O governador Raimundo Colombo estará em Lages nesta quinta-feira, 17, para uma série de compromissos. Às 9h, ele participa do Encontro Macrorregional de Jovens Rurais. Mais de 250 pessoas das regiões de São Joaquim, Rio do Sul, Canoinhas, Lages e Mafra irão se reunir para pensar no futuro do agronegócio em Santa Catarina. O evento acontece no auditório da Associação Empresarial (Acil).

Às 10h, Colombo lança a segunda edição do Programa Banho de Energia da Celesc, que desde 2012 já beneficiou mil residências rurais em municípios do Planalto Serrano catarinense. Nesta segunda fase, mais 800 unidades consumidoras receberão trocadores de calor instalados nos fogões à lenha para aquecer a água. O projeto, que faz parte do Programa de Eficiência Energética Celesc/Aneel, investirá quase R$ 6 milhões nessa etapa. 

O evento será no Orion Parque Tecnológico e contará com a presença do presidente da Celesc, Cleverson Siewert, e de autoridades locais. Também será feito o anúncio do lançamento do edital de licitação para contratação de empresa para cadastramento de consumidores na Tarifa Social de Energia Elétrica.

Na ocasião, ainda haverá o lançamento de um aplicativo da Polícia Militar Ambiental de SC que busca o controle populacional de javalis no estado. O animal é considerado pela União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) como uma das 100 espécies invasoras mais perigosas do mundo. A ferramenta, desenvolvida pelo Ciasc, possibilita a interação com proprietários rurais, controladores, órgãos públicos e Polícia Militar Ambiental, e deve desburocratizar a expedição de permissões para o abate de javalis em Santa Catarina, além de fornecer dados em tempo real sobre capturas, abates, danos e visualizações dos animais. 

Por fim, o governador visita o Colégio Feliciano Nunes Pires, a partir das 16h30. A unidade de ensino recebeu materiais doados pelo Terminal Graneleiro da Babitonga, tais como projetor multimídia, tela para projeção, computadores e lousas digitais. 

Serviço:
O quê: Encontro Macrorregional de Jovens Rurais
Quando: quinta-feira, 17, às 9h
Onde: auditório da Associação Empresarial (Acil)

O quê: lançamento da 2ª edição do Programa Banho de Energia da Celesc e de aplicativo da PM Ambiental
Quando: quinta-feira, 17, às 10h
Onde: Orion Parque Tecnológico

O quê: visita ao Colégio Policial Militar Feliciano Nunes Pires - Polo Lages
Quando: quinta-feira, 17, às 16h30
Onde: Rua João José Godinho, 33, Centro

Informações adicionais para a imprensa
Assessoria de Imprensa 
Centrais Elétricas de Santa Catarina S.A. - Celesc 
E-mail: comunica@celesc.com.br
Atendimento 24h: 0800-480120
Site: www.celesc.com.br

 

Analu Koniuchowicz
Assessoria de Comunicação
Polícia Militar Ambiental
E-mail: ccsjornalismo@pm.sc.gov.br
Telefone: (48) 98843-3122

 

O crescimento de mercado observado na área de concessão da Celesc e o resultado de ações voltadas para a eficiência operacional e redução de custos são destaques no desempenho econômico-financeiro da Companhia no primeiro semestre deste ano. No período, o consumo total de energia elétrica na área de concessão da Celesc Distribuição somou 12.260 GWh, com variação positiva de 2,8% no total de energia distribuída (mercado cativo da empresa + mercado livre) em relação aos primeiros seis meses do ano passado.

O número de unidades consumidoras atendidas pela Celesc atingiu o total de 2.868.267 em junho de 2017, representando incremento de 2,3%. No gráfico a seguir é possível verificar o desempenho por classe de consumo (6M17):

Energia Distribuida por Classe de Consumo

Outro destaque foi a alta de 804,8% no resultado do EBTIDA Consolidado, que demonstra o quanto a empresa gera de recursos com suas atividades operacionais, sem contar impostos e outros efeitos financeiros, e que somou R$ 294 milhões. No período, o EBTIDA Consolidado Ajustado (sem os efeitos não recorrentes) somou R$ 272,5 milhões, com alta de 74%, influenciada pelo efeito não recorrente relativo à reversão de provisão no 2º trimestre (R$ 21,5 milhões).

