Foto: Maiara Gonçalves / SCC

O secretário da Casa Civil, Nelson Serpa, recebeu, em nome do Governo do Estado, uma comitiva de lideranças do Extremo Sul de Santa Catarina, na tarde desta terça-feira, 10, para tratar dos impactos do fechamento da unidade frigorífica da empresa JBS no município de Morro Grande. O encontro ocorreu no auditório da Secretaria de Estado da Administração, no Centro Administrativo, em Florianópolis.  

O prefeito de Morro Grande e presidente da Associação de Municípios do Extremo Sul de Santa Catarina (Amesc), Valdo Rocha, manifestou a preocupação da região com o fechamento, previsto para o fim de outubro. “A unidade emprega hoje diretamente 1.400 pessoas e todos os municípios do Extremo Sul do Estado serão atingidos”, afirmou o prefeito.

O secretário Nelson Serpa informou à comitiva que o Estado está à disposição para auxiliar os municípios afetados direta e indiretamente com todas as ferramentas de apoio e incentivo à atração de investimentos. “Vamos integrar as forças para minimizar os impactos do possível fechamento da unidade, com o objetivo de manter empreendimentos e evitar a perda de empregos e do movimento econômico na região”, ressaltou. Um novo encontro está marcado para o início da próxima semana para retomar as discussões sobre o assunto.

A comitiva contou com a participação dos 15 prefeitos da Amesc, vice-prefeitos, vereadores, deputados, lideranças locais e representantes de agricultores. Estiveram presentes na reunião, ainda, o secretário executivo de Articulação Nacional, Acélio Casagrande e o secretário da Agência de Desenvolvimento Regional de Araranguá, Heriberto Afonso Schmidt.

Informações adicionais para a imprensa:
Maiara Gonçalves
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Casa Civil de Santa Catarina
E-mail: comunicacao@casacivil.sc.gov.br
Telefones: (48) 3665-2005 / 98843-3497
Site: www.scc.sc.gov.br


Foto: Iris Medeiros / SSP

O secretário de Estado da Segurança Pública, César Augusto Grubba, confirmou em audiência na manhã desta terça-feira, 10, a transformação da 2ª Companhia do 11° Batalhão da Polícia Militar de Dionísio Cerqueira em Guarnição Especial de Fronteira. O assunto era motivo de reuniões desde julho quando as autoridades começaram a apresentar a proposta para SSP e Comando Geral da Polícia Militar.

O coronel PM Dirceu Neundorf, comandante da 9ª Região Policial Militar/Fronteira, disse que o objetivo é de dar autonomia e agilizar os processos relativos à preservação da segurança pública na área de Fronteira e Divisa. 

"Das mais variadas formas observa-se que falta uma estrutura que seja dirigida, e com força de atuação direta na região de fronteira, em função do investimento realizado pela Estratégia Nacional de Fronteira (Enafron)”, disse.

De acordo com o secretário Grubba, os recursos para a construção da nova sede da Guarnição Especial de Fronteira -  na ordem de R$ 1,2 milhão  - foram assegurados pelo Pacto da Segurança. Trata-se de uma obra de 750 metros quadrados, em dois pavimentos, cujas obras começam no segundo trimestre de 2018. O terreno para a construção foi doado pela prefeitura de Dionísio Cerqueira.

O secretário também reforça a tese de que uma Guarnição Especial em área de fronteira é mais uma ferramenta para combate aos crimes transnacionais. “A região de fronteira é um corredor de contrabando e descaminho, e uma estrutura oficial terá como o objetivo atacar essas organizações criminosas e frear a entrada de armas e drogas”.

Participaram da reunião o comandante-geral da PM, Paulo Henrique Hemm; sub-comandante geral carlos Alberto Araújo Gomes: secretário executivo de Supervisão de Recursos Desvinculados, Celso Calcagnotto; gerente de obras da SSP, coronel Dirceu Antônio Oldra; dretor de Integração da SSP, coronel PM Rogério Martins; secretário executivo da Agência de Desenvolvimento Regional de Dionísio Cerqueira, Norberto Hart; prefeito de Dionísio Cerqueira, Thyago Gnoatto; prefeito de Princesa, Edilson Volksweis e oficiais da 9ª Região Policial Militar.

