Encontre serviços oferecidos pelo Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Serviços em destaque

Vídeos

Agenda do Governador em Brasília

Agenda do Governador em Brasília 

 

Hoje foi um dia importante para Santa Catarina, o governador Eduardo Pinho Moreira esteve em Brasília e participou de diversas reuniões para viabilizar obras e serviços importantes para o Estado, como Saúde, Defesa Civil, Serra do Rio do Rastro, Barra da Lagoa, em Florianópolis, entre outros. 

Oportunidades

Próximos eventos


Foto de arquivo: Antônio Carlos Mafalda / Secom

A Centrais de Abastecimento do Estado de Santa Cataria (Ceasa/SC) termina primeiro trimestre com crescimento nas vendas e queda nos preços para o consumidor. Nos primeiros três meses deste ano, o valor médio dos alimentos ficou em R$ 1,64 por quilo, enquanto em 2016 o preço era de R$ 2,03 por quilo. A movimentação financeira da Ceasa/SC chegou a R$ 157 milhões no acumulado de janeiro a março, com a comercialização de aproximadamente 95,8 mil toneladas de hortifrutigranjeiros.

O preço dos hortifruti apresentou queda de 19,5%, se comparado com o mesmo período de 2016. Produtos como batata inglesa, cebola, tomate, cenoura, maçã, melancia e mamão foram até 62,2% mais baratos do que no primeiro trimestre do último ano.

A queda nos preços é explicada pelos fatores climáticos e pela super safra em alguns produtos. Com preços mais atrativos, o diretor presidente da Ceasa/SC, Agostinho Pauli, espera atrair novos consumidores. “A Ceasa continuará a atrair novos produtores rurais para equilibrar os preços gerando recursos financeiros justos tanto paro o setor rural quanto para o mercado consumidor, haja vista que nossos produtos são até 17,49% mais baratos e com qualidade equivalente aos produtos de outros estados”.

Ceasa/SC

As Centrais de Abastecimento do Estado de Santa Catarina S/A são uma empresa vinculada à Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca e funcionam como um elo entre o produtor e o consumidor por meio da comercialização atacadista e varejista de pescado, produtos hortifrutigranjeiros, alimentos e insumos orgânicos, produtos ornamentais e de floricultura e artesanais.

Informações adicionais para a imprensa:
Ana Ceron
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca
imprensa@agricultura.sc.gov.br
Fone: (48)-3664-4417/ (48) 98843-4996
Site: www.agricultura.sc.gov.br
www.facebook.com/AgriculturaePescaSC 


F
oto: reprodução

A Polícia Civil do Estado de Santa Catarina lança a partir desta terça-feira, 11, seu site  - www.policiacivil.sc.gov.br - destinado à divulgação institucional dos serviços oferecidos ao cidadão catarinense. A ideia é facilitar o acesso a setores como Delegacia Virtual, Disque-Denúncia, jogos e ações policiais realizadas em todo o Estado.

Para o delegado-geral da Polícia Civil, Artur Nitz, além do novo projeto gráfico, mais moderno e dinâmico, a nova página da internet propiciará agilidade aos policiais civis que precisam acessar a área interna. Também irá auxiliar as pessoas que procuram o atendimento. “O novo site foi redesenhado em consonância com as diretrizes da tecnologia moderna e reflete a proximidade, inovação, flexibilidade, dinamismo e comprometimento, atributos da relação da instituição Polícia Civil com o cidadão”, explica.

Dentre as funcionalidades em destaque, estão a Delegacia de Polícia Virtual, onde o cidadão poderá fazer seu registro de ocorrência, o Disque Denúncia 181, serviço gratuito, que atende durante as 24 horas do dia, com garantia de anonimato do cidadão; a fiscalização de jogos e diversões públicas, no qual os proprietários de estabelecimentos podem obter informações a respeito de alvarás para funcionamento de seus comércios, e as notícias policiais atualizadas, com as ações de combate à criminalidade realizada pela Polícia Civil.

Informações adicionais para a imprensa
Clarissa Margotti
Assessoria de Imprensa
Polícia Civil - PC
E-mail: imprensa@pc.sc.gov.br
Fone: (48) 3664-2313 / 99968-9600
Site: www.policiacivil.sc.gov.br


Foto: Julio Cavalheiro / Secom

O governador Raimundo Colombo assinou nesta segunda-feira, 10, em Joinville, a autorização para licitar as obras de duplicação do acesso ao Distrito Industrial, rota de escoamento da produção de indústrias com tráfego diário de aproximadamente 20 mil veículos. Para realização da obra serão investidos R$ 50,3 milhões do Governo do Estado por meio da Secretaria de Estado da Infraestrutura.

