Foto: James Tavares / Secom

O governador Raimundo Colombo participou na noite desta quinta-feira, 27, em Camboriú, abertura da 35ª edição do Congresso Internacional de Missões dos Gideões Missionários da Última Hora. O evento que vai até a segunda-feira, 1º de maio, deve reunir mais de 100 mil pessoas de todo Brasil e de mais de 40 países. O congresso conta com o apoio do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte. 

A Fundação Catarinense de Educação Especial (FCEE) promove no próximo dia 4 de maio, quarta-feira, o II Seminário Catarinense de Formação Profissional e Empregabilidade da Pessoa com Deficiência: Nos caminhos da inclusão. O evento reúne instituições de atendimento especializado e de formação profissional, órgãos de assistência social, órgãos reguladores e meio empresarial para discutir ações que garantam à pessoa com deficiência o acesso à formação profissional e ao mercado de trabalho. O Seminário ocorre no Auditório da FCEE, no campus da instituição em São José, das 8h30 às 16h30 e contará com palestras de profissionais da própria FCEE, da Apae de Itajaí, do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) e de empresas da Grande Florianópolis. As inscrições podem ser feitas pela internet neste link até o dia 2 de maio.

O acesso das pessoas com deficiência ao mercado de trabalho é um dos direitos fundamentais, em âmbito nacional e internacional, assegurado por legislação específica. A FCEE, referência em estudos, pesquisas e tecnologias na área de educação especial, promove a inclusão das pessoas com deficiência no mercado de trabalho desde 1981 por meio do Centro de Educação e Trabalho (CENET), que promove atividades tanto na área de qualificação profissional quanto na de colocação no mercado de trabalho. O serviço de colocação no mercado de Ttabalho, coordenado pelo CENET, promoveu, entre 2012 e 2016, a contratação de 520 pessoas com deficiência por empresas da Grande Florianópolis.

SERVIÇO
II Seminário Catarinense de Formação Profissional e Empregabilidade da Pessoa com Deficiência: Nos caminhos da inclusão
DATA: 04/05/2017
HORÁRIO: das 8h30 às 12 e das 13h30 as 16h30
LOCAL: Auditório da Fundação Catarinense de Educação Especial
Rua Paulino Pedro Hermes, 2785 - Bairro Nossa Senhora do Rosário - São José (SC)
PRAZO DE INSCRIÇÃO: até dia 02/05/17
Edital e inscrições neste link

Mais informações para imprensa: 

Aline Buaes -Assessoria de Comunicação FCEE
(048) 3381-1693 / 3381-1600
Rua Paulino Pedro Hermes, 2785 - Bairro Nossa Sra. do Rosário
São José / SC - CEP 88108-900
Email: imprensa@fcee.sc.gov.br

Fortalecer cadeias produtivas existentes, identificar potenciais geradores de renda e elevar os índices sociais e de educação são ações comuns a regiões com baixos índices de desenvolvimento no Estado. Nesta terça-feira, 25, o comitê gestor do programa Crescendo Juntos, que visa equilibrar o desenvolvimento das regiões catarinenses, se reuniu em Florianópolis para conhecer propostas de desenvolvimento econômico e social das regionais.

Cada região prioritária do programa conta com um grupo de trabalho, o Núcleo Executivo Regional, que definiu as ações prioritárias nos eixos de desenvolvimento econômico, desenvolvimento social, gestão pública, infraestrutura e meio ambiente e ciência e tecnologia. Com apoio técnico da Secretaria de Estado do Planejamento, os núcleos escreveram projetos com justificativa, objetivos, ações previstas, indicadores, fontes de recursos e cronograma de execução.

Na região de Caçador, por exemplo, um dos projetos é o fortalecimento da piscicultura que prevê construir novos viveiros de produção, reformar viveiros já existentes, mecanizar a atividade com uso de equipamentos que venham a melhorar os sistemas produtivos, implantar uma unidade de beneficiamento do peixe, construir a casa do peixe com venda direta ao consumidor e capacitar os produtores. Já na região de Canoinhas há um projeto de implantação do Sistema Único de Assistência Social em todos os municípios do Planalto Norte. As propostas das regiões abrangem temas econômicos e de melhoria nas condições de vida das populações.

