o entendimento e consolidação dos conteúdos pedagógicos”, acredita Marlon Souza, head de Economia Criativa e Game da Blusoft e um dos idealizadores do movimento SC Criativa em Blumenau.

SC Criativa Weekend: como vai funcionar o Game Jam?

Em Blumenau, Chapecó, Criciúma e Palhoça, a SC Criativa Weekend terá 20 horas de duração, com intervalos. Competidores de 9 a 15 anos, com ou sem conhecimento prévio na área, deverão criar um jogo inédito de acordo com a temática proposta em cada cidade.

Todas as equipes vão contar com o auxílio de mentores especializados para auxiliar no processo de criação, com metodologia baseada em uma maratona de desenvolvimento de games. Os competidores serão distribuídos em cinco equipes com cinco pessoas cada uma e utilizarão uma plataforma introdutória para desenvolvimento de games para trabalharem de maneira dinâmica e lúdica. A premiação é um tablet para todos os integrantes da equipe vencedora do desafio.

Serviço
O quê: SC Criativa Weekend
Quando: 23 a 25 de agosto de 2019
Onde: faculdades Senac em Blumenau, Palhoça, Criciúma e Chapecó
Quanto: Gratuito, mediante inscrição
Informações e inscrições: http://www.sc.senac.br/criativaweekend/

 

Mais informações para a imprensa:
Mônica Foltran
Assessoria de Comunicação
Secretaria do Desenvolvimento Econômico Sustentável - SDE
Fone: (48) 3665-2261 / 99696-1366
E-mail: jornalistamonicafoltran@gmail.com
Site: www.sds.sc.gov.br

 

Servidores das secretarias de Estado da Administração e da Saúde realizaram um workshop para debaterem formas de aprimorar a transparência e a fiscalização da gestão das Organizações Sociais (OS), que mantêm contratos com o Estado para administração de unidades de saúde.  O encontro realizado no auditório da Secretaria da Saúde, no Centro da Capital, e contou com a presença dos secretários das pastas e dos gestores que atuam diretamente na gestão administrativa e dos contratos dessas entidades. 

Atualmente, oito unidades hospitalares são administradas por Organizações Sociais. Com a Reforma Administrativa do Governo do Estado, a coordenação e a supervisão do Programa Estadual de Incentivo às Organizações Sociais passou para a gestão da Secretaria de Estado da Administração.

 Foto: Arquivo/SDE

As inscrições para o credenciamento de propostas que visem à conservação, restauração da vegetação nativa e boas práticas agropecuárias, em São Bento do Sul, se encerram no próximo dia 23. Produtores da região podem participar do edital que prevê cerca de R$ 100 mil de investimentos na restauração de 1400 hectares de áreas prioritárias e conservação de outros 5.340 hectares.

As prioridades foram apontadas após estudos contratados por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE) para o Programa Produtor de Água do Rio Vermelho. Serão selecionadas ações que visem à recuperação e conservação de florestas em áreas degradadas. O certame ocorre por meio do Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae).

São Bento do Sul foi uma das cidades pioneiras no Estado para a implantação do Programa Produtor de Águado Rio Vermelho (PPARV) do qual a SDE é parceria, desde 2016, por meio da Agência Nacional das Águas. O Programa tem como objetivo estimular a recuperação e conservação de áreas naturais e sua biodiversidade, melhorando a qualidade e quantidade dos mananciais da microbacia que abastece a região.

“Pioneiro, o estudo mapeia os problemas e aponta soluções, estimulando à política de Pagamento por Serviços Ambientais (PSA) voltada à proteção hídrica no Brasil – um dos objetivos que vai ao encontro das diretrizes da Agência Nacional de Águas. Nosso objetivo é focar em uma gestão que vise o crescimento sustentável do Estado, sem danos ao meio ambiente e sem barrar o desenvolvimento”, destaca o secretário da SDE, Lucas Esmeraldino.

