O Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA) lança nesta segunda-feira, 21 de janeiro, o seu novo site: o www.ima.sc.gov.br. Com layout mais moderno, o portal foi construído de acordo com as demandas dos servidores e usuários. A intenção é facilitar o acesso aos diversos serviços e procedimentos disponibilizados pelo órgão ambiental.

O novo sítio eletrônico traz em destaque alguns dos serviços mais procurados pelos internautas como balneabilidade, unidades de conservação e ouvidoria. Além de mais visível no site, o link do licenciamento foi totalmente reestruturado. O novo formato foi elaborado de acordo com as solicitações dos usuários e também segundo estudos realizados pelos técnicos do setor para tornar as informações mais acessíveis e claras.

Ainda na aba de licenciamento, os interessados podem consultar licença, simular o licenciamento que indica, entre outros, se o processo deve ser feito no órgão estadual ou municipal, além de navegar pelo mapa interativo, que apresenta a geografia catarinense em um formato dinâmico.

O portal mostra ainda todas as Unidades de Conservação, características, principais atrações e horários de visitação. Além de relacionar as que estão em processo de criação e as pesquisas nas UCs. No link Ecossistemas é possível acessar o site da balneabilidade, um dos mais procurados, e conhecer programas que o Instituto desenvolve para a conservação dos recursos naturais de Santa Catarina.

Foi inserido ainda um espaço para a divulgação das Audiências Públicas. De forma ainda mais transparente e fácil, os cidadãos poderão saber as datas das audiências. Antes dos encontros, no entanto, os interessados podem conhecer os projetos por meio dos Estudos de Impacto Ambiental que estão disponíveis no endereço.

O portal é responsivo. Desta forma, pode ser acessado de qualquer telefone móvel ou tablete sem perda de qualidade. “Desenvolvido pelo CIASC e pelos técnicos de informática do Instituto, a nova página busca ser um canal ainda mais próximo com a população, disponibilizando todo conteúdo de forma transparente e o mais acessível possível”, destaca o presidente do IMA, Valdez Rodrigues Venâncio

Informações adicionais à imprensa:
Claudia Xavier
Assessoria de Imprensa IMA
Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina
E-mail: comunicacao@ima.sc.gov.br
Fone: (48) 3665 4177 / (48) 99172 8277
Site: www.ima.sc.gov.br 


Foto: Julio Cavalheiro/Secom

A semana em Santa Catarina começa com sol entre nuvens pela manhã, mas a previsão do tempo da Epagri/Ciram indica pancadas de chuva com trovoada entre a tarde e noite em todas as regiões. Segue o risco de temporal localizado, com ventania acima de 60 km/h, pontuais de chuva forte em curto espaço de tempo (totais horários de 30 mm a 50 mm) e queda de granizo. As temperaturas no Estado variam com mínima de 16°C e máxima de 34°C. O vento sopra de nordeste, fraco a moderado com rajadas.

Para o restante da semana, a condição segue a mesma, com sol entre nuvens, com pancadas isoladas de chuva, típicas de verão e, temperatura elevada.

Acompanhe a atualização dos avisos meteorológicos diários e de curto prazo (de 1 até 3 h de antecedência), na página da Epagri/Ciram e redes sociais.

RECOMENDAÇÕES DA DEFESA CIVIL 

Tempestades com descargas elétricas (raios), ventos fortes e granizo: Proteja-se em local abrigado, longe de placas, de árvores, de postes de energia e de objetos que podem ser arremessados. Se não encontrar um abrigo, agache-se com os pés juntos, com a cabeça encostada em seu peito ou entre os joelhos e as mãos cobrindo suas orelhas ou apoiadas em seus joelhos. Se estiver na praia, jamais fique na água. Não olhe para o raio. Se estiver em casa ou qualquer outro local abrigado, desligue os aparelhos eletrônicos, não use o telefone, fique longe das janelas e lembre-se, o banheiro em alvenaria é o melhor local durante uma tempestade!

