Os mutirões de cirurgias eletivas promovidos pela Secretaria de Estado da Saúde seguem até dezembro. Há dois anos, esses mutirões estão acontecendo nas cidades catarinenses. Já foram realizados 54,723 mil procedimentos. Foi investido um montante de R$ 40.600.966,84 para eliminar as filas de espera de cirurgias eletivas no Estado.

Na primeira fase do projeto, que começou em agosto de 2011 e se estendeu até setembro de 2012, 6,4 mil cirurgias hospitalares (que precisam de internação) foram realizadas. Outros 13,6 mil procedimentos ambulatoriais (cirurgias de catarata) também foram feitos, totalizando um investimento de R$ 15 milhões.

A segunda fase do Mutirão de Cirurgias Eletivas do governo catarinense, que iniciou em setembro de 2012, realizou mais de 34 mil procedimentos até julho deste ano, ultrapassando a meta inicial de 19,8 mil cirurgias hospitalares e ambulatoriais. Governos Federal e Estadual investiram R$ 25,7 milhões.

Segundo Jocélio Voltolini, diretor de Planejamento e Controle e Avaliação do SUS, desde o início do projeto, o mutirão de cirurgias foi responsável por mais de 32 mil cirurgias de cataratas e 22,6 mil cirurgias com internação. “Já foi promulgada uma portaria pelo Ministério da Saúde que garante a continuidade dos mutirões até dezembro de 2013”, destaca Voltolini. "Estamos trabalhando muito para eliminar as filas", acrescenta a secretária de Estado da Saúde, Tânia Eberhardt.

Nesta terceira fase, até o momento foram autorizadas 2,9 mil cirurgias de catarata e 1,8 mil procedimentos hospitalares que devem ser realizadas até dezembro de 2013. “E, diariamente são autorizados mais procedimentos ambulatoriais e hospitalares, garantindo o acesso à saúde pública a um número maior de catarinenses”, acrescenta Voltolini.

Os procedimentos mais procurados são os de catarata e cirurgia geral (vesícula, hérnia e varizes). Além desses, o Projeto de Mutirão de Cirurgias Eletivas do Governo do Estado realiza procedimentos nas especialidades de otorrinolaringologia (amígdalas e Adenóide), ortopedia (cirurgias de joelho, membros superiores e inferiores e retirada de materiais de síntese), ginecologia e urologia. Desde julho de 2012, as especialidades ginecologia e urologia foram incorporadas ao mutirão, pela Secretaria de Estado da Saúde, devido à grande necessidade de realização dos procedimentos.

Mutirão de Cirurgias Eletivas em SC:

Especialidade

Procedimentos realizados (1ª fase)

Procedimentos realizados (2ª fase)

  1. (até julho de 2013)

Procedimento ambulatorial

Catarata

13.558

18.519

32.077

Procedimento hospitalar

Cirurgia geral

2.896

7.295

10.191

Otorrinolaringologia

1.094

5.904

6.998

Ortopedia

1.672

4.215

5.887

Ginecologia

451

1.135

1.586

Urologia

322

811

1.133

>>> Confira o boletim da Rádio Secom e faça download

  Baixar áudio

{attachments}

Informações adicionais:
Ana Paula Bandeira
Secretaria de Estado da Saúde
E-mail: anap@saude.sc.gov.brO endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Telefone: (48) 9113-6065

Mais de 20,5 mil pessoas foram afetadas pela chuva em Santa Catarina até a manhã desta segunda-feira, conforme levantamento feito pela Defesa Civil. As enchentes prejudicaram 70 cidades do Estado. Seis delas decretaram situação de emergência: Araquari, Bom Retiro,São José do Cedro,Saltinho,Santa Terezinha do Progresso e Serra Alta.

Até esta segunda-feira de manhã, mais de 4,6 mil casas haviam sido danificadas pela inundação, destelhamento, granizo ou deslizamento de terra. 

>>> Slideshare: confira o relatório completo da Defesa Civil

sobrevoo rio do sul enchente 20130922 2049833941
Corpo de Bombeiros em sobrevoo por Rio do Sul neste domingo. Foto: Divulgação

>>> Veja mais imagens na galeria de fotos

Uma das cidades mais afetadas é Blumenau. Segundo a Defesa Civil,  há 12.340 pessoas desabrigadas e 281 desalojadas. Na cidade, 3.176 residências foram afetadas pela inundação, que também atingiu mais de 1,3 mil estabelecimentos comerciais e industriais.

A cidade se preparou para os alagamentos com 23 abrigos, o desligamento preventivo de energia nas ruas próximas do leito do rio e uma força-tarefa envolvendo Defesa Civil municipal e estadual, Corpo de Bombeiros, prefeitura, escolas e outras instituições.

Outra cidade em situação crítica é Rio do Sul, onde há 1,5 mil pessoas desalojadas e 536 desabrigadas. O rio chegou a 10 metros acima do normal. A SC-350 foi interditada. Há 18 abrigos na cidade.

O volume de chuva nos últimos três dias são superiores à média esperada para todo o mês setembro. Os volumes mais significativos concentraram no Vale do Itajaí, Planalto Sul, Grande Florianópolis, Meio Oeste, Planalto Norte e Litoral Norte.

>>> Permanece o risco de inundação em cidades de Santa Catarina

Alerta para deslizamentos e alagamentos

Mesmo com a previsão de redução no volume de chuvas nas próximas horas, a Defesa Civil mantém o alerta para risco de deslizamentos de encostas e alagamentos. Os deslizamentos podem ocorrer nos municípios da Grande Florianópolis, Litoral e Planalto Norte, Vale do Itajaí, Litoral Sul, Meio-Oeste, Planalto e Litoral Sul. Já os alagamentos e inundações poderão ocorrer nas áreas com drenagem deficiente, especialmente no litoral, vulnerável aos efeitos da maré, e na Bacia do Rio Itajaí. Há também um alerta para inundações em Lages.

