Foto: James Tavares/Secom

Desde janeiro, o Governo de Santa Catarina recebeu representantes de 10 países para discutir assuntos de interesse do Estado, como educação, investimentos internacionais e intercâmbio de tecnologias. De acordo com o futuro secretário de Assuntos Internacionais, Derian Campos, a proposta é trabalhar de forma mais proativa para ampliar a presença catarinense no exterior e, ao mesmo tempo, trazer capital e tecnologia estrangeiros para promover desenvolvimento econômico e qualidade de vida. “O objetivo é tornar Santa Catarina o Estado mais global do Brasil”, resume Campos.

A criação da pasta está prevista na proposta de reforma administrativa encaminhada pelo governador Carlos Moisés à Assembleia Legislativa. Enquanto isso, Campos atua na Casa Civil como consultor para assuntos internacionais e toma a frente em reuniões envolvendo o Governo de Santa Catarina e delegações estrangeiras.

Entre janeiro e março, o governador e o futuro secretário já participaram de reuniões com representantes da Argentina, Itália, China, Espanha, Estados Unidos, Alemanha, Uruguai, República Tcheca, Senegal e Canadá. “Cada reunião que se faz com um cônsul ou embaixador é um mundo de possibilidades que se abre. Nesses encontros, o representante do país sugere ao governador parcerias em vários aspectos. O papel da nossa Secretaria é manter o diálogo. Já temos identificado oportunidades bem interessantes”, resume Campos.

Planejamento para o futuro

Segundo ele, a nova mentalidade da Secretaria é ajudar Santa Catarina a se inserir no contexto internacional, identificando oportunidades para que o estado seja fornecedor de produtos, serviços e tecnologias que tenham alta demanda nos próximos anos e décadas. “Temos que olhar para os países que, nos próximos 10 anos, vão se destacar no mundo, como Índia, Turquia e Indonésia, que prevê multiplicar o PIB por 10. O que eles vão precisar? O que nós podemos fornecer? Esse planejamento de futuro é extremamente importante”, aponta o secretário.

A ideia, conforme Campos, é aproveitar o potencial que as regiões já têm em diversos setores da economia, mapear a demanda internacional e estimular o surgimento de parcerias lucrativas para os catarinenses. “Estamos visitando cidades e empresas para conhecer as tendências de cada região, para fazer um cruzamento de tudo isso e definir a nossa atuação”, afirma.

Uma estratégia para vender Santa Catarina no exterior é estimular o surgimento de representantes não remunerados que atuam a favor do Estado em outros países. Atualmente, há apenas dois: um em Israel e outro na Alemanha. “Por que não ter na China, na Espanha, nos Estados Unidos, e em outros países? São catarinenses que carregam o Estado com eles e atuam sob algumas regras que nós estabelecemos para divulgar nosso Estado. Eles distribuem materiais de divulgação de turismo, portos e outros diferenciais catarinenses”, sugere o secretário. “Nosso propósito é transformar a vida das pessoas através da interação estratégica com o exterior. Muitas vezes temos alguma limitação de mercado, e o mundo pode ser a saída”, conclui.

Informações adicionais para a imprensa
Renan Medeiros
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: renan@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3058 / (48) 99605-9196
Site: www.sc.gov.br 
www.facebook.com/governosc e @GovSC

 Foto: Doia Cercal/Secom

Em visita ao Governo do Estado e o polo tecnológico Sapiens Parque, nesta sexta-feira, 29, na Capital, o Ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), o astronauta Marcos Pontes demonstrou interesse em replicar o modelo de ecossistema de inovação catarinense para o país e sinalizou apoio Federal à Rede de Centros de Inovação de Santa Catarina. A agenda foi proposta pelas secretarias de Desenvolvimento Econômico Sustentável, de Articulação Nacional, e pelo deputado federal Daniel Freitas.

Cumprindo programação intensa em Santa Catarina, iniciada às 10 horas, o ministro se reuniu com o governador Carlos Moisés na Casa d’Agronômica e concluirá a agenda com palestra na Universidade do Extremo Sul Catarinense (Unesc). Também teve a oportunidade de conhecer as potencialidades do Sapiens Parque e dos clusters e empreendimentos de tecnologia do estado que representam 5.6% do PIB catarinense.

