Um comparativo feito pelo Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina, considerando o período de Carnaval deste ano e do ano passado, constatou que o número de pessoas mortas em decorrência de afogamentos diminuiu em 70% no Litoral e balneários catarinenses. Em 2016, foram registradas três mortes por afogamentos no Carnaval. Neste ano, foi uma.

O único óbito ocorreu na praia, em Mariscal, no município de Bombinhas, no sábado, 25, quando um homem de 47 anos entrou na água e teve um mal súbito. Ele chegou a ser socorrido pelos guarda-vidas, que estavam no posto distante há 200 metros, e pelo helicóptero Arcanjo, mas não foi possível reanimá-lo e o óbito foi declarado uma hora depois pelo médico a bordo da aeronave.


Foto: Julio Cavalheiro/Secom

Além disso, o número de pessoas que chegaram a ter algum nível de afogamento, tanto em água doce como em água salgada, mas que foram recuperadas graças à intervenção dos guarda-vidas também aumentou: passou de nove vidas recuperadas no Carnaval de 2016, para 14 no mesmo período de 2017.

Com relação aos arrastamentos, que se referem a quantidade de pessoas que foram salvas pelos guarda-vidas após caírem em correntes marítimas, os números diminuíram. Neste Carnaval, foram 222, enquanto em 2016 foram 290 salvamentos. Nestes casos não chega a acontecer o afogamento propriamente dito, pois os resgates para retiradas das pessoas da água foram feitos antes de ter a ingestão excessiva de água. 

Para o comandante-geral do Corpo de Bombeiros de SC, coronel BM Onir Mocellin, os números são positivos, mas toda comemoração poderia ser precipitada. Isso porque há vários fatores que interferem nas mortes e nos salvamentos aquáticos realizados pelos bombeiros. Para ele, a diminuição no número de mortes por afogamentos no Carnaval pode demonstrar tanto uma eficácia maior nos procedimentos de reanimação e atendimentos prestados pelos guarda-vidas, como uma maior consciência por parte dos banhistas que, cada vez mais, procuram se banhar em áreas monitoradas e mais seguras. Outros fatores que devem ser considerados são as condições do mar e o número total de turistas nas praias. “Apesar de estarmos tranquilos com relação ao preparo e disponibilidade de nosso efetivo que atua nas praias e balneários do estado, somente poderemos realmente comemorar quando tivermos número zero de afogamentos em toda temporada,” afirma. 

Bandeira Lilás

Neste ano, a novidade foi a implantação de mais uma bandeira de sinalização de praia. A bandeira lilás, colocada nos postos de guarda-vidas, indica os locais de incidência de águas-vivas. Neste período, foram registradas 2.057 lesões, enquanto no ano passado foram 8.183 casos registrados no Carnaval. 

Número total de atendimentos aumenta

Já com relação aos números absolutos de ocorrências, que considera o total de atendimentos feitos pelos 14 batalhões de bombeiros no estado, o aumento foi de cerca de 15%, ou seja, passou de 2.660 para 3.130 neste Carnaval, representando um aumento de 470 casos. A maioria se refere a atendimentos pré-hospitalares, como socorros prestados a vítimas de acidentes de trânsito, quedas, agressões e outros. 

A Operação Veraneio continua nas praias até o término do verão. Mas após o período de Carnaval há uma diminuição considerável no número de turistas e banhistas nas praias, e a Operação Veraneio entra na sua etapa final.

{text}

A Polícia Civil, através da Delegacia da Comarca de Ascurra, com o apoio da Delegacia de Indaial e da Polícia Militar de Rodeio, Ascurra e Apiúna, deflagrou na manhã desta quinta-feira, 2, uma operação com a finalidade de cumprir diversos mandados de prisão pelo crime de roubo, ocorrido nos últimos meses, em Ascurra e região do Vale do Itajaí. A ação resultou na prisão de quatro pessoas (dois homens de 24 anos, e outros de 27 e 33 anos), em residências, no Bairro Ribeirão Luiz, em Apiúna.

