Foto: Jaqueline Noceti / Secom

Santa Catarina encerra colheita de milho e tem safra 2016/17 de 3,2 milhões de toneladas. Como maior consumidor de milho do país, o Estado comemora o incremento de 17,2% na produção do grão – fundamental para abastecer as cadeias produtivas de carnes e leite.  A região catarinense com maior produção é Joaçaba com 630.233 toneladas colhidas – 42% a mais do que na última safra.

A região de Joaçaba é um exemplo do que vem acontecendo em Santa Catarina: para compensar a perda de área plantada para o cultivo de soja, os produtores catarinenses investem em tecnologias para aumentar a produtividade. Na última safra, os produtores da região colheram em média 10,5 toneladas/hectare, 32,2% a mais do que na safra 2015/16, e muito mais do que a produtividade média do estado, que fechou em 8,5 toneladas/hectare.

“Santa Catarina é Estado pequeno e com uma produção agrícola muito diversificada. Os produtores perceberam que o segredo está no uso de tecnologias para ampliar a produtividade e colher mais no mesmo espaço de terra. É incrível o que produzimos em apenas 1,12% do território nacional”, ressalta o secretário de Estado da Agricultura e da Pesca, Moacir Sopelsa.

Outro grande celeiro catarinense é a região de Curitibanos, que ampliou em 16,5% a produção e colheu mais de 239,5 mil toneladas na safra 2016/17. Na última safra, os produtores da região colheram em média 11 toneladas/hectare, 21% a mais do que na última safra. O grande destaque é o município de Campos Novos, com oito mil hectares plantados e uma colheita de 96 mil toneladas – um rendimento médio de 12 toneladas/ hectare.

O maior crescimento na produção aconteceu na região de Xanxerê. Os produtores colheram 41% a mais na safra 2016/17 – foram 292,8 mil toneladas. Os 17 municípios da região destinam 28 mil hectares ao plantio do milho e tiveram um rendimento médio de 10,4 toneladas/hectare.

Os produtores da região de Campos de Lages também vêm se dedicando ao plantio de milho. A produção aumentou 13% na região e a safra encerrou em 264 mil toneladas. A produtividade média da região foi de 7,3 toneladas/hectare, 11,4% a mais do que na safra 2015/16 e um pouco abaixo da produtividade média do estado.

Aumentar a produção de milho é uma grande preocupação da Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca. Destaque na produção de proteína animal, Santa Catarina é o maior consumidor de milho do país e o grão é indispensável para manter a competitividade do agronegócio no Estado. “Somos grandes produtores de suínos e aves e queremos manter esse setor consolidado em Santa Catarina, para isso precisamos de milho. Não existe suinocultura e avicultura sem milho”, ressalta Sopelsa.

Os números estão disponíveis no Boletim Agropecuário do Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola (Epagri/Cepa) deste mês.

Milho Silagem

A safra de milho silagem, utilizado na alimentação de bovinos de corte e leite, teve um aumento de 18% em Santa Catarina. O Estado colheu 9,5 milhões de toneladas de milho silagem na safra 2016/17. Com uma área plantada de 221,6 mil hectares, a produtividade chega a 43 toneladas de massa verde por hectare.

Informações adicionais para a imprensa
Ana Ceron
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca 
E-mail: imprensa@agricultura.sc.gov.br
Fone: (48) 3664-4417/ 98843-4996
Site: www.agricultura.sc.gov.br

 

Foi assinado nesta segunda-feira, 17, na Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) de Curitibanos, a ordem de serviço para a construção de um Centro Regional de Defesa Civil. O Governo de Santa Catarina, através da secretaria de Estado da Defesa Civil, está instalando 20 Centros Regionais em Santa Catarina, e um deles será localizado em Curitibanos. 

“Não é a toa que a Defesa Civil de Santa Catarina tem o reconhecimento internacional da ONU. Isto é fruto de um investimento estratégico do nosso estado, preocupado não só em socorrer as pessoas atingidas por fenômenos climáticos, mas em prevenir e saber agir quando eles acontecem”, enfatiza o secretário executivo da ADR de Curitibanos, Luiz Cesar Abrahão.

Também chamados de Centro Regional Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cigerd - Regional), eles são instalados em cada município sede da Coordenação Regional da Defesa Civil. “A coordenadoria de Defesa Civil em Curitibanos atende 12 municípios, compreendidos entre as ADRs de Curitibanos e Campos Novos que nos prestam forte apoio na gestão de riscos e desastres naturais que afetam a população”, destaca o coordenador regional, Roberto Adriano Roper.