Informações adicionais para a imprensa:
Manoely Dias Cogo
Assessoria de Imprensa
Agência de Desenvolvimento Regional de Dionísio Cerqueira
E-mail: comunicacao@dcq.adr.sc.gov.br
Fone: (49) 3644-3317 / 99145-7142
Site: sc.gov.br/regionais/dionisiocerqueira
 

 


Foto: Jaqueline Noceti / Secom

O governador Raimundo Colombo e os prefeitos dos municípios de Itá e Romelândia assinaram nesta terça-feira, 10, os convênios referentes à primeira edição do Fundam. O governador destacou a importância do programa, que promove realização de obras essenciais nos municípios. “Fortalece o nosso modelo de desenvolvimento com obras acontecendo ao mesmo tempo em todos os municípios, sobretudo nos menores que enfrentam com mais dificuldades um período de queda acentuada na arrecadação”, destacou Colombo.


Foto: Andreia Olveira / ADR Chapecó 

Novo programa da Secretaria de Estado da Agricultura incentiva investimentos no meio rural e pesqueiro de Santa Catarina. Com o Programa Menos Juros, os produtores rurais terão R$ 280 milhões disponíveis para financiamentos, sendo que o Governo do Estado responderá pelo pagamento dos juros num valor de R$ 30 milhões. O secretário da Agricultura e da Pesca, Moacir Sopelsa, lançou o Programa nesta terça-feira, 10, durante as comemorações de 50 anos da Cooperalfa, em Chapecó.

O Menos Juros possibilita que os produtores rurais, pescadores e maricultores – enquadrados no Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) - contraiam financiamentos de até R$ 100 mil, com oito anos de prazo para pagamento, sendo que a Secretaria da Agricultura pagará os juros, num limite de 2,5% ao ano. O secretário Sopelsa explica que a intenção é atender cinco mil agricultores e pescadores no Estado. “Nós criamos um programa voltado para os agricultores familiares, para que eles continuem investindo em suas propriedades e gerando mais renda e qualidade de vida no interior”, ressalta.

O Programa apoiará projetos de captação e armazenagem de água da chuva; construção e ampliação de pequenas agroindústrias; maricultura; pesca artesanal; piscicultura; turismo rural; avicultura; apicultura; ovinocultura; caprinocultura; suinocultura; produção de leite e carne a base de pasto; aproveitamento de dejetos da produção intensiva de animais; fruticultura; olericultura; plantas ornamentais; energia alternativa; mecanização agrícola (exceto aquisição de tratores, veículos e calcário); projetos de investimentos para agregação de valor para produção orgânica e empreendimentos apoiados pelo Programa SC Rural.

Durante o lançamento do Programa, Moacir Sopelsa destacou o papel do agronegócio na economia catarinense e a importância da agricultura familiar em Santa Catarina. “Nosso Estado é um pequeno gigante. Somos o Estado da agricultura familiar e, mesmo com pequenas propriedades, conseguimos ser grandes produtores de alimentos. Em um momento delicado da nossa economia, o Governo do Estado reconhece a importância da agricultura familiar, pesca e maricultura e destina recursos para o Menos Juros. Queremos fortalecer as pequenas propriedades, proporcionar mais investimentos, mais qualidade de vida e renda para os agricultores de todo estado. Com uma agricultura forte, teremos um estado fortalecido”.

Para participar do Menos Juros os agricultores, pescadores e maricultores devem procurar a Epagri de seu município.

