Encontre serviços oferecidos pelo Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Serviços em destaque

Vídeos

Medalha Zilda Arns

Medalha Zilda Arns

A medalha Zilda Arns é uma justa homenagem a quem dedica a vida para fazer o bem às pessoas. Nesta semana, o governador Eduardo Pinho Moreira entregou o título ao médium Divaldo Pereira Franco. Homem que desenvolveu um belíssimo trabalho caritativo, fruto da vontade de servir o próximo.

Oportunidades

Próximos eventos


Foto: Nicole Barbieri / Cidasc

Santa Catarina se prepara para exportar leite. Com uma produção que aumenta num ritmo de 6% ao ano, o Estado quer agora conquistar o mercado externo. Para que o leite catarinense seja capaz de suprir o mercado internacional, o setor tem grandes desafios, passando pela redução de custos e organização logística da cadeia produtiva.

O leite é a atividade agropecuária que mais cresce em Santa Catarina. Envolvendo 45 mil produtores em todo o Estado, a produção girou em torno de 3,4 bilhões de litros em 2017 – um incremento de 8% em relação a ano anterior. O secretário da Agricultura e da Pesca, Moacir Sopelsa, ressalta que em Santa Catarina a produção de leite está concentrada, principalmente, nas pequenas propriedades de agricultores familiares e representa uma importante fonte de renda no meio rural.

“O setor leiteiro é um grande destaque de Santa Catarina e vem passando por grandes transformações, com o investimento em pastagens, tecnologias e genética. Ainda temos muitos desafios pela frente e um deles é tornar nosso leite competitivo para exportação”.

Para que o leite produzido no Estado chegue ao mercado internacional há uma série de obstáculos a serem vencidos. Entre eles, melhorar a qualidade do leite, principalmente, o teor de sólidos; eliminar doenças do rebanho como a brucelose e tuberculose; aumentar a eficiência da produção e reduzir os custos.

Segundo o secretário adjunto da Agricultura e da Pesca, Airton Spies, o leite representa uma grande oportunidade para a agricultura familiar do Sul do Brasil e o setor deve se equiparar com os líderes mundiais de produção. “Aqui temos muitas vantagens comparativas que podem ser transformadas em vantagens competitivas. Temos mais sol, mais chuva, solos férteis e um clima favorável para ocorrer fotossíntese e produzir biomassa, que é o alimento básico das vacas durante os 12 meses do ano. Além disso, temos ainda a valorosa capacidade de trabalho dos agricultores familiares, que já têm muita tradição e habilidades na lida com os animais”.

Apoio do Governo do Estado

O Governo do Estado, através da Secretaria da Agricultura e da Pesca, é um grande parceiro dos produtores rurais catarinenses, desenvolvendo programas que incentivam os investimentos e melhorias na produção.

Com o programa Terra-Boa, os agricultores familiares podem adquirir calcário e sementes de milho de alto potencial produtivo para produzir silagem e alimentação para o gado leiteiro. E ainda têm acesso ao Kit Forrageira, que permite implementar um hectare de pastagem com a orientação técnica e o manejo correto. Tudo isso com o apoio financeiro do Governo do Estado.

Há ainda linhas de financiamento para aquisição de novilhas em feiras agropecuárias e investimentos em infraestrutura nas propriedades rurais.

A sanidade agropecuária é outra preocupação constante. No Estado, as fronteira são protegidas para manter o rebanho livre de doenças. Os proprietários que possuem animais acometidos de brucelose ou tuberculose, e que precisam ser abatidos sanitariamente, são indenizados pelo Fundo Estadual de Sanidade Animal.

Leite no Sul do Brasil

Os três estados do Sul – Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul – devem se tornar um grande pólo produtor de leite. As estimativas são de que até 2025 a região produza mais da metade de todo leite brasileiro.