De acordo com a polícia, o homem de 27 anos é considerado o líder da quadrilha e o responsável pelo fornecimento de armas e carros nas ações criminosas de quadrilhas que atuam na cidade e região. “O grupo fazia roubos em comércio, com emprego de arma de fogo e grave ameaça. Inclusive, no mês passado, roubaram o pagamento dos funcionários de uma empresa e, em outra ocasião, uma joalheria”, explica um policial.

Segundo o policial, o roubo contra a empresa, contou com a participação de um funcionário, que também foi preso, ao repassar as informações do pagamento ao grupo. “Outros três homens foram presos na semana passada, relacionados a outros crimes, mas que atuavam com esta quadrilha presa”, afirma.

O policial disse ainda que as prisões contribuirão para que os crimes diminuam de maneira significativa, tendo em vista que os conduzidos dedicavam-se exclusivamente as atividades delituosas. “A ajuda da comunidade é muito importante para elucidação de ações como esta. O Disque Denúncia 181, da Polícia Civil, está à disposição do cidadão, que queira comunicar algo suspeito e sua identidade será totalmente preservada”, conclui.

{text}

 

 

A Polícia Militar de Santa Catarina (PMSC) divulgou o edital de convocação dos candidatos remanescentes do último concurso público da categoria realizado no estado. Ao todo, serão 1.084 novos policiais militares. Trata-se da maior convocação da história da PM em Santa Catarina. O edital foi publicado na sexta-feira, 24. 

>>> Confira o edital de convocação

Os novos policiais militares são os excedentes do concurso do qual já foram chamados 711 aprovados. Com a chamada de mais 1.084 policiais militares (987 homens e 97 mulheres), todos os aprovados foram convocados. O curso de formação terá início no dia 2 de maio, em diferentes unidades de Santa Catarina. A formatura está prevista para a primeira quinzena de dezembro, quando os policiais serão incorporados aos batalhões.

Segundo o Comando Geral da Polícia Militar, os novos profissionais serão distribuídos de acordo com critérios técnicos, como aumento populacional de cada cidade, número de ocorrências locais e demandas reprimidas.

O salário inicial do policial militar em Santa Catarina é de R$ 4.850. As novas contratações vão representar um impacto de R$ 5,2 milhões por mês na folha de pagamento, um total de R$ 70 milhões por ano, considerando 13º salário e férias. 

Em toda a área da segurança pública, também considerando os novos policiais militares anunciados agora, a renovação é de mais de 7,8 mil profissionais desde 2011.

Leia também

>>> Governo do Estado anuncia contratação de 1.084 novos policiais militares, a maior convocação da história da PM

{text}

 

 

A Polícia Civil, através da Divisão de Investigação Criminal (DIC), deflagrou uma operação na noite de quinta-feira, 23, denominada Carnaval de Cara Limpa, que visa o combate ao tráfico de drogas sintéticas, em Tubarão e na região Sul do Estado. A ação resultou na apreensão de 657 comprimidos de ecstasy, 55 micropontos de NBOME (alucinógeno semelhante a LSD), R$ 40 mil em espécie e uma porção de MDMA. Foram presos dois homens (de 19 e 23 anos) e apreendido um adolescente de 17 anos em ações ocorridas nos bairros Humaitá de Cima, Revoredo e Monte Castelo.   


Foto: PC/SC

De acordo com o delegado Willian Cezar Sales, a operação iniciou em uma residência, onde foi preso o homem de 19 anos no Bairro Humaitá de Cima, com seis comprimidos de ecstasy, após ser investigado pela venda da droga em uma festa eletrônica. “Em outra casa, no Bairro Monte Castelo, foi preso o outro suspeito, de 23, considerado um dos distribuidores de drogas sintéticas para a cidade. Na casa, foram encontrados 251 comprimidos de ecstasy, além de 55 micropontos de NBOMe (alucinógeno semelhante à LSD) e R$ 18,9 mil em espécie (dinheiro resultante da venda de drogas)”, explica. 

Segundo o delegado, em outra diligência, foi abordado um veículo num posto de combustíveis, no Bairro Revoredo, onde fora apreendido o adolescente, em posse de 300 comprimidos de ecstasy e R$ 650 em espécie. “Na casa do adolescente, no Bairro Monte Castelo, foram encontrados outros 100 comprimidos de ecstasy e uma porção de MDMA”, afirma.

