Terminou, neste domingo, 4, a 4ª edição dos Jogos Escolares Paradesportivos de Santa Catarina (Parajesc), realizados desde o dia 1º em Itajaí. Ao todo, 416 paratletas representando 59 municípios e 215 escolas disputaram modalidades como atletismo, bocha paralímpica, futebol sete, goaball, natação, tênis de cadeira de rodas, tênis de mesa e voleibol sentado. Neste domingo, a competição distribui as últimas medalhas na bocha paralímpica. A chuva no inicio da manhã cancelou a última prova do atletismo: o lançamento da pelota no feminino.

parajesc 20130804 1366022339
Gabriel Rodrigues de Andrade (centro), ouro da bocha paralímpica BC 3, de Balneário Camboríú Foto: Antonio Prado/Fesporte

Entre os medalhistas do último dia, Gabriel Rodrigues de Andrade, ouro da bocha paralímpica BC 3, de Balneário Camboríú, era só felicidade. Aluno da 5ª série da Escola Municipal Arariba e integrante da seleção brasileira, ele disse que o título até que foi fácil. “Na seleção o treino é puxado e quando chegamos aqui tudo fica mais tranquilo”, enfatizou.

O interessante é que é a primeira medalha de ouro de Gabriel na etapa estadual, já que na nacional é bicampeão brasileiro. Nos dois Parajesc que participou foi medalha de prata. Quem também comemorou foi Daniel Veras Silvestre, 16 anos, aluno da Fundação Catarinense de Educação Especial (FCEE) de São José. Daniel foi ouro na bocha paralímpica BC3, destinada a paratletas que têm paralisia quase total. A bola é empurrada com uma ponteira fixada à cabeça do atleta e desliza sobre  uma calha com auxilio de uma pessoa denominada de calheira. “Ele está muito feliz, pois é a primeira conquista dele nos Parajesc”, dizia a orgulhosa mãe e calheira Josiane Silvestre.

Outro destaque nos Parajesc foi Leonardo da Silva, 14 anos, da Escola Estadual Druziana Sartori, de Chapecó. Seu município veio apenas com quatro atletas e só Leonardo ganhou três medalhas de ouro para atletas com deficiência auditiva: no lançamento da pelota, nos 1.500 metros e no salto em distância. “No início, antes da competição, eu estava nervoso, mas quando eu entrei na pista esqueci tudo. Foi sensacional”, empolga-se, para em seguida mandar um recado: “gostaria de dizer que todos aqui são vencedores, mesmo aqueles que não ganharam medalhas”.

Ao fazer uma análise dos Parajesc 2013 o coordenador geral da competição João Cascaes disse que a edição deste ano foi positiva. “Pelo pouco tempo que Itajaí teve para preparar o evento estão todos de parabéns e olhando os resultados que os paratletas conquistaram tenho certeza que Santa Catarina vai brigar para estar entre os três primeiros lugares nas Paralimpíadas Escolares a serem realizadas de 25 de novembro a 1º  de dezembro em São Paulo”. Os Parajesc são uma promoção do Governo de Santa Catarina por meio da Fesporte em parceria com as Secretarias de Desenvolvimento Regional e Prefeitura de Itajaí.

parajesc 20130804 1133417640
Nildiomar César da Silva, tênis de cadeira de rodas da Escola Estadual Pedro Paulo Felipe, Itajaí Foto: Antonio Prado/Fesporte

Informações adicionais
Antonio Prado
(48) 9696-3045

Dia ensolarado e um clima perfeito para comemorar a tão sonhada vitória e a cobiçada medalha nos Jogos Escolares Paradesportivos de Santa Catarina (Parajesc) neste sábado, 3, em Itajaí. As provas no atletismo deram um brilho todo especial à competição e a pista sintética foi um espaço democrático para todos: desde aos mais graduados, como o campeão brasileiro de salto em distancia Airton Arnoldo, do Colégio Cedup, de Blumenau, nos 100 metros para cegos, ao estreante e último lugar nos 100 metros para deficientes intelectuais, Denílson dos Santos, da Escola Estadual Rui Barbosa, do município de Formosa do Sul.

