Encontre serviços oferecidos pelo Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Serviços em destaque

Vídeos

Com a Palavra, o Governador - 13 de outubro de 2017

Com a Palavra, o Governador - 13 de outubro de 2017

No programa "Com a Palavra, o Governador", Raimundo Colombo fala sobre a entrega da SC-157 no Oeste do estado, do primeiro mês da nova rota internacional no Porto de Imbituba, da operação de transferência de carga da Ponte Hercílio Luz e sobre a Jucesc Digital.


Oportunidades

Próximos eventos


Fotos: Helena Marquardt/ADR Ibirama

Os alunos da Escola de Educação Básica Lindo Sardagna, de Dona Emma, transformaram um velho muro em uma verdadeira obra de arte que agora serve de inspiração para moradores da cidade.

No muro, completamente pintado pelos estudantes, é possível admirar desenhos coloridos e até frases sobre igualdade e a importância da leitura. A iniciativa do projeto partiu da professora de Arte, Marizete de Morasi Campos Rizzieri, que conta que a ideia foi totalmente apoiada pela direção, professores de todas as disciplinas e até comunidade. “Nosso objetivo era viabilizar um olhar diferente do aluno e da comunidade. O muro já estava desbotado e queríamos revitalizar esse olhar.”

Mas a pintura não foi só diversão. Para chegar ao resultado final os estudantes aprenderam mais sobre cores, formas e movimentos artísticos de cada época. Os temas também foram trabalhados e discutidos. Divididos em grupos os alunos  ainda fizeram um esboço em papel daquilo que gostariam de pintar no muro e só depois de todas essas etapas eles foram liberados para mostrar toda a sua criatividade da entrada da escola. “Percebemos que hoje se sentem orgulhosos do trabalho que realizaram, que passam a se rever de outro jeito  como cidadãos e enxergar novas oportunidades”, comenta a professora.

A aluna Carolaine Lieck, do segundo ano, que foi uma das que participou do projeto conta que seu grupo pintou uma menina sentada próxima a livros e gostou da experiência. “Pudemos mostrar todo o nosso empenho e trabalho e temos muito que agradecer aos professores por nos proporcionarem essa experiência”, afirma.

Alunos de escola estadual de Dona Emma transformam muro em arte

O assessor de direção, professor Adilson Stenghen, ressalta que todos se envolveram e a comunidade vem elogiando o projeto. “Procuramos colaborar em tudo que foi possível e o resultado final ficou maravilhoso, com quem conversamos na rua, as pessoas vem falar desse trabalho”, finalizou. 

Mais informações para a imprensa:
Helena Marquardt
Assessoria de comunicação 
ADR Ibirama
Fone (47) 3357-8908 / (47) 98819-9350
E-mail: imprensa@iir.adr.sc.gov.br
Site: sc.gov.br/regionais/ibirama
Facebook: www.facebook.com/regional.ibirama

O novo bloco do Hospital Regional do Oeste (HRO) em Chapecó está com a obra física 98% concluída e já começa a receber o mobiliário. Nesta quarta-feira, 20, foi descarregada a primeira carga de módulos especiais em MDF, devidamente preparadas para o ambiente hospitalar, cerca de 8,5 toneladas. A montagem inicia pelo sétimo andar - destinado à oncologia. A estimativa é que até a primeira quinzena de dezembro seja finalizada a instalação em todo o prédio. O investimento do Governo do Estado no mobiliário é de aproximadamente R$ 1,5 milhão, com recursos via Badesc.

A expectativa é que os módulos sejam transportados em nove cargas, no total serão 55 toneladas. A montagem em cada andar deve levar até 10 dias. A empresa vencedora da licitação é a Bentec, de Joaçaba, com polo industrial em Bento Gonçalves.

O bloco cirúrgico terá cortinas de ar no campo cirúrgico, que garantem a purificação do ambiente e segurança do paciente. Este é um sistema adotado em grandes hospitais de referência em alta complexidade.

A secretária executiva da Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) Chapecó, Astrit Savaris Tozzo, avalia que a obra trará muitos benefícios com atendimento na alta complexidade. “É um hospital moderno, com muita qualidade, trazendo mais segurança para os usuários”, destaca.