O delegado ressaltou ainda que as investigações prosseguem a fim de coibir o tráfico de drogas e outros crimes, com muitas ações policiais na região. “Pedimos a ajuda da comunidade, através do Disque Denúncia 181, para que denuncie a ação delituosa desses criminosos”, concluiu.

{text}

A Polícia Civil cumpriu cinco mandados de busca e apreensão na comunidade Vila União, em Florianópolis. Como resultado, apreendeu cerca de três quilos de maconha e diversas pedras de crack.


Foto: PC/SC

Seis pessoas foram autuadas por tráfico de drogas, associação ao tráfico e porte ilegal de arma de fogo. Além disso, duas pistolas calibre 9 mm, uma pistola .40 com brasão da Polícia Civil, uma pistola .380 e 105 munições de fuzil .556 foram apreendidas.  

De acordo com o levantando feito pela força-tarefa, as armas seriam utilizadas em ataques à bases das polícias Civil e Militar a partir desta sexta-feira. A CãoFiança também auxiliou nas diligências com cães farejadores.

{text}

 

A Polícia Civil, através da Divisão de Investigação Criminal (DIC) e da Delegacia de Proteção à Mulher, Criança, Adolescente e Idoso (DPCAMI), de Chapecó, elucidaram, na manhã desta quinta-feira, 23, o roubo ocorrido no estacionamento do Hipermercado Big, no final do mês de janeiro, deste ano. O autor, de 23 anos, que praticou o assalto foi preso no início deste mês, em outra ocasião, ao ser abordado por policiais militares que constataram em abordagem suspeita, ser um foragido do sistema prisional do Estado. Também foi presa, uma mulher, de 23 anos, funcionária do estabelecimento e acusada de repassar as informações ao assaltante.

ChapecóFoto: PC/SC

De acordo com a polícia, a prisão da mulher foi em decorrência ao cumprimento de um Mandado de Busca e Apreensão em sua residência, onde foi apreendida uma pistola da marca Taurus, calibre 380, com numeração raspada, além de 11 munições intactas e uma pequena quantidade de droga. “Os policiais ainda encontraram mais de R$ 1 mil, que pode ter relação com o valor roubado. Já na residência do autor do assalto, nada foi encontrado”, explica um policial.

O crime ocorreu quando um cliente, que carregava R$ 90 mil em espécie, foi assaltado a mão armada por um homem, que, após investigações, foi identificado como sendo um foragido do presídio regional de Chapecó. “A participação da funcionária foi de repassar o horário em que este cliente estaria no estabelecimento. Várias foram as testemunhas ouvidas e as diligências a campo realizadas até que a autoridade policial reunisse elementos para representar pela busca e apreensão na residência dos suspeitos”, afirma.

Após as evidências, a funcionária acabou confessando sua participação no assalto e encaminhada ao Presídio de Chapecó. 

{text}

A Polícia Civil, por meio da Divisão de Investigação Criminal (DIC/FRON) de São Lourenço do Oeste, prendeu em flagrante mãe e filho, por porte ilegal de arma, de uso restrito, nesta madrugada, 22, às margens da rodovia SC-157, em São Lourenço do Oeste. Foram apreendidas três armas – pistolas Glock, calibre 9mm, seis carregadores correlatos às armas de fogo e R$ 3,2 mil em dinheiro. As armas estavam escondidas no pneu estepe do veículo que eles viajavam. 

De acordo com a Polícia, a mulher, de 45 anos, já possui antecedentes criminais por tráfico de drogas, e estava vindo de Foz do Iguaçu/PR e Paraguai, na companhia do filho, de 23, com destino a Novo Hamburgo/RS, quando foram interceptados por policiais civis. “Há fortes indícios de que a mulher já fazia esse serviço, há algum tempo levando estas armas para criminosos no estado vizinho”, explica um policial.

Os policiais disseram ainda que as investigações prosseguem para identificar os possíveis compradores destas armas, que cada vez mais estão sendo usadas por quadrilhas de criminosos de alta periculosidade.

