Foto: James Tavares / Secom

A Polícia Civil, através da Divisão de Roubos e Antissequestro (DRAS/DEIC), em coletiva na manhã desta terça-feira, 2, em Florianópolis relatou, com detalhes, a extorsão mediante sequestro, da mulher que estava sendo mantida em cativeiro, desde a última quarta-feira, 26, em uma casa, no Bairro Cangaíba, na Zona Leste de São Paulo. A forma exigida no pagamento do resgate, que não chegou a ser realizado, foi em moedas virtuais (bitcons), conhecida por z-cash e monero, considerado inédito no mundo e audaciosa pelas autoridades policiais.

 De acordo com o delegado Anselmo Cruz, a investigação confrontou diversos dados até chegar à identificação de algumas pessoas, e resguardar a integridade física da vítima. “A forte indícios de participação de facção criminosa fora do Estado, caso de SP, com até 20 pessoas envolvidas, por trás dessa ação. É uma quadrilha baseada em SP, que escolheu essa vítima e vieram até aqui para executar esse crime”, garante o delegado.

"Felizmente tivemos um resultado garantido, resgate da vítima sem o pagamento. Estamos conseguindo manter esta média em SC. Neste caso, específico, foi inédito, devido à exigência de pagamento com este tipo de moeda digital (bitcons), onde eles pediam o pagamento nos dois tipos (z-cash e monero), com a impossibilidade de rastreamento. E neste caso, o pagamento seria instantâneo, onde os criminosos não precisariam se deslocar para receber o dinheiro ou levar em mãos. E envolvendo tecnologia, tem toda uma máscara digital, que faz com que não seja rastreado. É uma parte do crime que desaparece”, afirma.

O delegado Anselmo disse ainda que as quadrilhas geralmente atuam fora das divisas do Estado, como forma de dificultar a investigação, dificultar o trabalho de identificação.   

O marido da vítima e empresário na área de telecomunicações, com sede na África do Sul, iniciou a coletiva agradecendo aos policiais civis, pela dedicação dos que participaram da ação, e dizendo surpreendido com a audácia dos criminosos, ao pedirem o resgate de moedas digitais. “É uma tecnologia que aparentemente foi feita para nos resguardar, nos proteger, para que as pessoas não saibam sobre a nossa movimentação financeira e agora estão usando isso contra nós mesmos”, afirma.

O empresário relatou os momentos de angústia, na espera de notícias da esposa sequestrada, que chegou a ser questionada pelos bandidos, o que gostaria que fosse enviado como prova que estaria viva, o cabelo ou um dos dedos. “Primeiro contato pediram 240 mil, mas não especificaram em que moeda e de repente falaram em 240 mil z-cash, que são R$ 60 milhões de reais, mas isso não se movimenta no mundo inteiro. Eles não tinham noção do que estavam pedindo. Depois passaram e exigir 900 mil moneros, seria quase US$ 30 milhões de dólares. E foram baixando os preços, caíram na realidade e eu tendo que explicar pra eles o que era. Hoje é fácil converter moeda virtual em dinheiro porque existe demanda. A demanda brasileira é muito alta, mas não existe em abundância ainda no mercado”, relata.

O empresário disse também, que depois de conversar com mídias ao redor do mundo, especialistas em tecnologia afirmaram que essa ação criminosa foi a primeira vez que acontece no mundo. “Vemos sequestros de dados, sequestro de computadores e pediram justamente às duas que são irrastreáveis (Z-cash e o monero). Essa audácia felizmente não deu certo.

O empresário exaltou o excelente trabalho da Polícia Civil de Santa Catarina. “Muita gente ao redor do mundo elogiou o trabalho da polícia, como eles fizeram isso tão rápido e com tão pouca ferramenta conseguiram um trabalho tão bem feito. Desta vez a inteligência venceu a tecnologia”, concluiu a vítima.

Entenda o caso

São Paulo  - A Polícia Civil, através da Divisão de Roubos e Antissequestro (DRAS/DEIC), resgatou ao meio-dia de sábado, 29, uma vitima de extorsão mediante sequestro, que estava sendo mantida em cativeiro desde a última quarta-feira, 26, em uma casa, no Bairro Cangaíba, na Zona Leste de São Paulo. Uma pessoa foi presa.

