Fotos: Divulgação / Casan

Com a implantação de redes de coleta, de elevatórias e de ligações domiciliares finalizada, os trabalhos do Sistema de Esgotamento Sanitário de Concórdia estão concentrados na conclusão dos emissários e da Estação de Tratamento de Esgotos (ETE). A ampliação do Sistema está recebendo investimento de R$ 41,24 milhões e quando o sistema estiver em funcionamento, a cobertura de esgoto em Concórdia passará de 6% para 42%, uma das maiores de Santa Catarina.

A grande estrutura da ETE que terá capacidade de tratar 60 litros por segundo de esgoto está com 95% da obra executada e com serviços de paisagismo do entorno já em andamento. Os emissários, que são redes que levarão o esgoto até o tratamento, já chegam a 98% de execução. A previsão da Casan é colocar a unidade em pré-operação no fim deste primeiro semestre ou início do segundo, contando com a população para que aguarde as orientações para conexão do esgoto domiciliar ao Sistema Público.

A ampliação do Sistema vai beneficiar os bairros Centro, Jardim, Vista Alegre, Imigrantes, São Miguel, Liberdade, Floresta, Imperial, Sunti, Nazaré e Nações.

Como funciona a ETE

A grande Estação de Tratamento de Esgotos de Concórdia está sendo construída na região de Linha Santa Catarina, próxima ao Bairro Santa Rita. Com capacidade para depurar 60 litros de esgoto por segundo, a ETE adota tecnologia moderna e eficaz.

São diversas etapas para garantir a depuração do esgoto. Na primeira é realizado o tratamento preliminar, onde é medido o volume de esgoto que chega a ETE e também onde são retidos os sólidos maiores, como plásticos e outros resíduos que chegam à ETE. Na segunda, que acontecerá em um reator UASB (Sigla em inglês para Reator Anaeróbico de Fluxo Ascendente - RAFA), são utilizados microrganismos (bactérias anaeróbias, que vivem sem a presença de oxigênio) e que ao se alimentarem do esgoto fazem a sua depuração.

A terceira estrutura é um Filtro Biológico com bactérias aeróbias (que vivem na presença de oxigênio), e onde o efluente passa por um tratamento complementar ao do reator UASB. Na última etapa do tratamento será realizada a decantação dos flocos formados nas etapas anteriores, para que o efluente volte à natureza atendendo os parâmetros determinados pela legislação.

Benefícios do tratamento de esgoto

O esgoto contém resíduos que favorecem o crescimento de bactérias, vírus e fungos que podem causar várias doenças e contribuir para a degradação do meio ambiente. O Sistema de Coleta e Tratamento de Esgoto que está em implantação em Concórdia tem por objetivo reduzir a contaminação do meio ambiente e, por consequência, a transmissão de doenças.

“Além colaborar com a saúde e a qualidade de vida dos moradores, essa complexa e importante infraestrutura vai colaborar com a conservação dos rios que são os mananciais de água para abastecimento da cidade. É todo um conjunto de benefícios que vai também colaborar com a elevação do Índice de Desenvolvimento Humano da cidade”, ressalta o Diretor de Operação e Expansão da Casan, Fábio Krieger.

Informações adicionais para a imprensa:
Ricardo Stefanelli 
Assessoria de Comunicação
Presidência da Casan
E-mail: rstefanelli@casan.com.br
Fone: (48) 3221-5034 / 99136-9345
www.casan.com.br

 Foto: James Tavares/ Secom

Com a presença do governador Carlos Moisés e do secretário de Estado da Educação, Natalino Uggioni, teve início na manhã desta segunda-feira, 15, o 1º Seminário de Sistematização do Currículo Base da Educação Infantil e Ensino Fundamental do Território Catarinense. O governador aproveitou a oportunidade para, diante de professores de todo o estado, defender uma maior inclusão nas escolas, com o objetivo de torná-las um ambiente mais atrativo tanto para os alunos quanto para os docentes.

