Nova região turística Caminhos do Alto Vale vai ganhar placas de identificação

Fotos: Helena Marquardt/ ADR Ibirama e Dárcio Lucas

O Governo de Santa Catarina, através da Secretaria de Turismo, Cultura e Esporte (SOL) vai instalar placas de identificação em municípios da recém-criada Caminhos do Alto Vale, para garantir mais visibilidade a uma das regiões turísticas mais ricas em atrativos no estado.

Nesse momento a Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) de Ibirama, em parceria com os municípios, trabalha no levantamento de todos os pontos turísticos e a próxima etapa é a confecção e instalação das placas.

O gerente de Planejamento Regional e Apoio às Políticas Públicas da ADR de Ibirama, Egon Gabriel Junior, ressalta que a medida vai beneficiar diretamente todas as cidades do Alto Vale, que podem oferecer inúmeras opções aos visitantes. “Temos o turismo religioso, de aventura, rural, o cicloturismo, uma gastronomia fantástica e uma diversidade cultural que ainda preserva as tradições indígenas, alemãs, italianas, polonesas e tantas outras, mas hoje não exploramos todo esse potencial”, comentou.

Egon acredita que com a sinalização e capacitação oferecida aos responsáveis por receber os turistas, o Alto Vale passará a ser um destino mais procurado. “Além de divulgar o turismo, tenho certeza que os reflexos desse aumento de visitantes serão percebidos até mesmo no desenvolvimento da economia já que todos os setores acabam sendo beneficiados”, completou.

Nova região turística Caminhos do Alto Vale vai ganhar placas de identificação

A assessora de turismo da Associação dos Municípios do Alto Vale do Itajaí (Amavi), Fabiana Dickmann, também garante que a sinalização é fundamental, principalmente porque a região Caminhos do Alto Vale foi criada há pouco tempo. “Não temos nem um ano de consagração do Ministério do Turismo e quando as pessoas passam por aqui ainda não conseguem visualizar essa mudança e onde fica a nossa região. Essa sinalização também vai fazer com que a população consiga ganhar mais dinheiro nas suas propriedades porque os turistas vão passar a procurar cada vez mais.”

Ela opinou dizendo que apesar de todos os benefícios do turismo ainda não tem noção de como ele pode ser explorado. “Ainda temos muito a fazer no sentido de desenvolver o turismo, as pessoas ainda não despertaram para a atividade turística e para o quanto ele pode gerar de renda para os pequenos municípios como os nossos”, finalizou.

Informações para a imprensa:

Helena Marquardt
Assessoria de comunicação 
ADR Ibirama
Fone (47) 3357-8908 / (47) 98819-9350
E-mail: imprensa@iir.sdr.sc.gov.br
Site: www.adrs.sc.gov.br/adribirama
Facebook: www.facebook.com/regional.ibirama

Presidente Getúlio - Projeto Mulher Viver Sem Violência chega a Presidente Getúlio com foco na violência obstétrica
Foto: Helena Marquardt/ADR Ibirama

O projeto Mulher Viver Sem Violência, que no Vale Norte está sendo coordenado pela Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) de Ibirama, chegou nesta quinta-feira, 25, a Presidente Getúlio. Durante todo o dia mulheres da comunidade de Ribeirão Tucano puderam conhecer os serviços de apoio em saúde, assistência social e segurança pública oferecidos no município e assistiram a uma palestra com foco na violência obstétrica.

A apresentação foi feita pela engenheira agrônoma da Epagri de Vitor Meireles, Maíra Elena Suave, que contou um pouco de sua história e esclareceu para as participantes o que era e a violência obstétrica e a importância das mulheres buscarem seus direitos. “As mães têm que se empoderar e por isso eu trouxe esse tema hoje. Queremos proporcionar para a mulher essa reflexão de que ela tem direitos e que a violência precisa ser denunciada.”

Em sua fala a engenheira ressaltou que desde janeiro deste ano, Santa Catarina tem uma lei específica que trata da violência obstétrica e define o que pode ser considerado uma violação nesse sentido como o desrespeito a vontade da gestante de ter um parto fisiológico sem nenhuma intervenção. “Tratar a mulher como um objeto, de não dar a opção de ela querer ou não fazer o corte, respeitar os momentos de grito já que muitos médicos e enfermeiros ainda constrangem emocionalmente ou psicológicamente a mulher que está num momento de extrema fragilidade. Outro tipo de violência também é impedir a mulher de ter o seu companheiro do lado durante o trabalho de parto, o que faz toda a diferença durante o nascimento da criança.”

Além de questões relacionadas à gravidez e ao parto, Maíra também falou sobre a importância e direito a amamentação, além de cuidados para garantir uma introdução de alimentos saudáveis para os bebês, como por exemplo, frutas e verduras de sua preferência a partir dos seis meses de idade.

Presidente Getúlio - Projeto Mulher Viver Sem Violência chega a Presidente Getúlio com foco na violência obstétrica

A aposentada Maria Heinzen, foi uma das mulheres que acompanhou a programação e garante que achou o dia bastante produtivo. “Achei muito bom esse esclarecimento e seria melhor ainda se as mulheres mais novas também pudessem participar, porque vejo que as mulheres que estão hoje têm um pouco mais de idade”, opinou.

