Compartilhe

Embora ainda em fase experimental, está cada vez mais evidente que o novo sistema veio para facilitar o controle das refeições servidas, garantindo agilidade nos trabalhos. Esta afirmação da gestora da EEB Olga Nunes de Abreu, Lenice Burato dos Santos, do município de Coronel Martins, foi recebida com euforia pela Supervisão de Articulação com os municípios e Núcleo de Tecnologia da Gerência Regional de Educação, setores responsáveis pela implantação do projeto na região.

Além de Coronel Martins, a supervisora Denize Maria Comunello Ranzan visitou nesta semana também o município de São Bernardino, onde conferiu de perto o andamento dos trabalhos acerca da nova forma de contagem da alimentação servida aos estudantes da rede pública estadual. Ainda nesta semana a profissional visita o município de Campo Erê.

Saiba mais

Para tornar o processo de contagem da alimentação escolar mais ágil, econômico e transparente, a Secretaria de Estado da Educação (SED) desenvolveu um aplicativo de  contagem automática das refeições servidas aos alunos. Ao todo, 270 escolas da rede estadual de ensino deverão utilizar o novo método para contabilizar a merenda. A estimativa, segundo a Secretaria de Estado da Educação, é economizar em até 10% em 2017, sendo que em 2016 o investimento em alimentação escolar foi de R$ 130 milhões. 

Sobre o método

Foram desenvolvidos dois métodos com linguagens diferentes para serem utilizados de acordo com a realidade de cada escola. Dessa forma a contagem poderá ser feita por meio das câmeras digitais dos tablets fornecidos a escola via QR Code ou por código de barras lido através do aparelho leitor de código de barras identificado no computador. Cada estudante tem a própria Carteira de Identificação Estudantil emitida pelo Sistema de Gestão Escolar de Santa Catarina (Sigesc) o que garante precisão na contagem. 

Os estudantes tem acesso ao aplicativo no momento das refeições. Os dados computadorizados são transferidos para o sistema de registros da alimentação escolar, repassando a quantidade de refeições a serem pagas por estudante em cada escola.

Para as servidoras Denize e Sandra, que trabalham diretamente com o setor de alimentação escolar na região, trata-se de uma forma de legitimar a quantidade e garantir a qualidade da merenda. Durante as visitas realizadas para acompanhar o novo sistema, elas observaram que a ação oferece maior agilidade na contagem da merenda servida em relação ao método anteriormente utilizado. “É claro que há ajustes a serem feitos e estes só podem ser observados quando do acompanhamento realizado nas próprias instituições de ensino” – ressaltam.

Neste primeiro momento 270 escolas da rede estadual de ensino, com mais de 900 alunos estão tendo acesso ao aplicativo e até o final de 2018, todas as escolas da rede estadual passarão a utilizar o novo sistema.

No modelo antigo, os estudantes entregam uma fichinha de papel para a profissional responsável pelo acesso do aluno ao refeitório, que conforme apurado pela SED e em auditorias internas pode resultar em imprecisão dos números finais das refeições servidas e pagas às empresas prestadoras do serviço de alimentação escolar. 

De acordo com o analista e desenvolvedor do aplicativo, Edson Luiz Pacho, a ferramenta facilita e otimiza o tempo de trabalho. “Além de fatores como os relatórios finais diários emitidos, a análise nutricional é outro destaque, pois o sistema possibilita identificar os estudantes que acabam se interessando por alimentos mais calóricos e acabam não ingerindo nos dias que é oferecido salada, frutas e verduras por exemplo”, esclarece o profissional.

Mais informações para a imprensa:
Juliana Balotin
Assessoria de Comunicação
Agência de Desenvolvimento Regional de São Lourenço do Oeste
E-mail: ascom@snx.adr.sc.gov.br e juliana.balotin@gmail.com
Fone: (49) 3372-1003 / 98832-9273
Site: sc.gov.br/regionais/saomigueldooeste