Fotos: Luiz Carlos de Oliveira/ADR Ibirama

Com a presença do secretário de Estado da Assistência Social Trabalho e Habitação, Valdir Comin, e do secretário Executivo da Agência de Desenvolvimento Regional de Ibirama, Jamir Marcelo Schmidt, foi inaugurado na manhã desta sexta-feira, 18, o novo Centro de Referência em Assistência Social (Cras) de Vitor Meireles. O investimento na nova estrutura foi de R$ 405 mil.

O Centro possui 169 metros quadrados e foi construído dentro dos padrões exigidos de acessibilidade, com o espaço físico compatível com o trabalho social que deve ser realizado no local. O Cras conta com sala de atendimento familiar, administração, recepção, cozinha, banheiro, área de serviço, sala multiuso, área externa coberta e mobília.

"Em nome do Governo do Estado é uma alegria estar aqui hoje fazendo essa entrega do Cras que com certeza vai fazer a diferença na vida de muitas pessoas. Em situação de vulnerabilidade social. Além disso, também estamos preparando os profissionais para que possam atender a altura  e com qualificação a todos aqueles que necessitarem", disse Comin. 

Cras é inaugurado em Vitor Meireles

O secretário executivo da ADR de Ibirama, Jamir Marcelo Schmidt, destacou que diante da situação econômica difícil, Santa Catarina continua se sobressaindo. “Prova disso é que além de não aumentar impostos e manter o pagamento de salários em dia e ainda investindo em áreas importantes como a Assistência Social. Hoje a entrega desse CRAS  que é mais uma conquista.”

 De acordo com o prefeito de Vitor Meireles, Bento Francisco Silvy, a obra vai trazer segurança  e melhoria do atendimento para os cidadãos. “Aqui todos vão encontrar um lugar legal, com profissionais preparados e por isso estamos muito satisfeitos” , comentou

Construção de novos CRAS na região

Na inauguração em Vitor Meireles Jamir também citou a construção de quatro novos Cras em cidades da Regional de Ibirama. Presidente Nereu, Lontras, Dona Emma e Apiúna também serão contempladas com novas unidades e em dois municípios preparação dos terrenos já está praticamente finalizada.

Mais informações para a imprensa:
Helena Marquardt
Assessoria de comunicação 
ADR Ibirama
Fone (47) 3357-8908 / (47) 98819-9350
E-mail: imprensa@iir.adr.sc.gov.br
Site: sc.gov.br/regionais/ibirama
Facebook: www.facebook.com/regional.ibirama


Foto: Julio Cavalheiro/Secom

O fim de semana deverá ter chuva e temperatura em declínio em SC, segundo previsão meteorológica da Epagri/Ciram. A sexta-feira, 18, ainda tem predomínio de sol no estado, com mais nuvens na região Norte. A temperatura sofre elevação à tarde, e o vento sopra no quadrante Nordeste, de fraco a moderado.

O sol dá lugar ao tempo nublado e chuvoso a partir de sábado, 19, quando uma frente fria chega a SC. A previsão é de chuva e trovoadas já pela manhã no Oeste, Meio-Oeste e Norte. Nas demais regiões, haverá aberturas de sol, com aumento de nebulosidade e chuva, especialmente no período da tarde e noite. Entre a noite de sábado e a manhã de domingo, há risco de temporais localizados, com ventos acima dos 60km/h e granizo isolado. O acumulado médio de chuva deve variar entre 70mm a 100mm no Oeste e Meio-Oeste, e de 20mm a 50 mm nas demais regiões.

No domingo, 20, o tempo fica encoberto e com chuva em SC, melhorando no decorrer do dia a partir do Oeste e Sul do estado, devido à passagem rápida da frente fria. A temperatura sofrerá declínio acentuado a partir da tarde com o avanço de uma massa de ar frio para o Sul do Brasil. 

Risco de ressaca e alagamento no Litoral de SC 

No domingo, 20, e na segunda-feira, 21, as condições para navegação de pequenas e médias embarcações e atividades de pesca ficam desfavoráveis no Litoral de SC, devido ao vento do quadrante Sul de moderado a forte. A previsão é de vento com rajadas de 50km/h a 80 km/h, além de ondas altas, com 3m a 4m, especialmente no Litoral Sul e Grande Florianópolis. Há risco de ressaca na tarde e na noite domingo.

