Nenhum texto alternativo automático disponível.

A Polícia Civil, através da Divisão de Investigação Criminal (DIC) de São José, deflagrou uma operação, após três meses de investigação, na manhã desta terça-feira, 30, para prender integrantes de uma facção criminosa que vinha impondo a lei do silêncio e do terror na comunidade de Vila Formosa, em São José, na Grande Florianópolis.

Crimes como o tráfico de drogas e homicídios também faziam parte da ação dos criminosos na comunidade. Foi preso um homem, de 28 anos, com uma arma e considerado o mandante de um homicídio, ocorrido em janeiro deste ano e uma mulher de 18, considerada a companheira do atirador desse crime. Com ela foi apreendido dois carregadores de pistola 9 mm e também drogas e artefatos para o tráfico.

Segundo o delegado Manoel Job Teixeira Galeno, a população não contribuiu com a investigação, pois tal grupo tocava o terror desfilando com armas e acessórios. “Além disso, costumeiramente ameaçavam a todos que falavam com a polícia. Contudo, através do excelente e rápido trabalho de IGP de Florianópolis que conseguiu pegar informações do celular da vítima, chegou-se a revelar como homicídio aconteceu”, explica.

O delegado disse ainda que dois investigados conseguiram escapar pela janela e fugir pela mata junto à comunidade e outros dois não se encontravam na comunidade. “Destaca-se falar da dificuldade de se incursionar naquele terreno fechado de mata tendo em vista que as casas dos alvos eram juntas à mata nativa que serve de refúgio toda vez que uma viatura é avistada pelos traficantes”, concluiu.

A operação contou com o apoio da 1ª, 2ª, 3ª DP de São José, Divisão Especializada de Combate ao Narcotráfico (DENARC/DEIC), canil de São Lourenço do Oeste, DPCAMI de São José, Central de Investigação do Continente (CICON) e Instituto Geral de Perícias (IGP) da Capital.

Informações adicionais para a imprensa
Clarissa Margotti
Assessoria de Imprensa
Polícia Civil - PC
E-mail: imprensa@pc.sc.gov.br
Fone: (48) 3664-2313 / 99968-9600
Site: www.policiacivil.sc.gov.br

 

 

 

 

 


Foto: Johatan Tavares / SSP

O secretário de Estado da Segurança Pública, o secretário adjunto de Estado da Segurança Pública, o comandante-geral da Polícia Militar e o delegado-Geral da Polícia Civil, após reunião ocorrida nesta segunda-feira, 29, entre os Comandos das Policias Estaduais no município de Balneário Camboriú, decorrente do episódio ocorrido no dia 25 no município, reiteram a harmonia e a integração que regem o relacionamento entre as instituições que compõem a Secretaria de Estado da Segurança Pública.

O momento requer serenidade e cautela, essenciais para qualquer juízo de valor e busca da verdade real. Desta forma, são desnecessárias quaisquer manifestações em redes sociais ou congêneres, que em nada contribuem para o bom andamento do sistema da segurança pública, tanto em seu público interno quanto externo.

Reafirma-se que a convivência e harmonia entre os mais de 18.000 agentes que compõem o sistema estadual de segurança pública são a tônica da atual administração e fatores de convergência inequívoca para a paz social.

No tocante a eventuais excessos ocorridos na ação policial decorrente de determinação judicial ou em manifestações públicas de qualquer natureza, estas serão objeto de rigorosa apuração pelas respectivas corregedorias.  

Secretaria de Estado da Segurança Pública


A Polícia Civil, através da Delegacia da Comarca de São Miguel do Oeste, esclareceu a autoria de crime de injúria praticado através da rede social Facebook. A investigação teve início no mês de março deste ano, quando a vítima acionou a Polícia Civil na busca de providências por estar recebendo mensagens injuriosas de pessoa que se utilizava de perfil falso no Facebook para a prática do crime.

