Foto: Suzana Francieli Ferrari

Na manhã desta segunda-feira, 17, foi realizada reunião na Agência de Desenvolvimento Regional de Maravilha (ADR), com o secretário de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação (SST), Valmir Francisco Comin, e municípios que receberão o Cras na regional.

Segundo o secretário Valmir Comin, são vários pedidos em todo o estado, mas será dada sequência de forma cronológica. O novo lote de licitações deverá ser enviado até o mês de outubro de 2017. Comin anunciou que os municípios de Modelo e Serra Alta receberão o Cras e devem seguir rigorosamente os critérios do edital.

 Comin explica que as reuniões estão sendo realizadas como forma de orientação para o processo licitatório e para as medidas preventivas. “A SST será a primeira secretaria a utilizar a tecnologia BIM, tecnologia em que os responsáveis das obras poderão ter uma visão geral de todo o processo”, afirma ele.

O secretário da ADR Maravilha, Valci Dal Maso, ressalta que é muito importante essa comunicação entre municípios, Regional e Estado. “As obras da nossa região são como cartões postais para nossos municípios, elas precisam acontecer”, destaca o secretário.

Informações adicionais para a imprensa
Suzana Francieli Ferrari
Assessoria de imprensa
Agência de Desenvolvimento Regional de Maravilha
E-mail: imprensa@mvh.adr.sc.gov.br
Telefone: (49) 3664-6532 / (49) 8839-1117
Site: www.adrs.sc.gov.br/adrmaravilha
Facebook: https://www.facebook.com/regional.maravilha

A fiscalização da Secretaria de Estado da Fazenda acompanha nesta semana, em Joinville, a implantação de um sistema para emissão de cupom fiscal de passagens vendidas dentro dos ônibus intermunicipais. A solução, conhecida como ECF embarcado, permite que o cobrador emita o bilhete durante o trajeto por meio de um smartphone conectado a uma impressora térmica. Os testes serão feitos nesta quarta-feira, 19, nas linhas das empresas Verdes Mares e Transtusa, ambas de Joinville.

As informações fiscais da venda dos bilhetes ficarão gravadas na memória do sistema. Assim que o equipamento for conectado a uma rede de internet, serão transmitidas automaticamente para o Programa de Aplicação Fiscal (PAF), ampliando os controles do fisco. Atualmente a emissão dos bilhetes é feita mediante uso de um ECF no ponto de venda (ECF-PDV), que será substituído por um sistema de PAF-ECF certificado, incluindo dispositivos móveis, ECF com impressora fiscal (ECF-IF) e acesso remoto.

De acordo com o auditor fiscal Felipe Letsch, no setor de transporte de passageiros ainda é muito comum a emissão de bilhetes por meio de formulários contínuos, dificultando os controles tanto do fisco quanto das empresas. “É uma necessidade do próprio contribuinte porque o transporte de passageiros que embarcam durante o trajeto ainda é muito sujeito a fraudes”, explica o auditor, que acompanhará os testes.

Facilidade para o usuário – outro sistema também permitirá que o passageiro faça a compra on-line do bilhete já com a emissão do cupom fiscal. Desta forma, ele não precisará chegar 40 minutos antes na rodoviária, conforme recomendado atualmente, para solicitar a passagem efetiva no guichê da empresa.

Serviço

O que: teste de novo sistema “ECF embarcado”
Quando: 19 de abril, quarta-feira
Onde: Linha Enseada, saída 10h40 da rodoviária de Joinville

Informação para imprensa:
Assessoria de Comunicação da Secretaria de Estado da Fazenda
Aline Cabral Vaz/Cléia Schmitz/Sarah Goulart/Rosane Felthaus
(48) 3665-2575/2572/2504
www.sef.sc.gov.br | @fazenda_sc | facebook.com/fazendasc

 

Nesta terça-feira, 18, a previsão do setor de meteorologia da Epagri/Ciram indica presença de nuvens com aberturas de sol no decorrer do dia na maioria das regiões. No Litoral e Vale do Itajaí, condição de chuva, especialmente pela manhã e à noite, devido aos ventos marítimos. A temperatura estará amena, com maior elevação à tarde no Oeste do Estado. O vento sopra de sudeste a nordeste no Oeste e Meio Oeste, e de sudeste a leste nas demais regiões, fraco a moderado.

