Encontre serviços oferecidos pelo Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Serviços em destaque

Vídeos

Campanha nacional de vacinação contra a gripe

Campanha nacional de vacinação contra a gripe

Com a proximidade do inverno e diminuição das temperaturas, as gripes e resfriados começam a surgir. Mas existem cuidados e formas de se prevenir. Quer saber como? Confira neste Saiba +

Oportunidades

Próximos eventos


Foto: Norberto Cidade / SOL

O 1º Meeting na Serra - Gestão e Sustentabilidade do Turismo Serrano será realizado na próxima segunda-feira, 31, no Clube Astréa, em São Joaquim. Os debates promovidos no evento vão abordar potencialidades e desafios do turismo, estabelecendo o diálogo com os representantes regionais.

A iniciativa resulta de um trabalho conjunto entre a Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte (SOL), a Associação de Municípios da Região Serrana (Amures) e a ADR São Joaquim, para fortalecer o desenvolvimento da Região da Serra Catarinense através do Turismo Sustentável.

Interessados em participar devem preencher o formulário eletrônico. A programação completa será divulgada em breve.

:: Confira o convite gravado pelo secretário Leonel Pavan - clique aqui.

Informações adicionais para a imprensa

Carla Coloniese
Secretaria de Estado do Turismo, Cultura e Esporte - SOL
Fone: (48) 3665-7436
E-mail: imprensa@sol.sc.gov.br
Site: www.sol.sc.gov.br


Fotos: Jeferson Baldo  / GVG

Um laboratório para captura do CO2 com utilização de cinzas de carvão mineral beneficiada foi inaugurado pelo ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho, e o vice-governador Eduardo Moreira, nesta segunda-feira, 24, em Criciúma. “Contamos com a vinda do ministro para encontrarmos um caminho definitivo para o uso do do carvão produzido em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul e termos desenvolvimento sustentável nessas áreas produtoras. É imprescindível que haja um planejamento de consumo para os próximos cinco, 10 anos. E isso não acontece no Brasil hoje. A instalação de uma mina para extração do mineral é extremamente complexa e de alto custo”, afirmou Eduardo Moreira.


Imagem: Celesc

Atividades rotineiras como soltar pipa, realizar manutenção predial ou podar árvores próximo à rede elétrica podem significar risco de morte se não forem tomados os cuidados necessários. É por isso que de 24 a 28 de julho a Celesc integra a 11ª Semana Nacional de Segurança promovida pela Associação Brasileira de Distribuidoras de Energia Elétrica (Abradee), que tem por objetivo conscientizar a população sobre os riscos da eletricidade. A campanha da Celesc inclui distribuição de material educativo e orientação dos consumidores com ações organizadas nas 16 agências regionais de Santa Catarina.

Em 2016, foram registradas 240 mortes de consumidores decorrentes de acidentes com eletricidade no Brasil. Um terço dos casos ocorreu durante obras de construção ou manutenção predial. O engenheiro de Segurança da Celesc, Fábio Rafaelli, explica que é importante manter a distância normatizada pela empresa e pela ABNT na hora de construir ou fazer serviços como limpeza ou pintura em prédios e residências. “Além de respeitar as distâncias, o cuidado precisa ser redobrado quando se utiliza equipamentos como andaimes, escadas, treliças, trilhos de cortinas ou materiais metálicos próximos da rede elétrica, pois um simples contato com um fio energizado pode ser fatal”, disse.

Outras situações que trazem risco para a população envolvem ligações clandestinas, poda de árvores, operação de equipamentos como guindastes, brincadeiras com pipas, instalações de antenas de TV, batidas de veículos em postes, furto de fios e equipamentos, entre outras.

“A eletricidade não tem cheiro, não tem cor e pode ser fatal, se não for tratada de forma segura e consequente”, alerta o presidente da Celesc, Cleverson Siewert. Em comparação à média nacional, Santa Catarina tem um histórico de poucas ocorrências fatais em decorrência de acidentes elétricos com a população, foram 18 registros nos últimos cinco anos. Os alertas realizados pelas campanhas da Semana de Segurança têm ajudado a reduzir os números de mortes também em outros estados.

