Foto: Renato Luis Vieira/Epagri

Um grupo de pesquisadores da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri) desenvolveu uma técnica biotecnológica para eliminar viroses em plantio de alho, com a finalidade de obter sementes de alta qualidade genética e fitossanitária, evitando perda de produção e prejuízos econômicos. O projeto foi apoiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc) no programa Universal de 2014, que atendeu projetos de todas as áreas do conhecimento.

Por ser propagado vegetativamente, o alho facilita a disseminação de vírus que favorecem o aparecimento de doenças complexas, devido ao acúmulo de diferentes espécies virais numa mesma planta. Essa condição leva à diminuição da produtividade e da qualidade do alho comercial. Como efeito da infecção, a planta tem menor desenvolvimento, com redução do peso dos bulbos, diminuindo a longevidade quando são armazenados. De acordo com a pesquisa, na maioria das lavouras de alho do Brasil existe um complexo viral formado, principalmente, por três espécies de vírus - OYDV, LYSVe GCLV -, que infectam as plantas de alho causando prejuízos aos produtores.

As taxas de eliminação dos três principais vírus com a técnica desenvolvida na Epagri, que alia a termoterapia à crioterapia, foram de 80% para o OYDV, 90% para o LYSV e de 100% para o vírus GCLV. Segundo Renato Luís Vieira, coordenador da pesquisa na estação experimental da Epagri de Caçador, essas taxas são consideradas satisfatórias, uma vez que são superiores às taxas obtidas com outros métodos de eliminação de vírus em plantas.

Como funciona

A técnica se baseia na criopreservação de tecido vegetal, que é a conservação de material biológico em ultra baixa temperatura, normalmente realizada em nitrogênio líquido a -196°C. “Essa técnica pode assegurar a conservação das plantas por longo período de tempo, uma vez que, nessas temperaturas, o metabolismo celular da planta fica paralisado”, explica o coordenador da pesquisa.

Na criopreservação de plantas de alho podem ser utilizadas sementes ou partes da planta em estágio inicial de crescimento, como gemas ou brotações. Após o período de conservação desejado, a planta é submetida a um processo lento de descongelamento e, depois de algumas etapas, as plantas podem ser cultivadas no ambiente a campo. O coordenador da pesquisa explica que “durante o processo de criopreservação de tecidos vegetais, as células infectadas com vírus, normalmente células com maior conteúdo de água, não resistem às baixas temperaturas, formando cristais e entrando em colapso por ocasião do descongelamento e, consequentemente, impedindo a sobrevivência de partículas de vírus presentes nestas células, sobrevivendo apenas as células sadias. Este processo denomina-se “crioterapia”.

Os pesquisadores identificaram que a técnica da criopreservação pode ser utilizada também para tratamento de plantas infectadas com vírus, mostrando mais eficácia ainda quando associada à termoterapia, que é uma técnica comum para eliminar viroses em plantas.

Etapas da Crioterapia

A técnica de crioterapia para eliminação de vírus em plantas consiste de cinco etapas:

1) congelamento do tecido vegetal infectado com vírus;
2) descongelamento;
3) regeneração do tecido vegetal, em laboratório, após o descongelamento (esta etapa consiste no cultivo in vitro do tecido descongelado para a obtenção da semente sadia);
4) transferência da semente obtida do cultivo in vitro para o solo, em casa de vegetação;
5) multiplicação massal de sementes livres de vírus em telados.

Os resultados, avanços e aplicações esperados a partir dessa pesquisa estão associados a vários fatores: o conhecimento dos processos de formação de sementes de alho in vitro; a regeneração das cultivares de alho, permitindo a expressão do verdadeiro potencial produtivo das mesmas e; a grande possibilidade de incremento médio de até 40% no rendimento comercial das lavouras de alho.

“A partir do momento em que o produtor de alho passar a utilizar sementes obtidas com esse processo de tratamento para formação de suas lavouras, o ganho socioeconômico será enorme”, afirma o coordenador de projetos da Fapesc, Gilberto Montibeller, que acompanhou os resultados do estudo. O plantio de alho em Santa Catarina é baseado no trabalho da família, e o estado participa com 22% da produção nacional, com 2,5 mil hectares cultivados. 

