Será realizada às 17 horas desta quinta-feira, 24, no Cigerd, nova coletiva de imprensa sobre as consequências da  greve dos caminhoneiros em Santa Catarina. Estarão presentes o secretário de Estado da Defesa Civil, Rodrigo Moratelli, o secretário de Estado de Segurança Pública, Alceu de Oliveira Pinto Júnior, o secretário de Estado da Saúde, Acélio Casagrande e o diretor do Procon estadual, Michael da Silva.

Serviço
O que: coletiva de imprensa
Quando: 24/5 – 17 horas
Onde: Cigerd – Avenida Ivo Silveira, 2320 - Capoeiras - Florianópolis

Informações adicionais para a imprensa
Flávio Vieira Júnior
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Defesa Civil - SDS
Fone: (48) 3664-7009 / 99185-3889 / 99651-5888
E-mail: defesacivilsc@gmail.com
Site: www.defesacivil.sc.gov.br




Fotos: James Tavares/Secom

Um dos assuntos mais abordados no momento, as “fake news”, ou seja, as notícias falsas, foi o tema da Jornada de Debate promovida  pela Associação de Diários do Interior (ADI-SC), nesta quinta-feira, 24, em Florianópolis. A abertura oficial do evento “Fake News versus True News, o valor do jornal”, contou com a presença do governador Eduardo Pinho Moreira e do secretário de Estado da Comunicação, Gonzalo Pereira.

“O evento de hoje visa exatamente a  correção de grandes equívocos que são divulgados. A responsabilidade na notícia é fundamental. E a ADI-SC busca neste congresso conciliar essas situações com a realidade. É preciso mostrar para a população como distinguir as notícias verdadeiras das falsas. E, como este também é um ano de eleições, esperamos que a Justiça Eleitoral puna de forma exemplar aqueles que usarem deste artifício desleal e que traz grandes consequências”, afirmou o governador.

Eduardo Pinho Moreira destacou ainda que acompanha as notícias divulgadas em todos os jornais de Santa Catarina: “que todos continuem com o trabalho sempre voltado para as notícias verdadeiras e que possamos com as informações de vocês tornarem um estado cada vez melhor.”

O presidente da ADI-SC, Ámer Félix Ribeiro, enfatizou que é preciso agir e se organizar para criar estratégias para uma comunicação que proteja cada vez mais a verdade.  "Somos todos os dias cobrados sobre o  valor das notícias, por causa da velocidade das informações e das transformações diárias da nossa sociedade. É nossa obrigação reforçar nosso papel social perante a divulgação de tantos fatos inverídicos. O combate às fake news é uma obrigação diária e que faz parte do nosso papel, ou seja, pela manutenção de nossa credibilidade".

A comunicação no Governo de SC

O secretário do Estado de Comunicação, Gonzalo Pereira, salientou  que as empresas oficialmente estabelecidas e que representam de fato a comunicação organizada precisam ser valorizadas. “Buscamos manter um relacionamento produtivo e efetivo com as empresas de comunicação. Elas são certificadoras da verdade e qualidade. Elas não são difusoras das fake news, pelo contrário, as combatem”.

Gonzalo explicou que por meio dos canais próprios de comunicação do Governo do Estado, especialmente pelas mídias sociais, também é buscado esclarecer, sempre que existe uma informação que precisa ser contestada, para que o cidadão receba a notícia de qualidade e credibilidade de tudo que o governo faz.

“Toda a política de Comunicação do Estado tem o cidadão como cliente principal. Para eles devemos satisfação de tudo o que é feito e informar onde são aplicados os recursos que o cidadão aporta no estado com os impostos”, finalizou.


<<< Mais fotos na galeria

A Diretoria de Vigilância Epidemiológica (DIVE) da Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina (SES) e a Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina (Alesc) realizam, no dia 30 de Maio, o Fórum Catarinense sobre Hepatites Virais. Dirigido a profissionais da saúde, o evento ocorrerá das 13h às 17h, no auditório Antonieta de Barros, na Alesc, em Florianópolis.

