Foto: Divulgação / SAR 

Secretaria da Agricultura chega ao fim do ano com 687 equipamentos agrícolas cedidos para 173 municípios catarinenses. Os investimentos para aquisição de tratores, carretas agrícolas, ensiladeiras, entre outros passaram de R$ 20,3 milhões.

Os recursos para aquisição dos equipamentos são da Secretaria da Agricultura, que passam de R$ 13 milhões, ou de convênios com o Governo Federal, que chegam a R$ 7,23 milhões. Entre as máquinas repassadas para os municípios estão tratores, ensiladeiras, kits fenação, roçadeiras, carretas agrícolas, plantadeiras e conjuntos de inseminação artificial.

Os equipamentos são adquiridos pela Secretaria da Agricultura e posteriormente cedidos para os municípios. O secretário da Agricultura e da Pesca, Moacir Sopelsa, explica que essa é uma forma de usar melhor o recurso público já que são compradas grandes quantidades de equipamentos e os preços são melhores, além de contar com a contrapartida do Governo do Estado. “Nós conseguimos bons preços e damos a contrapartida. Cabe ao município atender as demandas dos agricultores no interior do Estado. É um exemplo do bom uso do dinheiro público”, ressalta.

Sopelsa destaca ainda a importância do setor agropecuário para a economia catarinense e os bons frutos colhidos pelo setor. “Nós não cansamos de repetir o quanto nos orgulhamos dos produtores rurais catarinenses. É impressionante que um Estado com 1,12% do território nacional seja o maior produtor de suínos, cebola e maçã o segundo maior produtor de aves. Tudo isso conquistado com o suor dos nossos agricultores e pecuaristas, numa parceria com a iniciativa privada, Governo do Estado e Governo Federal”.

A última entrega de equipamentos aconteceu nesta segunda-feira, 20, quando mais nove tratores foram cedidos para os municípios de Camboriú, Luzerna, Sul Brasil, Nova Itaberaba, São Bonifácio, Morro da Fumaça, Vitor Meireles, Lages e Massaranduba. As máquinas foram adquiridas em parceria com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), via emenda parlamentar, num investimento de R$ 717,2 mil.

Representando os municípios atendidos, o prefeito de Vitor Meireles, Bento Silvy, afirmou que esse é um momento importante para os pequenos municípios catarinenses. “Os pequenos municípios ajudam a construir a riqueza do país. E esses equipamentos serão úteis para fortalecer a agricultura familiar, base da economia de muitas cidades do nosso Estado”.

Informações adicionais:
Ana Ceron
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca
imprensa@agricultura.sc.gov.br
Fone: (48)-3664-4417/ (48) 98843-4996
Site: www.agricultura.sc.gov.br
www.facebook.com/AgriculturaePescaSC/


Foto: Julio Cavalheiro / Secom

O governador Raimundo Colombo reuniu o colegiado de secretários executivos das Agências de Desenvolvimento Regional para apresentar as conquistas de Santa Catarina ao longo de 2017 e os encaminhamentos para o fechamento do ano. O encontro realizado nesta sexta-feira, 17, em Lages também contou com a participação dos secretários de Estado da Casa Civil, Nelson Serpa e da comunicação, João Debiasi e dos assessores de comunicação ADRs.

A reunião teve um tempo reservado ao debate para aprimorar estratégias e posicionamentos do Governo do Estado para o próximo ano.
"É um momento importante para trocarmos ideias, discutirmos os desafios e, principalmente, partilharmos o que deu certo, porque Santa Catarina tem bons indicadores e foi um exemplo de superação em meio à maior crise econômica e política do país", disse Colombo na abertura da reunião.


Foto: Patrícia Pozzo / Dive

A Secretaria de Estado da Saúde realizou nesta quinta-feira, 16, uma série de encontros com prefeitos e autoridades de municípios da região Oeste de Santa Catarina para a intensificação do combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, febre de chikungunya e zika vírus. O objetivo é buscar o compromisso dos gestores municipais e alertá-los para o aumento expressivo no número de focos e de municípios infestados. Dos 61 municípios considerados infestados pelo mosquito em Santa Catarina, 40 estão localizados no Oeste.

“Todos nós que trabalhamos com saúde pública estamos muito preocupados com relação ao aumento do número de focos do mosquito Aedes aegytpi em Santa Catarina este ano. Isso soou o alerta e nos obrigou a fazer algumas incursões pelo estado nos locais onde estão concentradas as piores estatísticas”, afirmou o secretário de Estado da Saúde, Vicente Caropreso.

O roteiro foi iniciado por Dionísio Cerqueira, no Extremo-Oeste de Santa Catarina, em encontro com o prefeito do município, Thyago Wanderlan Gnoatto Gonçalves; e com a vice-prefeita, Bianca Moreira Maran Bertamoni. “Pela responsabilidade que temos, essa situação nos obriga a, pelo menos, redobrar as preocupações, além das tomadas de ação em conjunto com os outros municípios contíguos, a também pedir ajuda à população e, acima de tudo, a organizar o seu time para fazer o dever de casa”, disse Caropreso.