Alagamentos/inundações: evitar o contato com as águas e não dirigir em lugares alagados. Evitar transitar em pontilhões e pontes submersas e cuidado com crianças próximas de rios e ribeirões.

Enxurradas: Não fique próximo às margens de rios e ribeirões, principalmente em regiões de relevo acentuado, montanhoso e pequenos vales, pois muitas vezes há temporais intensos sobre os topos e cabeceiras, gerando repentinamente grande quantidade de água num curto espaço de tempo. Este tipo de evento adverso apresenta grande poder destrutivo, podendo arrastar veículos, pessoas, animais e mobílias por vários quilômetros. A força das águas pode ainda provocar o rolamento de blocos de pedras, arrancar árvores, destruir edificações e causar deslizamentos de terra nas margens.

Qualquer problema deve ser comunicado à coordenadoria municipal de Defesa Civil, telefone de emergência 199, Corpo de Bombeiros 193 ou Polícia Militar 190.

Informações adicionais para a imprensa:
Elisabety Borghelotti
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: bety@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3014 / 98843-5460
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC


Foto: James Tavares/Secom

O Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA) divulga o novo relatório de balneabilidade com o acréscimo de 10 pontos em Florianópolis. Segundo o resultado, 73,8% dos locais analisados em todo o estado estão próprios para banho. A partir de agora, o IMA passa a monitorar e a informar a condição de 229 pontos nos 500 quilômetros da costa.

Em Florianópolis, dos 85 pontos, 64 estão adequados para banho de mar, o que representa 75,3%. Dos 10 novos locais averiguados, apenas o da Praia da Daniela, em frente à Rua das Hortências, apresenta situação imprópria. No restante do litoral, dos 144 pontos monitorados, em 72,9% recomenda-se o mergulho.

Em relação ao relatório anterior, 10 pontos passaram da condição de impróprio para próprio e sete de próprio para impróprio. As coletas foram realizadas de 07 a 11 de janeiro nos municípios de Araranguá, Bal. Arroio do Silva, Bal. Gaivota, Bal. Camboriú, Bal. Rincão, Barra Velha, Biguaçú, Bombinhas, Florianópolis, Garopaba, Gov. Celso Ramos, Imbituba, Itajaí, Itapema, Itapoá, Jaguaruna, Joinville, Laguna, Navegantes, Palhoça, Passo de Torres, Penha, Piçarras, Porto Belo e São José.

Para saber a condição das praias catarinenses basta acessar balneabilidade

Novos pontos

Na Capital, os novos pontos são:

- na Praia da Daniela, em frente à Rua das Hortências;

- em Jurerê Internacional, em frente à Avenida dos Pampos;

- na Lagoinha da Ponta das Canas, na Estrada Jornalista Jaime A. Ramos, acesso à praia;

- na Praia do Moçambique, altura do km 10,5 da Rodovia João G. Soares SC 406, frente ao acesso;

- na Barra da Lagoa, em frente à Rua Aconchego do Mar;

- na Praia do Novo Campeche, em frente ao Posto Salva Vidas;

- na Areias do Campeche, na Rua Lomba do Salão;

- no Morro das Pedras, na curva da Rodovia SC 406;

- na Praia do Caldeirão, em frente ao Parque Municipal da Lagoa do Peri;

- e na Praia dos Açores, em frente à Rua Algas Marinhas.

No começo da temporada 2018-2019, o IMA também anunciou o acréscimo de quatro novos locais de monitoramento em praias catarinenses: um em Itapema, um em Palhoça, um em Zimbros, um na Praia da Vigia, em Garopaba.

Balneabilidade

O Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina monitora a qualidade da água para banho de mar desde 1976. As análises são divulgadas semanalmente durante a alta temporada, e mensalmente de abril a novembro.