 As inscrições são gratuitas e devem ser feitas pelo site www.dive.sc.gov.br/hepatites  O evento está na sua segunda edição e reunirá autoridades federais e estaduais em saúde para debater os seguintes temas: “Políticas e Perfil das Hepatites Virais no Brasil e em Santa Catarina”, “Tratamento das Hepatites B e C” e “Visão médica, Experiências Exitosas”.

Diagnóstico e prevenção

Além de discutir a importância do controle da doença, o encontro objetiva também propor debates sobre as novas tecnologias de diagnóstico, como o teste rápido para as Hepatites B e C, já incorporado ao SUS, a vacina contra a Hepatite B, também disponível na rede pública e novos tratamentos oferecidos que garantem melhor qualidade de vida aos portadores da doença.

“Nosso interesse é a capacitação e a atualização dos profissionais de saúde em relação ao tratamento, ao diagnóstico e à prevenção das hepatites. Recentemente, o Ministério da Saúde (MS) atualizou os protocolos de tratamento da doença, em especial da Hepatite C, melhorando a qualidade da assistência, reduzindo a ocorrência de efeitos colaterais e oferecendo alternativas para os pacientes que não têm obtido resposta virológica positiva em seus tratamentos anteriores”, explica Eduardo Macário, diretor da DIVE. 

Nos últimos sete anos foram registrados em Santa Catarina 63 óbitos por Hepatite C e 22  por Hepatite B.  Para reduzir essas ocorrências é fundamental que a população em geral procure uma unidade de saúde para realização do teste rápido do diagnóstico da doença, e que as pessoas portadoras do vírus da hepatite busquem atendimento especializado e o tratamento correto o quanto antes.

Fórum

O fórum originou-se da reunião realizada em 2017 entre a Gerência de Vigilância das Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs), AIDS e Hepatites Virais da DIVE e o deputado estadual, Neodi Saretta, presidente da Comissão de Saúde da Alesc e autor do projeto que originou a Lei nº 15.615, e instituiu a Semana Estadual de Combate às Hepatites em Santa Catarina, a ser celebrada na terceira semana do mês de Maio.

PROGRAMAÇÃO

13h – Credenciamento

13h30min – Abertura do Fórum Catarinense sobre Hepatites Virais

  • Presidente da Comissão de Saúde – Deputado Neodi Saretta
  • Diretor de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina – Eduardo Marques Macário 
  • Gerente de Vigilância das DST/Aids e hepatites virais do estado – Enf.ª Dulce Maria Brandão Castro Quevedo

14h – Mesa redonda: “Políticas e perfil das hepatites virais no Brasil e em SC”

  • Gerente de Vigilância das DST/Aids e hepatites virais do estado – Enf.ª Dulce Maria Brandão Castro Quevedo 
  • Representante do Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, do HIV/Aids e das hepatites virais do Ministério da Saúde – Dr.ª Elisa Catappan

15h – Mesa redonda: “Novos protocolos clínicos e diretrizes terapêuticas das hepatites B e C”

  • Médico Infectologista – Dr. Pablo Sebastian Velho

16h – Mesa redonda: “Visão médica, experiências exitosas”

  • “Manejo clínico das hepatites B e C na visão do Infectologista”, Representante da Soc.de Infectologia – Eduardo de Oliveira Campos 
  • “Manejo clínico das hepatites B e C na visão do Gastroenterologista”, Representante da Soc. de Gastroenterologia – Telma Erotildes da Silva

17h– Debate

  • A mesa será composta pelos palestrantes e a mediação será feita pelo Representante da Soc.de Infectologia e Médico Infectologista da GEDST/DIVE – Eduardo de Oliveira Campos

