O Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina (CBMSC) formou nesta sexta-feira, dia 19, 33 novos Cabos Bombeiro Militar. Após dois meses de atualização técnica e operacional no Centro de Ensino da Corporação em Florianópolis, os militares concluíram a capacitação e agora retornam para suas cidades de origem para reforçar as guarnições no salvamento de vidas e bens alheios.

O Curso de Formação de Cabos II/2013 teve início no mês de maio e carga horária de 488 horas/aula. No período foram atualizados os conhecimentos dos militares nas áreas de Salvamento Aquático, Salvamento em Altura, Atendimento Pré-Hospitalar, Resgate Veicular, Busca Terrestre, Combate a Incêndio, Operações com Produtos Perigosos e Análises Técnicas Preventivas.

Todos os 33 inscritos concluíram o CFC II com êxito. O destaque ficou por conta do aluno Cabo BM André Rauber, classificado em 1º lugar no curso com média 9,89. Ele foi homenageado com a Medalha Cabo BM Zilmar Silva Farias, concedida pelo Governador do Estado por indicação do Comandante-Geral ao melhor colocado no curso. A entrega da medalha e demais veneras foi realizada pelo Secretário de Estado de Segurança Pública, César Augusto Grubba, acompanhado do Comandante-Geral do CBMSC, Coronel BM Marcos de Oliveira e da madrinha do militar, Sra. Eliane da Silva.

A turma de formandos leva o nome do Cabo BM José Delaudino de Souza como forma de homenagear o colega tido como exemplo profissional e pessoal. O homenageado fez parte do 1º grupo de salva-vidas da Corporação, tendo atuado em 1962 na cidade de Balneário Camboriú. Ele faleceu em maio de 2012, deixando cinco filhos entre eles o formando aluno-Cabo BM Gilberto Delaudino de Souza.

“Muito está sendo investido na compra de viaturas e equipamentos ao Corpo de Bombeiros via Pacto por Santa Catarina, mas também são nítidos os esforços deste governo para a viabilização de oportunidades de ascensão hierárquica aos militares, seja com a abertura de vagas ou por meio da promoção de cursos de formação e aperfeiçoamento”, disse o Secretário César Grubba, referindo-se aos R$ 32 milhões destinados pelo programa do Governo do Estado à Corporação e a Lei de Fixação de Efetivo, aprovada em 2013, que permitiu a abertura de novas vagas em níveis intermediários de carreira e, com isso, novas promoções.

Em sua manifestação, o Comandante-Geral lembrou os formandos da necessidade de perseguirem o ideal de continuar a desenvolver um serviço íntegro, profissional e focado no compromisso público de suas carreiras. “Continuem sendo um orgulho para suas famílias e para a Corporação que confia e depende do trabalho de cada um” finalizou, estendendo os cumprimentos à equipe de instrutores, monitores e demais funcionários do Centro de Ensino Bombeiro Militar – responsável pelo CFC II.

A solenidade, que contou com a participação da banda da Polícia Militar de Santa Catarina, foi encerrada pelo tradicional batismo dos novos Cabos Bombeiro Militar.

Esta foi a segunda turma de Cabos BM formada em 2013. Em Maio, o Centro de Ensino Bombeiro Militar formou 36 Cabos BM no CFC I/2013. No próximo dia 29 de julho ingressam no CFC III/2013 outros 34 militares e, conforme a Diretoria de Ensino, existe a previsão de uma quarta turma ainda em 2013.

Informações adicionais:
Soldado BM Felipe Rosa
Telefone: 48 3251 9614
Email: ccs@cbm.sc.gov.br

A Secretaria de Estado da Saúde informa, a seguir, a situação das emergências dos hospitais Celso Ramos e Regional de São José, nesta sexta-feira, 19.

Nesta sexta-feira, 19, até o final da manhã, a emergência do Hospital Celso Ramos, em Florianópolis, estava atendendo 37 pessoas. Segundo informações da instituição, três pessoas estavam em estado grave. Nas últimas 24 horas, o Celso Ramos recebeu, na Emergência, 194 pessoas. Deste total de atendimentos, 106 são do setor de ortopedia.