Informações adicionais para a imprensa:
Ana Ceron
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca
imprensa@agricultura.sc.gov.br
Fone: (48)-3664-4417/ (48) 98843-4996
Site: www.agricultura.sc.gov.br
www.facebook.com/AgriculturaePescaSC/


Fotos: James Tavares/Secom

O governador Raimundo Colombo participou nesta terça-feira, 10, em Chapecó, no Oeste, da solenidade em comemoração dos 50 anos da Cooperalfa, durante a 20ª Exposição Feira Agropecuária, Industrial e Comercial (Efapi). Com cerca de 17 mil pessoas, entre associados e convidados, Colombo fez um breve discurso e ressaltou a força dos agricultores no desenvolvimento do estado. “Esse evento é tão forte e diz tanto para o povo que tem origem do campo, que emociona. A Cooperalfa é um exemplo e temos que tentar multiplicar o máximo possível. A gente reconhece a força dos nossos agricultores que ajudam na economia de Santa Catarina”, enfatizou.

>>> Galeria de fotos

O aniversário da cooperativa será em 29 de outubro e, nesta trajetória cinquentenária, conta hoje com três mil funcionários. A projeção para 2017 é de uma receita bruta de R$ 3 bilhões. Mais de 70% da força do campo é composta por agricultores familiares, unindo recentemente parte do Paraná, Mato Grosso do Sul e Rio Grande do Sul. “A cooperativa foi muito competente, como tem sido há 50 anos. Isso é uma demonstração de força para o nosso país. Representa estarmos em muitos lugares do mundo com alimento, esperança e força do trabalho”, destacou Colombo.

“Através da Alfa também nasceu a Cooperativa Central Oeste Catarinense e a Fecoagro. Então, a Alfa é a mãe de muitas outras atividades. Nesse momento, comemoramos os 50 anos da Efapi e também, nesse ano, o centenário de Chapecó. Tudo isso engrandece”, contou o presidente da Cooperalfa, Romeo Bet.

O secretário de Estado da Agricultura e da Pesca, Moacir Sopelsa; o adjunto Airton Spies; o presidente da Cidasc, Enori Barbieri; o presidente da Cooperalfa, Romeo Bet; a secretária Executiva de Desenvolvimento Regional de Chapecó, Astrit Savaris Tozzo; o prefeito de Chapecó, Luciano Buligon; e autoridades de todo o estado também participaram da cerimônia.

A Cooperalfa

Foi fundada em 1967 em Chapecó, por 39 agricultores, com o objetivo de promover o desenvolvimento econômico através da cooperação. A Cooperalfa construiu uma trajetória que demonstra a força da união em prol de um objetivo comum. Mais de 80% da base associativa da cooperativa é de agricultores familiares.

Informações adicionais para a imprensa:
Rafael Vieira de Araújo 
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: rafael@secom.sc.gov.br  
Telefone: (48)  3665-3018 / 99116-8992
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC

Nesta segunda-feira, 9, moradores, estudantes e gestores públicos participaram da apresentação da proposta da rede metropolitana de transporte coletivo na UFSC, em Florianópolis. O projeto da Superintendência de Desenvolvimento da Região Metropolitana da Grande Florianópolis (Suderf) conta com apoio técnico do Observatório da Mobilidade Urbana da Universidade.

"A ideia é termos um sistema moderno que acompanhe o crescimento da região metropolitana e, na medida do possível, deslocarmos o desenvolvimento para os municípios no continente pois hoje 60% dos empregos estão na capital. Estamos modelando a PPP (parceria público-privada) para viabilizar a infraestrutura do BRT e de novos terminais de integração", disse o superintendente da região metropolitana da Grande Florianópolis, Cassio Taniguchi.

As premissas da proposta são para reforçar serviços locais e municipais com estímulo ao desenvolvimento dos municípios, facilitar as conexões entre centralidades (centro de Palhoça, Kobrasol e Campinas e centro de Biguaçu, por exemplo), rever rede de linhas e promover a integração dentro e fora dos terminais de ônibus. Essa é a etapa inicial do projeto Neotrans, executado pelo Observatório da Mobilidade Urbana da UFSC, com apoio da Suderf e aporte financeiro da Fapesc.

