A Casan realiza nesta segunda-feira, 12, uma ação de fiscalização às ligações clandestinas de esgotos no Campeche, no Sul da Ilha. O trabalho busca identificar e lacrar ligações irregulares de imóveis à rede de coleta que foi assentada no bairro, mas ainda não está em operação. Além de ilegal, a infração causa mau cheiro e extravasamento do esgoto nas vias públicas, já que as redes não estão preparadas para receber os efluentes.

O trabalho começa às 9h e vai abranger a Avenida Campeche, Rua Pequeno Príncipe, Rua do Gramal, Jardim dos Eucaliptos/Rua dos Eucaliptos, Recanto do Beija-Flor, Rua João Batista Pires e Servidão Canto do Tucano. As ações serão concentradas nos trechos onde foram detectados problemas de mau cheiro e extravasamento, para otimizar o trabalho das equipes.

“Vamos abrir as caixas de inspeção e verificar de onde vem o esgoto clandestino. No momento em que uma situação desse tipo for identificada, vamos notificar o infrator e lacrar a saída clandestina de esgoto para a rede pública”, explica o engenheiro sanitarista e ambiental Francisco Pimentel, chefe do Setor Operacional de Esgotos da Casan em Florianópolis.

O mesmo trabalho foi realizado na semana passada no Itacorubi, quando foram identificadas e lacradas nove ligações irregulares. Em paralelo à fiscalização e aos lacres, profissionais da companhia se colocam à disposição de moradores para prestar informações, sanar dúvidas técnicas e orientar sobre a impossibilidade de ligar os imóveis à rede implantada no bairro, que ainda não está pronta para operar.

A vistoria tem respaldo da Resolução 046 da agência reguladora Aresc, que permite à Casan aplicar sanções a usuários que estiverem realizando alguma infração ou intervenção indevida no sistema público. A companhia, porém, não tem poder de polícia para acessar os imóveis, o que deve ser feito pelo Programa Floripa Se Liga na Rede, coordenado pela Prefeitura e Vigilância Sanitária.

 “O morador só poderá fazer sua ligação à rede quando receber autorização da Casan. Antes disso, cada imóvel deve possuir tratamento individual, como por exemplo, fossa e sumidouro. Ligações às redes que não estão em operação trazem sérios prejuízos à qualidade de vida na cidade, além do mau cheiro que se espalha pela região”, complementa Pimentel. Além disso, pode gerar extravasamentos de esgoto nos pontos mais baixos da rede.

No Campeche, há constantes problemas de vazamentos na rede de coleta assentada, que aguarda a construção da Estação de Tratamento de Esgotos do Rio Tavares para entrar em operação. A empresa Infracon, de Minas Gerais, venceu a licitação realizada pela Casan para construção da estação. Atualmente, o resultado da licitação e o contrato para execução das obras estão em análise pela Caixa Federal (órgão financiador do projeto) e Ministério das Cidades.

A unidade que será construída em terreno da Casan no Rio Tavares receberá investimento de R$ 34,8 milhões, permitindo que entrem em operação, em uma primeira etapa, quase 45 quilômetros de redes já implantadas no Campeche. O tratamento será do tipo terciário, considerado o mais completo. O prazo de construção é de 24 meses, e somente depois os moradores receberão orientação da Casan para fazer sua ligação à rede coletora. 

Orientações para regiões com redes de esgotos que não estão em operação:

- Moradores devem ter seu tratamento individual de fossa e sumidouro

- Faça periodicamente a manutenção de seu sistema individual. No caso de fossa, limpeza com auxílio de caminhão auto vácuo devidamente regularizado

- A caixa de gordura também deve ser limpa periodicamente, no máximo a cada seis meses ou menos, dependendo do uso

- No caso de serviço por caminhões limpa-fossa, o prestador pode limpar também a caixa de gordura

- No caso de limpeza manual, o material sólido retirado da caixa de gordura deve ser colocado em um saco de lixo e descartado junto aos demais resíduos coletados pela Comcap

- No caso de estabelecimentos como restaurantes, a frequência de limpeza deve ser bem maior, em alguns casos até semanalmente

{text}

Dentro de suas ações do Plano Verão 2016/2017, a Casan instala nesta quinta-feira, 8, quatro conjuntos de motobombas que tornarão mais eficiente o sistema de distribuição a partir da Estação de Tratamento de Água dos Ingleses, no Norte da Ilha. No mesmo dia será adequada a subestação de energia dessa unidade para permitir o funcionamento de geradores a partir do dia 15 de dezembro.