O IMA seleciona os pontos de tal forma que toda a costa seja avaliada, concentrando as coletas justamente nos locais mais suscetíveis de poluição – os de maior fluxo de banhistas.

A Pesquisa de Balneabilidade analisa as águas de cada balneário e determina se estão Próprias ou Impróprias para o banho. Isto é, se estão contaminadas ou não por esgotos domésticos. A existência de esgoto é verificada por meio da contagem da bactéria Escherichia coli (E.c.) presente nas fezes de animais de sangue quente, que podem colocar em risco a saúde dos turistas e da população local.  

Para as análises são levados em consideração aspectos como condições de maré, incidência pluviométrica nas últimas 24 horas no local, a temperatura da amostra e do ar no momento da coleta (parâmetro físico) e a imediata condução para a pesquisa em crescimento bacteriano.

Informações adicionais para a imprensa
Claudia Xavier
Assessoria de Imprensa
Instituto do Meio Meio Ambiente - IMA (ex-Fatma)
E-mail: comunicacao@fatma.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-4177
Site: www.fatma.sc.gov.br

 


Foto: IMA/Divulgação

O ano de 2018 foi nascimento e renascimento do órgão ambiental catarinense. Extinta em dezembro de 2017, a Fatma, Fundação do Meio Ambiente, deu lugar a uma nova era. Surgiu o IMA, Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina. Novo nome, nova identidade visual, mais atribuições, mas com a mesma missão, preservar os recursos naturais de Santa Catarina.

Com maior autonomia, o IMA se transformou e aprimorou sua estrutura interna e procedimentos, além de fazer da tecnologia uma aliada do meio ambiente. Programas digitais e recursos modernos possibilitaram novas perspectivas à instituição e ainda mais qualidade e agilidade nos processos.

Setores como o do licenciamento passaram por uma nova fase com o lançamento da Licença por Adesão e Compromisso. Disponível desde 30 de agosto deste ano, a licença auto declaratória revoluciona o processo de autorização ambiental em Santa Catarina, sendo o primeiro Estado do país com legislação específica determinando a criação da LAC e um dos únicos a implantá-la.

Totalmente online, a LAC, quando atendidos todos os requisitos e apresentada documentação necessária, é emitida automaticamente. Essa nova modalidade de licenciamento está voltada, a princípio, para a avicultura, atividade amplamente estudada e conhecida pelo órgão ambiental.

Ao IMA cabe o cumprimento de uma nova atribuição, a auditoria. Desta forma, o licenciamento torna-se mais ágil, tanto para os avicultores como para os demais setores, pois os técnicos ganham tempo para se dedicar a áreas mais complexas e os produtores podem dar prosseguimento a suas atividades sem tanta burocracia e morosidade.

Além da LAC, sistemas como o de monitoramento de resíduos sólidos, o controle das dragas e limpa fossas e o recém-assinado termo de cooperação para o programa de monitoramento da qualidade do ar em Santa Catarina aprimoram e ampliam a atuação do IMA por terra, ar e água.

Balneabilidade

Em relação à água, os relatórios de balneabilidade divulgados mensalmente de abril a novembro e semanalmente durante a alta temporada balizam a decisão dos banhistas, sejam eles moradores ou turistas. E em 2018 o setor também tem novidades, com o acréscimo de 12 novos pontos de coleta em Florianópolis e outros cinco no restante do litoral, totalizando 232 pontos nos 500 km da costa catarinense.

Para quem quer ter total segurança na hora da escolha da praia, o IMA realiza amostras e disponibiliza os resultados que indicam ponto por ponto, balneário a balneário. E agora por meio de um canal criado exclusivamente para a divulgação dos relatórios de balneabilidade e todas as informações do setor. Por meio do site https://balneabilidade.ima.sc.gov.br/ o cidadão pode acompanhar a situação de cada ponto e mergulhar com tranquilidade no verão catarinense, sendo este mais um dos diferenciais do estado.

