Compartilhe

Seguindo uma determinação do Ministério da Educação e Cultura (MEC), a Secretaria de Estado da Educação (SED) deu início ao processo de reordenamento das escolas da rede estadual em Santa Catarina. Desde o ano passado, as Gerências Regionais de Educação têm feito mapeamento das escolas com maior demanda de alunos e aquelas que estão funcionando com número abaixo.

A Gerência Regional de Educação (Gered) de Joinville conclui nesta semana um levantamento do número total de salas que estão sendo usadas e aquelas que ainda aguardam para receber novos alunos. Em 39 escolas da rede estadual na cidade, foram contabilizadas 569 salas de aula. Desse total, 34 estão vazias durante a manhã, 155 sem uso durante à tarde e 412 ociosas no período da noite.

O levantamento identificou 51.210 vagas para a rede estadual de ensino em Joinville. Desse total, 38,4 mil estão preenchidas com matrículas do ensino fundamental ao médio. “Isso significa que nós teríamos condições de atender mais 12.810 alunos se houvesse demanda”, analisa Lorena Rothbarth, gerente da Gered.

Durante o período da manhã e tarde, as salas vazias correspondem a 5.670 vagas disponíveis e outras 7.140 à noite. Entre as escolas que apresentam salas ociosas, estão a EEB Plácido Olímpio de Oliveira, no Bom Retiro; a EEB Tuffi Dippe, no Boa Vista; a Paulo Medeiros, no Adhemar Garcia. O período com maior número de alunos frequentando a escola é durante a manhã.

“Nosso levantamento identifica 569 salas, em sua grande maioria com 48 metros quadrados, e cada uma delas tem capacidade para receber 30 alunos conforme prevê a legislação. Deve-se ainda considerar que são três períodos distintos de aula. Nós temos escolas com uma boa estrutura e com vagas em aberto”, explica Lorena.

Reordenamento das escolas é necessário

Para uma escola ter viabilidade de funcionamento precisa ter um mínimo de 120 alunos matriculados. Essa reorganização é regulamentada por um parecer da comissão do Plano de Ofertas Educacionais (POE), da SED. Esse número mínimo de estudantes justifica os custos de manutenção da estrutura física bem como outros critérios técnicos como gastos em transporte escolar e composição das turmas com os professores. Desta forma, justifica a necessidade da Gered reordenar algumas escolas e optar pela desativação de outras.

Um exemplo em Joinville é o da Escola de Educação Básica Elpídio Barbosa, no Bairro Costa e Silva: a unidade, gradativamente, teve redução nas matrículas. Em 2015, no período matutino e vespertino havia 233 alunos frequentando a escola. Em 2016, esse número baixou para 184. Com as matrículas abertas para o ano letivo de 2017, somente 37 estudantes fizeram a matrícula. Neste contexto, optou-se por desativar a escola e os 37 alunos foram transferidos para a EEB Arnaldo Moreira Douat, no mesmo bairro.

Em busca do estudante

A rede estadual tem procurado diversificar os modelos de ensino para atrair o estudante. Como exemplo, no ensino médio o jovem tem a opção de estudar concomitante o ensino médio regular, o ensino médio técnico, o ensino médio inovador e/ou o ensino médio em tempo integral além do magistério.

No fundamental, há o Programa Novas Oportunidades de Aprendizagem (Pnoa), na qual o jovem recebe um apoio pedagógico na perspectiva de uma educação integral. “Duas vezes na semana, esse estudante com dificuldade de aprendizagem recebe apoio pedagógico para vencer as suas dificuldades no ensino”, aponta a supervisora de ensino Rosemari Conti Gonçalves.

Informações adicionais para a imprensa:
Ana Paula Keller
Assessoria de imprensa
Agência de Desenvolvimento Regional de Joinville
E-mail: anakeller@jve.adr.sc.gov.br / imprensa@jve.adr.sc.gov.br
Telefone: (47) 3461-1225 / 99240-8064
Site: sc.gov.br/regionais/joinville

edu