Encontre serviços oferecidos pelo Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Serviços em destaque

Vídeos

Com a Palavra, o Governador - 16 de fevereiro de 2018

Com a Palavra, o Governador - 16 de fevereiro de 2018

O Governador Raimundo Colombo fala sobre sua licença, o período de transição que se aproxima e um análise geral sobre o estado e o governo

Oportunidades

Próximos eventos


Foto de arquivo: James Tavares / Secom

No próximo sábado, 13, Dia D da 19ª edição da Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza, os postos de saúde da rede pública de Santa Catarina estarão abertos das 8h às 17h, para atender e imunizar a população. A expectativa é ampliar a cobertura em todos os grupos prioritários, que somam 1,8 milhão de pessoas no estado.

“Até agora, o índice alcançado nos grupos prioritários chegou a 51,8%. E a meta é atingir e ultrapassar os 90% de cobertura na população-alvo até o encerramento da campanha, no dia 26 de Maio”, informa a gerente de Imunização da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (DIVE) da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Vanessa Vieira da Silva.

A campanha de vacinação contra a Influenza tem como objetivo reduzir as complicações, internações e a mortalidade decorrentes das infecções pelo vírus da Influenza na população alvo para a vacinação, que é composta pelos seguintes grupos: crianças de seis meses até menores de cinco anos, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), idosos (acima de 60 anos de idade), trabalhadores de saúde, professores da rede pública e privada, indígenas, população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional, além dos portadores de doenças crônicas não transmissíveis ou condições clínicas especiais. A vacina é oferecida gratuitamente na rede pública de saúde para as pessoas pertencentes aos grupos prioritários, e a relação completa das salas de vacina do estado está disponível em www.gripe.sc.gov.br.

As pessoas que pertencem a um destes grupos devem comparecer ao posto de preferencialmente portando sua carteirinha de vacinação. Os portadores de doenças crônicas não transmissíveis devem apresentar prescrição médica com indicação da vacina contra Influenza. Caso sejam cadastrados em programas de controle das doenças crônicas do SUS podem se dirigir aos postos em que estão registrados para receber a vacina sem a necessidade da prescrição. Já os professores devem apresentar comprovante de vínculo com uma instituição de ensino e os trabalhadores de saúde precisam levar a carteira de identificação profissional.

De acordo com o balanço parcial do Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunização (SIPNI) em Santa Catarina, a Regional de Saúde de Concórdia se destacou vacinando 70,28% do público alvo, seguida da Regional de Braço do Norte, com 68,15% de cobertura. Já as regionais de Lages (40,19%) e Itajaí (45%) registram a menor cobertura vacinal até o momento.

O balanço parcial da vacinação aponta que 944.240 pessoas já se imunizaramcontra a gripe em Santa Catarina. A cobertura nos grupos prioritários é de 51,8%, sendo a maior entre os idosos (69,3%), e a menor entre as crianças (32,8%) (Tabela 1).  

Tabela 1: Doses aplicadas, população alvo e cobertura vacinal nos grupos prioritários da 19ª campanha nacional de vacinação contra influenza. SC, 2017.

Grupos

Doses aplicadas

Pop. Alvo

Cobertura (%)

Crianças

125.845

384.259

32,8

Trab saúde

45.682

123.865

36,9

Gestantes

26.911

69.968

38,5

Puérperas

6.528

11.422

57,2

Indígenas

4.159

9.165

45,4

Idosos

464.405

670.028

69,3

Professores

31.870

94.362

33,8

Total

705.400

1.363.069

51,8

Fonte: SIPNI/MS (atualizado as 01:26 do dia 11/05/2017)

 

Além destes grupos, um total 238.240 pessoas já foram vacinadas, das quais 233.366 pertenciam ao grupo de pessoas portadoras de comorbidades. Considerando que a estimativa é de vacinar 470.671 pessoas com comorbidades, até o momento pouco menos da metade das pessoas portadoras de doenças crônicas ou outras condições especiais se vacinaram.