Entre centenas de atletas, os dois estudantes personificaram o que são os Parajesc: um evento para todos. Airton entrou na prova dos 100 metros como favorito depois de ter conquistado quatro medalhas de ouro nos Parajesc do ano passado. Ao cruzar a linha de chegada da pista sintética de Itajaí só fez confirmar o favoritismo: 1º lugar. “Espero repetir este ano o que fiz em 2012 quando fui campeão no salto em distância nas Paralimpíadas Escolares  em São Paulo representando Santa Catarina”, disse o campeão.

Já Denílson dos Santos foi o último lugar em sua prova: os 100 metros para deficientes intelectuais na faixa etária dos 12 a 13 anos. “È a minha primeira vez e gostei de participar disto aqui”. De fato, só em participar da prova, para ele, que começou no atletismo há cerca de um mês, já foi uma vitória.

Entretanto, o que chamou atenção na participação de Denílson foi seu uniforme: ao invés de calção, como os demais, uma calça moletom preta, sapa-tênis nos pés e a carteira porta-cédula presa à cintura. O cabelo? Estilo Cascão, idêntico ao que o craque Ronaldo usou na Copa de 2002. Ao largar na prova a carteira caiu no chão, o que não foi empecilho para que o garoto continuasse até o fim. Ao cruzar a linha de chegada bateu o desespero: “minha carteira, minha carteira!”. Só ficou aliviado quando uma árbitra lhe entregou o objeto que procurava.

A sexta-feira, 2, foi marcada pelas disputas da natação e neste sábado, 3, além das provas do atletismo o segundo e penúltimo dia dos Parajesc, foi caracterizado pelas disputas na bocha paralímpica e tênis de mesa, além de atividades como treinamentos/exibição de futebol sete, tênis de cadeira de rodas e vôlei sentado. Neste domingo, 4, os Parajesc se encerram com as últimas provas do atletismo e a da bocha paralímpica.

Os Parajesc iniciaram quinta-feira, dia 1º, com a participação de 416 paratletas representando 59 municípios e 215 escolas e são organizados pelo Governo de Santa Catarina por meio da Fesporte em parceria com as Secretarias de Desenvolvimento Regional e Prefeitura de Itajaí. Os campeões representarão a seleção de Santa Catarina nas Paralimpíadas Escolares a serem realizadas de 25 de novembro a 1º  de dezembro em São Paulo.

Informações adicionais
Antonio Prado
(48) 9696-3045

O presidente da Fundação do Meio Ambiente de Santa Catarina (Fatma), Gean Loureiro, volta a comandar oficialmente a instituição a partir desta segunda-feira, 5, depois de 45 dias afastado. A primeira atividade de Gean, de volta à sede da Fundação, será reunir todos os funcionários para discutir o trabalho.

Gean Loureiro sofreu grave acidente de carro no dia 19 de junho, junto com outros três servidores da Fatma. O presidente se deslocava de Itajaí para Florianópolis, quando o carro oficial da Fundação foi fechado por um caminhão. Dos quatro ocupantes do veículo, somente Gean e o motorista, Daniel Veneroso, permanecem em recuperação. O presidente quebrou as duas pernas, o pulso, teve fraturas na bacia e na cabeça.

Desde que voltou para casa, no dia 8 de junho, o presidente da Fatma tem se reunido com sua equipe através de webconferências e reuniões na residência. De acordo com os médicos, a volta rápida de Gean se deve a dedicação na fisioterapia. Isso porque ele tem separado cerca de oito horas diárias nas atividades de recuperação. Gean espera voltar a colocar o pé no chão a partir do próximo mês.

{text}

Confira o programa semanal com Raimundo Colombo. Veículos de comunicação podem baixar vídeo e áudio

Os municípios de Bela Vista do Toldo e Três Barras representam, a partir da próxima semana, a SDR Canoinhas na etapa regional do Moleque Bom de Bola, que começa na terça-feira, dia 6, com abertura marcada para as 20h no ginásio de esportes Zepelin. Canoinhas não disputa as fases microrregional e regional por ser a sede da etapa estadual, que acontece em outubro. Isso já classifica a cidade automaticamente.