Os trabalhos serão executados durante todo o dia por duas empresas, uma de São Paulo e uma de Blumenau, exigindo parada da ETA Ingleses, que atende o Sistema de Abastecimento Costa-Norte.

Com isso, o fornecimento de água será interrompido para os bairros Ingleses, Capivari dos Ingleses, Canasvieiras, Pontas das Canas, Lagoinha, Jurere, Praia do Forte, Daniela, Ratones, Sambaqui, Barra do Sambaqui, Santo Antônio de Lisboa e Cacupé.

A previsão é de conclusão dos trabalhos no início da noite, com retorno do abastecimento gradativamente. A Casan solicita aos moradores que contam com caixa d'água que façam uso controlado durante todo o dia.

Para mais informações e solicitações de serviços, a Casan conta com a Central de Atendimento 0800-643-0195, além de chat online no site www.casan.com.br. Informações também ser obtidas na seção Comunicados sobre Abastecimento de Água, no site da companhia. 

{text}

Nesta terça-feira começa a se normalizar gradativamente o abastecimento de água naquelas localidades de Florianópolis que ainda estavam com o fornecimento prejudicado por causa da falta de energia elétrica devido ao vendaval do final de semana. Os trabalhos de restauração da fiação danificada em cinco poços dos Ingleses continuam, mas a Estação de Tratamento de Água (ETA) opera normalmente com as manobras operacionais realizadas pelos técnicos, que utilizaram os sistemas auxiliares da Daniela, Santinho e Vargem Grande, normalmente acionados no verão.

Mesmo assim, as pontas de rede, locais mais distantes da ETA e de reservatórios, que necessitam de mais pressão na rede para serem abastecidos, ainda podem ter o fornecimento de água deficiente nesta terça-feira. É o caso de Sambaqui, Santo Antônio de Lisboa e Cacupé, principalmente nas partes mais altas.

No Bairro João Paulo, o abastecimento está se normalizando gradativamente desde o retorno da energia elétrica, na manhã desta terça-feira, assim como no Canto da Lagoa. A expectativa da Casan é que, ao longo da madrugada desta terça para quarta-feira, todos os sistemas de abastecimento atingidos pelo vendaval estejam operando normalmente. Problemas pontuais podem ser comunicados à Central de Atendimento pelo 0800 643 0195 ou através de chat no site www.casan.com.br.

{text}

O Projeto Macro Adutora Rio Chapecozinho, que prevê uma adutora de 57 quilômetros para abastecer o Oeste de Santa Catarina pelas próximas três décadas e meia, foi retomado a partir da publicação de novo edital. O edital, na modalidade pregão, representa a primeira parte da licitação que foi desmembrada em duas partes: compra de materiais e obras civis.

No valor de R$ 93.027.501,92, o pregão prevê a compra de tubulação para a adutora, nas dimensões 900 mm e 1.000 mm de diâmetro. O projeto disponibilizado em edital prevê tubulação de ferro fundido, mas abre a possibilidade de ser apresentado outro tipo de material desde que compatível com a proposta de engenharia que compõe o Termo de Referência e o Projeto Executivo.

O projeto prevê a captação no Rio Chapecozinho para abastecer os municípios de Xaxim, Xanxerê, Cordilheira Alta e Chapecó, prevendo atender a uma população de 500 mil pessoas pelos próximos 35 anos. A obra conta com recursos do Ministério da Integração Nacional e da própria Casan.

O pregão está marcado para as 14h do dia 15 de dezembro de 2016, na Gerência de Licitações da Casan, na Rua Emílio Blum, 83, em Florianópolis. A obra civil será licitada pela modalidade de Concorrência Pública somente após decidida a empresa vencedora do pregão e, consequentemente, o material (tubulação) que será utilizado na execução da obra.

Questionamentos durante o processo licitatório inicial, apontados pelo Tribunal de Contas da União (TCU), levaram a Casan a revogá-lo, garantindo dessa maneira os recursos financeiros do Ministério da Integração Nacional previstos para a maior obra da história da companhia.