Este grupo inclui portadores de doenças respiratórias, cardíacas, renais, hepáticas e neurológicas crônicas, além de diabéticos, imunossuprimidos, obesos mórbidos, transplantados e portadores de trissomias. “As pessoas que apresentam estas condições de saúde devem se vacinar com urgência, pois existe um risco maior de desenvolver a forma grave da gripe caso seja exposto ao vírus Influenza”, observa o secretário de Estado da Saúde, Vicente Caropreso.

Além disso, o secretário demonstra preocupação com as baixas coberturas, especialmente em crianças e gestantes, que também são grupos extremamente vulneráveis. Para isso, o Dia D de vacinação contra a gripe representa uma excelente oportunidade para todos aqueles que ainda não se vacinaram. “Já existem registro de casos graves de gripe com hospitalizações e óbitos no estado, o que demonstra que o vírus Influenza está circulando entre os catarinenses. Portanto, buscar imunizar os grupos mais vulneráveis deve ser uma prioridade para todos”, alerta Caropreso.

A gripe em SC

De acordo com o Informe Epidemiológico n°. 7/2017- Vigilância da Influenza, divulgado nesta quinta-feira pela DIVE, de 01 de janeiro a 06 de maio deste ano, 52 pessoas foram hospitalizadas por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) pelo vírus Influenza em Santa Catarina. Deste total, 46 (88,5 %) foi pelo vírus Influenza A(H3N2), três (5,8%) pelo vírus Influenza B, um (1,9%) pelo vírus Influenza A(H1N1)pdm09 e dois pelo vírus influenza A que ainda aguardam subtipagem.

A maioria das hospitalizações por gripe acometeram pessoas que apresentam fatores de risco para complicações (65%), em especial idosos e portadores de doenças crônicas. Também foram identificados oito óbitos de SRAG por Influenza, sendo que seis (75%) apresentavam algum fator de risco, além de todos terem demorado o início do tratamento adequado. “Isto demonstra tanto a importância da vacinação dos grupos mais vulneráveis, bem como a necessidade de buscar uma unidade de saúde o mais rápido possível para iniciar o tratamento assim que surgirem os primeiros sintomas de gripe”, afirma o diretor da DIVE, Eduardo Macário.

É importante que as pessoas fiquem atentas aos sinais e sintomas de síndrome gripal. Ao apresentar febre, tosse, falta de ar e, pelo menos, mais um dos sintomas – dores musculares, dor de cabeça e dor nas articulações –, deve-se procurar uma unidade de saúde preferencialmente em até 48 horas para início do tratamento adequado. A quem estiver doente, recomenda-se, ainda, beber bastante líquido, ter uma alimentação saudável, evitar sair de casa e cobrir a boca e o nariz com um lenço descartável ou com o antebraço ao tossir e espirrar. “Essas medidas são fundamentais para reduzir a circulação do vírus da gripe”, reforça Macário.

Prevenção

Para prevenirem-se contra o vírus da gripe, as pessoas devem lavar as mãos frequentemente ou fazer uso do álcool gel, e evitar tocar o rosto com as mãos. “Isso porque o vírus influenza é transmitido a partir das secreções respiratórias, podendo também sobreviver algumas horas em diversas superfícies, de madeira, aço e tecidos. A partir do contato com um doente ou uma superfície contaminada, o vírus pode penetrar pelas vias respiratórias, causando lesões pulmonares, que podem ser graves e até fatais, se não tratadas a tempo”, explica a gerente Vanessa Vieira da Silva. Segundo ela, outra medida importante para reduzir a circulação do vírus da gripe é manter os ambientes ventilados e evitar permanecer em locais onde haja aglomeração de pessoas.

Informações adicionais:
Letícia Wilson / Patrícia Pozzo
Núcleo de Comunicação
Diretoria de Vigilância Epidemiológica
Secretaria de Estado da Saúde
(48) 3664-7406
(48) 3664-7402
www.dive.sc.gov.br 

 



Estão abertas as inscrições para o seminário Geração Distribuída de Energia Elétrica: Cenários e Oportunidades, que será realizado dia 26 de maio, das 8h às 17h30, na Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc). Promovido em parceria com a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDS), por meio do programa SC+Energia, e Associação dos Produtores de Energia de Santa Catarina (Apesc), o objetivo é apresentar as vantagens e as oportunidades dentro de um novo modelo de geração do setor, bem como o potencial da indústria catarinense. As vagas são limitadas e gratuitas neste link.