"Colabore com a Polícia Civil. Denuncie. Disque 181."

Informações adicionais para a imprensa
Clarissa Margotti
Assessoria de Imprensa da Polícia Civil
E-mail: imprensa@pc.sc.gov.br
Fone: (48) 3664-2313 / 99968-9600
Site: www.policiacivil.sc.gov.br

 

 

 

Nesta Operação Veraneio, mais de dez mil crianças receberam a pulseira de identificação e 4,5 mil folders com dicas de prevenção e materiais educativos foram distribuídos, desde dezembro até o momento, nas principais praias de Santa Catarina. Uma Delegacia Móvel foi disponibilizada para atender neste projeto que visa alertar os pais ou responsáveis a redobrarem a vigilância dos filhos na praia, onde o índice de crianças perdidas e desaparecidas aumenta nesta época do ano. As praias atendidas, no início do projeto, foram São Francisco do Sul, Itapoá, Barra do Sul, Itajaí (praia Brava), se estendendo para Palhoça (praia da Pinheira e Ponta do Papagaio), Laguna (praia do Mar Grosso, Molhes da Barra e Farol de Santa Marta) e Balneário Rincão. O veículo esteve presente nos locais de maior fluxo de turistas e banhistas nas sextas-feiras, sábados e domingos, cada dia em uma cidade diferente. Este trabalho de orientação e divulgação encerra na próxima semana.

 

 

Para o diretor da DPOL (Diretoria de Polícia do Litoral), delegado José Celso Corrêa, ações como esta consolidam ainda mais a integração entre a Polícia Civil e a comunidade. “A ideia é que outras delegacias implantem este projeto que auxilia e oferece mais tranquilidade e segurança para aquelas famílias que procuram o nosso Estado para passar as férias”, explica.

Para o policial civil Renato do Amaral, a parceria entre a Polícia Civil, através da Delegacia Regional de Joinville, e a ONG Crianças Desaparecidas, é considerada muito positiva por se tratar de uma campanha de prevenção e orientação à população catarinense. “Posso garantir que o número de desaparecimentos durante a campanha diminuiu muito”, afirma.

Segundo o policial, há muitos casos de desatenção, de descuido, principalmente em praias movimentadas e em festas de grande concentração de pessoas, como o carnaval.  “No site da ONG ainda consta 18 crianças desaparecidas em SC. Mas este trabalho sendo realizado, desde 2011, fez com que 127 crianças fossem encontradas”, relata.

O policial informa ainda que a lista é atualizada de acordo com informações oficiais de Boletins de Ocorrência. “Foram percorridos 55,61 quilômetros a pé, pelas praias e, um dos resultados positivos e que me deixa ainda mais motivado para as próximas temporadas, foi o reconhecimento das pessoas pela iniciativa tanto da Polícia Civil, quanto da ONG”, concluiu.

{text}

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O secretário da Segurança Pública, César Augusto Grubba, recebeu em audiência na manhã desta segunda-feira, 20, a diretoria do Sindicato dos Centros de Formação de Condutores de Santa Catarina (Sindemosc) para tratar da implementação do controle biométrico nas aulas de direção veicular, nos mesmos moldes do controle efetuado nas aulas teóricas desde o ano de 2010. 

 
Foto: Maira Poro Monteiro/SSP

“O problema hoje são as tentativas de fraudes e a impossibilidade de verificar se o aluno está ou não frequentando as aulas de direção veicular”, afirma a delegada Cláudia Regina Bernardi Silva, gerente de Habilitação do Detran.

Os cursos, segundo a gerente, são controlados apenas através de planilhas em papel assinadas pelo aluno e instrutor, constando os horários de cada aula ministrada, a placa do veículo e a credencial do instrutor.

Para o secretário Grubba, o tema agora será discutido entre a Secretaria da Segurança Pública (SSP) e o Ciasc, empresa de automação do governo, para tratar de assuntos técnicos e acelerar a participação do Detran no novo sistema de biometria nas aulas de direção veicular. “O novo sistema vai inibir possíveis fraudes e contribuir na formação do condutor", destaca o secretário. 