Na Serra, o destaque é o programa de apoio ao desenvolvimento do turismo da região, desenvolvido pela Associação de Municípios da Região Serrana) e Conserra (Conselho de Turismo da Serra Catarinense. O programa visa valorizar os atrativos turísticos públicos, com a implantação de um sistema de gestão para o desenvolvimento sustentável do turismo, criação de um aplicativo, reestruturação dos Postos de Informação Turística, sinalização turística da região e rotas cênicas.

“Eu fiquei impressionado com a qualidade dos projetos mesmo com alguns desníveis na evolução das agendas, mas nós já temos algumas agendas estratégicas. A equipe da Secretaria de Planejamento identificou, dentro das agendas, as afinidades das diferentes organizações que são parceiras do programa para avaliar o que já pode ser feito. Nós queremos produzir novas dinâmicas nas regiões”, destacou o secretário de Estado do Planejamento Murilo Flores.

Os parceiros do programa Crescendo Juntos e as secretarias estaduais vão avaliar as propostas para definir os projetos entrarão na Agenda de Desenvolvimento Regional. A partir disso, as propostas serão detalhados com os núcleos executivos regionais que reúnem representantes do Governo do Estado e da sociedade civil.

Outras demandas das regionais devem integrar uma agenda de Estado, como a implantação de energia trifásica e de internet no campo, revisão de política de tributação sobre produtos primários (ICMS fica com o município vendedor do produto), agregação de valor no turismo rural e qualificação de estradas rurais.

O comitê gestor do Crescendo Juntos é formado pelas secretarias de Estado de Planejamento, da Assistência Social, Trabalho e Habitação, de Agricultura e Pesca, Desenvolvimento Econômico Sustentável e Turismo Cultura e Esporte, além de Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc), Federação Catarinense de Municípios (Fecam) e Federação dos Trabalhadores na agricultura do Estado de Santa Catarina (Fetaesc).

Sobre o Crescendo Juntos

Após o estudo de diversos indicadores de desenvolvimento, a equipe técnica da Secretaria de Estado do Planejamento elaborou o mapa de elegibilidade que define as regiões de Santa Catarina mais desenvolvidas, em transição e menos desenvolvidas. Essa classificação é resultado da associação de duas variáveis-chave capazes de medir o desenvolvimento socioeconômico de uma região ou do Estado: renda domiciliar per capita média da população residente na região e Produto Interno Bruto per capita. Além disso, foram considerados dois indicadores complementares: evasão da população e a dinâmica do emprego formal.

O programa identificou 12 regiões com baixos índices de desenvolvimento em Santa Catarina: Caçador, Campos Novos, Canoinhas, Curitibanos, Dionísio Cerqueira, Ituporanga, Lages, Laguna, Quilombo, São Joaquim, São Lourenço do Oeste e Taió. Em cada região será elaborada uma agenda de desenvolvimento com propostas concretas para dinamizar a economia local, respeitando as vocações dos territórios, com a participação de órgãos governamentais e da sociedade civil organizada.

Os parceiros do Crescendo Juntos são BRDE, Agência de Fomento do Estado de Santa Catarina S.A. (Badesc), Fecam, Fiesc, Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina, Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina, Fetaesc, Banco do Brasil, Universidade do Estado de Santa Catarina, Universidade Federal de Santa Catarina, Universidade Federal da Fronteira Sul e Sistema Acafe.

Informações adicionais para imprensa:
Rosália Dors Pessato
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado do Planejamento
E-mail: rosalia@spg.sc.gov.br
Telefone: (48) 3665-3319/99186-9740

Mais de uma centena de jovens ligados ao Centro Cultural Escrava Anastácia (CCEA) participam até maio de uma série de oficinas sobre temas como empreendedorismo, liderança, finanças e planejamento pessoal/familiar, ministradas por meio de uma parceria com acadêmicos e docentes do Centro de Ciências da Administração e Socioeconômicas (Esag), da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), em Florianópolis.