Essa condição associada à maré astronômica de sizígia (Lua Nova) pode ocasionar alagamentos nas áreas mais baixas da costa catarinense, tais como: Rod. Diomício Freitas, Centro de Eventos de Florianópolis, praias do Sul da Ilha de Santa Catarina, Avenida Atlântica de Balneário Camboriú, Barra Velha, Araranguá, Laguna, Itajaí, Joinville, Tijucas, dentre outros. Recomenda-se especial atenção para os horários da tabela abaixo: 

 

DOM 20/08/2017

SEG 21/08/2017

 

Hora

Alt.(m)

Hora

Alt.(m)

SÃO FRANCISCO DO SUL

02:32

1.5

03:13

1.6

 

15:15

1.7

16:02

1.8

ITAJAÍ

00:40

0.9

01:16

1.0

 

13:51

1.1

14:23

1.2

         

FLORIANÓPOLIS

01:00

1.0

01:39

1.1

 

14:09

1.2

14:49

1.2

         

IMBITUBA

00:11

0.5

00:28

0.6

 

14:34

0.7

14:41

0.7

Geada

Segundo a Epagri/Ciram, haverá condição para registro de geada na madrugada e no amanhecer de segunda-feira, 21, nas áreas altas do Oeste, Meio-Oeste e Planalto Sul, e de forma mais isolada no Planalto Norte e Alto Vale do Itajaí.

Mais informações para a imprensa:
Central de Meteorologia
Epagri/Ciram
Fone: (48) 3665-5007 e (48) 3665-5172
E-mail: contatociram@epagri.sc.gov.br
Site: www.ciram.epagri.sc.gov.br
Facebook

 


Fotos: Julio Cavalheiro/Secom

A Polícia Militar Ambiental apresentou ao governador Raimundo Colombo, nesta quinta-feira, 17, em Lages, o aplicativo Ambiental SC, desenvolvido pelo Centro de Informática e Automação de Santa Catarina (Ciasc) e que vai ajudar no trabalho de controle dos javalis, especialmente nas plantações de propriedades rurais da Serra catarinene. O animal é considerado pela União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) como uma das cem espécies invasoras mais perigosas do mundo e tem causado prejuízos no meio rural.

>>> Galeria de fotos

“Esse é um exemplo da ação do Estado em que, muito pontualmente, a Polícia Ambiental fez o estudo de caso e definiu a melhor forma de atuar, enfrentar o problema e dar à população a resposta mais eficiente e adequada”, destacou o governador Raimundo Colombo.

A ferramenta, desenvolvida pelo Ciasc, possibilita a interação com proprietários rurais, controladores, órgãos públicos e Polícia Militar Ambiental, e deve desburocratizar a expedição de permissões para o abate de javalis em Santa Catarina, além de fornecer dados em tempo real sobre capturas, abates, danos e visualizações dos animais. O aplicativo pode ser baixado no celular ou tablet através das lojas dos sistemas operacionais de cada aparelho. 

Visitas ao Colégio Militar e à obra do Hospital Tereza Ramos

Durante a agenda em Lages, o governador Raimundo Colombo visitou a unidade de Lages do Colégio Militar Feliciano Nunes Pires. Durante as atividades da turma da 6ª série, o governador conheceu a lousa digital que está entre os materiais que foram doados à unidade de ensino pelo Terminal Graneleiro da Babitonga. A lousa permite o aprendizado multimídia com acesso à internet. O colégio também recebeu projetor, tela para projeção e computadores.

A unidade de ensino militar de Lages conta com 140 alunos divididos em duas turmas do sexto ano e outras duas do sétimo ano, vindos de 27 bairros diferentes da cidade. Para o ano que vem, a escola deverá dobrar a capacidade de atendimento.

Nas obras de ampliação do Hospital Tereza Ramos de Lages, 80% concluídas, o governador Raimundo Colombo reforçou que a unidade será uma das maiores, mais modernas e completas do Sul do país. O novo prédio praticamente dobra a capacidade do hospital, com 120 novos leitos. A conclusão da obra está prevista para o mês de novembro deste ano.

Informações adicionais para a imprensa
Francieli Dalpiaz 
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: francieli@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3018 / 98843-5676
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC

 


Fotos: Julio Cavalheiro/Secom

Jovens empreendedores rurais dos municípios de Canoinhas, Mafra, Rio do Sul, São Joaquim e Lages estiveram reunidos na manhã desta quinta-feira, 17, para trocarem experiências e discutirem as oportunidades de desenvolvimento para as pequenas propriedades. O encontro ocorreu na Associação Empresarial de Lages (Acil) e contou com a presença do governador Raimundo Colombo. “Eles são líderes num setor que coloca Santa Catarina como referência tanto em produtividade como na qualidade dos produtos da agricultura. O Estado reconhece essa força e tem investido nos programas que levam melhores condições para que os pequenos agricultores consigam ser competitivos na hora de colher os resultados”, disse Raimundo Colombo.

>>> Galeria de fotos

Segundo o governador, é fundamental que os produtores tenham acesso às novas tecnologias e ferramentas que possam levar mais qualidade de vida ao meio rural. “Isso estimula, especialmente os mais jovens, a permanecerem nas propriedades e fazerem delas um negócio promissor. É o que está permitindo observarmos fenômenos como o que vem ocorrendo, de jovens que estão retornando para produzirem no campo”, observou Colombo.