No Hospital Regional de São José havia, na emergência geral, 124 pacientes até o final da manhã desta sexta-feira, com 19 pessoas aguardando consulta. Nas últimas 24 horas, de acordo com as informações da direção do Hospital Regional de São José, o setor de emergência atendeu 297 pacientes. Na emergência pediátrica, 175 crianças foram atendidas.

O quadro geral do Hospital Regional de São José é de 316 pacientes internados. Ao todo, 44 internações foram feiras nas últimas 24 horas.

A Secretaria de Estado da Saúde orienta a população a primeiro procurar os centros de saúde dos seus municípios. Os postos de saúde e Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) estão aptos a atender situações de urgência, que são aqueles em que a pessoa não corre riscos. São casos, por exemplo, de febre e dores generalizadas. Os casos mais graves serão encaminhados para os hospitais.

Informações adicionais: Ana Paula Bandeira
Secretaria de Estado da Saúde
Telefone: (48) 9113-6065
E-mail:anap@saude.sc.gov

Para comemorar os 25 anos de fundação do Centro de Hematologia e Hemoterapia (Hemosc), a direção da instituição fará uma homenagem aos seus doadores e colaboradores. A cerimônia será às 16h, desta sexta-feira, 19, no Auditório Antonieta de Barros, da Assembléia Legislativa (Alesc).

O Hemosc faz parte da rede de unidades públicas da Secretaria de Estado da Saúde (SES) e é administrado pela Fundação de Apoio ao Hemosc e Cepon (Fahece). Em 2012, o Hemosc coletou, em todo o Estado, 125 mil bolsas de sangue. Em menos de 20 anos, as coletas cresceram 625% - em 1997, 20 mil bolsas foram doadas. Os exames hematológicos, que em 1977 eram 43 mil, chegaram a 150 mil em 2012.

Ao longo de sua trajetória, o Hemosc tornou-se referência nacional. Atualmente, é única hemorrede estadual do país certificada pela Norma ISO 9001:2008. Por essa razão foi indicado pelo Ministério da Saúde para a obtenção da Certificação Internacional da Associação Americana de Bancos de Sangue (AABB) e Associação Brasileira de Hematologia e Hemoterapia (ABHH).

Histórico

No início da década de 1960, foi instalado em Florianópolis, o Banco de Sangue da Maternidade Carmela Dutra, com objetivo de coleta e armazenamento. Mais tarde, por meio da Lei 3.555, de 27 de novembro de 1964, foi criado o Centro Hemoterápico Catarinense (CHC), que veio substituir o Banco de Sangue da Maternidade Carmela Dutra.

Posteriormente, o CCH foi transferido para a nova sede, no Centro da Capital. A finalidade do CCH era realizar atendimento em todo o estado, com postos instalados nas principais cidades do interior. Na época, era o único banco de sangue do Brasil com essa abrangência.

Em 1971, o Centro Hemoterápico Catarinense foi transferido para o prédio localizado na Avenida Othon Gama D´Eça, número 756,  Centro  de Florianópolis, onde segue instalado até hoje. Com base nas diretrizes do Plano Nacional de Sangue e Hemoderivados (Planashe), atualmente Coordenadoria Geral de Sangue, outros Tecidos e Órgãos (SAS), o Centro de Hematologia e Hemoterapia (Hemosc) foi criado em 20 de julho de 1987, pelo Decreto Lei Estadual número 272, com o objetivo básico de prestar atendimento hemoterápico de qualidade à população da região, bem como dar assistência aos portadores de doenças hematológicas.

Com sua área física e seu quadro pessoal ampliado, foi criado através do Decreto Lei número 3015, de 27 de fevereiro de 1989, o Sistema Estadual de Hematologia e Hemoterapia, com a finalidade de promover a interiorização das ações relativas ao uso de sangue para fins terapêuticos, a doação voluntária do sangue, medidas de proteção à saúde do doador e receptor, medidas para disciplinar a coleta e o controle de qualidade, condições de estocagem e distribuição de hemoderivados, e promover o desenvolvimento de conhecimento científico e tecnológico na área.