“Nós entedemos que a escola tem que ser a extensão da família ou até mesmo a única família para alguns alunos. Então é por isso que ela precisa estar engajada nesse processo inclusivo, não importa qual seja a esfera, municipal, estadual ou privada. A escola tem de ser um bom lugar para se querer estar”, afirmou.

Ao discursar para os docentes, Moisés relembrou a trajetória da esposa, que foi professora por 26 anos. Na visão do governador, o atual momento exige uma restauração da autoridade do professor dentro da sala de aula. Por fim, reforçou o desejo da administração estadual em estabelecer, de fato, a educação como uma prioridade.

“A presença do governador aqui vem a estimular que nós continuemos nesse caminho de construir uma educação cada vez melhor. Com um governo mais técnico, temos a certeza de que vamos vencer todos os conteúdos programáticos”, afirmou Moisés.

Fechamento de um ciclo

O secretário da Educação, Natalino Uggioni, relembrou que Santa Catarina é o único estado que ainda não concluiu o processo de construção da base curricular regionalizada. Diante disso, diversas entidades foram convocadas a participar, entre elas a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), o Conselho Estadual de Educação (CEE), a Federação Catarinense dos Municípios (Fecam) e a União Nacional dos Conselhos Municipais de Educação (UNCME).

“Esperamos, assim, cumprir essa tarefa no prazo estabelecido. O que estamos fazendo aqui é dar celeridade ao processo. E quando nós trazemos o professor para participar é por que ele, mais do que ninguém, sabe das dificuldades e expectativas dos alunos”, destacou Uggioni.

Após esse primeiro seminário, que se encerra na quarta-feira, 17, o ciclo para a implantação da base curricular segue nos meses de junho e agosto, com a capacitação dos professores. A expectativa da Secretaria de Estado da Educação é que até o fim do ano o novo currículo-base já esteja em aplicação nas escolas catarinenses.

BNCC

A Base Nacional Comum Curricular – BNCC é um documento de caráter normativo que define o conjunto orgânico e progressivo de aprendizagens essenciais, elaborado por especialistas das mais diversas áreas do conhecimento e corresponde às demandas do estudante da contemporaneidade, preparando-o para o futuro.

Informações adicionais para a imprensa
Leonardo Gorges
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: leonardogorges@secom.sc.gov.br 
Fone: (48) 3665-3045
Site: www.sc.gov.br 
www.facebook.com/governosc e @GovSC 

 

 Mariane Mendes/SDS

Durante encontro em Cambará do Sul, na serra gaúcha, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, acompanhado do secretário de Estado do Desenvolvimento Sustentável Econômico, Lucas Esmeraldino, anunciou a concessão de dois parques nacionais, Aparados da Serra e Serra Geral. Na região, entre Santa Catarina e Rio Grande do Sul, repousam as mais conhecidas e profundas fendas: os canyons Itaimbezinho, Malacara e Fortaleza.

O secretário da SDS, que na comitiva representou o Governador de Santa Catarina, Carlos Moisés, esteve acompanhado ainda do Governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, do Presidente do Instituto do Meio Ambiente (IMA), Venancio Valdez, além de prefeitos catarinenses e gaúchos, deputados e senadores.

O projeto piloto deve servir de exemplo para a concessão de outros 20 parques no país, ainda neste ano. A previsão é de que seja lançado o edital até outubro. “Fiquei muito impressionado com as belezas naturais dos parques. Existe um grande potencial a ser explorado. Por isso, na semana passada, nosso presidente Bolsonaro, juntamente com nossa equipe do Ministério, tomou esta decisão, para que o setor privado desenvolva o que já deveria ter sido desenvolvido há muito tempo no Brasil, o ecoturismo”, ressaltou Salles.

De acordo com o ministro, o setor privado será consultado no momento da elaboração do modelo de concessões. "Adianto que não será permitido que seja feito nada que coloque em risco o meio ambiente. Atualmente, há uma indicação de que operadores internacionais possam se interessar pelo modelo brasileiro de concessões, sendo possível contemplar um grande operador internacional de ecoturismo e estruturar, junto a operadores nacionais”, comentou.