Foi exatamente o que ocorreu com um jovem casal de Canoinhas, que participou do encontro em Lages. Edinei Wieczorkievicz e Ivonete Coggi deixaram o campo para fazer a vida na cidade, mas, recentemente, retornaram à propriedade do interior de Canoinhas para se dedicar à produção de leite. Não foi só retornar, foi preciso reformular todo o modelo de produção, tarefa que conseguiram executar com recursos do programa SC Rural. Uma das providências foi aumentar o rebanho de quatro para 14 vacas leiteiras, hoje eles conseguem uma produção diária de 20 litros por cabeça, o suficiente para manter o custo de vida.

“A forma como os meus pais faziam já não era a mais adequada para conseguir agregar valor ao que produzimos, e o que nos traz a esses encontros é a vontade de conhecer novas experiências e transformar isso, em, quem sabe, uma oportunidade de produzir mais, acrescentar novas atividades e melhorar nossa renda”, disse o jovem empreendedor rural do interior de Canoinhas, no Planalto Norte de Santa Catarina.

O modelo de produção em Santa Catarina, segundo o governador Colombo, sustenta a força da economia catarinense. Com programas de extensão voltados à qualificação, profissionalização e oferta de novas oportunidades para a melhoria da renda dos pequenos produtores, o Estado potencializa a vocação econômica que serve de referência para o restante do Brasil.

“Somos um estado pequeno, com 1,1% do território nacional e quando não somos o maior, estamos entre os maiores produtores de leite, frutas, arroz, suínos e aves. A nossa condição sanitária de excelência coloca tudo isso em mercados exigentes de todas as partes do mundo”, concluiu o governador Raimundo Colombo.

Informações adicionais para a imprensa
Francieli Dalpiaz 
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: francieli@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3018 / 98843-5676
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC


Fotos: Julio Cavalheiro/Secom

Em reunião com representantes do Fórum Empresarial da Acil, em Lages, na manhã desta quinta-feira, 17, o governador Raimundo Colombo, além de receber os pleitos da região, fez um relato das obras do Governo do Estado na Serra catarinense. De 2011 até agora, a região recebeu investimentos do Estado que somam quase R$ 1,5 bilhão. São pavimentações, novos prédios para a Educação, Centro de Inovação e Tecnologia, quadras esportivas e ampliações nas escolas, incentivos para aumentar a produtividade agrícola e obras na área da Saúde, como a ampliação que vai transformar o Hospital Tereza Ramos em um dos mais modernos e completos do Sul do Brasil.

Na apresentação, Colombo explicou que o Brasil atravessa uma de suas piores recessões econômicas da história, e para a maioria dos estados, que também enfrentam a queda acentuada na arrecadação, os desafios da gestão passam por fazer contas. Nesta matemática, alguns praticamente quebraram, outros atrasaram pagamentos e salários e outros ainda aumentaram impostos, na tentativa de minimizar os prejuízos. Apesar da crise, Santa Catarina vem na contramão dessa realidade com pleno equilíbrio fiscal, contas em dia e sem aumentar impostos.

“Essa decisão tem um único objetivo: proteger a sociedade, proteger quem dá emprego e fazer esse dinheiro sobrar no bolso do catarinense. Caso contrário, o supermercado não vende, o cidadão não compra, o empresário demite e a economia, que já está fragilizada, entra em colapso”, disse o governador Raimundo Colombo, durante a reunião.

Entre outros mecanismos de gestão, o Estado enxugou a estrutura pública com o fechamento de empresas que já contribuíram, mas atualmente não apresentavam bons resultados. “Ninguém gosta de fazer isso, mas a sociedade também não pode pagar o preço de manter um custo que não se justificava mais operacionalmente”, observou Colombo. A renegociação da dívida pública também ajudou o Estado, com a redução do valor mensal que era de aproximadamente R$ 90 milhões.

“Pode não ser uma obra física, mas são atitudes que, no momento de uma crise tão profunda, nos dão hoje a condição de estarmos com as contas em dia, com nenhum servidor com o salário atrasado e atuando fortemente para preservar o emprego das pessoas”, avaliou o governador.

De acordo com o relatório apresentado aos empresários lageanos, o Estado de Santa Catarina também tem realizado investimentos na região. Segundo o governador, o setor do agronegócio tem contribuído de maneira muito forte com o desempenho econômico de Santa Catarina e da Serra catarinense. Com o apoio do Estado em diversos programas de incentivo à produção rural, conseguiu ampliar a área cultivada de 86 mil hectares em 2011, para 110 mil hectares em 2017.

