Em referência ao Dia Nacional de Combate à Sífilis, celebrado no próximo sábado, 21, a Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive) da Secretaria de Estado da Saúde (SES) alerta para a importância do diagnóstico precoce da doença, que é uma infecção sexualmente transmissível, altamente contagiosa e que, quando não tratada, pode evoluir para forma sistêmica e grave. O uso de preservativo em todas as relações sexuais é o método mais eficaz de prevenção, protegendo o indivíduo de outras 11 Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs), como o HIV e as hepatites B e C.

“Toda a população sexualmente ativa deve fazer testagem para sífilis, especialmente as pessoas que praticaram sexo sem proteção, incluindo sexo oral. O teste dever ser realizado anualmente. "A sífilis é uma doença muito democrática, e não escolhe cor, credo, condição social ou orientação sexual", alerta o médico infectologista Eduardo Campos de Oliveira, técnico da Gerência de ISTs/AIDS e Hepatites Virais da Dive.

Para as gestantes, o cuidado é redobrado, considerando que a infecção pode ser transmitida para o bebê (sífilis congênita) e provocar má formação do feto e aborto. O teste para sífilis deve ser realizado no primeiro trimestre da gestação, ser repetido no terceiro trimestre e no momento da internação para o parto. “E os parceiros sexuais das gestantes também devem ser testados durante o pré-natal”, complementa Eduardo Campos de Oliveira.

O Teste Rápido para sífilis é oferecido pelo SUS e pode ser solicitado por qualquer pessoa diretamente na unidade de saúde. O processo é rápido, seguro e sigiloso. “Os médicos da rede pública e privada também devem incluir os testes treponêmicos (VDRL) nas solicitações de rotina aos seus pacientes. E não apenas os ginecologistas e obstetras, mas os de todas as especialidades, como dermatologistas, oftalmologistas, ortopedistas”, destaca Campos.

Essa indicação foi reforçada pela Recomendação nº 2/2016, do Conselho Federal de Medicina (CFM), enviada a todos os médicos brasileiros para que orientem a realização de exames para sífilis, hepatites B e C e HIV a seus pacientes, com o objetivo de ajudar no diagnóstico em tempo oportuno dessas doenças infectocontagiosas.

Causada pela bactéria Treponema pallidum, a sífilis apresenta, em sua evolução clínica, fases em que há apresentação de lesões de pele ou mucosas, aumento de gânglios (ínguas), queda de pelos, dores articulares, inflamações oculares, entre outras, geralmente no primeiro ano de doença. Se não diagnosticada e tratada, o paciente doente poderá não mais apresentar sintomas por muitos anos ou décadas, mas o seu ressurgimento indicará graves danos ao organismo, em especial lesões cardíacas, neurológicas ou psiquiátricas e ósseas. O tratamento da sífilis é oferecido pelo SUS.

Situação epidemiológica

Santa Catarina está vivendo uma epidemia de sífilis nos últimos anos, assim como o Brasil e diversos países do mundo. O crescimento é expressivo, considerando os registros dos últimos cinco anos (2012-2016) divulgados pela Dive. Os casos de sífilis adquirida aumentaram 320% neste período, passando de 2.012 para 8.427. Entre as gestantes, os novos casos notificados saltaram de 309 para 1.443, o que representa um incremento de 360%.

Em relação aos casos de sífilis congênita, a situação é ainda mais preocupante, pois a infecção pode levar ao abortamento, à morte fetal e a lesões neurológicas, cardíacas, oftálmicas e articulares irreversíveis. A quantidade de novos casos cresceu 450% nos últimos cinco anos. As notificações aumentaram de 100, em 2012, para 559, em 2016.

Plano de enfrentamento

A Dive deu início ao Plano de Redução da Sífilis Congênita de Santa Catarina, com o objetivo de eliminar a transmissão da doença da mãe para o bebê em todo o estado até 2019. O documento está baseado no protocolo do Ministério da Saúde (MS) e requer o envolvimento dos três níveis de governo, por meio da atuação dos gestores e profissionais de saúde. “É fundamental o comprometimento dos gestores e dos profissionais de saúde dos níveis estadual e municipais para garantir a operacionalização do plano nos municípios”, destaca Eduardo Macário, diretor da Dive.