“O planejamento vem sendo feito desde 2014, durante a elaboração do Plano de Mobilidade Urbana Sustentável da Grande Florianópolis (Plamus), com implantação de um sistema troncalizador. O projeto Neotrans fez uma revisão de toda a operação de ônibus na região metropolitana e identificou sobreposição de linhas que gera ineficiência no sistema", destacou o coordenador do Observatório da Mobilidade Urbana da UFSC, Werner Kraus Jr.

A perspectiva é que, ao implantar a rede metropolitana de transporte coletivo, haja uma melhora significativa para o usuário. “O sistema metropolitano vai fazer a integração dos oito municípios aumentando a conectividade entre eles, com serviços melhores à população. No futuro, a expectativa é integrar esse sistema com o de Florianópolis”, explicou o diretor técnico da Suderf Célio Sztoltz.

A segunda fase do projeto prevê a implantação de corredores exclusivos de ônibus e de terminais de integração em Biguaçu, Palhoça, Barreiros e Forquilhinhas. Além da infraestrutura, a Suderf planeja implantar Sistema de Inteligência Operacional (ITS) e Centro de Controle Operacional (CCO) para supervisionar toda a operação do BRT, por meio de parceria público-privada.

A proposta da nova rede metropolitana já foi apresentada nos municípios de São Pedro de Alcântara, Antônio Carlos, Santo Amaro da Imperatriz, Biguaçu, Águas Mornas, São José e Palhoça com participação de moradores, vereadores, gestores públicos e empresários. A próxima reunião será em Governador Celso Ramos no dia 18 de outubro, às 19h, na Apae.

O mapa com as linhas de ônibus sugeridas está disponível na Internet pelo link.

Canais de informação:
www.spg.sc.gov.br/suderf
https://www.facebook.com/suderf/
https://www.facebook.com/observatoriodamobilidade/

Informações adicionais para a imprensa
Rosália Dors Pessato
Assessoria de Comunicação
Superintendência de Desenvolvimento da Região Metropolitana da Grande Florianópolis (Suderf)
E-mail: rosalialdors@gmail.com
Fone: (48) 99150-1222


Foto: James Tavares/Secom

Os catarinenses terão mais um dia de céu encoberto e chuva, especialmente a partir do início da tarde. Do Oeste ao Planalto Norte e no Vale do Itajaí, há condição de chuva em todo o período. A Epagri/Ciram alerta para os altos acumulados de chuva no Sul do Estado, com pontuais que podem superar os 100 mm, entre terça e quinta-feira, 12, especialmente nas áreas mais próximas ao Rio Grande do Sul. A temperatura segue amena com pouca variação durante o dia, devido à nebulosidade. O vento sopra de noroeste a sudeste, fraco a moderado.

Para o restante da semana, a previsão indica tempo instável e chuvoso em todas as regiões. As temperaturas continuam amenas, com mínimas entre 18ºC a 20°C e máximas entre 24ºC a 27ºC.

>>> Acompanhe mais detalhes da previsão do tempo

A Epagri/Ciram recomenda o permanente acompanhamento dos boletins e informações disponibilizados no site.

Mais informações para a imprensa:
Central de Meteorologia
Epagri/Ciram
Fone: (48) 3665-5007 e (48) 3665-5172
E-mail: contatociram@epagri.sc.gov.br
Site: www.ciram.epagri.sc.gov.br
Facebook


Fotos: Julio Cavalheiro/Secom

A primeira de quatro novas operações de transferência de carga da Ponte Hercílio Luz foi realizada com sucesso. Sem chuvas nem ventos fortes, foram necessários 20 minutos para garantir a elevação de 8,7 centímetros da estrutura. O trabalho, seguido por um amplo monitoramento, foi realizado entre a noite desta segunda-feira, 9, e a madrugada desta terça, 10. Outras três operações serão realizadas dentro dos próximos dias, em datas ainda a serem confirmadas e não necessariamente consecutivas.

O presidente do Departamento Estadual de Infraestrutura (Deinfra), Wanderley Agostini, participou de toda a operação desta madrugada e comemorou o resultado. “Todos os envolvidos estão de parabéns. O trabalho foi executado com total tranquilidade e segurança. Estamos com a consciência de dever cumprido”, avaliou.