"Santa Catarina é um estado inovador em diversas áreas e chegou a hora da administração pública também incorporar essa cultura. Nossa rede tecnológica já é considerada uma referência e a intenção do ministro de replicar nosso modelo de ecossistema de inovação para outras regiões é importante como sinal de que estamos no caminho certo", disse o governador.

Marcos Pontes acompanhou, ainda, uma explanação do secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDS), Lucas Esmeraldino, e de seu adjunto, Amandio João da Silva Júnior, sobre a política de inovação em Santa Catarina e os pilares do projeto de governança dos Centros de Inovação pelo Estado (em fase final de elaboração) com propósito de criar sintonia, sinergia e de compartilhar boas práticas com todo ecossistemas de inovação do estado.

“Queremos usar estas ideias e esse modelo. Tenho relatos positivos do ambiente de inovação de Santa Catarina e agora levo uma impressão ainda mais fundamentada. Podem contar com o Ministério e com a minha ajuda”, avisou o ministro Marcos Pontes.

Para Esmeraldino, é muito importante que o estado seja reconhecida por este novo movimento e modelo de ecossistemas de inovação: “Ficamos muito felizes com o feedback do Ministro em relação ao modelo da Rede de Centros de Inovação de Santa Catarina. A inovação não é palavra da moda, é a principal política de desenvolvimento do Estado. Será a nossa maior obra”.

Em 2014, Santa Catarina lançou a pedra fundamental para implantar 13 Centros de Inovação. Nesta etapa, o Governo construiu prédios, criou conceitos e inaugurou duas unidades (Lages e Jaraguá do Sul), financiadas pelo Estado em parceria local com prefeituras, universidades e entidades empresariais. Os Centros de Blumenau, Chapecó, Joaçaba, São Bento do Sul, Tubarão e Itajaí estão em construção. A Rede também contemplará unidades construídas com diferentes modalidades de parceria público-privada: pelo poder local, em projetos independentes, a exemplo de Videira; pela iniciativa privada, como Joinville, Florianópolis e Rio do Sul; e ainda pelo Governo do Estado em parceria com o MCTIC, como em Brusque.

Os ecossistemas de inovação, que incluem os Centros, seguem três frentes de trabalho: ativar, integrar e dar vida ao ecossistema (alinhar a tríplice hélice); criar e consolidar uma cultura de território de empreendedorismo e inovação; gerar e escalar negócios inovadores que vão levar à região rumo à nova economia.

Mais informações para a imprensa:
Willian Máximo
Assessoria de Comunicação
Secretaria do Desenvolvimento Econômico Sustentável - SDS
Fone: (48) 3665-2261 / (48) 99131-6051
E-mail: comunicacao@sds.sc.gov.br
Site: www.sds.sc.gov.br 


Fotos: Gustavo Amorim / SDS

Santa Catarina inova mais uma vez e ganha mais um Centro de Inovação, com a inauguração do Ágora Hub, em Joinville, que tem um investimento 100% privado. O novo espaço de 7 mil metros quadrados de área construída passa a integrar a Rede de Centros de Inovação de SC, com apoio institucional do Estado.

O ato foi oficializado na noite da última quinta-feira, 28, durante a inauguração da estrutura, a partir da assinatura do Acordo de Cooperação, entre a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, o Perini Business Park, o Ágora Tech Park, Join.Valle e a Prefeitura de Joinville, que juntos, passam a integrar o planejamento de ações com foco no desenvolvimento e no fortalecimento do ecossistema inovador do Estado.

Para o secretário da SDS, Lucas Esmeraldino, com a inauguração do Ágora Hub, o Governo de Santa Catarina avança: em vez de construir mais uma obra, auxilia na conexão, aliando parcerias para fomentar o ecossistema tecnológico com a participação da iniciativa privada e universidades e, passa a incentivar ainda mais a multiplicação de novos Centros.