Desde que começou a fazer monitoramento dos registros, em 2001, a Abradee registra uma queda gradual de acidentes envolvendo eletricidade, somando 26% de queda nos últimos 16 anos. O percentual de ocorrências fatais reduziu ainda mais: 37% no período, sendo que em 2016 a diminuição foi de 9%, o que significa 23 mortes a menos do que no ano anterior. 

Resumo dos casos fatais em SC entre 2013 e 2017:

ANO

NUMERO

CAUSAS

2013

 7 mortes

- Instalação de toldo em prédio (4 funcionários de empresa de comunicação visual sofrearam choque elétrico ao tocar acidentalmente um dos condutores da rede trifásica)

- Vítima encontrada sem vida ao lado de uma árvore que havia cortado com um machado (planta caiu sobre a rede elétrica, na tentativa de empurrá-la, o cidadão recebeu descarga elétrica fatal)

- Uma pessoa recebeu descarga elétrica ao segurar em uma cerca de arame farpado que estava energizada.

2014

 5 mortes

- Derrubada de árvore próximo à rede elétrica (cipó encostou nos fios energizados, o que causou descarga elétrica e óbito).

- Durante instalação de tubulação de gás em prédio, vítima encostou cano de cobre acidentalmente em condutor energizado, sofreu choque e caiu de uma altura de 12 metros, faleceu no hospital.

- Eletricista recebeu choque elétrico ao fazer reparos na iluminação pública.

- Durante coleta de material para análise de solo houve contato do equipamento (torre para perfuração) com a rede elétrica de alta tensão, ocasionando passagem de corrente elétrica e óbito de dois trabalhadores.

2015

 4 mortes

- Um óbito por choque elétrico

- Uso de aspirador de pó ligado a extensão elétrica com fio desencapado causou choque elétrico.

- Provável descuido com uma cantoneira ao fixa-la em uma placa, (houve contato em rede alta tensão)

- Após colisão em poste, menor de idade (que estava de carona) pisou em cabo de alta tensão ao descer do carro e recebeu descarga elétrica.

2016

 Sem registros

 

2017

 2 mortes

- Choque elétrico e óbito após manutenção indevida de iluminação pública

- Ao subir em poste de uma fazenda para retirada de luminária, eletricista passou o braço entre as fases e recebeu descarga elétrica. O mesmo estava de chinelos, sem luvas isolantes e utilizou uma escada metálica para acessar o local.

Dicas de segurança e economia da campanha

“Energia elétrica com segurança: Tá seguro, tá controlado”:

- Considere a rede energizada mesmo quando a energia estiver desligada

- Não pendure ou jogue nada na rede elétrica

- Não fixe enfeites ou solte fogos e balões perto da rede elétrica

- Nunca resgate pipa ou outros itens que enroscaram nos fios elétricos

- Não toque em fios partidos ou soltos na rua e avise imediatamente à Celesc pelo telefone de Emergência: 0800 48 0196

- Antes de qualquer conserto na instalação elétrica, desligue a chave geral no quadro de energia

- Apenas especialistas, com equipamento de segurança, devem lidar com a rede elétrica

- Lembre-se de que irregularidades e furtos na rede de energia podem ocasionar choques elétricos, curto circuitos e incêndios

- Ao adquirir equipamentos elétricos, confira a voltagem para saber se a fiação suporta a carga

- Faça sempre a manutenção das instalações e evite fios emendados ou desencapados

- Retire o carregador da tomada assim que o celular estiver carregado

- Desligue o monitor do computador se for demorar mais de 10 minutos para retornar a usá-lo

- Elimine vazamentos. Ao economizar água, você também economiza energia

- Verifique o estado de conservação das borrachas de vedação do refrigerador

- Mantenha o filtro do ar-condicionado sempre limpo e o termostato regulado. Desligue o aparelho quando não houver ninguém no ambiente

- O plantio e a poda de árvores devem ser feitos em distância segura da rede elétrica e por pessoas habilitadas


Foto: Márcio Henrique Martins / FCC

O Museu Histórico de Santa Catarina está com inscrições abertas para as aulas do segundo semestre de 2017 no projeto Tango no Palácio. Interessados devem preencher o formulário disponível neste link até o dia 28 de julho.