Dentre as metas, estão aumentar a cobertura da testagem para sífilis nas gestantes durante o pré-natal, bem como nos casais que estão planejando engravidar, intensificar a cobertura de tratamento adequado nas gestantes com sífilis durante o pré-natal, incluindo o tratamento dos parceiros sexuais e aumentar a cobertura de tratamento e o seguimento adequado dos recém-nascidos com sífilis congênita.

Para saber mais sobre doença, suas formas de transmissão e de prevenção, onde encontrar o teste rápido de diagnóstico, de forma rápida, gratuita e sigilosa, acesse www.dive.sc.gov.br/sifilis

Informações adicionais para a imprensa:
Letícia Wilson e Patrícia Pozzo
Núcleo de Comunicação
Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive)
Secretaria de Estado da Saúde
Fone: (48) 3664-7406 | 3664-7402
E-mail: divecomunicacao@saude.sc.gov.br
www.dive.sc.gov.br

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) anuncia que estão abertas as inscrições para o Processo Seletivo 054/2017 para a contratação de 466 técnicos de enfermagem. Os profissionais atuarão nos hospitais públicos da Grande Florianópolis (339 vagas), Joinville (83), Ibirama (15), Mafra (7) e Lages (22). As inscrições terminam às 16h da quinta-feira, 26 de outubro.

A jornada de trabalho é 30h semanais, com remuneração total bruta de R$ 2.533,80 (vencimento, gratificação e auxílio alimentação). Poderá ser concedido Adicional de Insalubridade, de acordo com a lotação e atividades desenvolvidas pelo servidor.

A contratação é temporária, pelo período de 12 meses, podendo ser prorrogada por uma única vez, pelo mesmo prazo, bem como a validade dos processos seletivos.

A inscrição poderá ser feita pela Internet, no site da Fepese. Também poderá ser realizada de forma presencial, pessoalmente ou por meio de um procurador devidamente constituído. Neste caso, o candidato deverá comparecer à sede da Fundação de Estudos e Pesquisas Socioeconômicos (Fepese), no Campus Reitor João David Ferreira Lima, da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Trindade, em Florianópolis, até as 16h, da quinta-feira, dia 26, nos dias úteis das 8h às 12h e das 13h às 17h. No último dia de inscrições só serão atendidos os candidatos que chegarem ao local até as 16h. Na sede da Fepese, não há atendimento bancário para pagamento do valor da inscrição.

A prova escrita está prevista para o dia 12 de novembro, com duração de quatro horas, a partir das 14h. Elas serão aplicadas nas cidades de Florianópolis, Ibirama, Joinville, Lages e Mafra, conforme escolhido pelo candidato no ato da inscrição.

>>> Confira mais informações

Informações adicionais para a imprensa:
Gabriela Ressel
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado de Saúde
Telefone: (48) 3664-8822
E-mail: imprensa@saude.sc.gov.br e secretariadeestadodasaude@gmail.com

 

 

De 22 a 29 de outubro, ocorrerá nas unidades hospitalares da Grande Florianópolis, a Campanha de Combate ao Acidente Vascular Cerebral (AVC). Este ano o foco é a prevenção. Serão desenvolvidas atividades de conscientização junto à população e também com os profissionais da saúde sobre a importância do reconhecimento precoce dos sinais da doença, bem como o encaminhamento adequado do paciente para tratamento, investigação e reabilitação.

“O AVC acontece devido a uma alteração na circulação de sangue em uma parte do cérebro. Ele pode ser isquêmico (quando falta sangue) ou hemorrágico (quando derrama sangue). Nestas situações, as células do cérebro podem ser lesionadas ou morrer. Dependendo da parte do cérebro que é afetada e do tempo até o tratamento, os efeitos  nos sobreviventes podem ser devastadores para o movimento do corpo, fala e o modo com que a pessoa pensa ou sente o mundo ao seu redor”, explica a médica Gladys Lents Martins, coordenadora da campanha.

