Encontre serviços oferecidos pelo Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Serviços em destaque

Vídeos

Com a Palavra, o Governador - 16 de junho de 2017

Com a Palavra, o Governador - 16 de junho de 2017

No programa gravado em Lages, o Governador Raimundo Colombo fala sobre o trabalho da Defea Civil, sobre o setor de tecnologia e a retomada das audiências do Fundam 2.

 

Oportunidades

Próximos eventos


Barragem Sul de Ituporanga - Foto de arquivo: Julio Cavalheiro / Secom

O volume de chuva que caiu em Santa Catarina nos meses de maio e junho de 2017 supera os registros de chuva dos meses agosto de 1984 e outubro de 2008. O levantamento foi feito pela Epagri/Ciram comparando o evento atual com os registros históricos da bacia hidrográfica do Rio Itajaí-Açu. Mas os impactos foram menores e sem morte registrada - resultado de um trabalho preventivo cada vez mais intenso da Defesa Civil, e da sobre-elevação das barragens de Taió (Oeste) e Ituporanga (Sul). 


Foto: Divulgação / SSP 

O Centro Administrativo da Secretaria de Estado da Segurança Pública que fica em Florianópolis será inaugurado dia 8 de agosto. O anúncio foi feito na manhã desta terça-feira, 13, durante reunião do secretário de Segurança Pública, César Augusto Grubba, com diretores e gerentes da SSP. Uma comissão, presidida pelo coronel Rogério Martins, é responsável pela organização do evento.

Para o secretário Grubba esta é uma obra para o futuro. Ele lembra que desde 1941, quando foi criada a Secretaria de Negócios da Segurança, a SSP nunca ocupou um espaço próprio, sempre funcionando em prédio alugado.

"É uma obra esperada por décadas.Trata-se de um dos maiores investimentos realizados em Santa Catarina na área da Segurança Pública”, destaca o secretário. O prédio foi construído numa área de 30 mil metros quadrados pela construtora Hoepcke, vencedora do processo de licitação. O Centro Administrativo da SSP funciona na Avenida Governador Ivo Silveira, 1521, Bairro Capoeiras.

Recursos do Pacto por Santa Catarina e SSP

Os investimentos na nova sede somam R$ 89 milhões, sendo R$ 65 milhões recursos do Pacto por Santa Catarina e R$ 24 milhões verba própria da Secretaria da Segurança Pública. Com a ocupação do novo espaço, o Governo do Estado fará uma economia anual de R$ 2,8 milhões, valor hoje pago aos aluguéis das salas ocupadas pela SSP em 19 pontos da cidade.

Para o secretário o valor do investimento estará pago em no máximo oito anos, além de a SSP sair da condição de inquilina para proprietária. Desde a década de 80 está é a quinta mudança organizada pela SSP, que já teve como sede o prédio do atual 4º Batalhão da Polícia Militar, na rua Nereu Ramos; na rua Esteves Júnior (atual prédio da Justiça Eleitoral), Avenida Mauro Ramos e a última na rua Artista Bittencourt.

São três torres, que serão ocupadas pelas Instituições que formam o Sistema de Segurança Pública. No bloco A funcionam Corpo de Bombeiros Militar e Polícia Militar; no B – Instituto Geral de Perícias (IGP), Polícia Civil e Detran, e no Bloco Cas diretorias e gerências daSSP. O Centro Administrativo tem 359 vagas para automóveis, 38 para motocicletas e conta com auditório com 150 lugares e heliponto.

Informações adicionais:
Jornalista João Carlos Mendonça Santos
Assessoria de Imprensa SSP
Telefone: (48) 3251.11.16/8843.7615
Email: imprensa@ssp.sc.gov.br


Fotos: Helena Marquardt - ADR Ibirama

Lavouras completamente destruídas e tomadas pela lama. Esse é o cenário em boa parte das propriedades rurais do Alto Vale que foram atingidas pelos alagamentos ou mesmo pela grande quantidade de chuva que acabou comprometendo diversas culturas como a soja e também as hortaliças na região.

Em Lontras, a cidade mais afetada da Regional de Ibirama, as perdas já contabilizadas no setor somam R$ 1,5 milhão, mas segundo o secretário de agricultura da cidade, Mário Bini, o prejuízo vai muito além desse valor e nem pode ser calculado nesse momento. “Vimos que a área de hortaliças e também a de leite foram as mais atingidas, mas a principal perda foi nos solos e isso não podemos mensurar em valores porque vai desde os nutrientes até a erosão da terra e que vai afetar inclusive os próximos plantios”.