A safra de soja, no mesmo período, passou de 49 mil toneladas para 199,2 mil. E a produção de milho, embora a área cultivada tenha diminuído, a produtividade também aumentou com a oferta de calcário e sementes de melhor qualidade. Em 2017, a produção do grão na região foi de 264 mil toneladas. No setor madeireiro, outra vocação econômica da região, o Governo do Estado baixou o ICMs de 12% para 7,5%, para ajudar o setor a superar a crise e a queda nas exportações.

“Quem consegue produzir no campo com qualidade e tem seu produto valorizado, não vai pedir emprego na cidade, pelo contrário, vai comprar no comércio, vai pagar a faculdade do filho... A produção agrícola precisa ser incentivada, e o Governo não mediu esforços para atender o produtor e ajudá-lo a fazer mais e melhor em sua propriedade”, relatou Colombo.

Com o rebanho bovino da região de Lages, os números também são positivos. A taxa de natalidade de terneiros subiu de 50% para 80% na região. Ações para o melhoramento genético dos animais e da qualidade das pastagens também são desenvolvidas com a ajuda dos programas do Governo do Estado na região. Em outras áreas, o Estado trouxe a Lages e região oportunidades de desenvolvimento e fortalecimento da característica de município polo da Serra catarinense.

Programa Juro Zero

Como incentivo aos projetos de micro e pequenos empresários, o programa oferece empréstimos de até R$ 3 mil com os juros pagos pelo Governo. Somente no último ano, em Lages, os empréstimos ampliaram em R$ 1,5 milhão.

Gás Natural

Está em execução no Estado, a implantação da rede de 230 quilômetros que chegará até Lages trazendo o gás natural. Segundo o governador Raimundo Colombo, o investimento será fundamental para aumentar a competitividade e atrair novos investimentos para a região.

Geração do primeiro emprego

O Governo do Estado viabilizou a instalação, em Lages, de uma empresa do setor de telemarketing. O quadro de funcionários que começou com 200 vagas, atualmente tem duas mil, ocupadas, em sua maioria, por jovens que conseguiram a oportunidade do primeiro emprego.

Infraestrutura para desenvolver a região

Com investimentos do Estado de mais de R$ 70 milhões, está em execução, em pista de concreto, mais durável, a pavimentação da SC-114 entre Lages e Otacílio Costa. Entre Lages e Painel, a SC-114 também está sendo revitalizada num trecho de 24 quilômetros e recursos da ordem de R$ 14,4 milhões. A obra é classificada como ecologicamente correta com um sistema que garante mais aderência e maior segurança. De Painel a São Joaquim, o asfalto também é novo, com o traçado totalmente reformulado com terceiras pistas e alteração de curvas perigosas.

Na Serra do Corvo Branco, citada pelo governador como uma das paisagens naturais mais bonitas do Estado, também está sendo pavimentado o trecho que liga a Serra (em Urubici) e o Sul de Santa Catarina (em Grão Pará), com as obras 90% concluídas. O investimento é fundamental para o desenvolvimento do turismo de toda a Serra.

Também está em execução na região, com recursos do Governo do Estado, a pavimentação da SC-120, entre São José do Cerrito e Curitibanos, num trecho de aproximadamente 40 quilômetros. “Uma região com um extraordinário potencial agrícola e que a chegada do asfalto vai potencializar”, observou o governador.

Com a função de ajudar no escoamento da produção agrícola, a SC-390 entre Anita Garibaldi e Celso Ramos também está em obras com investimentos do Governo do Estado.

Na região da Coxilha Rica, cinco pontes estão sendo reformadas e o projeto de asfaltamento de 22 quilômetros, pelo Governo do Estado, tem o objetivo de reforçar o potencial turístico e agrícola da região. “O município de Campos Novos, com 22 mil hectares de área cultivada, é considerado o celeiro do Estado. A Coxilha Rica tem 25 mil hectares de terras agricultáveis, agora imaginem o quanto dá pra crescer e se desenvolver ali, levando o asfalto”, disse Colombo.

Saúde

“Lages terá um dos hospitais mais completos do Sul do Brasil”, Informou o governador Raimundo Colombo ao apresentar as obras do Hospital Tereza Ramos. Com 80% das obras finalizadas, o novo prédio deverá ser entregue até o fim deste ano e vai dobrar a capacidade do hospital. Serão 120 novos leitos e 30 de UTI.

A ampliação do Hospital Infantil Seara do Bem também foi realizada com recursos do Governo do Estado. Na nova ala, destaca-se a construção do Centro de Imagens que ajuda na antecipação dos diagnósticos e eficiência dos tratamentos pediátricos.

Inovação e Tecnologia

Lages foi o primeiro dos 13 municípios do Estado que contarão com os Centros de Inovação construídos pelo Governo do Estado a colocar a estrutura em funcionamento. O espaço é para os projetos da chamada economia do futuro, com foco na tecnologia, e traz um novo conceito de desenvolvimento para a região.