Batizado de Ciclo de Oficinas de Habilidades Esaguianas, o projeto realiza oito encontros semanais – sempre às terças e quartas-feiras, pela manhã e à tarde – com sete turmas de jovens do CCEA, cada uma com cerca de 20 alunos, com idades entre 14 e 20 anos. Os encontros ocorrem na sede do CCEA, no Bairro Estreito.

As oficinas são ministradas voluntariamente por estudantes de diferentes termos de Administração Pública da Udesc Esag, aplicando a abordagem desenvolvida no centro de ensino especialmente para o público contemplado.

Coordenada pela professora Paula Chies Schommer, a iniciativa tem envolvimento de dois programas de extensão: o Esag Kids, coordenado pelo professor Eduardo Jara, e o Habilis - Ateliê de Economia e Finanças, dos docentes Ivoneti da Silva Ramos e Francisco Baima.

Formação e integração

As quatro oficinas já realizadas abordaram os temas: Criatividade; Empreendedorismo; Planejamento pessoal; e Planejamento financeiro. A partir desta semana, serão tratados: Tenho renda, e agora?; Consumo consciente; Liderança; e Dinheiro público e cidadania.

Segundo a professora Schommer, a ideia surgiu a partir de uma atividade acadêmica realizada junto ao CCEA, no semestre passado, como parte da disciplina Desenvolvimento Comunitário e Poder Local.

Integrante da rede de organizações do Instituto Padre Vilson Groh (IVG), o CCEA oferece um programa de formação para auxiliar o ingresso de jovens no mercado de trabalho, especialmente no programa de governo Jovem Aprendiz.

"Um dos objetivos principais do ciclo de oficinas é aproximar jovens de diferentes experiências, vivências e contextos. É uma oportunidade conjunta de aprendizagem, em que todos aprendem: os universitários conhecem mais sobre os temas e o contexto das organizações e dos alunos em formação, e estes se aproximam da universidade", afirma a professora, que destaca ainda a capacitação dos participantes e o aprimoramento da metodologia como resultados gerados pelas oficinas.

Método inédito

A abordagem aplicada nas oficinas foi desenvolvida em conjunto entre professores e acadêmicos da Udesc Esag, a partir da ampla experiência do centro de ensino na área.

Para tratar o empreendedorismo, por exemplo, está sendo utilizada uma adaptação da oficina Canvas Kids, método criado pelo programa Esag Kids para estimular a idealização, elaboração e apresentação de projetos criativos.

Idealizada para capacitar crianças e aplicada com mais de mil jovens no ano passado, a metodologia é inspirada em ferramentas de gerenciamento estratégico, como o modelo de negócio Canvas, e em conceitos de criação de startups.

Oportunidades

Participante da disciplina que deu origem ao projeto, a acadêmica Yasmin Simões foi uma das responsáveis por ministrar a oficina de Planejamento Financeiro no Ciclo. Para ela, o desejo de participar do projeto nasceu da vontade de ir além da vivência restrita de aulas e estágio: "A oportunidade de ensinar, incentivar os jovens a estudar e saber que de algum modo você está contribuindo um pouco para a perspectiva de futuro de alguém, é um sentimento muito gratificante", conta.

Já a caloura Letícia Martins, que está participando de todas as oficinas, afirma que o projeto é uma oportunidade de "transmitir conhecimento e aprender com as diferentes temáticas abordadas. É uma experiência importante, para que os jovens tenham acesso a assuntos recorrentes que são pouco explorados nas escolas".

Segundo os professores envolvidos, as atividades estão sendo avaliadas por todos os participantes, visando aprimorar a metodologia para futuramente disponibilizá-la para públicos interessados.