O primeiro semestre do ano passado foi marcado pela conjuntura econômica desfavorável, com consumo de energia em queda. No mesmo período, a Celesc reconheceu, em seu balanço, constituição de passivo setorial referente à exposição contratual em 2014, no valor de R$256 milhões. Os dois fatos impactaram negativamente o desempenho da Companhia naquele período. Essa fraca base comparativa auxilia no bom volume de desempenho deste ano.

Com as melhores condições em 2017, a Receita Operacional Líquida Consolidada somou R$1,5 bilhão no trimestre, apresentando acréscimo de 36,6% em relação ao realizado em igual período do ano passado e elevação de 11,2% no acumulado do ano. Os gastos com energia aumentaram 12,9% (+R$140 milhões) no segundo trimestre deste ano em relação ao mesmo período do ano passado e registraram queda de 3,4% (-R$79,6 milhões), no acumulado do semestre.

No cômputo geral, o Lucro Líquido Ajustado foi de R$ 97,4 milhões, revertendo assim o prejuízo de R$ 2,1 milhões no primeiro semestre de 2016. O ajuste refere-se à despesa financeira da Conta de Desenvolvimento Energético, no valor de R$179 milhões, reconhecida no resultado financeiro do segundo trimestre de 2017, de efeito não recorrente. O Grupo Celesc também encerra o primeiro semestre de 2017 com Caixa Líquido Positivo de R$ 532,1 milhões.

Gestão

Os números também evidenciam os esforços adotados pela Companhia de forma estratégica, visando maior eficiência operacional e redução de custos, conforme estabelecem os objetivos do Plano Diretor Celesc 2030 e o cumprimento das metas de desempenho do Contrato de Concessão da Celesc D. Neste primeiro semestre, a Celesc registrou queda de 1,4% no volume de gastos com pessoal, material, serviços e outros, representando redução de R$ 5,6 milhões nos custos.

Investimentos

Para 2017, o orçamento de investimento consolidado do Grupo Celesc totaliza R$ 371,7 milhões, sendo R$ 325,1 milhões em Distribuição de Energia Elétrica, R$ 38,5 milhões em Geração de Energia Elétrica e R$ 8 milhões em Novos Negócios. Os investimentos realizados no primeiro semestre de 2017 somaram R$ 211,3 milhões, 5,3% superior ao mesmo período de 2016, sendo 205 milhões em Distribuição de Energia Elétrica e 6 milhões em Geração de Energia Elétrica. Neste período destacam-se a conclusão da Subestação Maravilha, recapacitação da Subestação Camboriú e o avanço do projeto de automação das redes de distribuição.

Os investimentos e o programa de obras refletiram no desempenho dos indicadores DEC e FEC, que medem a duração e a frequência das interrupções do sistema elétrico, onde o DEC do primeiro semestre foi de 6,42 horas e o FEC de 4,29 vezes, respectivamente 2% e 16% abaixo dos limites para manutenção da concessão.

Reconhecimento

A Celesc também foi eleita por seus consumidores a segunda melhor empresa do setor elétrico, em pesquisa realizada pela Abradee - Associação Brasileira de Distribuidoras de Energia Elétrica. A Associação ouviu mais de 600 consumidores em todo o estado, para saber a opinião dos clientes da Empresa em relação a dezenas de atributos sobre o atendimento prestado e a qualidade dos serviços oferecidos. Isso possibilitou aferir que 88,3% dos pesquisados estão satisfeitos ou muito satisfeitos com a Empresa, menos de dois décimos abaixo da primeira colocada, que alcançou 90,3% de aprovação. A média do Setor no grupo das empresas com mais de 500 mil consumidores, foi de 76,3%, portanto 15% abaixo do patamar conquistado pela Celesc.