Educação

Duas das principais Universidades de Lages, a Uniplac e a Udesc tiveram seus campus ampliados e receberam investimentos para os laboratórios. As melhorias também ocorreram nas escolas estaduais, com reformas e ampliações. Colégio Industrial (R$ 7,8 milhões), Escola Flordoardo Cabral (R$ 5 milhões); Escola Visconde de Cairu (R$ 3,7 milhões); e Godolfin Nunes de Sousa (R$ 4,1 milhões). Ao todo, foram construídas nove arenas multiuso para a prática de esportes e atividades de lazer dos estudantes.

Segurança

Além da construção do complexo de segurança com a Delegacia Regional, o IGP e o Detran, Lages conta com a vigilância do helicóptero Águia 4 salvando vidas e levando mais segurança a toda a Serra catarinense.

Outras obras

A Avenida Santa Catarina ganhou reurbanização completa, com investimentos de R$ 3,7 milhões. Na Avenida das Torres e na Rua Nossa Senhora da Penha, estão sendo investidos outros R$ 2,5 milhões. E do Fundam – programa do Governo do Estado que distribui recursos a todos os municípios de Santa Catarina para a realização de obras – Lages recebeu, na primeira edição do programa, R$ 5,4 milhões, o que permitiu a pavimentação de 25 ruas da cidade.

Desde 2011, a região de Lages recebeu investimentos do Governo do Estado da ordem de R$ 1,5 bilhão. “A gente sabe que há muito por fazer, mas, às vezes, não basta a boa vontade e o desejo de contribuir ainda mais. Por outro lado, seja uma obra física ou uma ação que fica no anonimato, o verdadeiro legado é saber que tudo o que é possível você está fazendo pra deixar a vida das pessoas um pouquinho melhor", finalizou o governador. 

Informações adicionais para a imprensa
Francieli Dalpiaz 
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: francieli@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3018 / 98843-5676
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC

A respeito de informações a respeito de possível endividamento do Estado, a Secretaria da Fazenda divide os esclarecimentos em três pontos:

Dívida 1

Santa Catarina tem um dos menores comprometimentos da receita com dívida: 39,68%. O limite determinado pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) é de 200%. Captar recursos, contraindo dívidas por meio de empréstimos, é uma prática comum às gestões públicas, não apenas no Brasil. O que precisa ser levado em conta nesse debate é a capacidade de pagamento do governo ao contrair dívidas. A dívida está longe de ser a maior preocupação do Governo. O maior problema continua sendo a previdência, seguido da folha de pessoal.

Dívida 2

No caso de SC, os números mostram que a gestão da dívida tem sido feita de forma responsável e sustentável: em 2011, quando Raimundo Colombo assumiu o governo, o estoque da dívida de SC era de R$ 11,8 bilhões. De janeiro de 2011 a julho de 2017, o Estado contraiu mais R$ 8,4 milhões em novos empréstimos. No entanto, nesse mesmo período foram pagos R$ 12,1 bilhões em dívidas, mostrando a capacidade do Governo em honrar com seus compromissos.

Dívida 3

O novo endividamento, aprovado pela Alesc mas que ainda não foi contratado, prevê R$ 700 milhões para o Fundam 2 e R$ 800 milhões para obras diversas de infraestrutura. Vale lembrar que o Governo de SC foi protagonista de uma renegociação das dívidas dos Estados com a União em 2016 e, por conta disso, o Estado já deixou de repassar mais de R$ 1 bilhão para a União.

Informações adicionais para a imprensa:
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Fazenda - SEF
Aline Cabral Vaz
E-mail: avaz@sef.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-2575 / (48) 98843-8352
Cléia Schmitz
E-mail: cschmitz@sef.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-2572/ (48) 99157-1980
Sarah Goulart
E-mail: sgoulart@sef.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-2504/ (48) 98843-8553
Rosane Felthaus
E-mail: rosanef@sef.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3506/ (48) 99109-8513
Site: www.sef.sc.gov.br 

A forma como é feita a coleta e a destinação de resíduos sólidos é decisiva para o meio ambiente e para a qualidade da vida da população. Para traçar um panorama da atual situação e planejar ações, está sendo elaborado o Plano Estadual de Resíduos Sólidos de Santa Catarina (PERS/SC). “A partir do estudo, poderemos projetar metas para até 20 anos, atendendo as necessidades das atuais e futuras gerações no que diz respeito ao sistema de limpeza urbana e manejo dos resíduos”, diz o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDS), Carlos Chiodini.

O estudo começou a ser elaborado no fim de 2016 e está na segunda etapa, de apresentação e validação do cenário com a sociedade catarinense. Para isso, a SDS está promovendo cinco encontros em várias regiões, com objetivo de mostrar e discutir o Panorama dos Resíduos Sólidos em Santa Catarina – Meta 2. Serão realizados eventos em Chapecó, no dia 29 de agosto; em Curitibanos, dia 31 de agosto; em São José, dia 4 de setembro; em Criciúma, dia 6 de setembro; e, por fim, em Joinville, dia 12 de setembro. Os interessados podem ser inscrever neste link.