O edital que teve as suas inscrições prorrogadas até 23 agosto. Acesse aqui o link do Edital. 

Ações no Estado
As ações estaduais do Programa Produtor de Águas em Santa Catarina ocorrem nas regiões de São Bento do Sul, São Francisco do Sul, Balneário Camboriú e na Bacia do Rio Cubatão, na Grande Florianópolis. Neste ano, a SDE concretizou o "Planejamento Estratégico do Projeto Produtor de Água da Bacia do Rio Cubatão", investindo aproximadamente R$ 500 mil em parceria com a Agência Nacional de Água (ANA). Na região de São Francisco do Sul o Programa Produtor de Águas está em fase inicial de implantação.

“Desta forma, o Estado vem atendendo as diretrizes e objetivos da política estadual de Pagamento por Serviços Ambientais”, explica o diretor de Biodiversidade e Clima da SDE, Luis Antônio de Freitas.

Mais informações para a imprensa:
Mônica Foltran
Assessoria de Comunicação
Secretaria do Desenvolvimento Econômico Sustentável - SDE
Fone: (48) 3665-2261 / 99696-1366
E-mail: jornalistamonicafoltran@gmail.com
Site: www.sds.sc.gov.br

 Foto: Mauricio Vieira/ Secom

Santa Catarina tem cerca de 1,7 mil vagas de emprego disponíveis pelo Sistema Nacional de Emprego (Sine/SC). O órgão é vinculado à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE).

A região Oeste lidera com quase 900 oportunidades. Em Concórdia, apenas uma loja de móveis está disponibilizando 100 vagas. Em São Miguel do Oeste, com 366 possibilidades – maior número do Estado — uma indústria de estofados e outra de alimentos juntas concentram 170 colocações.

A região do Alto Vale do Itajaí também tem um grande número de oportunidades. Há 30 em Itajaí, 74 em Balneário Camboriú, 107 em Blumenau, 9 em Ituporanga, 23 em Rio do Sul, 10 em Taió e 18 em Timbó.

A gerente de produtividade Trabalho e Renda da SDE, Cleusa Rodrigues, responsável pelos postos do Sine no Estado, reforça que as oportunidades abrangem as mais variadas áreas, como serviços, indústria, agricultura e vendas. Todas as informações podem ser consultadas nas agências do Sine de cada região.

Candidatos
Quem tiver interesse em alguma das vagas deve se dirigir à unidade do Sine da sua cidade. É imprescindível levar RG, CPF e a carteira de trabalho. Sem estes documentos, não é possível fazer as inscrições. Não há necessidade de levar currículo. O cadastro é feito direto no balcão do Sine.

Sine Fácil
A lista de oportunidades disponíveis pode ser acessada no aplicativo Sine Fácil, disponível para smartphones. Pelo Sine Fácil, o trabalhador poderá agendar entrevistas com empregadores, acompanhar a situação do benefício do seguro-desemprego e acessar outros serviços de seu interesse. Um diferencial importante é que o aplicativo permite inúmeras consultas a vagas de emprego, em qualquer horário, de qualquer local, sem a necessidade de o trabalhador se deslocar até um posto de atendimento.

Mais informações para a imprensa:
Mônica Foltran
Assessoria de Comunicação
Secretaria do Desenvolvimento Econômico Sustentável - SDE
Fone: (48) 3665-2261 / 99696-1366
E-mail: jornalistamonicafoltran@gmail.com
Site: www.sds.sc.gov.br


Foto: Krislei Oechsler / SEA

O resultado do primeiro leilão público em formato totalmente eletrônico e online para venda de veículos, motocicletas, sucatas, mobiliários e bens de consumo inservíveis para o Estado arrecadou 40% a mais do que era o esperado. A arrecadação total foi de R$  2.193.539, e o esperado era de R$ 1,3 milhão. A informação é da Gestão de Patrimônio da Secretaria de Estado da Administração (SEA).

