Foto: Karla Quint/Udesc

Encerra-se nesta quarta-feira, 26, o prazo de inscrição para o Processo Seletivo nº 04/2019 da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), com 41 vagas de professor substituto. Os postos de trabalho são para as cidades de Balneário Camboriú, Chapecó, Florianópolis, Ibirama, Lages, Laguna, Joinville, Pinhalzinho e São Bento do Sul.

As oportunidades são temporárias, com prazo de até quatro anos, em diversas áreas do conhecimento. Os salários variam de acordo com a titulação e as horas contratadas, que podem ser verificadas no edital.

As inscrições ocorrem no site oficial e devem ser pagas por meio de boleto, no valor de R$ 100. Entre 8 e 10 de julho, os candidatos da seleção da Udesc realizarão prova escrita e prova didática, além de passarem por avaliação de títulos.

Mais informações

Mais informações sobre vagas, endereços e horários de atendimento podem ser obtidas no edital.

Siga as novidades da universidade pelo FacebookInstagramTwitterUdesc em RedeWhatsApp e YouTube.

Assessoria de Comunicação da Udesc
E-mail: comunicacao@udesc.br
Telefones: (48) 3664-7935/8010

24 06 Imersão sobre o Currículo Base do Território Catarinense reúne 550 educadores na Grande Florianópolis

Um seminário de imersão sobre o novo Currículo Base da Educação Infantil e do Ensino Fundamental do Território Catarinense reúne 550 professores e gestores escolares, de segunda-feira, 24, até quarta, 26, no hotel Golden, em São José (SC). O grupo será o multiplicador do documento de referência para as escolas dos 295 municípios do Estado.

 Foto: Jonas Pôrto/UDESC

Nesta segunda-feira, 24, às 16h55, a Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) publicou a primeira chamada do Vestibular de Inverno 2019 para cursos presenciais de graduação, com o total de 1.040 candidatos aprovados. O desempenho individual poderá ser consultado a partir das 18h. Além disso, as imagens dos cartões de resposta e da redação ficarão disponíveis durante 48 horas. Nesse período, os candidatos poderão apresentar recursos. 

Conforme o Calendário Acadêmico 2019, a matrícula da primeira chamada ocorrerá em 15 e 16 de julho, nos centros da Udesc (confira os documentos necessários), e as aulas inciam em 29 de julho. As datas das próximas chamadas serão definidas em breve.  

Confira a lista em www.vestibular.udesc.br.

Mais informações

Mais informações podem ser conferidas na página oficial, no FAQ do Vestibular e com a Coordenadoria de Vestibulares e Concursos da Udesc (Covest) pelos telefones (48) 3664-8089 e 8091, das 13h às 19h, e pelo e-mail vestiba@udesc.br.

Assessoria de Comunicação da Udesc
E-mail: comunicacao@udesc.br
Telefones: (48) 3664-7935/8010


Foto: Divulgação / Udesc

Na segunda-feira, 24, a partir das 17h, a Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) divulgará a primeira chamada do Vestibular de Inverno 2019 para 37 cursos presenciais de graduação, com 1.040 aprovados. A universidade publicará a lista somente no site www.vestibular.udesc.br, no qual os candidatos também poderão consultar seu desempenho nas provas.


Colégio Evangélico Jaraguá, de Jaraguá do Sul, campeão no vôlei feminino - Fotos: Antonio Prado / Fesporte

Chegou ao final a 11ª edição dos Jogos Escolares de Santa Catarina (Jesc) para estudantes de 15 a 17 anos, e o grito de “é campeão” ecoou pelas praças esportivas de São Miguel do Oeste. Foram oito finais nas modalidades coletivas, considerando os gêneros masculino e feminino: basquete, futsal, handebol e vôlei. As competições começaram na terça-feira, 18. Antes disso, nos dias 15 e 16, ocorreram as modalidades individuais: atletismo, badminton, ciclismo, tênis de mesa, vôlei de praia e xadrez.