Instituições convidadas

  • Sociedade Catarinense de Gastroenterologia
  • Serviço de Gastroenterologia do Hospital Universitário da Universidade Federal de Santa Catarina (HU/UFSC)
  • Associação Catarinense de Medicina (ACM)
  • Associação Catarinense para Estudo do Fígado (ACAEF)
  • Associação Catarinense de Medicina da Família e Comunidade 
  • Sociedade Brasileira de Clínica Médica (sede Blumenau)
  • Conselho Regional de Enfermagem de Santa Catarina (Coren/SC)
  • Gerência de Atenção Básica da Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina
  • Laboratório Central de Santa Catarina (LACEN/SC)
  • Municípios Prioritários (Profissionais de Saúde da rede pública)
  • Superintendência de Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado da Saúde (SUV/SES)
  • Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive/SC) por meio da Gerência de Vigilância das Doenças Imunopreveníveis, Imunização e DTHA (GEVIM), Gerência de Vigilância de Agravos Infecciosos, Emergentes e Ambientais (GEVRA) e Gerência de Vigilância de Zoonoses e Entomologia (GEZOO)
  • Diretoria de Vigilância Sanitária (DIVS)
  • Diretoria de Assistência Farmacêutica (DIAF)
  • Universidade Regional de Blumenau (FURB)
  • Hospitais da rede estadual
  • Hospitais da rede privada
  • Diretoria de Educação Permanente em Saúde por meio da Divisão do Serviço de Residência Médica
  • Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI)
  • Universidade do Sul de Santa Catarina (UNISUL)
  • Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC)
  • Centro Universitário Estácio de Sá de Santa Catarina
  • Universidade do Contestado (UnC)
  • Universidade do Planalto Catarinense (UNIPLAC)
  • Universidade da Região de Joinville (UNIVILLE)
  • Universidade do Extremo Sul Catarinense (UNESC)
  • Universidade Comunitária Regional de Chapecó (Unochapecó)
  • Departamento do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal de Santa Catarina (CCS/UFSC)

Municípios de Santa Catarina já estão recebendo R$ 22 milhões referentes às novas habilitações de serviços médico-hospitalares obtidas junto ao Ministério da Saúde.  As novas habilitações contemplam unidades de 14 municípios de Santa Catarina e representam a criação de novos leitos em UTI Pediátrica, leitos de retaguarda, assistência à área de cardiologia, entre outros. Foram beneficiados com R$ 22.072.100,15, apenas em 2018 os municípios de Dionísio Cerqueira, Blumenau, Rio do Sul, Lages, Chapecó, São Bento do Sul, Mafra, Joinville, Treze de Maio, Morro da Fumaça, Biguaçu, São Joaquim, Luzerna e Imbituba.

Oncologia
Apenas em relação aos serviços de oncologia estão sendo investidos R$ 9,4 milhões nas cidades de São Bento do Sul e Rio do Sul.  “É importante verificar a quantidade de pessoas e municípios atendidos com essas habilitações, evitando deslocamentos e demonstrando que a regionalização é um compromisso que o Governo do Estado mantém para oferecer qualidade no atendimento da população catarinense”, disse o secretário de Estado da Saúde, Acélio Casagrande.

A habilitação em oncologia no Hospital Sagrada Família, em São Bento do Sul, por exemplo, era uma reivindicação antiga da comunidade local. O repasse de recursos permite que a unidade se transforme em uma referência regional no diagnóstico e tratamento de câncer, atendendo uma população estimada de 230 mil pessoas de sete municípios. O Hospital Regional do Alto Vale, em Rio do Sul, também foi habilitado e deve realizar 55 cirurgias e 450 atendimentos oncológicos ao mês. Antes da habilitação, os pacientes com câncer na região precisavam se deslocar para Blumenau, Florianópolis ou Lages.

Habilitações

Grace Ella Berenhauser, Superintendente de Gestão e Planejamento do SUS na Secretaria de Saúde, explicou que todas as regiões do estado foram contempladas com as habilitações. “Foi um trabalho que significou o envolvimento dos técnicos, gestores e parlamentares. A conquista em todas as macro regiões veio ao encontro da proposta de regionalização, que é o foco do governo do Estado”, ressaltou. “Outra importante conquista foi a habilitação de leitos de retaguarda para as unidades de Treze de Maio, Morro da Fumaça e Imbituba, o que vai desafogar a porta de entrada do hospital de Tubarão. Assim, os leitos de internação atenderão aos pacientes mais graves”.

Novas habilitações já estão em andamento e, segundo informou Grace, após a realização de vistorias os processos devem ser encaminhados ao Ministério da Saúde.

