Quinze homens trabalham na construção da torre que vai receber o radar meteorológico no município de Lontras, no Alto Vale do Itajaí. A obra começou em setembro e deve ser concluída até fevereiro de 2014. Os operários estão na fase da terraplanagem e fundação. A torre de concreto que vai ser levantada terá a largura de 6,5 metros, totalizando 42 metros quadrados por pavimento e 25 metros de altura, com estrutura de oito pavimentos.

radar meteorologico 20131002 1819888345
Foto Divulgação Defesa Civil

Para o secretário de Estado da Defesa Civil, Milton Hobus, a inovação vai fazer a diferença em Santa Catarina “O radar, depois de pronto, vai abranger pelo menos 77% do território do Estado, uma cobertura histórica na prevenção das cheias. Assim os catarinenses vão poder se prevenir evitando maiores prejuízos por conta dos desastres naturais”.

O equipamento de 12 toneladas foi adquirido pela Defesa Civil por R$ 5 milhões e está sendo montado no Alabama, nos Estados Unidos. Após a conclusão dos trabalhos, fiscais da Defesa Civil e técnicos do CIRAM e CINEPAR irão aprovar o funcionamento do radar e também receber um treinamento sobre a manutenção e operação tecnológica. Segundo o assessor técnico Emerson Neri Emerim, depois do aceite, o equipamento será transportado para a instalação na torre localizada próxima à Serra de Presidente Nereu, na área rural do município de Lontras. “Ainda será feita a instalação da antena e do radomo de proteção desse radar, para proporcionar uma espécie de abrigo evitando assim que o aparelho fique exposto aos eventos naturais do tempo”.

O local da construção foi escolhido por especialistas do CINEPAR. Depois dos trabalhos concluídos, o equipamento vai permitir o acompanhamento do clima, 24 horas por dia, em Santa Catarina. Com o radar, ainda será possível prever tempestades, granizo, chuvas intensas, além da intensidade desses fenômenos e quais cidades serão atingidas. A tecnologia oferece uma margem de tempo que pode variar de 30 minutos a três horas de antecedência. A capacidade de monitoramento meteorológico do radar vai abranger uma área de 200 a 400 quilômetros, ou seja, todo o Vale do Itajaí será contemplado. Numa situação de risco, a população será alertada com tempo hábil para se proteger ou para que as áreas possam ser evacuadas.

Chapecó sedia a 19ª Exposição-feira Agropecuária, Industrial e Comercial de Chapecó (Efapi 2013), de 4 a 13 de outubro. A programação da Efapi inclui leilões, torneio leiteiro, exposição morfológica da raça crioula, mostra de pequenos animais, prova credenciadora ao Freio de Ouro do oeste catarinense, mostra de fruticultura, além de espaço para pecuária de corte e leite, equinos, suinocultura, ovinocultura, mostra de produtos coloniais, rodeio e exposição de máquinas, equipamentos e implementos agrícolas. A Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca apoiou o evento com investimento de R$ 300 mil.

A abertura oficial será no sábado, 5, às 10h30, no Parque de Exposições Tancredo Neves e contará com a presença do secretário de Estado da Agricultura e da Pesca, João Rodrigues, que também é o presidente de honra da Comissão Central Organizadora da Exposição, e do governador Raimundo Colombo. Esse ano, a programação da Exposição conta ainda com o Seminário de Líderes Rurais da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (Faesc) e a entrega do Prêmio Empreendedor Cooperativista (Troféu Aury Luiz Bodanese), promovido pela Coopercentral Aurora Alimentos, Sebrae/SC e Movimento Catarinense pela Excelência (MCE) com apoio do Senar, Sescoop e Sicoob. Promovida pela prefeitura de Chapecó e com apoio de empresas e do governo do Estado, a Efapi terá neste ano 650 expositores e uma expectativa de negócios de R$ 120 milhões.

