Começou às 10h desta quinta-feira, dia 2, o atendimento presencial da Casan em área ainda mais central de Florianópolis. Ampla, a nova unidade funciona na Rua Saldanha Marinho, 374, Edifício Zigurate. 

Com maior número de guichês, o novo local trouxe mais agilidade aos serviços desde as primeiras horas da manhã. "Nos transferimos para ficarmos mais próximos de outros serviços básicos ao consumidor, como agências bancárias, comércio, Celesc, Mercado Público, Prefeitura e a Câmara Municipal", disse Marcelino Dutra, chefe da Agência Florianópolis, ao recepcionar os usuários da Casan no novo endereço.

Todos os serviços estão disponíveis na nova unidade, como transferências de titularidade com débito e sem débito, parcelamentos, revisão de faturas, pedidos de novas ligações, processos de defesas e administrativos e outros. Entre outras vantagens, a nova unidade de atendimento está junto ao Setor Comercial da Agência Florianópolis, facilitando a vida do usuário.

Foto: Casan

Encaminhamentos que ficavam pendentes agora podem ser solucionados todos no mesmo local, como alterações de titularidade e eventuais mudanças de fatura.

O serviço prestado no prédio da Matriz da Casan, na Rua Emilio Blum, está desativado, mas permanece o atendimento presencial oferecido no Continente, na Lagoa da Conceição, em Canasvieiras, no Rio Tavares e no Ribeirão da Ilha (veja endereços abaixo).

A Casan informa que para pedidos de ligação de água e mudança de titularidade há necessidade de que o usuário vá pessoalmente a uma unidade de atendimento. Mas para solicitação de serviços como consertos de vazamentos, de água ou esgoto, o contato pode ser realizado via Central 0800 643 0195 e ainda pelo chat que funciona 24 horas no site www.casan.com.br.

Locais de Atendimento em Florianópolis:

Agência Florianópolis / Rua Saldanha Marinho, número 374, Edifício Zigurate, Centro
Horário: 10h às 16h

Unidade Operacional Costa Sul/Leste / Rua Baldicero Filomeno, 106, Ribeirão da Ilha
Horário:  10h às 16h

CIAC-Canasvieiras / Rua José Rosa, 408 
Horário: 8h às 17h

CIAC-Lagoa da Conceição / Rua Crisógono Vieira da Cruz, s/n
Horário: 8h às 17h

CIAC-Rio Tavares / SC 405, número 1318
Horário: 8h às 17h

CIAC-Unidade Continente / Rua João Evangelista da Costa, 827- Coloninha
Horário: 8h às 17h

{text}

Será firmado, nesta terça-feira, 17, convênio entre a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDS) e a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) para elaboração dos planos de recursos hídricos das bacias hidrográficas dos rios Cubatão, da Madre, Tijucas, Biguaçu e bacias contíguas. A assinatura será às 11h30, na reitoria da UFSC.

“O planejamento na gestão das águas define as melhores alternativas de utilização dos recursos hídricos, de modo a produzir os resultados econômicos, sociais e ambientais favoráveis”, explica o secretário da SDS, Carlos Chiodini. Para a elaboração dos estudos, serão aplicados R$ 1.955.358,00, disponibilizados pelo Fundo Estadual de Recursos Hídricos (Fehidro) e que foram descentralizados pela secretaria para a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Santa Catarina (Fapesc) no fim de 2016.

Os planos de bacias definem as diretrizes para o desenvolvimento local e regional, bem como as metas para recuperação, preservação e conservação dos recursos hídricos. A região das bacias hidrográficas dos rios Cubatão, da Madre, Tijucas, Biguaçu e bacias contíguas é a que tem maior densidade demográfica no estado. As principais atividades econômicas são representadas por pequenas e médias indústrias, turismo, produção de hortaliças e pesca.

Informações adicionais para a imprensa
Michelle Nunes
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável - SDS
E-mail: michelle@sds.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-2261 / 99929-4998
Site: www.sds.sc.gov.br

A Casan concluiu o Sistema de Abastecimento de Água de Sorocaba, em Biguaçu. A partir de agora os moradores da comunidade, que ainda não eram atendidos pelo Sistema Casan já podem solicitar suas ligações para receber água tratada. Para isso devem procurar antes o Pró Cidadão da prefeitura, localizado em frente à agência da Casan, na Rua Lúcio Born, no Centro de Biguaçu, para solicitar a liberação da ligação de água do imóvel, documento que é exigido para que a ligação seja feita.