Força-tarefa

O governo do Estado de Santa Catarina montou uma força-tarefa para orientar e auxiliar a população. A Defesa Civil de Santa Catarina emitiu alerta para risco de alagamentos, deslizamentos e inundações. Os mapas meteorológicos indicam tempo instável com acúmulo de 300mm a 330 mm. Na prática isso representa que em três dias vai chover o dobro do esperado para o mês inteiro de setembro.
Nas regiões costeiras, os valores de marés elevados dificultam o escoamento das águas das chuvas para o mar. Podem ocorrer inundações pela maré astronômica de sizígia - ocorrem nas luas nova e cheia, quando são registradas as maiores preamares (maré alta) -e chuvas, especialmente nas madrugadas e tardes de sexta e de sábado. Entre domingo e segunda-feira a maré astronômica diminui, mas o vento sul pode continuar dificultando o escoamento das águas.

Orientações

Em caso de inundações e alagamentos, a Defesa Civil orienta a população a evitar o contato com a água e transitar em lugares alagados e pontes submersas. É importante tomar cuidado com crianças próximas de rios e ribeirões.

Em tempestades com descargas elétricas e vento, deve-se permanecer em local seguro e não transitar em locais abertos, próximo a árvores, placas publicitárias ou objetos que possam ser arremessados. É aconselhável que as pessoas se protejam em lugares com boas coberturas, ao exemplo dos banheiros das residências, fechar janelas e portas, e não manusear nenhum equipamento elétrico ou telefone devido aos raios e relâmpagos.

Quanto a possíveis deslizamentos de terra, deve ser observado qualquer movimento de terra ou rochas próximas a suas residências, inclinação de postes e árvores e rachaduras em muros ou paredes. Neste caso, é recomendável que a família saia de casa e acione a Defesa Civil municipal ou o Corpo de Bombeiros.
As defesas civis e órgãos estaduais das regiões Oeste, Litoral Sul e Planalto Sul, onde há maior confirmação de risco de alagamentos, já foram mobilizadas pela Defesa Civil estadual e estão preparadas para atender a população. “A equipe da Defesa Civil estadual está em estado de alerta e concentrada na previsão do tempo em todo o estado”, explica o diretor de Prevenção e Preparação da Defesa Civil, Fabiano de Souza.

Qualquer problema deve ser comunicado à coordenadoria municipal de Defesa Civil, através do telefone de emergência 199 ou para o Corpo de Bombeiros, no número 193. A Defesa Civil do Estado conta com atendimento de 24 horas, com equipes de prontidão. O telefone para contato é o (48) 3664-7000.

Leia mais
>>> Governador avalia possibilidade de decretar emergência em Santa Catarina
>>> Celesc começa o desligamento preventivo de energia em SC
>>> Saúde entrega ambulâncias 4x4 para municípios com risco de enchente
>>> Governo monta força-tarefa para atender a população
>>> Chuva diminui em SC, mas segue o alerta para deslizamentos

Mais informações para a imprensa
Qualquer informação adicional pode ser obtida por meio do telefone da Defesa Civil de SC no (48) 4009-9816 ou diretamente com os assessores de imprensa.
Assessoria Defesa Civil – (48) 9159-0445
Gerente de imprensa Governo SC, Jacqueline Iensen - (48) 9147-6761
Portal do Governo e Redes Sociais – Gisiela Klein – (48) 8843-5439

Outros contatos e informações do Governo estão disponíveis na página Sala de Imprensa. As fotos estão disponíveis na página Galeria de Fotos e são de uso livre da imprensa. Os vídeos estão disponíveis no FTP no endereço ftp://ftp2.ciasc.gov.br (login: governosc/senha:comunicacao).

Acompanhe também pelas redes sociais
facebook.com/governosc
@Secom_SC

Divulgar o projeto Minicompostagem Ecológica e marcar a data para que todas as escolas públicas de Lages não produzam mais lixo orgânico são as principais metas do seminário Lixo Orgânico Zero em Lages, que o Centro de Ciências Agroveterinárias (CAV), da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), realizará na manhã desta segunda-feira, 23, no Anfiteatro Caverna.

Na abertura do encontro, que começa às 8h30, o professor de Agronomia da Udesc Lages Germano Güttler apresentará o projeto, idealizado por ele e desenbvolvido no curso, que pretende deixar a cidade de Lages livre de lixo orgânico.

Além do levantamento do que já foi realizado, Güttler fará uma demonstração da viabilidade da iniciativa, que elimina o lixo transformando-o em húmus para usá-lo no cultivo de plantas ou hortaliças.

Segundo o professor, a idéia já foi adotada por quatro unidades escolares de Lages, que relatarão suas experiências durante o seminário. Os alunos desses estabelecimentos aprenderam como fazer a minicompostagem ecológica. O lixo orgânico é separado pelos alunos e professores em lixeiras diferenciadas para depois ser utilizado nos canteiros.

A meta agora é divulgar o projeto em outras 20 escolas do município, diz o professor da Udesc Lages. Nos âmbitos estadual e municipal, segundo Güttler, a causa já foi abraçada pela Secretaria Regional de Educação e pelas municipais de educação, meio ambiente e saúde.

O plano para 2014 é fazer com que todas as escolas da rede pública participem do projeto da universidade, o que envolveria cerca de 40 mil alunos.