De acordo com o secretário João Rodrigues, a Efapi se consolidou como uma feira completa voltada ao agronegócio. “Com os investimentos realizados na última edição, o parque da Efapi tornou-se um dos maiores centros de mostras pecuárias do país, formado por quatro pavilhões, sendo dois de bovinos, um de equinos e um de ovinos. Também fazem parte a central de remates e as mangueiras”, destaca.  Rodrigues salienta que a Efapi é uma das poucas feiras multissetoriais do país que mantém, desde o início, o sentido de integração e de promoção da região polarizada em Chapecó.

A expectativa é de que este ano os eventos agropecuários da Exposição reunirão mais de 2 mil animais no Parque de Exposições, divididos nos núcleos de equinos, ovinos, bovinos e suínos. Cerca de 200 expositores participarão e os negócios no setor agropecuário devem atingir R$ 2,5 milhões.

Mais informações sobre a feira e a programação completa no site oficial do evento.

Nesta quarta-feira, 2, até o final da manhã, a emergência do Hospital Celso Ramos, em Florianópolis, estava atendendo 22 pessoas. A situação é de normalidade. Segundo informações da instituição, havia três pessoas em estado grave. Nas últimas 24 horas, o Celso Ramos recebeu, na Emergência, 335 pessoas. Deste total de atendimentos, 187 são do setor de ortopedia, que, em geral, envolve pessoas que sofreram acidentes de trânsito.

No Hospital Regional de São José havia, na emergência geral, 200 pacientes até o final da manhã desta quarta-feira. A emergência está lotada, com 34 pessoas aguardando consulta. O atendimento é feito de acordo com a gravidade dos casos, a partir da classificação de risco que é feita com cada paciente que chega.

Nas últimas 24 horas, de acordo com as informações da direção do Hospital Regional de São José, o setor de emergência atendeu 291 pacientes. Na emergência pediátrica, 126 crianças foram atendidas. O quadro geral do Hospital Regional de São José é de 329 pacientes internados. Ao todo, 41 internações foram feitas nas últimas 24 horas.

No Hospital Regional de São José, cerca de 80% dos casos que chegam à Emergência são ambulatoriais, ou seja, são situações que podem ser resolvidas nos postos de saúde. Por isso, a Secretaria de Estado da Saúde orienta a população a primeiro procurar os centros de saúde dos seus municípios. Os postos de saúde e Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) estão aptos a atender situações de urgência, que são aqueles em que a pessoa não corre riscos. São casos, por exemplo, de febre e dores generalizadas. Os casos mais graves serão encaminhados para os hospitais.

{text}

O secretário de Desenvolvimento Regional da Grande Florianópolis, Clonny Capistrano, assinou nesta quarta-feira, 02, convênio com o município de Águas Mornas para a compra e instalação de três academias ao ar livre. Realizado no gabinete da SDR, o ato teve a presença do prefeito Pedro Francisco Garcia e do vereador Danilo de Souza.

O valor total do convênio é de R$ 88 mil, sendo R$ 66 mil do governo do Estado e contrapartida do município no valor de R$ 22 mil. As academias serão construídas no centro de Águas Mornas, nas comunidades de Vargem Grande e Santa Cruz da Figueira.

Segundo o secretário Clonny Capistrano, o convênio tem o objetivo de promover a prática regular de exercícios físicos ao ar livre, permitindo a inclusão social e mudança de hábitos de vida. O secretário ressalta, ainda, que o governo do Estado, por meio da SDR, é parceiro nesse processo, cujo objetivo é a promoção de saúde e qualidade de vida, democratizando espaços e prevenindo doenças.

O prefeito Pedro Garcia explicou que os equipamentos são semelhantes aos de musculação e alongamento encontrados nas academias convencionais. “As academias trarão bem-estar aos nossos moradores, reduzindo os fatores de risco de doenças graves, promovendo também a socialização e inclusão social das pessoas que compõem essas comunidades”, salientou.

Informações adicionais:
Antônio Carlos da Costa
Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional da Grande Florianópolis
E-mail: ascom@soo.sdr.sc.gov.br
Telefone: (48) 9962-8498

A Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca e a Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc) esclarecem que não são responsáveis pela fiscalização de cargas de fertilizantes que chegam pelo Porto de São Francisco do Sul. A Cidasc é responsável pela fiscalização de comercialização de agrotóxicos, sementes e mudas e somente classifica os produtos vegetais, como alho, maçã, banana, entre outros, que são inspecionados para garantir a sanidade no Estado.