Com esta concessão dos Parques Aparados da Serra e da Serra Geral, o secretário da SDS, Lucas Esmeraldino, acredita que trará investimentos e fomento ao desenvolvimento turístico. “Esta é uma excursão do bem, a união de esforços de Santa Catarina e Rio Grande do Sul para a concretização de uma luta antiga, em meio as paisagens exuberantes e de ímpar beleza. Tenho a certeza que a ação vai desenvolver muitas regiões catarinenses. Nosso esforço será continuar conhecendo todas as áreas e os potenciais do nosso Estado. Queremos, de forma segura ao Meio Ambiente, fortalecer este movimento, já que trará cada vez mais investimentos para Santa Catarina, melhorias estruturais e o fomento ao trade turístico”, destaca Esmeraldino.

Os dois parques, que formam a divisa natural entre Rio Grande do Sul e Santa Catarina, possuem uma área total 30,4 mil hectares. Com profundidade de até 700 metros, paredões verticais, fenda estreita, o cânion Itaimbezinho é um dos maiores das américas. A expectativa é que o número de turistas passe de 250 mil a 1 milhão por ano só no Aparados da Serra.

Obras na Serra do Faxinal
Animado com esta possibilidade de concessão, tirando o peso desta luta do município há anos, o prefeito de Praia Grande, Henrique Maciel, enfatizou que estas parcerias podem beneficiar também a retomada das obras da Serra do Faxinal.

“Sabemos que o acesso é fundamental. E estamos contando com uma infraestrutura crítica na Serra do Faxinal, que liga Cambará do Sul, no Norte do Rio Grande do Sul, ao município de Praia Grande, no Litoral Sul de Santa Catarina. A trilha mais famosa do roteiro turístico da região é a do Rio do Boi, feita no interior do Canyon Itaimbezinho, acessada por nosso município. Quem sabe, essas parcerias com o setor privado viabilizem o acesso também, favorecendo o aumento no número de turistas, alavancando a economia da região e, até mesmo, facilitando o escoamento de produção”, pontua Maciel.

Em Praia Grande
Logo após as visitas nos Parques, o secretário da SDS, Lucas Esmeraldino, conheceu mais de perto a situação da Serra do Faxinal e realizou uma parada na Prefeitura do município, para conhecer mais sobre a realidade da Capital dos Canyons.

“Trabalhar pelo desenvolvimento dos municípios e, consequentemente, do nosso Estado, é uma das minhas missões na SDS. Em Praia Grande, o momento foi reservado para conhecer mais sobre o projeto Geoparque, que busca impulsionar o desenvolvimento sociocultural, econômico e ambiental da região, além disso, para ouvir demandas como, por exemplo, as obras da Serra do Faxinal, que está em estado lastimável. Vamos levar os pleitos adiante e trabalhar todos juntos, já que assim é que temos mais forças, para que a nossa Santa Catarina cresça a cada dia mais”, finaliza o secretário da SDS, Lucas Esmeraldino.

Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável
Jornalista: Mariane Mendes
E-mail: comunicacao@sds.sc.gov.br
Telefone: (48) 3665 2261/ (48) 996961366

Fotos: Rafaela Gesser/SEA

Para tornar mais eficientes e econômicas todas as compras feitas pelo Governo de Santa Catarina, a Secretaria de Estado de Administração (SEA) criou a Rede de Compradores do Estado. Agora, os processos serão todos padronizados e os setores trabalharão de forma mais integrada. A primeira reunião da Rede foi realizada nesta sexta-feira, 12, no auditório da SEA.

Organizada pela Diretoria de Materiais e Serviços (DGMS) da SEA, o objetivo é proporcionar reuniões de trabalho com discussões e propostas de melhorias nos processos de compras de materiais e contratações de serviços, visando a agilidade dos processos e economia de recursos públicos.