“Numa enchente, por exemplo, os principais agentes se reúnem lá no Cigerd Regional para gerenciar a crise e podem conversar conosco aqui no Cigerd Florianópolis, por vídeo-conferência”, explica o secretário de Estado da Defesa Civil, Rodrigo Moratelli. Para o gestor da pasta no estado, isto facilita a gestão do evento, uma vez que os centros serão a base das coordenadorias regionais.

Em Curitibanos, o Cigerd será construído junto ao parque de exposições Pouso do Tropeiro. “Todos os centros estarão interligados conosco aqui em Florianópolis por meio de tecnologias. É mais agilidade para se comunicar com os municípios em caso de eventos adversos, por exemplo”, argumenta. Atualmente, três centros já estão prontos nos municípios de Maravilha, Joaçaba e Canoinhas.

Outros dois estão sendo concluídos em Xanxerê e Concórdia. O municípios que estão recebendo as estruturas são São Miguel do Oeste, Chapecó, Lages, Curitibanos, Criciúma, assim como as regiões Sul, Norte, Planalto Norte e Alto Vale. Depois de instalados, os centros são mobiliados e ficam aptos auxiliar em ocorrências.  

Estrutura dos Centros Regionais de Defesa Civil (Cigerd Regional) - Composto por nove módulos de ferro galvanizado e pintado, possuem cerca de 160 m². Totalmente auto-suficientes, contam com gerador de energia capaz de manter o centro operacional mesmo com falta de energia elétrica na cidade. Conta também com garagem, depósito, recepção, sala do Coordenador Regional, sala de reunião, sala de situação, banheiro e cozinha. O custo da infraestrutura física de cada centro regional será de aproximadamente R$ 400 mil.

Cigerd Florianópolis - O Cigerd está em construção em Florianópolis na Av. Governador Ivo Silveira. O Cigerd busca integrar os esforços dos diversos setores  e órgãos do Estado para o gerenciamento dos riscos e desastres e, com isso, reduzir os impactos na população em uma situação de eventos adversos. A estrutura vai contar com o centro de monitoramento e alerta, meteorologia, sistema de hidrometeorologia, geologia, mapeamento de áreas de risco, planos de contingência, planos de ações emergenciais, gestão de crise e respostas a desastres.

Fabio Claudino Fontana - ADR Curitibanos

Informações adicionais para a imprensa:
Fabio Claudino Fontana
Assessoria de Imprensa
Agência de Desenvolvimento Regional de Curitibanos
E-mail: ascom@cbs.adr.sc.gov.br
Telefone: (49) 3412-3011 / 98839-0615
Site: sc.gov.br/regionais/curitibanos

Curitibanos - Entrega de veículo para a Saúde

A Agência de Desenvolvimento Regional de Curitibanos recebeu nesta terça-feira, 11, por meio da gerência de Saúde, um veículo VW Gol 0 km, ano 2017, completo, avaliado em R$ 51,4 mil. “É sempre melhor trabalhar com veículos novos, gerando economia para o Estado na manutenção de mecânica e abastecimento”, destacou o secretário executivo da ADR Luiz Cesar Abrahão.

O veículo foi entregue pela Secretaria de Estado da Saúde conforme termo de cessão de uso 080-2017. “É uma ferramenta essencial para que possamos atender da melhor maneira possível às demandas da nossa população. O Governo de Santa Catarina, em um momento de crise, não tem medido esforços para manter a qualidade nos serviços”, ressaltou José Lucio Almeida Goetten, gerente Regional de Saúde da ADR.

Informações adicionais para a imprensa:
Fabio Claudino Fontana
Assessoria de Imprensa
Agência de Desenvolvimento Regional de Curitibanos
E-mail: ascom@cbs.adr.sc.gov.br
Telefone: (49) 3412-3011 / 98839-0615
Site: sc.gov.br/regionais/curitibanos


Fotos: Julio Cavalheiro / Secom

O governador Raimundo Colombo esteve em Curitibanos no final da tarde desta quinta-feira, 29, para apresentar aos prefeitos dos cinco municípios integrantes da Associação de Municípios da Região do Contestado (Amurc) a segunda edição do Fundo de Apoio aos Municípios (Fundam). O governador abordou o programa como um importante meio para dinamizar a economia a partir deste segundo semestre no Estado. O investimento previsto para a nova edição é de R$ 700 milhões.