O sistema de defesa sanitária vegetal constitui-se num trabalho estratégico e sistemático de monitoramento, vigilância, inspeção e fiscalização da produção e do comércio de plantas, partes de vegetais ou produtos de origem vegetal veiculadores de pragas, que possam colocar em risco o patrimônio agrícola e a condição socioeconômica de Santa Catarina.

O terminal da Cidasc no Porto de São Francisco do Sul é destinado para o embarque de grãos (soja, milho e farelo de soja) e o terminal de óleo vegetal já está desativado há oito anos, portanto, não é da competência deste órgão estadual nenhum trabalho relacionado à fiscalização de cargas de fertilizantes. 

O acidente
Na noite de terça-feira, 24/09, uma carga de fertilizante à base de nitrato de amônio sofreu uma reação química em um galpão distante dois quilômetros do Porto de São Francisco do Sul, provocando uma grande nuvem de fumaça. No galpão estavam armazenadas cerca de 10 mil toneladas de fertilizantes. Desde o início, as ações foram concentradas na retirada das pessoas dos imóveis localizados no entorno do local.

A reação química foi interrompida às 6h08 desta sexta-feira, 27/09. A situação só foi controlada com o resfriamento do galpão. Foram 200 bombeiros trabalhando na operação que durou quase 60 horas. As pessoas que foram deslocadas de suas casas para os abrigos já estão voltando para suas residências.

Nesta sexta-feira, não há mais fumaça. Até o início da tarde havia apenas a presença do vapor d’água. Os bombeiros encharcaram a carga de fertilizantes para fazer a contenção do calor e, consequentemente, evitar explosões e novos danos ambientais. Foram utilizados cerca de dois milhões de litros de água na operação. Parte desta água fica retida no produto, enquanto o restante será drenado para uma piscina de lona. Depois isso, o material receberá uma destinação adequada.

A parceira entre o Governo do Estado e prefeituras de 100 municípios catarinenses, oficializada nessa quarta-feira, 2/10, vai garantir mais segurança para a população. Em evento em Florianópolis, foram assinados os convênios que vão levar a proteção do sistema de câmeras de videomonitoramento para 100 novas cidades (veja lista abaixo). A iniciativa faz parte da segunda etapa do Programa Bem-Te-Vi – Segurança por Videomonitoramento, que integra o Pacto pela Segurança.

videomonitoramento - programa bem-te-vi 20131002 1914869527

Veja aqui a galeria de fotos.

“É um grande ganho de qualidade operacional e de eficiência, porque a câmera agiliza todo o processo de investigação. A experiência que a gente tem nos municípios já atendidos demonstra que os ganhos são extraordinários. Temos conseguido diminuir muito os índices de violência”, afirmou o governador Raimundo Colombo. O Governo do Estado vai investir R$ 10 milhões nesta etapa do projeto, que contará também com contrapartidas das prefeituras. Cada uma das cidades receberá de seis a 10 câmeras de vigilância, conforme determinado em convênio, e a contrapartida das prefeituras varia de R$ 80 mil a R$ 105 mil.

Com a assinatura dos convênios, a próxima etapa é o lançamento dos editais para definição das empresas que farão a instalação e manutenção dos equipamentos. A previsão é de que as câmeras de vigilância comecem a ser instaladas no início de 2014.

As 100 cidades que receberão os equipamentos se somam a outras 51 que já contam com sistema de videomonitoramento urbano, contempladas pela primeira etapa do Programa Bem-Te-Vi. Com as novas 100, mais da metade dos municípios catarinenses terão cobertura pelo sistema. As câmeras inibem a prática criminosa e agilizam o tempo de resposta no atendimento às ocorrências. Elas são instaladas principalmente em locais com grande movimentação de pessoas, como praças, próximas a agências bancárias e escolas. As imagens também são compartilhadas com a Polícia Civil, o que facilita o trabalho de investigação e de identificação de criminosos.