De acordo com o professor da Udesc Lages, o lixo pode ser transformado em matéria orgânica da seguinte maneira:

  1. Separar em recipiente o lixo orgânico, como restos de comida, cascas de frutas e papel toalha usado;
  2. Depositar uma camada de 20 centímetros de lixo sobre a terra;
  3. Para evitar moscas, cobrir o lixo com cepilho ou grama;
  4. Oxigenar a área;
  5. Após 35 dias, o material orgânico estará pronto para ser utilizado.

Economia
O lixo orgânico gerado em Lages representa em torno de 60% do volume total do resíduo urbano, enquanto o lixo potencialmente reciclável (papel, papelão, plásticos, metais e vidros) chega a 35%.

Segundo o idealizar do projeto da Udesc Lages, esse material se perde porque os moradores e o processo de coleta misturam os dois tipos de lixo. A solução, aponta Germano Güttler, é a separação e a destruição total do lixo orgânico no local onde é gerado.

Ele calcula que Lages economizaria, com a adoção do método, em torno de R$ 2,6 milhões por ano, valor que a prefeitura gasta na coleta do lixo. "Além dessa economia, muitas pessoas que vivem da reciclagem teriam um trabalho mais digno e limpo, além de evitarem doenças", ressalta o professor. 

Para Güttler, a minicompostagem é simples e de fácil aplicação, já que pode destruir grandes quantidades de lixo orgânico em pequenas áreas, além de ser facilmente utilizada por um período indefinido de tempo. É possível produzir 400 quilos de material orgânico por metro quadrado. O método pode ser aplicado também em casa, em apartamento ou até em vasos e floreiras.

Informações adicionais
Jornalista Valmor Pizzetti
Assessoria de Comunicação da Udesc
E-mail: valmor.pizzetti@udesc.br
Telefones: (48) 3321-8142/8143

A Fundação Catarinense de Cultura (FCC) oferecerá, a partir de outubro de 2013, a oficina gratuita de Musinteração. O trabalho pioneiro e de caráter experimental contará com a experiência e reflexões sobre música e improvisação do servidor da FCC e multi-instrumentista Emanuel de Souza Pereira, do trio Família Papadú. As vagas são limitadas e voltadas a músicos abertos à diversidade de estilos e formas de expressão. Para se inscrever, basta preencher o formulário  e aguardar pelo contato da organização.

A oficina terá periodicidade semanal e visa desenvolver a expressão musical de cada participante, por meio de práticas de improvisação em grupo e discussão de conceitos. As aulas se iniciam na primeira semana de outubro, na sala 10 das Oficinas de Arte do Centro Integrado de Cultura (CIC), em Florianópolis. Como pré-requisito, o participante deve ser capaz de criar e exprimir ideias musicais em tempo real, utilizando algum instrumento musical, que deve ser trazido para as aulas.

Musinteração

Em diversas manifestações e tradições musicais a improvisação é um elemento fundamental. Esta forma de abordar a expressão musical confere liberdade ao indivíduo, mas requer concentração absoluta à música e uma interação com os outros músicos. A formação do músico improvisador livre requer uma prática de longo prazo para o desenvolvimento de sua linguagem artística.

Dada a importância da improvisação na musica, é de grande valor cultural a realização de uma oficina de prática de improvisação. O desenvolvimento da liberdade musical e da interação com os outros músicos é o enfoque dessa abordagem. Longe de ser uma liberdade irresponsável ou bagunçada, a musinteração, com sua proposta libertadora pretende desenvolver o sentido do belo e a liberdade responsável comprometida com a harmonia coletiva da música.

Durante o curso, serão abordados tópicos e conceitos, como a pergunta e resposta instrumental; o solo; a atenção ao solista; a improvisação simultânea; atenção a todos os músicos; prolegômenos para a musinteração; preparação para a improvisação; conceitos de prática de conjunto; o swing, o groove, a “cozinha”; escalas e modos; o erro na musinteração; entre outros temas. Será incentivada a alternância de instrumentos, segundo o interesse dos participantes.

Sobre o ministrante

Com a Família Papadú, Emanuel de Souza Pereira desenvolveu a abordagem que passou a chamar "musinteração", na qual leva a improvisação a um nível intenso de criação coletiva ao vivo, sem ater-se às referências de um gênero musical específico e dando ênfase à integração do grupo e atenção recíproca. Com toda a experiência ao longo de quase 15 anos praticando a improvisação, o proponente da oficina irá desenvolver essa prática em encontros semanais.

Atualmente, Emanuel é estudante da 6ª fase do curso de Licenciatura em Música na Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc). Seu contato com o meio universitário e diversos músicos revelou que neste meio poucas são as oportunidades de desenvolvimento desse aspecto tão importante da expressão musical que é a improvisação. A realização das oficinas de "musinteração" pretende preencher essa lacuna e abrir um espaço único para a prática da improvisação.

"Tenho um interesse e prática em diversos gêneros musicais (música celta, blues, músicas do sertão nordestino, samba, rock, funk, fusion, etc). Apesar de ter um conhecimento teórico advindo dos estudos acadêmicos do curso de Música da Udesc, na prática trabalho com uma abordagem mais intuitiva com enfoque na improvisação", explica Emanuel.

