A Casan realiza no prédio da Matriz nesta quarta-feira, 4, às 9h30min, entrevista coletiva para apresentação de um balanço sobre o abastecimento de água na Grande Florianópolis. Os dados demonstram um recorde para a região, com o dia 31 de dezembro apresentando o maior consumo da história de 45 anos da companhia.

A sistematização dos dados foi possível com a instalação de equipamentos sofisticados de medição em pontos estratégicos. A infraestrutura de macromedidores também permitiu à companhia criar um indicadorpara estimar a presença de visitantes na Grande Florianópolis e na Capital a cada dia.

Os dados passam a ser disponibilizados no site da Casan e serão atualizados diariamente durante a temporada, demonstrando o volume produzido de água a cada dia, a capacidade de atendimento e a estimativa de população flutuante (visitantes).  

Sistemas de esgoto

Nesta quarta-feira a Casan anunciará, também, que está entregando à comunidade um dos principais investimentos em esgotamento sanitário de Florianópolis, com a conclusão das obras do Continente. A região contará com mais de 98% de cobertura de esgoto.

{text}

O vice-governador do Estado, Eduardo Pinho Moreira, e o prefeito eleito de Florianópolis, Gean Loureiro, vistoriam a partir das 9h deste sábado, dia 31, as ações lideradas pela Casan para ajudar a despoluir o Norte da Ilha de Santa Catarina.

Acompanhados do presidente da Casan, Valter Gallina, e de engenheiros, começam o roteiro pela nova Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) de Canasvieiras, que entrou em operação esta semana justamente para atender a produção da alta temporada.

Depois, Pinho Moreira e Gean vão até a Unidade de Recuperação Ambiental (URA), cujo filtro de tratamento da água do Rio do Braz está instalado dentro do Sapiens Parque.

A vistoria se encerra junto à praia de Canasvieiras, onde o Rio do Braz se encontra com o mar. 

Informações adicionais para a imprensa:
Ricardo Stefanelli 
Assessoria de Comunicação
Presidência da Casan
E-mail: rstefanelli@casan.com.br
Fone: (48) 3221-5034 / 99136-9345

Além de publicar um novo edital para credenciamento de caminhões  limpa-fossa que descarregam o material em suas estações de tratamento de esgoto, a Casan está orientando motoristas de ônibus de turismo e motorhomes para descarte dos dejetos dos toaletes.

Em conjunto com órgãos ambientais e de fiscalização, a companhia produziu folderes para explicar onde e como deve ser feito o descarte. Quatro postos de combustíveis de Florianópolis, um de São José e uma unidade da Comcap em Canasvieiras estão habilitados para receber os dejetos destes veículos (veja abaixo).

O material está sendo distribuído no Centro de Atendimento ao Turista (CAT) próximo à Ponte Pedro Ivo, no CAT da Lagoa do Peri, no posto da Santur no Aeroporto Hercílio Luz e em outros locais de maior fluxo de veículos de turismo.  

folder digital também está sendo compartilhado com entidades, como a Associação das Empresas de Transporte Turístico e Fretamento de Santa Catarina e o Fórum de Turismo de Florianópolis (Fortur).

Blitze de fiscalização serão realizadas pela Polícia Ambiental, Fatma, prefeitura e Casan em pontos estratégicos de circulação dos ônibus durante o verão. Uma primeira operação desse tipo foi realizada, em novembro, junto ao posto de pedágio da SC-401, incluindo os caminhões limpa-fossa.

 A Casan pede que a população ajude a identificar eventuais irregularidades. Nas temporadas passadas houve denúncias de descarte em redes pluviais. O despejo em local inadequado gera poluição ambiental e também afeta a balneabilidade das praias. O telefone para denúncias é 0800 644 1523


Postos de combustível habilitados a receber o descarte:

Florianópolis:

:: Bairro Pantanal:
Posto Sulcar - Ipiranga / Rua Deputado Antônio Edu Vieira, 1190

:: Lagoa da Conceição:
Posto Galo - Ipiranga / Rod. Jorn. Manoel de Menezes, 3.007 (Barra da Lagoa)    
Posto Galo - Ipiranga / Av. Afonso Delambert Neto, 240

:: Cachoeira do Bom Jesus:
Posto Márcia Borck  - Ale /  Av. Luiz Boiteux Piazza, 2099

:: Canasvieiras:
Ponto em terreno da COMCAP - Rua Vasco Oliveira Gondin, 200


São José:

::  Posto Galo - Ipiranga / Rua Gerôncio Thives,1099 (ao lado do Shopping Itaguaçu)

 

{text}

A Casan entrega a partir das 10h desta quarta-feira, 28, a nova Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) de Canasvieiras..