O secretário de Segurança Pública, César Augusto Grubba, agradeceu a atenção do Governo do Estado com o setor, que por meio do programa Pacto pela Segurança vai receber R$ 265 milhões em investimentos. Entre exemplos das ações, Grubba apontou a entrega de 614 novas viaturas em 2012 e outras 1.640 até o início de 2014 e os reforços nos efetivos de diferentes corporações.

Representado os municípios, o prefeito de Faxinal dos Guedes, Edegar Giordani, discursou no evento, destacando que a preocupação com a segurança hoje não se restringe às grandes cidades. “Essa ação do governo terá uma grande repercussão nas comunidades e vai colocar Santa Catarina como referência para o resto do país”, afirmou.

Entre as demais autoridades presentes, estavam o comandante-geral da Polícia Militar, Coronel Nazareno Marcineiro; o delegado geral da Polícia Civil, Aldo Pinheiro D´Ávila; o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Joares Ponticelli; o coordenador do sistema de videomonitoramento urbano da SSP; Tenente Coronel Vânio Luiz Dalmarco; e o presidente da Federação Catarinense dos Municípios (Fecam), Pedro Zuchi, prefeito de Gaspar.

Ouça a entrevista do governador Raimundo Colombo:

  Baixar áudio

{attachments}

As cidades contempladas nesta etapa 

Abelardo Luz
Agrolândia
Agronômica
Água Doce
Anita Garibaldi
Araquari
Ascurra
Aurora
Bela Vista do Toldo
Benedito Novo
Bom Retiro
Braço do Trombudo
Brusque
Caçador
Campo Alegre
Campo Erê
Campos Novos
Canelinha
Capinzal
Catanduvas
Cocal do Sul
Cordilheira Alta
Correia Pinto
Cunha Porã
Curitibanos
Descanso
Dionísio Cerqueira
Erval Velho
Faxinal dos Guedes
Fraiburgo
Garuva
Grão Pará
Gravatal
Governador Celso Ramos
Guabiruba
Guaraciaba
Guarujá do Sul
Ibirama
Ilhota
Imaruí
Iporã do Oeste
Irineópolis
Itá
Itaiópolis
Itapiranga
Itapoá
Ituporanga
Jaguaruna
Laurentino
Lauro Müller
Lindóia do Sul
Lontras
Luis Alves
Luzerna
Mafra
Maravilha
Mondaí
Morro da Fumaça
Nova Trento
Nova Veneza
Orleans
Otacílio Costa
Ouro
Palma Sola
Palmitos
Papanduva
Paulo Lopes
Penha
Pinhalzinho
Pomerode
Ponte Serrada
Porto Belo
Porto União
Pouso Redondo
Quilombo
Rio do Oeste
Rio dos Cedros
Rio Fortuna
Rio Negrinho
Rodeio
Sangão
Santa Cecília
São Domingos
São João Batista
São João do Oeste
São João do Cedro
São Lourenço do Oeste
São Pedro de Alcântara
Seara
Siderópolis
Taió
Tangará
Três Barras
Treviso
Treze Tílias
Tunápolis
Urubici
Vargeão
Videira
Xaxim

{text}

{text}

A Secretaria de Estado da Saúde informa, a seguir, a situação das emergências dos hospitais Celso Ramos e Regional de São José, nesta quarta-feira, 2 de outubro.

Nesta quarta-feira, 2, até o final da manhã, a emergência do Hospital Celso Ramos, em Florianópolis, estava atendendo 22 pessoas. A situação é de normalidade. Segundo informações da instituição, havia três pessoas em estado grave. Nas últimas 24 horas, o Celso Ramos recebeu, na Emergência, 335 pessoas. Deste total de atendimentos, 187 são do setor de ortopedia, que, em geral, envolve pessoas que sofreram acidentes de trânsito.

No Hospital Regional de São José havia, na emergência geral, 200 pacientes até o final da manhã desta quarta-feira. A emergência está lotada, com 34 pessoas aguardando consulta. O atendimento é feito de acordo com a gravidade dos casos, a partir da classificação de risco que é feita com cada paciente que chega.