A vítima, uma mulher de 32 anos, foi pega por seis pessoas em Florianópolis, na Lagoa da Conceição, e levada de carro até São Paulo. "Após, foram feitos diversos contatos nesses dias com o marido da vítima, exigindo inicialmente um resgate no valor de R$ 115 milhões de reais, que fossem pagos em moedas virtuais", explicou. 

Informações adicionais para a imprensa
Clarissa Margotti
Assessoria de Imprensa da Polícia Civil
E-mail: imprensa@pc.sc.gov.br
Fone: (48) 3664-2313 / 99968-9600
Site: www.policiacivil.sc.gov.br

Será realizada nesta terça-feira, 2, a partir da 14h, a cerimônia oficial de início do curso de formação de 950 soldados da Polícia Militar de Santa Catarina. São 866 homens e 84 mulheres que se apresentaram para a chamada do último concurso público.

A cerimônia será realizada no Centro de Treinamento da PM, na Avenida Madre Benvenuta, 265, Bairro Trindade, em Florianópolis, a patir das 14h, com a presença do governador Raimundo Colombo, do secretário de Estado da Segurança Pública, César Augusto Grubba, e do comandante-geral da Polícia Militar, coronel Paulo Henrique Hemm.

O governador Raimundo Colombo destaca a importância do ato para a promoção da segurança em Santa Catarina. “São quase mil novos jovens que, a partir de agora, passarão por um treinamento para se habilitarem para a missão de servir à sociedade de uma forma muito nobre, às vezes colocando a própria vida em risco para garantir a segurança das pessoas. Ser policial é uma missão extraordinariamente forte, para pessoas que realmente tem um preparo muito especial”, avalia.

O comandante-geral da PM, coronel Paulo Henrique Hemm, explica que a partir desta terça-feira, os 950 alunos têm o ingresso como policiais militares e participarão de cerca de oito meses de curso. Durante o treinamento, eles serão distribuídos entre Florianópolis e quartéis de outras 15 cidades. Após a formação concluída, os novos profissionais serão efetivamente distribuídos de acordo com critérios técnicos, como aumento populacional de cada cidade, número de ocorrências locais e demandas reprimidas.

Informações adicionais para a imprensa:
Alexandre Lenzi
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: lenzi@secom.sc.gov.br
Telefone: (48) 3665-3018 / 98843-4350
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e  @GovSC

Na semana em que comemora 182 anos, a Polícia Militar de Santa Catarina ganha um reforço histórico de efetivo. Nesta terça-feira, 2, tem início o curso de formação dos 950 soldados, sendo 866 homens e 84 mulheres, que se apresentaram para a chamada do último concurso público.

A cerimônia será realizada no Centro de Treinamento da PM, na Avenida Madre Benvenuta, 265, Bairro Trindade, em Florianópolis, a patir das 14h, com a presença do governador Raimundo Colombo, do secretário de Estado da Segurança Pública, César Augusto Grubba, e do comandante-geral da Polícia Militar, coronel Paulo Henrique Hemm. A semana será marcada, ainda, por outras festividades pelo aniversário da PM, celebrado oficialmente na sexta-feira, dia 5.

O governador destaca a importância do ato para a promoção da segurança em Santa Catarina. “São quase mil novos jovens que, a partir de agora, passarão por um treinamento para se habilitarem para a missão de servir à sociedade de uma forma muito nobre, às vezes colocando a própria vida em risco para garantir a segurança das pessoas. Ser policial é uma missão extraordinariamente forte, para pessoas que realmente tem um preparo muito especial”, avalia.

Colombo afirma, ainda, que juntamente ao reforço do efetivo, o Governo de Santa Catarina continuará com investimentos em infraestrutura, renovação de frota e equipamentos e aprimoramento de tecnologia. “Estamos vendo os indicadores de violência aumentando e o crime organizado tentando desafiar a sociedade. Mas a mão do estado tem que ser forte, firme, para garantir a segurança dos catarinenses. Tenho certeza de que com essa ação, Santa Catarina fica ainda mais forte”, acrescenta.