Mais detalhes podem ser obtidos no www.casan.com.br, na aba Licitações.

{text}

Diante das emergências provocadas pelo temporal da madrugada de domingo e da falta de energia em diversas regiões da Grande Florianópolis, a Casan está com equipes mobilizadas para recuperar os sistemas de abastecimento e mantém o pedido de colaboração e economia de água.

Em Florianópolis, a região mais afetada é o Sul da Ilha, onde aproximadamente 150 mil unidades permanecem com abastecimento de água interrompido em função da falta de energia, que impede o funcionamento da Estação de Tratamento de Água do Peri.

O abastecimento também está prejudicado no Norte da Ilha, onde 50% das residências ainda estão sem fornecimento de água.

O apelo é que moradores que dispõem de caixas d´água façam uso controlado, até que os sistemas de abastecimento sejam totalmente recuperados.

No Centro de Florianópolis e na região Continental, o fornecimento de água foi normalizado, podendo apresentar problemas pontuais. O restabelecimento ocorre de forma gradual, até que a água possa chegar às chamadas “pontas de rede” ou nas regiões mais altas de cada bairro.

Os sistemas de esgotamento sanitário operam com geradores de energia elétrica.

A Casan atualiza informações também em sua página no Facebook e conta com a Central 0800-643-0195 para outras informações e solicitações de serviços.

{text}

Um grupo de 24 estudantes do 6° ano B do Centro Educacional Menino Jesus, de Florianópolis, participou na manhã dessa terça-feira, 29, da primeira saída de campo de premiação do Concurso Heróis do Saneamento. Com a indicação do nome Aquarina para uma personagem que tem como desafio a preservação da água, a turma é uma das quatro vencedoras do concurso promovido pela Casan dentro de suas atividades de educação ambiental.

Na tarde desta terça, também participam de atividades de premiação estudantes do 3° ano do Colégio da Lagoa, vencedores ao batizar um herói que promove o bom uso da rede esgotos como o Senhor Canoserta. Na quarta-feira, 30, serão reconhecidos estudantes do 4° ano da Escola Básica Municipal Beatriz de Souza Brito, do Bairro Pantanal. Essa turma chamou de Naturaninja um herói que possui visão ecológica, e que defende futuro melhor a partir do cuidado com o ambiente.

Na quinta-feira, 1, será realizada a última saída de campo de premiação do concurso, com participação da turma do 1° ano da Escola Básica Municipal Osvaldo Machado, bairro Ponta das Canas, que também “batizou” a heroína da água como Aquarina.

Trilha e visita à Estação de Tratamento de Água     

Depois de ser recebida na sede do Parque Municipal da Lagoa do Peri, a turma do 6° ano do Centro Educacional Menino Jesus, sob responsabilidade da professora Giovanka Sartori, de auxiliares e de profissionais da Gerência de Meio Ambiente e Recursos Hídricos da Casan, fez uma trilha ao longo do principal manancial da Casan no Sul da Ilha.

Em paradas ao longo da caminhada, o grupo recebeu informações sobre a Lagoa do Peri, a vegetação de restinga característica da região, a importância da preservação do verde formado pela Mata Atlântica nos morros para a conservação do manancial que abastece mais de cem mil pessoas de Florianópolis.

“A lagoa depende da vegetação para que tenha uma água de qualidade e tudo isso é que permite o trabalho da Casan para abastecer a cidade”, ensinou a geógrafa Karine Santos, uma das profissionais da Casan que orientou a atividade com os estudantes.

Logo em seguida, o grupo visitou a Estação de Tratamento da Lagoa do Peri, onde a Casan prepara a água que abastece a população do Sul e do Leste da Ilha. “Adorei a trilha e a visita para conhecer o tratamento da água. Assim tudo fica mais real”, disse o estudante Luiz Felipe Zequinâo, de 12 anos. “A gente tinha estudado sobre o que estamos vendo aqui e isso é muito legal”, concordou a colega Renata Ribeiro, de 11 anos.

“Agradecemos o acompanhamento e toda a atenção da Casan”, disse ao final da atividade a professora Giovanka Sartori, que trabalhou a escolha dos nomes dos Heróis do Saneamento como tarefas de casa, conversas e votações em sala de aula.