A Empresa também acaba de conquistar o Troféu Onda Verde, entregue durante o Prêmio Expressão Ecologia, em reconhecimentos as iniciativas praticadas pela Empresa que evitam a emissão de 18 mil toneladas de CO2 por ano e aos projetos de eficiência energética desenvolvidos na empresa melhoram o aproveitamento de equipamentos elétricos e ajudam a economizar energia equivalente ao consumo anual de 60 mil residências. Esta é a primeira vez que a distribuidora catarinense conquista o prêmio, fruto de um processo transformador que ocorre na Celesc desde 2011 na busca de aliar eficiência e produtividade com seu papel perante a sociedade.

Outro ponto de destaque são as ações preferenciais da Companhia, que apresentaram desempenho positivo nos últimos 12 meses, com valorização de 36,36%. Como comparativo, o principal índice da Bolsa de Valores brasileira, o Ibovespa, apresentou valorização de 22,07%, no mesmo período. Já o Índice de Energia Elétrica – IEE, que mede o comportamento das principais ações do setor elétrico, teve uma valorização de 23,74% nos últimos 12 meses.

Informações adicionais para a imprensa
Assessoria de Imprensa 
Centrais Elétricas de Santa Catarina S.A. - Celesc 
E-mail: comunica@celesc.com.br
Atendimento 24h: 0800-480120
Site: www.celesc.com.br

 




Foto: Celesc/Divulgação

A Celesc esteve presente com estande e ganhou premiações no IX Congresso de Inovação Tecnológica em Energia Elétrica (CITENEL) e no V Seminário de Eficiência Energética no Setor Elétrico (SEENEL), realizado de 2 a 4 de agosto, em João Pessoa, na Paraíba. Promovido pela Agência Nacional de Energia Elétrica – Aneel a cada dois anos, o evento reúne os melhores cases de Eficiência Energética e de Pesquisa e Desenvolvimento desenvolvidos por empresas e instituições associadas ao setor elétrico brasileiro, abrangendo geradoras, transmissoras, distribuidoras e comercializadoras de energia, além de empresas de base tecnológica, indústrias, ESCOs (Energy Services Company), agências do setor, centros de pesquisa, certificadoras e universidades.

Em meio aos 170 participantes, a Celesc conseguiu selecionar 16 projetos e artigos para a edição de 2017, que teve como tema Inovação e Integração: Respostas Locais para Barreiras Globais. Para Marco Aurélio Gianesini, gerente da divisão de pesquisa e desenvolvimento e eficiência energética da Celesc, presente no evento, além de ter sido destaque pela quantidade de projetos selecionados, os prêmios obtidos demonstram a relevância do trabalho da Empresa para o setor elétrico. “Estamos atentos às transformações e inovações do setor para trazer cada vez mais satisfação aos nossos clientes e sustentabilidade para a Celesc”, observa.

Durante o evento, a Celesc foi reconhecida pela qualidade dos trabalhos apresentados, o que lhe garantiu prêmios nas três categorias do Evento: segundo lugar para melhor artigo sobre Chamada Pública para Programas de Eficiência Energética; terceiro lugar para melhor artigo na área de P&D para sala de treinamento virtual, sobre treinamento em segurança, e segundo lugar para seu sistema de comunicação sem fio para dispositivos instalados na rede, na categoria Melhor Produto.

Informações adicionais para a imprensa
Assessoria de Imprensa 
Centrais Elétricas de Santa Catarina S.A. - Celesc 
E-mail: comunica@celesc.com.br
Atendimento 24h: 0800-480120
Site: www.celesc.com.br

 


Foto: Celesc

Entre as grandes empresas do setor de energia do país, a Celesc é a segunda melhor na avaliação do consumidor, segundo pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Distribuidoras de Energia Elétrica (Abradee). A associação ouviu mais de 600 consumidores em todo o estado para saber a opinião dos clientes da empresa em relação a dezenas de atributos sobre o atendimento prestado e a qualidade dos serviços oferecidos.

Por meio das entrevistas, foi possível aferir que 88,3% dos pesquisados estão satisfeitos ou muito satisfeitos com a empresa, menos de dois décimos abaixo da primeira colocada, que alcançou 90,3% de aprovação. A média do setor no grupo das empresas com mais de 500 mil consumidores foi de 76,3%, portanto 15% abaixo do patamar conquistado pela Celesc.