Além disso, o controle vai ainda mais longe. Com o lançamento do Laboratório Móvel será possível conhecer e monitorar a água das Unidades de Conservação, desde a nascente à foz.

No ar, o uso de drones, 21 ao todo, distribuídos nas 16 regionais do Instituto, e adquiridos por meio de termos de compensação ambiental, proporciona maior eficácia, agilidade e precisão aos processos. Desde dezembro de 2017, o IMA utiliza os equipamentos aéreos para realizar diversas operações como mapeamento e inspeção de áreas para o licenciamento ambiental, identificação de focos de incêndio, geoprocessamento, monitoramento preventivo, fiscalização de crimes ambientais e caça ilegal, controle e contagem de espécies, entre outros.

O drone permite a inspeção, pontual ou ampla, de um determinado local, o que faz com que a análise seja feita com maior rapidez e eficiência, pois é possível observar uma grande área. Locais que, anteriormente, levariam dias para serem vistoriados, agora são mapeados e registrados em cerca de uma hora. Economia de tempo e de gastos com diárias e deslocamentos de técnicos que, em um mesmo lugar, conseguem visualizar e mapear toda a área.

“A precisão e rapidez dos dados auxiliam na tomada de decisões, na agilidade dos licenciamentos ambientais, e servem de provas para autuação em casos de crimes ou de não cumprimento das exigências e condicionantes ambientais”, destaca o diretor de administração do IMA, Mário Henrique Vicente e um dos coordenadores do Programa GVANTE, Grupamento de Veículos Aéreos não Tripulados do IMA.

Todas as informações obtidas com as aeronaves remotamente tripuladas são gerenciadas por um sistema elaborado pelo Instituto para este fim, o Sistema de Informações Ambientais. Além de subsidiar ações do IMA, o sistema poderá ser disponibilizado a outros órgãos como Ministério Público Estadual e Federal, Tribunal de Contas e demais órgãos reguladores.

Pioneirismo

Além de contribuir para os procedimentos internos, o uso de veículos não tripuláveis concedeu ao IMA pioneirismo e referência. O Instituto é o único órgão de Santa Catarina e o segundo do Brasil a ter toda a regulamentação para a utilização dos drones, sendo destaque no país como excelência na utilização da tecnologia.

É também o órgão autorizado a capacitar servidores de outros órgãos. Representantes do Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Polícia Militar Ambiental, Polícia Rodoviária Federal, Defesa Civil, Epagri, Ministério Público Federal, agentes da segurança pública, entre outros, passaram pelo treinamento realizado com aulas teóricas e práticas.

Ainda pelo céu, o IMA vai monitorar a qualidade do ar em Santa Catarina. Por meio de parceria com a Unisul, serão instalados, a princípio, 20 sensores divididos nas regiões de Florianópolis, Blumenau, Joinville, Chapecó e Criciúma. Na sequência, todas as 16 regionais do IMA também vão receber, no mínimo, uma estação de coleta, totalizando mais de 40 módulos em todo o estado.

O projeto consiste em um Sistema de Monitoramento da Qualidade do Ar, composto de hardware e software para coleta de dados em tempo real, com a leitura, transmissão e armazenamento de dados de estações remotas, permitindo a emissão de relatórios e indicadores de Qualidade do Ar em ambiente web.

A utilização dos dados obtidos vai subsidiar a tomada de decisões em diferentes situações como controle de emissões, verificação da qualidade de vida, controles sanitários, monitoramento de tráfego, zoneamento ecológico e econômico, desenvolvimento da indústria e da agricultura, segurança ambiental, entre outros.

Em terra, o IMA atua em diversos segmentos e também beneficia-se da tecnologia. Programas como o Sinfat, que interliga os sistemas de licenciamento, cedidos inclusive aos municípios; como o GAIA, para consultar autos de infração; além de sistemas internos como registro de ponto, chamados, e gestão de documentos, marcam esta nova era do órgão ambiental catarinense, com mais autonomia, modernidade, agilidade e eficiência.