Serviço:

O quê: Oficina Musinteração
Onde: Sala 10 – Oficinas de Arte do Centro Integrado de Cultura (CIC) - Avenida Governador Irineu Bornhausen, 5600 - Agronômica - Florianópolis/SC
Aulas: sempre às quartas-feiras, de 2 de outubro a 4 de dezembro de 2013 (total de 10 encontros)
Horários: das 15h às 17h30min
Inscrições: pelo formulário
Informações: (48) 3953-2347

Informações adicionais:
Fernanda Peres
Fundação Catarinense de Cultura
E-mail:fernanda@fcc.sc.gov.brO endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Telefone: (48) 3953-2354

De acordo com os níveis atuais dos rios, a situação das estações hidrológicas nas Bacias do Rio Itajaí, Canoas, do Peixe e Tijucas é a seguinte:

Condição dos níveis dos rios para emergência: Barragem Oeste em Taió, Taió, Rio do Sul – Novo, Blumenau, Brusque, Rio Bonito em Bocaina do Sul e Passo Marombas em Curitibanos.

Condição dos níveis dos rios para alerta:  Ituporanga, Apiúna - Régua Nova, Timbó – Novo, Joaçaba I e São João Batista.

Condição dos níveis dos rios para atenção: Chapadão do Lajeado.

Bacia do Rio Itajaí

Considerando os níveis atuais dos rios e a previsão do tempo do setor de meteorologia da Epagri/Ciram, permanece o risco hidrológico para inundação em Rio do Sul, Taió, Blumenau e Brusque. No entanto, os níveis dos rios na região do Vale do Rio Itajaí do Sul está diminuindo, dependendo da região, a uma taxa de 4 a 26 cm/h na última hora monitorada. Na região do Alto Vale do Rio Itajaí, o nível dos rios permanece constante devido ao controle das barragens em Ituporanga e Taió. Na bacia do Rio Itajaí Mirim, o nível do rio apresenta uma tendência de descida em Brusque de 26 cm/h. 

Em Itajaí, das 8 estações de monitoramento, 4 estão em cota de emergência e duas de alerta e as inundações estarão influenciadas pela água que está descendo em direção ao município e pela oscilação da maré.

Nas demais regiões do Estado a situação está tentendo para a normalidade.


Bacia do Rio Canoas

Considerando o nível atual do Rio Canoas e a previsão do tempo do setor de meteorologia da EPAGRI/CIRAM, haverá permanência de risco hidrológico para inundação em Rio Bonito em Bocaina do Sul e Passo Marombas em Curitibanos.

Bacia do Rio do Peixe

O nível atual do Rio do Peixe está diminuindo a uma taxa de 10 cm/h na última monitorada em Joaçaba.

Bacia do Rio Tijucas

O nível atual do Rio Tijucas está diminuindo a uma taxa de 22 cm/h na última monitorada em São João Batista.

aviso 23-09-2013 - n 01

Informações acesse:
http://ciram.epagri.sc.gov.br
E-mail:  sshidrosc@epagri.sc.gov.br
Equipe da Sala de Situação
EPAGRI – CIRAM
Fone: (48) 3665-5124

 

A Comissão Estadual da Verdade Paulo Stuart Wright (CEV) realiza, nesta segunda-feira, (23/9), audiência pública com escritores, jornalistas e pesquisadores sobre violação de direitos humanos praticadas por motivação política em Santa Catarina durante o período da ditadura militar. O encontro ocorre na Sala de Imprensa da Assembleia Legislativa, em Florianópolis, a partir das 14h. 

De acordo com o coordenador da Comissão, o procurador do Estado Naldi Otávio Teixeira, foram convidadas seis pessoas, na qualidade de colaboradoras, para auxiliar na coleta de dados: Celso Martins da Silveira Junior, Louise Benassi, Maikon Jean Duarte, Marcos Espíndola, Marise Veríssimo e Tânia Giusti. Todos realizaram algum tipo de pesquisa a respeito da ditadura militar em Santa Catarina e poderão contribuir com informações para esclarecer as denúncias de violação de direitos humanos. 

A CEV foi criada em março de 2013 para prestar auxílio à Comissão Nacional da Verdade (CNV). O grupo já coletou depoimentos de catarinenses presos ou torturados no regime militar e realizou duas audiências públicas, uma em julho e outra no início de setembro. Além do coordenador Naldi Otávio Teixeira, participam da Comissão Estadual a deputada Luciane Carminatti; a membro do Coletivo Catarinense Memória, Verdade e Justiça, Derlei Catarina De Luca; e os advogados Anselmo Machado e Marcos Antônio Luiz da Silva, representantes da OAB-SC.   

Informações adicionais
Maiara Gonçalves Assessoria de Comunicação
comunicacao@scc.sc.gov.br
(48) 3665-2005 / 8843-3497 

Nesta terça-feira (24/9), uma equipe composta por dirigentes e técnicos da Fundação Catarinense de Educação Especial (FCEE), de São José, estará em Lages para apresentar e distribuir publicações e resultados de pesquisas da instituição. O evento, que acontece na Uniplac, tem o apoio da Secretaria de Desenvolvimento Regional (SDR) do município.

Na apresentação, que deve durar cerca de quatro horas, profissionais da FCEE vão falar sobre as publicações “Intérpretes Educacionais de Libras: orientações para a prática profissional”, “Locomoção: independência e autonomia”, “Calendário Brincando com a Família”, “FCEE em números” e “Manual de Receitas para Disfagia”. Elaboradas em uma linguagem didática e de fácil compreensão, esses livros e cartilhas foram planejados para contribuir com o cotidiano das famílias com pessoas com deficiência, visando a uma melhor qualidade de vida.

As cinco publicações são fruto de pesquisas realizadas na Fundação, e trazem um pouco do conhecimento adquirido pelos profissionais na prática de atendimento diário às pessoas com deficiência nos dez Centros de Atendimento Especializados da instituição. Elas serão distribuídas gratuitamente na SDR, em escolas, universidades, instituições especializadas e, com objetivo de torná-las ainda mais acessíveis à população, em breve também estarão disponíveis no site da FCEE. Tratando de diferentes deficiências/temáticas, as publicações devem servir de subsídio teórico e técnico não apenas para profissionais que trabalham com educação especial, mas também para as famílias. É o caso, por exemplo, de Brincando com a família  e do Manual de Receitas para Disfagia.