A pesquisa com os consumidores avalia o desempenho de uma das cinco categorias que compõem o Prêmio Abradee, oferecido às empresas do setor elétrico que apresentam os melhores desempenhos no país. 

Entre os aspectos que ajudaram a atingir esse resultado, estão a expansão do atendimento (por telefone, presencial e via Agência Web), os investimentos em capacitação e nas áreas de Informação e Comunicação, como o envio de SMS para avisar sobre desligamentos programados e divulgações de projetos relacionados à eficiência energética — Bônus Eficiente (que contempla consumidores residenciais, que estejam em dia com a Celesc, com bônus de 50% na substituição de aparelhos antigos por outros mais eficientes) e Energia do Bem (maior projeto destinado à população de baixa renda da região Sul, que promove ações de melhoria — substituição de lâmpadas incandescentes por fluorescentes, instalação de sistemas de aquecimento de água de chuveiro por energia solar e outros), por exemplo.

Nesta edição do prêmio, a Celesc também conquistou o terceiro lugar em Responsabilidade Social. Para essa conquista, foram consideradas as ações desenvolvidas e divulgadas pela mídia e em eventos específicos do Programa de Responsabilidade Social, que envolvem muitos empregados nas 16 agências regionais da empresa, e que contribuem para a melhoria da região em que a empresa atua.

Para esse resultado, podemos considerar os projetos socioambientais (como o Celesc Voluntária, onde empregados trabalham como voluntários em diversas ações em benefício da sociedade; e o Jovem Aprendiz que, muito mais do que o cumprimento de uma exigência legal, é uma ferramenta para inclusão social, pois prioriza jovens provenientes de casas lares, indicados pelo MPSC). 

Além disso, merecem destaque os projetos de eficiência energética relacionados às questões sociais, como o Energia do Bem e o Bônus Eficiente (supracitados) e o curso para formação de eletricistas, que prevê mais uma edição para esse ano.

A Celesc também é certificada pela NBR 16001, norma brasileira de responsabilidade social que indica o empenho da empresa na melhoria contínua de todas as ações e projetos que envolvem a responsabilidade socioambiental.

Informações adicionais para a imprensa
Assessoria de Imprensa 
Centrais Elétricas de Santa Catarina - Celesc 
E-mail: comunica@celesc.com.br
Atendimento 24h: 0800-480120
Site: www.celesc.com.br

A partir da próxima segunda-feira, 31, estarão abertas as inscrições para programadores, analistas de sistemas, estudantes de Engenharia, Computação e Design, entre outros inovadores, que queiram participar de uma maratona de desenvolvimento entre 1º e 3 de setembro, na sede da Celesc, em Florianópolis. Todas as informações estão disponíveis no site www.celesc.com.br/hackathon2017.

O 1º Hackathon Celesc visa incentivar os novos talentos empreendedores na busca de soluções inovadoras para Gestão de Perdas Financeiras Não Técnicas e de Relacionamento com Clientes para a Celesc Distribuição. “Serão dois dias e meio de trabalho ininterrupto dedicado ao desenvolvimento de contribuições que nos ajudem a trabalhar melhor para nossos consumidores e clientes. Essa proposta, neste formato, é inédita na área de distribuição do setor elétrico”, diz o presidente da Celesc, Cleverson Siewert.

Ao todo, estarão disponíveis 70 vagas para interessados em formar equipes e apresentar projetos. A equipe que apresentar o melhor projeto será premiada com uma viagem à Colômbia para conhecer projetos e soluções inovadoras. Também serão premiadas as equipes dos projetos que ficarem em segundo e terceiro lugar (veja adiante).

Siewert aponta que há um diferencial importante desse hackathon. “Após o evento, essas equipes terão condições de pré-incubar os seus projetos, viabilizando a produção final das soluções”, diz. "Inovação é um de nossos valores corporativos e temos investido para consolidar essa cultura em nosso contexto. Isso fará desse hackathon, certamente, um marco para a Celesc e para o setor de energia”, conclui.  