Embora Dionísio Cerqueira tenha registrado apenas 36 focos este ano e não apresente infestação de Aedes aegypti em toda a sua área, a sua localização - em região de fronteira com o Paraná e com a Argentina – representa uma situação de grande risco. “É muito importante lembrar que os locais onde há grande fluxo de pessoas e de cargas são os mais vulneráveis para a presença do Aedes aegypti e também das doenças por ele transmitidas, devido a esse fluxo de pessoas, que podem vir doentes para a região”, alertou Fábio Gaudenzi, superintendente de Vigilância em Saúde da SES, que também participou da comitiva.

O prefeito de Dionísio Cerqueira agradeceu a atenção e comprometeu-se no desenvolvimento de ações em conjunto com outros municípios de divisa. “Agradecemos a presença do secretário Isso demonstra que existe uma preocupação por parte da Secretaria de Estado da Saúde com o nosso município. Vamos intensificar as ações, envolver todos os setores da administração pública e, também, criar uma rede de relacionamento com os nossos municípios irmãos para que haja um enfrentamento conjunto desse problema”, afirmou Gonçalves.

Na sequência, a comitiva, que contou também com a gerente de Zoonoses da Diretoria de Vigilância Epidemiológica da SES, Suzana Zeccer, cumpriu agenda em São Miguel do Oeste (466 focos em 2017), Chapecó (569 focos), Xanxerê (771 focos) e Xaxim (413 focos). No dia 23 de novembro, o grupo retomará o roteiro de encontros com prefeitos com ênfase em cidades das regiões Norte e Litoral: Itapema, Balneário Camboriú, Camboriú, Itajaí, Navegantes e Joinville.

Segundo Fábio Gaudenzi, o comprometimento dos gestores municipais nas ações de combate ao Aedes aegypti é fundamental para que Santa Catarina não volte a enfrentar epidemias de dengue ou das outras doenças transmitidas pelo mosquito. “Temos visto pelo Estado, e no Brasil, uma grande ampliação da ação da equipe de controle do Aedes aegypti quando o comando do que a gente chama de ‘Sala de Situação’ fica vinculado ao gestor do município, que consegue congregar toda a sua estrutura municipal para entrar nesse combate”, reforça o superintendente de Vigilância em Saúde, que complementa “esse não é um problema apenas da Saúde, mas de toda a população, porque os criadouros do mosquito estão nas casas e precisamos de outros órgãos públicos para ajudar no controle”.

Dados epidemiológicos

Até o dia 11 de novembro, foram identificados 9.953 focos do mosquito Aedes aegypti, em 142 municípios –  53,2% a mais do que o registrado no mesmo período de 2016, quando 6.498 focos foram identificados, em 133 municípios. Em relação à situação entomológica, já são 61 municípios considerados infestados, o que representa um incremento de 22% em relação ao mesmo período de 2016, quando havia 50 municípios nessa condição.

Clique aqui e confira, na íntegra, o Boletim Epidemiológico n° 23/2017 - Vigilância entomológica do Aedes aegypti e situação epidemiológica da dengue, febre de chikungunya e zika vírus em Santa Catarina. 

Informações adicionais para a imprensa:
Letícia Wilson e Patrícia Pozzo
Núcleo de Comunicação
Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive)
Secretaria de Estado da Saúde
Fone: (48) 3664-7406 | 3664-7402
E-mail: divecomunicacao@saude.sc.gov.br
www.dive.sc.gov.br

 

 

 

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) realiza, nesta quinta-feira, 16, reuniões com autoridades do Oeste de Santa Catarina para atualização das ações de combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya. O objetivo é buscar o compromisso do gestor municipal e alertar para o aumento expressivo no número de focos e de municípios infestados nessa região. A comitiva contará com a presença do secretário de Estado da Saúde, Vicente Caropreso, o superintendente de Vigilância em Saúde da SES, Fábio Gaudenzi e a gerente de Zoonoses da Dive/SC, Suzana Zeccer. 

Os encontros começam por Dionísio Cerqueira, 9h, e seguirão para São Miguel do Oeste, Chapecó, Xanxerê e Xaxim, com previsão de término às 18h.

Até o dia 28 de outubro deste ano, foram identificados 9.478 focos do mosquito Aedes aegypti em Santa Catarina, em 141 municípios. Esse volume é 48,8% maior que o registrado no mesmo período do ano passado, quando 6.371 focos foram identificados, em 133 municípios. Do total, 61 municípios são considerados infestados - 22% a mais do que o mesmo período de 2016, que registrou 50 municípios nessa condição.   O grupo retornará a agenda de encontros com prefeitos no dia 23 de Novembro, nas regiões Norte e Litoral, nos municípios de Itapema, Balneário Camboriú, Camboriú, Itajaí, Navegantes e Joinville.

Mais informações para a imprensa:
Suelen Costa
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Saúde - SES
Fone: (48) 3664-8820 / 99113-6065
E-mail: imprensa@saude.sc.gov.br
Site: portalses.saude.sc.gov.br