Depois basta levar a liberação da prefeitura juntamente com a escritura do terreno, DPF e identidade do proprietário à agência da Casan e entrar com o processo para pedir a ligação. Lá será feito o cadastro do novo usuário, que será orientado a construir o abrigo padrão que é exigido pela Empresa para instalar o hidrômetro, equipamento que vai medir o consumo da água no imóvel para o cálculo da tarifa.

A Casan investiu R$ 1,1 milhão na construção da ETA de Sorocaba, que é do tipo compacto e conta com tratamento de efluentes. A vazão de 5 litros por segundo e os dois reservatórios de 25 metros cúbicos vão possibilitar o atendimento de 1.217 habitantes. Também foram executados 16 quilômetros de rede de distribuição.

Além de contar com abastecimento regular a partir da ligação ao Sistema Casan, a população de Sorocaba vai poder contar com água tratada dentro dos padrões exigidos pelo Ministério da Saúde, o que vai garantir mais qualidade de vida para suas famílias. Até agora os moradores da comunidade utilizavam ponteiras ou ligações improvisadas de fontes de água sem origem garantida, o que pode trazer sérios riscos à saúde dos seus usuários.

 {text}

Somente no dia 31 de dezembro, a Casan produziu mais de 183,6 milhões de litros de água para abastecer moradores e visitantes de Florianópolis – uma capacidade de atendimento de 1,1 milhão de pessoas. O recorde histórico foi apresentado nesta quarta-feira, 4, pelo presidente da companhia, engenheiro Valter Gallina, em balanço sobre o abastecimento neste final de 2016 e início de 2017.

“Um conjunto de obras estruturais nos permitiu atender população que representa mais do que o dobro dos moradores de Florianópolis, que de acordo com dados do IBGE são 477 mil habitantes”, informou o presidente da estatal.


Foto: Airton Fernandes/Secom

>>> Acesse mais imagens

Na entrevista realizada na matriz da companhia, o presidente demostrou os investimentos que permitiram a produção recorde de água tratada. Entre eles, R$ 27 milhões direcionados à implantação do flocodecantador na Estação de Tratamento de Água do Morro dos Quadros, em Palhoça.Em operação desde dezembro de 2015, o flocodecantador ampliou a capacidade de tratamento de água captada nos rios Pilões e Cubatão de 2 mil litros por segundo para 3 mil litros por segundo. Essa unidade é responsável por quase 50% da água consumida no Sistema Integrado de Abastecimento de Florianópolis.

Outro investimento que traz mais tranquilidade ao abastecimento de Florianópolis é o reservatório em aço vitrificado do Morro das Antenas, em Ingleses. Implantado com recursos da ordem de R$ 3,4 milhões, tem capacidade de armazenamento de três milhões de litros de água, elevando a reservação no Norte da Ilha a quase nove milhões de litros.

Melhorias operacionais

Além de obras de grande porte, melhorias operacionais são responsáveis pelo abastecimento regular nesse período de crescimento exponencial da população de Florianópolis.

No Sistema de Abastecimento Costa Norte, entre as melhorias está a substituição da adutora da SC-403 por tubulação de 400 milímetros e a troca do conjunto motobombas que faz a distribuição a partir da Estação de Tratamento de Água dos Ingleses.

Foi também implantado um novo poço de captação no Rio Vermelho e realizadas limpezas em todos os demais poços dos sistemas Costa Norte e Costa Sul-Leste. A revisão e manutenção de sistemas complementares de abastecimento, como os existentes na Praia da Daniela e em Ratones, é outra manutenção integrada à Operação Verão 2016-2017.

Além disso, a companhia providenciou a instalação de geradores em todos os sistemas de água e esgoto da Grande Florianópolis, assim como a locação de caminhões-pipa para atendimento de emergências.

“As medidas de segurança e as melhorias operacionais otimizam nosso trabalho e nos dão mais confiabilidade para trabalhar com a alta demanda do verão”, explica o superintendente da Região Metropolitana, Lucas Barros.