No Brasil é segunda causa de morte e incapacidade, com enorme impacto econômico e social, podendo ocorrer em qualquer idade, incluindo crianças. É importante ressaltar que 90% dos casos estão ligados a 10 fatores de risco evitáveis que são indicados por controle da pressão alta, exercícios físicos, alimentação saudável, redução do colesterol, peso adequado, evitar fumar, redução da ingestão de álcool, identificação e tratamento da fibrilação atrial e redução do risco de diabetes. 
 
O Dia Mundial do AVC é 29 de outubro. Nessa data, a Organização Mundial de AVC (WSO) realiza, anualmente, a campanha que intensifica a consciência global sobre o tema. O propósito é enviar uma mensagem unificada e consistente em todo o mundo, por meio da coordenação e de campanhas existentes para sustentar um esforço global.

Em Florianópolis, o Hospital Governador Celso Ramos é referência nesse âmbito. A coordenadora da campanha, médica Gladys Lentz Martins, destaca que o hospital dispõe de equipe especializada para atendimento do paciente acometido desta doença em sua fase aguda, realiza terapia trombolítica e trombectomia nos casos indicados, além de avaliar e investigar os fatores de risco e causas do AVC.

Além disso, a médica também aponta que o objetivo é o tratamento e prevenção de novos eventos. Para obter êxito, os sinais da doença precisam ser reconhecidos e o paciente encaminhado o mais rápido possível (menos de 3 horas) para o hospital para tratamento adequado.

“Nós estamos convocando nossos membros, parceiros e interessados em AVC para que no dia 29 de outubro, venham participar para melhorar a consciência individual e coletiva sobre os riscos e atitudes preventivas da doença”, complementa a médica.

Veja a programação completa das palestras e atividades que ocorrerão entre os dias 22 a 29 de outubro nos hospitais e outros órgãos de Florianópolis.

      Curso: CAPACITAÇÃO EM AVC
      Período: 10-31/10/2017
      Local: Hospital Governador Celso Ramos – Centro de Treinamento - Andar térreo
           
      Palestra:  ABC do AVC  – Liga Acadêmica de Neurologia e Neurocirurgia da UFSC
      Data: 18/10/2017  Horário:  18h  
      Local: Hospital Universitário – Campus da UFSC

      I JORNADA DO AVC DA NEUROCARE
      Data: 19/10/2017 – Horário: 19h
      Local: Auditório do Imperial Hospital de Caridade   

      Abertura CAMPANHA AVC  2017 – Parque de Coqueiros
      CAMINHADA DE ABERTURA – Distribuição de material informativo
      22/10/2017      Horário: 15h
      
      I JORNADA DE ESTUDOS DO AVC
      Período: 22-24/10/2017
      Local: UDESC Coqueiros
      www.sympla.com.br/i-jornada-de-estudos-de-avc---udesccefid__198427

      Palestra: Reabilitação em AVC – Distribuição de material informativo
      Data: 25/10/2017   Horário: 10h
      Local: CCR – Centro Catarinense de Reabilitação – Auditório
   
      AVC para a população
      Local:  Shopping Beiramar - Piso térreo e Praça de Alimentação
      Data: 27/10/2017  
      Horário: 15h-19h
      Distribuição de Material Informativo  /  Medida de Pressão Arterial e Glicemia

      AVC para a população
      Local:  Shopping Beiramar-  Piso térreo e Praça de Alimentação
      Data: 28/10/2017  
      Horário: 11h-17h
      Distribuição de Material Informativo  /  Medida de Pressão Arterial e Glicemia
      
      AVC na Beira mar Norte
      Data: 29/10/2017   Horário:  8h30-14h30
      Distribuição de material informativo / Medida de Pressão Arterial e Glicemia
      CAMINHADA DE COMBATE AO AVC  Horário: 10h-11h 

Informações adicionais
Bruna Branco
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado de Saúde
Telefone: (48) 3664-8822
E-mail: imprensa@saude.sc.gov.br/ secretariadeestadodasaude@gmail.com

Nos dias 18 e 19 de outubro, a Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) em Joinville realizará uma série de atividades alusivas ao movimento Outubro Rosa, que tem como objetivo principal alertar as mulheres e a sociedade sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama. Esta será a 5ª edição do evento, que também aborda questões relacionadas à saúde feminina e oferece serviços gratuitos. Toda a comunidade está convidada a participar.

