Foto: Casan

A Casan encerrou nesta semana os trabalhos de desvio da adutora de 800mm de Pilões em uma área sujeita a deslizamentos na região de Santo Amaro da Imperatriz. Com isso, na próxima segunda-feira, 24, será executada a interligação do novo trecho ao Sistema Integrado de Abastecimento da Grande Florianópolis. Com isso, haverá interrupção no fornecimento de água em cidades da Grande Florianópolis.

A obra de alteração da rota da tubulação de grande porte que capta água do Rio Pilões tem como objetivo dar mais segurança ao abastecimento de toda a região metropolitana. Pilões é o principal manancial de abastecimento da Grande Florianópolis. Mais de 500 metros da adutora de ferro, com quase um metro de diâmetro, foram deslocados para uma área mais segura. O objetivo é reduzir as possibilidades de rompimentos em deslizamentos de terra, comuns na área de preservação dentro do Parque Estadual da Serra do Tabuleiro.

Somente neste desvio da adutora, a Casan investiu R$ 1 milhão, eliminando quase todos os trechos aéreos da rede. Foram ainda implantados ao longo da tubulação dez blocos de concreto para ancoragem. Essa técnica é a utilizada para absorver a pressão da água transportada pela adutora de ferro de grande porte.

A Casan também está construindo novos pilares de sustentação e vai reforçar todas as estruturas já existentes, em um outro projeto em andamento, que receberá investimento de mais R$ 1.184.699,69.

Com a conclusão nos trabalhos na adutora de 800mm, a Casan passa a executar o conserto de duas redes consideradas reservas para a alta temporada, de 600mm e 500mm, que também foram rompidas em meio às chuvas intensas de maio. A obra de recomposição destas duas adutoras é menos complexa, pois são redes mais ao nível do solo. A previsão é que os trabalhos sejam concluídos ainda em agosto.

Interligação

Para execução dos trabalhos de interligação do novo trecho da Adutora de Pilões, que deverão se prolongar durante todo o dia, o fornecimento de água precisará ser parcialmente interrompido na segunda-feira, 24, para os municípios de Palhoça, São José, Biguaçu e Florianópolis. Está prevista suspensão do abastecimento por cerca de dez horas, com normalização gradativa a partir do final da tarde.

“É importante que a população ajude a economizar, pois o retorno da água não é imediato como ocorre, por exemplo, com a energia elétrica. A volta da água acontece aos poucos e de forma diferente em cada bairro. Em locais mais altos e nos finais de rede, sempre demora um pouco mais”, alerta o gerente Operacional da Casan, engenheiro Pedro Joel Horstmann.  

No caso de Florianópolis, será afetada a região continental (bairros Coqueiros, Capoeiras, Estreito, Jardim Atlântico e Monte Cristo) e da Bacia do Itacorubi (João Paulo, Itacorubi, Santa Mônica, Parque São Jorge, Córrego Grande, Pantanal, Saco dos Limões, Trindade, Costeira do Pirajubaé e Agronômica).

Na região central, o abastecimento deve seguir normal, com pequena redução de pressão. Bairros do Norte da Ilha, atendidos pelo Sistema Costa Norte, e do Sul, abastecido pelo Sistema Costa Sul-Leste, também não serão comprometidos pelos trabalhos de interligação.

Mais informações para a imprensa:
Gerência de Comunicação Social da Casan
Fones: (48) 3221-5034 | 3221-5035 | 3221-5036
Arley Reis 
E-mail: areis@casan.com.br
Suzete Antunes
E-mail: santunes@casan.com.br
Ricardo Stefanelli 
E-mail: ristefanelli@casan.com.br
Fone: (48) 9136-9345
www.casan.com.br

 

 

Com a obtenção de licença ambiental junto à Fundação do Meio Ambiente (Fatma), a Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan) retomou as obras de ampliação do Sistema de Esgotamento Sanitário de São José.