Algumas modalidades individuais, por questões de infraestrutura, serão disputadas em datas específicas e locais diferentes. A ginástica rítmica, por exemplo, ocorrerá dia 7 de julho dentro da programação do campeonato estadual de ginástica em Brusque.

A Fundação Catarinense de Educação Especial (FCEE) promove, entre os dias 1º e 5 de julho, o curso Audiodescrição Básico voltado a professores de ensino regular e de Atendimento Educacional Especializado, jornalistas e produtores culturais. O curso é gratuito e a inscrição pode ser realizada pelo site da instituição neste link até o dia 27 de junho ou até quando restarem as vagas.

Com carga horário de 30 horas, o curso vai capacitar profissionais para realizarem audiodescrição nos mais variados contextos. Serão abordados temas como orientações práticas para o trabalho, aplicações e práticas e audiodescrição de diferentes contextos. É necessário que cada participante traga notebook com sistema operacional Windows e fones de ouvido.


Foto: Divulgação / Dive

As aulas nas unidades da rede estadual de ensino em Imbituba continuarão suspensas nesta quarta-feira, 19, após a notificação da morte de uma estudante de 12 anos por meningite bacteriana, no último domingo. As atividades nas escolas estaduais foram suspensas na terça-feira, 18, para a aplicação de medidas de prevenção pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive) de Santa Catarina. 

A Coordenadoria Regional de Educação, vinculada à Secretaria de Estado da Educação (SED), seguiu todas as orientações da Dive e mantém a suspensão das aulas na quarta-feira, em alinhamento com a decisão do poder público municipal de Imbituba, que também cancelou as atividades escolares. Nas unidades estaduais, os dois dias letivos serão repostos.

A meningite bacteriana é grave e, dependendo dos casos, pode levar o paciente à morte em algumas horas após o aparecimento dos sintomas. Várias bactérias podem provocar meningite, porém o tipo mais grave - o mesmo diagnosticado na estudante de Imbituba - é causado pela bactéria chamada Neisseria meningitidis (meningococo). Essa bactéria possui diversos sorogrupos. Em Santa Catarina, os sorogrupos circulantes são o B, C ,Y e W. No caso da estudante, o resultado do exame que vai indicar o sorogrupo deve ser divulgado pelo Laboratório Central de Saúde Pública de Santa Catarina (Lacen) nesta quarta, 19.

Equipes da Dive passaram a terça-feira em Imbituba, reunidas com pais de alunos, com a Secretaria Municipal e a Regional de Saúde, com a Secretaria Municipal e a Coordenadoria Regional de Educação, para repassar orientações e definir outras medidas de prevenção. Uma delas foi o procedimento de quimioprofilaxia para evitar casos secundários e a transmissão da meningite. A medida consiste na administração de um antibiótico a quem esteve próximo da pessoa contaminada.
“Nós estivemos hoje no município e nos certificamos que todas as pessoas que tiveram contato próximo com a estudante, como familiares e colegas de escola, já foram medicadas. Portanto, não há motivo para se preocupar com a transmissão”, explica a diretora da Dive, Maria Teresa Agostini.

Transmissão

A meningite meningocócica é transmitida por meio das vias respiratórias, no contato com secreções, gotículas do nariz e da garganta expelidas pela fala, tosse e espirro. A propagação é facilitada em ambientes fechados e/ou sem ventilação. Pessoas residentes na mesma casa, que compartilham dormitórios ou alojamentos estão suscetíveis ao contágio que também pode ocorrer em creches, escolas, acampamentos ou locais em que há aglomeração de pessoas. “Importante ressaltar que a meningite bacteriana não é transmitida pelo ar, precisa haver um contato próximo”, explica o médico infectologista da Dive, Fábio Gaudenzi.

Sintomas da meningite

Os principais sinais e sintomas são: febre alta que começa abruptamente, dor de cabeça intensa e contínua, vômito, náuseas, rigidez de nuca e manchas vermelhas ou arroxeadas na pele ou mesmo hematomas. Em crianças menores de um ano de idade, esses sintomas podem não ser tão evidentes e os pais ou responsáveis devem atentar para a presença de moleira tensa ou elevada, irritabilidade, inquietação com choro agudo e persistente e rigidez corporal com ou sem convulsões. Ao apresentar qualquer um desses sinais ou sintomas procure imediatamente uma unidade de saúde. Quanto mais cedo a doença for diagnosticada e tratada, maior chance de cura, evitando complicações.