“2018 foi o primeiro de muitos anos do IMA. O Instituto é um órgão recém –nascido, mas com 42 anos de experiência e que tem um futuro pela frente, sempre prezando pela excelência e pelo aprimoramento de todos os serviços e procedimentos, tendo como finalidade principal a conservação e recuperação do nosso meio ambiente”, enfatiza o presidente do IMA, André Adriano Dick.

Informações adicionais para a imprensa
Claudia Xavier
Assessoria de Imprensa
Instituto do Meio Meio Ambiente - IMA (ex-Fatma)
E-mail: comunicacao@fatma.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-4177
Site: www.fatma.sc.gov.br


Foto: James Tavares/Secom

A previsão do tempo da Epagri/Ciram indica tempo seco com predomínio de sol em Santa Catarina nesta semana.  Nesta segunda e terça-feira a temperatura estará em rápida elevação, com máximas próximas ou acima de 30°C. No Litoral Norte, chance de chuva fraca e isolada na noite de terça-feira. O vento sopra de nordeste, fraco a moderado com rajadas mais intensas no Litoral Sul.

Para a quarta-feira, sol e aumento de nuvens em Santa Catarina, com a massa de ar seco perdendo força. No Litoral Sul, chance de chuva fraca e isolada à noite. A temperatura segue  elevada, acima de 30°C em boa parte do Estado. O vento soprará de nordeste a noroeste, moderado com intensas rajadas.

Já na quinta-feira, no Oeste e Meio-Oeste, sol com algumas nuvens. Nas demais regiões, sol com aumento de nuvens. No Sul e Grande Florianópolis, pancadas de chuva bem isolada entre a tarde e noite. A temperatura permanece elevada. Na sexta-feira sol com algumas nuvens em todas as regiões. Temperatura segue elevada.

Acompanhe a atualização dos avisos meteorológicos diários e de curto prazo (de 1 até 3 h de antecedência), na página da Epagri/Ciram e redes sociais.

Mais informações para a imprensa:
Central de Meteorologia
Epagri/Ciram
Fone: (48) 3665-5007 

Foto: Julio Cavalheiro/Secom

O Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA) divulga nesta sexta-feira, 07 de dezembro, o primeiro Relatório de Balneabilidade da temporada 2018-2019. De acordo com o resultado, 77,6% dos pontos analisados estão próprios para banho no litoral catarinense. Apesar de realizar coletas também na baixa temporada, de abril a outubro, com divulgação mensal, com a proximidade do verão o Instituto intensifica a pesquisa, agora com amostragens e análises todas as semanas, apresentadas todas as sextas-feiras.

Nesta temporada, foram incluídos quatro novos pontos de coletas: 01 em Itapema, 01 em Palhoça, 01 em Zimbros, 01 na Praia da Vigia, em Garopaba. Desta forma, o IMA analisa hoje 219 locais em todos os 500 quilômetros da costa catarinense. Destes, 75 estão em Florianópolis, que apresenta 80% dos pontos adequados para mergulho de acordo com o relatório. No restante do litoral, dos 144 pontos averiguados, em 110 recomenda-se o banho de mar, o que representa 76,4%. 

Em relação ao relatório anterior, divulgado no dia 30 de novembro, oito pontos passaram da condição de impróprio para próprio (01 no Baln. Rincão, 03 em Florianópolis, 01 em Governador Celso Ramos, 01 em Itapema, 01 em Jaguaruna e 01 em Penha). E quatro pontos passaram de próprio para impróprio (01 em Baln. Camboriú, 01 em Florianópolis, 01 em Governador Celso Ramos e 01 em Piçarras).