“Esta fase se refere ao levantamento de informações básicas em escala estadual, sendo a base orientadora dos prognósticos do plano, da proposição de cenários, da definição de diretrizes e metas, e do detalhamento de seus programas, projetos e ações”, explica o engenheiro ambiental da SDS, Frederico Gross. Para o Diretor de Saneamento e Meio Ambiente da SDS, Luiz Antônio Garcia Corrêa, a participação da comunidade nos eventos é fundamental. “Os encontros são abertos ao público e contamos com a presença de representantes dos setores público e privado, além de instituições municipais e regionais”, afirma.

O recurso total para o PERS/SC é de R$ 1,5 milhão, sendo que R$ 1,2 são provenientes do Ministério do Meio Ambiente (MMA) e a contrapartida do Governo estadual é de R$ 312 mil. O estudo deve ser concluído no início de 2018.

Serviço: Panorama dos Resíduos Sólidos em Santa Catarina – Meta 2

Quando: Terça-feira (29/08) - Horário: 8h
Local: Centro Politécnico da Unidade Central de Educação Faem Faculdade (UCEFF) - Avenida Irineu Bornhausen, 2045 E - Bairro Quedas do Palmital, Chapecó/SC.

Quando: Quinta-feira (31/08) - Horário: 8h
Local: Secretaria Municial de Educação e Cultura de Curitibanos - Rua Marcos Gonçalves de Faria, 427, São José, Curitibanos/SC.

Quando: Segunda-feira (04/09) - Horário: 8h
Local: Evento Brasil - Rua Assis Brasil, 5880, Ponta de Baixo, São José/SC.

Quando: Quarta-feira (06/09) - Horário: 8h
Local: Associação Empresarial de Criciúma (ACIC) - Rua Ernesto Bianchini Góes, 91, Próspera, Criciúma/SC.

Quando: Terça-feira (12/09) - Horário: 8h
Local: Univille - Rua Paulo Malschitzki, 10 - Zona Industrial Norte, Bloco da Reitoria, Joinville/SC.

Informações adicionais para a imprensa
Michelle Nunes
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável - SDS
E-mail: jornalistaminunes@gmail.com
Fone: (48) 3665-2261 / 99929-4998
Site: www.sds.sc.gov.br 


Foto: Julio Cavalheiro/Secom

O governador Raimundo Colombo e o presidente da Celesc, Cleverson Siewert, lançaram nesta quinta-feira, 17, em Lages, a segunda edição do projeto Banho de Energia, que já beneficiou mil famílias da região serrana. Com investimentos de quase R$ 6 milhões do Programa de Eficiência Energética Celesc/Aneel, a expectativa é instalar, desta vez, em um ano, trocadores de calor nos fogões a lenha para aquecer água de chuveiro e cozinha em 800 unidades consumidoras.

Além disso, 12 mil lâmpadas tradicionais serão substituídas por lâmpadas LED em 2,4 mil unidades consumidoras. Nessa etapa, serão beneficiados consumidores dos municípios de Bocaina do Sul, Bom Retiro, Campo Belo do Sul, Capão Alto, Lages, Rio Rufino, São Joaquim, São José do Cerrito, Palmeira e Urubici.

>>> Mais fotos

Colombo enfatizou o aspecto social do projeto. “Além do comprometimento técnico, a empresa pública deve estar atenta ao desenvolvimento econômico e social das regiões onde está inserida. Isso faz a diferença e faz com que a Celesc seja, hoje, referência nesse aspecto”, afirmou.

Siewert destacou que o tema "sustentabilidade" é compromisso corporativo, mantendo o foco no desenvolvimento social, econômico e ambiental: “Energia elétrica é fator de competitividade e de desenvolvimento. Os nossos investimentos em eficiência energética estão alinhados com esses objetivos e permitem otimizar o uso das fontes de energia, beneficiando a maior quantidade possível de pessoas em áreas de maior necessidade”, explicou.

Na ocasião, foi anunciado o lançamento de edital para contratação de empresa para cadastrar consumidores na Tarifa Social de Energia Elétrica. “Este é um programa que atende consumidores residenciais inscritos nos programas sociais do Governo Federal e permite a redução nas tarifas de energia, conforme a faixa de consumo – 65% de desconto para consumo de 30kWh/mês, 40% para consumo de 31 a 100kWh/mês e 10% para consumo de 101 a 200kWh/mês”, explica Siewert. Cada unidade consumidora também receberá quatro lâmpadas LED para substituir outras, menos eficientes. 