“Esta integração com a iniciativa privada vai ao encontro do momento econômico e dinâmico atual, que demandam sinergia dos diferentes atores, otimização dos recursos, celeridade nas ações e oferece apoio do empreendedorismo tecnológico na cidade de Joinville e região. A partir deste exemplo, muitos outros surgirão, como teremos daqui a pouco em Videira. Saímos na frente com a implantação do projeto dos Centros de Inovação e, agora, nos mantemos avante, inovando e fomentando, não necessariamente com construções, mas, sim fomentando conceitos”, destaca o secretário.

Centro de Inovação em Joinville integra Rede Tecnológica do Estado

Ocupação em 90%

Com um investimento de R$ 20 milhões o empreendimento estreia com ocupação de 90% em um ambiente aberto, interativo, colaborativo e sustentável, criado para potencializar conexões inteligentes entre atores do ecossistema de inovação e tecnologia. O Ágora Hub é o prédio principal do Ágora Tech Park, que reúne o campus Joinville da UFSC, com 13 mil metros, que oferece oito cursos de engenharia e duas pós-graduações; e o prédio da Conta Azul, que tem 9 mil metros quadrados.

O parque tecnológico prevê a construção de mais quatro prédios, o que vai totalizar 70 mil metros quadrados de área construída, 140 mil metros quadrados de área de terreno e um investimento privado de R$ 120 milhões. Atualmente, ocupa uma parte dentro do Perini Business Park, que é o maior parque empresarial multissetorial da América do Sul sediado no Norte de Joinville.

O presidente do Instituto Ágora de Ciência e Tecnologia, Emerson Edel, destaca o momento importante para Joinville, região e também para o Estado, pois a inovação é uma das grandes bandeiras de Santa Catarina.

“Avaliamos que o Governo tem que estar presente neste ecossistema de inovação, esse projeto da Rede de Inovação é um conceito que a gente gosta muito. E esta possibilidade, por meio deste convênio, de integrar o Ágora no Centro de Inovação da Rede é muito positivo, para o ecossistema como um todo e principalmente para nós como Parque Tecnológico local”, destacou Edel.

Centro de Inovação em Joinville integra Rede Tecnológica do Estado

O reitor da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Ubaldo Balthazar, pontuou a importância da sinergia entre a academia e demais atores e o impacto no desenvolvimento tecnológico. “Estamos com um campus dentro do Parque tecnológico e somos hoje objeto de desejo de várias universidades que querem este modelo. Damos um salto para o mundo neste modelo de pesquisa de ponta. E a palavra chave é a parceria, nossos cientistas trabalhando em projetos com investimentos locais e estaduais”, disse Balthazar.

Também presente no evento o prefeito de Joinville, Udo Döhler, destacou em sua fala que o Perini Business Park abriga 20% do PIB de Joinville, “e agora vivemos um momento ímpar com a criação deste espaço que tem a missão de derrubar muros invisíveis e permitir a aproximação entre academia, empresas,  setor público e pessoas”, frisou.

O presidente do Instituto Ágora de Ciência e Tecnologia e CEO do Grupo Perini na América Latina, Marcelo Hack, destacou a importância das conexões inovadoras em Santa Catarina. “Estamos muito felizes pelo posicionamento do Estado que deixa de se preocupar com o tijolo, com a obra, para se preocupar com o ecossistema que é o que de verdade agrega valor, isso é a certeza que este centro de inovação vai se desenvolver em Joinville e vai poder se integrar com os outros Centros do Estado”, concluiu.

Centro de Inovação em Joinville integra Rede Tecnológica do Estado

O diretor executivo do Ágora, ex-diretor de Ciência, Tecnologia e Inovação da Secretaria de Estado de Desenvolvimento (SDS), Jean Vogel, entusiasta da inovação empreendedora no Estado, comemorou este passo. “Santa Catarina é o único Estado que tem essa abordagem tão incisiva na promoção da inovação e, este novo Governo, em tão pouco tempo, já percebe que o momento atual da economia do país pede uma aproximação mais eficaz das estruturas privadas. É uma continuidade do processo não mais investir em construções de espaço e sim no recheio. De um lado a agilidade da iniciativa privada e do outro o peso institucional do Governo, referência no setor de tecnologia e inovação, fazendo com que a tríplice hélice funcione e inspire outros estados” avaliou.