Na quarta-feira, 19, o sol aparece entre nuvens no decorrer do dia em boa parte do Estado. No Litoral e Vale do Itajaí, persiste a condição de chuva pela manhã e à noite, devido aos ventos marítimos. À tarde, pancadas de chuva com trovoadas no Oeste. A temperatura segue amena, com maior elevação à tarde no Oeste.

Recomenda-se o acompanhamento diário da previsão do tempo.

Qualquer problema deve ser comunicado à coordenadoria municipal de Defesa Civil, através do telefone de emergência 199 ou para o Corpo de Bombeiros no número 193.

Mais informações:
Epagri/Ciram
Fone: (48) 3665-5006

O crime de furto de energia está contemplado no Art. 155 do Código Penal, que prevê pena de um a quatro anos de prisão e multa. De acordo com estudo do Instituto Acende Brasil, especializado no setor elétrico, estima-se que, apenas em 2015, as principais distribuidoras do país tiveram um prejuízo de R$ 8 bilhões com os furtos de energia, os famosos ‘gatos’. O valor corresponde a mais de 15 milhões de MWh, o equivalente ao consumo de oito meses da população catarinense.

No ano passado, em Santa Catarina, 43% das perdas comerciais da Celesc ocorreram por ligações clandestinas em áreas não legalizadas. Somente na capital, a estimativa é de que 30 mil unidades consumidoras não possuam alvará, o que impede o atendimento por parte da empresa e, em consequência, causa um alto nível de clandestinidade. No mesmo período, 32% dessas perdas foram causadas por fraudes.

Irregularidades e furtos na rede de energia são responsáveis não apenas por prejuízos aos consumidores que mantém seus débitos em dia e à Celesc, como também representam grande insegurança para toda a sociedade. Eduardo Cesconeto, diretor comercial da Celesc, alerta para o fato de que ações deste tipo podem ocasionar choques elétricos, curto circuitos e até originar incêndios, expondo moradores e frequentadores desses locais a um grande risco.

Ainda de acordo com a Celesc, os furtos na rede prejudicam a qualidade da distribuição elétrica nas regiões atingidas, uma vez que a potência dos transformadores é calculada de acordo com os consumidores legalmente cadastrados. As demais ligações, irregulares, provocam sobrecarga no sistema e, consequentemente, o desligamento em toda área de abrangência.

A fiscalização desses casos requer esforço permanente e a ajuda dos consumidores é muito importante para reverter esse quadro. Para coibir esses e outros atos irregulares, equipes da Celesc vêm fiscalizando unidades comerciais e residenciais, em operações que ocorrem em conjunto com as prefeituras e as polícias Civil e Militar de todo o estado.  Mas os catarinenses também podem contribuir para o processo, utilizando os canais da empresa para denunciar, anonimamente, situações similares, por meio de chamada gratuita à Ouvidoria da Celesc (0800 48 3232) e também no Canal de Denúncia, disponível no site da companhia. Em 2016, essas duas vias registraram 2.689 denúncias de irregularidades em todo o estado.

Força-tarefa e denúncias pelo estado

Agência Regional de Florianópolis – Desde o início do ano, a Regional Florianópolis retirou aproximadamente 500 ligações clandestinas em diferentes pontos da Capital. “Tínhamos uma perda comercial (consequente de furtos de energia, erros de medição ou no processo de faturamento, entidades consumidoras sem equipamento de medição etc.) estimada de aproximadamente 125.000 kWh/mês, ou o equivalente a R$ 85 mil mensais, considerando todos como residencial”, aponta a chefe da Divisão Comercial da Agência Regional de Florianópolis, Samara de Souza.

