Encontre serviços oferecidos pelo Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Serviços em destaque

Vídeos

Ponte Hercílio Luz - 10/07/2017

Ponte Hercílio Luz - 10/07/2017

Nas redes sociais e portais da #nossahercilioluz e do Governo é possível acompanhar as obras de restauração da ponte. Etapas importantes já foram realizadas e nesse vídeo você pode relembrar as principais. Confira.

Oportunidades

Próximos eventos


A Secretaria de Estado da Saúde (SES) abriu processo seletivo para ampliar o número de funcionários nos hospitais públicos administrados diretamente pela pasta. As inscrições foram abertas na última segunda-feira, 3, e seguem até 2 de agosto. Há vagas para as cidades de Grande Florianópolis, Ibirama, Joinville, Lages e Mafra.

São 514 técnicos de enfermagem e 65 enfermeiros para suprir as demandas dos hospitais da rede pública de todo o Estado. A remuneração inicial para 30 horas de trabalho semanais é de R$ 2.533,80 para técnico de enfermagem e R$ 3.290,42 para enfermeiro.

Os candidatos devem realizar as inscrições pelo site da SES. O valor da inscrição para o nível técnico é R$ 75 e R$ 100 para nível superior.

Informações adicionais para a imprensa:
Gabriela Ressel
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado de Saúde
Telefone: (48) 3664-8822
E-mail: imprensa@saude.sc.gov.br e secretariadeestadodasaude@gmail.com


Foto: SAR

Noite de comemoração para o agronegócio catarinense. Dez anos após a conquista do certificado internacional como área livre de febre aftosa sem vacinação, a Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) reuniu as personalidades que contribuíram nesse processo. Uma Sessão Especial homenageou as entidades, lideranças políticas e os técnicos que participaram dos trabalhos de erradicação da doença em Santa Catarina.

Entre as entidades homenageadas estavam a Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca e a Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc), que cumpriram papel de destaque no reconhecimento internacional do agronegócio catarinense.

Segundo o secretário de Estado da Agricultura e da Pesca, Moacir Sopelsa, até o estado conquistar a certificação internacional da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), foram muitas etapas cumpridas e um longo caminho trilhado. “Desde os tempos de vacinação obrigatória, Santa Catarina se mostrou um estado diferenciado. Além dos técnicos e da iniciativa privada, temos que reconhecer o papel fundamental do produtor rural nesse processo. Os produtores catarinenses aceitaram o desafio de deixar de vacinar e, desde então, são grandes parceiros do Governo do Estado na manutenção do nosso status sanitário diferenciado”, afirmou.

Os trabalhos para combater a febre aftosa no estado se iniciaram em 1965, com a união do Governo do Estado, Ministério da Agricultura, agroindústrias e produtores rurais. Santa Catarina, que chegou a ter uma média de 462 focos por ano entre 1971 e 1983, erradicou a doença e, em 1993, registrou a última ocorrência de febre aftosa.

Lá em 2000, quando foi suspensa a vacinação contra febre aftosa, a intenção era buscar a certificação internacional e conquistar mercados internacionais mais competitivos para a carne catarinense, além de garantir a segurança alimentar dos consumidores. Confirmando as expectativas, após o reconhecimento da OIE, Santa Catarina se tornou o maior produtor de suínos e o segundo maior produtor de aves do país.

“Hoje a economia de Santa Catarina está baseada no agronegócio. Só em 2016, as exportações da avicultura somaram US$ 1,7 bilhão e da suinocultura chegou a US$ 555 milhões. Fornecemos carnes para mercados importantes e exigentes, como Estados Unidos, Chile e Japão, o que prova a qualidade dos nossos produtos e a excelência sanitária do nosso rebanho”, ressaltou Sopelsa.