Na quarta- feira, 18, serão realizadas duas rodas de conversa sobre saúde feminina e dicas de prevenção ao câncer de mama e colo de útero, às 15h e às 18h. A enfermeira Fernanda Spiler vai disponibilizar testes rápidos de HIV, sífilis e hepatite às participantes. Na quinta-feira, 19, serão realizadas atividades de bem estar, alimentação, cuidados e imagem pessoal. Das 13h30 às 17h30, serão oferecidas dicas de auto-maquiagem, com Taline Junkes, da Mary Kay. No mesmo horário, haverá design de sobrancelhas e esmaltação. Esses serviços serão oferecidos exclusivamente para as participantes das rodas de conversa do dia 18. Das 15h30 às 16h30, será realizada a palestra Dietas da moda, com a nutricionista e professora Sônia Santos Toriane. Já das 18h às 19h30, haverá uma aula de defesa pessoal, com Marcos Tavares, professor de educação física e presidente do Instituto Tachibana de Aikido.

Todas as atividades acontecerão na sala do tatame, no Ginásio de Esportes da universidade. O evento é uma realização do Serviço de Orientação ao Estudante (SOE) e da Direção de Extensão da Udesc, com o apoio do Bom Jesus/Ielusc, Instituto MIX e Instituto Tachibana de Aikido.

Mais informações para a imprensa:
Isabela Vargas
Assessoria de Comunicação
Udesc Joinville

E-mail: comunicacao.cct@udesc.br
Telefone: (47) 3481-7930
www.cct.udesc.br

A Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) lançou a campanha "Um lenço por um laço" para celebrar o Outubro Rosa, mês em que as mulheres são alertadas para a necessidade de diagnóstico precoce do câncer de mama e do câncer de colo de útero. A partir desta quarta-feira, 11, a instituição arrecadará doações para o Centro de Pesquisas Oncológicas (Cepon), além de disseminar mensagens para estimular a comunidade acadêmica a aderir à ação.

A iniciativa é da Coordenadoria de Desenvolvimento Humano (CDH). A coordenadora da campanha, enfermeira Valdirene Ávila, explica que o Cepon é um serviço de referência no tratamento oncológico em SC. "A ação quer ajudar na prevenção do câncer e contribuir para dar assistência aos pacientes do Cepon", disse.

Serão aceitos lenços de cabeça (algodão), fraldas geriátricas, escova e pasta dental, sabonete, hidratante corporal e cabelos para a confecção de perucas. "O cabelo doado tem que ter, no mínimo, 15 centímetros de comprimento e deve ser disposto em mechas envolvidas em papel toalha para não embaraçar", diz Valdirene.

Em Florianópolis, os donativos podem ser entregues até o dia 31, de segunda a sexta-feira, das 13h às 19h, na Sala da Enfermagem, em frente à Cantina do Centro de Ciências da Administração e Socioeconômicas (Esag). Nos demais centros, os donativos serão recebidos em locais definidos pelas direções-gerais, com divulgação em cartazes. Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail valdirene.avila@udesc.br e pelo telefone (48) 3664-7999, das 13h às 19h.

Conscientização é fundamental

As mensagens de prevenção ao câncer de mama e de colo de útero serão divulgadas em cartazes afixados nos banheiros femininos da instituição. As peças gráficas, que foram criadas pela Secretaria de Comunicação (Secom), pretendem alertar as mulheres sobre a importância de realizarem com regularidade o auto-exame das mamas, a mamografia e o papanicolau.

