Encontre serviços oferecidos pelo Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Serviços em destaque

Vídeos

Com a Palavra, o Governador - 17 de novembro de 2017

Com a Palavra, o Governador - 17 de novembro de 2017

O governador Raimundo Colombo fala sobre a ressocialização dos presos no estado, os resultados do agronegócio e o projeto piloto da Secretaria da Educação com a implantação do sistema de matrículas online.

Oportunidades

Próximos eventos


Foto: Glauco Benetti/ADR Seara

A 3ª Companhia Polícia Militar de Seara lançou nesta sexta-feira, 7, os grupos que compõem o programa de vigilância “Rede de Vizinhos”. A estratégia de policiamento convida o comércio e a população em geral a participarem de grupos em aplicativos de mensagens via celular, multiplicando a vigilância e melhorando a comunicação com a PM.

Em Seara, o programa já foi implantado no Centro, na Avenida Anita Garibaldi, no Bairro Bairro Industrial, na Rua Herculano Hercules Zanuzzo, e no Bairro São João na Avenida Paludo. Mais de 150 pessoas já foram cadastradas. 

De acordo com o comandante, tenente Claudemir Ronning, o passo seguinte é a expansão do programa para outros bairros e interior do município. “Os moradores interessados já podem organizar pequenos grupos e procurar a sede da Polícia Militar para obter maiores informações”, estimula Ronning.

“Neste primeiro mês, realizamos alguns testes e já tivemos bons resultados. Conseguimos, com a ajuda da comunidade, localizar os envolvidos em ocorrências. Com a expansão programada para outros bairros e o interior do município, esta será uma grande ferramenta para segurança pública”, destaca a soldado Iluza Carraro.  

A secretária executiva Gládis Regina Bizolo dos Santos enfatiza o relevante trabalho desenvolvido pela PM de Seara. “É importante ressaltar o comprometimento do comandante da PM de Seara e de toda equipe. Juntos teremos mais segurança e qualidade e vida”, destaca.

Mais informações para a imprensa:
Glauco Benetti
Assessoria de Imprensa
Agência de Desenvolvimento Regional de Seara
E-mail: comunicacao@sar.adr.sc.gov.br
Telefone: (49) 3452-8600 / 98837-7430
Site: sc.gov.br/regionais/seara

 


Foto: Maira Porto Monterio/Ascom SSP

O secretário de Estado da Segurança Pública, César Augusto Grubba, coordenou na manhã desta segunda-feira, 10, reunião do gabinete de crise com os gestores da Segurança Pública para definir ações de combate ao crime e reduzir os assassinatos registrados na Capital desde o início do ano.

Dentre as ações estão intensificar o policiamento ostensivo em áreas vulneráveis, reforçar o efetivo da Delegacia de Homicídios, criar uma força-tarefa para cumprimento de mandados de prisão de acusados de crimes e reforçar as ações de inteligência.

Desde o dia 1º de janeiro até 10 de abril, Florianópolis registrou um total de 59 mortes violentas, que é o somatório de homicídios dolosos (58) mais latrocínio (1). No ano passado, no mesmo período, foram 23 mortes violentas – 22 homicídios dolosos e um latrocínio.

Participaram da reunião o Secretário Adjunto da Segurança Pública, delegado Aldo Pinheiro D’Ávila; comandante-geral da Polícia Militar, coronel PM Paulo Henrique Hemm; delegado-geral da Polícia Civil, Artur Nitz, e o diretor de Informação e Inteligência, delegado Mauro Cândido Rodrigues.    

No final da manhã, o secretário Grubba foi recebido pelo governador Raimundo Colombo na Casa d'Agronômica. 

Informações adicionais para a imprensa
João Carlos Mendonça Santos
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Segurança Pública - SSP
E-mail: imprensa@ssp.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-8183 / 98843-7615
Site: www.ssp.sc.gov.br


Foto: Edinéia Rauta/SED

Para a estudante Nicole Martinez, 17 anos, aluna do terceiro ano do ensino médio da Escola Estadual Jacó Anderle, de Florianópolis, a presença dos pais em sua vida escolar sempre foi constante, desde o pré-primário. Por isso, a participação da mãe neste sábado, 8, na segunda edição do Dia Estadual da Família na Escola, foi mais uma atividade comum na vida dos Martinez. “Se minha mãe não viesse, eu ia me sentir excluída. Ia parecer que aquilo que eu faço não é tão importante”, diz a garota. 