A primeira publicação trata-se de uma agenda semanal que traz sugestões de atividades diárias para a estimulação da criança. Já a segunda traz receitas saudáveis e de fácil execução voltadas a pessoas que apresentam esse distúrbio de deglutição. Também recebe destaque o livro Intérpretes Educacionais de Libras, que objetiva fornecer aos intérpretes que atuam em escolas ou instituições especializadas orientações para um trabalho mais coeso e unificado no estado.

Já Locomoção trata da atividade de locomoção independente realizada pelo Centro de Educação e Trabalho (Cenet) da FCEE, que consiste em proporcionar ao aprendiz a aquisição da competência de locomover-se, ou seja, ir e vir de maneira independente, autônoma e segura.

Por fim, “FCEE em números” traz o levantamento de dados estatísticos da área da educação especial no período de 2000 a 2010, com base na síntese dos Relatórios de Estatística e nos Relatórios de Atividades. Este documento tem o intuito de demonstrar a análise dos dados coletados nesses dez anos, comparando anualmente o número de instituições especializadas e as matrículas dos sujeitos com deficiência nestas instituições.

Além das publicações, durante a visita ao município a equipe também deve apresentar brevemente a própria FCEE, projetos, pesquisas e destaques como o SERIENE, sistema online de processamento de dados implantado na Fundação no ano passado com objetivo de criar um banco de dados estatístico da área da educação especial em SC. Depois de Lages, a FCEE fará apresentações em Itajaí, Criciúma, Chapecó e Florianópolis. Porém, segundo a presidente Rosemeri Bartucheski, a ideia é futuramente visitar mais municípios.

“Com esta ação queremos reforçar a missão da Fundação, que é fomentar, produzir e difundir o conhecimento científico e tecnológico referente à educação especial no estado. Levando nossas publicações e nossos técnicos a diversas regiões do estado, estaremos socializando nossas produções, compartilhando o nosso conhecimento para melhorar a vida das pessoas com deficiência em Santa Catarina”, destacou Rose.  

Saiba mais
O que: apresentação de publicações técnicas e pesquisas da FCEE na 27a. SDR – Lages
Onde: CCJ da Uniplac Objetivo: disseminar pelo estado o conhecimento produzido na Fundação, materializado em informações, pesquisas e publicações técnicas.
Quando: 24 de setembro, terça-feira, a partir das 14h
Público-alvo: profissionais das Secretarias de Estado de Desenvolvimento Regional (SDRs), Gerências Regionais, escolas estaduais e municipais, instituições conveniadas (APAEs e Congêneres), Universidades, intérpretes de LIBRAS, profissionais de educação especial em geral e estudantes.
Quem participa das apresentações: Rosemeri Bartucheski, presidente da FCEE; Raquel Santos Rachadel da Silva, Diretora de Pesquisa, Ensino e Extensão; Waldemar Carlos Pinheiro, Gerente de Pesquisa e Conhecimentos Aplicados; Roberta Guterres, nutricionista; Cristiane Alves, fonoaudióloga; Kátia Ladewig, coordenadora do Centro de Educação e Trabalho (Cenet); Elaine Carmelita Piucco, Supervisora de Atividades Educacionais; Rita Furtado, Gerente de Planejamento e Avaliação; Patrícia Amaral, coordenadora do Centro de Capacitação de Profissionais de Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez (CAS); Marise Caldeira Andrada e Silva, coordenadora do Centro de Reabilitação Ana Maria Philippi (Cener).

Informações adicionais
Carolina Teixeira Weber
Assessoria de Comunicação FCEE
Telefone: (48) 3381-1693 / 48-9137 1188/ 48-9618 1482
 

Até as 22h deste domingo, a Centrais Elétricas de Santa Catarina (Celesc) havia desligado preventivamente a energia em 1.439 unidades da região de Blumenau, que compreende 16 municípios. Somente na cidade de Blumenau, são 1.170 unidades sem energia em 28 ruas. Há 20 equipes de plantão para realizar os atendimentos de emergência.

A Celesc conta com a compreensão da população e informa que, em situações de alagamento, o desligamento de energia torna-se necessário. Desta forma, a Celesc desliga a energia antes que o nível da água atinja o medidor para evitar acidentes. Como a água pode se tornar um condutor e causar choque elétrico, a energia é cortada para garantir a segurança das pessoas que transitam durante a enchente.

As ruas onde a energia elétrica foi desligada são:
Rua 1º de Janeiro, do início até o nº 550
Rua 1º de Janeiro, do nº 801 até o nº 949
Rua 1º de Janeiro, do nº 969 até o nº 1100
Rua 1º de Janeiro, do nº 1501 até o nº 1778
Rua 1º de Janeiro, entre os números 3300 e 3700
Rua Guilherme Scharf, toda a rua
Rua Gustavo Zimmermann, nº 599
Rua Gustavo Zimmermann, do nº 2 ao nº 83
Rua 1º de Janeiro, do nº 3363 até o final da rua
Rua Alwin Schrader, do nº 210 ao nº 350
Rua Alwin Schrader, do nº 483 ao nº 543
Rua Augusta Abry, toda a rua
Rua Hans Pape, toda a rua
Rua Max Aldemann, apenas no início
Rua Martha Cordeiro, toda a rua
Rua Albert Goll, do início até o nº 296
Rua Desembargador Pedro Silva, do início até o nº 172
Rua São Paulo, na altura do nº 600
Rua São Paulo, nas intermediações da Praça Victor Konder
Rua Camboriú, do início até o nº 120
Rua 7 de Setembro, nas proximidades do nº 1884
Rua Paraíba, nas proximidades do nº 266 e 350
Rua Maringá, nas proximidades do nº 310
Rua Alberto Koffe, nas proximidades do nº 169
Rua Europa, toda a rua
Rua das Américas, toda a rua
Rua Almirante Tamandaré, do nº 1221 ao nº 1591
Rua Curitibanos, do início ao nº 129