O comandante-geral da PM, coronel Paulo Henrique Hemm, lembra que esse será um ato que entrará para a história da corporação. “Essa formação representará um aumento expressivo do nosso efetivo policial, com o objetivo maior de dar segurança para a comunidade catarinense. É um marco considerável, porque durante nossos 182 anos, nós nunca tivemos um ingresso de policial tão expressivo como estamos tendo no atual governo”, afirma.

O comandante explica que a partir desta terça-feira, os 950 alunos têm o ingresso como policiais militares e participarão de cerca de oito meses de curso. Durante o treinamento, eles serão distribuídos entre Florianópolis e quartéis de outras 15 cidades. Após a formação concluída, os novos profissionais serão efetivamente distribuídos de acordo com critérios técnicos, como aumento populacional de cada cidade, número de ocorrências locais e demandas reprimidas.

O salário inicial do policial militar em Santa Catarina é de R$ 4.845,82. O impacto dos novos convocados será de cerca de R$ 5,2 milhões por mês na folha de pagamento, um total de R$ 70 milhões por ano, considerando 13º salário e férias.

O secretário César Augusto Grubba destaca que, sem contar os novos policiais que estão em formação a partir de agora, Santa Catarina já recebeu, desde 2011, 6.798 novos servidores na área da segurança pública, entre policiais militares, civis, bombeiros, peritos e auxiliares criminalísticos. “É um alento para a segurança, um ganho de fundamental importância para a política de recomposição permanente dos efetivos nas forças de segurança”, destaca. O secretário ressalta, ainda, que exclusivamente na Polícia Militar, 50% do atual efetivo ativo ingressou na atual administração.

Informações adicionais para a imprensa:
Alexandre Lenzi
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: lenzi@secom.sc.gov.br
Telefone: (48) 3665-3018 / 98843-4350
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e  @GovSC


Foto: Julio Cavalheiro / Secom

Os desafios da Segurança Pública e os investimentos do Governo do Estado, especialmente nos efetivos das forças de segurança, foram o tema central   na entrevista semanal do Com a Palavra, o Governador. Raimundo Colombo destacou o início da formação de quase um mil policiais militares que se apresentam na terça-feira, 2, em Florianópolis e que depois de terminar o curso estarão prontos para atuar em todas as regiões do Estado.

“É um momento especial e histórico para o Governo e para a sociedade catarinense. Desde 2011, já chamamos mais de sete mil policiais. Essa é uma atitude fundamental frente à criminalidade que nos desafia todos os dias. Neste momento, o Estado precisa ter a mão firme e forte para proteger a sociedade”, ressaltou o governador.

Para Colombo, o tráfico de drogas tem contribuído para agravar os índices de violência, principalmente nos grandes centros urbanos. “Quem consome, às vezes acha que o prazer ou a própria destruição acaba ali, mas ele alimenta toda uma cadeia que desestrutura a sociedade como um todo e aumenta a criminalidade”, acrescentou.

O governador encerrou a entrevista falando da inauguração do novo prédio dos cursos de engenharia da Universidade do Planalto Catarinense (Uniplac). Para Colombo, o fortalecimento da educação e do ensino superior, em todas as regiões resulta no equilíbrio do desenvolvimento econômico e social do Estado.

“Se uma pessoa precisa deixar sua terra para estudar ou trabalhar, dificilmente esse capital intelectual retorna e aí acontece que uma região acaba se desenvolvendo melhor que a outra. Por isso é importante apoiar esse tipo de iniciativa que oferece oportunidades iguais para todos”, finalizou.

A íntegra do programa Com a Palavra, o Governador está disponível no Youtube e no Vimeo. Acesse o áudio da entrevista na Rádio Secom.