Desde então, o Hemosc passou a ser o hemocentro coordenador, tendo como unidades auxiliares os hemocentros regionais, localizados nos municípios pólos de Santa Catarina. Atualmente, o Hemosc coordena a Hemorrede Pública do Estado de Santa Catarina, composto por cinco Hemocentros Regionais localizados em Lages, Joaçaba, Chapecó, Criciúma, Joinville e Blumenau.

Informações adicionais:
Ana Paula Bandeira
Secretaria de Estado da Saúde
Telefone: (48) 9113-6065
E-mail:anap@saude.sc.gov

Equipe da Secretaria de Estado da Saúde, do Ministério da Saúde e representantes de um movimento voluntário que busca uma maior humanização dos partos realizados em Santa Catarina se reuniram, nesta quinta-feira, 18, no gabinete do secretário-adjunto de Estado da Saúde, Acélio Casagrande. O assunto tratado foi a implantação da Rede Cegonha em todo o território catarinense, que acontece em agosto, quando o Estado receberá recursos do Ministério da Saúde para custeio e investimentos em unidades de saúde de todas as regiões do Estado.

Mayra Calvette, a enfermeira que acompanhou os dois partos da modelo Gisele Bündchen, participa de um movimento voluntário em prol do parto humanizado em Santa Catarina e, por isso, participou da reunião. Ela está ajudando a equipe da Saúde nos projetos da Rede Cegonha - um programa do Ministério da Saúde que libera recursos para os estados investirem em cuidados com gestantes e bebês.

Três regiões catarinenses já recebem recursos da Rede Cegonha para melhoria do atendimento à gestante e ao bebê. A Grande Florianópolis, Planalto Norte e Nordeste recebem, mensalmente, R$ 1 milhão desde dezembro de 2012 para custeio de parto e nascimento em hospitais. A partir de agosto, todo o Estado será contemplado. E, quando toda a rede estiver em funcionamento, a previsão é de que o Estado receba R$ 75,8 milhões. Com os recursos, serão construídos, no total, cerca de 200 leitos pelo Estado, além de 14 casas para gestantes e mães com seus bebês e 24 centros de partos normais.

A Secretaria de Estado da Saúde elaborou 13 planos de ação, envolvendo pré-natal e nascimento dos bebês. Esses projetos estão sob a avaliação do Ministério da Saúde e a publicação da portaria está prevista para agosto.

“O objetivo maior disso tudo é humanizar os partos, reduzir ainda mais a mortalidade materna e infantil e aumentar o número de partos normais”, explica Acélio Casagrande.

Em Santa Catarina, 60,7% dos partos feitos em 2012 foram cesarianas. No Brasil, a média foi de 53%. E a Organização Mundial de Saúde recomenda que esse percentual seja entre 15% e 20%. “Ou seja, há muito a trabalhar”, diz o secretário-adjunto da Saúde. A previsão é de que na segunda quinzena de agosto seja feita a contratualização com os hospitais, com liberação dos recursos.

O que a Rede Cegonha vai trazer para Santa Catarina:

- 80 leitos de gestação de alto risco

- 17 leitos de UTI neonatal

- 65 leitos de cuidados intensivos neonatal

- 43 leitos de cuidado neonatal na modalidade canguru

- 14 casas para gestante, bebê e puérpera (extensão dos hospitais referência em gestação de alto risco, as casas serão construídas para hospedar gestantes de alto risco e mães com bebê na UTI)

- 24 centros de parto normais (para que o bebê nasça com segurança e com o mínimo de intervenção – o chamado parto humanizado).

Informações adicionais:
Ana Paula Bandeira
Secretaria de Estado da Saúde
Telefone: (48) 9113-6065
E-mail: anap@saude.sc.gov

O diretor do Departamento de Administração Prisional (Deap), Leandro Antônio Soares Lima, esteve, nesta quinta-feira, 18, no Complexo Penitenciário do Vale do Itajaí para inspecionar as obras de ampliação do presídio, que já está com 80% do projeto executado.

“As obras, que iniciaram há cerca de 70 dias, já estão em fase de conclusão e a previsão é de que a entrega da estrutura e alocação dos presos seja realizada antes do previsto”, assegurou Leandro. A nova ala, com capacidade para 324 detentos terá 648 vagas.