O IMA realiza amostragens e ensaios nos municípios de Araranguá, Bal. Arroio do Silva, Bal. Gaivota, Bal. Camboriú, Bal. Rincão, Barra Velha, Biguaçú, Bombinhas, Florianópolis, Garopaba, Gov. Celso Ramos, Imbituba, Itajaí, Itapema, Itapoá, Jaguaruna, Joinville, Laguna, Navegantes, Palhoça, Passo de Torres, Penha, Piçarras, Porto Belo e São José.

É importante frisar que a indicação das placas e dados do IMA mostra a situação da água naquele determinado ponto e não em toda a praia. Além disso, o IMA esclarece ainda que faz as coletas justamente nos locais mais suscetíveis de poluição.

Site Balneabilidade

O verão está chegando e para facilitar a escolha da praia, o Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina lança o site Balneabilidade com todas as informações sobre as condições da água do mar no litoral catarinense. A página apresenta a situação de todas as praias monitoradas, ponto por ponto. Com recursos variados, o usuário pode consultar o último relatório, divulgado todas as semanas, além de saber o histórico do local escolhido. 

De forma dinâmica, é possível navegar por todos os 500 quilômetros da costa catarinense e verificar a condição em cada um dos 219 pontos analisados pelo IMA. Além disso, é possível acompanhar a situação de cada balneário. O site foi totalmente desenvolvido por técnicos do Instituto do Meio Ambiente. Os relatórios continuarão sendo divulgados semanalmente também no site do IMA. 

Balneabilidade

Já é tradição. Antes de ir à praia, boa parte de moradores e turistas consulta as pesquisas de balneabilidade para saber em quais pontos é recomendado o mergulho. Realizado desde 1976, o monitoramento da qualidade da água do mar para banho humano analisa as águas de cada balneário e determina se estão próprias ou impróprias para o banho. Isto é, se estão contaminadas ou não por esgotos domésticos. A existência de esgoto é verificada por meio da contagem da bactéria Escherichia coli (E.c.) presente nas fezes de animais de sangue quente, que podem colocar em risco a saúde dos turistas e da população local.

A coleta é realizada em 219 pontos da costa catarinense. O IMA seleciona os pontos de tal forma que todo o litoral seja avaliado, concentrando as coletas justamente nos locais mais suscetíveis de poluição - os de maior fluxo de banhistas. As coletas são feitas mensalmente de abril a outubro e semanalmente de novembro a março - o pico da temporada de verão. Os técnicos fazem as coletas da água do mar a até 1 (um) metro de profundidade, na quantidade de 100 mililitros em cada ponto. O material coletado é submetido a exames bacteriológicos durante 24 horas. São necessárias cinco semanas consecutivas de coleta para se obter um resultado tecnicamente confiável.

Para as análises são levados em consideração aspectos como condições de maré, incidência pluviométrica nas últimas 24 horas no local, a temperatura da amostra e do ar no momento da coleta (parâmetro físico) e a imediata condução para a pesquisa em crescimento bacteriano. A água é considerada:

 

Própria: quando em 80% ou mais de um conjunto de amostras coletadas nas últimas cinco semanas anteriores, no mesmo local, houver no máximo 800 Escherichia coli por 100 mililitros.

Imprópria: quando em mais de 20% de um conjunto de amostras coletadas nas últimas cinco semanas, no mesmo local, for superior que 800 Escherichia coli por 100 mililitros ou quando, na última coleta, o resultado for superior a 2000 Escherichia coli por 100 mililitros.

James Tavares/Secom

O Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA) divulga nesta sexta-feira, 7, o primeiro Relatório de Balneabilidade da temporada 2018-2019. Aproveitando a abertura do período mais movimentado do ano no litoral catarinense, o órgão lança o site exclusivo para informações sobre monitoramento da qualidade da água do mar para banho humano, o balneabilidade.ima.sc.gov.br.