Informações adicionais para a imprensa
Francieli Dalpiaz 
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: francieli@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3018/8843-5676
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e  @GovSC

apoio geralEm menos de uma semana ao ser anunciada a nova Central de Investigação do Continente, em Florianópolis, especializada em combater os crimes na área continental, nesta quinta-feira, 27, a equipe de policiais apreendeu cerca de 6 quilos de maconha, 180 gramas de cocaína; cerca de 6 litros da substância conhecida como lança-perfume; 21 munições do calibre 9 mm; 17 calibre 40; 34 de calibre 22, televisores de última geração e outros objetos que possuem procedência duvidosa. A ação ocorreu na área central de Florianópolis.

De acordo com o Delegado João Adolpho Fleury, os policiais já têm um suspeito, e que um Inquérito Policial será instaurado para concluir o fato. “Apesar do seu pouco tempo de atuação, menos de uma semana, a equipe da Central já está desenvolvendo trabalhos investigativos complexos que visam coibir os gravíssimos delitos que estão ocorrendo na região da 3ª e 4ª DP e que, inclusive, poderiam estar diretamente ligados com as recentes trocas de tiros que são estão sendo travadas entre as associações criminosas que agem na região”, explica.

Segundo o Delegado, a especializada também dará apoio às demais especializadas da Capital como Homicídios, Combate às Drogas, Repressão a Roubos e a Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic). A equipe terá um delegado, quatro agentes e um escrivão e será alocada na 3ª Delegacia de Polícia, em Capoeiras.

Informações adicionais para a imprensa
Clarissa Margotti
Assessoria de Imprensa da Polícia Civil
E-mail: imprensa@pc.sc.gov.br
Fone: (48) 3664-2313 / 99968-9600
Site: www.policiacivil.sc.gov.br

 

 

 

Secretário de Estado da Segurança Pública, César Augusto Grubba, voltou a se reunir na manhã desta quarta-feira-feira, 26, com o gabinete de crise para tratar dos ataques ocorridos na noite de terça-feira e madrugada desta quarta em Florianópolis.

“Evitamos a terceira chacina em Florianópolis”, disse Grubba. Segundo ele, a ação foi imediatamente repelida pelo forte aparato policial montado na região do Bairro Monte Cristo. Faccionados invadiram a área para tomar pontos de drogas. Houve troca de tiros com integrantes da facção rival e a PM agiu rápido. A partir daí os criminosos iniciaram a série de ataques disparando contra unidades policiais e provocando incêndios. Uma pessoa foi ferida a tiros e levada para o hospital. Houve também prisões e apreensão de armas.

O secretário relaciona a intensificação do policiamento ostensivo e o trabalho de investigação feito pelas forças de Segurança Pública aos ataques da noite passada. Das 21h às 3h40 foram registrados 11 ataques criminosos.(veja relação abaixo)

"Estamos atentos e vamos manter nossa estratégia de policiamento ostensivo, em áreas vulneráveis”.

Participaram da reunião o secretário adjunto da Segurança Pública, delegado Aldo Pinheiro D’ávila; comandante-geral da Polícia Militar, coronel PM Paulo Henrique Hemm; delegado-geral da Polícia Civil, Artur Nitz, e o diretores da Polícia Militar e Polícia Civil.

OCORRÊNCIAS

DISPARO DE ARMA DE FOGO

4°BPM – FLORIANOPOLIS

No dia 25/04/2017, por volta das 21h00, na Rua Delminda Silveira, bairro Agronômica, foram efetuados disparos de arma de fogo na base de Grupamento de Polícia de Choque. Não foi possível verificar características dos suspeitos como também não se tem informações de veículos envolvidos. Nenhum policial foi atingido.

DISPARO DE ARMA DE FOGO

4°BPM – FLORIANOPOLIS

No dia 25/04/2017, por volta das 21h00, na R. Prof. Adir Faísca, bairro Saco dos Limões, foram efetuados disparos de arma de fogo na 2ª Delegacia de Polícia da Capital. Segundo informações, foi utilizada uma motocicleta de cor branca, ocupada por dois suspeitos, para efetuar a ação.