Nos próximos dias, dinâmicas semelhantes serão realizadas com as outras três turmas vencedoras do concurso. Estudantes e professores recebem mochilas e bonés dos Heróis do Saneamento, além de materiais educativos produzidos pela Casan e usados nas atividades de sensibilização, educação sanitária e ambiental. “São atividades muito singelas, mas que nos ajudam a mostrar para as crianças como é importante a conservação do ambiente para que a Casan possa oferecer água de qualidade”, complementa Karine.

Saiba Mais:

Escolas vencedoras do Concurso Heróis do Saneamento:

:: Escola Básica Municipal Beatriz de Souza Brito (Turma 4° ano)
Deu nome ao Herói Naturaninja, personagem que possui visão ecológica e defende um futuro melhor a partir do cuidado com o ambiente:

:: Escola Básica Municipal Osvaldo Machado (Turma 1° ano)
:: Centro Educacional Menino Jesus ( Turma 6° ano/B)
Vencedoras com a indicação do nome Aquarina para personagem relacionada com a preservação da água

Colégio da Lagoa (Turma 3° ano)
Vencedora ao batizar de Senhor Canoserta, herói que se preocupa com o bem-estar das pessoas e promove o bom uso das rede de esgotos

{text}

Para conter o mau cheiro e vazamentos de esgoto na rede de coleta que ainda não está em operação no Bairro Itacorubi, em Florianópolis, a Casan realizará uma ação de fiscalização e orientação nesta quarta-feira, 30. A iniciativa ocorrerá nas ruas Antônio Joaquim de Freitas, Professor Airton Roberto de Oliveira, Antônio Costa, Acelon Pacheco da Costa e Jornalista Manoel de Menezes.

“Vamos abrir as caixas de inspeção e verificar de onde vem o esgoto clandestino. No momento em que uma situação desse tipo for identificada, vamos notificar o infrator e lacrar a saída clandestina de esgoto para a rede pública”, explica o engenheiro sanitarista e ambiental Francisco Pimentel, chefe do Setor Operacional de Esgotos da Casan em Florianópolis.

Esta vistoria tem respaldo da Resolução 046 da agência reguladora Aresc, que permite à Casan aplicar sanções a usuários que estiverem realizando alguma infração ou intervenção indevida no sistema público. A companhia, porém, não tem poder de polícia para acessar os imóveis, o que deve ser feito pelo Programa Floripa Se Liga na Rede, coordenado pela Prefeitura e Vigilância Sanitária.

Em paralelo à fiscalização e aos lacres, profissionais da companhia estarão à disposição de moradores do Itacorubi para prestar informações, sanar dúvidas técnicas e orientar sobre a impossibilidade de ligar os imóveis à rede implantada no bairro, que ainda não está pronta para operar.

Para colocar em operação esta rede, a Casan possui projeto de ampliação da Estação de Tratamento de Esgotos (ETE) Insular, localizada no aterro da Baía Sul, que terá capacidade para atender também os bairros Itacorubi, Santa Mônica, Parque São Jorge, Córrego Grande e José Mendes. A expectativa da Casan é poder lançar o edital ainda neste verão, prevendo recursos de aproximadamente R$ 80 milhões para ampliação da estação.

“O morador só poderá fazer sua ligação à rede da Casan quando esta unidade estiver ampliada e receber autorização da companhia. Antes disso, cada imóvel deve possuir tratamento individual, como por exemplo, fossa e sumidouro. Ligações às redes que não estão em operação trazem sérios prejuízos à qualidade de vida na cidade, além do mau cheiro que se espalha pela região”, complementa Pimentel. Além disso, pode gerar extravasamentos de esgoto nos pontos mais baixos da rede.

Ação no Campeche

Ação semelhante de fiscalização na rede pública de esgoto será realizada no Campeche na próxima semana. Também nesse bairro há constantes problemas de vazamentos na rede que aguarda a construção da Estação de Tratamento de Esgotos do Rio Tavares para entrar em operação.

Para implantação dessa ETE, a Casan já realizou licitação e a empresa vencedora é a Infracon, de Minas Gerais. Atualmente, o resultado da licitação e o contrato para execução das obras estão em análise pela Caixa Federal (órgão financiador do projeto) e Ministério das Cidades.