Atualmente, o Presídio do Complexo do Vale do Itajaí possui aproximadamente 600 detentos. É a unidade que mais absorveu internos do Presídio Regional de Balneário Camboriú, que foi interditado em 2011.

A obra faz parte do pacote de investimentos previsto nos recursos do Pacto por Santa Catarina, um programa do Governo do Estado que realizará um investimento de mais de R$ 9 bilhões a serem investidos nas mais diversas áreas. “Estamos muito satisfeitos com o andamento das obras e trabalharemos para garantir a mesma celeridade nos projetos e novas unidades que serão construídas ainda este ano e que abrirão até o final de 2014 mais de 6 mil vagas no Estado”, ressalta o diretor do Deap.

Além do diretor do Deap e agentes penitenciários do departamento, acompanharam a visita o diretor da penitenciária do complexo, Juliano Stoberl, o gerente do presídio do complexo, Cristiano Tavares de Carvalho e o engenheiro da obra, Marlon Guimarães Rocho.

Informações adicionais:
Denise Lacerda
Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania
Telefone: (48) 9152-6934

E-mail: 
deniselacerda@sjc.sc.gov.br

 

O endereço de e-mail address está sendo protegido de
spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para v

 

Tempo instável com predomínio de nuvens e pancadas de chuva com trovoadas a qualquer hora do dia na maioria das regiões, devido a presença de um sistema de baixa pressão entre o Paraná e Santa Catarina, e a presença do Jato Subtropical (ventos fortes em altos níveis da atmosfera). No final do dia o tempo começa a melhorar um pouco no Oeste e Meio Oeste. No Vale do Itajaí, Grande Florianópolis, Planalto e Litoral norte a chuva é mais persistente, Temperatura baixa durante o dia. Vento de sul a sudeste, fraco a moderado com rajadas.

As informações são da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural (Epagri), por meio do Centro de Informações e Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia (Ciram). Mais detalhes no site da Epagri/Ciram.  

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), por meio do secretário de Desenvolvimento Agropecuário e Cooperativismo (SDC), Caio Rocha, esteve nesta quinta-feira, dia 18, visitando a Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca para conhecer com mais detalhes os programas de equalização de juros de empréstimos aos agricultores e os de fomento a agricultura catarinense. Rocha conheceu o funcionamento dos programas e aproveitou para mostrar as ações executadas pelo Mapa.

Segundo o secretário Caio Rocha, o Mapa depois do lançamento do plano safra, que destinará R$ 136 bilhões para o setor, decidiu visitar Santa Catarina que é um dos estados que mais potencializa os recursos que são investidos em parceria para desenvolvimento da agricultura brasileira. “Os programas Juro Zero Agricultura/Piscicultura e o Terra Boa (que fornece kits forrageira, calcário e sementes de milho), são exemplos que podem ser levados aos outros estados. São políticas públicas como essas que podem ser adaptadas em outros estados”, destaca Rocha.

O secretário-adjunto da Secretaria da Agricultura e da Pesca, Airton Spies afirma que com estes incentivos Santa Catarina está conseguindo atrair mais recursos federais para estruturar as propriedades rurais e também diversificar os investimentos para atividades que dão maior retorno na realidade local de cada município. Ele cita como exemplo, a pecuária leiteira, que vem crescendo anualmente, com apoios dos programas da Secretaria, aumentando a produtividade e a qualidade, a produção da carne bovina, seguro agrícola, melhorias de condição de trabalho dos agricultores com máquinas e equipamentos. “Todos estes recursos são efetuados mediante projetos e acompanhamentos técnicos feitos pela Epagri”, enfatizou Spies.

Por meio do programa Juro Zero Agricultura/Piscicultura, a Secretaria da Agricultura e da Pesca busca incentivar investimentos em captação, armazenagem e utilização da água para usos múltiplos na agricultura, projetos de produção de carne e leite a pasto, aproveitamento de dejetos da produção intensiva de animais, fruticultura, olericultura, flores e plantas ornamentais, piscicultura de água doce, mecanização agrícola entre outros.

O Programa Terra Boa consiste em fornecer até 30 toneladas de calcário por produtor, até 5 sacos de sementes de milho e 1 kit forrageira. O calcário poderá ser fornecido dentro de duas modalidades, sendo via cooperativas, onde o produto é disponibilizado para ser retirado próximo à sua propriedade, ou direto da mina, sendo o produtor responsável pelo transporte do produto do local de origem à sua propriedade.