“O Distrito Industrial de Joinville é o maior de Santa Catarina. Temos um setor industrial de muita produção e extremamente comprometido na mobilidade. Aquela é uma rodovia estadual e que liga todo o setor produtivo com a BR-101. Vamos ter um ganho de mobilidade extraordinário, de eficiência, de produtividade, de escoamento e de segurança”, disse Colombo.

O trecho com 5,7 quilômetros compreende o eixo das avenidas Hans Dieter Schmidt e Edgar Nelson Meister. O projeto, concluído em 2016, pela Secretaria de Estado da Infraestrutura, prevê o aumento da capacidade da rodovia, além de serviços de drenagem, melhoria dos acessos, 11 interseções, travessias urbanas, faixas adicionais, passeio para pedestre, ciclovia, sinalizações vertical e horizontal e instalação de semáforos. Para o entroncamento com a Rua Dona Francisca, os estudos apontaram a construção de uma rotatória em vez de um elevado.



>>> Imagens na galeria

O secretário de Estado da Infraestrutura, Luiz Fernando Vampiro, explica que o prazo para conclusão será de 24 meses a partir da entrega da ordem de serviço. “A partir dessa autorização será enviado, em caráter de urgência, ao comitê gestor e em uma semana lançamos o edital. O prazo para homologar a empresa vencedora cerca de 30 a 50 dias. Então acreditamos que em julho já teremos obras em andamento nesse acesso importante”, explicou o secretário.

Ele ainda apresentou as obras que estão sendo realizadas na Região Norte entre elas a duplicação da duplicação da Avenida Santos Dumont, com 65% do contrato executado e do elevado da Rua Tuiuti com 71% da obra concluída. Essas duas obras juntas chegam a R$ 70 milhões em investimentos.

O presidente da Associação Empresarial de Joinville (Acij), Moacir Thomazi, falou da importância da obra e os benefícios para a população e a indústria. “Além dos milhares de veículos que trafegam por ali temos 200 empresas, gigantes inclusive, que recebem sua matéria prima e por onde escoa sua produção. Também serve para o trânsito dos alunos da Udesc e Univille, e a população que mora naquela região”.

Posse da diretoria da CDL

Em seguida o governador participou da solenidade de posse da diretoria que estará à frente da entidade na gestão 2017/2018 da Câmara de Dirigentes Lojistas de Joinville (CDL). O evento foi realizado no Centro de Convenções e Exposições Expoville. Também foram apresentados os novos coordenadores das oito câmaras setoriais e da CDL Jovem, que assumem mandato de um ano, e foi etregue o Prêmio Mérito Lojista 2017 para Emir Amin Ghanem, Cleusa Coral-Ghanem e Álvaro Cauduro.



“O comerciante é um líder que exerce uma atividade humana e um trabalho de influência sobre a sociedade. É uma atividade de colaboração, de entrega para servir ao próximo. Tivemos cinco meses de geração positiva no emprego em Santa Catarina e o comércio tem sua parcela de contribuição nesses índices”, destacou Colombo.

A entidade possui 1,6 mil lojistas e empresas de serviço associados. A diretoria para o período de dois anos terá como presidente o empresário Frederico Cardoso dos Santos, reeleito, e como vice-presidente o empresário José Manoel Ramos.

Informações adicionais para a imprensa:
Rafael Vieira de Araújo 
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: rafael@secom.sc.gov.br  
Telefone: (48)  3665-3018 / 99116-8992
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC


Foto: Julio Cavalheiro/Secom

Nesta terça-feira, 11, o tempo começa a melhorar no Oeste. Na região Norte e Litoral, continua o tempo mais fechado e até condição de pancadas de chuva mais forte. Conforme a previsão do setor de meteorologia da Epagri/Ciram, a frente fria que atua em Santa Catarina começa a perder força. Na quarta-feira, 12, o tempo melhora em grande parte do Estado, nas áreas do Litoral Norte e Sul ainda há possibilidade de chuva.

A meteorologista Laura Rodrigues informou que a temperatura estará mais baixa nos próximos dias, principalmente na quarta-feira com a entrada do vento Sul e de uma massa de ar frio. Essa massa de ar mais fria tem passagem rápida pelo Estado. A partir de sexta-feira o tempo começa a soprar de nordeste elevando as temperaturas.