Como funciona

O inventor do sistema Banho de Energia e parceiro da Celesc, Alcino Alano, criou um sistema para esquentar a água das residências reutilizando o calor desperdiçado pelas chaminés que, após período de testes, foi adotado pelo Programa de Eficiência Energética Celesc/Aneel.

Nesse sistema, um trocador de calor é instalado na chaminé dos fogões a lenha para aquecer a água que, então, é armazenada em um reservatório térmico e pode ser distribuída para chuveiros e torneiras. Outro benefício do sistema é a ampliação da eficiência do fogão, que permite a economia de lenha e a redução da emissão de cinza e de fuligem.

Em sua primeira edição, o projeto gerou economia de 1.500MWh/ano, suficiente para abastecer cerca de sete mil residências por mês, e reduziu em mais de 700kWh o consumo nos horários de ponta. Marlene Lima, moradora de Urupema, diz que teve redução de 20% em sua conta de luz. “Essa economia faz diferença no orçamento doméstico. Com o dinheiro que sobra, podemos investir em outras necessidades da casa ou da propriedade”, conta.

Informações adicionais para a imprensa
Assessoria de Imprensa 
Centrais Elétricas de Santa Catarina - Celesc 
E-mail: comunica@celesc.com.br
Atendimento 24h: 0800-480120
Site: www.celesc.com.br


Foto: Márcio Henrique Martins/FCC

O projeto Cinema ao Vivo, promovido pela Fundação Catarinense de Cultura (FCC) por meio do Museu da Imagem e do Som (MIS/SC), terá uma edição no Teatro do SESC de Lages com a banda Skrotes fazendo, ao vivo, a trilha sonora para a exibição do filme de terror Nosferatu, clássico do diretor Friedrich Wilhelm Murnau, de 1922, adaptado do romance Drácula, de Bram Stoker. A sessão ocorrerá no dia 30 de agosto, às 19h, e faz parte da programação do Encontro Estadual de Patrimônio Cultural que a FCC promove nos dias 29 e 30 de agosto em Lages.

Sobre o Cinema ao Vivo

O projeto do MIS/SC tem como objetivo promover exibições de longas-metragens clássicos do cinema mundial, com a execução de sua trilha sonora ao vivo feita por bandas de música e outros artistas renomados. Assim, o Museu visa proporcionar ao público a oportunidade de assistir gratuitamente grandes espetáculos que remontam às origens do cinema mundial, resgatando-se a tradição do antigo “cinema mudo”, onde, devido a limitações tecnológicas, o som era executado ao vivo por uma banda e, exatamente por isso, cada sessão era única.

Ao Todo, o MIS/SC já promoveu três edições do projeto. A primeira foi realizada em novembro de 2015, com a exibição do filme O Circo, de Charlie Chaplin, e a trilha sonora executada pela centenária Banda da Lapa, de Florianópolis (SC). A segunda edição foi realizada em maio de 2016, com a exibição de Nosferatu, de Friedrich Wilhelm Murnau, e a trilha sonora executada pela banda Os Skrotes, de Florianópolis (SC); e a terceira, ocorreu em novembro de 2016, com a exibição de A General, de Buster Keaton, e a trilha sonora executada pela Orquestra de Choro da Escola Livre de Música, de Florianópolis (SC).

Todas as sessões foram um grande sucesso, com ingressos esgotados e a necessidade de apresentações extras para atender à demanda do público.

Sobre o filme

O longa narra a história de Conde Orlok, um vampiro dos Montes Cárpatos que se apaixona perdidamente por Ellen e traz o terror à cidade dela, Wisborg. Nosferatu é considerado um dos primeiros representantes do gênero de terror no cinema, além de sua concepção visual ter exercido forte influência no gênero. Ao mesmo tempo, com um protagonista demoníaco e seu caráter perturbado, a obra é considerada uma representação fiel do cinema da República de Weimar.

O roteiro é uma adaptação do romance Drácula, de Bram Stoker, embora com nomes de personagens e lugares alterados, pois os herdeiros do escritor não concederam aos produtores autorização para adaptar a obra. Processado por violação de direitos autorais, a justiça ordenou a destruição das cópias do filme, mas algumas delas, entre as muitas já distribuídas, permaneceram guardadas até a morte da viúva de Bram Stoker e estão, hoje em dia, disponíveis em versões restauradas.

A trilha sonora original de Nosferatu foi composta por Hans Erdmann (1888-1942), para ser executada ao vivo durante as exibições, como era comum na era do cinema mudo. Erdmann criou temas doces e melodiosos para as cenas que mostravam o amor verdadeiro entre Hutter e Ellen, contrastando com a percussão pesada para os momentos de tensão e o fortissimo que acompanha os horrores a bordo do Empusa. A maior parte das partituras de Erdmann, porém, se perdeu, restando apenas o trecho que foi publicado sob o título Fantastisch-romantische Suite (1926), além de anotações e instruções do compositor que permitiram reconstituições da trilha.