Na etapa microrregional, realizada em Major Vieira, no início do mês de julho, se classificaram no futebol feminino, a Escola de Educação Básica Guita Federmann, de Três Barras, e no masculino, Escola Básica Municipal Terezinha Agostinho, de Bela Vista do Toldo.

“Temos bons atletas em nossa região, e a equipe de Canoinhas como sedia neste ano a etapa estadual, já está classificada para a final, e com certeza também vai representar muito bem nossa região”, destaca a integradora de esportes da SDR Canoinhas, Regina Tereza Zomer.

O Moleque Bom de Bola – uma parceria entre Parati, Fesporte e RBS TV – é o maior campeonato escolar de futebol de Santa Catarina. A grande final deste ano será em Canoinhas, de 15 a 20 de outubro.

encontro prefeitos 20130802 1373926747

A Secretaria de Estado do Planejamento presta serviço de atendimento aos prefeitos, servidores e assessores municipais que queiram tirar dúvidas sobre o Pacto por SC no Encontro Estadual com Prefeitos e Prefeitas, em São José, nesta sexta-feira, 2 de agosto. O estande no ginásio do Centro Multiuso funciona até às 18h.

Murilo Flores, secretário do Planejamento, comenta que todos os municípios catarinenses serão beneficiados com alguma ação do Pacto, seja na área de infraestrutura, saúde, educação, assistência social ou segurança pública. Além disso, o governo estadual aportará recursos aos municípios, sem contrapartida, por meio do Fundo de Apoio aos Municípios (Fundam), instituído pelo decreto 1.621/ 2013. O documetno tem acesso disponível pelo site da Procuradoria Geral do Estado

O objetivo do evento é auxiliar os novos gestores neste primeiro ano de mandato em relação à execução dos programas federais, bem como apresentar oportunidades de financiamento para os projetos municipais.

O encontro contou com a presença da Ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti; do Ministro do Trabalho e Emprego, Manoel Dias; da Ministra do Planejamento, Miriam Belchior; e do Ministro do Turismo, Gastão Dias. O evento é uma promoção da Secretaria das Relações Institucionais da Presidência da República e conta com o apoio do Governo do Estado, da Federação Catarinense de Municípios (Fecam), da prefeitura de São José e da Associação dos Municípios da Grande Florianópolis.

Informações adicionais:
Rosália Dors Pessato 
Assessora de Comunicação
Secretaria de Estado do Planejamento 
E-mail: rosalia@spg.sc.gov.br 
Telefone: (48) 3665-3319/ 9186-9740

 

O Centro de Educação Superior do Oeste (CEO), da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), promove neste sábado, 3, das 9h às 18h, no prédio do curso de Enfermagem, no Centro de Chapecó, uma oficina sobre danças circulares. O evento terá a participação de 23 pessoas, entre alunos do curso de Enfermagem, psicólogos, enfermeiros, engenheiros e assistentes sociais.

A iniciativa é do projeto de extensão Espaço, Saúde e Equilíbrio, do curso de Enfermagem, coordenado pela professora Kiciosan Galli. As aulas serão ministradas pela assistente social e pós-graduada em Socioterapia Adriane Cavalli, de Chapecó.

Segundo Kiciosan Galli, a iniciativa visa mostrar à comunidade que existem várias alternativas para melhorar a saúde sem o uso de medicamentos. "A dança circular traz inúmeros benefícios como despertar a alegria, estimula a concentração e a atenção do participante. Esse tipo de dança trabalha o sentido de cooperação com o outro e a percepção de si mesma quando se movimenta. Também melhora a auto-estima. É um momento prazeroso", ressalta.

Danças circulares
Elas são basicamente danças de roda, recolhidas de diferentes partes do mundo em vários períodos. É um movimento cultural mundial, criado pelo bailarino e artista plástico alemão/polonês Bernhard Woisen na década de 50 e se espalhou pelo mundo.

Segundo o projeto Espaço, Saúde e Equilíbrio, existem danças muito antigas que vão passando de geração para geração e outras coreografadas recentemente. "O que caracteriza essas danças é o espírito comunitário que promovem, podendo ser danças para celebração ou de saudação".