Para gerar esses desligamentos, a equipe de apoio técnico operacional analisa as cotas de enchente de cada rua e é feito o possível para desligar o mínimo de unidades consumidoras. Qualquer emergência, os consumidores poderão ligar para o plantão da Celesc no telefone 0800 48 0196.

Alerta para deslizamentos e alagamentos
Mesmo com a previsão de redução no volume de chuvas nas próximas horas, a Defesa Civil mantém o alerta para risco de deslizamentos de encostas e alagamentos. Os deslizamentos podem ocorrer nos municípios da Grande Florianópolis, Litoral e Planalto Norte, Vale do Itajaí, Litoral Sul, Meio-Oeste, Planalto e Litoral Sul. Já os alagamentos e inundações poderão ocorrer nas áreas com drenagem deficiente, especialmente no litoral, vulnerável aos efeitos da maré, e na Bacia do Rio Itajaí. Há também um alerta para inundações em Lages.

blumenau 20130922 1606855351
Blumenau no fim da tarde deste domingo, 22. Foto: Cássio Quadros/Secom

>>> Mais imagens na galeria de fotos

Força-tarefa
O governo do Estado de Santa Catarina montou uma força-tarefa para orientar e auxiliar a população. A Defesa Civil de Santa Catarina emitiu alerta para risco de alagamentos, deslizamentos e inundações. Os mapas meteorológicos indicam tempo instável com acúmulo de 300mm a 330 mm. Na prática isso representa que em três dias vai chover o dobro do esperado para o mês inteiro de setembro.

Nas regiões costeiras, os valores de marés elevados dificultam o escoamento das águas das chuvas para o mar. Podem ocorrer inundações pela maré astronômica de sizígia - ocorrem nas luas nova e cheia, quando são registradas as maiores preamares (maré alta) -e chuvas, especialmente nas madrugadas e tardes de sexta e de sábado. Entre domingo e segunda-feira a maré astronômica diminui, mas o vento sul pode continuar dificultando o escoamento das águas.

As condições climáticas adversas, que atingem inúmeras regiões do Estado, fizeram a Celesc reforçar o plantão especial para atender as ocorrências de falta de energia. São 116 equipes de plantão em todo o Estado.

Orientações
Em caso de inundações e alagamentos, a Defesa Civil orienta a população a evitar o contato com a água e transitar em lugares alagados e pontes submersas. É importante tomar cuidado com crianças próximas de rios e ribeirões.

Em tempestades com descargas elétricas e vento, deve-se permanecer em local seguro e não transitar em locais abertos, próximo a árvores, placas publicitárias ou objetos que possam ser arremessados. É aconselhável que as pessoas se protejam em lugares com boas coberturas, ao exemplo dos banheiros das residências, fechar janelas e portas, e não manusear nenhum equipamento elétrico ou telefone devido aos raios e relâmpagos.

Quanto a possíveis deslizamentos de terra, deve ser observado qualquer movimento de terra ou rochas próximas a suas residências, inclinação de postes e árvores e rachaduras em muros ou paredes. Neste caso, é recomendável que a família saia de casa e acione a Defesa Civil municipal ou o Corpo de Bombeiros.

As defesas civis e órgãos estaduais das regiões Oeste, Litoral Sul e Planalto Sul, onde há maior confirmação de risco de alagamentos, já foram mobilizadas pela Defesa Civil estadual e estão preparadas para atender a população. “A equipe da Defesa Civil estadual está em estado de alerta e concentrada na previsão do tempo em todo o estado”, explica o diretor de Prevenção e Preparação da Defesa Civil, Fabiano de Souza.

Qualquer problema deve ser comunicado à coordenadoria municipal de Defesa Civil, através do telefone de emergência 199 ou para o Corpo de Bombeiros, no número 193. A Defesa Civil do Estado conta com atendimento de 24 horas, com equipes de prontidão. O telefone para contato é o (48) 3664-7000.

Leia mais
>>> Saúde entrega ambulâncias 4x4 para municípios com risco de enchente
>>> Celesc reforça atendimento para atender ocorrências no Estado
>>> Celesc começa o desligamento preventivo de energia
>>> Rede Estadual de Ensino tem aulas canceladas em 52 cidades
>>> Governador avalia possibilidade de decretar emergência em Santa Catarina
>>> Sobe para 56 o número de municípios prejudicados pelas chuvas
>>> Veja a relação de abrigos ativos em Blumenau, Rio do Sul e Itajaí

Mais informações para a imprensa
Qualquer informação adicional pode ser obtida por meio do telefone da Defesa Civil de SC no (48) 4009-9816 ou diretamente com os assessores de imprensa.
Assessoria Defesa Civil – (48) 9159-0445
Gerente de imprensa Governo SC, Jacqueline Iensen - (48) 9147-6761
Portal do Governo e Redes Sociais – Gisiela Klein – (48) 8843-5439

Outros contatos e informações do Governo estão disponíveis na página Sala de Imprensa. As fotos estão disponíveis na página Galeria de Fotos e são de uso livre da imprensa. Os vídeos estão disponíveis no FTP no endereço ftp://ftp2.ciasc.gov.br (login: governosc/senha:comunicacao).