De acordo com o secretário de Administração, Jorge Eduardo Taca, em 2018 foram pagos a fornecedores do estado cerca de R$ 3,5 bilhões, valor que corresponde a 13% da arrecadação de Santa Catarina. “Vamos romper essas ilhas, construir pontes entre os órgãos do Estado, destacando as boas práticas, padronizando processos, gastando menos”, afirmou.

O trabalho da rede colaborativa pode ser contemplado com capacitações, compartilhamento de cases, coprodução de novos modelos de aquisição e processos de trabalho, além do intercâmbio com os órgãos de controle e a sociedade civil organizada, de acordo com as demandas que forem definidas pelos participantes.

Segundo a diretora da DGMS, Karen Sabrina Bayestorff Duarte, as ações propostas visam economia, rapidez e transparência nas compras públicas. “É por meio das compras que as políticas públicas são implementadas para a sociedade, então quanto mais transparente e célere for o processo, mais o cidadão ganha”, disse.

O primeiro exemplo de sucesso apresentado aos servidores foi o da Secretaria de Estado da Saúde (SES), que já sente o reflexo positivo da digitalização dos processos.

“Melhorar a qualidade e a agilidade dos trâmites também nos ajuda a salvar vidas. O que nós da Secretaria da Saúde temos em mente ao implantar essas melhorias é que este trabalho é sobre pessoas e não sobre processos” afirmou Carla Giani da Rocha, diretora de Licitações e Contratos na Secretaria de Estado da Saúde.

Dentre as ações já implantadas na SES Carla destacou que as licitações que já estão quase 100% eletrônicas, o banco de marcas, sistema feito para facilitar na escolha dos materiais a serem cotados, onde estão as marcas que já foram testadas por equipe técnica qualificada, além da diminuição da burocracia e da descentralização das decisões.

“Essas etapas envolveram muito trabalho em equipe com capacitações, oficinas, e reuniões de trabalho. Hoje o resultado é excelente. Um pregão que levava 180 dias passou a ser feito em 58. Agora, já conseguimos reduzir para 21 dias todo o processo”, afirmou.

Novo portal de processos digitais

Durante o encontro da Rede de Compradores, também foi lançado o novo Portal de Processos Digitais do Sistema de Gestão de Processos eletrônicos (SGPE), que visa atender os cidadãos e empresários.

Com o objetivo de integrar os processos digitais dos órgãos do Estado às empresas fornecedoras, a equipe da Softplan, empresa responsável pelo desenvolvimento do software, apresentou a primeira versão do portal, em que o servidor já pode pedir, via SGPE, uma assinatura em documento digital à empresa fornecedora. O próximo passo é criar espaço para indexação de documentos, oficializar o recebimento de termos, entre outras facilidades.

Além da funcionalidade apresentada, agora tarefas e processos também poderão ser abertas pelo portal, como a reserva do Teatro Governador Pedro Ivo, por exemplo, em que o preenchimento de formulário de solicitação será totalmente digital e online.

---

Informações adicionais para a imprensa:

Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Administração
(48) 3665-1636
Texto: Rafaela Gesser – Jornalista

Santa Catarina registra recorde de novos negócios no primeiro trimestre deste ano com 34,8 mil empresas constituídas na Junta Comercial de Santa Catarina (Jucesc) até o mês de março. O crescimento de quase 30% em relação à média de 2018 é o maior dos últimos três anos. Em 2018, foram 27 mil novas empresas, no período e, 21,7 em 2017. Este ano, o saldo entre empresas constituídas e baixadas foi 22,7 mil até agora.

"A boa expectativa de retomada da economia, a segurança jurídica para novos negócios e a modernização da Junta, com os processos digitais, são fatores que atraem empreendedores no Estado. Estamos também trabalhando na agilidade para abertura de empresas com a ampliação do programa SC Bem Mais Simples que vai possibilitar que uma nova constituição seja feita em um prazo médio de 5 dias, isto vai nos levar a um patamar de primeiro mundo”, avalia o presidente da Jucesc, Juliano Chiodelli.

