Encontre serviços oferecidos pelo Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Vídeos

Tem produtos da agricultura familiar nas refeições de todas as escolas de SC



Oportunidades

Próximos eventos


Fotos: Ricardo Wolffenbüttel / Secom

"É um relógio único no mundo", afirmou, emocionado, o artesão Geraldo Ziebarth, 81 anos, responsável pelo conserto de uma peça especial, patrimônio dos catarinenses: um relógio montado em 1943 e adquirido pelo Governo do Estado em 1945 durante o mandato de Nereu Ramos.

:: Mais imagens da montagem aqui

O relógio é praticamente todo feito em madeira de Imbuia, inclusive as engrenagens - o que é considerado algo raro. Apenas alguns eixos e parafusos são feitos com outros materiais metálicos. Os ponteiros e os números romanos são feitos em madeira de pau-marfim.

A estrutura levou mais de 11 anos para ser restaurada e, a partir desta sexta-feira, 8, poderá ser vista no Museu Histórico de Santa Catarina, sediado no Palácio Cruz e Sousa, em Florianópolis. 

A peça ganhou notoriedade na imprensa dos anos 1940 por ser um relógio de alta precisão. Foi construído utilizando uma técnica tradicional da cultura alemã, com madeira entalhada e engrenagens que garantem a marcação das horas, da data e das fases da lua. O autor de montagem tão delicada e habilidosa foi Alvino Ziebarth, pai de Geraldo Ziebarth. 

Manualmente, ainda é possível registrar as estações do ano. A peça ficou por mais uma década sob os cuidados do artesão Geraldo, que ao longo dos últimos anos desvendou o sistema de funcionamento do relógio e confeccionou novas peças para substituir as que estavam estragadas. Tanto Geraldo, quanto o pai são de São Bento do Sul, no Norte de Santa Catarina.

Durante dois dias - 6 e 7 de novembro - o artesão montou o relógio no local onde ficará exposto: a Sala dos Governadores. O trabalho foi realizado com a precisão e a delicadeza que a peça exigia. A ação foi acompanhada por técnicos da Fundação Catarinense de Cultura (FCC), órgão que administra o Museu Histórico de Santa Catarina. Ao fim do trabalho, o artesão recebeu um certificado de honra ao mérito pelos serviços prestados na preservação da memória catarinense.

A peça é chamada de “Relógio Histórico Alvino Ziebarth", em homenagem ao construtor. Integra o patrimônio do Governo do Estado de Santa Catarina (Casa Civil).

Informações adicionais para a imprensa:
Fundação Catarinense de Cultura (FCC)
Assessoria de Comunicação
Raquel Santi 
Fone: (48) 3664-2571 / 3664-2572 
Email: imprensa@fcc.sc.gov.br
Site: www.cultura.sc.gov.br
Facebook: www.facebook.com/FundacaoCatarinensedeCultura
Twitter: www.twitter.com/fccoficial


Apartamentos em Lages estão entre os bens leiloados. Foto: SEA/SIGEP/Arquivo

O Governo do Estado irá leiloar oito imóveis, entre apartamentos e terrenos, sem interesse para uso público em diferentes municípios catarinenses. Os lances serão feitos de forma presencial no dia 4 de dezembro, às 13h30, na sede da Secretaria de Estado da Administração, em Florianópolis. A previsão é arrecadar mais de R$ 1,3 milhão com as vendas.

Todos os terrenos e apartamentos estão desocupados e prontos para serem transferidos. Os interessados em conhecer os imóveis nos municípios de Araranguá, Ascurra, Balneário Piçarras, Gravatal, Lages e São José do Cedro poderão agendar visitas na sede da Secretaria da Administração (SEA) e conhecer presencialmente os locais entre os dias 25 e 27 de novembro.

O leilão é realizado pela Diretoria da Gestão Patrimonial da SEA. O diretor Welliton Saulo da Costa explica que atualmente os trabalhos estão focados na destinação e na ocupação adequada dos bens públicos. “Desde janeiro, quando começamos o levantamento dos imóveis do Estado, passamos a administrar a alienação dos casos mais emergenciais. Já realocamos com serviços públicos as estruturas que eram das extintas Agências de Desenvolvimento Regional, por exemplo. Agora o trabalho segue para outros bens em que não há interesse do Estado ou de terceiros na ocupação”.

O diretor ainda observa que é mais vantajoso vender os bens do que mantê-los fechados. “Além de onerar os cofres públicos com gastos em manutenção, limpeza, conservação e segurança dos locais, também corremos o risco da depreciação e das ocupações irregulares”, pondera. 

O edital foi publicado no Diário Oficial do Estado na última sexta-feira, 1° de novembro. O edital completo está disponível aqui.