Assessoria de Comunicação da Udesc Esag
E-mail: comunica-esag@udesc.br
Telefone: (48) 3664-8281


Foto: Suzana Francieli Ferrari

Na manhã desta segunda-feira, 17, foi realizada reunião na Agência de Desenvolvimento Regional de Maravilha (ADR), com o secretário de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação (SST), Valmir Francisco Comin, e municípios que receberão o Cras na regional.

Segundo o secretário Valmir Comin, são vários pedidos em todo o estado, mas será dada sequência de forma cronológica. O novo lote de licitações deverá ser enviado até o mês de outubro de 2017. Comin anunciou que os municípios de Modelo e Serra Alta receberão o Cras e devem seguir rigorosamente os critérios do edital.

 Comin explica que as reuniões estão sendo realizadas como forma de orientação para o processo licitatório e para as medidas preventivas. “A SST será a primeira secretaria a utilizar a tecnologia BIM, tecnologia em que os responsáveis das obras poderão ter uma visão geral de todo o processo”, afirma ele.

O secretário da ADR Maravilha, Valci Dal Maso, ressalta que é muito importante essa comunicação entre municípios, Regional e Estado. “As obras da nossa região são como cartões postais para nossos municípios, elas precisam acontecer”, destaca o secretário.

Informações adicionais para a imprensa
Suzana Francieli Ferrari
Assessoria de imprensa
Agência de Desenvolvimento Regional de Maravilha
E-mail: imprensa@mvh.adr.sc.gov.br
Telefone: (49) 3664-6532 / (49) 8839-1117
Site: www.adrs.sc.gov.br/adrmaravilha
Facebook: https://www.facebook.com/regional.maravilha


Foto: SST/Divulgação

O secretário de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação (SST), Valmir Comin, entregou na tarde desta quarta-feira, 12, no auditório Leonel Brizola, na sede da SST, aos responsáveis pelos postos do Sistema Nacional do Emprego (SINE) o Cartão de Pagamentos do Estado de Santa Catarina (CPESC), implantado para atender as pequenas despesas de manutenção nos postos de atendimento ao trabalhador.

A chegada dos cartões para a rotina diária dos servidores é considerada um grande avanço. “Esta parceria com a Fazenda que nos apoiou desde o início para a implantação deste cartão já é sucesso. O valor pode não ser tão grande, mas vai fazer muita diferença no trabalho das pessoas, podem acreditar. É uma forma transparente de trabalhar e também uma maneira positiva de oferecer qualidade aos servidores”, disse Comin.

O diretor de Trabalho, Emprego e Renda, Thiago Chaves, lembra que o benefício é uma importante contribuição para  o servidor, que muitas vezes precisou solucionar alguma situação pequena, com recursos próprios. “Antes o processo era moroso, agora a situação fica bem diferente e o resultado será bastante positivo tanto para o nosso servidor”, acredita.

A contadora geral da secretaria de Estado da Fazenda, Graziela Luiza Menchein, relatou que o projeto dos cartões de pagamento foi iniciado em 2014 e veio com o intuito de desburocratizar. “Estava bem complicada a situação das pessoas que trabalhavam nos setores. Muitas vezes pagavam do bolso. O cartão gera mais controle e transparência”, pontuou a contadora ao adiantar que a ideia é fazer com que todos os setores do Estado recebam o cartão até 2018.

Mais informações para a imprensa:
Kênia Pacheco
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação (SST)
Fone: (48) 3664-0916 / (48) 99984-1799
E-mail: ascom@sst.sc.gov.br
Site: www.sst.sc.gov.br

O projeto de lei que institui o Fundo Estadual do Idoso (FEI-SC) foi encaminhado pelo Governo do Estado para a Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc).  

Vinculado à Secretaria de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação (SST), o objetivo do Fundo é possibilitar que pessoas e instituições possam doar recursos para que projetos, programas, serviços e ações relativos à pessoa idosa no Estado de Santa Catarina possam receber o investimento.