Apesar de permanecer realizando coletas e divulgando os resultados até mesmo na baixa temporada, de abril a outubro, quando os relatórios são mensais, a partir da proximidade do verão o Instituto intensifica a pesquisa nas praias catarinenses, com amostragens e análises efetuadas todas as semanas, apresentadas todas as sextas-feiras. 

Nesta primeira sexta de dezembro, dia 07, ocorre a disponibilização do Relatório 001 da temporada 2018-2019 e com novidades. A partir de agora serão acrescidos nos resultados quatro novos pontos de coleta, totalizando assim 219 locais averiguados nos 500 quilômetros da costa catarinense. Os pontos que passam a integrar a pesquisa de balneabilidade do IMA são 01 em Itapema, 01 em Palhoça, 01 em Zimbros, 01 na Praia da Vigia, em Garopaba.

O IMA realiza amostragens e ensaios nos municípios de Araranguá, Balneário Arroio do Silva, Balneário Gaivota, Balneário Camboriú, Balneário Rincão, Barra Velha, Biguaçú, Bombinhas, Florianópolis, Garopaba, Governador Celso Ramos, Imbituba, Itajaí, Itapema, Itapoá, Jaguaruna, Joinville, Laguna, Navegantes, Palhoça, Passo de Torres, Penha, Piçarras, Porto Belo e São José.

Site Balneabilidade

O verão está chegando e para facilitar a escolha da praia, o IMA de Santa Catarina lança o site Balneabilidade com todas as informações sobre as condições da água do mar no litoral catarinense. A página pode ser acessado pelo endereço balneabilidade.ima.sc.gov.br e apresenta a situação de todas as praias monitoradas, ponto por ponto. Com recursos variados, o usuário pode consultar o último relatório, divulgado todas as semanas, além de saber o histórico do ponto escolhido.

De forma dinâmica, é possível navegar por todos os 500 quilômetros da costa catarinense e verificar a condição em cada um dos 219 pontos analisados pelo IMA. Além disso, é possível acompanhar a situação de cada balneário. Basta clicar em “praia” e definir a opção desejada.

O site foi totalmente desenvolvido por técnicos do Instituto do Meio Ambiente. Os relatórios continuarão sendo divulgados semanalmente também no site do IMA (www.ima.sc.gov.br).

Balneabilidade

Já é tradição. Antes de ir à praia, boa parte de moradores e turistas consulta as pesquisas de balneabilidade para saber em quais pontos é recomendado o mergulho. Realizado desde 1976, o monitoramento da qualidade da água do mar para banho humano analisa as águas de cada balneário e determina se estão próprias ou impróprias para o banho. Isto é, se estão contaminadas ou não por esgotos domésticos. A existência de esgoto é verificada por meio da contagem da bactéria Escherichia coli (E.c.) presente nas fezes de animais de sangue quente, que podem colocar em risco a saúde dos turistas e da população local.  

A coleta é realizada em 219 pontos da costa catarinense. O IMA seleciona os pontos de tal forma que todo o litoral seja avaliado, concentrando as coletas justamente nos locais mais suscetíveis de poluição - os de maior fluxo de banhistas. As coletas são feitas mensalmente de abril a outubro e semanalmente de novembro a março - o pico da temporada de verão.

Os técnicos fazem as coletas da água do mar a até 1 (um) metro de profundidade, na quantidade de 100 mililitros em cada ponto. O material coletado é submetido a exames bacteriológicos durante 24 horas. São necessárias cinco semanas consecutivas de coleta para se obter um resultado tecnicamente confiável.

Para as análises são levados em consideração aspectos como condições de maré, incidência pluviométrica nas últimas 24 horas no local, a temperatura da amostra e do ar no momento da coleta (parâmetro físico) e a imediata condução para a pesquisa em crescimento bacteriano. 

A água é considerada:

Própria: quando em 80% ou mais de um conjunto de amostras coletadas nas últimas cinco semanas anteriores, no mesmo local, houver no  máximo 800 Escherichia coli por 100 mililitros.