Casan retoma obras de esgotamento sanitário em São José
Foto: Casan

Esta semana as frentes de trabalho para assentamento de rede coletora de esgotos atuam no Bairro Bela Vista, na Rua Julia Schoroeder. Estão também em execução trabalhos de implantação de emissário, tubulação de maior porte, na Avenida das Torres. Para a próxima semana, a programação prevê obras de assentamento de redes de coleta nas ruas Gisela, Gravatal e Itaguaçu, todas no Bairro Bela Vista. A pavimentação dos locais que receberam redes será realizada aproximadamente 15 dias após os trabalhos, para compactação do solo.

>>>Mais imagens na galeria

Obras em andamento e em licitação

Atualmente São José conta com dois projetos de esgotamento sanitário em execução. Um deles para os bairros Floresta, Nossa Senhora do Rosário e Bela Vista, com obras novamente em andamento. O outro contempla o Centro Histórico e a Ponta de Baixo. Esse projeto está em licitação para retomada das frentes de trabalho. O investimento total em esgotamento sanitário na cidade é superior a R$ 19 milhões.

Já foram implantadas 60% das redes de coleta, mas os trabalhos tiveram de ser interrompidos porque encerrou a vigência da licença ambiental. Por força de mudança na legislação, a renovação teve de ser solicitada à Fatma, órgão ambiental estadual. No total, a Casan está investindo R$ 88,6 milhões em São José, incluindo projetos de esgotamento sanitário e abastecimento de água.

Mais informações para a imprensa:
Gerência de Comunicação Social da Casan
Fones: (48) 3221-5034 | 3221-5035 | 3221-5036
Arley Reis 
E-mail: areis@casan.com.br
Suzete Antunes
E-mail: santunes@casan.com.br
Ricardo Stefanelli 
E-mail: ristefanelli@casan.com.br
Fone: (48) 9136-9345
www.casan.com.br

 

 

Acadêmicos e professores de Engenharia Sanitária do Centro de Educação Superior do Alto Vale do Itajaí (Ceavi), da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), auxiliaram na revisão do plano de saneamento básico de Ibirama, cuja lei foi sancionada recentemente.

A revisão, que foi sugerida à prefeitura pelo professor Eduardo Bello Rodrigues e pelo diretor-geral da unidade, Carlos Alberto Barth, ocorreu entre julho e dezembro de 2016, com a participação da acadêmica Ana Flávia Costa, do egresso Guilherme Censi e do professor Gean Michel.


Foto: Rodrigo de Souza/SDS

O novo modelo de apoio aos Comitês de Bacias Hidrográficas foi apresentado nesta terça-feira, 18, em Tijucas. Agora, o suporte será realizado por meio de Entidades Executivas, que irão promover o assessoramento técnico, administrativo, financeiro e jurídico, entre outras atribuições. “Apresentamos hoje a Entidade Executiva de Apoio aos Comitês de Bacias Hidrográficas dos Rios Camboriú, Cubatão e Tijucas. Assinamos o repasse de R$ 1,38 milhão para a entidade, que são viabilizados para os próximos três anos”, assegurou o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDS), Carlos Chiodini.

A lei federal 13.019, de 2014, que regula parcerias entre o poder público e organizações da sociedade civil, inviabiliza a formalização de convênios com os Comitês de Bacias, parceria adotada anteriormente pelo Estado. “Foi necessário propor um modelo que atenda tanto a legislação vigente quanto às particularidades dos comitês catarinenses”, esclareceu o diretor de Recursos Hídricos da SDS, Bruno Beilfuss.

Para identificar a situação hídrica e estabelecer as diretrizes e ações para uso da água dos Rios Camboriú, Cubatão e Tijucas, estão sendo elaborados os Planos de Bacias. A SDS repassou mais de R$ 4 milhões para elaboração dos três estudos, que serão finalizados em 2018. “Os Planos definem as diretrizes para o desenvolvimento local e regional, bem como as metas para recuperação, preservação e conservação dos recursos hídricos. São estes os principais instrumentos de gestão e, a partir deles, poderemos pensar no uso atual e no futuro”, define Chiodini.

