Compartilhe

O Dia Nacional de Conscientização da Cardiopatia Congênita é lembrado nesta terça-feira, 12 de Junho. A data foi instituída para reforçar a importância do diagnóstico precoce e os desafios do acesso integral à saúde aos portadores de cardiopatias. Além disso, é uma forma de homenagear pais, familiares, profissionais e demais pessoas que lutam pela vida e enfrentam as dificuldades dessas doenças.

A cardiopatia congênita ocorre devido a uma alteração da estrutura cardíaca durante o desenvolvimento embrionário. Mesmo sendo um problema comum, é uma das principais causas de óbitos relacionadas a malformações congênitas. No Brasil, nascem cerca de 28 mil crianças com problemas cardíacos por ano.

"Como médico cardiologista, eu sei o quão importante é que as gestantes façam o acompanhamento e realizem os exames pré-natais. O diagnóstico precoce é essencial para que a doença possa ser controlada e o paciente tenha qualidade de vida. Por tudo isso, o Estado mantém uma rede que fornece o acompanhamento necessário", diz o governador Eduardo Pinho Moreira.

Diagnóstico precoce

Foi o caso de Lucca, hoje com um ano e dez meses. Ainda no início da gestação, a mãe Maria Eduarda Mendes descobriu, por meio dos exames de pré-natal, a existência de uma atresia pulmonar, ou seja, cardiopatia que atinge o ventrículo direito e uma das valvas do coração e dificulta a oxigenação. O bebê realizou um cateterismo e, atualmente, passa por avaliações periódicas no Hospital Infantil Joana de Gusmão (HIJG), em Florianópolis. “Ficamos sabendo de muitas histórias de pessoas que descobriram a cardiopatia apenas após o nascimento do bebê. Por isso é tão importante o acompanhamento e a realização de todos os exames durante a gestação”, conta Maria Eduarda, que criou o site “A mãe do Lucca”, para contar o dia a dia do filho.

O diretor do Hospital Infantil Joana de Gusmão, Maurício Larte Silva, ressalta que os exames na gestação devem ser realizados para que o diagnóstico possa ocorrer o quanto antes. Ele destaca a importância de uma audiência pública que será realizada nesta terça-feira, 12, na Câmara dos Deputados, em Brasília, para definir uma política de saúde no Brasil para o acompanhamento dos casos de cardiopatia congênita.

“A prevenção, que consiste na realização de exames no pré-natal e após o nascimento, ao longo da vida da criança e do adolescente, quando houver qualquer suspeita dessa malformação, é fundamental para que o profissional de saúde obtenha o diagnóstico com antecedência”, destacou o diretor do HIJG, lembrando que no país, a cada cem nascidos vivos um apresenta problemas cardíacos.

Mais informações para a imprensa:
Fabrício Escandiuzzi
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Saúde - SES
Fone: (48) 3664-8820 / 99913-0316
E-mail: imprensa@saude.sc.gov.br
Site: portalses.saude.sc.gov.br