Veja os imóveis que serão leiloados:

-  Dois apartamentos no Centro de Lages, localizados no Edifício Nossa Senhora Aparecida. Cada um tem área privativa de 69,14 metros quadrados e é avaliado em R$ 122 mil.  

- Terreno sem benfeitoria em bairro residencial em Araranguá, com área total de 514,80 metros quadrados, em rua pavimentada com lajotas, com água tratada, energia elétrica, telefonia, valor R$ 141 mil.

- Terreno sem benfeitoria em São José do Cedro, com área de 1.600 metros quadrados, situado na Rua Engenheiro Francisco Passos, esquina com Rua Goiás, constituído pelos lotes nos 3 e 4 da quadra nº 17, Linha Mariflor,  no valor de R$ 28 mil.

 - Terreno urbano no município de Ascurra, situado na Rua Aleixo Tomelin, esquina com a Rua São Cristóvão, Bairro Estação, com área territorial de 16.457,47 metros quadrados,  no valor de R$ 1,2 milhão.

- Terreno Rural, na localidade de Travessão São Geraldo, no município de Gravatal, com área total de 137.599 metros quadrados ou 13,7599 hectares ao valor de R$ 50 mil.  

- Terreno Rural situado na localidade de Travessão São Geraldo, no município de Gravatal, com área total de 147.401 metros quadrados ou 14,7401 hectares. Valor:  R$ 53 mil.  

- Terreno urbano, situado na Rua 3200, Bairro Itacolomi, no município de Balneário Piçarras. O imóvel possui área territorial de 273,07 metros quadrados. Valor: R$40 mil.

Informações adicionais para imprensa
Krislei Oechsler
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado da Administração - SEA
E-mail: comunicacao@sea.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-1636 /(48) 99105-4085
http://www.sea.sc.gov.br 


Fotos: Cristiano Estrela / Secom

Centrais de Abastecimento do Estado de Santa Catarina (Ceasa) passa por restruturação de gestão e prioriza o atendimento à agricultura familiar. O primeiro passo nessa direção é a mudança no horário de atendimento da Unidade de São José, que passa a vigorar a partir do dia 11 de novembro.

Novos horários

Segundas-feiras

05h – Entrada de Produtores – Somente Portaria 02

06h – Entrada de Compradores – Somente Portaria 01

07h – Liberação da comercialização (Sinal)

Terças a Sextas-feiras

06h – Entrada de Produtores – Somente Portaria 02

07h – Entrada de Compradores – Somente Portaria 01

08h – Liberação da comercialização (Sinal)

Objetivo

Com a mudança de horário, a Ceasa quer proporcionar uma comercialização mais isonômica, priorizando a agricultura familiar. O presidente da Ceasa, Angelo di Foggi, explica que a decisão foi tomada após pesquisa com os usuários da unidade de São José, que indicou a necessidade de alteração do horário de funcionamento.

“Em meio a um país globalizado e competitivo, as empresas precisam inovar e implantar mudanças organizacionais que sejam bem-sucedidas e que atendam ao maior número possível de envolvidos. O intuito da Ceasa é de fazer um mercado mais atrativo, organizado e igualitário, tanto para clientes internos como externo”, destaca.

As resoluções estão disponiveis para consulta no link: http://www.transparencia.ceasa.sc.gov.br/

Ceasa

Os boxistas e os produtores rurais da Ceasa, unidade de São José, comercializaram 332,7 mil toneladas de alimentos em 2018 com uma movimentação financeira que passou de R$ 697,6 milhões. Atualmente, são 132 empresas e mil produtores rurais cadastrados atuando na Central.

As Centrais de Abastecimento do Estado de Santa Catarina S/A são uma empresa vinculada à Secretaria de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural e funcionam como um elo entre o produtor e o consumidor por meio da comercialização atacadista e varejista de pescado, produtos hortifrutigranjeiros, alimentos e insumos orgânicos, produtos ornamentais e de floricultura e artesanais.

Informações adicionais para a imprensa:
Ana Ceron
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural
imprensa@agricultura.sc.gov.br
Fone: (48)-3664-4417/(48) 98843-4996
Site: www.agricultura.sc.gov.br
www.facebook.com/AgriculturaePescaSC/


Foto: Ricardo Wolffenbüttel / Secom

A estrutura de treliça central de apoio da Ponte Hercílio Luz, em Florianópolis, começou a ser retirada nesta quinta-feira, 7. A primeira parte do trabalho, feito por módulos, deve ser concluída no fim de semana, se as condições climáticas forem favoráveis. A ligação entre Ilha e Continente será reaberta para o tráfego no dia 30 de dezembro deste ano.