É também no Sul onde as indústrias estão fazendo os maiores investimentos, ampliando a capacidade e estimulando ainda mais o aumento na produção. Airton Spies explica que o clima favorável e a capacidade dos agricultores familiares em se adaptar ao sistema agroindustrial integrado são decisivos para esse movimento. “Na suinocultura e na avicultura, esse mesmo processo já aconteceu e o leite na região, com as devidas diferenças que caracterizam a produção, também vai se modernizar. As indústrias têm feito um grande esforço para melhorar a qualidade do leite, investindo em pagamento por qualidade, rastreabilidade e premiando o produto melhor”.

Aliança Láctea Sul Brasileira

A Aliança Láctea é uma iniciativa dos três estados do Sul para desenvolver a cadeia produtiva do leite na região e preparar o setor para exportação. Com problemas e oportunidades comuns, Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul se unem em um fórum permanente que congrega produtores, governo e indústrias em busca de um desenvolvimento harmônico.

Informações adicionais para a imprensa:
Ana Ceron
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca
imprensa@agricultura.sc.gov.br
Fone: (48)-3664-4417/ (48) 98843-4996
Site: www.agricultura.sc.gov.br
www.facebook.com/AgriculturaePescaSC/


Foto: Divulgação/Udesc Joinville

A fase estrutural do novo Bloco I do Centro de Ciências Tecnológicas (CCT) da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) em Joinville foi concluída. Com investimento de R$ 12,3 milhões do Governo do Estado, o prédio de 7,5 mil metros quadrados foi planejado para ser multidisciplinar. Depois de pronto, os sete andares abrigarão um auditório com capacidade para 200 pessoas, biblioteca, mezanino, 25 salas de aula e quatro laboratórios de informática.

Para o diretor-geral do CCT, José Fernando Fragalli, o novo bloco vai aumentar a capacidade para pesquisa, atividades de extensão, apresentações culturais e a promoção de eventos. “Os espaços destinados para salas de aula poderão ser alocados para outras atividades. Além disso, nossa nova biblioteca será 25% maior da atual e o auditório nos dará a oportunidade de realizar mais ações tanto internas quanto externas”, conta o diretor.

Fase estrutural do novo prédio multidisciplinar da Udesc foi finalizada
Foto: Divulgação/Udesc Joinville

O engenheiro da construção, Théo Guardiano, afirma que o percentual de 55% do cronograma físico foi atingido com a finalização também da cobertura metálica. Responsável pela obra, a Construtora e Incorporadora Saks dá continuidade aos trabalhos de alvenaria interna e externa, paralelamente ao revestimento das fachadas.

O campus atual da Udesc começou a ser construído na década de 70 e está localizado em uma área de 67 mil metros quadrados. Possui 2.409 estudantes de graduação e 421 de pós-graduação. O corpo docente é composto por 193 professores efetivos, 62 professores substitutos e 96 servidores técnicos.  Na unidade são oferecidos nove cursos de graduação e 12 de pós.

Informações adicionais para a imprensa:
Ana Paula Keller
Assessoria de imprensa
Agência de Desenvolvimento Regional de Joinville
E-mail: anakeller@jve.adr.sc.gov.br / imprensa@jve.adr.sc.gov.br
Telefone: (47) 3461-1225 / 99240-8064
Site: sc.gov.br/regionais/joinville



Fotos: Douglas Saviato / SAN

O governador licenciado, Raimundo Colombo, e o secretário de Educação do Estado, Eduardo Deschamps, foram agraciados nesta quarta-feira, 7, no Palácio do Planalto, em Brasília, com a condecoração da Ordem Educacional do Mérito Educativo. A honraria foi entregue pelo ministro da Educação, Mendonça Filho, em cerimônia que contou com o presidente da República, Michel Temer.

Criada em 1955, este é um dos mais importantes reconhecimentos distribuídos pelo Governo Federal e tem por finalidade reconhecer personalidades nacionais e estrangeiras, que se destacaram por serviços excepcionais à educação brasileira. É a primeira condecoração deste tipo entregue no governo de Michel Temer.

Ao fazer a abertura da cerimônia, o ministro da Educação citou o exemplo de Santa Catarina ao voltar os seus esforços para a evolução e o desenvolvimento da educação. “Colombo empreendeu muitas ações no ensino catarinense, juntamente com toda a equipe da secretaria estadual de Educação”, comentou.