Indicador da presença de turistas

Valter Gallina explicou também durante a entrevista coletiva que a instalação de um conjunto de macromedidores na região da Grande Florianópolis e principalmente na Capital permitiu à companhia criar um indicador para estimar a presença de visitantes na região a cada dia.

Os macromedidores funcionam como grandes hidrômetros, sendo utilizados na medição da quantidade de água que passa em determinado ponto da rede de distribuição. Dessa forma, permitem um controle mais preciso sobre o volume diário produzido de água tratada e a vazão média (litros por segundo) de água fornecida à população.

Com base nestes dados, equipes técnicas da companhia calculam também a capacidade diária de atendimento, levando em conta um consumo médio de água em Santa Catarina como 153,50 litros/habitante dia. Esse dado é fornecido pelo Sistema Nacional de Informações de Saneamento (SNIS), base de dados sob responsabilidade do Ministério das Cidades.

Exemplificando, se no dia 31 de dezembro, data do maior consumo registrado neste final de ano, foram produzidos 183 milhões e 653 mil litros de água tratada, essa quantidade dividida por 153,50 litros de água habitante/dia indica uma capacidade de atender 1.196.433 pessoas. O dado representa mais do que o dobro da população fixa de Florianópolis (477.798 habitantes registrados pelo IBGE).

As informações serão disponibilizadas no site da Casan e serão atualizados diariamente durante a temporada, demonstrando o volume produzido de água a cada dia, a capacidade de atendimento e a estimativa de população flutuante (visitantes).  

Investimento em Esgotamento Sanitário

Na área de esgotamento sanitário, a Companhia trabalha com um planejamento que vai elevar a cobertura de coleta e tratamento emFlorianópolis dos atuais 55% para mais de 70% até 2018. Um conjunto de obras está em andamento, ou em fase inicial de operação, para garantir esse crescimento da infraestrutura de saneamento da Capital. Somente em esgotamento sanitário o investimento em Florianópolis é de R$ 374,4 milhões.

Entre as obras concluídas está a nova estação de tratamento de esgotos de Canasvieiras, que entrou em operação em dezembro. Outro projeto concluído, em fase inicial de operação é o SES Continente, que beneficia 20 mil moradores dos bairros Abraão e Capoeiras, além de Bom Abrigo, Itaguaçu, Praia do Meio, Coqueiros, Estreito, Balneário, Jardim Atlântico, Coloninha e Vila São João.

Será também entregue no início deste ano o esgotamento sanitário da Lagoinha, um investimento R$ 4,5 milhões. Os sistemas de esgotamento dos Ingleses e do Saco Grande, a Estação de Tratamento do Rio Tavares e a ampliação da ETE Insular são outros projetos em início de implantação ou em fase final de licitação.

Informações adicionais para a imprensa:
Ricardo Stefanelli 
Assessoria de Comunicação
Presidência da Casan
E-mail: rstefanelli@casan.com.br
Fone: (48) 3221-5034 / 999136-9345

A Casan realiza no prédio da Matriz nesta quarta-feira, 4, às 9h30min, entrevista coletiva para apresentação de um balanço sobre o abastecimento de água na Grande Florianópolis. Os dados demonstram um recorde para a região, com o dia 31 de dezembro apresentando o maior consumo da história de 45 anos da companhia.

A sistematização dos dados foi possível com a instalação de equipamentos sofisticados de medição em pontos estratégicos. A infraestrutura de macromedidores também permitiu à companhia criar um indicadorpara estimar a presença de visitantes na Grande Florianópolis e na Capital a cada dia.

Os dados passam a ser disponibilizados no site da Casan e serão atualizados diariamente durante a temporada, demonstrando o volume produzido de água a cada dia, a capacidade de atendimento e a estimativa de população flutuante (visitantes).  

Sistemas de esgoto

Nesta quarta-feira a Casan anunciará, também, que está entregando à comunidade um dos principais investimentos em esgotamento sanitário de Florianópolis, com a conclusão das obras do Continente. A região contará com mais de 98% de cobertura de esgoto.

{text}

O vice-governador do Estado, Eduardo Pinho Moreira, e o prefeito eleito de Florianópolis, Gean Loureiro, vistoriam a partir das 9h deste sábado, dia 31, as ações lideradas pela Casan para ajudar a despoluir o Norte da Ilha de Santa Catarina.