Nas últimas 24 horas, de acordo com as informações da direção do Hospital Regional de São José, o setor de emergência atendeu 291 pacientes. Na emergência pediátrica, 126 crianças foram atendidas. O quadro geral do Hospital Regional de São José é de 329 pacientes internados. Ao todo, 41 internações foram feitas nas últimas 24 horas.

No Hospital Regional de São José, cerca de 80% dos casos que chegam à Emergência são ambulatoriais, ou seja, são situações que podem ser resolvidas nos postos de saúde. Por isso, a Secretaria de Estado da Saúde orienta a população a primeiro procurar os centros de saúde dos seus municípios. Os postos de saúde e Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) estão aptos a atender situações de urgência, que são aqueles em que a pessoa não corre riscos. São casos, por exemplo, de febre e dores generalizadas. Os casos mais graves serão encaminhados para os hospitais.

{text}

A experiência de integrantes das instituições de Segurança Pública no uso de cães em operações de busca, resgate e salvamento será o tema de um Seminário Internacional que reunirá na Grande Florianópolis especialistas em cinotecnia do país e do exterior entre 7 e 10 de outubro.

Integrantes de instituições militares e cinotécnicos vão compartilhar informações e aprendizados sobre o emprego dos animais com base em ocorrências reais nas quais os cães foram determinantes para o desfecho positivo. Entre os especialistas que participarão do evento estão representantes do Grupo de Búsqueda y Rescate com Perros (KSAR) do Chile e do Corpo de Bombeiros de Portugal.

caes de busca e resgate 20131002 1994875568

Veja aqui a galeria de fotos.

Com mais de 200 milhões de receptores de odores, o que representa 40 vezes mais que os seres humanos, os cães têm habilidade especial para encontrar o que procuram - no caso das instituições de Segurança Pública, especialmente pessoas (com ou sem vida) e drogas.

O evento em Santa Catarina também serve para marcar os 10 anos do Serviço de Cães de Busca e Resgate do Corpo de Bombeiro Militar de Santa Catarina. A atividade iniciada em 2003 fortaleceu-se ao longo dos anos e fez com que a Corporação se tornasse referência para a América Latina como a única instituição nacional filiada à Internacional Rescue Dog (IRO) e que, por isso, possui certificação reconhecida pela Organização das Nações Unidas (ONU) para a utilização de cães em desastres no país e fora dele.

Hoje o CBMSC realiza anualmente provas internacionais de Certificação e Recertificação de cães de busca e resgate, trazendo para o Estado especialistas e binômios (cão/cinotécnico) de toda a América Latina que buscam a excelência no adestramento e técnicas de busca/resgate com cães. Atualmente a Corporação mantém 11 binômios certificados e preparados para atuarem em ocorrências reais espalhados nas diferentes regiões catarinenses - além de outros dois em fase de treinamento.

Seminário Internacional para Redução de Riscos de Desastres

Paralelamente ao evento sobre cães de resgate ocorre o Seminário Internacional para Redução de Riscos de Desastres, que reunirá especialistas para debater as mudanças climáticas e os desastres e a atuação da Defesa Civil.

Serviço

O quê: Simpósio Internacional de Busca, Resgate e Salvamento com Cães e Simpósio Internacional para Redução de Riscos de Desastres
Quando:07 a 10 de outubro
Onde: Acampamento Batista Catarinense – BR-101 km 191 – São Miguel – Biguaçu/SC (em frente ao posto da Polícia Rodoviária Federal)
Informações e inscrições (gratuitas): (48) 9624.7901 / 3243-3191

Programação 

7 de outubro
14h30min - Palestrante: Lino Rodrigues Filho (Corpo de Bombeiros Militar do Ceará)
Tema: As experiências do uso de cães nas atividades de busca de pessoas no Estado do Ceará

16h - Palestrante: Gerardo Donoso (Grupo de Búsqueda y Rescate com Perros – KSAR - Chile)
Tema: A importância do uso de cães em grandes eventos naturais