Prioridade

Os números obtidos apenas nos primeiros meses de 2018 refletem a decisão do governador Eduardo Pinho Moreira de eleger a Saúde como prioridade da sua gestão e, em consequência, o esforço do Governo do Estado, através da Secretaria da Saúde, no intuito de estabelecer uma política de regionalização e qualidade nos serviços oferecidos.

“A saúde é a nossa prioridade. Temos trabalhado sem descanso para melhorar a gestão e sensibilizar o Governo Federal, para melhorar e ampliar a assistência a toda a população, e os primeiros resultados já estão aparecendo. Vamos fazer muito mais!”, afirmou o governador.

Confira a lista de municípios e serviços habilitados em 2018

 

Dionísio Cerqueira (Instituto Santé) – Habilitação para laqueadura

Lages – Hospital Seara do Bem – Reabilitação de leitos

Blumenau – Hospital Santa Isabel – 10 leitos para pacientes de AVC – R$ 1.099.786,10

Blumenau – Hospital Santo Antônio – Qualificação de 5 leitos – R$ 615.068,90

Chapecó – Associação Lenoir Vargas Ferreira – 5 leitos UTI Pediátrica – R$ 698.931,20

Mafra – Hospital São Vicente de Paulo – Unidade de Assistência Neurocirurgia – R$ 779.922,00

Treze de Maio – Fundação Médica São Sebastião – Leitos de retarguada – R$ 620.500,00

Joinville – Hospital Municipal São José - Leitos UTI – R$ 525.600,00

Morro da Fumaça – Hospital de Caridade São Roque – 10 leitos de retaguarda – R$ 775.625,00

Biguaçu – Hospital Regional Helmuth Nass – 12 leitos de retaguarda – R$ 930.750,00

Lages – Hospital Nossa Senhora dos Prazeres – Cardiologia – R$ 3.245.474,20

São Joaquim – Hospital de Caridade Coração de Jesus – 15 leitos - R$ 1.070.362,50

Chapecó - Associação Lenoir Vargas Ferreira – Expansão Oncologia/Radioterapia – R$ 392.085,33

Luzerna – Hospital São Roque – 15 leitos unidade de cuidados prolongados – R$ 1.070.362,50

Imbituba – Hospital São Camilo – 10 leitos de retaguarda – R$ 775.625,00

Rio do Sul – Hospital Regional do Alto Vale – Oncologia – R$ 4.736,003,76

São Bento do Sul – Hospital Sagrada Família – Oncologia – R$ 4.736,003,76

Fabrício Escandiuzzi - Saúde - SES

Mais informações para a imprensa:
Fabrício Escandiuzzi
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Saúde - SES
Fone: (48) 3664-8820 / 99913-0316
E-mail: imprensa@saude.sc.gov.br
Site: portalses.saude.sc.gov.br

O Procon/SC, órgão estadual de Defesa do Consumidor vinculado à Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania (SJC-SC), informa que está monitorando o  aumento dos preços dos combustíveis nos postos de todo o Estado para identificar se está ocorrendo uma possível prática de  preços abusivos sem uma justificativa plausível, ato proibido pelo Código de Defesa do Consumidor. Nesta quinta-feira, 24, o órgão emitiu uma Nota Técnica aos 95 Procons municipais.

Qualquer suspeita de aumento acima dos valores na comercialização do produto, o consumidor deve acionar imediatamente o Procon de sua cidade ou o Procon/SC com as respectivos documentos ou notas fiscais que comprovem a elevação do preço. A denúncias podem ser feitas por meio do telefone 151 do Procon estadual. Caso a denúncia seja comprovada os responsáveis poderão ser notificados, autuados e até multados.

Departamento Estadual de Defesa do Consumidor - Procon/SC

Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania- SJC/SC

Denise Lacerda - Justiça e Cidadania

Informações adicionais para a imprensa
Denise Lacerda
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania - SJC
E-mail: deniselacerda@sjc.sc.gov.br
Fone: (48) 3664-5810 / 99152-6934
Site: www.sjc.sc.gov.br


Fotos: Julio Cavalheiro / Secom

Após um dia de agendas em Brasília e no Rio de Janeiro, o governador Eduardo Pinho Moreira participou de uma reunião na noite desta quarta-feira, 23, com secretários de Estado e comandantes das polícias para fazer o acompanhamento dos desdobramentos da paralisação dos caminhoneiros, que ocorre em todo o Brasil. No Estado, há bloqueios em rodovias federais e estaduais. A principal preocupação da administração é com as consequências de um desabastecimento em serviços essenciais para a população.