Informações adicionais para a imprensa:
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável e Turismo
Jornalista: Mônica Foltran
E-mail: comunicacao@sds.sc.gov.br
Telefone: (48) 3665 2261/ (48) 996961366

De 1º a 30 de abril, o Museu da Escola Catarinense (Mesc), da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), terá a mostra "Reflexos do Passado", das fotógrafas Sandra Puente e Nilva Damian, com imagens da arquitetura açoriana no Centro de Florianópolis. Criada em comemoração aos 270 anos da cultura açoriana, a mostra evidencia, por meio das lentes das fotógrafas, o contraste das construções antigas e novas, ao utilizar a técnica de espelhamento nas imagens. 

Foto: Júlio Cavalheiro/Secom

A partir de agora, os produtores rurais de Santa Catarina têm acesso a uma ampla quantidade de informação para a tomada de decisões, como  monitoramento de safras, preços, políticas públicas, importações e exportações. Tudo isso na palma da mão. O Governo de Santa Catarina lançou na tarde desta sexta-feira, 29, o aplicativo do InfoAgro, um sistema que cruza dados de várias fontes e entrega de forma acessível aos interessados.

O lançamento ocorreu no auditório da Epagri, em Florianópolis. “O aplicativo passa a ser um informe digital, permitindo o acesso de todos os dados que interessa ao produtor. Isso vai dar agilidade também para traçar cenários futuros olhando os números passados”, avalia o secretário de Estado da Agricultura e da Pesca, Ricardo de Gouvêa. Ele lembrou que, a partir da análise dos preços praticados no mercado, por exemplo, o produtor pode saber se está recebendo um valor adequado pelo que produz.

A diretora-presidente da Epagri, Edilene Steinwandter, definiu o InfoAgro como uma revolução para a produção e para a gestão pública. “Para se chegar a esses dados, foram necessárias muitas parcerias. A Secretaria, a Epagri, o Ciasc trabalharam juntos. Também buscamos informações no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e no IBGE. São grandes parcerias que resultam nesse produto”, relata Edilene.

O aplicativo já está disponível para download gratuito em sistemas Android. Na semana que vem, ele será disponibilizado também para iOS. O projeto foi desenvolvido pelo Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola (Cepa) da Epagri.

O lançamento também teve a presença do secretário de Estado da Casa Civil, Douglas Borba, profissionais da Epagri, Ceasa e Cidasc e de representantes de entidades ligadas à produção agropecuária.

Foto: Júlio Cavalheiro/Secom

Síntese Anual da Agricultura

No mesmo ato, foi lançada a Síntese Anual da Agricultura de Santa Catarina 2017-2018, publicação que destrincha as mudanças estruturais na agricultura catarinense desde 1970. Pela primeira vez, a revista foi lançada apenas na versão digital, que pode ser acessada neste endereço.

O coordenador da publicação, Tabajara Marcondes, apresentou os principais pontos da Síntese. Entre os destaques estão o aumento na produtividade do leite (quadruplicou desde 1970), o crescimento da área plantada de soja (mais que triplicou desde 1995) e a redução do espaço destinado ao feijão (chegou a mais de 290 mil hectares em 1980 e atualmente é de aproximadamente 60 mil hectares). Um dos desafios para o futuro, de acordo com Marcondes, será a sucessão do trabalho no campo, já que, atualmente, menos de 4% dos produtores têm menos de 30 anos.

Informações adicionais para a imprensa
Renan Medeiros
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: renan@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3058 / (48) 99605-9196
Site: www.sc.gov.br 
www.facebook.com/governosc e @GovSC

A Procuradoria Geral do Estado (PGE) obteve vitória em pelo menos cinco recursos que discutiam a possibilidade de incluir no sistema SerasaJud o nome de devedores de tributos. O Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC), em decisões publicadas nos últimos dias, reforçou precedente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que entendeu ser possível a inclusão no cadastro de inadimplentes independentemente de cobrança em execução fiscal.