De acordo com a Comissão de Leilão, da SEA, dos 345 lotes ofertados, 319 foram arrematados. “Praticamente liquidamos todos os lotes que haviam sido disponibilizados à venda. O que é bem positivo,” enfatiza o diretor de Gestão Patrimonial da SEA, Welliton Saulo da Costa. O leilão ocorreu no dia 9 de julho, pelo site da empresa vencedora da licitação para realizar o certame. Somente após vencidos os prazos legais do edital é que os resultados puderam ser contabilizados.

Os números positivos são resultantes da ampliação do número de participantes, e maior concorrência, em virtude do certame ser feito de forma eletrônica e online. “Além disso, também conseguimos  acompanhar e controlar de perto todo o processo, aliado à transparência e à impessoalidade, fatores essenciais para a lisura das vendas,” afirmou Mário Menezes, gerente de Bens Móveis da SEA e coordenador da Comissão . “Pelo fato do processo ter sido digital, acabou gerando economia e mais segurança para todos, desde a logística ao pagamento dos lotes” concluiu. 

Texto: Rafaela Gesser e Krislei Oechsler

Informações adicionais para imprensa
Krislei Oechsler
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado da Administração - SEA
E-mail: comunicacao@sea.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-1636 /(48) 99105-4085
http://www.sea.sc.gov.br 

 Foto: Ricardo Wolffenbuttel/ Secom

Já está na conta dos servidores ativos, inativos e pensionistas do Estado a segunda parcela do 13º salário. Os valores, que correspondem a 25% do benefício, foram depositados ainda no fim de semana. O pagamento soma R$ 217 milhões para mais de 149 mil pessoas, sendo 80,3 mil funcionários ativos, 56,8 mil inativos e 12,2 mil pensionistas. Em 19 de julho, já havia sido depositada a primeira parcela, também referente a 25% de um salário. Somando as duas parcelas, o total liberado ultrapassa R$ 430 milhões.

“O Estado de Santa Catarina tem feito um esforço para poder honrar seus compromissos. Há muitos Estados que ainda parcelam a folha mensal de seus servidores e aqui é diferente. Os salários estão em dia e, com essa segunda parcela, já adiantamos 50% do 13º. Acreditamos na economia catarinense e numa retomada robusta do crescimento para seguir fazendo as entregas que a sociedade necessita”, afirma o governador Carlos Moisés.

De acordo com o cronograma divulgado pelo Executivo estadual no início de julho, a terceira e última parcela do 13º será paga aos servidores no dia 17 de dezembro, com valores correspondentes a 50% de um salário.

Conforme o secretário de Estado da Fazenda, Paulo Eli, antecipação foi possível graças às medidas de contingência e de reformulação administrativa que o Governo vem adotando, tanto para gerar economia como para restituir ao tesouro os recursos devidos ao Executivo.

Para dimensionar o esforço do atual governo em provisionar os recursos necessários à antecipação do 13º salário, é importante ressaltar que apenas em dívidas de financiamentos obtidos anteriormente, serão pagos, neste ano, um total de R$ 2,4 bilhões. Em 2018, esse valor foi de R$ 1,805 bilhão, enquanto em 2017, essa quantia não superou os R$ 1,264 bilhão. Destaque-se ainda, a cobertura do déficit previdenciário, que superará em 2019 os R$ 3,9 bilhões.

Mais informações para a imprensa:
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Comunicação - Secom
Governo de Santa Catarina
Fone: (48) 3665-3022
Site: www.sc.gov.br

Foto: Renan Medeiros/Secom

O segundo trimestre de 2019 encerrou com mais um dado positivo para Santa Catarina: o desemprego recuou e o estado se consolidou com o menor índice do Brasil. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apenas 6% dos catarinenses estão desempregados, índice 1,2 ponto percentual menor do que o registrado nos três primeiros meses do ano, quando 7,2% da força de trabalho estava desocupada.