Segundo o prefeito de Tijucas, Elói Mariano Rocha, o planejamento é fundamental para a gestão dos recursos hídricos. “Hoje a falta de água é um problema em muitas regiões no país. Felizmente, em Santa Catarina temos abundância em recursos e, por isso, o planejamento é necessário”, salientou. O prefeito de São João Batista, Daniel Netto Cândido, também presente no evento, agradeceu ao Governo do Estado pelas iniciativas, reforçando a relevância da ação para o desenvolvimento econômico e social dos municípios.

Informações adicionais para a imprensa
Michelle Nunes
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável - SDS
E-mail: jornalistaminunes@gmail.com
Fone: (48) 3665-2261/ 99929-4998
Site: www.sds.sc.gov.br


Fotos: Elenise Melo Nunes/ADR São Joaquim

Com o registro de temperaturas negativas em diversos municípios catarinenses, moradores de algumas regiões enfrentam problemas com o encanamento de água. Na madrugada desta terça-feira, 18, quando as temperaturas registraram temperatura de até -7,4°C e uma sensação térmica de -27°C na Serra Catarinense, apenas na Agência local da Casan de São Joaquim foram informados 120 casos de vazamento por congelamento, situações que podem ser evitados com algumas medidas preventivas. Na próxima noite, a Casan também irá interromper o fornecimento de água nas regiões mais baixas de São Joaquim.

A servidora pública Vera Lúcia Mariotti foi umas das moradoras de São Joaquim que enfrentou o problema. Ela conta que apenas no final da manhã desta terça-feira,18, provavelmente quando o cano descongelou, ela observou que um cano do hidrômetro estava esguichando água e que estava rachado. “Não sabia que isso poderia acontecer, e que uma simples proteção poderia ter impedido o congelamento e os transtornos”, afirmou.

Entre as medidas indicadas pela Casan para evitar o congelamento de hidrômetros e encanamentos de água expostos está a proteção dos hidrômetros com jornal, plástico ou papelão para abrigar o equipamento e uma alternativa para encanamentos externos, como torneiras de jardins ou tubos de PVC não enterrados é através do esvaziamento dos canos e o fechamento dos registros. “Se houver a possibilidade, o ideal é fechar o registro e esgotar a canalização de água. Outro alerta é para que as pessoas não joguem água quente em encanamento congelado, pois o choque térmico poderá trincar os canos”, explicou o agente local da Casan de São Joaquim, Luiz Carlos do Amaral.

A Casan informa que diante das previsões que indicam temperaturas de até -10°C na próxima noite, o fornecimento de água será interrompido a partir das 18 horas desta terça-feira, 18, nos bairros Bandeira, Cohab I, Jardim das Camélias, Três Pedrinhas, Marita Campos, Santa Paulina e São José. “Com a interrupção pretendemos esgotar as redes e com isso evitar o congelamento e por consequência os transtornos e despesas geradas pelas situações apontadas”, destacou o agente.

 

 

Será realizada, nesta terça-feira, 18, a apresentação da Entidade Executiva de Apoio aos Comitês de Bacias Hidrográficas dos Rios Camboriú, Cubatão e Tijucas. O evento está marcado para as 10h, na Câmara de Vereadores de Tijucas. “Os comitês têm importância estratégica na gestão dos recursos hídricos. Nos últimos dois anos, temos investindo para a construção dos Planos de Bacia e, a entidade executiva dará suporte para implementação das ações”, diz o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDS), Carlos Chiodini.

Os Comitês são compostos por usuários de água, sociedade civil e poder público. Sua função é a de mobilizar os agentes da bacia em torno da política estadual para os recursos hídricos e de atuar na solução dos conflitos locais. Somente em 2016, a SDS repassou R$ 800 mil para fortalecer a atuação dos Comitês de Bacias em todo Estado.

Fazem parte do Comitê Camboriú os municípios de Camboriú e Balneário Camboriú; já o Comitê Tijucas e Biguaçu compreende as cidades de Angelina, Antônio Carlos, Biguaçu, Bombinhas, Canelinha, Governador Celso Ramos, Itapema, Leoberto Leal, Major Gercino, Nova Trento, Porto Belo, Rancho Queimado, São João Batista e Tijucas. Por fim, o Comitê Cubatão e Madre atende Garopaba, Palhoça, Santo Amaro da Imperatriz, Águas Mornas, São Pedro de Alcântara, São José, Florianópolis e Paulo Lopes.