Projetada, licenciada ambientalmente, licitada e construída em menos de 10 meses, a estação faz parte do conjunto de ações lideradas pela Companhia dentro do processo de despoluição do Norte da Ilha. 

Para receber a imprensa no local estará o diretor-presidente, Valter Gallina, e o corpo de engenheiros da empresa responsável pelas ações operacionais.

Após vistoriar a Estação de Tratamento, o grupo se dirigirá até a Unidade de Recuperação Ambiental (URA) do Rio do Braz. Instalada junto ao Sapiens Parque, a URA tem uma bomba-flutuante que capta água próximo à ponte da Rua Madre Maria Villac e devolve, filtrada, ao próprio rio. A URA trata mais de 600 mil litros de água por dia.

Veja abaixo a localizaçâo das estações:

{text}

Equipe da área operacional da Casan, com apoio da Comcap, realizou na tarde desta segunda-feira, 26, uma nova limpeza na região do Rio do Braz, em Canasvieiras, em Florianópolis. O trabalho incluiu corte de grama, poda de vegetação e recolhimento de lixo.
 
Foto: Casan/divulgação
 
"A atividade faz parte do conjunto de ações lideradas pela companhia para auxiliar na despoluição do Norte da Ilha", explica o engenheiro sanitarista Lucas Barros Arruda, superintendente da Região Metropolitana, que acompanhou a operação.
Já foram realizadas outras duas limpezas no local, uma em novembro e uma no início de dezembro, quando foram retiradas grandes quantidades de sacos plásticos, garrafas pet, embalagens, borrachas e até materiais de construção.
 
Unidade de Recuperação Ambiental
Também já está funcionando no local a bomba flutuante que opera no processo de filtragem da água. 
O equipamento, identificado no leito do rio nas proximidades da ponte da Rua Madre Maria Villac, faz parte da Unidade de Recuperação Ambiental (URA) instalada junto ao Sapiens Parque. A URA está filtrando aproximadamente 600 mil litros de água diariamente, devolvendo-a mais limpa ao próprio Rio do Braz.
 
{text}

Na tarde desta quarta-feira, 21, foi aberto na Casan, em Florianópolis, o pregão realizado para a escolha da empresa que vai fornecer as tubulações para a macro adutora do rio Chapecozinho. A licitação foi desmembrada em duas fases: em uma segunda etapa a Casanlançará o edital para a contratação das obras civis, o que deve acontecer até o final de janeiro.


Foto: Giulia Santini/CASAN

Nas próximas semanas a comissão de licitação da Empresa vai analisar e julgar a documentação recebida das empresas nesta quarta. Ainda no começo de janeiro será marcada a sessão de disputa de preço entre as empresas que forem consideradas habilitadas.

O projeto descrito no edital prevê tubulação de ferro fundido, mas abre a possibilidade de ser apresentado outro tipo de material, desde que compatível com a proposta de engenharia que compõe o Termo de Referência e o Projeto Executivo. O valor base é R$ 93 milhões.

O Projeto do rio Chapecozinho prevê a construção de uma adutora com 58 quilômetros de extensão, dois quais 38 quilômetros no diâmetro 900 mm e 20 quilômetros utilizando tubulação com um metro de diâmetro. A macro adutora vai abastecer os municípios de Xaxim, Xanxerê, Cordilheira Alta e Chapecó, atendendo uma população de 500 mil pessoas pelos próximos 35 anos. A obra conta com recursos do Ministério da Integração Nacional e contrapartida da Casan.

{text}

CASAN realiza primeira etapa da licitação para macro adutora do rio Chapecozinho
 

Na tarde desta quarta-feira, 21, foi aberto na CASAN o pregão realizado para a escolha da empresa que vai fornecer as tubulações para a macro adutora do rio Chapecozinho. A licitação foi desmembrada em duas fases: numa segunda etapa a CASAN lançará o edital para a contratação das obras civis, o que deve acontecer até o final de janeiro.

Nas próximas semanas a comissão de licitação da Empresa vai analisar e julgar a documentação recebida das empresas nesta quarta. Ainda no começo de janeiro será marcada a sessão de disputa de preço entre as empresas que forem consideradas habilitadas.

O projeto descrito no edital prevê tubulação de ferro fundido, mas abre a possibilidade de ser apresentado outro tipo de material, desde que compatível com a proposta de engenharia que compõe o Termo de Referência e o Projeto Executivo. O valor base é R$ 93.027.501,92.