Ele destacou que toda ajuda será bem vinda para a recuperação da cidade, já que a enchente afeta todos os setores. “Nosso município é bastante agrícola e o próprio comércio se move em torno da agricultura, então sabemos que essas consequências serão sentidas em todos os setores, mas vamos trabalhar e auxiliar a população”.

Jason Kiefer, foi um dos centenas de agricultores afetados e estima que tenha perdido cerca de R$ 20 mil em verduras, além do equipamento de irrigação que dificilmente poderá ser reutilizado porque foi entupido perla lama. Na sua propriedade, que foi inundada pela terceira vez em menos de cinco anos, a água chegou a 40 centímetros na plantação de brócolis e alface, o que comprometeu totalmente a lavoura. “Ficou tudo debaixo do lodo e não se aproveita mais nada. Agora vamos esperar melhorar o tempo e plantar outra cultura para tentar recuperar o que foi perdido.”

Milton Esperandio também perdeu 100% dos 11 hectares de soja que plantou e que já estavam quase em fase de colheita, além de 60% da plantação de feijão, mas como já foi afetado por outras enchentes hoje procura diversificar a produção, o que garante ao menos o pagamento das dívidas e o otimismo. “A gente tem que ir tocando, porque não adianta parar. Sei que na agricultura podemos ganhar e perder, então o jeito é trabalhar”, ressalta.

A gerente de Políticas Socioeconômicas Rurais e Urbanas da Agência de Desenvolvimento Regional de birama, Edna Beltrame Gesser, visitou algumas das propriedades mais afetadas e acredita na força dos agricultores do Alto Vale para a recuperação das lavouras, aliada a ajuda do Governo do Estado. “Estamos aguardando a homologação dos Decretos de Emergência e contabilizando todos os dados para definir a melhor forma de ajuda, mas desde já sabemos que nosso povo é muito trabalhador, guerreiro e conseguirá se reerguer”.

Ela destaca que nesse momento o Governo já trabalha para conseguir a liberação de recursos estaduais e federais para atender as necessidades de todas as famílias atingidas. Pensando nisso, o governador Raimundo Colombo está em Brasília nesta terça-feira, 13, para apresentar oficialmente o relatório dos estragos. Como base nos relatórios preliminares, o pedido de apoio previsto é da ordem de R$ 40 milhões. 

Comitiva do governo federal visitou SC

Uma comitiva do governo federal com o ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, e ministro de Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, chegou a Santa Catarina na manhã desta segunda-feira, 12. No estado eles sobrevoaram cidades atingidas e se reuniram com lideranças estaduais para tratar do apoio aos municípios.

Mais informações para a imprensa:
Helena Marquardt
Assessoria de comunicação 
ADR Ibirama
Fone (47) 3357-8908 / (47) 98819-9350
E-mail: imprensa@iir.sdr.sc.gov.br
Site: www.adrs.sc.gov.br/adribirama
Facebook: www.facebook.com/regional.ibirama

agricu


Fotos: James Tavares / Secom

Lideranças do agronegócio e dos três governos do Sul participaram de encontro em Chapecó nesta terça-feira, 13, em busca do equilíbrio entre a oferta e a demanda do milho na região. Foi realizada mais uma edição do Fórum Mais Milho, promovendo palestras e debates com especialistas. O governador Raimundo Colombo e o secretário de Estado da Agricultura, Moacir Sopelsa, acompanharam a cerimônia de abertura e destacaram a força do agronegócio catarinense e a importância da cadeia do milho para o setor.

"O equilíbrio é o ponto chave e tanta gente participando de um evento como o de hoje, disposta a buscar esse equilíbrio, já é um fator muito positivo. Estamos aqui para, juntos, apontar e construir caminhos para continuar plantando, cada vez mais, com produtividade e com rentabilidade para os produtores. Com isso, as indústrias se beneficiam e o fortalecimento do agronegócio é bom para Santa Catarina e bom para todo o Brasil. Nós precisamos disso", afirmou Colombo.

Maior comprador de milho do país, Santa Catarina espera colher 3,2 milhões de toneladas do cereal nesta safra. Com 380,6 mil hectares plantados, a estimativa do Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola (Cepa/Epagri) é que a produtividade chegue a uma média de 141,6 sacas de milho por hectare.