Participaram do encontro o secretário adjunto da SSP, delegado Aldo Pinheiro D'Ávila; diretor do Detran, Vanderlei Rosso; gerente de Habilitação do Detran, delegada Cláudia Regina Bernardi Silva e o diretor administrativo financeiro da SSP, perito Carlos Thives; presidente do Sindemosc, César Stolf, e os diretores Arno Minella, Silvino Lessmann, Cádimos Weber.

{text}

A Polícia Militar de Santa Catarina vai ganhar um reforço histórico de efetivo. O governador Raimundo Colombo e o vice Eduardo Pinho Moreira assinaram na manhã desta segunda-feira, 20, em Florianópolis, a chamada de 1.084 novos policiais militares aprovados no último concurso público. Trata-se da maior convocação da história da PM. No ato, o governador anunciou ainda que no segundo semestre deste ano também serão chamados novos policiais civis e técnicos do IGP e realizado um novo concurso para o Corpo de Bombeiros.

“Este é um gesto, primeiramente, de reconhecimento pelo valoroso trabalho da Polícia Militar em todo o Estado e de compromisso com a proteção da sociedade catarinense. É também uma superação do nosso governo, pois vivemos um momento difícil, com receita limitada, mas sabemos que a questão da segurança pública é o grande desafio nacional e uma prioridade de Santa Catarina. Essa é uma medida ousada, mas que se não fosse tomada agora, teria um custo muito maior no futuro”, destacou Colombo.


Foto: James Tavares/Secom

>>> Galeria de fotos

“O governo tem que escolher suas prioridades. E o ato de hoje comprova que a promoção da segurança pública é com certeza uma das grandes prioridades do atual governo de Santa Catarina”, acrescentou o vice Pinho Moreira, ao mesmo tempo em que ressaltou a qualidade do trabalho da corporação catarinense.

Os novos policiais militares são os excedentes do último concurso da categoria realizado em SC, pelo qual já foram chamados 711 aprovados. Com a chamada agora de mais 1.084 policiais militares (987 homens e 97 mulheres), todos os aprovados foram convocados. Todos terão um prazo de 75 dias para se prepararem e o curso de formação terá início no dia 2 de maio, em diferentes unidades de Santa Catarina. A formatura está prevista para a primeira quinzena de dezembro, quando os novos policiais serão incorporados aos batalhões.

O comandante geral da Polícia Militar, coronel Paulo Henrique Hemm, explicou que os novos profissionais serão distribuídos de acordo com critérios técnicos, como aumento populacional de cada cidade, número de ocorrências locais e demandas reprimidas.

O salário inicial do policial militar em Santa Catarina é de R$ 4.850. O secretário da Fazenda, Antonio Gavazzoni, explicou que as novas contratações vão representar um impacto de R$ 5,2 milhões por mês na folha de pagamento, um total de R$ 70 milhões por ano, considerando 13º salário e férias. E destacou o planejamento realizado para manter o equilíbrio do Estado: “A gente enxuga custeio, trabalha ainda mais no combate a sonegação e produz a capacidade do Estado para fazer frente às despesas que hoje estamos assumindo. Tudo foi devidamente previsto e planejado”. Todos os novos contratados estão na nova legislação previdenciária catarinense.

O secretário de Estado da Segurança Pública, César Augusto Grubba, lembrou que, com a nova chamada, metade do efetivo da Polícia Militar foi convocada no atual governo, o que representa uma expressiva renovação. Desde 2011, já haviam sido convocados 4.019 policiais militares. Com a nova chamada, o número sobe para 5.103 profissionais novos convocados desde 2011. E o efetivo total da PM passa de 11 mil. “E além do reforço de efetivo, estamos investimento fortemente também em tecnologia para dar o suporte necessário aos profissionais”, ressaltou Grubba.

Em toda a área da segurança pública, também considerando os novos policiais militares anunciados agora, a renovação é de mais de 7,8 mil profissionais desde 2011.

Acompanharam o ato desta segunda, entre outras autoridades, os secretários de Estado da Administração, Milton Martini; da Casa Civil, Nelson Serpa; e da Comunicação, João Debiasi.

{text}