As aulas ocorrerão de 7 de agosto a 30 de outubro de 2017, sempre às segundas-feiras, das 17h30 às 18h30, com o professor Carlos Peruzzo. Serão oferecidas 40 vagas, sendo 10 para casais e 10 individuais (10 homens e 10 mulheres). Caso as inscrições excedam o número de vagas, será realizado sorteio público no dia 31 de julho, às 15h, no Auditório do Museu. Em caso de desistência ou duas faltas em um mês o aluno terá sua vaga suspensa e será acionada a lista de suplentes.

O objetivo do Projeto Tango no Palácio é aproximar o Tango a toda a comunidade, mostrando que é uma atividade que pode ser praticada por qualquer pessoa, independente da sua idade ou de ter experiência anterior com dança. É uma atividade integradora, inclusiva, que cria relações positivas e equilibradas, melhorando a qualidade de vida de todos seus praticantes.

Sobre o professor

Carlos Peruzzo é uruguaio, nascido em Motevidéu, e começou sua trajetória tanguera em 1990 na sua cidade natal, um dos berços do tango, quando ainda estudava Engenharia Civil na Universidade. Participou como dançarino em várias apresentações de dança e teatro, até sua vinda para o Brasil. Em 1995, chegou a Florianópolis para realizar Mestrado em Engenharia Civil na UFSC e conheceu o Centro de Dança Edson Nunes (CDEN), onde continuou aprimorando seus conhecimentos, estudando os outros ritmos da Dança de Salão.

No ano de 1996, por convite do professor e dançarino Edson Nunes, iniciou-se como professor de tango no Centro de Dança Edson Nunes, formando assim a primeira turma de alunos de tango em Florianópolis. Desde então, tem sido um divulgador permanente do ritmo em Santa Catarina, ministrando aulas e cursos, organizando milongas e práticas, promovendo workshops com vários professores convidados.

Sobre o Tango

O tango é uma cultura surgida no século 19 na região do Rio da Prata (Uruguai e Argentina) e também no sul do Brasil, que tem se estendido ao mundo inteiro, sendo declarado pela Unesco Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade, desde 2009.

Os benefícios podem ser comprovados em diferentes aspectos: para o corpo, desenvolvendo uma atividade física prazerosa que combate o sedentarismo e melhora diversos parâmetros: força, equilíbrio, postura, capacidade cardiovascular, entre outros; benefícios sociais, favorecendo a interação positiva entre pessoas e a formação de novos círculos de amizade; benefícios emocionais, combatendo a ansiedade, o stress, a solidão e a depressão; e benefícios mentais, já que vários estudos científicos têm comprovado que, ao estimular novos aprendizados com a prática do Tango, se favorece a atividade cerebral e a coordenação mente-corpo, prevenindo o envelhecimento e a aparição e avanço de doenças tais como o Parkinson e Alzheimer.

Informações adicionais para imprensa
Fernanda Peres
Assessoria de Comunicação Fundação Catarinense de Cultura
Telefone: (48) 3664-2571
E-mail: imprensa@fcc.sc.gov.br
Site: www.fcc.sc.gov.br 
Twitter: www.twitter.com/fccoficial  
Facebook: www.facebook.com/FundacaoCatarinensedeCultura 


Foto: Paulo Goeth/SES

O Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), instituição de referência estadual da Secretaria de Estado da Saúde (SES), completa 66 anos de serviços prestados à população de Santa Catarina. A unidade está localizada na Rua Felipe Schmidt, 788, no Centro de Florianópolis.