Para o governador Carlos Moisés, a melhora demonstra a confiança e o otimismo do empreendedor catarinense no novo momento que o estado vive, com maior segurança pública e jurídica, além de poder confiar em um governo mais técnico, que busca facilitar a vida de quem quer produzir.

"Santa Catarina continua crescendo, arrecadando mais, diminuindo o desemprego. É um momento de acreditar nas mudanças trazidas pelo Governo Federal, que vem tomando boas decisões pelo desenvolvimento do país, assim como estamos fazendo aqui", avalia Moisés.

No Brasil, a taxa de desemprego é de 12% e também apresentou queda em relação ao primeiro trimestre, de acordo com o IBGE. Na avaliação do Secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Lucas Esmeraldino, os números demonstram a retomada do crescimento.

“Nossa economia está gerando emprego porque é diversificada e dinâmica, com empreendedores que fazem o desenvolvimento acontecer. Somos um estado inovador que incentiva a tecnologia e promove uma estrutura produtiva e competitiva”, destaca Esmeraldino. "Nossos programas, como Juro Zero e o Prodec, mantêm a política de parceria com quem empreende em Santa Catarina, desburocratizando, digitalizando e trazendo segurança jurídica aos investidores", acrescenta o secretário.

Confira cinco fatos sobre o emprego em Santa Catarina:

  1. Santa Catarina tem o menor índice de desempregados do Brasil, com 6%. O “pódio” é completado por Rondônia (6,8%) e Rio Grande do Sul (8,2%).¹
  2. Quando o assunto é subutilização da força de trabalho, Santa Catarina também aparece com o menor percentual do país: apenas 10,7% da força de trabalho está desocupada ou é considerada “subocupada" (trabalhadores que laboram menos horas do que gostariam e teriam disponibilidade).¹
  3. Santa Catarina também tem o menor percentual de pessoas desalentadas, que desistiram de procurar trabalho. Apenas 0,9% da força de trabalho se encontra nesta situação.¹
  4. Entre todos os empregados na iniciativa privada, Santa Catarina tem o maior percentual de formalidade, com 87,6% dos trabalhadores com carteira assinada.¹
  5. A geração de empregos em Santa Catarina deu um salto neste ano. O estado gerou 49,8 mil postos de trabalho formais no primeiro semestre, resultado 48% maior do que no mesmo período de 2018.²

Fontes:
¹IBGE
²Ministério da Economia

Informações adicionais para a imprensa
Renan Medeiros
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
E-mail: renan@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3058 / (48) 99605-9196
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC

 Foto: Julio Cavalheiro/ Secom

O RotaSC, inovação é nosso combustível, fez mais uma parada. Desta vez, o destino foi Rio do Sul. A proposta pioneira, itinerante e inovadora de levar ações e oportunidades da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE) às comunidades avança pelo Estado. Nesta quarta-feira, 14, o evento ocorreu no palco da Feira Multissetorial do Alto Vale do Itajaí, a Fersul 2019 e que integra o Calendário Brasileiro de Exposições e Feiras, dos Ministérios das Relações Exteriores e da Economia.

:: VEJA GALERIA DE FOTOS

Na oportunidade, o secretário do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE), Lucas Esmeraldino, reforçou o compromisso do repasse feito pelo governador Carlos Moisés de R$ 2,4 milhões para impulsionar o Centro de Inovação de Rio do Sul, o Parque Universitário Norberto Frahm. “Nosso objetivo é aproveitar as estruturas que já existem e aliar parcerias para investir no ecossistema, ampliando o projeto dos Centros de Inovação no Estado.”

Lucas Esmeraldino reforçou ainda que a inovação está em todos os setores do governo. "Como já ocorre nas nossas instituições vinculadas como a Junta Comercial (Jucesc) e nas ações das diretorias, a inovação é o nosso combustível. O próprio RotaSC é algo inovador”, disse.