O Projeto do rio Chapecozinho prevê a construção de uma adutora com 58 quilômetros de extensão, dois quais 38 quilômetros no diâmetro 900 mm e 20 quilômetros utilizando tubulação com um metro de diâmetro. A macro adutora vai abastecer os municípios de Xaxim, Xanxerê, Cordilheira Alta e Chapecó, atendendo uma população de 500 mil pessoas pelos próximos 35 anos. A obra conta com recursos do Ministério da Integração Nacional e contrapartida da CASAN.

Foto: Comissão de licitação da CASAN recebeu propostas das empresas interessadas em fornecer material para a obra. (Giulia Santini/CASAN)

A Casan começou nesta terça-feira, 20, a distribuir em Florianópolis folders produzidos para informar os novos critérios de credenciamento para caminhões limpa-fossa. As normas passam a incluir os banheiros químicos usados por motorhomes e ônibus de turismo, que até agora não eram regulamentados nem fiscalizados.

A ação envolve a prefeitura, Floram, Vigilância Sanitária, Fatma, Guarda Municipal, Polícia Militar e Polícias Rodoviárias e Policia Ambiental. A publicação resume as exigências que fazem parte do edital para recredenciamento dos caminhões limpa-fossa. Entre as novidades das regras para os caminhões limpa-fossa estão o descredenciamento das empresas que descumprirem em prazos mais ágeis de decisão, a multa por descumprimento contratual no valor de 1.000 x o valor do m³ cobrado para o despejo (atualmente R$ 26.510,00) e a apreensão pela Polícia de veículo flagrado com carga irregular.

O folder traz ainda a relação dos postos de combustíveis em Florianópolis aptos a receber os efluentes gerados por ônibus de turismo e motorhomes. O material está sendo entregue nos Centros de Atendimento ao Turista, e entidades do setor. O objetivo é que a própria população identifique e denuncie possíveis irregularidades. O telefone para denúncias é 0800 644 1523.

{text}

Representantes da Agência Nacional de Águas (ANA) estiveram em Santa Catarina para assinar acordo com o Governo do Estado, por meio da Secretaria do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDS), para elaboração de estudos socioambientais e criação do plano de viabilidade e sustentabilidade econômica em programas de Pagamentos Por Serviços Ambientais (PSA) em Santa Catarina. A ação inclui, ainda, planos de sustentabilidade econômica na bacia hidrográfica do Rio Cubatão e nas microbacias do Rio Vermelho, nos municípios de São Bento do Sul e Campo Alegre, e do Morro da Palha, em São Francisco do Sul.

“Com o convênio vamos fomentar, articular e apoiar a implantação e melhorias nas ações de PSA que já estão sendo desenvolvidas no estado”, afirma o secretário da SDS, Carlos Chiodini. Essas iniciativas contam com diversos parceiros locais, sendo que no Rio Cubatão participam o Comitê de Bacia Hidrográfica, Agência de Regulação de Serviços Públicos de Santa Catarina (Aresc), Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan), The Nature Conservancy (TNC) e Fundação Grupo Boticário. Já em São Francisco do Sul os parceiros são a prefeitura municipal, Agência Reguladora Intermunicipal de Saneamento (ARIS), Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri), Águas de São Francisco, Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Consórcio Quiriri e Fundação Grupo Boticário.

Informações adicionais para a imprensa
Michelle Nunes
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável - SDS
E-mail: jornalistaminunes@gmail.com
Fone: (48) 3665-2261
Site: www.sds.sc.gov.br

A Casan realiza nesta quinta-feira, 15, mais uma etapa de melhorias na ETA dos Ingleses, no Norte da Ilha, com conclusão da instalação de novos conjuntos motobombas, nova subestação de entrada de energia, instalação do Centro de Comando de Motores e adequação da unidade para recebimento de geradores previstos na Operação Verão.

Os serviços serão realizados a partir das 8h, exigindo a interrupção do abastecimento para os bairros Ingleses, Capivari dos Ingleses, Lagoinha, Ponta das Canas, Cachoeira Bom Jesus, Vargem Grande, Vargem Pequena, Canasvieiras, Jurerê, Praia do Forte, Daniela, Ratones, Santo Antonio de Lisboa, Cacupé, Sambaqui e Barra do Sambaqui.

A previsão é de conclusão dos trabalhos no início da noite de quinta-feira, com retorno do abastecimento gradativamente. A Casan solicita aos moradores da região que contam com caixa d'água que façam uso controlado durante todo o dia.

Para mais informações e solicitações de serviços a empresa conta com a Central de Atendimento 0800 643 0195, além de chat online no site www.casan.com.br

Informações também ser obtidas na seção Comunicados sobre abastecimento de água, no site da companhia.