Acompanhados do presidente da Casan, Valter Gallina, e de engenheiros, começam o roteiro pela nova Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) de Canasvieiras, que entrou em operação esta semana justamente para atender a produção da alta temporada.

Depois, Pinho Moreira e Gean vão até a Unidade de Recuperação Ambiental (URA), cujo filtro de tratamento da água do Rio do Braz está instalado dentro do Sapiens Parque.

A vistoria se encerra junto à praia de Canasvieiras, onde o Rio do Braz se encontra com o mar. 

Informações adicionais para a imprensa:
Ricardo Stefanelli 
Assessoria de Comunicação
Presidência da Casan
E-mail: rstefanelli@casan.com.br
Fone: (48) 3221-5034 / 99136-9345

Além de publicar um novo edital para credenciamento de caminhões  limpa-fossa que descarregam o material em suas estações de tratamento de esgoto, a Casan está orientando motoristas de ônibus de turismo e motorhomes para descarte dos dejetos dos toaletes.

Em conjunto com órgãos ambientais e de fiscalização, a companhia produziu folderes para explicar onde e como deve ser feito o descarte. Quatro postos de combustíveis de Florianópolis, um de São José e uma unidade da Comcap em Canasvieiras estão habilitados para receber os dejetos destes veículos (veja abaixo).

O material está sendo distribuído no Centro de Atendimento ao Turista (CAT) próximo à Ponte Pedro Ivo, no CAT da Lagoa do Peri, no posto da Santur no Aeroporto Hercílio Luz e em outros locais de maior fluxo de veículos de turismo.  

folder digital também está sendo compartilhado com entidades, como a Associação das Empresas de Transporte Turístico e Fretamento de Santa Catarina e o Fórum de Turismo de Florianópolis (Fortur).

Blitze de fiscalização serão realizadas pela Polícia Ambiental, Fatma, prefeitura e Casan em pontos estratégicos de circulação dos ônibus durante o verão. Uma primeira operação desse tipo foi realizada, em novembro, junto ao posto de pedágio da SC-401, incluindo os caminhões limpa-fossa.

 A Casan pede que a população ajude a identificar eventuais irregularidades. Nas temporadas passadas houve denúncias de descarte em redes pluviais. O despejo em local inadequado gera poluição ambiental e também afeta a balneabilidade das praias. O telefone para denúncias é 0800 644 1523


Postos de combustível habilitados a receber o descarte:

Florianópolis:

:: Bairro Pantanal:
Posto Sulcar - Ipiranga / Rua Deputado Antônio Edu Vieira, 1190

:: Lagoa da Conceição:
Posto Galo - Ipiranga / Rod. Jorn. Manoel de Menezes, 3.007 (Barra da Lagoa)    
Posto Galo - Ipiranga / Av. Afonso Delambert Neto, 240

:: Cachoeira do Bom Jesus:
Posto Márcia Borck  - Ale /  Av. Luiz Boiteux Piazza, 2099

:: Canasvieiras:
Ponto em terreno da COMCAP - Rua Vasco Oliveira Gondin, 200


São José:

::  Posto Galo - Ipiranga / Rua Gerôncio Thives,1099 (ao lado do Shopping Itaguaçu)

 

{text}

A Casan entrega a partir das 10h desta quarta-feira, 28, a nova Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) de Canasvieiras..

Projetada, licenciada ambientalmente, licitada e construída em menos de 10 meses, a estação faz parte do conjunto de ações lideradas pela Companhia dentro do processo de despoluição do Norte da Ilha. 

Para receber a imprensa no local estará o diretor-presidente, Valter Gallina, e o corpo de engenheiros da empresa responsável pelas ações operacionais.

Após vistoriar a Estação de Tratamento, o grupo se dirigirá até a Unidade de Recuperação Ambiental (URA) do Rio do Braz. Instalada junto ao Sapiens Parque, a URA tem uma bomba-flutuante que capta água próximo à ponte da Rua Madre Maria Villac e devolve, filtrada, ao próprio rio. A URA trata mais de 600 mil litros de água por dia.