Prevenção

Além da quimioprofilaxia – administração de medicamentos capazes de prevenir a infecção - nos contatos próximo, existem outras formas de prevenção: manter os ambientes bem ventilados e, se possível, ensolarados, principalmente salas de aula, quartos, locais de trabalho e transporte coletivo; lavar as mãos frequentemente com água e sabão; manter rigorosa higiene com pratos, talheres, mamadeiras e chupetas; e evitar aglomerações. Além disso, é de extrema importância manter a carteira de vacinação em dia.

Informações adicionais para imprensa:

Patrícia Pozzo
Núcleo de Comunicação
Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive)
Secretaria de Estado da Saúde
Fone: (48) 3664-7406 | 3664-7402
E-mail: divecomunicacao@saude.sc.gov.br
www.dive.sc.gov.br

Sicilia Vechi - (48) 3664-0353 / 99132-5252
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Educação – SED

 Foto: Osvaldo Nocetti/ SED

A Secretaria de Estado da Educação e a Secretaria de Estado da Administração Prisional e Socioeducativa assinaram nesta segunda-feira, 17, o termo de cooperação que garante ações de educação para cerca de cinco mil detentos no sistema prisional catarinense. O objetivo do Termo de Cooperação Técnica é a designação de professores e o apoio pedagógico ao ensino fundamental e médio, por meio dos Centros de Educação de Jovens e Adultos (CEJA) e do Departamento de Administração Prisional (DEAP). A vigência do documento é de 40 meses.

“Cerca de 400 professores atuam dentro do sistema prisional, com uma demanda por alfabetização de dois mil detentos em um universo de 23 mil em Santa Catarina. O aumento da escolarização é um benefício à sociedade e vemos campo para ampliar nosso trabalho”, avaliou o secretário da Educação Natalino Uggioni.

Juntamente com o adjunto da pasta da Administração Prisional, Edemir Alexandre Camargo Neto, o secretário Leandro Lima destacou que a oferta do ensino formal é parte importante nas estratégias de segurança. Um dos resultados percebidos quando o preso ingressa no ensino formal é a decisão por se submeter a exames nacionais como o Enade e o Enceja. Assim, ele muda a autopercepção em meio ao processo de aprendizagem. “A educação associada ao trabalho e políticas de assistência em saúde compõem um todo que melhora o quadro da segurança nas unidades prisionais”.

Trabalho de detentos é contrapartida

Para a Secretaria de Estado da Educação, uma das contrapartidas é outro convênio, que irá viabilizar a mão de obra dos apenados para reformas de carteiras e cadeiras do mobiliário escolar da rede estadual, em oficinas do sistema prisional do estado. Também está em tratativas a atuação de apenados em algumas funções para unidades educacionais, ligadas à limpeza e à manutenção.

As ações de fortalecimento para o atendimento educacional aos apenados em Santa Catarina são fundamentadas pelo Plano Estadual de Educação em Prisões, atualizado em 2016 e com vigência prevista de dez anos. “A maior parte da comunidade desconhece a relevância deste trabalho da educação dentro do sistema prisional. Quando percebemos os números de atendimentos e de projetos, assim como as oportunidades geradas, somos motivados a divulgar e a prosseguir nessa tarefa”, ressalta a diretora de Gestão da Rede Estadual, Isabela Fornari Müller.

A gerente de Modalidades, Programas e Projetos Educacionais, Beatris Clair Andrade, justifica a visão por trás das iniciativas. “Se, por um lado, é triste uma sociedade em que uma pessoa se alfabetiza dentro da prisão, por outro, com um trabalho pedagógico e não assistencialista, criamos oportunidades em algum momento da vida dessa pessoa, para que ela conclua a educação básica”.   

