Compartilhe

 A coordenadora Estadual da Mulher, Aretusa Larroyd, da Secretaria de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação, e Fabiana Lopes Ribeiro, conselheira estadual da mulher e integrante do Fórum de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher em Santa Catarina, participaram de reunião com representantes das ADRs de Ituporanga, Curitibanos, e Rio do Sul, na sede da ADR de Rio do Sul, em Rio do Sul, na tarde desta segunda-feira, 7, quando trataram da implementação da campanha: "Unidades Móveis: Mulheres e Cidadania",  do Programa de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher do Campo.

Profissionais das regiões citadas, ligados à área de assistência social, segurança pública, direitos humanos, e educação conheceram a campanha que visa prestar auxílio à mulher vítima de violência em Santa Catarina e que, entre outros quesitos, doará dois ônibus para desenvolver políticas em defesa da mulher e no desenvolvimento da consciência social sobre o respeito às leis de defesa da mulher, especialmente a chamada Lei Maria da Penha.

As unidades móveis são preparadas para transportar profissionais das diversas áreas responsáveis por auxiliar as mulheres vítimas de violência, no apoio psicológico para superação de agressão física ou sexual, na assistência jurídica e no acesso à delegacia especializa em violência doméstica ou familiar. Elas compõem a infraestrutura de assistência às mulheres em situação de violência das áreas rurais. A previsão é que em novembro sejam realizadas as primeiras ações da campanha.

O secretário executivo da ADR de Rio do Sul, Ítalo Goral, falou aos presentes sobre a necessidade de parcerias que resultem na diminuição significativa da violência contra a mulher, especialmente quanto a dar oportunidades para que a mulher possa tornar-se independente, econômica e socialmente, como modo de reverter o quadro que aponta, ainda, índices elevados de violência contra a mulher, notadamente contra a mulher que vive no campo, em áreas rurais de municípios do Alto Vale do Itajaí e Serra Catarinense.

A coordenadora Aretusa Larroyd frisou que os municípios que assumirem o programa deverão, o mais breve possível, mobilizar meios para organizar as comunidades de modo a sempre mais e melhor esclarecer e atender às mulheres que sofrem de violência. O gerente regional de Assistência Social, Trabalho e Habitação da ADR de Rio do Sul, Sinauri Xavier, disse durante que é de suma importância manter estes contatos com representantes municipais para que desenvolvam ações de enfrentamento à violência contra a mulher nas comunidades, conforme as características culturais, econômicas e sociais de cada local.

Informações adicionais para a imprensa:
Homero Buzzi
Assessoria de Comunicação
Agência de Desenvolvimento Regional de Rio do Sul
E-mail: imprensa@rsl.adr.sc.gov.br
Telefones: (47) 3526-3014 / 99905-6336 
sc.gov.br/regionais/riodosul