“Nós estamos atentos. Há um comitê de crise desde a terça-feira, reunidos há mais de 24 horas, acompanhando todas as situações em todos os segmentos da sociedade. Temos alguns mais urgentes do que outros. O que nós vamos garantir dentro do nosso Estado é a preservação da vida, a segurança e a garantia de ir e vir do cidadão catarinense”, afirmou o governador após o encontro, que ocorreu no Centro Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres de Santa Catarina (Cigerd), inaugurado na semana passada na área continental de Florianópolis.

Representantes do Sindicato das Indústrias Químicas do Sul Catarinense (Sinquisul) estiveram na Secretaria de Estado da Fazenda de Santa Catarina (SEF/SC) nesta terça-feira (22) para solicitar o retorno da alíquota de 12% no ICMS. “O segmento de indústrias químicas importa e compra produtos de outros Estados. Com o benefício, o setor irá atrair fornecedores para que se instalem em Santa Catarina, como os produtores de embalagens metálicas”, afirmou o secretário Paulo Eli.

A Medida Provisória 220, que reduzia o ICMS de 17% para 12% foi rejeitada pela Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) no início deste mês. Com isso, os segmentos estão recorrendo ao Poder Executivo para garantir o benefício.

Além da alíquota de 12%, o setor, que é considerado estratégico para a economia de Santa Catarina, solicita a saída de tintas e vernizes da Substituição Tributária (ST) e a desoneração da cadeia de fornecimento.

Participaram da reunião o presidente do Sinquisul, Edilson Zanatta, e os diretores de Operações e Administrativo Financeiro da empresa Anjo Tintas, Rodrigo Colombo e Alexsandro Zanoni.

Informações adicionais para a imprensa:
Assessoria de Comunicação
Sarah Goulart 
E-mail: sgoulart@sef.sc.gov.br 
Fone: (48) 3665-2504/ (48) 98843-8553

Michelle Nunes
Fone: (48) 3665-2575/ (48) 9929-4998
Site: www.sef.sc.gov.br 
 

Oemesc quer compreender ensino da área, sobretudo na rede estadual - Foto: Jaqueline Noceti/Ascom SED
Foto: Divulgação/Udesc

Observatório do Ensino Médio em Santa Catarina (Oemesc), ligado à Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), promoverá a 1º Jornada Ensino Médio em Santa Catarina em 13 de junho, das 9h30 às 18h, no Plenarinho da Reitoria da Udesc, em Florianópolis, com 80 vagas presenciais disponíveis. Acesse o site de inscrição.

O evento, que também poderá ser visto ao vivo pelo site vc.udesc.br, abordará os impactos da reforma do ensino médio no sistema público catarinense e fará debate sobre a carreira docente. Confira a programação. Além da Udesc, a organização da jornada conta com cinco universidades de diferentes regiões do Estado (Univille, Furb, Univali, Unisul e Unesc).

Foco na rede pública estadual

Coordenado pelo professor Norberto Dallabrida, do Centro de Educação a Distância da Udesc (Cead), o Oemesc foi criado no fim de 2017 a partir de uma reunião com professores de diversas universidades de SC. Seu objetivo é compreender o ensino médio catarinense, prioritariamente o de caráter público estadual. 


O observatório realizará a cada semestre uma jornada de estudos sobre o ensino médio no Estado, contextualizado em nível nacional e global.

Mais informações sobre o evento podem ser obtidas pelo e-mail jornadaensinomedio@gmail.com.

Acompanhe as novidades da Udesc pelo FacebookInstagramTwitterWhatsApp e YouTube. Se você é estudante, acesse office.udesc.br para ativar sua conta de e-mail e ter o pacote Office 365 gratuitamente.