Este sentimento não é apenas da Nicole, prova disso foi a movimentação em mais de mil estabelecimentos de ensino da rede pública estadual e do Sistema S. Durante todo o sábado, pais e outros familiares dos estudantes participaram dos eventos com o objetivo de estimular a participação das famílias na vida escolar dos filhos.

Para o secretário de Estado da Educação, Eduardo Deschamps, o jovem precisa identificar valor em tudo o que faz. “Quando você traz a família para a escola, pelo exemplo, os pais estão demonstrando para o jovem e a criança que o processo educacional é algo muito valoroso e que vai ter muita influência no seu futuro de vida. Essa presença faz com que o jovem comece a identificar isso. Por isso, a importância da participação da família no ambiente escolar, não apenas neste dia”, avalia. 

Buscando atrair os pais e incentivar a participação, as escolas organizaram diferentes atividades para serem desenvolvidas entre família. Passeio ciclístico, ginástica, dança, gincanas esportivas, oficinas, ações para emissão de RG e CPF, esclarecimentos sobre Imposto de Renda e Previdência Social, roda de chimarrão, palestras, apresentações musicais e de teatro, feira do livro, orientações sobre vacinações, aferição de pressão arterial, glicemia, exposição de trabalhos, recreação, revitalização de horta e jardinagem foram algumas delas. 

Para a gerente de Educação de Canoinhas, Maria Celina Murar, “a participação dos pais na vida escolar dos filhos contribui para um aprendizado melhor dentro e fora da escola. Acompanhar de perto seu dia a dia e conhecer mais o ambiente escolar, aproximando a comunidade da escola é fundamental”.

Graziella Haverot, professora de matemática da escola Jaco Anderle, complementa: “A intervenção da família na escola faz com que o aluno se sinta mais seguro no ambiente escolar. A presença dos pais faz com que o trabalho dos professores e da instituição seja mais fácil porque os alunos sentem-se apoiados tanto pela escola quanto pela família”.

Segundo Deschamps, esse movimento da família na escola resulta muito do trabalho de parceria dos catarinenses e da sociedade de abraçar a questão educacional. “O movimento Santa Catarina pela Educação prova que é possível unir setor público, o terceiro setor, a iniciativa privada e a sociedade de maneira geral em prol da melhoria cada vez mais da educação”, diz

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc), Glauco José Côrte, destaca que a família influencia no rendimento escolar dos alunos. “Por isso, estamos fazendo esse movimento e conclamando todos os pais a acompanharem a vida escolar dos filhos. Isso traz resultados muito positivos para o estudante na formação escolar e, mais tarde, como cidadão e como bom profissional”, afirma lembrando que esse entendimento está se disseminando nas escolas do Sesi e do Senai e nas escolas públicas. “Queremos formar bons profissionais, mas também bons cidadãos que se integram na sua comunidade e oferecem uma parte do seu tempo para trabalhos voluntários, além da ética e da responsabilidade social que fazemos questão de discutir e repassar para nossos alunos”, evidencia.

Katiane Martinez, mãe de Nicole, salienta que sempre participou com a filha em todas as atividades. “Estar presente é sinal que amo minha filha, acompanhando o que ela está fazendo, porque, na verdade, o que vamos deixar de herança são os estudos. Então tem que participar. Acompanho os trabalhos de aula, venho direto na escola, converso com diretores e coordenadores”. E a filha, lembrando que o pai também é presente, completa: “É muito bom ter o acompanhamento. Acho que todos os pais deveriam fazer isso”.

Para Ari Rabaiolli, presidente da Fetrancesc, entidade que integra o Movimento Santa Catarina pela Educação, a iniciativa “aproxima e integra pais, educadores, filhos e a direção das escolas. Essas atividades disponíveis pelo Sistema S para com os alunos é de fundamental importância”. 