Inscrições 

As inscrições podem ser feitas exclusivamente em www.celesc.com.br/hackathon2017 entre as 8h de 31 de julho até as 23h55 do dia 15 de agosto, com valor promocional de R$ 29 por pessoa até o dia 7 de agosto. A partir de 8 de agosto, o valor será de R$ 49 por pessoa. Além disso, no dia do evento, deverá ser entregue à organização um quilo de alimento não perecível. O pagamento deve ser feito por meio de boleto bancário.

A inscrição é individual, mas é obrigatória a indicação da equipe à qual pertence o participante. Cada equipe pode ter de quatro a cinco participantes e deverá ser composta por, no mínimo, um analista de negócios, um designer e dois desenvolvedores. A inscrição somente será homologada após o pagamento da taxa de inscrição.

A Celesc vai receber os inscritos em sua sede, no Bairro Itacorubi, na Capital. O Hackathon começa às 17h do dia 1º de setembro e se encerra às 18h do dia 3 de setembro, com a apresentação dos melhores projetos: “Serão oferecidas alimentação completa, segurança, serviços de saúde e área para descanso”, informa Siewert.

A equipe que apresentar o melhor projeto será premiada com uma viagem à Colômbia para conhecer soluções inovadoras no âmbito de cidades, tecnologias e práticas sociais. Também serão premiadas as equipes que ficarem em segundo lugar (smartphones) e terceiro lugar (vale-compras).

Para realizar o evento, a Celesc tem o apoio da Softoplan, do Grupo Sonda, da A Vero Domino, da APC Associação dos Profissionais da Celesc e da Fundação Celos, além de contar com a colaboração do Governo do Estado. 

Informações adicionais para a imprensa
Assessoria de Imprensa 
Centrais Elétricas de Santa Catarina - Celesc 
E-mail: comunica@celesc.com.br
Atendimento 24h: 0800-480120
Site: www.celesc.com.br


Fotos: Jeferson Baldo  / GVG

Um laboratório para captura do CO2 com utilização de cinzas de carvão mineral beneficiada foi inaugurado pelo ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho, e o vice-governador Eduardo Moreira, nesta segunda-feira, 24, em Criciúma. “Contamos com a vinda do ministro para encontrarmos um caminho definitivo para o uso do do carvão produzido em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul e termos desenvolvimento sustentável nessas áreas produtoras. É imprescindível que haja um planejamento de consumo para os próximos cinco, 10 anos. E isso não acontece no Brasil hoje. A instalação de uma mina para extração do mineral é extremamente complexa e de alto custo”, afirmou Eduardo Moreira.


Imagem: Celesc

Atividades rotineiras como soltar pipa, realizar manutenção predial ou podar árvores próximo à rede elétrica podem significar risco de morte se não forem tomados os cuidados necessários. É por isso que de 24 a 28 de julho a Celesc integra a 11ª Semana Nacional de Segurança promovida pela Associação Brasileira de Distribuidoras de Energia Elétrica (Abradee), que tem por objetivo conscientizar a população sobre os riscos da eletricidade. A campanha da Celesc inclui distribuição de material educativo e orientação dos consumidores com ações organizadas nas 16 agências regionais de Santa Catarina.

Em 2016, foram registradas 240 mortes de consumidores decorrentes de acidentes com eletricidade no Brasil. Um terço dos casos ocorreu durante obras de construção ou manutenção predial. O engenheiro de Segurança da Celesc, Fábio Rafaelli, explica que é importante manter a distância normatizada pela empresa e pela ABNT na hora de construir ou fazer serviços como limpeza ou pintura em prédios e residências. “Além de respeitar as distâncias, o cuidado precisa ser redobrado quando se utiliza equipamentos como andaimes, escadas, treliças, trilhos de cortinas ou materiais metálicos próximos da rede elétrica, pois um simples contato com um fio energizado pode ser fatal”, disse.

Outras situações que trazem risco para a população envolvem ligações clandestinas, poda de árvores, operação de equipamentos como guindastes, brincadeiras com pipas, instalações de antenas de TV, batidas de veículos em postes, furto de fios e equipamentos, entre outras.

“A eletricidade não tem cheiro, não tem cor e pode ser fatal, se não for tratada de forma segura e consequente”, alerta o presidente da Celesc, Cleverson Siewert. Em comparação à média nacional, Santa Catarina tem um histórico de poucas ocorrências fatais em decorrência de acidentes elétricos com a população, foram 18 registros nos últimos cinco anos. Os alertas realizados pelas campanhas da Semana de Segurança têm ajudado a reduzir os números de mortes também em outros estados.