Informações adicionais para a imprensa
Michelle Nunes
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável - SDS
E-mail: jornalistaminunes@gmail.com
Fone: (48) 3665-2261 / 99929-4998
Site: www.sds.sc.gov.br


Foto: Cid Junkes/Casan

A terceira e última fase da implantação da Adutora de 1.200mm, uma das obras mais aguardadas para reforçar o abastecimento de água da Grande Florianópolis, foi iniciada, possibilitando a previsão de ser colocada em operação até o verão. Paralisada ainda em 2015 devido a alterações de projeto e traçado, a grande adutora vai receber até dezembro os últimos 1.100 metros de tubulação com diâmetro de 1,20 metro. É a adutora de água tratada mais potente de Santa Catarina e se estende desde a Estação de Tratamento de Água (ETA) Cubatão, em Palhoça, principal unidade de tratamento da região Metropolitana, até a entrada de Florianópolis, por um total de 15,6 quilômetros.

Quando entrar em operação, a Adutora 1.200 vai aumentar a oferta de água tratada para os bairros Serraria, Barreiros e Areias, de São José, ampliar o abastecimento da área continental de Florianópolis e regularizar a distribuição para a Bacia do Itacorubi (bairros Itacorubi, Santa Mônica, Parque São Jorge, Jardim Anchieta e Pantanal) e vai solucionar problemas de pressão e vazão que hoje afetam regiões em crescimento de Biguaçu.

“Depois do Sistema Flocodecantador, esta é a obra mais importante para dar tranquilidade à operação de abastecimento da Grande Florianópolis”, explica o engenheiro Fábio Krieger, gerente de Construção da companhia. "Essa adutora vai regularizar a pressão da água que vem do Flocodecantador, beneficiando São José, Florianópolis, Biguaçu e, inclusive, Palhoça, que compra água da Casan", explica. O Flocodecantador é o equipamento instalado em dezembro de 2015 na ETA Cubatão e que ampliou em 50% a velocidade de tratamento e eliminou a turbidez que era registrada em períodos de chuvas fortes.

A relevância desta adutora e sua grandiosidade justificam o investimento de R$ 21,6 milhões e alguns transtornos que causará até o final do ano. Uma das frentes de serviços da construtora Stemag está localizada junto à ponte sobre o Rio Araújo, na altura do antigo pórtico de São José, por onde a obra foi retomada. Uma outra frente vai entrar em operação a partir do próximo dia 26 de julho pela Rua Luis Fagundes (proximidades do Hospital Regional), seguindo pela Beira-Mar de São José em direção à BR-101 (Forquilhinhas). Casan e prefeitura alinharam, em reunião realizada na última segunda-feira, formas de manter a população constantemente avisada sobre o cronograma de obras para alertar sobre alterações no trânsito e sugerir rotas alternativas.

A Adutora 1.200 já teve duas etapas implantadas. A primeira ocorreu em 2001, aproveitando a duplicação da BR-101, ligando Forquilhinhas à entrada de Santo Amaro da Imperatriz. A segunda etapa foi implantada em 2008, interligando o trecho da rodovia federal até a ETA (Estação de Tratamento de Água) Cubatão. Em 2014, iniciou-se a terceira etapa, com a implantação de 2.600 metros ao longo da Beira-Mar de São José. Os 1.100 metros que faltam estão previstos da seguinte forma: do trevo da BR-101 em Forquilhinha (São José), seguirá pela Beira-Mar de São José e fará conexão com uma quarta adutora no Trevo da Avenida Ivo Silveira/Via Expressa (BR-282) já na Florianópolis continental.