No ano passado, os canais de denúncia da Celesc registraram 1.671 queixas de irregularidade em municípios que integram a Regional de Florianópolis. As equipes da companhia encontraram diversas irregularidades na área. Casos reincidentes ocasionaram, inclusive, a prisão dos proprietários de um estabelecimento de inspeção veicular, nos Ingleses, e de um boliche, na SC-401, ambos no norte da Ilha.

Agência Regional de Joinville – Recentemente, 14 policiais civis e sete funcionários da Agência Regional de Joinville retiraram 15 ligações irregulares em residências no bairro Morro do Meio, ação que resultou na prisão de dez pessoas.

O supervisor técnico comercial da Regional, Márcio Godoy, estima que os prejuízos registrados por apenas essas unidades podem chegar a R$ 18 mil anuais, considerando que os furtos ocorriam há pelo menos doze meses.

Em 2016, os canais de denúncia da Celesc registraram 300 queixas de irregularidade em municípios que integram a Regional de Joinville.

Agência Regional de Itajaí – Este ano, uma grande operação foi montada entre a Regional de Itajaí e diversos órgãos públicos, visando a reintegração de posse de quatro terrenos ocupados por 360 famílias no loteamento Conde Vila Verde, no bairro Monte Alegre, em Balneário Camboriú. Estima-se que pelo menos 500 pessoas estavam na região desde novembro de 2016.

Como as residências do local não possuíam medição, a Celesc efetuou o desligamento de energia e, para isso, contou também com a participação de 209 policiais militares, entre eles integrantes do Batalhão de Choque da PM, das secretarias municipais, da OAB, da Defesa Civil e do Conselho Tutelar.

A ação judicial foi impetrada pela prefeitura, já que as áreas estavam em espaço público, de mata e preservação. Após o término da operação, as pessoas retiradas da área invadida foram instaladas em abrigos, com assistência dos órgãos da prefeitura.

Em 2016, os canais de denúncia da Celesc registraram 217 queixas de irregularidade em municípios que integram a Regional de Itajaí.

Agência Regional de Blumenau – Em 2016, os canais de denúncia da Celesc registraram 195 queixas de irregularidade em municípios que integram esta Regional.

Agência Regional de Criciúma – Em 2016, os canais de denúncia da Celesc registraram 79 queixas de irregularidade em municípios que integram esta Regional.

Agência Regional de Tubarão - Em 2016, os canais de denúncia da Celesc registraram 61 queixas de irregularidade em municípios que integram esta Regional.

Agência Regional de Lages - Em 2016, os canais de denúncia da Celesc registraram 44 queixas de irregularidade em municípios que integram esta Regional.

Agência Regional de Jaraguá do Sul – Em 2016, os canais de denúncia da Celesc registraram 31 queixas de irregularidade em municípios que integram esta Regional.

Agência Regional de Chapecó – Em 2016, os canais de denúncia da Celesc registraram 26 queixas de irregularidade em municípios que integram esta Regional.

Agência Regional de Rio do Sul - Em 2016, os canais de denúncia da Celesc registraram 22 queixas de irregularidade em municípios que integram esta Regional.

Agência Regional de Videira – Em 2016, os canais de denúncia da Celesc registraram 15 queixas de irregularidade em municípios que integram esta Regional.

Agência Regional de Mafra – Em 2016, os canais de denúncia da Celesc registraram 11 queixas de irregularidade em municípios que integram esta Regional.

Agência Regional de Concórdia - Em 2016, os canais de denúncia da Celesc registraram 05 queixas de irregularidade em municípios que integram esta Regional.

Agência Regional de São Miguel Do Oeste – Em 2016, os canais de denúncia da Celesc registraram 05 queixas de irregularidade em municípios que integram esta Regional.