TROCA DE TIROS

22°BPM – FLORIANÓPOLIS

No dia 25/04/2017, por volta das 21h30, na Rua Joaquim Nabuco, bairro Monte Cristo, as GU PM deslocaram para atendimento de ocorrência onde segundo informações teria havido troca de tiro entre suspeitos. Chegando ao local as GU PM foram recebidas a tiros, houve confronto. Durante o tiroteio um homem de 33 anos (sem informações penais e passagem por jogos de azar) foi alvejado e encaminhado ao Hospital Florianópolis. Segundo informações, um veículo GM / Corsa, modelo Hatch, de cor prata, quatro portas, estaria envolvido.

TRÁFICO DE DROGAS

4°BPM – FLORIANÓPOLIS

No dia 25/04/2017, por volta das 22h, na Rod. Gustavo Richard, bairro Centro, a GU PM do 4° BPM visualizou um veículo Fiat/Palio com dois suspeitos. A guarnição fez abordagem ao veículo e encontrou 18 tablets de substância semelhante à maconha com aproximadamente 15kg da droga. Diante dos fatos a guarnição conduziu os autores, veículo e a droga para a central de polícia civil da capital. Os autores foram identificados como um homem de 22 anos (passagens por adulteração de veículo, violência doméstica e tráfico de drogas) e outro de 22 anos (sem passagens).

DISPARO DE ARMA DE FOGO

4°BPM – FLORIANOPOLIS

No dia 25/04/2017, por volta das 22h30, na Rua da Timbaúba, bairro monte verde, foram efetuados disparos de arma de fogo na base de policiamento da PM. Segundo informações dois suspeitos utilizaram uma moto Honda / Cg 150, ambos de capacete escuro e roupa escura, para efetuar a ação. Ninguém foi atingido.

DISPARO DE ARMA DE FOGO

22°BPM – FLORIANÓPOLIS

No dia 25/04/2017, por volta das 22h30, na Rua R. Fúlvio Aduci, Bairro Estreito, foram efetuados disparos de arma de fogo em direção à agência do banco Santander. Não foi possível verificar características dos suspeitos como também não se tem informações de veículos envolvidos. Ninguém foi atingido.

DISPARO DE ARMA DE FOGO

4°BPM – FLORIANÓPOLIS

No dia 25/04/2017, por volta das 23h00, na Rod. Gov. Gustavo Richard, Centro, suspeitos efetuaram disparos de arma de fogo e atearam fogo em material, próximo ao acesso do túnel. Ninguém foi atingido. Suspeitos não foram localizados.

ARROMBAMENTO A ESTABELECIMENTO BANCÁRIO

4°BPM – FLORIANÓPOLIS 

No dia 26/04/2017, por volta das 00h20, na Servidão Paulo Joas Nogueira da Silva, Campeche, ocorreu um arrombamento na agência do Banco do Brasil. No local a guarnição conversou com um senhor que trabalha na empresa de segurança e constatou o arrombamento do caixa eletrônico de emissão de cheques. Nenhum suspeito foi encontrado. A guarnição lavrou o boletim no local.

INCÊNDIO A ÔNIBUS DE TURISMO

21°BPM – FLORIANÓPOLIS 

No dia 26/04/2017, por volta das 01h30, na Rua Professor Adolfo Medeiros dos Santos, Canasvieiras, ocorreu um incêndio a um ônibus de turismo que estava estacionado próximo a 7ª DP. O proprietário foi acionado pela guarnição para tomar as devidas providências.

INCÊNDIO CRIMINOSO

4°BPM – FLORIANÓPOLIS

No dia 26/04/2017, por volta das 02h20, na Av. Gov. Gustavo Richard, Centro, ocorreu um incêndio criminoso em um veículo VW/GOL de cor branca. A guarnição se deparou com o veículo sendo abandonado na via por dois suspeitos que fugiram do local. Em seguida as guarnições conseguiram capturar um dos suspeitos identificado, um homem de 23 anos (colaborar como informante de organização criminosa destinada ao tráfico de drogas), o mesmo foi conduzido à CPP da capital.

INCÊNDIO CRIMINOSO

4°BPM – FLORIANÓPOLIS

No dia 26/04/2017, por volta das 03h40, na SC-401, Bairro Saco Grande, ocorreu um incêndio criminoso em dois veículos sendo um CITROEN JUMPER de cor branca e um PEUGEOT/BOXER JAEDI TUR de cor branca que estavam ao lado da loja de conveniência de um posto. Segundo informações os suspeitos estavam em uma moto de cor prata. Nenhum suspeito foi encontrado.