Bolsa de Estudo

Durante a visita à Escola Estadual Jacó Anderle, Côrte, Deschamps e o presidente da Fundação Esag, Constantino Assis, assinaram termo de cooperação para o fornecimento de bolsas de estudo no Curso Técnico em Automação Industrial do Senai em Florianópolis. Serão 40 bolsas integrais concedidas pela FSAG a estudantes da escola Jacó Anderle, com critério de seleção será pelo índice de carência. As aulas começam nesta segunda-feira, 10. O secretário Eduardo Deschamps destaca que a cooperação é um exemplo da articulação realizada pelo Movimento Santa Catarina pela Educação. "Esse programa de bolsas que foi assinado permite o desenvolvimento educacional dos nossos jovens, unindo esforços entre todos os atores da sociedade”, declarou.

Informações adicionais para a imprensa
Edinéia Rauta
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Educação  - SED
E-mail: edineiarauta@sed.sc.gov.br
Fone: (48) 3664-0353 / 3664-0161 / 3664-0356 / 9-9980-3136
Site: www.sed.sc.gov.br


Foto: Aires Mariga/Epagri

Na primeira metade dos anos 2000, boa parte dos moradores de Imaruí, no Sul do Estado, consumia água de má qualidade. A quantidade disponível também era preocupação. Eram 1,9 mil famílias, de 23 comunidades, que usavam água sem nenhum tipo de tratamento, captada de córregos que estavam sujeitos a contaminação por dejetos e outros tipos de matéria orgânica.

Preocupa com isso, a Epagri desenvolveu o sistema de filtragem lenta que levou o nome da cidade e gerou efeitos positivos na saúde, economia e meio ambiente da região. Agora a tecnologia foi incluída na Plataforma de Boas Práticas da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), um espaço de disseminação e compartilhamento de boas iniciativas replicáveis desenvolvidas na região Sul do Brasil. Essa é a sexta tecnologia da Epagri incluída na plataforma.

O modelo, concebido pela Epagri, é totalmente original, sem iniciativas similares identificadas na região. A filtragem é realizada em três etapas, sendo um pré-filtro e dois filtros. O sistema é feito de tubos de concreto, totalmente impermeabilizados. Os filtros são compostos de seixo, brita e areia. Existe ainda um dispositivo de limpeza na parte inferior, uma vez que a filtragem é realizada em fluxo ascendente.

A prática iniciou em 2005 e hoje é adotada em vários municípios catarinenses, especialmente os que compõem a Associação dos Municípios Região de Laguna (Amurel). Sua replicação é amplamente viável, pois, por ser um sistema de concepção e operação simples, exige pouco investimento para implantação e manutenção.

A instalação dos filtros lentos foi precedida pela formação de “grupos de água”, com regulamentos próprios, constituídos durante as reuniões de planejamento. Os beneficiários foram treinados para captação dos recursos necessários para a construção dos equipamentos e também para implantação das redes de distribuição da água filtrada. Os sistemas necessitam de manutenção periódica, que é determinada pela análise da potabilidade da água captada. Recomenda-se que a cada 15 dias, e após períodos chuvosos, seja feita uma limpeza geral do pré-filtro e filtros.

Na região de Tubarão, onde o sistema foi divulgado e instalado inicialmente, a melhoria na qualidade e quantidade de água observada através de laudos técnicos possibilitou a diminuição no número de pessoas nos postos de saúde. O aumento dos cuidados com o meio ambiente, a organização comunitária e, consequentemente, a melhoria da qualidade de vida no meio rural, foram outros efeitos diretos verificados após a aplicação da tecnologia.

A construção dos filtros lentos modelo Imaruí permite a conservação ambiental dos locais de captação da água. Possibilita ainda maior integração comunitária por meio da formação dos grupos de água, além de melhoria da qualidade de vida das famílias. Outro efeito é a valorização imobiliária, por meio da garantia de abastecimento de água para consumo e utilização doméstica. O sistema público de saúde também é impactado com a redução de casos de intoxicação alimentar por consumo da água. Tudo isso graças a uma solução simples, porém criativa, que agora se torna exemplo para o mundo.