Agência Regional de São Bento do Sul - Em 2016, os canais de denúncia da Celesc registraram 04 queixas de irregularidade em municípios que integram esta Regional.

Agência Regional de Joaçaba - Em 2016, os canais de denúncia da Celesc registraram 03 queixas de irregularidade em municípios que integram esta Regional.

Informações adicionais para a imprensa:
Assessoria de Comunicação Celesc
Jornalistas responsáveis: Lau Maccarini, Vânia Mattozo e Ana Carolina Dall’Agnol
comunica@celesc.com.br
Twitter: @CelescInforma

Projeto Tibum, da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), divulgou a lista com 60 crianças sorteadas para participar de um minicurso gratuito de iniciação à natação, que será realizado em duas turmas.

Réplica do IAT volta ao Museu do Mar
Crédito: Vanessa Maria Pereira / FCC

Está de volta à exposição do acervo do Museu Nacional do Mar - Embarcações Brasileiras a réplica do barco I.A.T, no qual Amyr Klink fez a travessia do Atlântico Sul a remo em 1984. A embarcação está na Sala da Navegação Industrial enquanto a ala que leva o nome do navegador segue fechada para reformas.

Outra novidade é a reabertura da Sala dos Botes, que deve ocorrer ainda nesta semana. Depois de passar por reformas, o espaço volta a fazer parte do roteiro de visitação do Museu com seus botes de várias regiões do país, todos em tamanho natural. Entre os exemplares estão os botes do sul, movidos a vela, remo ou motor, são abertos e usados para a pesca; botes do Ceará, fechados e com convés; traineiras, algumas com redes acopladas em estruturas para a pesca do camarão, sardinha e atum.

Reformas

Desde o fim de março, a Fundação Catarinense de Cultura (FCC) vem fazendo reformas emergenciais no Museu Nacional do Mar. Com investimento de R$ 300 mil, a obra consiste em reparos principalmente na cobertura e em algumas salas. As reformas priorizarão, além do telhado, o Estaleirinho, a sala Maranhão, atualmente interditada, além da sala Amyr Klink - que será revitalizada para receber a réplica do barco a remo do notório navegador que dá nome à ala.

O Museu Nacional do Mar está localizado na Rua Manoel Lourenço de Andrade, nº 133, no Centro de São Francisco do Sul. O horário de visitação é de terça a sexta-feira, das 9h às 18h. Sábados e domingos, das 10h às 18h. A bilheteria fecha sempre às 17h30min.

Mais informações: www.fcc.sc.gov.br/museudomar 

Informações adicionais para imprensa
Fernanda Peres
Assessoria de Comunicação Fundação Catarinense de Cultura
Telefone: (48) 3664-2571
E-mail: imprensa@fcc.sc.gov.br
Site: www.fcc.sc.gov.br 
Twitter: www.twitter.com/fccoficial  
Facebook: www.facebook.com/FundacaoCatarinensedeCultura 


Foto: Neiva Daltrozo / Secom

Até 4 de maio, a Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) receberá as inscrições do Vestibular de Inverno 2017 em www.vestibular.udesc.br.

São oferecidas 2.056 vagas para 39 cursos de graduação gratuitos (sem cobrança de mensalidade), sendo 1.056 para 35 cursos presenciais (confira a página) e mil para quatro cursos a distância (confira a página).

As provas dos cursos EAD ocorrerão em 28 de maio, enquanto a seleção dos cursos presenciais será em 4 de junho. Os municípios que terão provas estão nos editais.

Os candidatos deverão pagar a taxa de inscrição até 5 de maio: de R$ 95 para curso presencial e de R$ 70 para curso a distância. É possível se inscrever para um curso presencial e para um curso EAD – quem fizer isso terá de pagar, portanto, R$ 165 na soma das taxas. 

Nas páginas oficiais, estão disponíveis dois requerimentos que podem ser apresentados durante o período de inscrições: de condição especial de prova e de tratamento por nome social.