Acompanhe também pelas redes sociais
facebook.com/governosc
@Secom_SC

A Secretaria de Estado da Educação comunica que as aulas desta segunda-feira, 23, foram canceladas nos municípios de Tijucas, Major Gercino, São João Batista, Canelinha, Botuverá, Nova Trento, Guabiruba, Brusque, Ascurra, Benedito Novo, Doutro Pedrinho, Indaial, Rio dos Cedros, Rodeio, Timbó, Taió, Salete, Santa Terezinha, Pouso Redondo, Rio do Campo, Mirim Doce, Pomerode, Gaspar, Ilhota, Blumenau, Luis Alves, Rio do Sul, Rio do Oeste, Laurentino, Tronbudo Central, Agronômica, Agrolândia, Braço do Trondudo, Itajaí, Alfredo Wagner, Ituporanga, Atalanta, Aurora, Chapadão do Lageado, Imbuia, Leoberto Leal, Petrolândia, Vidal Ramos, Apiúna, Presidente Getúlio, Vitor Meirelles, José Boiteux, Witmarsum, Presidente Nereu, Ibirama, Dona Emma e Lontras.

A regional de Blumenau cancelou as aulas também na terça-feira, 24. As demais cidades farão o acompanhamento e não descartam a normalidade das aulas nesta terça-feira.

O cancelamento segue a orientação da Secretaria de Estado da Defesa Civil e do Governo do Estado de Santa Catarina: garantir segurança aos alunos, professores e toda a comunidade escolar, em razão do aumento do nível das águas dos rios que cortam as cidades.

Alerta para deslizamentos e alagamentos
Mesmo com a previsão de redução no volume de chuvas nas próximas horas, a Defesa Civil mantém o alerta para risco de deslizamentos de encostas e alagamentos. Os deslizamentos podem ocorrer nos municípios da Grande Florianópolis, Litoral e Planalto Norte, Vale do Itajaí, Litoral Sul, Meio-Oeste, Planalto e Litoral Sul. Já os alagamentos e inundações poderão ocorrer nas áreas com drenagem deficiente, especialmente no litoral, vulnerável aos efeitos da maré, e na Bacia do Rio Itajaí. Há também um alerta para inundações em Lages.

sobrevoo rio do sul enchente 20130922 1353190096
Imagem de Rio do Sul na tarde deste domingo. Foto: Divulgação Corpo de Bombeiros

>>> Mais imagens na galeria de fotos

Força-tarefa
O governo do Estado de Santa Catarina montou uma força-tarefa para orientar e auxiliar a população. A Defesa Civil de Santa Catarina emitiu alerta para risco de alagamentos, deslizamentos e inundações. Os mapas meteorológicos indicam tempo instável com acúmulo de 300mm a 330 mm. Na prática isso representa que em três dias vai chover o dobro do esperado para o mês inteiro de setembro.

Nas regiões costeiras, os valores de marés elevados dificultam o escoamento das águas das chuvas para o mar. Podem ocorrer inundações pela maré astronômica de sizígia - ocorrem nas luas nova e cheia, quando são registradas as maiores preamares (maré alta) -e chuvas, especialmente nas madrugadas e tardes de sexta e de sábado. Entre domingo e segunda-feira a maré astronômica diminui, mas o vento sul pode continuar dificultando o escoamento das águas.

As condições climáticas adversas, que atingem inúmeras regiões do Estado, fizeram a Celesc reforçar o plantão especial para atender as ocorrências de falta de energia. São 116 equipes de plantão em todo o Estado.

Orientações
Em caso de inundações e alagamentos, a Defesa Civil orienta a população a evitar o contato com a água e transitar em lugares alagados e pontes submersas. É importante tomar cuidado com crianças próximas de rios e ribeirões.

Em tempestades com descargas elétricas e vento, deve-se permanecer em local seguro e não transitar em locais abertos, próximo a árvores, placas publicitárias ou objetos que possam ser arremessados. É aconselhável que as pessoas se protejam em lugares com boas coberturas, ao exemplo dos banheiros das residências, fechar janelas e portas, e não manusear nenhum equipamento elétrico ou telefone devido aos raios e relâmpagos.

Quanto a possíveis deslizamentos de terra, deve ser observado qualquer movimento de terra ou rochas próximas a suas residências, inclinação de postes e árvores e rachaduras em muros ou paredes. Neste caso, é recomendável que a família saia de casa e acione a Defesa Civil municipal ou o Corpo de Bombeiros.

As defesas civis e órgãos estaduais das regiões Oeste, Litoral Sul e Planalto Sul, onde há maior confirmação de risco de alagamentos, já foram mobilizadas pela Defesa Civil estadual e estão preparadas para atender a população. “A equipe da Defesa Civil estadual está em estado de alerta e concentrada na previsão do tempo em todo o estado”, explica o diretor de Prevenção e Preparação da Defesa Civil, Fabiano de Souza.

Qualquer problema deve ser comunicado à coordenadoria municipal de Defesa Civil, através do telefone de emergência 199 ou para o Corpo de Bombeiros, no número 193. A Defesa Civil do Estado conta com atendimento de 24 horas, com equipes de prontidão. O telefone para contato é o (48) 3664-7000.