No caso do calcário fornecido através de cooperativas, o preço fixado leva em consideração o preço do produto acrescido do custo de transporte da mina até o local de depósito localizado próximo da propriedade do produtor. Se o calcário for fornecido direto da mina, cabe ao produtor pagar somente o frete do produto, da mina até sua propriedade. Em todos os casos, o produtor paga pelos produtos o equivalente em sacos de milho consumo tipo II (60 kg), pelo preço de referência fixado no início de cada ano.

Informações adicionais:
Ney Bueno
Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca
E-mail: imprensa@agricultura.sc.gov.br
Telefone: (48) 3239-4137

O papel dos conselhos na garantia das políticas públicas para mulheres é o tema da webconferência que será realizada nesta sexta-feira, 19, na Fundação Escola de Governo (ENA), em Florianópolis, das 14h às 17h. O evento é promovido pela SST em conjunto com o Conselho Estadual dos Direitos da Mulher (Cedim/SC). O objetivo é estimular a criação dos conselhos municipais em Santa Catarina. Hoje o Estado tem 23 conselhos municipais.

O secretário de Estado da Assistência Social Trabalho e Habitação (SST), João José Cândido da Silva, destaca que as políticas públicas para as mulheres são fundamentais e reforça que os conselhos municipais podem ajudar nisso. “É importante que o número de conselhos aumente nos municípios e que tenhamos um plano de instalação de atendimento às mulheres vítimas de violência com casas regionais de acolhimento para que elas possam permanecer nestes locais até que se resolvam os problemas familiares”, ressaltou.

O debate será transmitido via internet e terá a participação dos municípios por meio das Secretarias de Desenvolvimento Regional (SDRs). Participam a Gerente de Proteção Social Especial da SST, Sandra Regina da Silva; a Presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher (Cedim/SC), Elisabete Silva de Oliveira; e a presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher, Sheila Sabag.

Estado - Para a inclusão social das mulheres e suas famílias e para o atendimento àquelas vítimas de violência o Estado conta com os Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) e os Centros de Referência Especializados de Assistência Social (Creas). Em Santa Catarina, existem 343 CRAS em 271 municípios e 86 Creas em 82 municípios. O Governo do Estado construirá mais destes equipamentos até 2014. Serão 79 CRAS e 27 Creas num total de R$ 44,5 milhões de investimentos do Pacto pela Proteção Social. O Estado coordena e monitora esses equipamentos e a execução é de responsabilidade dos municípios.

As denúncias de violência contra a mulher podem ser feitas pela Central de Atendimento à Mulher – Ligue 180.

Conselho municipal - A criação de um conselho municipal deve seguir uma série de etapas. Primeiro é preciso verificar se a criação do conselho está prevista em lei. Se não estiver, é necessário elaborar uma proposta de projeto de lei e apresentá-la para a Câmara de Vereadores. A criação de uma comissão de criação do conselho também é importante. A comissão irá viabilizar a criação do conselho. Quando o conselho estiver formado, a comissão será extinta.

Os conselhos municipais são responsáveis por formular políticas públicas que garantam os direitos das mulheres; fiscalizar o cumprimento das leis referentes às mulheres; além de sugerir a elaboração de leis que proíbam a discriminação das mulheres.

Os conselhos de direitos da mulher são instrumentos de participação democrática que contribuem para a elaboração de políticas públicas para esse segmento da população. O Conselho Estadual foi criado pela Lei 11.159, de 20 de julho de 1999, e é composto por 11 instituições governamentais e 11 não governamentais. De acordo com o regimento, a representatividade local pretende estimular a implantação dos conselhos municipais de direitos da mulher.

Informações adicionais:
Luciane Lemos
ascom@sst.sc.gov.br
(48) 3229-39-06 ou 3229-3753 

O governador Raimundo Colombo prestigiou nesta quinta-feira, dia 18, um dos atos mais esperados pela comunidade do Vale do Itajaí. Foram assinadas as ordens de serviço para duplicação da rodovia BR-470 nos Lotes 3 e 4, com recursos de R$ 374 milhões, assegurados pelo governo federal por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC2). O evento também contou com a presença do ministro dos Transportes, César Augusto Rabello Borges, e da ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti.