Desde que começou a fazer monitoramento dos registros, em 2001, a Abradee registra uma queda gradual de acidentes envolvendo eletricidade, somando 26% de queda nos últimos 16 anos. O percentual de ocorrências fatais reduziu ainda mais: 37% no período, sendo que em 2016 a diminuição foi de 9%, o que significa 23 mortes a menos do que no ano anterior. 

Resumo dos casos fatais em SC entre 2013 e 2017:

ANO

NUMERO

CAUSAS

2013

 7 mortes

- Instalação de toldo em prédio (4 funcionários de empresa de comunicação visual sofrearam choque elétrico ao tocar acidentalmente um dos condutores da rede trifásica)

- Vítima encontrada sem vida ao lado de uma árvore que havia cortado com um machado (planta caiu sobre a rede elétrica, na tentativa de empurrá-la, o cidadão recebeu descarga elétrica fatal)

- Uma pessoa recebeu descarga elétrica ao segurar em uma cerca de arame farpado que estava energizada.

2014

 5 mortes

- Derrubada de árvore próximo à rede elétrica (cipó encostou nos fios energizados, o que causou descarga elétrica e óbito).

- Durante instalação de tubulação de gás em prédio, vítima encostou cano de cobre acidentalmente em condutor energizado, sofreu choque e caiu de uma altura de 12 metros, faleceu no hospital.

- Eletricista recebeu choque elétrico ao fazer reparos na iluminação pública.

- Durante coleta de material para análise de solo houve contato do equipamento (torre para perfuração) com a rede elétrica de alta tensão, ocasionando passagem de corrente elétrica e óbito de dois trabalhadores.

2015

 4 mortes

- Um óbito por choque elétrico

- Uso de aspirador de pó ligado a extensão elétrica com fio desencapado causou choque elétrico.

- Provável descuido com uma cantoneira ao fixa-la em uma placa, (houve contato em rede alta tensão)

- Após colisão em poste, menor de idade (que estava de carona) pisou em cabo de alta tensão ao descer do carro e recebeu descarga elétrica.

2016

 Sem registros

 

2017

 2 mortes

- Choque elétrico e óbito após manutenção indevida de iluminação pública

- Ao subir em poste de uma fazenda para retirada de luminária, eletricista passou o braço entre as fases e recebeu descarga elétrica. O mesmo estava de chinelos, sem luvas isolantes e utilizou uma escada metálica para acessar o local.

Dicas de segurança e economia da campanha

“Energia elétrica com segurança: Tá seguro, tá controlado”:

- Considere a rede energizada mesmo quando a energia estiver desligada

- Não pendure ou jogue nada na rede elétrica

- Não fixe enfeites ou solte fogos e balões perto da rede elétrica

- Nunca resgate pipa ou outros itens que enroscaram nos fios elétricos

- Não toque em fios partidos ou soltos na rua e avise imediatamente à Celesc pelo telefone de Emergência: 0800 48 0196

- Antes de qualquer conserto na instalação elétrica, desligue a chave geral no quadro de energia

- Apenas especialistas, com equipamento de segurança, devem lidar com a rede elétrica

- Lembre-se de que irregularidades e furtos na rede de energia podem ocasionar choques elétricos, curto circuitos e incêndios

- Ao adquirir equipamentos elétricos, confira a voltagem para saber se a fiação suporta a carga

- Faça sempre a manutenção das instalações e evite fios emendados ou desencapados

- Retire o carregador da tomada assim que o celular estiver carregado

- Desligue o monitor do computador se for demorar mais de 10 minutos para retornar a usá-lo

- Elimine vazamentos. Ao economizar água, você também economiza energia

- Verifique o estado de conservação das borrachas de vedação do refrigerador

- Mantenha o filtro do ar-condicionado sempre limpo e o termostato regulado. Desligue o aparelho quando não houver ninguém no ambiente

- O plantio e a poda de árvores devem ser feitos em distância segura da rede elétrica e por pessoas habilitadas


Foto de arquivo: Jeferson Baldo / GVG

O vice-governador Eduardo Pinho Moreira e o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho, inauguram o primeiro laboratório de captura de CO2 da América Latina nesta segunda-feira, 24, em Criciúma. O laboratório utiliza uma tecnologia própria e está instalado no Centro Tecnológico de Carvão Limpo (CTCL) da Faculdade Satc. 