Mais de 30 cursos presenciais

Os 35 cursos presenciais do Vestibular de Inverno 2017 estão distribuídos nos seguintes municípios:

  • Balneário Camboriú: Administração Pública e Engenharia do Petróleo;
  • Chapecó: Enfermagem e Zootecnia;
  • Florianópolis: Administração, Administração Pública, Ciências Econômicas, Educação Física (Bacharelado e Licenciatura), Fisioterapia, Geografia (Bacharelado), História (Licenciatura) e Pedagogia;
  • Ibirama: Ciências Contábeis, Engenharia de Software e Engenharia Sanitária;
  • Joinville: Ciência da Computação, Física, Matemática, Química, Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas e Engenharia (Civil, Produção e Sistemas, Elétrica e Mecânica);
  • Lages: Agronomia, Engenharia Ambiental e Sanitária, Engenharia Florestal e Medicina Veterinária;
  • Laguna: Ciências Biológicas (opções Biodiversidade e Biologia Marinha) e Arquitetura e Urbanismo;
  • Pinhalzinho: Engenharia Química;
  • São Bento do Sul: Engenharia de Produção – Habilitação Mecânica e Sistemas de Informação.

No edital, os candidatos poderão encontrar informações como cotas, locais de prova e conteúdo de estudo. Saiba mais sobre os cursos presenciais oferecidos.

Três novos cursos EAD

Além de Pedagogia, a Udesc começará a oferecer mais três cursos a distância. Confira a relação completa das vagas EAD do vestibular:

  • Administração Pública (Bacharelado), nos polos de Blumenau, Caçador, Criciúma, Joaçaba, Palmitos, Pouso Redondo, São Miguel do Oeste e Videira;
  • Ciências Biológicas (Licenciatura), nos polos de Lages, Laguna e São Bento do Sul;
  • Informática (Licenciatura), nos polos de Blumenau, Braço do Norte, Caçador, Canelinha, Canoinhas, Criciúma, Florianópolis, Itapema, Joaçaba, Joinville, Lages, Palhoça e Palmitos;
  • Pedagogia (Licenciatura), nos polos de Balneário Piçarras, Jaraguá do Sul e Quilombo.

No edital, os candidatos poderão encontrar informações como número de vagas e conteúdo de estudo.

Mais informações podem ser obtidas com a Coordenadoria de Vestibulares e Concursos (Covest) pelos telefones (48) 3664-8089 e 8091, das 13h às 19h, e pelo e-mail vestiba@udesc.br.

Acompanhe as notícias do vestibular pelo Facebook, pelo Instagram e pelo Twitter.

Assessoria de Comunicação da Udesc
E-mail: comunicacao@udesc.br
Telefones: (48) 3664-8006/8010

O secretário de Estado da Segurança Pública, César Augusto Grubba, acompanhado da cúpula da Segurança Pública, recebeu em seu gabinete, na tarde desta segunda-feira, 17, a visita protocolar do novo superintendente Regional da Polícia Federal em Santa Catarina, delegado Marcelo Mosele.

O secretário destacou a importância de se manter a política de integração dos órgãos da segurança. Para Grubba é de suma importância manter uma relação estreita e confiante com a Polícia Federal. “Esta integração permite desenvolver um trabalho eficaz e de grande reconhecimento para com a sociedade catarinense”, disse.

Temas como combate ao tráfico de drogas e às facções criminosas foram abordados no encontro. Já o superintendente enfatizou o ótimo relacionamento mantido com a SSP, que vem enaltecendo o trabalho das forças policiais. “Ninguém vai conseguir trabalhar sem integração e o estreitamento de informações é importante para o sucesso das operações”, destacou o superintendente.

Com 21 anos no cargo de delegado de Polícia Federal dedicou-se às atividades de gestão, operacionais e de inteligência. É casado, tem 49 anos, e é natural de Erechim/RS

Foi adido da Polícia Federal em Paris de 2014 até fevereiro desde ano. Antes, porém, comandou a Superintendência Regional da Polícia Federal no Distrito Federal.