Para manter o status sanitário diferenciado, os esforços são imensos. A Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc) mantém 63 barreiras sanitárias fixas nas divisas com Paraná e Rio Grande do Sul e fronteira com Argentina que controlam a entrada e a saída de animais e produtos agropecuários. Além do controle do trânsito de animais e produtos de origem animal nas fronteiras, em Santa Catarina todos os bovinos e bubalinos são identificados e rastreados.

“Manter aquilo que conquistamos é ainda mais difícil e o nosso compromisso é dar seqüência ao trabalho iniciado há mais de 50 anos e garantir a sanidade dos rebanhos catarinenses”, destacou o presidente da Cidasc, Enori Barbieri. O presidente valorizou ainda o papel dos funcionários da Cidasc que já não fazem mais parte da empresa, mas que contribuíram para a conquista da certificação internacional. “Os trabalhos começaram há 50 anos, então muitas pessoas passaram pela Cidasc antes de colhermos os louros dessa conquista. Não estaríamos aqui se não fosse pela dedicação desses homens e mulheres, que trabalharam pelo fim da vacinação e pela manutenção da sanidade animal no estado” afirmou.

Além da Secretaria da Agricultura e da Cidasc, a homenagem se estendeu também para as seguintes entidades: Governo do Estado de Santa Catarina; Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa); Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri); Instituto Catarinense de Sanidade Agropecuária (Icasa); Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (Faesc); Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares do Estado de Santa Catarina (Fetaesc); Sindicato da Indústria de Carnes e Derivados no Estado de Santa Catarina (Sindicarne); Conselho Regional de Medicina Veterinária de Santa Catarina (CRMV); Polícia Militar de Santa Catarina; Sindicato dos Jornalistas de Santa Catarina; Polícia Militar Ambiental de Santa Catarina; Polícia Civil de Santa Catarina; Polícia Rodoviária Estadual; Polícia Rodoviária Federal; Polícia Federal; Exército Brasileiro; Marinha do Brasil; Organização das Cooperativas do Estado de Santa Catarina (OCESC) e Federação das Cooperativas Agropecuárias de Santa Catarina (Fecoagro). As personalidades homenageadas foram: Luiz Henrique da Silveira (in memoriam); Moacir Sopelsa; Antonio Ceron; Odacir Zonta; Victor Fontana; Roni Naschenveng Barbosa; Gécio Humberto Meller; Claudinei Martins; Hamilton Farias; Felipe da Luz; Wilmar Carelli; Enori Barbieri e Abel Just.

Vigilância permante

A erradicação da doença em Santa Catarina fez com que o estado tenha regras especiais para o trânsito de animais. Já que é proibido o uso de vacina contra febre aftosa em todo o território catarinense, não é permitida a entrada de bovinos provenientes de outros estados. Para que os produtores tragam ovinos, caprinos e suínos criados fora de Santa Catarina é necessário que os animais passem por quarentena tanto na origem quanto no destino e que façam testes para a febre aftosa, exceto quando destinados a abatedouros sob inspeção para abate imediato.

O Governo do Estado mantém ainda um sistema permanente de vigilância para demonstrar a ausência do vírus de febre aftosa em Santa Catarina. Continuamente, a Cidasc realiza inspeções clínicas e estudos sorológicos nos rebanhos, além de dispor de uma estrutura de alerta para a investigação de qualquer suspeita que venha a ser notificada pelos produtores ou por qualquer cidadão. A iniciativa privada também é uma grande parceira nesse processo, por meio do Instituto Catarinense de Sanidade Agropecuária (Icasa).

Informações adicionais para a imprensa
Ana Ceron
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca 
E-mail: imprensa@agricultura.sc.gov.br
Fone: (48) 3664-4417/ 98843-4996
Site: www.agricultura.sc.gov.br

Joinville poderá receber o primeiro elevado em área urbana na cidade ainda no final do segundo semestre. As obras no entroncamento da avenida Santos Dumont com a rua Tuiuti estão 73% concluídas. Neste momento, os 55 trabalhadores se concentram na concretagem superior, colocação de barreiras e terraplanagem. O investimento é de R$ 22 milhões do Governo do Estado sendo as desapropriações negociadas pela Prefeitura de Joinville.