“Vamos completar dois anos do SC+Energia em junho e os resultados estão acima do que esperávamos inicialmente. Temos cerca de 90 projetos cadastrados, de fontes limpas e renováveis, que vão ampliar a geração de energia em nosso Estado, trazendo mais desenvolvimento e gerando mais empregos”, salientou o secretário da SDS, Carlos Chiodini.

No evento, serão apresentadas as ações do SC+Energia, além de palestras do Ministério de Minas e Energia, da Agência Nacional de Energia Elétrica, entre outras iniciativas do setor público e privado. O seminário conta com patrocínio do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Santa Catarina (Sebrae/SC), Centrais Elétricas de Santa Catarina (Celesc), Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), Engie, WEG, Agência de Fomento de Santa Catarina (Badesc), Enebras, Estelar, Erzeg e Rotária do Brasil.

Informações adicionais para a imprensa
Michelle Nunes - Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável - SDS
E-mail: jornalistaminunes@gmail.com
Fone: (48) 3665-2261 / 99929-4998
Site: www.sds.sc.gov.br


Foto: Marco Vasques / FCC

Santa Catarina é o Estado do Sul do Brasil com o maior número de municípios já integrados ao Sistema Nacional de Cultura (SNC), abrangendo 66%. Outros 17% já contam com suas legislações implantadas, contemplando sistemas e planos municipais, além dos respectivos conselhos de política cultural. A criação do Sistema e do Plano Estadual de Cultura será o próximo passo, conforme adiantou o presidente da Fundação Catarinense de Cultura (FCC), Rodolfo Joaquim Pinto da Luz. A proposta que contempla Sistema, Plano e Conselho Estadual de Cultura foi apresentada durante a abertura do VII Fórum Catarinense de Gestores Municipais de Cultura, na quarta-feira, 10, em Treze Tílias.

A regulamentação destas instâncias no âmbito estadual vem sendo debatida desde 2011, se consolidando em um projeto de lei de autoria do Governo do Estado a ser encaminhado ainda neste ano para a Assembleia Legislativa. Pela proposta caberá à Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte (SOL) e à FCC a coordenação do Sistema e do Plano que terão como finalidade o planejamento e a implementação de políticas culturais, reunindo um conjunto de diretrizes, estratégias, ações e metas, além de uma nova legislação de incentivo à cultura em âmbito estadual. “Ele permitirá que o Estado, União e os municípios trabalhem de forma articulada programas, projetos e ações de incentivos às manifestações artísticas”, disse o presidente da FCC.

Rodolfo lembra que a elaboração dos planos de cultura é de responsabilidade do órgão gestor da política cultural. “Por isso é fundamental estimular essas articulações nos municípios, porque é neles que o fenômeno da cultura acontece na sua plenitude”, ressaltou.

O Fórum Catarinense de Gestores Municipais de Cultura é uma promoção da Federação Catarinense dos Municípios e vai até sexta-feira, 12, com debates, oficinas e palestras, reunindo dirigentes, prefeitos, vereadores, secretários de Estados e representantes do Ministério da Cultura. Na ocasião, a FCC também divulgou o projeto Calendário SC, uma plataforma de cadastramento de eventos culturais e artísticos para todo o Estado. Por meio de um formulário no site da Fundação é possível cadastrar o evento, com informações sobre o período de realização, local e quem promove. A proposta é dar visibilidade a estas ações de com um mapa aberto e auxiliar na construção de ações integradas com a própria FCC.

Informações adicionais para imprensa
Marcos Espíndola
Assessoria de Comunicação Fundação Catarinense de Cultura
Telefone: (48) 3664-2572
E-mail: imprensa@fcc.sc.gov.br
Site: www.fcc.sc.gov.br 
Twitter: www.twitter.com/fccoficial  
Facebook: www.facebook.com/FundacaoCatarinensedeCultura 


Foto: Divulgação / Deinfra 

O presidente do Departamento Estadual de Infraestrutura, Wanderley Agostini, assinou, nesta quarta-feira, 10, a ordem de serviço que autoriza o 1° Batalhão Ferroviário do Exército a dar continuidade nas obras na rodovia SC-114, Caminhos da Neve, no trecho que liga São Joaquim à divisa com o Estado do Rio Grande do Sul.