A unidade que será construída em terreno da Casan no Rio Tavares receberá investimento de R$ 34,8 milhões, permitindo que entrem em operação, em uma primeira etapa, quase 45 quilômetros de redes já implantadas no Campeche. O tratamento será do tipo terciário, considerado o mais completo. O prazo de construção será de 24 meses, e somente depois os moradores receberão orientação da Casan para fazer sua ligação à rede coletora. 

Orientações para regiões com redes de esgotos que não estão em operação:

:: Moradores devem ter seu tratamento individual de fossa e sumidouro

:: Faça periodicamente a manutenção de seu sistema individual. No caso de fossa, limpeza com auxílio de caminhão auto vácuo devidamente regularizado

:: A caixa de gordura também deve ser limpa periodicamente, no máximo a cada seis meses ou menos dependendo do uso

:: No caso de serviço por caminhões limpa-fossa, o prestador pode limpar também a caixa de gordura

:: No caso de limpeza manual, o material sólido retirado da caixa de gordura deve ser colocado em um saco de lixo e descartado junto aos demais resíduos coletados pela Comcap

:: No caso de estabelecimentos como restaurantes, a frequência de limpeza deve ser bem maior, em alguns casos até toda semana

{text}

A ferramenta digital Consumo Diário, disponível no portal de relacionamento e.Casan, permite acompanhar o consumo diário de água de uma casa, de um estabelecimento comercial ou de um condomínio inteiro, planejando economias e evitando surpresas na tarifa.

A utilização da ferramenta ajuda a identificar eventuais vazamentos (principalmente os ocultos) ou diagnosticar consumos anormais na unidade. Mais do que isso, permite traçar o padrão de consumo de uma unidade.

No caso de condomínios, por exemplo, a planilha que consta no site substitui o serviço de controle remoto que era oferecido pela companhia até outubro, pois a tabulação pode ser facilmente acompanhada pelo síndico, de modo que ele demonstre a todos os moradores o histórico de consumo individual das unidades.

{text}

Até sexta-feira, 25 de novembro, a Casan participa da 11ª Semana Nacional de Conciliação, evento que proporciona a negociação de dívidas entre empresas e consumidores. A ação acontece em dois momentos: o esclarecimento de dúvidas e serviços em geral e a conciliação propriamente dita.


Foto: Bruna Hoffmann Pereira/Casan

Ao longo de toda a semana, em frente à Catedral de Florianópolis, a unidade móvel da Casan está prestando atendimento com emissão de faturas e esclarecimento de dúvidas. Também estão disponíveis materiais informativos.

Já as conciliações estão sendo realizadas no Salão do Júri do Fórum da Capital, das 9h às 12h e das 13h30 às 17h. Interessados devem se dirigir ao local portando a fatura mais recente, documentos pessoais e o número do relógio medidor da residência.

Em todo o Estado, as agências Casan também estão realizando apenas nesta semana este tipo de negociação entre as 9h e às 17h. Além dos documentos pessoais e da fatura, o usuário deve ir acompanhado de uma testemunha para validar o acordo que será firmado.

{text}

A Casan realiza nesta quarta-feira, 23, serviços de manutenção preventiva na captação de água bruta e na estação de recalque de água tratada do Sistema de Abastecimento Costa Sul Leste, que capta água da Lagoa do Peri, no Sul de Ilha de Santa Catarina. O Sistema Costa Sul Leste atende os bairros Lagoa da Conceição, Barra da Lagoa, Rio Tavares, Campeche, Ribeirão da Ilha, Tapera, Morro das Pedras, Armação e Pântano do Sul.

Para realização dos trabalhos será necessário desligar a Estação de Tratamento, o que pode causar problemas no fornecimento de água em imóveis que não disponham de reservação própria suficiente. O sistema começa a se normalizar assim que terminar a manutenção, que deve ser concluída até o meio-dia ainda da mesma quarta-feira.

A Casan lembra que os serviços de manutenção preventiva realizados agora visam a garantir o abastecimento regular do sistema, especialmente na temporada de verão, que exige um aumento na vazão de água disponível para atender à demanda do aumento da população com a chegada dos veranistas. A Central de Atendimento da Casan está disponível 24 horas no telefone gratuito 0800-643-0195 ou no chat em www.casan.com.br

{text}