Chapecó - Novo bloco do Hospital Regional do Oeste recebe primeira parte dos mobiliários

A obra

O Governo do Estado já garantiu o investimento de aproximadamente R$ 40 milhões, sendo cerca de R$ 28,2 milhões na obra física, R$ 1,5 milhão no mobiliário e R$ 9,2 milhões em equipamentos nacionais – em fase de convênio. 

Segundo o presidente da diretoria executiva da Associação Hospitalar Lenoir Vargas Ferreira, Severino Teixeira da Silva Filho, este investimento fará uma grande diferença para toda a população regional, com aumento na capacidade de atendimento em até 60%. “Com esta nova obra vamos poder fazer muito mais em várias áreas onde há necessidade, em que hoje os pacientes têm que buscar esta solução em outras cidades e regiões”, destaca.

De acordo com o Plano de Trabalho, a obra física compreende a construção do novo bloco, implantação do preventivo de incêndio e urbanismo da rua Florianópolis. A construção do novo bloco foi concluída, os sistemas de climatização estão em fase final de testes. A implantação do preventivo de incêndio que liga a ala nova a antiga do hospital está com processo para licitação em tramitação, compreende duas passarelas, hall de escada e sistema preventivo de incêndio.

A nova ala tem nove andares, irá aumentar a capacidade de atendimento com mais 156 novos leitos. O HRO contará com novos leitos para UTI Geral, UTI pediátrica, para o setor de coronária, salas cirúrgicas, leitos para tratamento intensivo de alta complexidade, para oncologia de longa duração, leitos para quimioterapia de curta duração e para recuperação pós-cirúrgica.

Mais informações para a imprensa:
Andréia Cristina Oliveira
Assessoria de Comunicação
Agência de Desenvolvimento Regional de Chapecó
Fone: (49) 2049-7427 / 99938-6966
E-mail: imprensasdrcco@gmail.com
Site: sc.gov.br/regionais/chapeco



A soja invade o meio rural catarinense e avança nas áreas antes destinadas ao plantio de milho. O crescimento das lavouras de soja chega a uma média de 6% ao ano e na safra 2017/18 deve chegar a 706 mil hectares plantados – mais do que o dobro da área destinada ao milho grão, por exemplo. Os números foram apresentados pela Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca nesta quarta-feira, 20, e fazem parte das estimativas iniciais de safra elaboradas pelo Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola (Epagri/Cepa).

Os agricultores catarinenses devem destinar 318 mil hectares ao plantio de milho grão – 12% a menos do que na última safa. Por conta disso, a produção também ficará menor, em torno de 2,6 milhões de toneladas – 16,5% menor do que na safra 2016/17. Essa tendência é observada também nos outros estados do Sul: o Paraná já anuncia uma diminuição de 33% na área cultivada de milho e o Rio Grande do Sul espera 23% de queda.

A redução na colheita tem impacto direto no setor produtivo de carnes em Santa Catarina. Como maior produtor nacional de suínos e segundo maior produtor de aves, o estado consome em média seis milhões de toneladas de milho todos os anos. “Nós temos que pensar em alternativas para atender a demanda da cadeia produtiva de carnes. Encontrar rotas alternativas para que o milho chegue com um preço mais competitivo em Santa Catarina”, ressalta o secretário da Agricultura e da Pesca, Moacir Sopelsa

Entre os motivos que fazem os agricultores abandonarem o cultivo de milho grão estão os altos custos de produção e o preço abaixo do esperado na última safra, fatores que tornaram a soja mais atrativa. “Isso não é uma surpresa. Os agricultores também fazem suas contas e optam pelo que é mais rentável. Como o milho estava com um preço menor este ano, os produtores escolheram plantar soja”, explica Sopelsa.

A soja ganha cada vez mais espaço em Santa Catarina. Em média a área destinada ao grão aumenta 6% todos os anos e já chega a 706 mil hectares na safra 2017/18. A produção também deve ser ampliada e chegar a 2,5 milhões de toneladas – ficando bem perto da produção de milho – e superando o recorde atingido na última safra. Hoje em Santa Catarina as maiores áreas destinadas ao plantio de soja estão em Campos Novos, Abelardo Luz e Mafra.

Milho Silagem

O milho destinado à produção de silagem, utilizado na alimentação de bovinos de corte e leite, também vem numa crescente em Santa Catarina. Na próxima safra é esperada uma colheita de 9,6 milhões de toneladas de massa verde em 226 hectares plantados. Com destaque para as regiões de Chapecó e São Miguel do Oeste, que juntas respondem por 48% da área plantada de milho silagem do Estado - explicado pela grande produção leiteira.