O Governo de Santa Catarina investiu mais de R$ 9 milhões na pavimentação, terraplenagem, drenagem e outras obras complementares. Com 5 quilômetros de extensão, esta obra trará mais segurança e conforto a todos os motoristas que utilizam a rodovia diariamente.

Informações adicionais para a imprensa:

Assessoria de comunicação do Deinfra
(48) 3251-3037 
rguidalli@yahoo.com.br





Foto: Divulgação

A segunda edição da Sessão Cinemática, produzida pela Cinemateca Catarinense em parceria com o Museu da Imagem e do Som (MIS/SC) e a Fundação Catarinense de Cultura (FCC), terá a exibição do documentário Junho - o mês que abalou o Brasil, dirigido pelo fotojornalista João Wainer, e debate na sequência. O evento será no dia 17 de maio, às 19h20, com entrada gratuita no Cinema do Centro Integrado de Cultura (CIC), em Florianópolis.

O filme, produzido pelo jornal Folha de S. Paulo, retrata as manifestações que eclodiram na cidade de São Paulo em 2013 com o aumento das passagens de ônibus, repercutindo nas ruas de todo o país. Com imagens da equipe da TV Folha, o documentário ganhou o prêmio Esso de Melhor contribuição ao telejornalismo, e traz entrevistas com articulistas Demétrio Magnoli, Vladimir Sefatle, Luiz Felipe Pondé, Leonardo Sakamoto e Juca Kfouri e nomes como Bruno Torturra, da Mídia Ninja, a militante e socióloga Elena Judensnaider e da jornalista da Folha Giuliana Vallone, cuja imagem do tiro de bala de borracha no olho se tornou icônica da cobertura das manifestações.

O papel da polícia e a repressão violenta será tema do debate que ocorre após a projeção, com as convidadas Marta Machado, do curso de Cinema da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC); Elenira Vilela, professora do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC); e Elaine Sallas, mestranda em Artes Cênicas da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). A mediação é de Cristine Larissa Clasen, diretora de comunicação da Cinemateca Catarinense.

A distribuidora O2 Play autoriza gentilmente os direitos de exibição do filme.

Ficha técnica do filme

Junho - O mês que abalou o Brasil
Direção: João Wainer
Ano: 2014
Produção: TV Folha
Distribuição: O2 Play
Duração: 72 min
Classificação: 12 anos

Cinemática

O evento produzido pela Cinemateca Catarinense tem curadoria de Pedro MC e todos os meses contará com projeção de filmes com formatos diversos, entre curtas, longas e videoarte. Segundo o curador, os temas escolhidos são emergentes e "transbordantes", com a proposta de compartilhar com o público filmes que dialoguem com temas atuais. Estreias de filmes relacionados a Santa Catarina também estarão na programação.

Na primeira edição, no dia 12 de abril, foram exibidos os curtas Heaven, S, O Novo Monumento e Modern, de Luiz Roque. As próximas edições estão previstas para os dias 14 de junho, 12 de julho, 16 de agosto, 13 de setembro, 18 de outubro, 15 de novembro e 13 de dezembro. A cada sessão será promovido debate com convidados.

Serviço

O quê: Sessão Cinemática - Documentário Junho, de João Wainer
Quando: 17 de maio (quarta-feira), às 19h20min
Onde: Sala de Cinema do Centro Integrado de Cultura (CIC)
Av. Gov. Irineu Bornhausen, 5600 - Agronômica - Florianópolis (SC)
Entrada gratuita
Contato: cinemateca.sc@gmail.com / (48) 9 8866-6012 / (48) 3664-2650
Evento no Facebook: https://www.facebook.com/events/121396698428171/

Informações adicionais para imprensa
Fernanda Peres
Assessoria de Comunicação Fundação Catarinense de Cultura
Telefone: (48) 3664-2571
E-mail: imprensa@fcc.sc.gov.br
Site: www.fcc.sc.gov.br 
Twitter: www.twitter.com/fccoficial  
Facebook: www.facebook.com/FundacaoCatarinensedeCultura  

Página 242 de 264