Sicilia Vecchi - Educação

Informações adicionais para a imprensa

Sicilia Vechi - (48) 3664-0353 / 0454 / 99132-5252
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Educação – SED
www.sed.sc.gov.br 


Fotos: Osvaldo Nocetti / SED

Santa Catarina deu mais um passo importante para a qualidade da educação nesta segunda-feira, 17, com a aprovação do Currículo Base da Educação Infantil e Ensino Fundamental do Território Catarinense pelo Conselho Estadual de Educação (CEE). O documento elaborado de forma participativa e democrática vai refletir diretamente no conteúdo ensinado em sala de aula.

Até 2020, o Currículo será implementado nas escolas das redes estadual e municipal e irá nortear os projetos político-pedagógicos das unidades. Para isso, a partir da próxima semana começam os seminários que irão qualificar 550 profissionais da educação, entre eles, gestores e professores de Santa Catarina, que serão multiplicadores para a implementação do documento nas unidades escolares.

O Currículo padroniza o conteúdo do estudante nas redes de ensino. Com isso, o aprendizado se torna mais igualitário e um aluno que muda de escola ou rede de ensino consegue acompanhar os trabalhos em sala de aula, sem prejuízo ou dificuldade na aprendizagem.

Um passo histórico para a educação catarinense foi como o secretário de Estado da Educação, Natalino Uggioni, definiu a aprovação. O secretário acredita que o Currículo pode ser um instrumento a mais para trazer os pais para dentro da escola e dar aos estudantes um sentimento de pertencimento. “Quando os pais participam da vida escolar dos filhos, aumenta a qualidade de ensino. E se o estudante se sente parte da escola, ele vai querer estar na escola”, ressaltou Uggioni.

A secretária adjunta da Educação, Carla Bohn, observou que o desafio agora é tornar o currículo realidade em cada unidade escolar. “São mais de cinco mil escolas, mais de 140 mil professores que precisamos sensibilizar, para que eles se apropriem e tornem vivo o documento em sala de aula." ressaltou.

O presidente do CEE, Osvaldir Ramos, considerou o Currículo uma maneira importante de melhorar a educação catarinense. “Ele é um instrumento de transformação das etapas de ensino, de equidade na aprendizagem, de vozes e oportunidades iguais”.

Professores representados

A presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) em SC, Patrícia Lueders, destacou a participação dos professores na elaboração do documento. “A gente quis dar vez e voz para os profissionais que estão em sala de aula. Esse currículo tem a alma e a vivência destes profissionais”, concluiu.

A coordenadora estadual da BNCC da Undime-SC, Sonia Regina Fachini, também chamou a atenção para o papel dos educadores na construção do Currículo. “O trabalho de todos está representado no documento, que traz um retrato da educação catarinense”, disse.

O representante do Colegiado Estadual de Educação da Federação Catarinense de Municípios (Fecam), Maurício da Silva, salientou a parceria entre estados e municípios na elaboração do Currículo. “Essa articulação precisa ser multiplicada na etapa de implementação, que será ainda mais importante e trabalhosa”, ponderou.

Como foi feito

O documento foi escrito em regime de colaboração entre a Secretaria de Estado de Educação (SED), a União dos Dirigentes Municipais de Santa Catarina (Undime), o Conselho Estadual de Educação (CEE), a União Nacional de Conselhos Municipais de Educação (UNCME) e a Federação Catarinense de Municípios (Fecam). Também contou com a participação de professores e com uma consulta pública.

O Currículo foi norteado pela Base Nacional Comum Curricular do MEC, que estabelece conhecimentos, competências e habilidades para que os estudantes desenvolvam ao longo da escolaridade básica.

Informações à imprensa

Sicilia Vechi - (48) 3664-0353 / 99132-5252
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Educação – SED

 Foto: Divulgação/ SED

Com objetivo de mobilizar e conscientizar sobre a importância do Dia Mundial Contra o Trabalho Infantil, estudantes da rede estadual participaram da Feira de Aprendizagem realizada nas regiões de Itajaí, São Bento do Sul, Rio do Sul, Videira e Tubarão nesta quarta-feira, 12.