Informações adicionais para a imprensa
João Carlos Mendonça Santos
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Segurança Pública
E-mail: imprensa@ssp.sc.gov.br
Fone: (48) 3251-1117 / 98843-7615
Site: www.ssp.sc.gov.br

 

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Homicídios (DH) de Florianópolis, durante coletiva à imprensa, na manhã desta segunda-feira, 24, esclareceu com detalhes a autoria e a motivação do homicídio qualificado (motivo fútil), que vitimou uma transexual, de 37 anos, na noite de 10 de março deste ano, assassinada a pauladas e encontrada numa construção, no bairro Ingleses, no Norte da Ilha. Um morador de rua, de 22 anos, foi preso na noite de domingo, 23, e confessou o crime em depoimento ao delegado Eduardo Mattos, que presidiu a coletiva nesta manhã.

De acordo com Mattos, o preso revelou que manteve relações sexuais com a vítima e após uma breve discussão, em que a transexual ameaçou contar aos amigos do acusado a relação amorosa de ambos, este teve uma reação e a golpeou com um pedaço de pau a atingindo na região do pescoço. “Mesmo desacordada, ele a golpeou mais três vezes o que resultou em sua morte ainda no local, descartando o crime de homofobia, em que a vítima foi morta por ameaçar o autor e não por ela ser transexual”, explica o delegado.

Segundo o Mattos, após o crime, o suspeito ainda permaneceu na região do bairro Ingleses e somente no dia seguinte começou a ser indagado sobre o crime por outros moradores de rua. “Ele confessou a autoria para alguns deles, que pediram que ele saísse do local. Começamos a procurá-lo a partir do dia 31 de março, quando foi deferido o mandado de prisão temporária em desfavor dele”, afirma.

O delegado disse ainda, que houve três linhas de investigação, tocadas simultaneamente, em que havia a possibilidade de participação de uma pessoa contra quem a vítima tinha feito um Boletim de Ocorrência, mas essa possibilidade foi descartada logo de início. A segunda linha de investigação apontava para um veículo caminhonete, de cor branca, que foi identificado nas imagens, mas também foi descartada e a terceira possibilidade, que foi comprovada, foi a participação de um morador de rua, que estaria nas proximidades do local onde ela foi morta. “Também havia a possibilidade dele estar na região de Criciúma, onde tem familiares e informações de que poderia estar na região de Balneário Camboriú. A partir de agora vamos relatar o inquérito policial no máximo em uma semana e pedir para ser convertida para prisão preventiva e remeter ao Poder Judiciário para oferecer denúncia”, informou o delegado.

DSC03258 2
Na foto delegado Eduardo Mattos - Foto: Clarissa Margotti/PC

Informações adicionais para a imprensa
Clarissa Margotti
Assessoria de Imprensa da Polícia Civil
E-mail: imprensa@pc.sc.gov.br
Fone: (48) 3664-2313 / 99968-9600
Site: www.policiacivil.sc.gov.br

 


Foto: James Tavares/Secom

O governador Raimundo Colombo entregou nesta segunda-feira, 24, 50 motocicletas para a Rondas Ostensivas com Apoio de Motocicletas (Rocam) da Polícia Militar. O ato ocorreu no Centro de Ensino da Polícia Militar de Santa Catarina, em Florianópolis, com as presenças do secretário de Estado da Segurança Pública, Cesar Grubba e do comandante-geral da PM, coronel Paulo Henrique Hemm.

“Hoje os problemas do trânsito afetam a vida de todos nós e não é diferente na rotina dos policiais, porque o veículo acaba tendo uma maior dificuldade de chegar até uma ocorrência com os veículos. E com as motos nós temos condições de vencer esses obstáculos. Por isso nós temos que investir na frota, com equipamentos mais modernos”, disse Colombo. 