Segundo a delegada Lisiane Junges, após diligências voltadas à identificação da autoria, na medida em que a vítima não possuía suspeitos, foi possível esclarecer o crime através do rastreamento das mensagens enviadas. “A pessoa identificada a partir do rastreio das mensagens, que diante das evidências acabou por confessar a prática delitiva, será indiciada pela prática do crime de injúria”, explica. 

A delegada alerta aos usuários da internet (e-mail, rede sociais etc) que ingenuamente pensam estar protegidos pelo anonimato ao ocultarem sua verdadeira identidade para a prática de atos ilícitos. “O rastreio de acessos é possível e está cada vez mais comum diante do incremento do uso da internet”, concluiu a delegada.

Informações adicionais para a imprensa
Clarissa Margotti
Assessoria de Imprensa
Polícia Civil - PC
E-mail: imprensa@pc.sc.gov.br
Fone: (48) 3664-2313 / 99968-9600
Site: www.policiacivil.sc.gov.br

A Polícia Civil, através da Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Lages, em ação conjunta com a Polícia Militar (PPT e P2), resultou no esclarecimento, em menos de 24 horas, do crime de latrocínio (roubo seguido de morte), contra um empresário de 52 anos, ocorrido na noite da última quinta-feira, 25, no seu estabelecimento comercial, localizado no Bairro Universitário, em Lages, na Serra catarinense.

De acordo com o delegado Sérgio Roberto de Sousa, o crime foi perpetrado por seis homens, sendo cinco maiores e um menor de idade, que praticaram o latrocínio de forma planejada e com divisão de tarefas. “Foram presos, até o momento, os homens de 30 anos, de 25, de 21, de 27 e apreendido um adolescente, de 16 anos”, explica.

Segundo o delegado, o mentor intelectual e líder do grupo foi o homem de 30 anos. “O investigado possui uma loja de insulfilme e som na Avenida Primeiro de Maio e, por conta disso, possui acesso/contato com os comerciantes da região. Com isso, ele levantou que no estabelecimento da vítima havia a possibilidade de ter grande quantidade em dinheiro, então esse mentor convocou os demais comparsas e fez a proposta de praticarem o roubo. Esse mandante contactou com o comparsa de 21 anos e solicitou a ele que fornecesse sua motocicleta para ser utilizada no crime, em troca de uma valor fixo do lucro do roubo, que seria R$ 3 mil. Este outro indiciado aceitou a proposta. Ato contínuo o indiciado, o mentor também contactou outro comparsa de 27, e solicitou a arma de fogo dele emprestada, um revólver calibre 32, lhe informando que iriam fazer um roubo grande que renderia grande quantidade em dinheiro. Este, então, de imediato, aceitou a proposta e, na tarde do dia 25, por volta das 17h, se deslocou até a casa do líder e lhe entregou a arma de fogo com cinco munições intactas. O dono da arma iria receber a quantia aproximada de R$ 10 mil, o que equivale a 20% do valor que eles acreditavam que iriam roubar. O indiciado de 25 anos tinha a atribuição de conseguir um segundo executor do crime, que iria praticar o delito com o adolescente, e também a atribuição de ocultar a arma, motocicleta, capacetes e roupas utilizadas no crime, bem como os valores roubados”, afirma.

O delegado disse, ainda, que os agressores que praticaram a execução da vítima foram o adolescente de 16 anos, que se encontra apreendido, e um segundo comparsa, de 26 anos, preso no último sábado, 27. “O disparo de arma de fogo foi executado por este comparsa foragido. Durante as diligências, foi localizada e apreendida a arma de fogo utilizada no crime, a qual estava com quatro munições intactas, na posse do indiciado de 27 anos. A motocicleta utilizada no crime foi localizada e apreendida na posse do indiciado de 21 anos. Além dos objetos acima citados, foram localizados e apreendidos um capacete e duas jaquetas que foram utilizados pelos executores no momento do crime”, garante.

Os quatro homens foram presos em flagrante e encontram-se presos provisoriamente à disposição da justiça. “Três deles confessaram o crime de forma detalhada e o quarto permaneceu em silêncio”, concluiu o delegado. 