A campanha será realizada em todas as unidades da Udesc. "O Sistema Único de Saúde, o SUS, garante a oferta gratuita de exame de mamas (mamografia) e exame ginecológico papanicolau para as mulheres brasileiras em todas as faixas etárias. Se detectado precocemente, o câncer quase sempre tem cura", destaca Valdirene.

O que é mamografia?

É o exame-padrão para o diagnóstico de câncer de mama. Permite detectar o tumor em fase inicial, quando mede milímetros e ainda não é palpável. Na mamografia analógica, o seio é comprimido e exposto aos raios X. São tiradas duas chapas (frente e lateral), e as imagens ficam gravadas em um filme. Os equipamentos digitais dispensam os filmes: as imagens são mostradas na tela de computador. Recomenda-se que, a partir dos 40 anos, a mamografia seja feita anualmente.

O que é papanicolau?

O teste de papanicolau é um exame ginecológico de citologia cervical realizado como prevenção ao câncer do colo do útero. O exame deve ser realizado em todas as mulheres entre 24 e 69 anos. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), com uma cobertura da população-alvo de, no mínimo, 80% e a garantia de diagnóstico e tratamento adequados dos casos alterados, é possível reduzir a incidência do câncer cervical invasivo de 60 a 90% em média.

Mais informações para a imprensa: 
Rodrigo Brüning Schmitt
Assessoria de Comunicação da Udesc
E-mail: comunicacao@udesc.br / rodrigo.schmitt@udesc.br
Telefones: (48) 3664-7935/8010
www.udesc.br

A Secretaria de Estado da Saúde (SES), por meio da Diretoria de Educação Permanente em Saúde, assina nesta quarta-feira, 11, Termo de Cooperação Técnica com a Associação Florianopolitana dos Deficientes Físicos (Aflodef), para oferta de vagas de estágios aos estudantes das escolas e universidades públicas e privadas de Santa Catarina.

Assunto: Assinatura de Termo de Cooperação Técnica com a Aflodef
Quando: Quarta-feira, 11
Horário: 9 horas
Onde: Auditório da Aflodef, rua Rui Barbosa, 708, Bairro Agronômica, Florianópolis

Mais informações para a imprensa:
Suelen Costa
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Saúde - SES
Fone: (48) 3664-8820 / 99113-6065
E-mail: imprensa@saude.sc.gov.br
Site: portalses.saude.sc.gov.br


Foto: James Tavares / Secom

A Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive) divulgou o boletim número 20 sobre a situação da vigilância entomológica do Aedes aegypti e a situação epidemiológica da dengue, febre dechikungunya e zika vírus, com dados até a Semana Epidemiológica (SE) 39, desde 1º de janeiro a 30 de setembro.

No período de 01/01 a 30/09, foram identificados 8.981 focos do mosquito Aedes aegypti, em 139 municípios. Neste mesmo período, em 2016, haviam sido identificados 6.255 focos em 132 municípios .O número de focos de 2017 é 43,6% maior quando comparado ao mesmo período do ano de 2016.

>>> O boletim completo está neste link

Em relação à situaçãoentomológica, até a SE nº 39/2017, já são 61 municípios considerados infestados,o que representa um incremento de 22% em relação ao mesmo período de 2016, que registrou 50 municípios nessa condição. 

Informações adicionais para a imprensa:
Letícia Wilson e Patrícia Pozzo
Núcleo de Comunicação
Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive)
Secretaria de Estado da Saúde
Fone: (48) 3664-7406 | 3664-7402
E-mail: divecomunicacao@saude.sc.gov.br
www.dive.sc.gov.br



 


Fotos: Jaqueline Noceti / Secom

O governador Raimundo Colombo recebeu, na tarde desta segunda-feira, 9, o embaixador do Reino Unido, Vijay Rangarajan. Durante o encontro no Centro Administrativo do Governo, em Florianópolis, foram discutidas as possibilidades de parcerias especialmente nas áreas da Saúde e Educação. “Nós estamos em busca de tecnologias para melhorar a qualidade dos nossos serviços, dos nossos modelos de gestão. Nesse sentindo, a parceria nos aproxima, nos permite discutir objetivos comuns e avançar no que possa trazer os melhores resultados”, disse o governador Raimundo Colombo.