O processo usado será o de adsorção, quando o gás liberado na queima do carvão é capturado e armazenado em zeólitas - cinzas beneficiadas para se transformar em estrutura areada, semelhante a uma minúscula esponja. As zeólitas carregadas de CO2 poderão ser depositadas em minas desativadas ou o gás ser disponibilizado para consumo industrial, como na perfuração de petróleo e na produção de bebidas gaseificadas. Demais métodos de captura se valem de solventes líquidos, mais caros e que praticamente inviabilizam a implantação em escala industrial.

No Brasil, 100% das jazidas de carvão conhecidas estão no Sul do Brasil, sendo 90% no Rio Grande do Sul. Cerca de 14 empresas utilizam o carvão mineral no Brasil, a maior parte delas na Região Sul. No Rio Grande do Sul, em Santa Catarina e no Paraná, a cadeia Termelétrica gera em torno de 53 mil empregos diretos e indiretos e movimenta cerca de R$ 12 bilhões/ano. No mundo, 41% da energia gerada tem como fonte o carvão. Na Polônia, 83%; Alemanha, 44%; na Índia, 71% e, na Austrália, 69%. A construção do laboratórios de Criciúma recebeu aporte financeiro de R$ 4,4 milhões da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Governo do Estado (Fapesc).

Roteiro do ministro e do vice-governador

- 09h50: Visita às instalações da Satc
- 10h20: Inauguração do Laboratório de Captura de CO2, na Rua Pascoal Meler, 72, Bairro Universitário - Criciúma

Informações adicionais para a imprensa
Vitor Louzado
Assessoria de Imprensa 
Gabinete do Vice-governador
E-mail: vhlouzado@hotmail.com
Fone: (48) 99118 9821
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC


Fotos: James Tavares/Secom

O governador Raimundo Colombo e o presidente da Celesc, Cleverson Siewert, lançaram nesta sexta-feira, 21, em Florianópolis, a nova edição do Programa de Eficiência Energética e de Pesquisa e Desenvolvimento, que contemplam projetos selecionados por chamadas públicas. Nos próximos dois anos, a Celesc vai investir R$ 41,6 milhões em 22 projetos. Os recursos financiam projetos em indústrias, prefeituras, entidades e universidades e devem promover o uso eficiente e racional de energia elétrica, estimulando novas tecnologias e bons hábitos de consumo. 

>>> Galeria de fotos

“O programa tem um grande impacto. Orienta os participantes a produzir e trocar equipamentos que usem energia com menor custo e aumente a eficiência. Com isso, conseguimos diminuir os gastos com o setor de energia, que é muito alto, e aumentamos a competitividade, tanto das nossas indústrias como de instituições. Estamos passando por uma crise e temos que ser fortes e maiores que ela para proteger quem precisa e depende de nós. E a busca por resultados positivos também passa pela questão energética”, disse o governador.

Os projetos foram selecionados pela empresa a partir de chamadas públicas realizadas em 2016, abertas à comunidade, indústria, comércio, universidade, centros de pesquisas e poder público. Um total de 80 projetos foram apresentados, sendo 43 para pesquisa e desenvolvimento e 37 para eficiência energética. Destes, 22 foram selecionados.

Na área de Pesquisa e Desenvolvimento, nove dos projetos apresentados foram selecionados e passam, agora, por aprovação para sua execução. Para esses projetos, a Celesc tem reservados R$ 26.615.041,62. Na área de Eficiência Energética, os projetos estão sendo avaliados para comprovação do diagnóstico energético apresentado. Após a aprovação, eles estarão aptos para serem executados. Os 13 projetos selecionados representam investimento de R$ 14.137.658,30.