Joinville - Governo do Estado pretende entregar o primeiro elevado de Joinville em novembro

“A melhoria da mobilidade urbana será importante porque essa obra atende ao eixo industrial, ao fluxo de carros para o aeroporto e aos moradores de bairros no Norte da cidade”, avalia o engenheiro Ivan Amaral, da Secretaria de Estado de Infraestrutura. Com quatro pistas de rolagem, o elevado terá as marginais liberadas para tráfego no mês de agosto. A passagem inferior, com uma altura livre de passagem para caminhões de 5,5 metros, poderá ser usada pelos motoristas a partir se setembro. O viaduto está sendo executada pela empresa Traçado Engenharia.

Joinville - Governo do Estado pretende entregar o primeiro elevado de Joinville em novembro

Outro importante investimento na mesma via é duplicação da avenida Santos Dumont com 65% do contrato executado. Há frentes de trabalho no trecho central com serviços de terraplanagem, confecção de meios-fios e calcadas. “Estamos esperando tanto tempo por esse momento de ver a obra concluída, eu como trabalhadora da região estou gostando muito do resultado”, conta Patrícia da Costa, assistente administrativa moradora do bairro Aventureiro. O investimento do Governo do Estado é de R$ 48 milhões e está sendo executada pela empresa Infrasul Estrutura e Empreendimentos.

A comunidade deve receber ambas no final de 2017, mas a manutenção do cronograma ainda depende de duas áreas em tratativas de desapropriação: uma influencia na duplicação e a outra impacta no elevado e na duplicação. O trecho Norte, próximo ao Aeroporto Laudo Carneiro de Loyola está sendo usado pela comunidade. “Era muito perigosa, pedestre, motorista, ciclistas, tudo junto no mesmo espaço e aqui no trecho duplicado já melhorou bastante”, avalia o aposentado Milton Freitas.

Informações adicionais para a imprensa:
Ana Paula Keller
Assessoria de imprensa
Agência de Desenvolvimento Regional de Joinville
E-mail: anakeller@jve.adr.sc.gov.br / imprensa@jve.adr.sc.gov.br
Telefone: (47) 3461-1225 / 99240-8064
Site: sc.gov.br/regionais/joinville

José Boiteux - Projeto desenvolvido por escola estadual ajuda a recuperar mata ciliar
Alunos receberam orientações sobre solo, adubação, irrigação e germinação - Fotos: Helena Marquardt/ADR Ibirama

Alunos de uma escola estadual de José Boiteux têm sido um verdadeiro exemplo na preservação do meio ambiente. Há mais de dois anos eles plantam árvores nativas na unidade e depois transferem as mudas para a margem do rio, ajudando a recuperar a mata ciliar do município.

Na tarde desta segunda-feira, dia 3 de julho, uma nova etapa do projeto, que tem acompanhamento de engenheiros agrônomos da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri), foi iniciada na EEB José Clemente Pereira com a semeadura de 14 novas espécies. O plantio foi feito pelos próprios estudantes que receberam orientações sobre solo, adubação, irrigação e germinação e a aula diferente animou as crianças. Lucas Lunelli Eskelsen, de 11 anos, adorou a atividade. “Assim aprendemos plantas novas, plantamos árvores que muita gente está desmatando e assim conseguimos conservar a natureza por muito mais tempo”, comentou.

O engenheiro agrônomo da Epagri, Jean Carlos Loffaguen, conta depois da semeadura, em no máximo 30 dias as mudas são colocadas em pacotes e mais tarde transferidas para a margem do rio. “Depende da espécie, mas geralmente em três ou quatro meses, algumas um pouco mais, já fazemos o plantio para recuperação de mata ciliar”, explica.