A comitiva da Polícia Federal era formada pelos delegados Manoel Messias de Menezes Junior, corregedor federal; Ricardo Dottori Gaspar, coordenador da Cesportos e José Leandro da Silva.

Participaram da audiência o secretário adjunto da SSP, delegado Aldo Pinheiro D’Ávila; comandante-geral da Polícia Militar, coronel Paulo Henrique Henn; Delegado Geral da Polícia Civil,  Artur Nitz; diretor de Informação e Inteligência da SSP, delegado Mauro Cândido Rodrigues e os assessores de gabinete Delegado Márcio Fortkamp e Tenente Coronel PM André Alves.

João Carlos Mendonça Santos - SSP

Informações adicionais para a imprensa
João Carlos Mendonça Santos
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Segurança Pública
E-mail: imprensa@ssp.sc.gov.br
Fone: (48) 3251-1117 / 98843-7615
Site: www.ssp.sc.gov.br

 


Foto: Elenise Melo Nunes/ADR São Joaquim

Foi realizada na manhã desta segunda-feira, 17, uma reunião para discutir a proposta de Federalização da Rodovia Caminhos da Neve, que Liga Bom Jesus (RS) passando por São Joaquim, Urubici até a BR-282 em Bom Retiro. Proposta pela deputada federal Carmen Zanotto, a reunião contou com do secretário de Estado do Planejamento, Murilo Flores; a secretária executiva da ADR São Joaquim, Solange Scortegagna Pagani; do senador Dalírio Beber; do prefeito de São Joaquim Giovani Nunes e demais autoridades.

O projeto, de autoria do deputado gaúcho Alceu Moreira, que prevê a federalização da Rodovia está tramitando no Senado Federal, tendo em vista a dificuldade do Rio Grande do Sul em executar o trecho gaúcho, além da Ponte da Goiabeira, divisa entre os estados.  

O secretário de Estado do Planejamento Murilo Flores explicou que Santa Catarina fez diversos investimentos das rodovias catarinenses, incluindo a obra no trecho entre São Joaquim e a divisa com Rio Grande do Sul. O Governo do Estado de SC investiu nos últimos cinco anos mais de R$ 15 milhões na pavimentação de aproximadamente 15 quilômetros da Rodovia Caminhos da Neve. Um terceiro convênio já está assinado para execução de mais cinco quilômetros, com um investimento de mais de R$ 9 milhões. “Em um momento que estamos investindo, a federalização preocupa o Estado de Santa Catarina porque o Governo Federal está cancelando contratos de obras da BR-282, BR-470 e BR-280 e pretende partir para concessões. Nossa dúvida é se o Governo Federal irá realizar investimentos em um momento que está se ausentando de obras em importantes rodovias federais”, alertou o secretário.

O senador Dalírio Beber ressaltou que em um curto prazo de tempo não vê perspectivas da União investir nessa Rodovia tendo em vista que importantes rodovias federais não recebem investimentos por falta de recursos. “Não temos nenhuma garantia de que a federalização vai realmente proporcionar a realização dessa obra. Por isso a necessidade de realizarmos encontros e reuniões para encontrarmos o melhor caminho para a Rodovia Caminhos da Neve”, destacou.

Como encaminhamento, Murilo Flores irá agendar uma reunião entre os departamentos técnicos das Secretarias de Estado do Planejamento e da Infraestrutura dos dois estados estudarem essa proposta de federalização proposta pelo Rio Grande do Sul. Outra tratativa entre o senador Dalírio Beber e a deputada Federal Carmen Zanotto é que eles se comprometeram de promover um encontro entre as bancadas catarinense e gaúcha para avaliar a viabilidade de federalizar a Rodovia.  