Conforme informações do secretário de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação, Valmir Comin, a principal fonte de receita do Fundo é a doação feita por meio do imposto de renda. Segundo ele, o assunto vai tramitar na Alesc e passará por análise e discussão das comissões de Justiça, Finanças e Trabalho.

 

Mais informações para a imprensa:

Kênia Pacheco
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação (SST)
Fone: (48) 3664-0916 / (48) 99984-1799
E-mail: ascom@sst.sc.gov.br
Site: www.sst.sc.gov.br

Unidades do Sistema Nacional do Emprego (Sine) de Santa Catarina receberão a partir desta quarta-feira, 12, o Cartão de Pagamentos do Estado de Santa Catarina (Cpesc), implantado na Secretaria de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação (SST) para cobrir as pequenas despesas de manutenção nos postos de atendimento ao trabalhador.

A entrega oficial será realizada no auditório da Secretaria, às 14h, pelo Secretário de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação, Valmir Comin, com a presença do Secretário da Fazenda, Antônio Gavazzoni.  

Comin afirmou que a mudança está sendo feita para aprimorar as condições de trabalho dos servidores. Segundo ele, o cartão vai oferecer mais agilidade na execução das despesas menores e até mesmo imprevistas. “É uma forma transparente de trabalhar e também uma maneira positiva de oferecer qualidade aos servidores, o que aprimora automaticamente o atendimento ao público”, observou o secretário.

Para o diretor da Diretoria de Trabalho, Emprego e Renda, Thiago Chaves, a entrega deste cartão para os postos do Sine vai oferecer mais eficiência para os servidores que precisam solucionar os pequenos reparos que surgem com agilidade. “Este cartão é potencialidade para trabalhar com menos burocracia para sanar os problemas”, disse ele.

Mais informações para a imprensa:
Kênia Pacheco
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação (SST)
Fone: (48) 3664-0916 / (48) 99984-1799
E-mail: ascom@sst.sc.gov.br
Site: www.sst.sc.gov.br


F
otos: Helena Marquardt/ADR Ibirama

A Páscoa, uma das principais festividades religiosas do mundo, tem ganhado um significado especial na Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Ibirama, que transformou a data em oportunidade e tem dado uma verdadeira aula de inclusão. Desde março os estudantes trabalham confeccionando cestas de papelão que agora estão sendo vendidas em toda a região e ajudam no seu desenvolvimento motor e cognitivo.

O artesanato é ensinado na turma da Oficina, que reúne alunos que não podem ingressar no mercado de trabalho por causa de alguma deficiência. A professora Viviane Vagner, explica os materiais utilizados nas cestas, como papelão e papel, foram doados pela comunidade. Já as fitas e outros enfeites foram comprados pela direção da escola.

A professora ressalta que juntamente com as atividades pedagógicas, os trabalhos manuais trazem inúmeros benefícios para os alunos especiais. “Esse trabalho desenvolve várias habilidades e todos participam. Alguns alunos conseguem desenvolver a cestinha toda sozinhos, mas a maioria faz determinada etapa. Os acabamentos finais eu ajudo porque precisa utilizar cola quente, mas eles montam praticamente sozinhos.”

As cestas custam de R$ 5 até R$ 12 reais, dependendo do tamanho e modelo, e estão sendo vendidas em alguns comércios de Ibirama e na própria Apae. O lucro da venda será revertido para um passeio com os estudantes e compra de materiais para confecção de outros artesanatos.

Além da confecção das cestas, que contribui até mesmo para a melhoria da autoestima dos alunos, a direção da Apae organizou também uma programação especial de Páscoa. A coordenadora pedagógica da instituição, Leonir Aparecida Stano, explica que os alunos estão realizando ao longo da semana apresentações culturais como canto e teatro de sombras. “Também organizamos uma gincana com caça ao coelho e ao ovo para ter uma interação entre os estudantes, professores e funcionários”.