Veja abaixo a localizaçâo das estações:

{text}

Equipe da área operacional da Casan, com apoio da Comcap, realizou na tarde desta segunda-feira, 26, uma nova limpeza na região do Rio do Braz, em Canasvieiras, em Florianópolis. O trabalho incluiu corte de grama, poda de vegetação e recolhimento de lixo.
 
Foto: Casan/divulgação
 
"A atividade faz parte do conjunto de ações lideradas pela companhia para auxiliar na despoluição do Norte da Ilha", explica o engenheiro sanitarista Lucas Barros Arruda, superintendente da Região Metropolitana, que acompanhou a operação.
Já foram realizadas outras duas limpezas no local, uma em novembro e uma no início de dezembro, quando foram retiradas grandes quantidades de sacos plásticos, garrafas pet, embalagens, borrachas e até materiais de construção.
 
Unidade de Recuperação Ambiental
Também já está funcionando no local a bomba flutuante que opera no processo de filtragem da água. 
O equipamento, identificado no leito do rio nas proximidades da ponte da Rua Madre Maria Villac, faz parte da Unidade de Recuperação Ambiental (URA) instalada junto ao Sapiens Parque. A URA está filtrando aproximadamente 600 mil litros de água diariamente, devolvendo-a mais limpa ao próprio Rio do Braz.
 
{text}

Na tarde desta quarta-feira, 21, foi aberto na Casan, em Florianópolis, o pregão realizado para a escolha da empresa que vai fornecer as tubulações para a macro adutora do rio Chapecozinho. A licitação foi desmembrada em duas fases: em uma segunda etapa a Casanlançará o edital para a contratação das obras civis, o que deve acontecer até o final de janeiro.


Foto: Giulia Santini/CASAN

Nas próximas semanas a comissão de licitação da Empresa vai analisar e julgar a documentação recebida das empresas nesta quarta. Ainda no começo de janeiro será marcada a sessão de disputa de preço entre as empresas que forem consideradas habilitadas.

O projeto descrito no edital prevê tubulação de ferro fundido, mas abre a possibilidade de ser apresentado outro tipo de material, desde que compatível com a proposta de engenharia que compõe o Termo de Referência e o Projeto Executivo. O valor base é R$ 93 milhões.

O Projeto do rio Chapecozinho prevê a construção de uma adutora com 58 quilômetros de extensão, dois quais 38 quilômetros no diâmetro 900 mm e 20 quilômetros utilizando tubulação com um metro de diâmetro. A macro adutora vai abastecer os municípios de Xaxim, Xanxerê, Cordilheira Alta e Chapecó, atendendo uma população de 500 mil pessoas pelos próximos 35 anos. A obra conta com recursos do Ministério da Integração Nacional e contrapartida da Casan.

{text}

CASAN realiza primeira etapa da licitação para macro adutora do rio Chapecozinho
 

Na tarde desta quarta-feira, 21, foi aberto na CASAN o pregão realizado para a escolha da empresa que vai fornecer as tubulações para a macro adutora do rio Chapecozinho. A licitação foi desmembrada em duas fases: numa segunda etapa a CASAN lançará o edital para a contratação das obras civis, o que deve acontecer até o final de janeiro.

Nas próximas semanas a comissão de licitação da Empresa vai analisar e julgar a documentação recebida das empresas nesta quarta. Ainda no começo de janeiro será marcada a sessão de disputa de preço entre as empresas que forem consideradas habilitadas.

O projeto descrito no edital prevê tubulação de ferro fundido, mas abre a possibilidade de ser apresentado outro tipo de material, desde que compatível com a proposta de engenharia que compõe o Termo de Referência e o Projeto Executivo. O valor base é R$ 93.027.501,92.

O Projeto do rio Chapecozinho prevê a construção de uma adutora com 58 quilômetros de extensão, dois quais 38 quilômetros no diâmetro 900 mm e 20 quilômetros utilizando tubulação com um metro de diâmetro. A macro adutora vai abastecer os municípios de Xaxim, Xanxerê, Cordilheira Alta e Chapecó, atendendo uma população de 500 mil pessoas pelos próximos 35 anos. A obra conta com recursos do Ministério da Integração Nacional e contrapartida da CASAN.

Foto: Comissão de licitação da CASAN recebeu propostas das empresas interessadas em fornecer material para a obra. (Giulia Santini/CASAN)