Assessoria de Comunicação da Udesc
Jornalista Valmor Pizzetti
E-mail: valmor.pizzetti@udesc.br
Telefones: (48) 3321-8142/8143

Santa Catarina é novamente destaque em ranking de qualidade de vida. O Estado tem a maior expectativa de vida e a menor taxa de mortalidade infantil do país, aponta pesquisa nacional do IBGE divulgada nesta sexta-feira, dia 2. Os dados são referentes a 2010. 

pesquisa ibge 20130802 1781824676
Foto: Antônio Carlos Mafalda/Secom 

Segundo o levantamento, a expectativa de vida no Estado aumentou mais de 10 anos entre 1980 e 2010, passando de 66,56 para 76,80 anos. Na divisão por sexo, as mulheres apresentam expectativa de 79,90 anos e os homens de 73,73 anos, também os maiores indicadores do país. A média nacional ficou em 73,76.

Santa Catarina apresentou também a menor taxa de mortalidade infantil: 9,2 óbitos de menores de um ano para cada mil nascidos vivos no Estado, enquanto a média nacional é de 16,7 óbitos em cada mil nascidos vivos. Em 1980, a média catarinense era de 46,1 e a nacional de 69,1.

Outro indicador pesquisado é o de mortalidade na infância, que mede o número de óbitos de crianças com até cinco anos em cada grupo de mil. A média catarinense é de 11,2, e a nacional de 19,4. Em 1980, o mesmo indicador era de 51,2 em SC e de 84 no Brasil.

“Estes dados representam qualidade de vida, algo que foi construído ao longo de muito tempo, com a participação de todos. Santa Catarina se orgulha, mas os desafios continuam, desafios de fazer cada vez mais e melhor. Esses dados são muito importantes, eles nos animam e vamos continuar trabalhando firme para melhorar cada vez mais. É muito bom ver Santa Catarina com os melhores índices do Brasil”, avalia o governador Raimundo Colombo.

Ouça a entrevista com o governador Raimundo Colombo:

  Baixar áudio


Os números

Expectativa de vida em SC
Média geral – 76,80
Homens – 73,73
Mulheres – 79,90

Mortalidade infantil
(crianças de zero a um ano de idade – número de óbitos para cada mil nascidos vivos)
Média geral – 9,2
Homens – 10
Mulheres – 8,5

Mortalidade na infância
(crianças de zero até cinco anos – número de óbitos para cada mil nascidos vivos)
Média geral – 11,2
Homens – 12,3
Mulheres – 1 0,1

Fonte: IBGE – Veja a pesquisa completa aqui

{text}

O governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação (SST), amplia a atuação dos postos de atendimento do Sistema Nacional de Emprego (Sine) no Estado. Neste ano, em parceria com as prefeituras 12 unidades avançadas foram abertas em SC com o objetivo de facilitar o acesso do trabalhador às ações oferecidas nos postos.

sine 20130621 1092680750
Crédito: Cláudia Marcelo de Lima / SST

Além de buscar as vagas de emprego e fazer o encaminhamento para o seguro-desemprego, os postos do Sine oferecem orientações sobre outros programas como Juro Zero, Economia Solidária (em parceria com a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Sustentável) e cursos de qualificação profissional do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) Social do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS).

O secretário de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação (SST), João José Cândido da Silva, destaca que a descentralização permite mais aproximação com o cidadão. “Este governo quer estar cada vez mais próximo das pessoas e está transformando os postos do Sine de simples agência de atendimento a desempregados para agências de trabalho, emprego e renda. Não só inserimos a documentação para o seguro-desemprego, como orientamos as pessoas sobre cursos de qualificação e outros programas como o Juro Zero, em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Sustentável (SDS) com o objetivo de ampliar a capacidade profissional e a renda”, ressalta.

Em Santa Catarina, o Sine está vinculado à SST e oferece serviços aos trabalhadores em 118 unidades. São 22 postos de execução direta do governo do Estado e outros 96 postos conveniados com as prefeituras.