Ainda de acordo com o governador a segurança é um setor cada vez mais desafiador, por conta da violência e do tráfico de drogas. “Estamos investindo nos efetivos, na renovação da frota e também na segurança dos policiais, para que a resposta às pessoas seja cada vez mais eficiente”, acrescenta.

O secretário de Estado da Segurança, Cesar Grubba, explica que o policiamento com motocicletas tem sido exitoso em todas as unidades de polícia militar do país que têm essa modalidade. Em Santa Catarina as 50 motocicletas serão distribuídas entre os batalhões de todo o Estado. No Estado, a Rocam está presente em 70% das unidades da PM . O investimento foi de R$ 1,2 milhão.

“Esse investimento representa não só estímulo ao nosso policial, mas resultado em prol da segurança pública do Estado”, salienta o comandante-geral da PM, coronel Paulo Henrique Hemm.

Rondas Ostensivas com Apoio de Motocicletas

A Rocam foi implantada em fevereiro de 2015 pelo Comando Geral da PM com o objetivo de reduzir o tempo de resposta à população no atendimento de ocorrências. O policiamento consiste no emprego de policiais militares devidamente treinados para o uso eficiente e seguro de motocicletas em ações policiais.

A Rocam tem como missão apoiar as Unidades Policiais Militares de área nas atividades de policiamento ostensivo, principalmente em áreas com maiores índices de criminalidade, além de atividades de Operações de Polícia Militar de Choque e escoltas motorizadas.

Os policiais selecionados para compor a Rocam foram submetidos a longas horas de treinamento de táticas e técnicas policiais, pilotagens de alto risco e moto patrulhamento.

Informações adicionais para a imprensa
Francieli Dalpiaz 
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: francieli@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3018/8843-5676
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e  @GovSC


Foto: Marcius Furtado / Secom

A chamada pelo Governo do Estado de 320 novos agentes de Segurança Pública aprovados no concurso da Polícia Civil foi o tema principal do programa Com a Palavra, o Governador desta sexta-feira, 21. Raimundo Colombo explicou que, mesmo com a crise e o impacto na folha, o investimento é necessário. "A nossa polícia já realiza um excelente trabalho, mas a criminalidade e a violência nos desafiam todos os dias e o Estado precisa agir e dar uma resposta rápida à população", disse.

Colombo também elogiou o trabalho de inteligência, que permite à polícia agir de forma antecipada e até mesmo evitar situações mais graves. Entre os chamados estão 234 agentes, 25 delegados e 61 auxiliares periciais do Instituto Geral de Perícias (IGP). "Até o final do ano vamos lançar edital para um novo concurso com 695 vagas para a polícia, IGP e Corpo de Bombeiros. Também vamos renovar a frota, comprar coletes e equipamentos para que esses profissionais possam exercer o seu trabalho com segurança e eficiência na proteção deles e das pessoas", acrescentou o governador.

O outro assunto da entrevista foi a realização da segunda edição do Fundam - programa que repassa recursos para os municípios investirem em infraestrutura. Na primeira edição foram distribuídos R $ 600 milhões aos 295 municípios catarinenses.

"A gente fornece o recurso e capacita o gestor municipal a atender o que realmente é a prioridade de cada local. Os recursos para a segunda edição já estão garantidos com o apoio do BNDES, que inclusive aponta o Fundam um dos melhores programas de apoio aos municípios desenvolvidos no país", concluiu Raimundo Colombo.

A íntegra do programa está disponível no Vimeo e no Youtube. A versão em áudio pode ser acessada na Rádio Secom.


Fotos: Julio Cavalheiro / Secom

A Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP), por meio da Polícia Civil e sua Divisão de Repressão ao Crime Organizado da Diretoria Estadual de Investigações Criminais, deflagrou na manhã desta quinta-feira, 20, a maior operação policial para cumprir 91 mandados de prisão, dos 112 expedidos pela Justiça, e 40 mandados de busca e apreensão, nas cidades de Florianópolis, São José, Balneário Camboriú, Itajaí, Joinville, Araquari e Laguna.