Imprópria: quando em mais de 20% de um conjunto de amostras coletadas nas últimas cinco semanas, no mesmo local, for superior que 800 Escherichia coli por 100 mililitros ou quando, na última coleta, o resultado for superior a 2000 Escherichia coli por 100 mililitros.

Coordenadores do projeto Udesc Lixo Zero orientaram representantes municipais - Foto: Lyvia Lozano

Servidores da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) apresentaram o projeto Lixo Zero da instituição a membros das prefeituras de Florianópolis e Chapecó na última quinta-feira, 29, na sede do Campus I, na Capital. Os coordenadores do Udesc Lixo Zero, Gustavo Kogure e Marcelo Cardoso, falaram com o prefeito em exercício de Florianópolis, João Batista Nunes, e a responsável pelos resíduos da Prefeitura de Chapecó, Vanusa Maggioni.

Ação no Vale do Itajaí realiza oficinas de gastronomia sustentável para comunidade - Fotos: Divulgação

Um projeto do Centro de Educação Superior do Alto Vale do Itajaí (Ceavi)da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) em Ibirama, foi selecionado em uma chamada pública do Ministério do Meio Ambiente (MMA).

Foto: Mauren Rigo/SPG

A Comissão Técnica Estadual (CTE) do Projeto Orla realizou a última reunião ordinária do ano na Secretaria de Estado do Planejamento (SPG), em Florianópolis, nesta terça-feira, 27. Representantes de órgãos estaduais, do Governo Federal e de universidades discutiram a continuidade das atividades do grupo em 2019 e falaram sobre a importância do gerenciamento costeiro e da gestão de praias em Santa Catarina. Dentro da programação do próximo ano está a elaboração do Plano de Ação Estadual do Projeto Orla e um calendário de eventos relativos aos gerenciamento costeiro. 

Na ocasião, também foi aprovado o parecer técnico da análise formal do Plano de Gestão Integrada (PGI) de Itajaí. O plano é o principal instrumento de gestão do Projeto Orla, pois traz um diagnóstico da faixa litorânea do município e reúne as medidas necessárias para o uso e ocupação da orla de forma sustentável. 

De acordo com a gerente de Apoio à Gestão das Cidades da SPG, Cristina Mara Couldrey, a Prefeitura de Itajaí teve a primeira análise formal do plano rejeitada, mas os coordenadores municipais corrigiram as pendências para uma nova apreciação do grupo de trabalho da Secretaria do Planejamento. A segunda análise formal mostrou que o documento contém os itens, nomenclatura e pré-requisitos em conformidade com os Manuais do Projeto Orla do Ministério do Meio Ambiente (MMA).

“Com a aprovação da análise formal, o PGI de Itajaí segue para a próxima e última etapa, que é a análise de conteúdo”, explica. A gerente ainda reforça que está sendo elaborada uma Instrução Normativa para ajudar os municípios a tirar dúvidas sobre os PGIs. 

>>> Saiba mais sobre o Projeto Orla
 

Os eventos voltados ao gerenciamento costeiro também foram tema da reunião. A professora Marinez Scherer, da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), falou sobre a realização do 11º Encontro Nacional de Gerenciamento Costeiro (Encogerco), em outubro, na Capital. O evento ocorreu de forma integrada ao 2º Simpósio Brasileiro de Praias Arenosas (SBPA). Segundo ela, ambos foram uma grande oportunidade para debates técnicos e científicos relativos às praias e à gestão costeira.

Participaram da reunião representantes da Secretaria de Estado do Planejamento, Secretaria do Patrimônio da União (SPU), Iphan, Udesc, UFSC, Unisul, Epagri/Cedap, Univali, Polícia Militar Ambiental, IMA e Cepsul.

Mais informações para a imprensa:
Mauren Rigo
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado do Planejamento
(48) 3665-3319 / 9-9186-9740
mauren@spg.sc.gov.br