O aumento na produção de milho silagem é impactado também pelo Programa Terra-Boa, da Secretaria da Agricultura. Boa parte das sementes de milho disponibilizadas é utilizada para produção de silagem. Só este ano serão 220 mil sacas de sementes de milho liberadas pelo Programa.

Arroz Irrigado

A área plantada de arroz irrigado deve ser muito próxima do que aconteceu na última safra. Serão 148 mil hectares destinados ao cultivo do grão. Os agricultores ainda estão em ritmo de preparo de solo para semeadura, com algumas áreas mais adiantadas como no Litoral Norte. A safra deve girar em torno de 1,1 milhão de toneladas de arroz.

Feijão 1ª safra

A área plantada no Estado com feijão 1ª safra terá um pequeno aumento de 2% e deve fechar em 46 mil hectares, com 96 mil toneladas colhidas. Os principais municípios produtores são Campos Novos, Abelardo Luz e São José do Cerrito.


Informações adicionais para a imprensa:
Ana Ceron
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca
imprensa@agricultura.sc.gov.br
Fone: (48)-3664-4417/ (48) 98843-4996
Site: www.agricultura.sc.gov.br
www.facebook.com/AgriculturaePescaSC/


Foto: Epagri / Divulgação

A Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri) promove nesta sexta-feira, 22, o 5º Seminário Regional da Bananicultura, em Massaranduba. A qualidade do solo dos bananais e a organização e a sustentabilidade econômica da atividade serão discutidos com produtores e técnicos no salão de festas da Igreja São João Bosco, das 9h às 16h.

Será lançado o boletim “Banana, recomendações técnicas para o cultivo no litoral norte de Santa Catarina”. Também está prevista saída em campo e palestras. O evento conta com apoio da Prefeitura de Massaranduba, da Associação dos Produtores de Banana (Aprobam) e Cooperativa dos Agricultores Familiares (Cooperbam).

Joinville - Maior produtora de banana do Estado, região Norte recebe seminário sobre cultivo da fruta

Na região Norte, a cadeia produtiva da bananicultura é formada por 1.758 famílias dos municípios de Araquari, Barra Velha, Corupá, Garuva, Guaramirim, Jaraguá do Sul, Joinville, Massaranduba, São Francisco do Sul, São João do Itaperiú e Schroeder. O município com maior produção é Corupá. A safra de 2016 movimentou mais de R$ 270 milhões nas 11 cidades.

O valor bruto gerado pela produção deste setor é de 74,6% do total catarinense, já que a região Norte é a maior produtora de banana de Santa Catarina. Atualmente, é responsável por 58% da produção estadual, tendo como mais comercializadas a Caturra e a Prata 85% e 15%, respectivamente.

De acordo com o engenheiro agrônomo e gerente regional da Epagri de Itajaí Ricardo José de Negreiros, a previsão é que a safra de 2017 supere a produção de 430 mil toneladas no ano passado. “A razão do prognóstico é que as condições climáticas ajudaram no plantio este ano, com chuvas bem distribuídas e um inverno mais ameno.”

Programação

9h30: Abertura

9h45: Como manter e melhorar a qualidade dos solos dos bananais? – Rafael Ricardo Cantú, com engenheiro agrônomo da Epagri e doutor em fertilidade do solo;

10h45: Organização e Sustentabilidade Econômica da Bananicultura no Norte Catarinense, com Eliane Cristina Muller, diretora da Asbanco;

11h40: Lançamento do boletim técnico Banana – Recomendações técnicas para o cultivo no litoral norte de Santa Catarina;

13h30: Saída a campo.

Informações adicionais para a imprensa:
Ana Paula Keller
Assessoria de imprensa
Agência de Desenvolvimento Regional de Joinville
E-mail: anakeller@jve.adr.sc.gov.br / imprensa@jve.adr.sc.gov.br
Telefone: (47) 3461-1225 / 99240-8064
Site: sc.gov.br/regionais/joinville


Fotos: Julio Cavalheiro/Secom

Líder entre os estados brasileiros na doação de órgãos, Santa Catarina consolidou um sistema de transplantes que é referência também internacional. Dados deste ano, consolidados até julho, revelam que o índice catarinense de doadores de múltiplos órgãos por milhão de população (pmp) é de 36,8, mais do que o dobro da média nacional, que é de 14,6.