A operação coordenada pela Draco/Deic é a maior ofensiva já realizada pela Polícia Civil contra a facção criminosa atuante em Santa Catarina e com ramificações em outros estados, envolvida em crimes de roubo, tráfico de drogas, associação para o tráfico, corrupção de menores, homicídio, estelionato, lavagem de dinheiro e porte/posse/comércio de armas de fogo/munições.

Foram apreendidos ainda pistolas, diversos telefones celulares e aparelhos de radiocomunicação. Boa parte dos mandados foram cumpridos contra criminosos já segregados em unidades prisionais.



>>> Mais imagens na galeria

 As investigações vêm sendo realizadas há aproximadamente cinco meses, período em que 11 membros da facção foram presos nas cidades de Florianópolis, Joinville, Navegantes, Balneário Camboriú e Chapecól. Também identificou as principais lideranças dessa organização criminosa atuantes dentro e fora do sistema prisional de Santa Catarina, as quais são alvos das medidas judiciais.

Participam da Operação 200 Policiais Civis da Deic, DPGF, DIPC, SAER, DIC Laguna, DIC e 2ª DRP Joinville, DIC e SIC/Dpco de Balneário Camboriú, DIC de Itajaí e integrantes da DINI.

Integração policial

Em coletiva de imprensa na tarde desta quinta, o Secretário da Segurança Pública, César Augusto Grubba, destacou a parceria com as agências de Inteligência da SSP, Sistema Prisional, Ministério Público e Poder judiciário que possibilitou o sucesso da operação.

Ele também parabenizou as equipes envolvidas na operação e o trabalho da PM na quarta-feira à noite, na Vila União, no Norte da Ilha, em Florianópolis, quando um verdadeiro arsenal foi apreendido com quatro criminosos. "Estamos trabalhando com afinco e dedicação e o exemplo são essas ações operacionais. O trabalho policial vem sendo efetivamente concretizado”, destacou Grubba.

O secretário fez um apelo à população em relação ao consumo de drogas. “Precisamos muito mais do que o trabalho das polícias. O Estado sozinho não dá conta contra a criminalidade. A própria sociedade pode colaborar não consumindo drogas. Enquanto tiver elementos da sociedade consumindo drogas vai ter o traficante vendendo. Então o estado social tem que atacar as causas primárias da criminalidade, fazer trabalhos sociais, porque quanto mais aplicar no social, menos vai aplicar na punição e na repressão”.

Já o delegado Adriano Bini, diretor da Deic, explicou que a facção criminosa vem há alguns anos tentando se instalar e atuar em Santa Catarina. “É uma facção criminosa de fora do Estado e o foco principal de atuação é o tráfico de drogas, justamente pela lucratividade. São investigados pelos crimes de tráfico de drogas, associação pelo tráfico, homicídio, lavagem de dinheiro, estelionato e assim por diante. Ainda temos policiais civis nas ruas com o objetivo de realizar o cumprimento dessas ordens judiciais. Portanto a operação para nós é extremamente positiva", disse o delegado.

Para o delegado Antônio Cláudio Joca, diretor da Draco, a operação policial representa um duro golpe contra o crime organizado. Ele acredita que crimes de homicídios, como os registrados esta semana na Vila União, serão esclarecidos com as prisões efetuadas. “Também investigamos crimes registrados em Laguna e Chapecó”, declarou o policial. Ele acredita que a prisão das principais lideranças do Norte da Ilha representa um duro golpe contra o crime.

Participaram da coletiva o secretário de Estado da Segurança Pública, César Augusto Grubba; delegado-geral da Polícia Civil, Artur Nitz; diretor da Deic, delegado Adriano Bini; delegado Antonio Carlos Joca, da Divisão de Repressão ao Crime Organizado (Draco) e o diretor de polícia da Grande Florianópolis, delegado Verdi Furlanetto.

Informações adicionais para a imprensa
João Carlos Mendonça Santos
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Segurança Pública
E-mail: imprensa@ssp.sc.gov.br
Fone: (48) 3251-1117 / 98843-7615
Site: www.ssp.sc.gov.br

Informações adicionais para a imprensa:
Rafael Vieira de Araújo 
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: rafael@secom.sc.gov.br  
Telefone: (48)  3665-3018 / 99116-8992
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e  @GovSC