Informações adicionais para a imprensa
Jéssica Trombini 
Assessoria de Comunicação
Fapesc
Fone: (48) 3665-4832 
E-mail: jessica@fapesc.sc.gov.br
Site: www.fapesc.sc.gov.br

Desta segunda até sexta-feira, 23 a 27 de outubro, a Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) receberá pedidos de transferência externa e de retorno a portador de diploma para ingresso no primeiro semestre de 2018. O Edital de Vagas nos Cursos de Graduação nº 04/2017 tem 500 vagas em 39 cursos presenciais de graduação. O resultado sairá nos sites dos centros até 13 de novembro.

A transferência externa é a possibilidade de um aluno de outra instituição continuar seus estudos na Udesc, em curso idêntico ou da mesma área do conhecimento. Por sua vez, o retorno a portador de diploma de curso de graduação é a possibilidade de retornar para cursar outra habilitação do mesmo curso concluído ou ingressar em outro curso do seu interesse, independentemente da existência de afinidade entre as áreas de conhecimento do curso pretendido com a do curso concluído.

Como se inscrever

Os interessados devem observar os requisitos no edital e se inscrever nas secretarias de Ensino de Graduação dos centros pessoalmente; via procuração; ou pelo correio, por correspondência com aviso de recebimento. Mais informações podem ser obtidas com as secretarias dos centros. Os endereços, telefones e horários de atendimento estão no edital.

Mais informações para a imprensa: 
Rodrigo Brüning Schmitt
Assessoria de Comunicação da Udesc
E-mail: comunicacao@udesc.br / rodrigo.schmitt@udesc.br
Telefones: (48) 3664-7935/8010
www.udesc.br


Fotos: Gerência de Construção / Casan

A Casan começou a mais uma importante obra do Plano de Melhorias Operacionais do Sistema de Abastecimento de Água de São José. No alto da Servidão Osni Valter José Pereira, no Bairro Forquilhinhas, é intenso o fluxo de caminhões e máquinas para terraplenagem da área que receberá um reservatório de 5 milhões de litros de água.

A entrada em operação deste reservatório está prevista para o Verão 2019, ampliando o abastecimento não apenas para o Forquilhinhas, mas também Potecas, Forquilhas, Flor de Nápolis, Picada do Sul, Sertão do Maruim e Distrito Industrial.


Fotos: James Tavares / Secom

Os secretários de Estado da Educação, Eduardo Deschamps, e o adjunto da Saúde, Murillo Capella, entregaram na manhã desta segunda-feira, 23, na Fiesc, em Florianópolis, o Prêmio Educação e Saúde: I Concurso Escola Promotora de Saúde - Todos Contra o Aedes aegypti.  Foram premiados alunos, professores e escolas que apresentaram os trabalhos de destaque.

Cerca de 50 mil alunos e mais de 2,6 mil professores estiveram envolvidos no concurso, em escolas de 31 Gerências Regionais de Educação (Gered). Na ocasião, também foram homenageados os representantes de Santa Catarina selecionados pelo MEC para receber o Prêmio Professores do Brasil.

O Prêmio Educação e Saúde teve o objetivo de promover a reflexão e a construção de conhecimentos acerca da prevenção e do combate ao mosquito Aedes aegypti, da febre de chikungunya e da febre do zika vírus, articulando a temática da educação ambiental e da saúde.



>>> Mais imagens na galeria

“É uma ação integrada e muito importante para que possamos evitar que se alastrem as doenças transmitidas pelo mosquito. Foi um trabalho de grande mobilização, com os alunos, escolas e comunidades, que resulta agora com o reconhecimento dos resultados. Só temos que parabenizar pelo esforço de todos os envolvidos”, disse Deschamps.

Após passarem pela etapa regional, 71 trabalhos chegaram para a classificação da etapa estadual nas três categorias: trabalho pedagógico, produto de comunicação social impresso e produto de comunicação social audiovisual. Desses saíram os nove finalistas.