Nesta sexta-feira, quatro dos 22 selecionados assinaram o convênio para execução. Eles são das universidades Unesc, de Criciúma, Univille, de Joinville, Univali, de Itajaí, além da Companhia Canoinhas de Papel. Os projetos das três universidades vão viabilizar a substituição de lâmpadas fluorescentes por lâmpadas LED e aparelhos de ar-condicionado antigos por modelos novos e mais eficientes, além da instalação de sistemas fotovoltaicos para geração de energia. A Companhia Canoinhas vai poder eficientizar motores elétricos, inversores e quadros de comando. 

“Vamos diminuir o consumo por parte de algumas indústrias e instituições e também gerar o desenvolvimento de novas tecnologias, com o objetivo de atender cada vez melhor a sociedade”, destacou o presidente da Celesc.

Siewert falou ainda sobre o mais novo projeto da Celesc, o Bônus Eficiente Linha Motores, que tem previsão de início nos próximos 60 dias e dará descontos para indústrias que quiserem investir em eficiência energética, injetando R$ 7 milhões na economia de Santa Catarina. De acordo com o presidente, além de cumprir seu papel frente às regras da Aneel, a Celesc reforça uma de suas características, a de se preocupar com o desenvolvimento sustentável do setor. 

Resultados

O Programa de Eficiência Energética iniciou em 1999, executou 126 projetos, com investimento total de mais de R$ 300 milhões beneficiando mais de 200 mil famílias, alcançando 80 MW de redução de demanda na ponta e 1.420 GWh de economia, energia suficiente para atender o consumo de 590 mil residências ou o consumo mensal do município de Joinville. 

O Programa de Pesquisa e Desenvolvimento, iniciado também em 1999, investiu mais de R$ 105 milhões até o momento, com mais de 170 projetos executados.

Informações adicionais para a imprensa:
Elisabety Borghelotti
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: bety@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3018 / 98843-5460
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC

A Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) receberá R$ 940.609,88 em recursos das Centrais Elétricas de Santa Catarina (Celesc) para implantar duas melhorias de eficiência energética no prédio da Reitoria e do Centro de Ciências da Administração e Socioeconômicas (Esag), em Florianópolis: a substituição de lâmpadas fluorescentes por lâmpadas de LED e a instalação de placas solares para a geração de energia.

Contemplado na Chamada Pública nº 001/2016 do Programa de Eficiência Energética da Celesc, o projeto da Udesc prevê que o consumo anual de energia no edifício diminuirá 33% após a realização dessas medidas, com uma economia que chegará a 567 megawatt/hora por ano.

O coordenador de Engenharia, Projetos e Obras da Udesc, Raimundo Nonato, destaca que serão economizados cerca de 42 megawatt/hora por mês com a nova iluminação e 5 megawatt/hora por mês com a geração de energia solar por meio das placas. Segundo ele, o início dos trabalhos no prédio da Reitoria e da Udesc Esag começará depois que a Celesc verificar o levantamento energético do projeto e assinar um convênio com a universidade.

A chamada pública foi aberta no fim de 2016 para selecionar projetos de eficiência energética em residências, indústrias, prédios públicos, estabelecimentos comerciais ou de serviços, na área rural ou na iluminação pública. Os projetos classificados promoverão o uso eficiente e racional de energia elétrica por meio da troca ou do melhoramento do desempenho de equipamentos e sistemas.

Centro de Joinville também foi contemplado

O Centro de Ciências Tecnológicas (CCT), da Udesc em Joinville também receberá recursos da chamada pública da Celesc, no valor de R$ 287.261,29, para a substituição de lâmpadas fluorescentes pelas de LED.

Os trabalhos de troca deverão se iniciar a partir deste semestre e envolverão aproximadamente 5,5 mil pontos de luz em todo o centro, que gasta cerca de R$ 800 mil por ano com eletricidade e prevê uma redução de 25% nesses custos após a substituição.

Segundo o coordenador de Engenharia, Projetos e Obras da Udesc, a universidade também já está elaborando projetos de eficiência energética para outros centros de ensino, mas ainda não há previsão para a implantação das melhorias.

Assessoria de Comunicação da Udesc
E-mail: comunicacao@udesc.br
Telefones: (48) 3664-8006/8010