Educação Especial é prioridade do Governo de Santa Catarina

O Governo de Santa Catarina é um dos que mais investem na Educação Especial. Só em 2016 foram destinados para o setor cerca R$ 230 milhões. Além de desenvolver a política estadual de educação especial e de atendimento às pessoas com deficiência, a Fundação Catarinense de Educação Especial é a instituição responsável por fomentar, produzir e difundir o conhecimento científico e tecnológico nesta área.

Em todo o Estado, os acordos de cooperação técnico-pedagógica do ano passado resultaram no repasse total de R$ 155 milhões, sendo R$ 80 milhões para a contratação de 850 professores efetivos e R$ 75 milhões para a contratação de 2,5 mil professores temporários em 216 instituições especializadas em educação especial.

Neste ano o setor continua recebendo investimentos. Exemplo disso é que em março a Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) de Ibirama assinou um convênio no valor de R$ 467.069,93 com as Associações de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apaes) de Ibirama, Presidente Getúlio, Apiúna, José Boiteux, Dona Emma e Witmarsum. O valor será utilizado durante todo o ano para a manutenção das instituições.

Informações adicionais para a imprensa:

Helena Marquardt
Assessoria de comunicação ADR Ibirama
Fone (47) 3357-8908 / (47) 8819-9350
E-mail: imprensa@iir.sdr.sc.gov.br


Fotos: Ricardo Lunge / ADR Blumenau

Para ajudar mães de trigêmeos ou mais, o Governo de Santa Catarina tem desde 2012 o Programa do Benefício de Gestação Múltipla, inédito no Brasil. As mães catarinenses que tiverem trigêmeos ou mais, recebem o auxílio para ajudar nos cuidados dos seus filhos. O benefício garante a estas famílias, desde que tenham uma renda de até 75% do salário mínimo por pessoa, o valor de R$ 430 mensais para cada uma das crianças nascidas em uma mesma gestação, até completarem a idade de 12 anos.

Nos municípios da região da ADR Blumenau, são sete famílias contempladas pelo programa, cinco em Blumenau e duas em Ilhota, todas de trigêmeos. Para Rafaela Cristina Pinheiro, de Ilhota, mãe das trigêmeas de 5 anos, Emanuelle, Emily e Helena, o benefício é muito importante e ajuda a custear várias despesas da família. ” Se não fosse esta ajuda do Governo do Estado, não poderíamos sustentar nossas filhas. É muito importante um auxílio como este, afinal, são três filhos na mesma idade”. 


Foto: Ricardo Lunge / ADR Blumenau
O pagamento, efetuado pela Secretaria de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação (SST), está previsto na lei aprovada em 2010 e regulamentada em abril de 2012. A lei garante o benefício para as famílias de todas as classes sociais. Pela lei, o benefício passa a contar a partir da data do requerimento, desde que todos os documentos sejam apresentados. No ano passado foram repassados para as famílias cadastradas no programa R$ 800 mil.

Critérios para receber o benefício:

 - As crianças devem ter nascido em Santa Catarina;

 - Os pais precisam ter residência no estado há no mínimo 2 anos, de forma ininterrupta, antes do nascimento das crianças e também é necessário manter residência no estado até o término do período do benefício;

 - Em caso de separação conjugal dos representantes legais, o benefício ficará com aquele que for judicialmente designado.

Documentos necessários:

 São necessárias cópias autenticadas dos seguintes documentos:

 - Carteira de identidade e CPF dos representantes legais;

 - Certidão de nascimento dos beneficiários;

 - Comprovante de residência, acompanhado de declaração que evidencie o período de residência igual ou superior ao exigido;

 - Dados da conta bancária, com a declaração da instituição financeira para a efetivação do pagamento, que será feito pela SST.

Informações adicionais para a imprensa:
Ricardo Lunge
Assessoria de Imprensa
Agência de Desenvolvimento Regional de Blumenau
E-mail: imprensa@bnu.sdr.sc.gov.br
Telefone: (47) 3378-8175 / 99232-6300
Site: www.adrs.sc.gov.br/adrblumenau