Assim como ocorreu no Estado, três cidades catarinenses também se destacaram na média mensal para o surgimento de empresas no trimestre, são elas: Joinville, Blumenau e Lages, com 32%, 31% e 28%, respectivamente, de novos negócios.

“O empreendedorismo já é uma das principais marcas do catarinense. Os números mostram que o Estado está em constante crescimento e que a cultura empreendedora está sendo desenvolvida. Os resultados nos motivam a continuar impulsionando o desenvolvimento, melhorar a competitividade das empresas, capacitar e qualificar a mão de obra, além de provocar mudanças e discussões importantes para a economia e a sociedade como um todo”, enfatizou o governador de Santa Catarina, Carlos Moisés.

Lages também vem se destacando como cidade empreendedora, registrando o surgimento de novas startups e empresas. Isso se deve aos bons índices de mão de obra qualificada que favorecem a inovação. O secretário de Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDS), Lucas Esmeraldino, ressalta a importância de fortalecer o empreendedorismo nas cidades. “Os gestores públicos devem estar próximos dos cidadãos e agir para fomentar a geração de emprego e renda. Uma das atitudes mais eficientes - e que não requer grandes investimentos - é reduzir a burocracia. A máquina pública, não deve atrapalhar o investidor”, destaca.

Economia fortalecida

Os números positivos que também surgem em outros setores evidenciam o início da retomada da economia. As exportações catarinenses cresceram 12,8% na passagem de fevereiro para março, registrando crescimento de 4,4% nos últimos 12 meses. O Estado também se destaca pela competitividade dos portos sendo o 3° maior importador do país. As importações pelos portos catarinenses acumulam crescimento de 10,7% em 2019.

A economia catarinense gerou 25,3 mil novos postos de trabalho em fevereiro. Foi o terceiro Estado que mais gerou empregos no mês, depois de ter liderado em janeiro (com a criação de 20,2 mil). O saldo do mês supera em 55,2% o de fevereiro de 2018. O número de empregos formais acumula crescimento de 2,3% neste ano quando comparado com o mesmo período do ano passado.

Para o economista da SDS, Paulo Zoldan, o fim das incertezas eleitorais e a perspectiva de mudanças estruturais na economia geraram otimismo no meio empresarial, tanto na indústria quanto no comércio. Os consumidores, depois de dois anos de pessimismo, estão otimistas com as perspectivas da economia. Segue também tendência de melhoria na qualidade de endividamento do catarinense. Caiu o número total de endividados, inadimplentes ou daqueles sem condições de pagar suas dívidas.

Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável
Jornalista: Mônica Foltran
E-mail: comunicacao@sds.sc.gov.br
Telefone: (48) 3665 2261/ (48) 996961366

Contribuintes catarinenses com débitos no Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) ou no Imposto de Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCMD) têm até o dia 28 de junho para quitar as pendências fiscais com até 90% de desconto sobre multas e juros. O benefício, garantido pelo Programa Catarinense de Recuperação Fiscal (Prefis), reinicia nesta segunda-feira, 15, e é válido para pagamentos em cota única.

Para o secretário de Estado da Fazenda (SEF), Paulo Eli, esta é uma oportunidade para os empresários regularizarem sua situação fiscal perante o Estado. “O pagamento, mesmo com a redução da multa e juros, encerra discussões administrativas, cíveis e criminais”, explica.

Poderão participar contribuintes com débitos cujos fatos geradores tenham ocorrido até 30 de setembro de 2018, constituídos ou não e inscritos ou não em dívida ativa, inclusive ajuizados. No caso de crédito tributário decorrente de descumprimento de obrigações acessórias, composto apenas de multa, a redução será de 70% e, nos demais casos, será de 90%.

O diretor de Administração Tributária da SEF, Rogério Mello, reforça que o objetivo da medida é fomentar a economia catarinense. “Este movimento faz com que a arrecadação cresça, garantindo a geração de novos empregos. O Prefis é uma destas medidas que visa desenvolver ainda mais a economia do estado, pois auxilia os contribuintes que encontram dificuldades em pagar as dívidas de anos anteriores. É uma oportunidade para que as obrigações legais e fiscais sejam cumpridas”, afirma.