>>> Galeria de fotos

O bom desempenho catarinense supera até mesmo o modelo espanhol, que serviu de inspiração para o sistema implantado em Santa Catarina. Na Espanha, as doações envolvem casos de mortes encefálicas e de mortes ocorridas a partir de paradas cardiorrespiratórias. Em SC, são abordados exclusivamente casos de mortes encefálicas.

“Em 2016, Santa Catarina superou inclusive o desempenho da própria Espanha, quando comparadas apenas as doações efetivadas a partir de mortes encefálicas. Se fosse um país, Santa Catarina estaria entre os maiores do mundo”, avalia o coordenador da SC Transplantes, Joel de Andrade. 

Em agosto e setembro, os resultados de captação continuam em crescimento. No período de 11 a 15 de setembro, a SC Transplantes obteve a captação de 45 órgãos no território catarinense. Nos cinco dias, foram registradas 19 notificações de óbito, resultando em 15 doadores. O coordenador Andrade considera o resultado inédito no estado. “Em menos de uma semana conseguimos captar 27 rins, 12 fígados, três corações, dois pâncreas e um pulmão”, destaca.

A SC Transplantes, vinculada à Secretaria de Estado da Saúde, é quem administra o sistema catarinense. A equipe fixa é enxuta, composta por 24 profissionais, entre médicos, enfermeiros e administradores, além de 11 estudantes, sendo nove de Medicina e dois de Administração. Mas Andrade explica que um dos principais motivos do sucesso do sistema foi justamente a organização de uma rede de colaboradores dentro de todos os hospitais catarinenses, ampliando o alcance. “Adotamos algumas medidas inspiradas na Espanha a partir de 2008. Entre as novas ações, passamos a contar com um coordenador de transplante em cada hospital do estado. Trata-se de uma pessoa que concilia a função executada dentro do hospital com o trabalho de captação junto às famílias”, explica.

Ao mesmo tempo, o Governo do Estado passou a oferecer um programa educacional para diferentes profissionais dos hospitais, que consiste em treinamento para identificação de potenciais doadores e abordagem junto às famílias. Hoje, são cerca de 800 profissionais atuando em todos os hospitais do estado, públicos e particulares, que já receberam esse tipo de treinamento. “São enfermeiros ou atendentes de UTI, por exemplo. E os resultados do respeito, da educação e de todo o cuidado no relacionamento com as famílias refletiram-se em um aumento expressivo das doações”, destaca. Em 2007, a média era de 70% de negativas nas entrevistas para doação. Em 2017, está em 30%;

A rede catarinense atualmente trabalha com transplantes de órgãos como coração, fígado, rim, córneas e medula óssea, além de fazer transplante de pele e enxerto ósseo.

>>> Conheça mais sobre a rede no site da SC Transplantes

Para atendimento no tempo necessário nas diferentes regiões do estado, o coordenador Andrade destaca a importância da parceria com corporações como a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros, que oferecem apoio com suas aeronaves.

Andrade ressalta também a importância solidariedade das famílias ao transformarem um momento de perda em uma oportunidade para salvar vidas. E reforça a orientação para quem deseja ser doador: “A única forma legal de ser doador de órgãos é conversar com a sua família e manifestar esse desejo. Quando essa vontade fica clara, a família respeita e acata a decisão caso a pessoa venha a ser um potencial doador”.

O coordenador lembra que anualmente, sempre em setembro, o Ministério da Saúde realiza a Campanha Nacional de Doação de Órgãos, com base na Lei Federal 15.463, que criou o “Setembro Verde”, fazendo referência à cor do laço que é símbolo mundial da doação de órgãos e tecidos para transplantes.

Números da SC Transplantes

Total de pacientes em lista de espera
Dez/2012 – 1.401
Dez/2013 – 1.206
Dez/2014 – 850
Dez/2015 – 637
Dez/2016 – 535

Doadores efetivos de múltiplos órgãos (morte encefálica)

2012 – 165
2013 – 170
2014 – 202
2015 – 203
2016 – 251

Informações adicionais para a imprensa:
Alexandre Lenzi
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: lenzi@secom.sc.gov.br
Telefone: (48) 3665-3018 / 98843-4350
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC

Página 27 de 168