Tranquilidade no abastecimento

Com o reinício da obra da Adutora 1.200, faltará apenas a retomada da obra da Adutora 800mm (da Ponte Pedro Ivo até o teatro do CIC) para fechar um ciclo de investimentos que vai garantir o abastecimento de água a moradores e turistas da Grande Florianópolis pelos próximos 20 anos. Este ciclo envolveu a construção do Flocodecantador, a construção do reservatório de três milhões de litros no Norte da Ilha (Ingleses), a substituição de toda a rede ao longo da SC-403 (que liga a SC-401 até os Ingleses), prevê a implantação de três novos reservatórios em São José num total de 14 milhões de litros (um já foi concluído, o outro está em obras e um terceiro em projeto final), a construção de duas Estações de Tratamento de Água em Biguaçu (ETA Sorocaba e ETA São Miguel), sem falar em outras melhorias menores, como as substituições de redes.

“A falta de água na região metropolitana ficou no passado”, diz o presidente Valter José Gallina. “Hoje em dia, somente acidentes ou problemas pontuais, como vazamentos, geram cortes no abastecimento, pois em termos estruturais, a Casan está garantindo o abastecimento, especialmente na temporada de verão”, diz.

Mais informações para a imprensa:
Gerência de Comunicação Social da Casan
Fones: (48) 3221-5034 | 3221-5035 | 3221-5036
Arley Reis 
E-mail: areis@casan.com.br
Suzete Antunes
E-mail: santunes@casan.com.br
Ricardo Stefanelli 
E-mail: ristefanelli@casan.com.br
Fone: (48) 9136-9345
www.casan.com.br

 

 


Foto: Mateus Mastella/Casan

O diretor-presidente da Casan, Valter José Gallina, em visita a Criciúma na tarde desta terça-feira, 4, apresentou às autoridades, comunidade e imprensa as melhorias realizadas na Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) do Bairro Santa Luzia. O problema do mau cheiro, que era uma reclamação recorrente da comunidade, foi sanado com a instalação de um moderno sistema de tratamento.

Na solenidade, Gallina agradeceu aos vereadores da cidade que se engajaram para que o forte odor fosse eliminado. “Eles são os legítimos representantes do povo. Esta parceria é muito importante, pois a demanda é muito alta. Juntos, conversamos com alguns moradores para avaliar o que poderia ser feito. O recurso utilizado é um dos mais modernos e hoje podemos dizer aos vereadores que nos contataram que nós cumprimos a nossa missão. Constatamos que não existe mais o mau cheiro graças à tecnologia usada que é uma das melhores do mundo. O esgoto sanitário de Criciúma está sendo bem tratado”, explicou. O mesmo sistema será usado na ETE da Vila Selinger, para atender a região do Bairro Próspera.

O diretor-presidente da Casan ainda ressaltou a alta qualidade do efluente, tudo de acordo com as exigências ambientais. “As pessoas vão frequentar menos os hospitais. O objetivo é levar melhor qualidade de vida”, pontua, acrescentando que, em breve, os bairros São Luiz e Michel, que somam mais de 33 mil moradores, também serão contemplados com o moderno sistema de tratamento. A licitação para a obra deve sair ainda neste ano.

O superintendente regional da Casan, Vilmar Tadeu Bonetti, lembrou que "a tecnologia usada é de ponta, a melhor que se poderia ter investido. Os moradores não precisam mais se preocupar com o mau cheiro graças ao comprometimento da Casan e do Governo do Estado", comemorou. "O governador Raimundo Colombo e a Casan se preocuparam muito com este problema. Agora, estando aqui, mesmo com este forte vento, percebe-se que tudo foi resolvido", lembrou o secretário da Agência de Desenvolvimento Regional de Criciúma, João Fabris.

Se no sistema anterior, de Filtros Percoladores, a aeração ocorria de maneira natural, a nova estrutura utiliza um sistema mecanizado com aeração forçada, por meio de sopradores de ar. Este novo sistema proporciona mais aeração, evitando a geração de odores, mais comum em sistemas com pouco oxigênio. A tecnologia usada na ETE Santa Luzia é semelhante à aplicada no tratamento de esgotos da Barra da Lagoa, em Florianópolis. A mudança no sistema de aeração exigiu também alterações estruturais nos tanques existentes, para que estes aumentassem sua capacidade. O investimento feito pela Casan foi de R$ 3,5 milhões na revitalização da unidade, recursos destinados especialmente a alterações do sistema de pós-tratamento aeróbio. A obra que começou em abril do ano passado já se encontrava desde fevereiro em pré-operação.