Com abrangência nos 295 municípios do estado, o Lacen desenvolve suas atividades baseado em dois eixos: Biologia Médica e Análise de Produtos e Meio Ambiente. Para tanto, conta com equipamentos de alta tecnologia como sequenciador de DNA e cromatógrafo gasoso massa a massa, além de uma equipe altamente capacitada para realização de análises de média e alta complexidade.

>>> Galeria de fotos

Na área da Biologia Médica, o foco principal são as doenças infecciosas de relevância em saúde pública, cujas atividades concentram-se na identificação do agente etiológico, monitoramento das infecções, identificação de medicamentos a serem utilizados no tratamento, bem como a identificação de infecções causadas por bactérias resistentes aos antimicrobianos, daí a relevância da instituição no que diz respeito à assistência médica.

No último ano, o Ministério da Saúde (MS) em conjunto com a SES vem concentrando esforços na implantação de técnicas imunológicas e de Biologia Molecular a fim de atender as demandas do diagnóstico de doenças emergentes e reemergentes, como a febre pelo zika vírus e chikungunya, a dengue e a tuberculose.

O Lacen é o único laboratório no estado catarinense que realiza o teste de resistência às drogas utilizadas no tratamento da Tuberculose, genogrupagem da Neisseriameningitidis, microaglutinação para Leptospirose, RT-qPCR para identificação de Zika vírus, vírus da Chikungunya e da Dengue, RT-PCR para identificação de Influenza A H1N1, H3N2, Influenza B, Metapneumovírus humano, Parainfluenzaetipos 1, 2, e 3, Vírus Sincicial Respiratório e Adenovírus, RT-PCR triplex para o diagnóstico das meningites bacterianas, sorologia para Hantavírus, diagnóstico de Chagas Agudo, identificação de micobactérias não tuberculosas (MNT), identificação de protozoários do gênero Leismania, dentre outros.

Na área de Análise de Produtos e Meio Ambiente, suas atividades concentram-se na realização de análises de alimentos, água, medicamentos e saneantes, atendendo a programas nacionais e estaduais de monitoramento. O objetivo é fornecer resultados analíticos que permitem avaliar o perfil de diversas categorias de produtos nacionais e regionais, identificar os setores produtivos que necessitam de intervenção institucional, a fim de garantir a melhoria da qualidade sanitária dos produtos (especialmente para consumo humano) comercializados no país.

Como exemplo dos programas atendidos pelo Lacen estão a Avaliação do Teor Nutricional dos alimentos processados, Monitoramento de Aditivos e Contaminantes, de Água para Diálise, da Qualidade do Leite, de Vegetais minimamente processados, da Qualidade dos Medicamentos e da Água para consumo humano, Amostras ambientais (pesquisa de Vibriocholerae), da Qualidade Sanitária dos Alimentos, de Prevenção e Controle dos Distúrbio por Iodo, bem como a Avaliação dos produtos oriundos dos portos de SC.

O Lacen coordena tecnicamente mais seis laboratórios regionais de pequeno e médio porte, localizados em Chapecó, São Miguel do Oeste, Joaçaba, Joinville, Criciúma e Tubarão. Eles realizam análises de média complexidade para os municípios localizados no âmbito de sua abrangência geográfica. Para que toda esta estrutura funcione, o Lacen conta com uma Gerência Administrativa que fornece todo o apoio logístico para o amplo funcionamento do laboratório.

Além dos investimentos nas áreas de Biologia Médica e de Análise de Produtos e Meio Ambiente, a Direção do Lacen vem investindo continuamente em capacitações na área de Gestão da Qualidade e de Biossegurança. A intenção é promover um ambiente de trabalho seguro para os seus colaboradores e fornecer um atendimento de excelência aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) em Santa Catarina.

Mais informações para a imprensa:
Suelen Costa
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Saúde - SES
Fone: (48) 3664-8820 / 99113-6065
E-mail: imprensa@saude.sc.gov.br
Site: portalses.saude.sc.gov.br

Página 241 de 321