Leia mais
>>> Saúde entrega ambulâncias 4x4 para municípios com risco de enchente
>>> Celesc reforça atendimento para atender ocorrências no Estado
>>> Celesc começa o desligamento preventivo de energia
>>> Governo monta força-tarefa para atender a população
>>> Governador avalia possibilidade de decretar emergência em Santa Catarina
>>> Sobe para 56 o número de municípios prejudicados pelas chuvas

Mais informações para a imprensa
Qualquer informação adicional pode ser obtida por meio do telefone da Defesa Civil de SC no (48) 4009-9816 ou diretamente com os assessores de imprensa.
Assessoria Defesa Civil – (48) 9159-0445
Assessora Educação - (48) 8843-5084
Gerente de imprensa Governo SC, Jacqueline Iensen - (48) 9147-6761
Portal do Governo e Redes Sociais – Gisiela Klein – (48) 8843-5439

Outros contatos e informações do Governo estão disponíveis na página Sala de Imprensa. As fotos estão disponíveis na página Galeria de Fotos e são de uso livre da imprensa. Os vídeos estão disponíveis no FTP no endereço ftp://ftp2.ciasc.gov.br (login: governosc/senha:comunicacao).

Acompanhe também pelas redes sociais
facebook.com/governosc
@Secom_SC

As cidades de Blumenau, Rio do Sul e Itajaí já estão com abrigos ativos para receber a população afetada pelas chuvas que atingem o Vale do Itajaí neste final de semana (veja endereços e contatos abaixo). Em Blumenau, são 19 unidades. Em Rio do Sul, 20. E uma em Itajaí.

Blumenau

EBM Tiradentes – Bairro Jardim Blumenau

Rua: Floriano Peixoto, 651

(47) 3222-3258

Clube Blumenauense de Caça e Tiro - Bairro Vorstardt

Rua Itajaí, 2.560

(47) 3340-5635

EBM Almirante Tamandaré - Bairro Ponta Aguda

Rua Santa Fé, 66

(47) 3322-2987

EBM Gustavo Richard - Bairro Nova Esperança

Rua Henrique Reif, 477

(47) 3323-4480

EEB Hermann Hamann - Bairro Nova Esperança

Rua August Reinhold, s/n

(47) 3339-0657

EBM Patrícia Helena Finardi Pegorim - Bairro Itoupava Central

Rua Luiz Krutzsch, 474

(47) 3323-8657

Paróquia Luterana Centro - Bairro Garcia

Rua Amazonas, 119

(47) 3322-2579

Capela Santa Luzia - Bairro Garcia

Rua Araranguá, 1.350

(47) 3326-2328

Paróquia Santo Antonio - Bairro Garcia

Rua Amazonas, 3.725

(47) 3324-0565

Sociedade Beneficente dos Subtenentes e Sargentos de Blumenau – Bairro Garcia

Rua Sargento Carlos Argemiro de Camargo, 250

(47) 3324-0858

EEB Governador Celso Ramos - Bairro da Glória

Rua da Glória, 888

(47) 3324-0612

EEB Padre José Maurício - Bairro Progresso

Rua Progresso, 2.053

(47) 3324-0245

EBM Henrique Alfarth - Bairro Progresso

Rua Ruy Barbosa, 1.616

(47) 3336-7253

EEB Professor Nilo Borghesi - Bairro Progresso

Rua Jordão, 357

(47) 3336-5548

EBM Pedro II - Bairro Progresso

Rua Helmuth Goll, 579

(47) 3336-5628

EEF José Vieira Corte - Bairro Progresso 

Rua Udo Schadrack, 41

(47) 3336-5231

EBM Helena Winckler - Bairro da Velha

Rua João Bisewski, 100

(47) 3328-6605

EEB Conselheiro Mafra - Bairro Velha Grande

Rua Franz Muller, 1.950

(47) 3330-0454

EEB João Durval Muller - Bairro Velha Central

Rua Karl Kaun, 60 

(47) 3330-0318
Acompanhe o acionamento de outros abrigos pelo site da prefeitura

Rio do Sul
Centro Educacional Roberto Machado

Bairro Progresso

(47) 8826-9849

Lions Clube

Bairro Bela Aliança

(47) 8902-0712

Igreja Santa Rita de Cássia

Bairro Santa Rita

(47) 8865-0106

Centro Social Budag

Bairro Budag

(47) 9141-3274

Igreja Católica Bela Aliança

Bairro Bela Aliança

(47) 9985-5129

Igreja Evangélica Bela Aliança

Bairro Bela Aliança

(47) 8822-6433

Centro Educacional Wili Schleumer

Bairro Tabuão

(47) 8871-6806

Obras Kolping

Bairro Canta Galo

(47) 8847-4108

Igreja São José Operário

Bairro Laranjeiras

(47) 8837-7980

Antiga Sulfabril

Bairro Barragem

(47) 8824-2375

Usinagem Riosul

Bairro Bonfim

(47) 3251-6793

Centro Educacional Egídio Dal Marco
Bairro Progresso
(47) 8864-3477

Associação de Moradores Eugênio Scheider
Bairro Eugênio Scheider
(47) 3522-3322

Igreja do Jardim Alexander
Bairro Pamplona
(47) 8864-3477

Centro Educacional Maria Stramoski
Bairro Barragem
(47) 8920-4545

Senac
Bairro Barragem
(47) 8402-8485

Escola Santa Mônica
Bairro Bremer
(47) 9153-7337

Centro Educacional Mateus Alves
Bairro Budag
(47) 3521-0465

Centro Educacional Ruth Schroeder Ohf
Bairro Sumaré
(47) 9998-8183

Centro de Educação Infantil Raio do Luz
Rua Guanabara / Laranjeiras
(47) 3251-9273

Itajaí
Salão Paroquial da Igreja São Cristóvão - Bairro Cordeiros
Rua Odílio Garcia, 445
(47) 3341-6199

{text}