Nos 349 metros do vão central, em 2015 e 2016, foram instalados cinco módulos de treliça entre as estruturas definitiva e provisória para auxiliar na sustentação da Ponte durante a obra de restauração. 

>> Mais fotos disponíveis na galeria

Cada módulo tem cerca de 80 toneladas e a retirada é feita por balsa com guincho. Até a primeira quinzena de dezembro serão removidas mais duas peças. Para início de 2020, está prevista a retirada dos últimos dois módulos.



Além dos trabalhos estruturais da ponte, estão sendo feitos serviços de limpeza e pintura. Atualmente, 480 funcionários trabalham na obra de restauração da Ponte Hercílio Luz. Destes, 120 atuam exclusivamente na pintura de toda estrutura.

Mais informações para imprensa:
Patricia Zomer
Vanessa Pires
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado da Infraestrutura e Mobilidade
(48) 3664-2008 / 9-9995-8494
ascom.sie@gmail.com


Foto: Divulgação / PC

O combate à corrupção ganha um aliado inédito em Santa Catarina. O governador Carlos Moisés determinou por decreto a criação de delegacias e coordenadoria dentro da Polícia Civil especializadas nessa área. As estruturas serão lideradas por delegados de polícia, e a implantação do serviço ocorrerá sem aumento de despesas para o Estado.

“A Polícia Civil de Santa Catarina tem policiais e delegados competentes para fazer um importante trabalho no combate à corrupção. O que o Governo está fazendo é dar as condições necessárias para que eles exerçam essa função. Prevenir e combater o uso indevido do dinheiro público é uma das nossas prioridades”, destaca o governador.

O documento foi assinado digitalmente nessa quarta-feira, 6, e será publicado no Diário Oficial do Estado nesta quinta, 7. O decreto também tem as assinaturas do chefe da Casa Civil, Douglas Borba, e do presidente do Colegiado Superior de Segurança Pública e Perícia Oficial, Carlos Alberto de Araújo Gomes Júnior.

A iniciativa tem o apoio do ministro de Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, que defende a criação de estruturas de combate à corrupção em todos os Estados.

Cecor e Decor: entenda como funcionarão as estruturas

 A Polícia Civil terá cinco Delegacias de Polícia Especializadas no Combate à Corrupção (Decor). Elas terão a função de prevenir, reprimir e combater a corrupção, investigar crimes praticados contra a Administração Pública Estadual e atuar em ações que demandem conhecimento especializado para a solução.

A atuação delas não será isolada. Dentro da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic), será criada a Coordenadoria Estadual de Combate à Corrupção (Cecor), coordenada por um delegado de Polícia Civil. À Cecor caberá, entre outras atribuições, administrar um banco de dados estadual sobre combate à corrupção, orientar as atividades das delegacias especializadas, manter estatísticas, participar de estudos e pesquisas e propor treinamentos e cursos à Academia da Polícia Civil do Estado de Santa Catarina (Acadepol).

Na avaliação do delegado-geral, Paulo Koerich, a criação das Decor são um marco para a Polícia Civil quanto à apuração de delitos envolvendo os crimes do colarinho branco no Estado. “É, sem dúvida, um ganho imensurável para a sociedade em relação ao controle do dinheiro público. Elas possibilitarão uma gama de fontes de apuração e fiscalização de atos ilícitos por todas as regiões, o que reforça o compromisso estadual de não tolerar esse tipo de crime que tanto prejuízo gera aos cofres públicos”, aponta Koerich.

O governador também determinou que a Cecor faça estudos para a ampliação do número de Decors em Santa Catarina, além das cinco já previstas no decreto.

Confira quais são as cinco Decors no Estado

1ª Decor: a região da Grande Florianópolis, compreendida pelo município de Florianópolis e pelas regionais de Palhoça e São José.
2ª Decor: a região compreendida pelas regionais de Araranguá, Criciúma, Laguna e Tubarão.
3ª Decor: a região compreendida pelas regionais de Canoinhas, Jaraguá do Sul, Joinville, São Francisco do Sul, Mafra, Porto União, São Bento do Sul, Balneário Camboriú, Brusque e Itajaí.
4ª Decor: a região compreendida pelas regionais de Blumenau, Ituporanga, Rio do Sul, Curitibanos, Lages, São Joaquim e Videira.
5ª Decor: a região compreendida pelas regionais de Caçador, Campos Novos, Chapecó.

Informações adicionais para a imprensa
Renan Medeiros
Assessoria de Imprensa
Secretaria Executiva de Comunicação - SECom
E-mail: renan@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3058 / (48) 99605-9196
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC

Página 7 de 612

Conecte-se