Encontre serviços oferecidos pelo Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Vídeos

VACINAÇÃO | Febre Amarela em Santa Catarina

VACINAÇÃO

Ei você, já se vacinou contra a Febre Amarela? Procure um posto de saúde mais próximo e previna-se! Uma dose, e você estará protegido por toda vida. Assim, tornamos Santa Catarina um estado mais forte!

Aperte o play e confira!

Oportunidades

Próximos eventos


Fotos: Jaqueline Noceti / Secom

O vice-governador, Eduardo Pinho Moreira, e o secretário de Estado de Turismo, Cultura e Esporte (Sol), Leonel Pavan, empossaram na tarde desta segunda-feira, 10, no auditório da Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc), os novos membros do Conselho Estadual de Turismo. Eles são responsáveis por discutir, deliberar e propor ao secretário de Turismo diretrizes para o desenvolvimento turístico do Estado.

O presidente do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur), Vinicius Lummertz; e o presidente da Santur, Valdir Rubens Walendowsky, que é membro nato do conselho, também participaram da cerimônia.

“Esse conselho tem papel fundamental nas atividades, da programação e do planejamento dado ao Turismo em Santa Catarina. Temos um grande potencial e claro que temos que otimizar, e muitas cabeças voltadas para esse setor, com certeza vão contribuir muito para o Estado”, enfatizou o vice-governador.

O conselho é um órgão vinculado à Sol, de caráter consultivo e deliberativo, formado por 21 membros efetivos. Dez representantes das Regiões Turísticas de Santa Catarina são escolhidos pelo chefe do Poder Executivo, e outros 10 são da sociedade civil organizada e de setores turísticos catarinenses, além do presidente da Santur, que é membro nato.



>>> Mais imagens na galeria

O secretário Leonel Pavan falou da importância do conselho para a economia do Estado. “Santa Catarina foi mais uma vez escolhido como melhor destino turístico do Brasil e esta conquista devemos a todos os envolvidos do setor público, mas também da iniciativa privada e ao próprio conselho. Eles tem contribuído muito nos projetos que estamos debatendo também em nível nacional, ou seja, aqueles que estão vindo para o Estado. Hoje aproveitamos também para prestar contas referente aos primeiros seis meses de gestão”, destacou Pavan.

Para o presidente da Santur, o conselho desenvolve a atividade do turismo por o Estado e um dos fatores é porque todas as pessoas, que fazem parte do conselho, são integrantes do setor do turismo de Santa Catarina. “O conselho tem sua importância por ter membros, tanto do setor público como privado. Outro ponto importante é que há uma parcela, que são representantes de todas as regiões turísticas do Estado”.


Composição:

Rogério Siqueira – presidente e representante da Região Turística Costa Verde & Mar

Valdir Walendowsky – presidente da Santur, membro nato


• Representantes das regiões turísticas, indicados pelo Governo do Estado:

Danyelle Cristina Schemes - representante da Região Turística Grande Florianópolis

Fabrício de Medeiros Medeiros - representante da Região Turística Encantos do Sul

Rômulo Haberbeck de Oliveira - representante da Região Turística Serra Catarinense

Joice Aguiar- representante da Região Turística Caminho dos Canyons

Ivan Blumenschein - representante da Região Turística Vale Europeu

Rosicler Meyer Dedekind - representante da Região Turística Caminho dos Príncipes

Edson Ziolkowski - representante da Região Turística Vale do Contestado

Gabriela Regina Oliveira Baptistetti - representante da Região Turística Grande Oeste

Maria Bernadete Zanin - representante da Região Turística Caminhos da Fronteira

• Representantes da Sociedade Civil:

Carlos Bogo - representante dos Agentes de Viagens e dos Transportadores Turísticos (Abav)

Volnei José Koch - representante da Hotelaria e Similares (Abih)

Lucas Schweitzer - representante das Empresas Organizadoras De Eventos (Abeoc)

Raphael Kalil Dabdab Neto - representante do Setor de Restaurantes e Outros Serviços De Alimentação (Abrasel)

João Eduardo Amaral Moritz - representante da Área do Comércio

Silvia Regina Cabral - representante dos Bachareis de Turismo (Abbtur)

Joseli Cintra - representante dos Conventions & Visitors Bureau (Fc&Vb)

Evandro Novak - representante dos Jornalistas de Turismo

Mohamad Hussein Abou Wadi - representante dos profissionais das Instituições de Ensino Superior em Turismo e Hotelaria (Avantis)

Informações adicionais para a imprensa:
Rafael Vieira de Araújo 
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: rafael@secom.sc.gov.br  
Telefone: (48)  3665-3018 / 99116-8992
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC


Foto: Eduardo Zabot/ADR Tubarão

Em Santa Catarina, a 19ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza alcançou cobertura de 89,34% dos grupos prioritários, muito próximo da meta estabelecida pelo Ministério da Saúde (MS), que era atender 90% da população-alvo. “Consideramos esse resultado bastante positivo, visto que grande número da população vulnerável para as complicações da Influenza está protegido com a vacina”, avalia Vanessa Vieira da Silva, gerente de Imunização da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive) da Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina.

Até o dia 30 de junho, 1.217.719 pessoas foram vacinadas contra a gripe, entre idosos, crianças menores de cinco anos de idade, gestantes, puérperas (mulheres até 45 dias após o parto), indígenas, professores e trabalhadores de saúde, de acordo com o balanço divulgado pela Dive na semana passada. Além dessas, foram aplicadas outras 481.808 doses em pessoas com comorbidades ou condições clínicas especiais, 15.064 na população privada de liberdade e 3.929 em funcionários do sistema prisional.