“Estamos premiando e reconhecendo o trabalho, a pesquisa, a criatividade e o empenho para combater o Aedes aegypti. Quero destacar essa integração escola e saúde. Sem educação, não há saúde, é impossível. É educar para ter saúde. Essa ação, que é reconhecida hoje, é extremamente importante para a juventude levar a mensagem de prevenção”, afirmou o secretário adjunto da Saúde.

Durante a avaliação final dos trabalhos sete profissionais julgadores das pastas da Saúde e Educação classificaram os trabalhos de acordo com critérios que variaram desde o impacto visual, até o nível de reflexão e discussão sobre mudanças de atitudes e práticas ambientais que foram promovidas pelos profissionais da educação no ambiente da comunidade escolar, em parceria com outras áreas do entorno da escola.

As três primeiras escolas, vencedoras da categoria Projeto de Trabalho Pedagógico, receberam um computador. Os alunos e professores primeiros colocados no produto de Comunicação Social categoria impresso e, categoria áudio visual receberam um tablet. 

A professora orientadora da EEB Bruno Heidrich, de Mirim Doce,  Neide Altino de França, vencedora na categoria Impresso com o trabalho Aedes aegypti? Aqui não!, destacou que o trabalho envolveu e contou com o apoio de todo o município. “Valeu a pena todo esforço e trabalho desenvolvido. Os alunos se envolveram e estão cientes do quanto é importante os cuidados com a não proliferação do mosquito”.

A aluna da EEB Cedrense, de São José do Cedro, Luana Carla Mattiello, faz parte da equipe dos vencedores na categoria áudio visual, com o trabalho Todos contra a Dengue EEB Cedrense. Ela relatou que o trabalho levou cerca de quatro semanas e envolveu muitos planejamentos. “Estamos felizes com o resultado. Além disso, mudou nossa visão e percepção a respeito do mosquito, e agora, sempre que percebemos algo errado na nossa comunidade alertamos. E o vídeo desenvolvido já foi apresentado para toda escola e até para comunidade, isso é um orgulho para nós”.

Vencedores

Categoria: Projeto de Trabalho Pedagógico

1° LUGAR

EEB Expedicionário Mario Nardelli, do Município Rio do Oeste

Com o Projeto: Dengue: Essa luta é sua também

Prof Orientador: Leonardo Mauricio Pisetta Gorges

2° LUGAR

EEB Francisco Maciel Bageston, do Município: Paial

Com o Projeto: Todos juntos no combate ao mosquito Aedes Aegypti

Profª Orientadora : Marilete Maria Feruck

3° LUGAR

EEB Walter Fontana do Município: Concórdia

Com o Projeto: Dengue: Sempre é hora de combater

Profª Orientadora: Maritania Rodio Schimidt

 

 Categoria: Produto de Comunicação Social: Categoria Impresso

1° LUGAR

EEB Bruno Heidrich, do Município Mirim Doce

Com o Projeto: Aedes aegypti? Aqui Não!

Prof ª Orientadora : Neide Altino de França

Alunos:

Joana Girardi da Silva

Marcela Hellen Mundt

Pâmela Cristina Mauricio Machado

Cintia Cristina Ignaczuk

Sabrina Simas Schilichting

2° LUGAR

EEB Prof. Jose Duarte Magalhães, do Município: Jaraguá do Sul

Com o Projeto: Dengue hoje! alunos e professores no combate a dengue. Venha você também ajudar essa causa!