>>> Confira a galeria de fotos

Além dos técnicos e engenheiros do Deinfra e da empresa Teixeira Duarte, responsável pelos trabalhos, também acompanharam a operação os secretários de estado da Defesa Civil, Rodrigo Moratelli, e da Comunicação, João Debiasi. O governador Raimundo Colombo cumpre agenda no Oeste e não pôde participar. 

O engenheiro fiscal da obra, Wenceslau Diotallévy, explicou que depois da elevação, o trabalho seguiu com um amplo monitoramento das reações da estrutura. “São avaliadas tensões das peças, reações internas e a acomodação da estrutura, porque estamos começando a redistribuir o peso da ponte”, destacou. Ele lembrou que a nova operação de transferência de carga dá continuidade ao trabalho iniciado em fevereiro deste ano, quando foram transferidos inicialmente cerca de 20% da carga da ponte (com deslocamento de cerca de 10 centímetros) entre a noite do dia 11 e a madrugada do dia 12 de fevereiro.

Este procedimento é necessário para que o peso da obra original seja depositado gradativamente na estrutura provisória construída abaixo da ponte exclusivamente para a realização da restauração. Agora os 80% restantes estão sendo transferidos ao longo de quatro novas operações, realizadas sempre à noite, para evitar influências térmicas.

A primeira delas ocorreu neste momento e as outras três serão realizadas em seguida, mas não necessariamente em dias consecutivos. Em cada operação, ocorrerá um novo deslocamento de cerca de 10 centímetros da estrutura da ponte, até completar um total de 40 centímetros. Junto ao procedimento de fevereiro, o deslocamento completo após as quatro novas operações somará 50 centímetros.

Plano de contingência

Pelo previsto no plano de contingência de proteção e defesa civil, diferentemente do que ocorreu no procedimento realizado em fevereiro, nas novas operações não será mais necessário fechar o trânsito para veículos nas rodovias abaixo da ponte nem providenciar o deslocamento de moradores da região. O que será proibida é a navegação abaixo do vão central, desde algumas horas antes de cada operação até a manhã do dia seguinte. Para o trabalho de transferência, a condição ideal é de que a velocidade dos ventos não supere os 40km/h. 

Um sistema de monitoramento online também vai mapear em tempo real mais de 200 pontos ao longo da estrutura da ponte, emitindo alertas em caso de qualquer variação imprevista e controlando os níveis de tensão nas diferentes peças da ponte. Foi montado um cronograma de alertas, dividido em quatro cores, para orientar todas as equipes envolvidas.

O primeiro sinal é a cor verde, que representa que tudo está operando dentro do previsto. O segundo é a cor amarela, que indica algum imprevisto e faz com que o trabalho seja interrompido. O terceiro é a cor laranja, que indica que todos os órgãos envolvidos no plano de contingenciamento devem enviar representantes para o local de trabalho. E, por fim, o sinal na cor vermelho, que se acionado fará com que, apenas neste caso, o trânsito seja interrompido nas rodovias abaixo da ponte e moradores as áreas mais próximas da estrutura, já previamente identificados e notificados, sejam deslocados.

Próximos passos

Após concluídas as quatro novas operações de transferência de carga, a equipe da Teixeira Duarte fará o trabalho de desmontagem da atual estrutura, que vai abranger a remoção dos cabos pendurais e das barras de olhal e o abaixamento do tabuleiro do vão central, para então trabalhar na montagem da nova estrutura. A previsão é que a desmontagem das barras de olhal ocorra já em novembro, o que vai transformar o visual do cartão postal catarinense. 

Em seguida, serão realizados trabalhos intermediários e, então, a montagem da nova estrutura. A ponte receberá duas mil toneladas de metal novas, o que representa uma renovação de cerca de 40% da atual estrutura. Muitas das novas peças, fabricadas no Brasil e no exterior, já foram compradas e estão em depósitos no canteiro de obras. A conclusão da restauração está prevista para o final de 2018.

“Estamos caminhando bem para realizar o ato de reabertura da ponte para os catarinenses ainda em 2018”, comemorou Agostini, após a operação desta madrugada.