>>> Mais imagens na galeria

O governador licenciado recebeu uma faixa do ministro e do presidente da República simbolizando o reconhecimento. Ele destacou que além de Santa Catarina, somente outros dois Estados brasileiros foram reconhecidos com a honraria, o que comprova os bons indicativos do Estado na educação, a exemplo de outros setores da economia catarinense. Ao todo, foram homenageadas na solenidade 120 personalidades.

As medalhas entregues possuem cinco graus, sendo que Colombo recebeu a grã-cruz. Já Deschamps foi homenageado com a grande oficial. Para o secretario de Educação e também presidente do Conselho Nacional de Educação (CNE), este é o reconhecimento do trabalho realizado de toda uma equipe, que sempre acreditou na possibilidade de qualificar a educação dos estudantes catarinenses.

Antes das entregas das medalhas, na mesma cerimônia, foi destinada a Ordem Nacional do Mérito em memória à professora Heley de Abreu Silva Batista que morreu após tentar salvar a vida de crianças de um incêndio no Centro Municipal de Educação Infantil Gente Inocente, de Janaúba, em Minas Gerais. O presidente entregou a medalha ao viúvo da professora, o senhor Luiz Carlos Batista.

Todas as medalhas foram concedidas por decreto do presidente da República, mediante proposta do ministro da Educação, após favorável do Conselho da Ordem.

Informações adicionais para a imprensa

Douglas Saviato
Assessoria de Imprensa 
Secretaria Executiva de Articulação Nacional
E-mail: douglas@san.sc.gov.br
Fone: (61) 3101-0900 / 99304-0198
Site: www.san.sc.gov.br 


Fotos: Julio Cavalheiro / Secom

Para manter e garantir a competitividade do Complexo Portuário de Itajaí, o segundo maior do país em movimentação de cargas conteinerizadas, o governador Eduardo Pinho Moreira e o secretário da Infraestrutura, Luiz Fernando Vampiro, assinaram nesta quinta-feira, 8, o aditivo ao contrato de execução das obras do novo acesso do complexo, na chamada Bacia de Evolução. Serão investidos mais R$ 24,9 milhões, que permitirão concluir a primeira etapa do projeto, com previsão de término até maio deste ano. A obra está 83% concluída. Os 17% restantes serão executados com os novos recursos do Governo do Estado. 

“Santa Catarina é um estado exportador. Temos uma economia diversificada e o Porto de Itajaí é um dos locais de escoamento mais importantes de Santa Catarina. A ampliação da Bacia de Evolução é uma obra necessária e fundamental para o desenvolvimento econômico. Escolhemos prioridades para aplicação dos recursos. Temos que gerar empregos e para isso, elegemos prioridades, uma delas foi este Porto”, disse o governador.

Este é um dos maiores projetos de infraestrutura do governo catarinense, que já aplicou cerca de R$ 104 milhões, além do aditivo atual, nesta obra. O novo recurso vai  permitir a reestruturação do canal de acesso ao complexo Portuário de Itajaí e contempla a ampliação da nova Bacia de Evolução, o reposicionamento do molhe norte e a contenção das margens do canal de acesso aos portos de Itajaí e Navegantes. A ampliação da Bacia de Evolução, quando concluída, abrirá espaço para navios maiores e mais carregados, com até 366 metros de comprimento e 51 metros de boca (largura), no Complexo Portuário do Itajaí, incluindo os portos de Itajaí e Navegantes.



>>> Mais imagens na galeria

A navegação mundial já opera com as embarcações de grande porte, e as adequações são necessárias para que o porto de Itajaí não fique fora da rota, com os navios migrando para outros portos. O secretário da Infraestrutura explicou que, após a negativa de novos recursos do Governo Federal para concluir a obra, o Governo do Estado, sabendo da importância, utilizou o dinheiro dos juros aplicados no Pacto por Santa Catarina para essa complementação. “Com o canal aberto, uma ressaca poderia provocar grandes prejuízos, e tudo aquilo que já foi investido poderia se perder. Além do fator econômico, a obra representa segurança marítima, principalmente para os navios de grande porte”.