Prof ª Orientadora: Katiane Rodrigues

Alunos:

Gabriela Eduarda Keunecke Bonatto

Gabriel Fábio Benvenutti

Jéssica Fernanda Tesche

Karoline Rauber

Suelen Tamara Porath

3° LUGAR

EEB Professora Maria da Gloria Silva, do Município: Içara

Com o Projeto: Homo Sapiens VS Aedes Aegypti

Prof ª Orientadora: Tamires Pavei Donadel Pignatel

Alunos:

Andriele Felisberto Joaquim

Filipe Mesquita Machado

Hercílio Vinicius Linhares Pedro

Larissa Aparecida do Nascimento

Victor Fernandes Moreira

Categoria: Produto de Comunicação Social: Categoria Áudio Visual

1° LUGAR

EEB Cedrense, do Município de São José do Cedro

Com o Projeto: Todos contra a Dengue EEB Cedrense

Prof ª Orientadora:  Giaeli Ane Zavaglia

Alunos:

Luana Carla Mattiello

Bruna Luíza de Oliveira

Daniel Schabbach Cavalheiro

Gabriel José Hohensee Skasinski

Vitória Cássia Hohensee Skasinski

2° LUGAR

EEB Cristo Rei, do Município: São João do Oeste

Com o Projeto: Vamos juntos vencer o mosquito Aedes Aegypti!

Prof. Orientador: Vandoir  Oeschsler

Alunos:

Rosemara Reichert

Rafaela Tamara Reinehr

Ronaldo Birk

Karoline Schutz

Cristiane Hackenhaar

3° LUGAR

EEB Julia Baleoli Zaniolo, do Município: Canoinhas

Com o Projeto: Dengue não é brincadeira: é uma doença rara e pode matar

Prof ª Orientadora: Ane Francelize Shulz

Alunos:

Adriano César Ribeiro da Silva

Alisson Dal Comune

Bruno Leite Gonçalves de Paula

Dominique R. B. Kellermann

Felipe Lourenço Miranda

Professores também são homenageados

Na sequência, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Educação, concedeu o Diploma Menção Honrosa pelo trabalho prestado à Educação aos professores catarinenses selecionados, pelo Ministério da Educação, para recebimento, em Brasília, do Prêmio “Professores do Brasil”. “É muito importante este reconhecimento. Temos professores que têm feito trabalhos incríveis e esses trabalhos precisam ser reconhecidos e compartilhados”, finalizou Deschamps.

Professora: Caroline Pereira

Escola: EEB Silva Jardim, do município de Alfredo Wagner

Título do Relato: As Aventuras de Eva Scheneider

 

Professora: Ana Maria Quinoto Imhof

Escola: EEB Feliciano Pires, no município de Brusque

Título do Relato: Alunos, Aves e um E-book

 

Professor: Marcos Fiorentin

Escola: EEF Padre João Rick, do município São João do Oeste

Título do Relato: INFODRONE: Sensoriamento Remoto como Ferramenta Pedagógica em Escola do Campo

 

Professora: Josiane Mendes Bezerra

Escola: EEB Maria Rita Flor, do município de Bombinhas

Título do Relato: Fazendo e Acontecendo: Pesca Artesanal da Tainha

 

Professor: Jairo Marchesan

Escola: EEB Professor Olavo Secco Rigon, do município de Concórdia

Título do Relato: Drenagem Pluvial na Escola

 

Professora: Alaíde Alves Leite

Escola: EEB Maria Rita Flor, do município de Bombinhas

Título do Relato: Projeto Curtas dos Bairros de Bombinhas/SC

Informações adicionais para a imprensa:
Elisabety Borghelotti
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: bety@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3018 / 98843-5460
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC

Informações adicionais para a imprensa
Edinéia Rauta
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Educação  - SED
E-mail: edineiarauta@sed.sc.gov.br
Fone: (48) 3664-0353 / 3664-0161 / 3664-0356 / 98843-5084
Site: www.sed.sc.gov.br

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) realiza na próxima quarta-feira, 25, uma entrevista coletiva para divulgar a intensificação das ações de prevenção e controle do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya, além de alertar para o aumento expressivo no número de focos e de municípios infestados pelo mosquito no Estado.

A coletiva fará parte da reunião da Sala de Situação Estadual para o combate ao Aedes aegypti, com a participação do secretário de Estado da Saúde, Vicente Caropreso, representantes da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (DIVE), da Defesa Civil, Exército, Secretaria de Estado da Educação, Diretoria de Vigilância Sanitária (DVS) e Conselho das Secretariais Municipais de Saúde (Cosems). 