{text}

Foi bem sucedida a ação de fiscalização às ligações clandestinas de esgoto realizada pela Casan nesta segunda-feira, 12, no Campeche, Sul da Ilha. As equipes identificaram e lacraram 18 ligações irregulares de imóveis à rede de coleta que foi assentada no bairro, mas ainda não está em operação. Além de ilegal, a infração causa mau cheiro e extravasamento do esgoto nas vias públicas, já que as redes não estão preparadas para receber os efluentes.

Segundo o engenheiro Gabriel Pessina, que coordenou os trabalhos, os técnicos foram, em geral, bem recebidos pelos moradores e ouviram várias denúncias espontâneas que foram verificadas pelas equipes. Na Travessa Iracema das Chagas Pires, por exemplo, que não estava mapeada para a vistoria, foram feitos dois lacres graças à denúncia de uma moradora.

Os moradores também demonstraram muita ansiedade para saber quando a rede poderá ser utilizada. A finalização da obra aguarda a construção da Estação de Tratamento de Esgotos do Rio Tavares para entrar em operação. A empresa Infracon, de Minas Gerais, venceu a licitação realizada pela Casan para construção da estação. Atualmente, o resultado da licitação e o contrato para execução das obras estão em análise pela Caixa Federal (órgão financiador do projeto) e Ministério das Cidades.


Foto: Francisco Pimentel/Casan

A unidade que será construída em terreno da Casan no Rio Tavares receberá investimento de R$ 34,8 milhões, permitindo que entrem em operação, em uma primeira etapa, quase 45 quilômetros de redes já implantadas no Campeche. O tratamento será do tipo terciário, considerado o mais completo. O prazo de construção é de 24 meses, e somente depois os moradores receberão orientação da Casan para fazer sua ligação à rede coletora.

As ações foram concentradas em vias onde foram detectados problemas de mau cheiro e extravasamento, para otimizar o trabalho das equipes. O serviço foi acompanhado por um caminhão hidro vácuo que já sugou dois pontos onde poços de visita do sistema apresentavam extravasamento.

“O trabalho é feito abrindo as caixas de inspeção e verificando de onde vem o esgoto clandestino. No momento em que uma situação desse tipo é identificada, notificamos o infrator e lacramos a saída clandestina de esgoto para a rede pública”, explica o engenheiro Sanitarista e Ambiental Francisco Pimentel, chefe do Setor Operacional de Esgotos da Casan em Florianópolis.

Naqueles imóveis onde os moradores não foram encontrados, a notificação será feita por carta registrada.

O mesmo trabalho foi realizado na semana passada no Itacorubi, quando foram identificadas e lacradas nove ligações irregulares. Em paralelo à fiscalização e aos lacres, profissionais da companhia se colocam à disposição de moradores para prestar informações, sanar dúvidas técnicas e orientar sobre a impossibilidade de ligar os imóveis à rede implantada no bairro, que ainda não está pronta para operar.

A vistoria tem respaldo da Resolução 046 da agência reguladora Aresc, que permite à Casan aplicar sanções a usuários que estiverem realizando alguma infração ou intervenção indevida no sistema público. A companhia, porém, não tem poder de polícia para acessar os imóveis, o que deve ser feito pelo Programa Floripa Se Liga na Rede, coordenado pela Prefeitura e Vigilância Sanitária.

“O morador só poderá fazer sua ligação à rede quando receber autorização da Casan. Antes disso, cada imóvel deve possuir tratamento individual, como por exemplo, fossa e sumidouro. Ligações às redes que não estão em operação trazem sérios prejuízos à qualidade de vida na cidade, além do mau cheiro que se espalha pela região”, complementa Pimentel. Além disso, pode gerar extravasamentos de esgoto nos pontos mais baixos da rede.

Orientações para regiões com redes de esgotos que não estão em operação:

- Moradores devem ter seu tratamento individual de fossa e sumidouro

- Faça periodicamente a manutenção de seu sistema individual. No caso de fossa, limpeza com auxílio de caminhão auto vácuo devidamente regularizado

- A caixa de gordura também deve ser limpa periodicamente, no máximo a cada 6 meses ou menos, dependendo do uso

- No caso de serviço por caminhões limpa-fossa, o prestador pode limpar também a caixa de gordura

- No caso de limpeza manual, o material sólido retirado da caixa de gordura deve ser colocado em um saco de lixo e descartado junto aos demais resíduos coletados pela Comcap

- No caso de estabelecimentos como restaurantes, a frequência de limpeza deve ser bem maior, em alguns casos até toda semana

{text}