A Bacia de Evolução tem grande importância em relação a cargas que são produzidas e exportadas por Santa Catarina. Cerca de 70% do comércio exterior catarinense escoa pelo Porto de Itajaí, que movimentou mais de 1 milhão de contêineres em 2017. O Porto também é reconhecido como modelo em gestão ambiental pela Agência Nacional dos Transportes Aquaviários (Antaq). O superintendente do Porto de Itajaí, Marcelo Werner Salles, informou que no último ano, R$ 1,3 bilhão entrou na economia catarinense com os produtos que passaram pelo Porto para exportação.

Dados do BNDES apontam que a cada R$ 1 bilhão em exportação, 300 mil empregos são gerados na cadeia logística e  produção. “A importância dessa obra está relacionada a darmos garantia, manutenção e incremento no desenvolvimento socioeconômico do Estado. Com certeza é uma grande conquista”, observou.  “A conclusão da obra representa uma grande mudança no Porto, principalmente na movimentação de cargas. Temos novas linhas já prospectadas para o local”, disse o prefeito de Itajaí, Volnei Morastoni. O prefeito de Navegantes, Emílio Vieira, agradeceu o recurso que, "será fundamental para o desenvolvimento da região". 

Os recursos para o Porto 

A Secretaria de Estado da Infraestrutura informou que a obra de reestruturação do canal de acesso ao complexo Portuário de Itajaí/Navegantes foi projetada em duas etapas. A primeira, com recursos estaduais, é a ampliação do canal de 135 para 170 metros, retirando a ponta do molhe norte, os molhes transversais e instalando a bacia de evolução. 

Na segunda etapa, com recursos federais, está prevista a construção de um novo molhe paralelo ao atual, porém mais longo, o que possibilitaria maior proteção interna do canal para a ondulação de Leste e Norte, aumentando a largura para 190 metros. Com a negativa do governo federal em disponibilizar recursos para a segunda etapa, em função de estudos da ondulação e exigências ambientais, LAI 8125/2015, foi necessário adequar o projeto da primeira etapa, adicionando a construção de uma proteção, chamada “cabeço”, no molhe norte, e a construção de um molhe para abrigar a Marina de Itajaí e o local em que os pescadores ancoram os barcos. Estas estruturas não constavam no contrato, sendo por isso necessário criar o aditivo.

Celesc 

Ainda durante o evento, o governador Eduardo Pinho Moreira e o presidente da Celesc, Cleverson Siewert, assinaram um convênio para o repasse de R$ 500 mil,  que serão utilizados no rebaixamento da rede subterrânea de energia elétrica na praia Brava, em Itajaí. “Ganham as duas partes: a distribuidora de energia, pois vai ter a otimização do sistema, e a sociedade local, que terá uma rede esteticamente mais apropriada. É mais uma ação do Governo do Estado em prol do benefício do cidadão”, explica o presidente da Celesc.

Informações adicionais para a imprensa:
Elisabety Borghelotti
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: bety@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3014 / 98843-5460
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC


Reprodução vídeo / Marcius Furtado

A Polícia Civil de Santa Catarina deflagrou duas grandes operações na manhã desta quarta-feira, 7, na região Continental e Norte da Ilha de Florianópolis. O saldo das duas investidas dos policiais civis foram 12 pessoas conduzidas à Central de Investigação do Continente (CIC), além da apreensão de armas, drogas, munições e uma quantia em dinheiro.

"As ações na Segurança Pública se multiplicam em Santa Catarina, mostrando aos bandidos que aqui eles serão enfrentados. A Polícia Civil  foi às ruas com mandados, descobrindo bandidos, drogas e armas. É aquele combate que nós prometemos e garantimos com muita responsabilidade que seria prioridade para Santa Catarina e assim está sendo",  enfatizou o governador Eduardo Pinho Moreira.

Página 29 de 304