Outro ponto importante a ser abordado é a mobilização nacional que será realizada durante a semana de 23 a 27 de outubro e o Decreto 1.079/2017. A entrevista coletiva será às 10h, na Sala de Situação, localizada no 1º andar do prédio Anexo 1, da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (DIVE).

Também estarão presentes na coletiva o secretário adjunto, Murillo Ronald Capella e coordenador do Programa de Controle da Dengue de Santa Catarina, João Fuck.

Assunto: Entrevista coletiva sobre a intensificação das ações de prevenção e controle do mosquito Aedes aegypti
Quando: quarta-feira, 25, 10h.
Onde: no auditório da Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina, no 1º andar do prédio Anexo 1 da SES, Rua Esteves Júnior, 390, Centro, Florianópolis.

Informações adicionais para a imprensa:
Letícia Wilson e Patrícia Pozzo
Núcleo de Comunicação
Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive)
Secretaria de Estado da Saúde
Fone: (48) 3664-7406 | 3664-7402
E-mail: divecomunicacao@saude.sc.gov.br
www.dive.sc.gov.br

 

 

 

As inscrições para o Mestrado Acadêmico em Engenharia Mecânica, do Centro de Ciências Tecnológicas (CCT), da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) em Joinville, começam em 1° de novembro. Os interessados poderão se inscrever como alunos regulares até 31 de janeiro de 2018.


Fotos: Jozieli Andrade/Prefeitura de Urupema

A segunda-feira, 23, começou com frio na Serra catarinense, que registrou as temperaturas mais baixas de outubro deste ano. Nas estações meteorológicas monitoradas na Epagri/Ciram, a mínima ao amanhecer ficou próxima de 0°C no Planalto Sul, onde ocorreu geada, chegando em -3°C em Urupema (ver tabela). Na terça-feira, 24, as temperaturas ainda devem ser amenas ao amanhecer, mas a massa de ar frio se afasta rapidamente em direção ao mar, deixando as temparaturas mais altas nos próximos dias. AS informações são da Epagri/Ciram.


Fotos: Divulgação / VOR

O secretário de Estado de Turismo, Cultura e Esporte, Leonel Pavan, pretende garantir até abril do ano que vem a realização em Itajaí da próxima edição da Volvo Ocean Race (VOR), que ocorrerá entre os anos de 2020-2021. Neste domingo, Pavan acompanhou em Alicante, na Espanha, a largada da 14ª edição da regata, que, entre os dias 5 e 22 de abril de 2018, estará na cidade do Litoral Norte de Santa Catarina.

"Queremos acertar o mais rápido possível a renovação para evitar qualquer transtorno, como a perda da etapa para outro Estado", comentou o secretário. Na atual edição, as cidades de Salvador e Rio de Janeiro também concorriam para sediar a fase brasileira. Considerada a maior e mais difícil regata do mundo, Itajaí será a única parada na América Latina da competição.

A Casan dá início a etapa final das obras de assentamento da adutora de 1.200 mm na Rua Luiz Fagundes, na Praia Comprida, em São José. Na segunda-feira, 23, começam as obras no trecho entre as ruas João C da Rosa e Jaci Schlinchting de Lins, que é a via marginal da BR-101. Para evitar transtornos no intenso trânsito da região, os trabalhos serão executados no período noturno, entre 20h e 5h da manhã. Durante o dia o trânsito de veículos fica liberado no trecho.

A Casan informa ainda que caso haja necessidade de alguma detonação de rocha o trabalho será feito durante o dia, com aviso à comunidade antecipadamente.

Ainda na Rua Luiz Fagundes o trecho entre as ruas Dona Leonildes Coelho e João C da Rosa, que está em obras desde a semana passada, o trânsito de veículos continua interrompido. A Casan e a Prefeitura de São José estão distribuindo folhetos informando as alterações nas vias e orientando para rotas alternativas no trajeto. Os mapas também podem ser encontrados nas redes sociais da Prefeitura e da Csan.