Mais informações para a imprensa:
Gerência de Comunicação Social da Casan
Fones: (48) 3221-5034 | 3221-5035 | 3221-5036
Arley Reis 
E-mail: areis@casan.com.br
Suzete Antunes
E-mail: santunes@casan.com.br
Ricardo Stefanelli 
E-mail: ristefanelli@casan.com.br
Fone: (48) 9136-9345
www.casan.com.br

 

 

Liderados pelo diretor-presidente Valter José Gallina, um grupo de técnicos da Casan abrirá na tarde desta terça-feira, dia 4 de julho, a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) do Bairro Santa Luzia, após completa reformulação do modelo de tratamento da unidade. O objetivo da inspeção é avaliar todas as mudanças implantadas nos últimos 14 meses, que a transformaram numa estação mais moderna.

Na visita marcada para as 14h, foram convidados o prefeito Clésio Salvaro e secretários municipais, a Promotoria de Justiça, a Agência de Desenvolvimento Regional, líderes de associações de moradores e representantes da Câmara Municipal. O objetivo da inspeção, que deverá ser acompanhada pela imprensa, é mostrar à população de Criciúma a solução de antigos problemas que afetavam o pleno funcionamento da ETE, em especial o odor que a estação exalava e gerava reclamação de moradores mais próximos.

A Casan investiu R$ 3,5 milhões na revitalização da unidade, recursos destinados especialmente a alterações do sistema de pós-tratamento aeróbio. O sistema de Lodos Ativados substituiu os Filtros Biológicos Percoladores anteriormente usados. A obra começou em abril do ano passado, e desde fevereiro deste ano já se encontra em pré-operação. Na melhoria, foi aumentada a altura dos tanques dos antigos filtros e implantado um sistema de aeração por ar difuso. A ETE também recebeu uma elevatória de recirculação de lodo.

Mas a principal alteração ocorreu, mesmo, nos sistemas de aeração. Se no sistema anterior, de Filtros Percoladores, a aeração ocorria de maneira natural, agora é utilizado um sistema mecanizado com aeração forçada, por meio de sopradores de ar. Este novo sistema proporciona mais aeração, evitando a geração de odores, mais comum em sistemas com pouco oxigênio.

A tecnologia usada na ETE Santa Luzia é semelhante à aplicada no tratamento de esgotos da Barra da Lagoa, em Florianópolis. A mudança no sistema de aeração exigiu também alterações estruturais nos tanques existentes, para que estes aumentassem sua capacidade. “O projeto de reformulação da estação está concluído, mas nada impede eventuais ajustes no processo”, observa Vilmar Bonetti, responsável pela Superintendência Regional de Negócios Sul-Serra.

Mais informações para a imprensa:
Gerência de Comunicação Social da Casan
Fones: (48) 3221-5034 | 3221-5035 | 3221-5036
Arley Reis 
E-mail: areis@casan.com.br
Suzete Antunes
E-mail: santunes@casan.com.br
Ricardo Stefanelli 
E-mail: ristefanelli@casan.com.br
Fone: (48) 9136-9345
www.casan.com.br

 

 


Foto: Divulgação / Casan

Com capacidade de 30 litros por segundo, entra na terceira semana de pré-operação a Estação de Tratamento de Água da Linha São Paulo, que vai atender nove bairros da parte mais alta de Concórdia. A estação, modelo compacta, foi construída há mais de ano, mas a dificuldade de implantar a adutora que faria a interligação da ETA com o restante do sistema de abastecimento atrasou o início das atividades. A conclusão da instalação da rede, com mais de 5 mil metros de extensão, permitiu a interligação. O investimento da ETA Linha São Paulo chega a R$ 2.470.000, valor que inclui a unidade de tratamento e a tubulação implantada.