Recomenda-se o acompanhamento diário da previsão do tempo.

Qualquer problema deve ser comunicado à coordenadoria municipal de Defesa Civil, através do telefone de emergência 199 ou para o Corpo de Bombeiros no número 193.

Mais informações:
Epagri/Ciram
Fone: (48) 3665-5006


Foto de Arquivo: Osvaldo Nocetti / SED

Para muitos alunos da Rede Estadual de Ensino de Santa Catarina a merenda escolar é uma importante aliada no desenvolvimento e garante refeições completas e balanceadas que muitos estudantes carentes dificilmente têm em suas casas. Mas além de beneficiar crianças e adolescentes, os alimentos servidos diariamente nas escolas também fortalecem a agricultura familiar. Só neste ano o Governo do Estado vai adquirir quase R$ 20 milhões de produtos para a merenda escolar e a compra é decisiva para que pequenos produtores continuem no campo.

Roseli Fossa sabe bem dessa importância. A empresa familiar que ela administra foi criada pelo pai em 2006, em Vitor Meireles, e desde então abastece principalmente a merenda escolar. Só em março ela vendeu aproximadamente R$ 67 mil em filés de tilápia. “Hoje já compramos de produtores de toda a região, limpamos, fazemos o filé e depois vendemos para o Estado. Nossa produção é de mais ou menos 13 toneladas de filé por mês”.

Ela lembra que mesmo após o falecimento dos pais, procurou continuar o sonho da família e a produção continua crescendo a cada ano graças a venda para o Governo do Estado. “Hoje já compramos mais um caminhão e a ideia é ampliar para aumentar a produção porque já não estamos mais dando conta”.

A história de Roseli se confunde com a de tantos outros milhares de catarinenses que encontram na venda de alimentos para a merenda escolar um incentivo e fonte de renda extra. Em Dona Emma, por exemplo, o negócio tem dado tão certo que os produtores resolveram se organizar e fundar a Cooperativa da Agricultura Familiar do Vale do Itajaí (Coorpefavi), um instrumento que tem facilitado ainda mais a comercialização dos produtos.

Atualmente a cooperativa conta com 266 sócios de 15 municípios da região, entre eles as agricultoras Laurita Meneguelli, Catarina de Oliveira e Solenir Sabel, que dividem a rotina na roça com a produção de pães, cucas e bolachas. Elas vendem em média quase 600 quilos de biscoitos por mês e cerca de 50 quilos de pão que complementam a merenda dos estudantes. “Agora já vai fazer dois anos que estamos com a padaria. No começo foi pesado porque bancamos os ingredientes do bolso, mas depois foi melhorando e não temos do que reclamar.” conta Laurita.

Catarina lembra que dessa o trio não precisa sair de casa para tentar comercializar os produtos e mesmo assim a venda é garantida, o que facilita bastante o trabalho e deixa as agricultoras motivadas para continuar no ramo. “No começo até tentamos vender de casa em casa, mas muita gente não pagava certinho, por isso optamos em ficar só na merenda escolar e estamos muito contentes”.


Foto: Helena Marquardt / ADR Ibirama

O presidente da Cooperfavi, Valdecir Caxoeira, garante que o resultado das vendas de 2015 e 2016 ainda estão sendo comemorados e fortaleceram muitas agroindústrias da região. “Vendemos bastante panificados, produtos in natura e agroindustrializados como suco de uva, farinha de milho e de mandioca, doce de frutas, entre outros. Só no ano passado vendemos mais de R$ 1 milhão para a merenda, um valor agregado que na nossa avaliação é muito importante para manter esses agricultores no campo e garantir a qualidade da merenda servida nas escolas.”

A lei estabelece que pelo menos 30% dos produtos sejam adquiridos da agricultura familiar, e segundo o gerente de Educação, da 14ª ADR, Nilo Poffo, todos saem ganhando. “Acredito que comprando da agricultura familiar estamos fornecendo um alimento fresco, saudável e contribuindo com o desenvolvimento da região, afinal a agricultura, especialmente a familiar, é a base de nossa economia”, finaliza.

Informações adicionais para a imprensa:
Helena Marquardt
Assessoria de comunicação ADR Ibirama
Fone (47) 3357-8908 / (47) 8819-9350
E-mail: imprensa@iir.sdr.sc.gov.br

Página 298 de 307