Maria ressaltou ainda que nunca é tarde para conhecer algo novo e revelou que foi alfabetizada apenas aos 57 anos, mas que hoje aos 68 se considera uma pessoa feliz e aberta a aprender. “Quando era criança não puder ir para aula porque meu pai faleceu quando eu tinha oito anos e tive que ser a dona de casa para os meus dois irmãos, mas meu sonho era ir para escola, escrever meu nome e quando tive a oportunidade voltei a estudar. Hoje estou em busca de mais conhecimento e por isso vim participar.”

Informações para a imprensa:

Helena Marquardt
Assessoria de comunicação 
ADR Ibirama
Fone (47) 3357-8908 / (47) 98819-9350
E-mail: imprensa@iir.sdr.sc.gov.br
Site: www.adrs.sc.gov.br/adribirama
Facebook: www.facebook.com/regional.ibirama

Ibirama - Encontro de Mulheres Agricultoras da ADR reúne cerca de 300 participantes
Fotos: Helena Marquardt/ADR Ibirama

“Já fico esperando o evento do ano que vem”. A frase da donaemense Dirma Schurt, resumiu o sentimento das cerca de 300 agricultoras que participaram do segundo Encontro de Mulheres Agricultoras da Agência de Desenvolvimento Regional de Ibirama, que foi realizado nesta quarta-feira, 24, e contou com uma programação diversificada para agradar o público de todas as idades.

A agricultora de 68 anos, que trabalhou na roça durante toda a vida, afirmou que acompanhou atenta a todas as palestras e diversas apresentações culturais que marcaram o dia. “Gostei muito e já pedi para não esquecerem de mim na próxima vez porque quero participar de novo. Hoje até tinha sido convidada para um encontro de idosos, mas desisti para vir aqui e valeu a pena, não me arrependi.”

A fumicultora Marli May Kniess, que participou da primeira e agora da segunda edição, também comentou que adorou o evento. “Foi muito bom, muito gratificante. Um dia em que esquecemos a rotina do dia a dia. Se deus quiser no terceiro encontro também estarei aqui.”

A programação incluiu café, palestras sobre o empoderamento da mulher agricultora e sucessão familiar, oportunidades do turismo para famílias agricultoras, almoço gratuito, apresentações musicais, a primeira Feira de Trocas de Mudas e Sementes e diversas outras atrações como exposição de artesanato dos municípios e até dinâmicas de grupo.

A gerente de Políticas Socioeconômicas Rurais e Urbanas da ADR de Ibirama, Edna Beltrame Gesser, que foi a grande organizadora do evento, afirma que ficou feliz com o sucesso do Encontro. “Tivemos a participação de grupos dos nove municípios da região, inclusive agricultoras indígenas de José Boiteux. As palestras foram muito boas, foi uma troca de experiências e conhecimento durante todo o dia e tenho certeza que agora essas mulheres vão voltar para suas famílias mais motivadas.”

Ibirama - Encontro de Mulheres Agricultoras da ADR reúne cerca de 300 participantes

Outro ponto alto do encontro citado por Edna foi a apresentação de cases de sucesso de agricultoras de Lontras e Vitor Meireles, que transformaram o seu sonho em realidade e hoje garantem o sustento de toda a família através do seu trabalho. “Elas trabalham em conjunto com os maridos desde o plantio até a colheita e venda. São realmente guerreiras que dão um exemplo de vida para qualquer classe, seja a política ou empresária. Temos aqui hoje a força do potencial agrícola de nossa região.”

Primeira Feira de Trocas de Sementes e Mudas foi destaque do evento

A primeira Feira de Trocas de Sementes e Mudas, organizada com o apoio da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri), foi um dos grandes destaques do evento. Durante todo o dia as participantes puderam apresentar e conhecer espécies diferentes e o melhor de tudo: lavá-las para plantar em casa. “As mulheres trouxeram sementes e levaram para sua comunidade, foi um sucesso”, ressaltou.

Ibirama - Encontro de Mulheres Agricultoras da ADR reúne cerca de 300 participantes

Em seu discurso o secretário Executivo da ADR de Ibirama, Jamir Marcelo Schmidt, agradeceu a presença das cerca de 300 mulheres e parabenizou as participantes pela iniciativa na troca de novas experiências. “Hoje puder perceber o quanto elas foram educadas e prestigiaram atentas as palestras. Também observei a beleza de cada mulher que esteve participando, e a beleza a que me refiro vai muito além da física, é a interior, e que perdura por toda a vida. Todas estão de parabéns.”

Informações para a imprensa:

Helena Marquardt
Assessoria de comunicação 
ADR Ibirama
Fone (47) 3357-8908 / (47) 98819-9350
E-mail: imprensa@iir.sdr.sc.gov.br
Site: www.adrs.sc.gov.br/adribirama
Facebook: www.facebook.com/regional.ibirama

Ações do Programa Mulher Viver sem Violência
Fotos: Helena Marquardt/ ADR Ibirama

Ibirama foi a primeira cidade da região da 14ª Agência de Desenvolvimento Regional a receber a unidade móvel do Programa Mulher Viver sem Violência que visa conscientizar as mulheres sobre as formas de violência e a importância da denúncia. O encontro foi realizado com moradoras da comunidade de Rafael Alto que puderam acompanhar uma palestra, realizar testes rápidos, esclarecer dúvidas e se reunir para um café da tarde.