Informações adicionais para Imprensa:                  
Elenise Melo Nunes
Assessoria de Comunicação                                            
Agência de Desenvolvimento Regional – ADR São Joaquim
E-mail: sdrsaojoaquim@spg.sc.gov.br
Telefone: (49) 3233-8301 – 991025054 – 991481016

 

Com 2,44 bilhões de litros de leite captados pelas indústrias, Santa Catarina supera Goiás e se torna o quarto maior produtor de leite industrializado do país. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Santa Catarina foi o único Estado entre os principais produtores de leite do Brasil a apresentar um crescimento na produção em 2016. Enquanto a captação de leite pelas indústrias no Brasil diminuiu 3,7% no último ano, em Santa Catarina o crescimento foi de 3,82%.

Os números divulgados pelo IBGE se referem à captação de leite cru pelas indústrias inspecionadas, o que representa 76% do total produzido em Santa Catarina. A estimativa é que a produção de leite do Estado gire em torno de 3,2 bilhões de litros, incluindo o leite consumido pelas famílias rurais e na alimentação de animais. O secretário da Agricultura e da Pesca, Moacir Sopelsa, explica que em Santa Catarina a produção de leite está concentrada nas pequenas propriedades de agricultores familiares e representa uma importante fonte de renda para os agricultores. “O setor leiteiro é um grande destaque de Santa Catarina e vem passando por grandes transformações, com o investimento em pastagens, tecnologias e genética”, ressalta.

A produção de leite vem numa crescente em Santa Catarina. Nos últimos 12 anos, o crescimento foi superior aos 10% ao ano. No mesmo período, o Brasil teve um crescimento médio de 4% ao ano. Segundo o secretário adjunto da Agricultura, Airton Spies, a tendência é de retomada do crescimento na produção de leite no Estado, já que as indústrias estão ampliando fábricas, o que deve aumentar a disputa por leite e estimular a produção. “O melhoramento genético do rebanho e a melhoria da tecnologia empregada na alimentação e sanidade dos animais também deve aumentar a produtividade das vacas e a qualidade do leite produzido em Santa Catarina”.

Entre os maiores produtores de leite do Brasil, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná e Goiás apresentaram queda na produção em 2016. O maior produtor do país, Minas Gerais teve redução de 5,21% na captação de leite nas indústrias; no Rio Grande do Sul a produção foi 6,84% menor do que em 2015; e no Paraná a queda foi de 3,32%. Goiás, que antes ocupava o quarto lugar no ranking de produção de leite industrializado no país, teve uma redução de 5,55% no último ano. Esse cenário pode ser explicado pela alta nos preços do milho em 2015 e 2016, o que refletiu no preço da ração para os animais e prejudicou a alimentação das vacas leiteiras nesses estados. Como em Santa Catarina o sistema de produção é majoritariamente baseado em pastagens o impacto foi menor.

A Secretaria da Agricultura e da Pesca é uma grande apoiadora do setor leiteiro, com programas e projetos que incentivam os investimentos em irrigação, pastagens, infraestrutura e melhoramento genético. Além dos esforços para garantir a sanidade animal, com indenização de produtores e identificação do rebanho. “Nós queremos incentivar os agricultores a investirem em suas propriedades, buscando conhecimento e crescimento na atividade. Nossa intenção não é só aumentar a quantidade de leite produzido em Santa Catarina, mas também aumentar a qualidade”, afirma o secretário Sopelsa.

Para que o leite seja competitivo no mercado global, o desafio é aliar alta qualidade e custos menores, como o Estado já conquistou com a suinocultura e a avicultura. “Com clima favorável, mão de obra qualificada e presença de pastagem o ano todo, Santa Catarina tem todas as condições para produzir leite bom, a custo competitivo e com qualidade”, afirma Airton Spies.

Informações adicionais para a imprensa:
Ana Ceron
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca
imprensa@agricultura.sc.gov.br
Fone: (48)-3664-4417/ (48) 98843-4996
Site: www.agricultura.sc.gov.br 
www.facebook.com/AgriculturaePescaSC