Sobre a banda

O som dos Skrotes nasceu em 2009, em Florianópolis, a partir da diversidade da formação musical dos seus integrantes. Chico Abreu, Guilherme Ledoux e Igor De Patta transitam entre a música clássica, o jazz, o samba, a música brasileira, o punk rock, o metal e a música eletrônica de forma tão natural que as diferenças entre estilos se diluem e variados ritmos soam como uma coisa só. Uma música baseada na liberdade, desconstrução e transgressão das estéticas musicais.

Durante seis anos de atividades lançaram quatro registros de forma independente e fizeram mais de 180 shows por Santa Catarina e outros estados brasileiros. O álbum NessunDorma, lançado em janeiro de 2014, em referência à ópera homônima de Puccini, foi viabilizado através de uma campanha de crowdfunding que contou com o apoio de mais de 300 colaboradores (amigos e fãs). Nessun Dorma entrou na lista de melhores discos da música brasileira em 2014 pela publicação virtual O Embrulhador, na 22ª posição em uma lista de 100 discos que contava com vários artistas reconhecidos e valorizados nacionalmente como Tom Zé, Criolo, Mombojó, Nação Zumbi, Andre Mehmari, Zeca Baleiro entre outros.

Em julho de 2017, os Skrotes lançaram seu novo disco, Tropical Mojo.

Serviço
O quê: Cinema ao Vivo, com exibição do filme Nosferatu e trilha sonora executada ao vivo pela banda Skrotes
Quando: 30 de agosto, às 19h.
Onde: Teatro do SESC, localizado na Avenida Dom Pedro II, n. 1.693 – Bairro Universitário
Entrada gratuita – Os ingressos serão distribuídos dois dias antes do espetáculo no SESC.
Evento no Facebook: https://www.facebook.com/events/1781854565446628

Informações adicionais para imprensa
Fernanda Peres
Assessoria de Comunicação Fundação Catarinense de Cultura
Telefone: (48) 3664-2571
E-mail: imprensa@fcc.sc.gov.br
Site: www.fcc.sc.gov.br 
Twitter: www.twitter.com/fccoficial  
Facebook: www.facebook.com/FundacaoCatarinensedeCultura 


Foto: James Tavares/Arquivo Secom

A Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca, por meio da Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc), se une ao Centro Universitário Barriga Verde (Unibave) para identificar e sanear os focos da fascíola hepática.

A fascíola hepática é um parasita que compromete o fígado dos bovinos. Como o órgão é descartado no momento do abate, acaba trazendo prejuízos financeiros para os pecuaristas e frigoríficos. Normalmente, o parasita é encontrado em bovinos criados em áreas alagadas, porém, em Santa Catarina já foi registrada a doença em animais originários de outras regiões.

O convênio entre Cidasc e Unibave funcionará da seguinte forma: a companhia irá avisar a universidade quando encontrar algum caso do parasita em bovinos e, na outra ponta, uma equipe multidisciplinar da Unibave fará o saneamento da propriedade rural, combatendo o caramujo hospedeiro da doença.

O secretário da Agricultura e da Pesca, Moacir Sopelsa, ressalta que a parceria só é possível porque todos os bovinos catarinenses são identificados e rastreados, o que permite apontar em qual propriedade rural eles foram criados.

Sopelsa destaca ainda a importância de aliar pesquisa e tecnologia para o desenvolvimento do meio rural catarinense. “É fundamental dar força e oportunidade para as pessoas irem buscar o conhecimento, essa pesquisa vai trazer qualidade para os rebanhos, abatedores e para os produtos do nosso estado”, disse.

“A universidade está buscando a solução para um problema junto ao Cidasc. É um ato simples, mas de grande relevância. É dessa forma que crescemos”, afirma o presidente da Cidasc, Enori Barbieri. A companhia cedeu um veículo para a Unibave possa desenvolver a pesquisa.

O professor do Unibave, Mauro Maciel Arruda, um dos autores do projeto, explicou que a pesquisa sobre a incidência da Fascíola Hepática em Santa Catarina pretende melhorar a situação dos produtores e dos abatedores. “Esses casos de zoonoses não são dispersos, e essa parceria pretende dar uma resposta para o poder público, academia e comunidade”, explicou.

Segundo o professor, a pesquisa será um trabalho integrado entre várias áreas para combater a doença no estado. “O intuito é identificar as propriedades e trabalhar junto ao produtor em uma equipe multidisciplinar de biólogos, agrônomos e veterinários”, afirmou.

Informações adicionais para a imprensa
Ana Ceron
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca 
E-mail: imprensa@agricultura.sc.gov.br
Fone: (48) 3664-4417/ 98843-4996
Site: www.agricultura.sc.gov.br