>>> Conheça a tecnologia Filtro Lento Modelo Imaruí na Plataforma da FAO

>>> Confira a Plataforma de Boas Práticas da FAO 

Mais informações e entrevistas com as extensionistas da Epagri:
Noeli Catarina Pazetto - (48) 999767896 / (48) 3646-2013 - ramal 261
Suselei Brunato Weber - (48) 999663833 / - (48) 3631-9452

Informações para a imprensa:
Gisele Dias, jornalista: (48) 99989-2992 / 3665-5147
Cinthia Freitas, jornalista: (48) 3665-5344
Isabela Schwengber, jornalista: (48) 3665-5407


Foto: Defesa Civil

A Secretaria de Estado da Defesa Civil concluiu a certificação do radar que vai cobrir o Extremo-Sul de SC. O trabalho foi realizado na fábrica do aparelho nos EUA. Nesta segunda-feira, 10, o grupo composto pelo gerente de Monitoramento e Alerta, Frederico Rudorff; gerente de Tecnologia e Informação Rafael Damiani; diretora Administrativa Financeira, Adriana Dorfey; e o secretário Rodrigo Moratelli, estará de volta a Santa Catarina.

>>> Confira mais fotos

Eles estiveram na empresa norte-americana fazendo testes de aceitação em fábrica. O aparelho ficará em Araranguá, no mesmo espaço do Centro Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres Regional.

O secretário Rodrigo Moratelli explica que foram verificados os itens estruturais do reboque e adequação à legislação brasileira, de acordo com o Termo de Referência; geração de energia; estrutura e procedimentos de manutenção da antena e do gabinete de dados; conferência das peças sobressalentes; e análise do software de operação do radar.

"Foram apontados itens para adequação antes do envio do radar para Santa Catarina, o que deve ser finalizado em menos de um mês. Também será instalado um sistema de climatização redundante para garantir a segurança do equipamento", disse Moratelli.

O secretário afirma ainda que, além da parte técnica, foram ajustados os procedimentos para a importação a fim de evitar problemas e garantir o prazo estipulado em contrato. "O objetivo é garantir o cumprimento das especificações técnicas, a estabilidade e a qualidade do produto. Tudo isso para que a equipe de meteorologia e especialistas em desastres possa utilizar da melhor forma os dados gerados pelo aparelho. Toda essa estrutura de radares em SC é para tornar nosso Estado mais seguro e adequado aos padrões internacionais", afirma Moratelli.  

Operação do Radar Sul

Depois que o radar Sul estiver pronto para operar, será feito o treinamento de operação com as equipes de meteorologia e especialistas em desastres. Após o treinamento, será realizada a operação assistida por mais 30 dias.

O investimento do governo do Estado, através da Secretaria de Estado da Defesa Civil, é de R$ 3.401.222,00. Os recursos são do Pacto por SC, financiados pelo Banco do Brasil.

Radares banda X operam com comprimentos de onda entre 2,5-4 cm e frequência entre 8-12 GHz. O gerente de Monitoramento e Alerta, Frederico Rudorff, explica que por ter comprimento de onda menor, os radares banda X são mais sensíveis e podem detectar partículas menores. "Esses radares são frequentemente utilizados para pesquisa e apresentam melhor desempenho para detectar precipitação leve e neve. Por serem menores e mais leves, podem ser fabricados como unidades transportáveis, como é o caso deste radar que está sendo adquirido", esclarece. O alcance do radar banda X é entre 100km e 150km. Ele vai cobrir cerca de 52 municípios.

O radar está numa carreta de 2,63m de largura e 5,64m de comprimento. A altura da base até o topo da radome (que protege a antena) é de 3,50m. Ele é rebocado por uma caminhonete. 

Informações adicionais para a imprensa
Cleiton Ferrasso
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Defesa Civil - SDS
Fone: (48) 3664-7009 / 99185-3889
E-mail: defesacivilsc@gmail.com
Site: www.defesacivil.sc.gov.br

 

Página 210 de 217