Informações adicionais para a imprensa:
Alexandre Lenzi
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: lenzi@secom.sc.gov.br
Telefone: (48) 3665-3018 / 98843-4350
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC


Foto: James Tavares/Secom

Na noite desta segunda-feira, 9, em palestra para aproximadamente 800 pessoas em São Miguel do Oeste, o governador Raimundo Colombo apresentou as ações, conquistas e investimentos do Governo do Estado. Este foi um dos encontros de uma série que está acontecendo em todas as 35 Agências de Desenvolvimento Regional (ADRs). Um dos destaques abordados foi a segunda posição atingida por Santa Catarina no ranking de competitividade dos estados brasileiros e a vice-liderança na geração de empregos no mês de agosto.

O evento aconteceu na Unoesc e contou com a presença do prefeito Wilson Trevisan, do secretário executivo da ADR São Miguel do Oeste, Volmir Giumbelli, do vice-reitor da Unoesc, Vitor D’Agostini, e de autoridades da região. “Estamos enfrentando a maior recessão e crise econômica da história do país. Tivemos que fazer uma série de ações para manter os empregos, pagar os salários dos servidores em dia e continuar com as obras importantes em todo o estado”, disse Colombo.

No ranking de competitividade, Santa Catarina chegou à segunda posição em 2017. O estado ainda ficou em primeiro lugar em segurança pública e em sustentabilidade social e recebeu prêmio de Destaque Internacional. “Em 2011, éramos o sétimo lugar, passamos para terceiro em 2016 e, agora, chegamos ao segundo lugar, atrás apenas de São Paulo. Isso cria um ambiente de negócios extremamente favorável”, explicou.

O governador falou sobre as medidas anticrise adotadas em SC, como não aumentar impostos, renegociação das dívidas dos estados com a união e reforma da previdência estadual. “Nosso maior desafio era o enfrentamento da crise. Por isso, fomos buscar recursos e fazer investimentos importantes no estado. A maioria dos estados optaram por aumentar impostos, mas nós não”, afirmou.

“Protegemos as pessoas mantendo a taxa de emprego e obtivemos a menor taxa de desocupação do país. Na região de São Miguel do Oeste, as empresas geraram mais de 4,4 mil empregos diretos”, explicou. 

Na agroindústria, Colombo destacou o aumento da produção de leite, tornando o estado o quarto maior produtor do país, com 3 bilhões de litros em 2015. “Com apenas 1,1% do território nacional e 3,5% da população brasileira, produzimos muito. Somos os maiores produtores de suínos e maçãs e estamos atingindo boa posição na produção de leite, frango e soja. Isso demonstra a força, trabalho e capacidade de produzir da nossa gente. Somente aqui, a produção de soja chegou a 21% de aumento na área cultivada na região, com 13% de acréscimo na produção”, salientou.

Outros investimentos

Colombo anunciou ainda os investimentos da nova edição do Fundo de Apoio aos Municípios (Fundam). Na região, a primeira edição do programa investiu R$ 19,7 milhões em obras nos sete municípios da ADR. Na Linha Emboaba, foram pavimentados 11,5 quilômetros, criando o novo anel viário da cidade com acesso à futura área industrial. “Vamos começar a assinar os novos convênios do Fundam 2 ainda esse mês com todos os 295 municípios catarinenses”, projetou.

Na Saúde, o governador anunciou o investimento de R$ 360 mil para o setor oncológico do Hospital Regional Terezinha Gaio Basso. Serão 430 metros quadrados de nova área, com banheiro, elevador, rede elétrica e modernização do local. “Vamos concluir esse setor importante para uma região que atende a cerca de 600 novos casos por ano”, disse.

Para a Educação, os investimentos chegaram a R$ 9 milhões em 23 obras e ações. “Já reformamos e ampliamos 800 das 1,1 mil escolas catarinenses”, enfatizou Colombo.