8 de outubro
14h30min - Palestrante: Major Romeu Rodrigues Neto (Brigada Militar do Rio Grande do Sul)
Tema: As experiências de ações integradas na resposta aos desastres naturais no Rio Grande do Sul

16h - Palestrante: Rui Moreira da Silva (Corpo de Bombeiros Voluntários de Portugal)
Tema: Tópicos da preparação de cães para a atividade de busca

9 de outubro
14h - Palestrante: Roberto Rodrigues Júnior (Black Lab Labradores)
Tema: Aspector psicológicos e sociais da criação de labradores

16h - Palestrante: Rui Moreira da Silva (Corpo de Bombeiros Voluntários de Portugal)
Tema: Tópicos da preparação de cães para a atividade de busca

10 de outubro
8h - Palestrante: Cinotécnicos do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina
Tema: A Certificação operativa dos cães de resgate do CBMSC

10h - Mesa redonda com todos os participantes
Tema: Perspectivas sobre o serviço de cães no Brasil

OBS: os participantes de outros estados não vão trazer seus cães. Apenas o CBMSC terá alguns animais à disposição para fazer a divulgação das ações.


>>> Confira o boletim da Rádio Secom e faça download


Mais informações:
Centro de Comunicação Social – Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina
(48) 3251-9614 / 8843-4427
e-mail: ccs@cbm.sc.gov.br

Para estimular ações educacionais e inclusão social na área do desenvolvimento comunitário, o secretário de Desenvolvimento Regional da Grande Florianópolis, Clonny Capistrano, assinou nesta terça-feira, 1º/10, convênios com quatro conselhos comunitários dos municípios de Florianópolis e São José, no valor total de R$ 285.703,60.

Os conselhos beneficiados com esses recursos do Governo do Estado, oriundos do Fundo Social, são os de Santos Dumont (São José), Saco dos Limões, Saco Grande II e Costeira do Pirajubaé, de Florianópolis.

Além dessas quatro entidades, outras associações e conselhos comunitários da Grande Florianópolis receberão recursos até o final deste ano. No total, será liberado o montante de R$ 980.697,20, permitindo o atendimento de uma população de 23.800 pessoas por mês.

Com o repasse dos recursos, o Governo do Estado viabiliza o funcionamento dessas entidades e permite que os indivíduos beneficiados possam exercer sua cidadania, avalia o secretário Clonny Capistrano. “O objetivo é permitir aos cidadãos a possibilidade de aprendizado, recreação, lazer, integração e desenvolvimento social”, salientou.

No total, serão beneficiadas as seguintes entidades: Conselho Comunitário de Angelina; Associação de Moradores do Jardim Atlântico e os conselhos comunitários do Pantanal, Coqueiros, Costeira do Pirajubaé, Monte Verde, Saco dos Limões, Santa Mônica, Saco Grande II e Coloninha, de Florianópolis; conselhos do Alto Aririú, Aririú da Formiga, Jardim Eldorado e Ponte do Imaruim, de Palhoça; Conselho Comunitário de Rancho Queimado; e os conselhos do bairro Santos Dumont, bairro Bela Vista e Forquilhinha, de São José.

Os devedores de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) do Estado podem quitar seus débitos em até 120 parcelas.

O Decreto Nº 1.756, assinado pelo governador Raimundo Colombo e publicado no Diário Oficial de 26/9, amplia o prazo para pagamento dessas dívidas de 96 para 120 meses, dentro do Programa de Adimplência Geral (PAG) criado pela Procuradoria Geral do Estado (PGE), em 2007, para cobrança da Dívida Ativa catarinense.

Os contribuintes com débitos de até R$ 500 mil podem realizar o procedimento para o parcelamento, através do contador, diretamente no site da Secretaria da Fazenda.

Já quem tiver dívidas com valor acima de R$ 500 mil deverá fazer o parcelamento diretamente nas sedes regionais da PGE ou da Secretaria da Fazenda, distribuídas por todo o Estado.

Para o chefe da Procuradoria Fiscal, Juliano Dossena, a medida é uma forma de incentivar o contribuinte a acertar seus débitos e reduzir a litigiosidade no Estado.

{text}