Serviço
O QUÊ: 1º Jornada Ensino Médio em Santa Catarina.
QUANDO: 13 de junho, das 9h30 às 18h.
ONDE: Plenarinho da Reitoria da Udesc, Avenida Madre Benvenuta, nº 2.007, Bairro Itacorubi, Florianópolis.
QUANTO: Evento gratuito, com inscrições na internet.  

Assessoria de Comunicação da Udesc
E-mail: comunicacao@udesc.br
Telefones: (48) 3664-7935/8010


Fotos: Júlio Cavalheiro/Secom

Órgãos do governo estadual, como a Polícia Militar, a Secretaria de Agricultura e a Defesa Civil, monitoram desde a terça-feira as consequências em Santa Catarina da paralisação nacional dos caminhoneiros. No Estado, há pontos de bloqueio em rodovias estaduais e federais. As ações para minimizar os efeitos na população estão se concentrando no Centro Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres de Santa Catarina (Cigerd), inaugurado na semana passada na região continental de Florianópolis.

“Viemos um momento de dificuldade no Brasil todo e aqui em Santa Catarina. Isso está trazendo consequências, intranquilidade e problemas para a população catarinense. Mas nós não estamos parados, estamos acompanhando todos os passos desse movimento. Tem um comitê de crise que está se reunindo desde terça-feira à noite para, dentro do possível, minimizar as situações criadas. Estive em Brasília hoje conversando com autoridades federais para mostrar a importância de encaminharmos soluções rápidas”, disse o governador, acrescentando que espera um desfecho rápido da situação, que envolve o governo federal.


>>> Mais fotos na galeria

Prioridades

De acordo com o secretário-adjunto da Defesa Civil, coronel Fabiano de Souza, a prioridade do governo estadual é mitigar o reflexo da paralisação em serviços essenciais à população. Ele cita ainda que os prejuízos econômicos também são um fator importante, mas que não devem ser colocados à frente das necessidades dos catarinenses.

No campo da agropecuária, a principal preocupação está em garantir a biossegurança do Estado, com a garantia do bem-estar animal. Aproximadamente, 60% do PIB agropecuário catarinense vêm da produção de proteína de origem animal e leite.

“A biossegurança é o foco principal das nossas preocupações. Queremos enviar qualquer problema que coloque em risco a sanidade do nosso rebanho”, afirma o secretário de Agricultura e Pesca, Airton Spies.

Programa é voltado para graduados nas áreas de Ciências Agrárias ou Biológicas - Foto: Jonas Pôrto

 

 

 

 

 

 

 

Foto: Divulgação/Udesc

O Centro de Ciências Agroveterinárias (CAV), da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) em Lages, está com inscrições abertas para o Programa de Pós-Graduação em Produção Vegetal. São oferecidas vagas para os cursos de mestrado e de doutorado.

As inscrições poderão ser feitas até 13 de junho, exclusivamente pela internet. Os interessados deverão preencher formulário eletrônico para o mestrado ou doutorado e anexar on-line os documentos.

De acordo com o edital, o número de vagas dependerá da disponibilidade de orientadores e bolsas e será definido pelo colegiado. A seleção iniciará em 19 de junho e o resultado será divulgado em 29 de junho, no mural da Secretaria de Pós-Graduação em Produção Vegetal e na página do programa.

O Mestrado e o Doutorado em Produção Vegetal possuem conceito 5 da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e são voltados para quem possui graduação nas áreas de Ciências Agrárias ou Biológicas.

O programa tem cinco linhas de pesquisa, das quais uma precisará ser escolhida pelo candidato: Biologia e Tecnologia Pós-Colheita; Fisiologia e Manejo de Plantas; Fruticultura e Horticultura; Melhoramento e Recursos Genéticos; e Proteção de Plantas e Agroecologia.

Mais informações podem ser obtidas pelos telefones (49) 3289-9169 e 9241 e por mensagem para ppgpv.cav@udesc.br.


Informações adicionais para a imprensa:

Assessoria de Comunicação da Udesc Lages
Jornalista Tatiane Rosa Machado da Silva
E-mail: tatiane.silva@udesc.br
Telefone: (49) 3289-9130