“O grande momento chegou e a partir de agora as obras começam. E quando estiverem prontas, vão melhorar a infraestrutura de todo o Estado. A duplicação será muito importante para escoar a produção catarinense para os portos de São Francisco do Sul e de Itajaí”, explicou Colombo.

br-470 20130718 2004108212

A rodovia, considerada uma das principais ligações do Estado com os portos, terá 74 quilômetros duplicados, que serão divididos em quatro lotes. O Lote 1 começa em Navegantes e vai até Luis Alves, na divisa com Ilhota. O Lote 2 compreende o trecho de Luis Alves até Gaspar. O terceiro lote vai de Gaspar até Blumenau e quarto continua até Indaial.

Serão investidos R$ 1,7 bilhão para a duplicação dos 74 quilômetros, que fazem parte dos quatro lotes. Nesse percurso, serão 26 viadutos, oito pontes e 64 quilômetros de ruas laterais. “É a única rodovia desse porte em Santa Catarina que terá ciclovia. Já visitei esse Estado duas vezes e hoje tenho o prazer de anunciar uma obra importante para os catarinenses”, comentou o ministro.

Os documentos foram assinados pelo ministro dos Transportes, César Augusto Rabello Borges; pela ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti; pelo diretor geral do Dnit, general Jorge Fraxe; pelo diretor presidente da empresa Sul Catarinense, José Carlos Portella Nunes; e pelo governador Raimundo Colombo.

 

{text}

 

A Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca informa que está prevista para domingo, 21, a chegada de uma nova e intensa onda de ar polar ao estado com condições para geada forte e ampla. A Epagri/Ciram alerta para possibilidade de ocorrer geada negra, que é o congelamento interno da planta, que devido ao frio intenso, queima e fica escura. Mesmo com o forte frio, a expectativa é de que não haja perdas na agricultura em Santa Catarina.

O secretário de Estado da Agricultura e da Pesca, João Rodrigues, explica que para as culturas de trigo, cevada, aveia e azevem (pastagem de inverno), que ainda não estão em fase de florescimento, as baixas temperaturas são bem vindas. “Essas plantas precisam de frio no período de germinação até o florescimento, porque com o frio não há proliferação de doenças”, destaca. 

Em geral as culturas de inverno são mais resistentes às baixas temperaturas, e a preocupação maior é com as hortas e viveiros de mudas. “Aconselhamos aos agricultores que cubram ou irriguem suas hortas e se possível, deixem os animais em locais mais protegidos para que não sofram com o frio intenso”, ressalta o secretário. 

Os técnicos da Epagri (Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina) responsáveis pelas culturas de cebola e alho afirmam que os legumes são resistentes a geadas e que, mesmo entre Curitibanos e Canoinhas onde a semeadura acontece mais tarde, os riscos são muito pequenos para a plantação. As informações da Estação Experimental da Epagri de São Joaquim são de que a fruticultura está em fase de dormência, porém algumas frutas de caroço já iniciaram seu crescimento devido às temperaturas altas no inverno, para essas pode haver perdas com o frio intenso.

Segundo o secretário adjunto da Agricultura e da Pesca, Airton Spies, a geada negra poderá também afetar reflorestamentos jovens de eucalipto. “Em termos gerais esta é a época do ano em que o frio intenso causa menos prejuízos à agricultura. Se essa onda de frio ocorresse em setembro, as perdas poderiam ser muito grandes”, afirma Spies.

As previsões da Epagri/Ciram indicam que na noite de domingo, há possibilidade de temperaturas negativas nas áreas mais altas do estado, variando de -8°C a -10°C em Urupema, Urubici e São Joaquim, e de 0°C a 3°C no Litoral. Há chance de neve no domingo nas áreas altas do Planalto Sul, especialmente entre a tarde e noite. O frio intenso deve continuar até terça-feira (23).

Informações adicionais:
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca
E-mail: imprensa@agricultura.sc.gov.br
Telefone: (48) 3239-4084