Os interessados devem aderir acessando o Sistema de Administração Tributária (SAT), no caso de débitos de ICMS. Já o acesso para ITCMD poderá ser por meio da página eletrônica da SEF (com certificado digital) ou comparecendo a uma unidade da Gerência Regional da Fazenda Estadual.

Informações adicionais para imprensa:
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado da Fazenda
Michelle Nunes - (48) 3665-2575 / (48) 99929-4998
jornalistaminunes@gmail.com
Sarah Goulart - (48) 3665-2504 / (48) 99992-2089
sgoulart@sef.sc.gov.br

Entre os dias 15 e 17 de abril, educadores de todo estado estarão reunidos no 1º Seminário de Sistematização do Currículo Base da Educação Infantil e Ensino Fundamental do Território Catarinense. O encontro tem como foco principal a definição do currículo seguindo a Base Nacional Comum Curricular (BNCC). A abertura será nesta segunda-feira, 15, às 8h, no Hotel Golden.

A BNCC em Santa Catarina, desde 2015, é amplamente difundida com a criação da Comissão Executiva Estadual da BNCC e posteriormente o Comitê Executivo em regime de colaboração com Secretaria de Estado de Educação (SED), União dos Dirigentes Municipais de Santa Catarina (UNDIME/SC), Conselho Estadual de Educação (CEE), e União Nacional de Conselhos Municipais de Educação (UNCME). Em 2017, foram realizados encontros, consultas públicas e formações que culminaram no documento preliminar, entregue ao CEE em dezembro de 2018.

A retomada das atividades este ano em prol da BNCC e disseminação para o território catarinense agregou mais um parceiro, a Federação Catarinense de Municípios. Com a entrada da FECAM, foi garantido de forma democrática que todos os entes comprometidos com a educação no estado pudessem estar presentes na consolidação do currículo.

“O cerne deste evento é mobilizar os profissionais da educação pública – professores e gestores -, e instituições parceiras a unirem forças para sistematizar o documento e formar os multiplicadores que terão um papel imprescindível na implementação do currículo nas escolas catarinenses. Com isso pronto, vamos garantir o conjunto de aprendizagens essenciais aos estudantes, respeitando as especificidades regionais, seu desenvolvimento integral por meio das dez competências gerais para a Educação Básica, apoiando as escolhas necessárias para a concretização dos seus projetos de vida e a continuidade de seus estudos”, destaca a secretária-adjunta de Estado da Educação, Carla Bohn, que está à frente dos trabalhos.

BNCC
A Base Nacional Comum Curricular – BNCC é um documento de caráter normativo que define o conjunto orgânico e progressivo de aprendizagens essenciais, elaborado por especialistas das mais diversas áreas do conhecimento e corresponde às demandas do estudante da contemporaneidade, preparando-o para o futuro.

Informações adicionais à imprensa:
Edinéia Rauta - (48) 3664-0353 / 9980-3136
Dafnée Canello - (48) 3664-0347 / 996826562
E-mail: imprensa@sed.sc.gov.br
Site: www.sed.sc.gov.br
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Educação - SED


Foto de arquivo: Julio Cavalheiro / Secom

Para dar ainda mais agilidade à Rota do Milho, trajeto que vai diminuir os custos logísticos para a importação do grão e abastecimento das agroindústrias no Estado, o governo catarinense busca apoio federal. As melhorias para os serviços prestados na aduana de Dionísio Cerqueira, porta de entrada do milho vindo do Paraguai, foi um dos assuntos tratados nesta sexta-feira, 12, pela vice-governadora Daniela Reinehr e o secretário de Estado da Agricultura e da Pesca, Ricardo de Gouvêa, durante audiência com a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, e com o secretário executivo do Ministério da Economia, Marcelo Pacheco dos Guaranys, em Brasília.