Informações adicionais para a imprensa
Clarissa Margotti
Assessoria de Imprensa
Polícia Civil - PC
E-mail: imprensa@pc.sc.gov.br
Fone: (48) 3664-2313 / 99968-9600
Site: www.policiacivil.sc.gov.br

 

Dando continuidade às comemorações dos 182 anos de criação da Polícia Militar de Santa Catarina (PMSC), será realizado na próxima terça-feira, 30, às 20h30, no Teatro Ademir Rosa, no Centro Integrado de Cultura (CIC), o concerto da banda de música, intitulado “Samba: um século pelo som do Brasil”. Convidados como o grupo Brass Groove Brasil, Dudu Fillet e Banda e Eddy Stafin, dentre outros grandes músicos, farão parte da apresentação.

O espetáculo vai retratar a história do ritmo mais marcante da música brasileira, o samba, com a execução dos diversos estilos que o originaram e por aqueles que dele são vertentes, contando com a participação de renomados músicos catarinenses e arranjos musicais criados pelos integrantes da banda de música, “O Piano Catarinense”, e seus convidados.

O repertório do concerto conta com melodias como “Pelo telefone”, do compositor Donga (Ernesto Joaquim Maria dos Santos), que foi o primeiro samba gravado no Brasil no início do século XX; “Hotel California”, da Banda Eagles, numa inusitada transformação do clássico do rock internacional em samba; e “Não deixe o samba morrer”, de Edson Gomes da Conceição e Aloísio Silva, apresentando um dos exemplos dos grandes sambas de exaltação.

Mais de 70 músicos civis e militares participarão do espetáculo, cada um emprestando um pouco do seu talento para garantir o sucesso do evento beneficente em prol das entidades filantrópicas: Orionópolis Catarinense e Lar Recanto do Carinho.

Mais informações no banner:


Informações adicionais para a imprensa
Assessoria de Imprensa 
Polícia Militar de Santa Catarina - PMSC
E-mail: ccschefia@pm.sc.gov.br e ccssubchefia@pm.sc.gov.br
Fone: (48) 3229-6920/3229-6921
Site: www.pm.sc.gov.br


Fotos: Divulgação / PMSC

Durante os dias 19, 20 e 21 de maio foi realizado o evento de Certificação de Cães de Trabalho (Mantrailing) da Confederação Brasileira de Cinofilia (CBKC). O evento foi realizado no Centro de Adestramento Vale da Neblina, em Farroupilha (RS). Representando a Polícia Militar de Santa Catarina (PMSC), participaram do evento o soldado Edemar Luiz da Silva e o cão Thor, que atuam na 4ª Companhia do 2º Batalhão de Polícia Militar/Fronteira, em Xanxerê. Thor passa a ser o primeiro cão brasileiro a receber certificação Mantrailing nível 2.

A Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP) já está funcionando em sua nova sede na Avenida Ivo Silveira, 1521, Bairro Capoeiras, no Continente. Setores como Gerência de Gestão de Pessoas, antigo RH, Financeiro, Administrativo, Gerências, Diretorias e Gabinete do Secretário já estão despachando no novo endereço.

Desde 1941, quando foi criada a Secretaria de Negócios da Segurança, a SSP nunca teve um espaço próprio, sempre funcionando em prédio alugado. “Esta é uma obra esperada por décadas. Trata-se de um dos maiores investimentos realizados em Santa Catarina na área da Segurança Pública”, destaca o secretário César Augusto Grubba.

Oficialmente a nova sede será inaugurada em junho quando todas as Instituições estarão ocupando os prédios no Complexo. Para mais informações no número (48) 3665-8183.