O diretor de Ciência, Tecnologia e Inovação da SDE, Sandro Yuri Pinheiro, lembrou que Santa Catarina já é vista como referência em inovação, sendo que é o Estado com maior número de startups do país, segundo a Associação Brasileira de Startups (ABStartups). “A proposta de ampliar parcerias nos abre inúmeras possibilidades em todas as regiões e cidades. Como por exemplo, Luzerna com cerca de 6 mil habitantes que já tem um Centro de Inovação. Isso nos faz ver como a inovação está acontecendo em vários lugares e de várias formas”, comentou.

O reitor da Unidavi, professor Célio Simão Martignago, que propôs o encontro, falou sobre a importância da integração entre o setor produtivo, a academia e a sociedade. “Foi uma brilhante ideia. A universidade só tem a crescer com esta conexão com a indústria, sociedade e com o governo. Os investimentos no Centro de Inovação de Rio do Sul vão permitir à população um local com as ferramentas necessárias para o desenvolvimento da região”, destacou.

Para o presidente da Associação Empresarial de Rio do Sul (ACIRS), Eduardo Schroeder, o governo, por meio da SDE, mostrou ao cidadão do Alto Vale junto com a entidade a importância desta união em prol do desenvolvimento das regiões.


Mais ações

O secretário-adjunto do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Amandio Souza Junior, também lembrou que já está tramitando no Instituto do Meio Ambiente (IMA) o projeto de desassoreamento do rio Itajaí-Açu. Engavetado desde 2014, prevê a contenção das cheias e foi resgatado, a pedido da SDE e da Defesa Civil do Estado, por ser uma demanda antiga e necessária da região do Alto Vale do Itajaí.

“Desengavetamos o projeto de desassoreamento de 8.1 km no rio. Vamos investir nesta ação em Rio do Sul. Após a fase de licenciamento pelo IMA, a SDE deve liberar para a execução das obras recursos na ordem de R$ 3,8 milhões. Nosso objetivo agora é focar nas ações já planejadas”, confirmou Amandio.

A diretora de Recursos Hídricos e Saneamento, Jaqueline Isabel de Souza, completou que o Vale do Itajaí sofre historicamente com as inundações e que o Plano Estadual de Recursos Hídricos, o qual prevê ações de mitigações de cheias e Rio do Sul servirá para o melhoramento fluvial da região.

 

o presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Santa Catarina (Fapesc), Fábio Holthausen, destacou o papel da instituição no fomento à inovação: “A Fapesc está muito próxima tanto no fomento da tecnologia e da inovação, com o incentivo de eventos. Temos vários programas, como por exemplo, o Sinapse da Inovação, que já completou 10 anos e é uma oportunidade de tirar as ideias do papel.”

O presidente da Jucesc, Juliano Chiodelli, falou sobre as ações para acelerar o processo de abertura de empresas e fomentar o empreendedorismo. “Estamos mudando a regra do jogo, onde o Estado acredita na palavra do empreendedor, 85% das empresas abertas são de baixo risco sanitário.”

A diretora de Empreendedorismo e Competitividade da SDE, Letícia Duarte Lemos, destacou o programa Juro Zero, voltado para o Microempreendedor Individual (Mei) que só em Rio do Sul já concedeu cerca de R$ 4 milhões em créditos.

A iniciativa da SDE é uma realização da Associação Empresarial de Rio do Sul (Acirs), com apoio da Associação dos Municípios do Alto Vale do Itajaí (Amavi) e do Centro Universitário para o Desenvolvimento do Alto Vale do Itajaí (Unidavi).

Mais informações para a imprensa:
Mônica Foltran
Assessoria de Comunicação
Secretaria do Desenvolvimento Econômico Sustentável - SDE
Fone: (48) 3665-2261 / 99696-1366
E-mail: jornalistamonicafoltran@gmail.com
Site: www.sds.sc.gov.br