“Tivemos encaminhamentos importantes sobre a Rota do Milho, para viabilizarmos e melhorarmos o processo de entrada do grão em Santa Catarina. Além disso, tratamos de questões relativas ao setor pesqueiro, defesa agropecuária e políticas de crédito fundiário. Temos um prazo para as respostas do Governo Federal e estamos otimistas de que vamos avançar. O Governo do Estado segue empenhado para que o nosso agronegócio continue sendo referência para o Brasil e para o mundo”, ressalta a vice-governadora Daniela Reinehr.


Fotos: Divulgação / SJC

Um grupo de 14 detentos da Penitenciária da Capital recebeu nesta sexta-feira, 12, o certificado de conclusão do curso de auxiliar administrativo. Além da redução da pena por meio do estudo, a capacitação reconhecida pelo Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) representa mais uma possibilidade de reabilitação social e econômica para o preso quando ganhar a liberdade. No ano passado, cerca de 980 detentos participaram de 15 cursos do Pronatec no sistema prisional catarinense.

Na solenidade, o secretário de Justiça e Cidadania, Leandro Lima, destacou a importância da oferta de trabalho e de ensino no sistema prisional. “Nós, agentes penitenciários, não estamos aqui para oferecer nem dificuldades, nem facilidades. Nosso papel é garantir a execução penal de forma digna.” Leandro Lima fez um agradecimento especial ao agente penitenciário Nazário, que trabalha na área de ensino da unidade.

Há 1,5 ano a frente da unidade, o diretor da Penitenciária da Capital, Alexandre Brum da Silva, disse que atualmente existem 300 internos no ensino regular e 200 no projeto Despertar pela Leitura. Outros dois detentos foram aprovados no vestibular da Udesc e da UFSC. “A vida é feita de obstáculos, mas existem também as oportunidades que surgem para qualquer pessoa independente da sua origem ou classe social. É preciso saber aproveitá-las. Espero que o curso tenha valia não apenas para o mercado de trabalho mas para a vida de vocês,” concluiu.

Brum enfatizou que a oferta de ensino vem crescendo na unidade porque há uma equipe comprometida em dar condições e viabilizar a estrutura. “Existem três eixos nessa equipe: os servidores, os detentos e as famílias, que têm papel na motivação dos internos.”

"Me desviei do caminho"

Aprovado no vestibular de Biblioteconomia a Udesc, o detento Diogo Francisco Kuster, de 33 anos, foi um dos que concluiu o curso de auxiliar administrativo. Condenado há 14 anos por tráfico de drogas e associação para o tráfico, ele aguarda a manifestação da Justiça para começar o curso. “Eu estudei o que pude e estou me qualificando para retomar à vida quando sair daqui. Não quero que meus filhos conquistem as coisas pela dor, como eu fiz. Eu tive oportunidades porque minha mãe sempre me orientou, mas me desviei do caminho.”

Ao lado de Diogo, a sua mãe, Terezinha dos Santos Kuster, acredita numa mudança do filho. “Ele me decepcionou muito porque nunca faltou nada em casa para ele, mas eu já perdoei.”

Informações adicionais para a imprensa
Jacqueline Iensen
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania
E-mail: jacqueline.iensen@gmail.com
Fone: (48) 3664-5810 / (48) 99668-9634
Site: www.sjc.sc.gov.br/




Foto: Secom

A política do imigrante de Santa Catarina passará por mudanças após o segundo semestre de 2019. A Secretaria de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação (SST) vai ampliar o atendimento aos que chegam ao Estado, por meio dos municípios, dentro dos serviços oferecidos pelos Centros de Referência de Assistência Social (Cras) e Centros de Referência Especializado em Assistência Social (Creas).

A secretária de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação, Maria Elisa De Caro, explica que tem se observado um aumento constante de imigrantes que chegam ao Estado, indo para todas as regiões catarinenses. “Temos que antever o que pode ocorrer nessas regiões, que antes não recebiam o imigrante, mas que agora passam a receber. Precisamos estar preparados”, observou.