Informações adicionais para a imprensa
João Carlos Mendonça Santos
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Segurança Pública - SSP
E-mail: imprensa@ssp.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-8183 / 98843-7615
Site: www.ssp.sc.gov.br

 

A Polícia Civil, através da DPMU do Balneário Arroio do Silva, resolveu, em menos de oito horas, um latrocínio - roubo seguido de morte - contra uma mulher de 21 anos, assassinada com dois golpes de faca no pescoço, no final da tarde de segunda-feira, 15.  Ao sair do banho, ela se deparou com o indiciado, de 34 anos, na casa, localizada no Bairro Erechim.


Fotos: Pablo Gomes / ADR Lages

A Polícia Militar de Lages realizou nesta segunda-feira, dia 15, a aula inaugural do curso de formação dos novos agentes. Em fevereiro, o governador Raimundo Colombo chamou 1.084 aprovados em concurso público para atuar em todo o Estado. A convocação foi a maior em 182 anos de história da PM catarinense.

Os novos policiais iniciaram os treinamentos no dia 2 deste mês em várias cidades. Em Lages, 58 estão em preparação. As aulas irão até dezembro e serão focadas em legislação, elaboração de documentos e práticas policiais. Após a formatura, os militares serão deslocados para as cidades de lotação. Ainda não foi definido o contingente que ficará à disposição do batalhão de Lages.

A aula inaugural desta segunda-feira ocorreu no auditório do Serviço Social do Comércio (Sesc) e contou com as presenças do comandante da 2ª Região de Polícia Militar, coronel Dionísio Tonet; do comandante do 6º Batalhão, tenente-coronel Alfredo Nogueira; do secretário da Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) de Lages, João Alberto Duarte; e do prefeito Antonio Ceron. Os novos policiais também conferiram uma palestra com o tema “Segurança pública: renovação e evolução social”, ministrada pelo advogado e mestre em Direito Penal, Mauricio Neves de Jesus.



“Mais que uma profissão, ser policial é uma missão de vida. Todos nós contamos muito com o trabalho de vocês, que é muito importante para a sociedade. Sejam bem-vindos a Lages e tenham a melhor preparação possível”, disse o secretário João Alberto.

Mais de cinco mil policiais militares foram convocados no atual Governo

Como o salário inicial do policial militar em Santa Catarina é de R$ 4.850, um dos melhores do Brasil, as novas contratações representarão um impacto de R$ 5,2 milhões por mês na folha de pagamento do Estado, um total de R$ 70 milhões por ano, considerando 13º e férias.

Desde o início do atual Governo, em 2011, já haviam sido convocados 4.019 policiais militares. Agora, com a nova chamada, o número sobe para 5.103, elevando o efetivo total para mais de 11 mil. Em toda a área da segurança pública, a renovação é de 7,8 mil profissionais no mesmo período.

A Polícia Civil, através da Delegacia de Homicídios, cumpriu um mandado de prisão de um homem, de 31 anos, na tarde desta segunda-feira, 15, em Paulo Lopes, na Grande Florianópolis. Ele é considerado o líder do tráfico de drogas, no Morro do Horácio, em Florianópolis, e integrante de facção criminosa.

De acordo com o delegado Eduardo Mattos, o preso é apontado como mandante de um homicídio, ocorrido em 2011, em que vitimou outro líder do tráfico no Morro do 25, na época, por disputa de território. “Em depoimento, o preso confessou que os executores desse crime foram um adolescente e outro maior. Este maior assumiu o crime, mas revelou que o mandante seria o líder do tráfico no Morro do Horácio”, explicou.

O indiciado já possui 18 BOs por diversos crimes, como tráfico de drogas, associação ao tráfico, homicídio, ameaça, lesão corporal, corrupção de menores, porte ilegal de arma, entre outros.

A ação contou com apoio do Núcleo de Inteligência da Penitenciária de Florianópolis, DPMU de Paulo Lopes, DPCO de Santo Amaro da Imperatriz  e DPCO de Garopaba.

Informações adicionais para a imprensa
Clarissa Margotti
Assessoria de Imprensa
Polícia Civil - PC
E-mail: imprensa@pc.sc.gov.br
Fone: (48) 3664-2313 / 99968-9600
Site: www.policiacivil.sc.gov.br