Compartilhe


Foto: Saul Oliveira/SOL

Propostas de objetivos estratégicos para as áreas de turismo, cultura e esporte foram definidas nesta quinta-feira, 8, na Fundação Escola de Governo ENA, em Florianópolis, por representantes do Governo do Estado e da sociedade civil organizada. A iniciativa é parte da elaboração do Plano de Desenvolvimento Catarinense para 2030, coordenado pela Secretaria de Estado do Planejamento com apoio da UFSC.

“Esse é um momento fundamental para pensar um planejamento a médio, longo prazo para o Estado de Santa Catarina. É um plano de Estado que está sendo construído. Me parece que tem muito a ver com a política deste governo, que está se pautando em planejamento. O Programa Crescendo Juntos é uma amostra disso e está muito vinculado à forma de pensar da Secretaria de Turismo, Cultura e Esporte hoje, que é planejar a curto prazo, executar o mais rápido possível, pois o Estado precisa de respostas rápidas. Mas, ao mesmo tempo, pensar em ações de médio e longo prazo”, comentou o secretário adjunto de Turismo, Cultura e Esporte, Francisco Antônio dos Anjos.

Dados do Ministério do Turismo mostram que o setor turístico cresceu 102% na América do Sul e 19% no Brasil entre 2000 e 2015. Mais da metade dos turistas (51%) vêm ao país a lazer, o que se repete em Santa Catarina. Mas é o turista de negócios e eventos que gera mais renda aos municípios. Florianópolis, por exemplo, aparece como o quinto destino mais procurado no país para sediar eventos internacionais.  

“Quando alguma coisa não dá certo, costuma-se dizer que faltou planejamento. Nós estamos ganhando um tempo para parar, refletir para planejar o Estado para 2030”, disse o secretário adjunto de Planejamento, Fabio Botelho.

Aqui os desafios são diminuir a sazonalidade do movimento turístico (maior entre dezembro e março), a concentração na região litorânea (que fica com 70% da renda estadual) e aumentar o gasto diário per capita do turista.

Os participantes do workshop definiram como objetivos estratégicos: desenvolver os potenciais turísticos de Santa Catarina, fortalecer o segmento de turismo de negócios, promover a interiorização do turismo e tornar SC referência em turismo inteligente, com o desenvolvimento de aplicativos e fomento à inovação.  

Cultura e Esportes

Investe-se menos de 1% do orçamento estadual e da maior parte dos municípios catarinenses em cultura e esporte. Para as duas áreas, os técnicos do Governo e de instituições da sociedade civil organizada estabeleceram como objetivo estratégico ampliar os investimentos gradualmente até 2030. Outra preocupação é quanto à implementação dos planos dos setores e à defesa do patrimônio cultural material e imaterial. Também foram destacadas a capacitação dos profissionais e a baixa participação nos empregos formais.

“Na área da cultura, um dos grandes desafios é fazer chegar esse importante ativo à sociedade catarinense como um todo, pois o que a gente vê em geral é que o gasto corrente na atividade é muito baixo. Qualquer sociedade que queira se tornar sofisticada com uma população com uma compreensão melhor do mundo e das coisas precisa de um nível cultural alto. Para fazer isso, o principal desafio de curto prazo em Santa Catarina é promover uma adesão das gestões municipais ao Sistema Nacional de Cultura para que eles venham a ter uma politica efetiva de desenvolvimento cultural. Na área de esporte, o dado mais positivo é que, em Santa Catarina, tem ocorrido ações, programas e projetos voltados a diversas áreas do esporte, tanto na área escolar, quanto de alto rendimento como esporte de lazer, isso é um dado bastante positivo. Talvez uma das grandes dificuldades do esporte seja estar mal colocado na gestão do Estado e municípios, vinculados a áreas que nem sempre tem a ver com objetivos estratégicos do setor", concluiu o professor da UFSC Pablo Bittencourt. 

Participaram do workshop representantes das secretarias estaduais de Turismo, Cultura e Esporte, da Fazenda e do Planejamento, Santur, Conselho Estadual de Turismo, Fesporte, Tribunal de Justiça Desportiva, Secretaria de Esportes da UFSC, Fundação Catarinense de Cultura, Conselho Estadual de Cultura, Programa SC Rural, Assembleia Legislativa de Santa Catarina, Fecomercio, Sebrae, Badesc e BRDE.

Sobre o Plano de Desenvolvimento de Santa Catarina 2030 

O Plano de Desenvolvimento de Santa Catarina 2030 abordará quatro grandes dimensões: Desenvolvimento Econômico, Desenvolvimento Social, Infraestrutura e Meio Ambiente e Gestão Pública. É uma iniciativa do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado do Planejamento, em cooperação com a UFSC e com apoio da Fapesc.

Será construído de forma participativa a partir do estabelecimento de indicadores, metas, objetivos e estratégias como instrumento auxiliar para a ação governamental em Santa Catarina. Busca responder às seguintes questões: onde estamos, aonde queremos chegar, como vamos chegar lá e com quais instrumentos de governança.

Até final de junho, serão realizados workshops setoriais abordando os temas: indústria, comércio, ciência e tecnologia; pessoal e finanças; cultura, esporte e turismo; saúde; educação; segurança pública; assistência social, trabalho e habitação; agricultura e pesca; meio ambiente; infraestrutura; mobilidade urbana. Depois dessa etapa, a equipe técnica fará entrevistas com especialistas de cada área e apresentará o conteúdo em workshops regionais (Grande Florianópolis, Litoral Norte, Litoral Sul, Planalto Serrano, Planalto Norte, Alto Vale do Itajaí, Meio-Oeste e Oeste).

Informações adicionais para a imprensa
Rosália Dors Pessato
Assessoria de Imprensa SPG
Secretaria de Estado do Planejamento - SPG
E-mail: rosalia@spg.sc.gov.br
Fone: (48) 
3665-3319 / 99186-9740
Site: www.spg.sc.gov.br