A adutora de 1.200 vai aumentar a oferta de água tratada para os bairros Serraria, Barreiros e Areias, de São José, ampliar o abastecimento da área continental de Florianópolis e regularizar a distribuição para a Bacia do Itacorubi, que abrange os bairros Itacorubi, Santa Mônica, Parque São Jorge, Jardim Anchieta e Pantanal. Seu traçado se estende da ETA Cubatão até a entrada de Florianópolis, numa extensão de 15,6 quilômetros.

Mais informações para a imprensa:
Gerência de Comunicação Social da Casan
Fones: (48) 3221-5034 | 3221-5035 | 3221-5036
Arley Reis 
E-mail: areis@casan.com.br
Suzete Antunes
E-mail: santunes@casan.com.br
Ricardo Stefanelli 
E-mail: ristefanelli@casan.com.br
Fone: (48) 9136-9345
www.casan.com.br

 

 

 


Foto: Volvo Ocean Race/Divulgação

O secretário de Estado de Turismo, Cultura e Esporte, Leonel Pavan, participa neste domingo, 22, em Alicante, na Espanha, da largada oficial da 13ª edição da Volvo Ocean Race (VOR), que, em abril de 2018, estará em Itajaí, única parada na América do Sul da maior e mais difícil regata do mundo.

“Itajaí será o centro do mundo da vela em abril do ano que vem”, definiu o secretário Pavan. O município do Litoral Norte catarinense recebeu o evento pela primeira vez na regata 2011-2012, quando mais de 250 mil pessoas visitaram a Race Village montada para a competição. Na edição 2014-2015, recebeu novamente o evento e foi a segunda maior etapa em público, com mais de 350 mil pessoas.

Itajaí será o oitavo porto da regata. Após largar em Alicante, os barcos passarão por Lisboa (Portugal), Cidade do Cabo (África do Sul), Melbourne (Austrália), Hong Kong, Guangzhou (China), Hong Kong novamente e Auckland (Nova Zelândia). Após a parada catarinense, as embarcações seguirão a Newport (Estados Unidos), Cardiff (País de Gales), Gotemburgo (Suécia) e Haia (Holanda). A chegada à última estação está prevista para 20 de junho do ano que vem.

Em Itajaí, a Vila da Regata ficará aberta ao público de 5 a 22 de abril. A previsão é que os primeiros barcos cheguem ao Litoral catarinense no dia 8, após a parte mais difícil da prova, a passagem pelo Cabo Horn, no Extremo-Sul do planeta, que é considerado o mar mais radical do mundo.

No dia 20 de abril, será realizada a In-Port Race, uma competição que acontece nos locais de parada. No dia 21, os barcos estarão abertos ao público e, no dia 22, será a partida das sete equipes competidoras para o próximo porto. A estimativa é que a passagem da prova pela cidade gere mais de R$ 50 milhões em negócios para Santa Catarina.

O que é a Volvo Ocean Race?

A Volvo Ocean Race é conhecida como a competição mais longa e mais dura no esporte profissional e como um dos três grandes eventos no mundo da vela, ao lado dos Jogos Olímpicos e da America's Cup. Considerada a Fórmula-1 dos Mares, a VOR terá na edição 2017-2018 a distância mais longa de sua história, navegando por quatro oceanos e com paradas em 12 cidades de cinco continentes, num total de 45 mil milhas náuticas.

Não há prêmio em dinheiro para os vencedores, mas ver o seu nome gravado em um dos anéis de prata que compõem o troféu da Volvo Ocean Race é considerada a maior recompensa para os competidores.

Transmissão ao vivo

O início da corrida será transmitido ao vivo em www.volvooceanrace.com e em www.facebook.com/volvooceanrace a partir das 13h30 pelo horário local (9h30, horário de Brasília).

Informações para a imprensa:
Eduardo Correia
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Turismo, Cultura e Esporte (SOL)
Fone: (48) 3665-7436 / 99924-7590
E-mail: educorreia.sol@gmail.com
www.sol.sc.gov.br