Os secretários de Estado da Educação, Eduardo Deschamps, e da Saúde, Vicente Caropreso, acompanharam a reunião e reforçaram o interesse em parcerias com o Reino Unido. Na área da Educação, Deschamps informou que Santa Catarina tem um dos melhores indicadores do país no Ensino Fundamental e que no Ensino Médio está se desenhando um cenário também positivo para o Estado, a partir da implantação do modelo de Educação Integral.


Foto: Andreia Oliveira / ADR Chapecó 

O Governo do Estado firmou convênio de R$ 7,2 milhões com o Hospital Regional do Oeste (HRO) de Chapecó nesta sexta-feira, 6. A assinatura ocorreu durante visita do secretário de Estado da Saúde de Santa Catarina, Vicente Caropreso, e de comitiva do ministro da Saúde, Ricardo Barros, com autoridades federais e estaduais ao hospital.

Os recursos serão destinados para a compra dos equipamentos para atender a ampliação do hospital, que irá aumentar em 60% a capacidade de atendimento. 

Segundo o secretário de Estado da Saúde, Vicente Caropreso, o Hospital Regional do Oeste é um dos mais resolutivos do Estado. "Como nós estamos expandindo e investindo neste hospital para aumentar sua capacidade, trouxemos mais um dos que ainda estão por vir (convênios), este para equipar o Hospital. São recursos para equipamentos, a maioria destinada a área cirúrgica", observa.

O objetivo é que as macrorregionais se tornem cada vez mais autônomas. "O grande pensamento da secretaria de Estado da Saúde é que funcione bem esta proposta de autonomia macrorregional, para fazer com que em apenas raras situações tenham necessidade de se fazer longo deslocamento de pessoas. Esse é o caminho mais racional", destaca.

O ministro da saúde, Ricardo Barros, visitou o hospital e afirmou que vê condições para crescimento."Nós vamos avaliar o funcionamento da área de expansão que está pronta: estado município e união, numa solução tripartite, para colocar mais serviços à disposição da população", destaca.

Ampliação

A nova ala do Hospital Regional do Oeste de Chapecó está com aproximadamente 98% da obra física concluída. O novo bloco tem nove andares, irá aumentar a capacidade de atendimento com mais 156 novos leitos. O hospital contará com novos leitos para UTI Geral, UTI pediátrica, para o setor de coronária, salas cirúrgicas, leitos para tratamento intensivo de alta complexidade, para oncologia de longa duração, leitos para quimioterapia de curta duração e para recuperação pós-cirúrgica.

O investimento do Governo do Estado atualmente é de aproximadamente R$ 40 milhões na obra, sendo R$ 28,2 milhões de obra física, R$ 1,5 milhão no mobiliário com recursos do Badesc (em fase de instalação) e R$ 7,2 milhões em equipamentos nacionais (convênio).

Mais informações para a imprensa:
Andréia Cristina Oliveira
Assessoria de Comunicação
Agência de Desenvolvimento Regional de Chapecó
Fone: (49) 2049-7427 / 99938-6966
E-mail: imprensasdrcco@gmail.com
Site: sc.gov.br/regionais/chapeco

 


Fotos: James Tavares / Secom

O governador Raimundo Colombo inaugurou nesta quinta-feira, 5, a ampliação e a reforma do Centro de Imagem do Hospital Nossa Senhora da Conceição, em Urussanga e liberou R$ 150 mil para custeio da unidade. O investimento para a obra e a aquisição de equipamentos foi de R$ 1,2 milhão do Governo Estado por meio da Secretaria de Estado da Saúde.

“A saúde está conseguindo melhorar em vários aspectos. Esses equipamentos instalados aqui nessa unidade vão dar muita qualidade no atendimento. Se pararmos para pensar, antigamente era muito diferente e as pessoas viviam menos. Aumentamos em 20 a expectativa de vida nos últimos 50 anos”, disse Colombo.