Como este ano, a campanha de vacinação foi excepcionalmente estendida a toda a população enquanto durassem os estoques de doses nos postos de saúde, 327.263 pessoas de outros grupos foram imunizadas contra a gripe em Santa Catarina até o momento. Vale salientar que esse balanço considera as doses aplicadas pela rede pública de saúde e pelas clínicas da rede privada credenciadas pela Dive. 

Sintomas

Independentemente da situação vacinal, quem apresentar tosse, febre alta e dores pelo corpo deve procurar um serviço de saúde para diagnóstico e tratamento adequados. Se além desses sintomas, a pessoa apresentar falta de ar ou possuir alguma doença crônica como diabetes, doença cardíaca ou pulmonar crônica, o risco de agravamento é maior, assim como em idosos, crianças, gestantes, obesos e imunodeprimidos.

A gripe é uma doença respiratória grave, causada pelos vírus Influenza, e pode levar a complicações severas e até provocar a morte. O tratamento realizado em até 48 horas do início dos sintomas reduz consideravelmente a chance de evolução da doença. O tratamento prevê diversas medidas, de hidratação até a utilização de um arsenal terapêutico indicado pelo médico que inclui o antiviral Tamiflu (Oseltamivir), fornecido gratuitamente pela rede pública de saúde.

Informações adicionais para a imprensa:
Patrícia Pozzo
Núcleo de Comunicação
Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive)
Secretaria de Estado da Saúde
Fone: (48) 3664-7406 | 3664-7402
E-mail: divecomunicacao@saude.sc.gov.br
www.dive.sc.gov.br


Foto: Jaqueline Noceti / Secom

A Polícia Civil e sua Divisão de Narcóticos (Denarc) da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic), anunciaram na manhã deste sábado, 8, em entrevista coletiva com a imprensa, a operação que resultou na maior apreensão de drogas no Estado. Foram 5,1 toneladas de maconha e mais 3,7 quilos de skank, avaliados em R$ 10 milhões. A carga foi apreendida próximo ao município de Ponte Alta. Cerca de 30 policiais acompanhavam o carregamento, desde sua origem até a abordagem que contou com o apoio da Polícia Rodoviária Federal e Receita Federal.


Fotos: Julio Cavalheiro / Secom

O governador Raimundo Colombo e a secretária adjunta da Educação, Elza Moretto, inauguraram neste sábado, 8, a reforma e a ampliação da Escola de Educação Básica (EEB) Fridolino Hülse, de São Martinho, no Sul do Estado. Os investimentos de R$ 3,7 milhões, do Pacto por Santa Catarina, possibilitaram a construção de um centro cultural e esportivo, biblioteca, quatro salas de aula, um laboratório de matemática, um de química, um de artes e de informática, um refeitório, seis banheiros, além da reforma de cinco salas de aula, da direção e administrativo.

Foto: Epagri Mafra

Em Santa Catarina, a citricultura teve início na segunda metade do século passado, com as primeiras tentativas de cultivo comercial de laranjas, tangerinas e limões. Na década de 1970, a extinta Associação de Crédito, Assistência Técnica e Extensão Rural de Santa Catarina (Acaresc) implantou o Programa de Fruticultura Tropical, fomentando a implantação de pomares comerciais de citros, inclusive do limão siciliano para extração do óleo essencial da casca.

Seguindo estes passos, a Epagri, sucessora da Acaresc, mantém vários trabalhos direcionados ao cultivo de citros. Além disso, aborda temas desta cadeia produtiva em capacitações para técnicos e empreendedores rurais. No Planalto Norte, a mais recente ação foi realizada na última terça-feira, 5, em Mafra, com a participação de extensionistas das regionais da Epagri de Mafra e Canoinhas, além de funcionários da Cidasc e Embrapa e demais profissionais interessados.

O tema foi a citricultura de mesa voltada ao Planalto Norte, com destaque para tópicos como cultivares potenciais e tratos fitossanitários no pomar. Na parte teórica, ministrada no período da manhã pelos engenheiros agrônomos Luana Maro (pesquisadora da Estação Experimental da Epagri de Itajaí) e Thiago Romanholi Santiago (Cidasc), foram apresentadas as diversas cultivares com potencialidade produtiva na região e a legislação fitossanitária vigente para a citricultura.

Já no período da tarde foi realizada a parte prática, com visita ao pomar comercial de Joaquim Lima, no qual são conduzidas diversas variedades de tangerinas e laranjas de mesa (sem sementes) testadas e validadas há alguns anos pela Embrapa de Canoinhas. A visita foi de extrema importância para a capacitação, possibilitando o contato efetivo com o pomar e o entrosamento com o citricultor, com temas como gargalos e potencialidades do sistema produtivo destacando-se na visita.

De acordo com a avaliação do Extensionista Rural e Coordenador de Projeto de Fruticultura da Epagri no Planalto Norte, Jânio José Seccon, o evento superou as expectativas e novas demandas na área de citros já estão sendo consideradas. “Temos potencial para aumentar a produção de citros de mesa no Planalto Norte Catarinense, o que possibilita, além da diversificação da propriedade rural, uma renda extra ao produtor familiar. Temos a possibilidade de iniciar uma inovação na citricultura catarinense”, concluiu. “É difícil encontrar um pomar com frutas de qualidade como este em Santa Catarina”, resumiu a pesquisadora Luana Maro.

Página 449 de 507

Conecte-se