Em todos os casos, os magistrados de primeiro grau negaram pedido do Estado para inclusão de contribuintes, que estavam sendo executados por dívidas tributárias, no SerasaJud, sistema utilizado pelo Judiciário para requerer ao Serasa que registre o nome do devedor no cadastro de inadimplente. A PGE recorreu e conseguiu reverter todas as decisões no TJSC.

Para o procurador do Estado, Rodrigo Diel de Abreu, que atuou em dois dos cinco recursos, a inclusão do devedor nos cadastros de proteção ao crédito está expressamente autorizada pela legislação e, além disso, cabe ao juiz zelar pela efetividade do processo, utilizando os meios necessários. “Antes de solicitar a inclusão do devedor no cadastro de inadimplente do Serasa, o Estado envidou todos os esforços no sentido de localizar o patrimônio penhorável da parte executada, não logrando êxito”, pontuou Abreu.

Os argumentos da PGE foram acatados pelos desembargadores que julgaram os processos. Segundo as decisões, o cadastro dos devedores no SerasaJud não somente era possível, como necessário. “Tem-se que diversas tentativas foram feitas no intuito de localizar bens do devedor capazes de garantir a presente execução, porém, todas foram infrutíferas, sendo certo, portanto, não apenas o cabimento da medida, mas a sua imprescindibilidade, a fim de que seja dada efetividade e segurança à tutela jurídica almejada”, analisaram.

Além de Rodrigo Diel de Abreu, atuaram nos demais recursos os procuradores do Estado Marcelo Adriam de Souza, Marcos Rafael Bristot de Faria e Thiago Aguiar de Carvalho.

Processos: 4030668-29.2018.8.24.0900, 4008930-66.2018.8.24.0000, 4018987-62.2018.8.24.0900, 4032452-25.2018.8.24.0000 e 4009868-61.2018.8.24.0000

Informações adicionais para a imprensa:
Maiara Gonçalves
Assessoria de Comunicação
Procuradoria Geral do Estado
comunicacao@pge.sc.gov.br
(48) 3664-7650 / 99131-5941 / 98843-3497

 Foto: Doia Cercal/ Secom

Uma dose da vacina que garante proteção para o resto da vida. A febre amarela é grave, mas tem prevenção. Na última quinta-feira, a confirmação da primeira morte pela doença no Estado desde 1966 reforçou a necessidade de a população se prevenir. A vacina é gratuita e está disponível nos postos de saúde da rede pública. Entenda como ocorre a transmissão do vírus, sintomas e como buscar a proteção no infográfico abaixo.

CLIQUE AQUI PARA BAIXAR O INFOGRÁFICO EM PDF

 

Informações adicionais para a imprensa:
Patrícia Pozzo
Núcleo de Comunicação
Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive)
Secretaria de Estado da Saúde
Fone: (48) 3664-7406 | 3664-7402
E-mail: divecomunicacao@saude.sc.gov.br
www.dive.sc.gov.br

 

Foto: James Tavares/Secom

A Secretaria de Estado da Saúde concluiu nesta semana o primeiro processo licitatório 100% digital de Santa Catarina. A licitação foi feita para a compra de medicamento. A partir de agora, todas as licitações da pasta serão sem papel.

O projeto visa à melhoria no fluxo das aquisições, com maior celeridade e rastreabilidade, redução de custos e total transparência nos processos licitatórios.

Pioneira no país, a proposta foi elaborada de maneira sustentável, usando os recursos já existentes. Não foi necessário nenhum aporte financeiro para sua implantação. "Com inovação, criatividade e iniciativa a gestão pública se fortalece e se torna mais eficiente. Uma solução idealizada por servidores da saúde do Estado, integralmente alinhada com as diretrizes do novo governo", comemora o secretário da Saúde, Helton de Souza Zeferino.

Para a diretora da área de licitações, Carla Giani da Rocha, a conclusão deste primeiro processo até a etapa de contratação representa o compromisso de toda a equipe com transparência, eficiência e resultados.