O viveiro da escola foi construído com o apoio do projeto SC Rural e segundo a gerente de Políticas socioeconômicas Rurais e Urbanas, Edna Beltrame Gesser, até as sementes tem ligação com o Governo de Santa Catarina. “Sabemos que esse projeto de plantio de árvores nativas é muito importante porque as crianças aprendem a semear e a preservar o meio ambiente. É importante destacarmos ainda que essas sementes são o resultado da Primeira Feira de Troca de Mudas e Sementes que foi realizada durante a programação do segundo Encontro de Mulheres Agricultoras da ADR de Ibirama no dia 24 de maio.”

Resultados já transformaram a paisagem

Desde que foi criado o projeto já transformou muitos trechos da paisagem a margem do Rio Scharlach. O diretor da EEB José Clemente Pereira, Igídio Fusinato, ressalta que além da recuperação da mata ciliar, os estudantes também ganham mudas para plantar em casa ou em outros locais que desejarem e na cidade a consciência ambiental é um assunto mais atual do que nunca. “Eles aprendem que além de recuperar temos que preservar a mata para quer nosso animais silvestres possam continuar se alimentando e vivendo em nosso município”, finaliza.

Mais informações para a imprensa:

Helena Marquardt
Assessoria de Comunicação ADR Ibirama
Fone: (47) 3357-8908 / (47) 98819-9350
Site: www.adrs.sc.gov.br/adribirama
Facebook:www.facebook.com/regional.ibirama


Cigerd Regional em Canoinhas. Foto: Edson Antoscheski / Defesa Civil SC 

A Secretaria de Estado da Defesa Civil está instalando 20 Centros Regionais em Santa Catarina. Atualmente, três estão prontos: Maravilha, Joaçaba e Canoinhas. Outros dois estão sendo concluídos: Xanxerê e Concórdia. Depois de instalados, eles serão mobiliados. Os próximos municípios que receberão as estruturas são: São Miguel do Oeste, Chapecó, Lages, Curitibanos, Criciúma e regiões Sul, Norte, Planalto Norte e Alto Vale.

Também chamados de Centro Regional Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cigerd - Regional), eles são instalados em cada município sede da Coordenadoria Regional da Defesa Civil SC. O secretário de Estado da Defesa Civil, Rodrigo Moratelli, explica que eles serão a base das coordenadorias regionais. "Todos os centros estarão interligados conosco aqui em Florianópolis por meio de tecnologias. É mais agilidade para se comunicar com os municípios em caso de evento adverso, por exemplo", comenta.

Para o gestor da pasta, isso facilita tomadas de decisões. "Numa enchente, por exemplo, os principais agentes se reúnem lá no Cigerd Regional para gerenciar a crise e podem conversar conosco aqui no Cigerd em Florianópolis, por vídeo conferência ", complementa.  

Cigerd Regional

Composto por nove módulos de ferro galvenizado e pintado, possuem cerca de 160 metros quadrados. Totalmente autossuficientes, contam com gerador de energia capaz de manter o centro operacional mesmo com falta de energia elétrica na cidade. Conta também com garagem, depósito, recepção, sala do coordenador regional, sala de reunião, sala de situação, banheiro e cozinha.

Centros regionais 1 copy

 

Cigerd Florianópolis

O Cigerd está em construção em Florianópolis na Avenida Governador Ivo Silveira, no Continente. A estrutura vai contar com o Centro de Monitoramento e Alerta, Meteorologia, Sistema de Hidrometeorologia, Geologia, Mapeamento de Áreas de Risco, Planos de Contingência, Planos de Ações Emergenciais, Gestão de Crise e Respostas a Desastres.

IMG 2543 copy
Cigerd em Florianópolis. Foto: Cleiton Ferrasso/ Ascom

Informações adicionais para a imprensa
Cleiton Ferrasso
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Defesa Civil - SDS
Fone: (48) 3664-7009 / 99185-3889
E-mail: defesacivilsc@gmail.com
Site: www.defesacivil.sc.gov.br

Página 23 de 84