Colombo finalizou dizendo que os catarinenses devem ter orgulho do estado, que tem potencial para continuar crescendo. “Temos condições de ajudar o Brasil a superar os problemas que estão surgindo e também a dar o bom exemplo em fazer o nosso dever de casa”, concluiu.

Informações adicionais para a imprensa:
Rafael Vieira de Araújo 
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: rafael@secom.sc.gov.br  
Telefone: (48)  3665-3018 / 99116-8992
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC

Estão abertas as inscrições para as oficinas gratuitas de fotografia que a Fundação Catarinense de Cultura (FCC) oferece por meio das Oficinas de Arte do Centro Integrado de Cultura (CIC), em Florianópolis. As aulas ocorrerão nos meses de outubro e novembro.

Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (48) 3664-2639.

Curso de Construção de Câmeras Artesanais - Turma 13

Inscrições gratuitas pelo seguinte formulário até as 18h de 20 de outubro: https://goo.gl/forms/wthNhZCWZVVjixpG3
Comunicação dos selecionados de por e-mail dia 21 de outubro.
Serão oferecidas 12 vagas preenchidas conforme critérios (1- ordem de inscrição; 2- experiência em fotografia / artes, atendimento a requisitos; 3- freqüência em cursos anteriores / absenteísmo).
Será formada lista de espera para próximas edições do curso. Falta na primeira aula ou duas faltas implicam no cancelamento da vaga; o absenteísmo é critério de seleção para próximos cursos.
Aulas: às quartas e sextas-feiras, nos dias 27 de outubro; 1º,8,10,17,22 e 24 de novembro. Das 8h30 às 11h30h - 21 horas/aula
Será fornecido certificado.
Sobre o curso: Neste curso os alunos irão construir câmeras fotográficas artesanais com lentes simples de lupas ou de câmeras antigas, usando materiais baratos diversos, reaproveitando materiais fora de uso. Desde câmeras apenas para visualização como câmeras pinhole e até câmeras artesanais mais sofisticadas, dependendo dos materiais disponíveis e habilidades do aluno.
Requisitos: Conhecimento básico de fotografia, desejável em laboratório P&B / pinhole, ou ter feito algum dos cursos anteriores: Fotografia Experimental, Fotografia de Grande Formato, Fotografia para Professores./ Habilidade manual, disponibilidade de algum tempo para pesquisa de mateirais, eventualmente trabalho extra aula. / Material individual de acordo com o projeto de cada um, rateio de custos do material de uso coletivo.

Fotografia Experimental 2

Inscrições gratuitas pelo seguinte formulário até as 18h de 20 de outubro: https://goo.gl/forms/cvaLwXnlOXcu4aIB2
Comunicação dos selecionados de por e-mail dia 21 de outubro.
Serão oferecidas 12 vagas preenchidas conforme critérios (1- ordem de inscrição / 2- experiência em fotografia / artes, atendimento aos requisitos / 3- freqüência em cursos anteriores / absenteísmo).
Aulas: às terças e quintas-feiras, nos dias 31 de outubro; 7,9,14,16,21 e 23 de novembro. Das 8h30 às 11h30 - 21 horas/aula
Será fornecido certificado.
Sobre o curso: Curso básico de introdução aos processos fotográficos histórico/ alternativos em fotografia.
Público alvo: preferência para alunos com alguma experiencia em fotografia / arte.
Conteúdo:
- construção de câmera obscura e de lupa; outras câmeras artesanais
- pinhole, laboratório básico P&B, uso de filme raio x, preparação de
reveladores alternativos
- antotipia, fitotipia, impressão de imagens com sucos de plantas
- cianotipia
- marrom van dyke
- caseína bicromatada e outros processos similares
Custo do material de consumo rateado entre os alunos.

Informações adicionais para imprensa
Fernanda Peres
Assessoria de Comunicação Fundação Catarinense de Cultura
Telefone: (48) 3664-2571
E-mail: imprensa@fcc.sc.gov.br
Site: www.fcc.sc.gov.br
Twitter: www.twitter.com/fccoficial
Facebook: www.facebook.com/FundacaoCatarinensedeCultura