O secretário ressalta que o objetivo é descentralizar ainda mais as ações. “Estamos em tratativas com outras prefeituras para abrirmos mais unidades. Vamos ultrapassar a meta de 120 postos neste ano”, comemora.

Para este mês estão previstas visitas a municípios para firmar acordo de abertura de mais postos, além de visitas de supervisão da rede para levantamento sobre as condições físicas, acessibilidade e infraestrutura. Dois postos de atendimento foram revitalizados e receberam mobiliário e equipamento: o de São João Batista, na Grande Florianópolis; e o de Imbituba, no Sul.

Cursos de qualificação – As pessoas que buscam os postos do Sine recebem informações sobre os cursos gratuitos de qualificação profissional do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) Social do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS).

Para 2013 estão previstas 63 mil vagas para todo o Estado. Trinta e dois mil trabalhadores catarinenses frequentam as aulas. Os cursos são oferecidos por instituições como os Institutos Federais (IFSC), Institutos Federais Catarinenses (IFC) e no Sistema S, formado pelo Senai, Senac e Senat, e atendem a pessoas na faixa etária entre 16 e 59 anos e que estejam cadastradas no Cadastro Único (CadÚnico) do governo federal.

Juro Zero – Os 118 postos de atendimento do Sine são rede de apoio às operações do programa Juro Zero da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Sustentável (SDS) e prestam informações sobre o que é necessário para se tornar um microempreendedor individual (MEI). Com o programa, o MEI formalizado com receita até R$ 60 mil anual pode pegar empréstimo de até R$ 3 mil sem juros, além de receber qualificação profissional gratuita sobre empreendedorismo.

As informações prestadas pelo Sine são principalmente para os trabalhadores que buscam uma colocação no mercado após a conclusão dos cursos Pronatec Social e outros trabalhadores interessados na formação de empreendimentos e criação do próprio negócio.

Geração de renda e economia solidária – A SST prevê convênio com a Secretaria Nacional de Economia Solidária do Ministério do Trabalho (MTE) para executar no Estado projeto de fomento ao empreendedorismo e economia solidária. O objetivo é elevar a renda, melhorar a qualificação profissional com a promoção de feiras, rodadas de negócios e incentivo ao microcrédito.

 

Unidades do Sine abertas no primeiro semestre
Florianópolis – Canasvieiras e Rio Tavares, Ilhota, Piçarras, Monte Castelo, Barra Velha, Água Doce, Lages, Imaruí, Três Barras, Otacílio Costa, São João Batista.

 

Unidades previstas no segundo semestre:
Vargem Bonita, Cunhã Porã, Meleiro, Porto Belo e Bombinhas.

 

Informações adicionais:
Cláudia Marcelo de Lima 
Secretaria de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação 
E-mail: ascom@sst.sc.gov.br
Telefone: (48) 9181-2626

Em julho, a Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) acertou quatro acordos de cooperação científica e/ou técnica com entidades nacionais e estrangeiras. Todos eles já foram publicados no Diário Oficial do Estado e terão cinco anos de duração.

Em SC, a Udesc firmou convênio técnico com o Instituto Comunitário Grande Florianópolis (Icom) para estabelecer ações básicas nas áreas de ensino, pesquisa e extensão.

Atividades desse tipo e de caráter científico também serão feitas com a empresa Minipa do Brasil, que produz instrumentos de medição, para ampliar e aperfeiçoar a capacidade de ensino e treinamento, da pesquisa, da extensão e da prestação de serviço à comunidade.

Acordos internacionais

Com a Universidade Complutense de Madrid, que fica na Espanha e é uma das mais antigas do mundo, a Udesc promoverá o desenvolvimento da colaboração acadêmica, científica e cultural, além de fomentar a cooperação entre órgãos das duas instituições.

O outro convênio internacional foi assinado com a Universidade de Lisboa e pretende estimular a parceria acadêmica entre Brasil e Portugal e o reforço das atividades de pesquisa e ensino, com destaque para o intercâmbio de professores e alunos de graduação.

Assessoria de Comunicação da Udesc
Jornalista Rodrigo Brüning Schmitt
E-mail: rodrigo.schmitt@udesc.br
Telefones: (48) 3321-8142/8143