Ela explica que a compra do medicamento foi mais rápida quando comparada ao processo de licitação comum, o que refletiu num atendimento mais ágil para a população e consequente melhoria da qualidade de vida do usuário do SUS em Santa Catarina. “Todos os servidores se envolveram no projeto permitindo que a Secretaria de Estado da Saúde fosse pioneira em licitações 100% digitais. Para além do governo sem papel, buscamos a excelência e a garantia do atendimento aos nossos usuários. O medicamento está disponível aos pacientes”, completou.


Mais informações para a imprensa:
Fabrício Escandiuzzi
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Saúde - SES
Fone: (48) 3664-8820 / 99913-0316
E-mail: imprensa@saude.sc.gov.br
Site: portalses.saude.sc.gov.br

Começou na quinta-feira, 28, a 30ª reunião técnica do Conselho Nacional de Controle Interno (Conaci), em Aracati, no Ceará. O encontro, que termina nesta sexta-feira, 29, reúne representantes dos órgãos de Controle Interno de todo o país para discutir os avanços na área e promover o intercâmbio de práticas e conhecimentos. Representam Santa Catarina o futuro controlador-geral do Estado, professor Luiz Felipe Ferreira, o atual diretor de Auditoria Geral, Wanderlei Pereira das Neves, e o auditor interno Frederico da Luz.

Entre os temas que serão abordados no encontro estão a avaliação de suscetibilidade ao risco de fraude e corrupção em órgãos públicos, a aplicação do Modelo de Capacidade de Auditoria Interna pelos órgãos de controle interno e, também, controles internos e seus efeitos nas demonstrações contábeis do setor público.

Informações adicionais:
Assessoria de Comunicação da Secretaria da Fazenda
Michelle Nunes
Fone: (48) 3665-2575/ (48) 9929-4998
E-mail: jornalistaminunes@gmail.com
Sarah Goulart 
E-mail: sgoulart@sef.sc.gov.br 
Fone: (48) 3665-2504/ (48) 98843-8553
Site: www.sef.sc.gov.br 
facebook.com/fazendasc

 Foto: James Tavares/ Secom

Os boxistas e produtores rurais das Centrais de Abastecimento do Estado de Santa Catarina (Ceasa/SC) doaram mais de mil toneladas de alimentos para o Programa Mesa Brasil no último ano. As frutas e verduras que antes seriam descartadas agora são encaminhadas para famílias carentes e instituições sociais da Grande Florianópolis. A parceria entre o Serviço Social do Comércio (Sesc) e a Ceasa atende em média 18 mil pessoas por mês.

Este é o segundo ano que a Ceasa doa alimentos para o Programa Mesa Brasil e a parceria deve seguir ainda mais forte em 2019. “Nesses dois anos, as frutas e verduras que antes seriam descartadas foram aproveitadas e alimentaram milhares de pessoas. Evitamos o desperdício e ainda contribuímos para o bem estar social da região”, ressalta o secretário de Estado da Agricultura e da Pesca, Ricardo de Gouvêa.

As frutas e verduras arrecadadas pelo Programa Mesa Brasil são excedentes ou fora dos padrões de comercialização, e estão em perfeitas condições de consumo. Para selecionar os alimentos e atender as famílias carentes, o Sesc mantém um espaço permanente dentro da Ceasa.

“Além de proporcionar uma ação social de ajudar os mais necessitados, a parceria com o Mesa Brasil contribui para desenvolvimento sustentável, reforça a necessidade de controle do desperdício e agrega valor ao conceito de preservação do meio ambiente", destaca o diretor presidente da Ceasa/SC, Glauco Gazola Zanela.

O Programa Mesa Brasil é uma rede nacional de bancos de alimentos contra a fome e o desperdício, contribuindo para promoção da cidadania e melhoria da qualidade de vida de pessoas em situação de vulnerabilidade social. Para mais informações sobre a doação de alimentos para famílias carentes e instituições sociais, faça contato com o Programa Mesa Brasil através do número: 0800-643 4363.

Informações adicionais:

Ana Ceron
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca
imprensa@agricultura.sc.gov.br
Fone: (48)-3664-4417/(48) 98843-4996
Site: www.agricultura.sc.gov.br
www.facebook.com/AgriculturaePescaSC/