>>> Imagens na galeria

Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná são importantes produtores de carnes e leite e, por isso, grandes consumidores de milho – 75% da ração animal é composta pelo grão. Só o setor produtivo de carnes em Santa Catarina consome seis milhões de toneladas de milho/ano, ou seja, o dobro do que o estado produz. E é justamente no sentido de buscar alternativas para equilibrar a oferta e a demanda do grão que o Fórum do Milho reúne especialistas e representantes dos setores produtivos de grãos e de proteína animal.

O secretário Sopelsa defendeu a importância de uma aproximação entre os setores que produzem e que consomem milho e das políticas de incentivo à produção do insumo, a exemplo do que Santa Catarina tem feito por meio de parcerias entre o Governo do Estado e cooperativas e entidades de classe. "São medidas para incentivar o plantio de milho e, com isso, beneficiar a cadeia produtiva de setores consolidados em Santa Catarina, como a produção de suínos, de frango e de leite", acrescentou.

Participaram desta sexta edição do Fórum Mais Milho, entre outras autoridades, o secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Neri Geller; os secretários da Agricultura de Rio Grande do Sul, Ernani Polo, e do Paraná, Norberto Ortigara; e representantes de entidades nacionais do setor. O evento tem apoio do Governo de Santa Catarina.

O secretário nacional Neri Geller elogiou a gestão catarinense e afirmou que a presença do governador e do secretário estadual no evento é uma demonstração do compromisso de Santa Catarina com o setor produtivo.

Informações adicionais para a imprensa:
Alexandre Lenzi
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: lenzi@secom.sc.gov.br
Telefone: (48) 3665-3018 / 98843-4350
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e  @GovSC


Fotos: Julio Cavalheiro/Secom

As oportunidades do setor da Tecnologia da Informação foram o tema central da aula magna da nova turma de alunos do programa Entra21, em Blumenau. O evento foi realizado na manhã desta terça-feira,13, no Teatro Carlos Gomes, com a presença do governador Raimundo Colombo. O Entra21 capacita jovens dos 16 aos 29 anos de idade para o mercado de trabalho na área da tecnologia e da comunicação. Na última edição, além da contrapartida municipal, o Governo do Estado investiu, via Fapesc, R$ 800 mil no programa.

>>> Galeria de fotos

“Esse programa é uma referência para Santa Catarina e para o Brasil, porque capacita e cria oportunidades, especialmente aos jovens, para que se especializem na nova economia, na informática e na tecnologia. É um programa versátil, de tal forma que consegue se adaptar à evolução e às exigências do mercado. Com isso, o nível de aproveitamento dessa mão de obra se materializa na oferta de trabalho. Para o Estado, é geração de emprego e de desenvolvimento”, aponta o governador Raimundo Colombo.

O coordenador do Entra21, em Blumenau, Sérgio Tomio, reitera que o setor da Tecnologia da Informação ainda carece de mão de obra qualificada e reforça o alto índice de empregabilidade entre os participantes do programa. “A grande maioria dos nossos egressos já está fazendo carreira nas empresas da região e até no exterior. Quem se dedica, certamente, terá um futuro promissor nessa área”, projeta.

Formada no Entra 21 em 2014, a ex-aluna Roberta Cristina Fogaça falou da importância de ter participado do programa. Ela conta que, assim que concluiu a capacitação, foi chamada para trabalhar em uma empresa especializada na produção de softwares odontológicos. “Entrei como estagiária e hoje sou a gerente comercial da empresa. O Entra 21 foi fundamental, me qualificou, direcionou minha carreira e mudou minha vida”, comemora.

Representantes das empresas apoiadoras e parceiras do programa reforçaram que o curso é uma referência para a captação de mão de obra. “Diminui a necessidade de buscar profissionais de outros lugares e oportuniza aos jovens a chance de construir a vida profissional. Com toda a certeza, muitos dos que estão aqui hoje serão novos colegas de trabalho em um futuro breve”, informou um dos empresários que deram depoimento durante a aula magna.

Sobre o Entra21-Blusoft

No município de Blumenau, no Vale do Itajaí, o setor de Tecnologia da Informação está entre os que mais empregam, sendo que as maiores empresas da área projetam a necessidade de grandes volumes de contratação de mão de obra especializada nos próximos meses.

Cerca de 60% destes empregos estão na área de desenvolvimento e programação, que oferecem bons salários. Jovens com idade entre 16 e 29 anos interessados em ingressar neste mercado podem participar dos cursos totalmente gratuitos oferecidos pelo programa Entra21-Blusoft, que forma em torno de 300 novos profissionais a cada ano.

Os interessados devem estar cursando ou concluído o ensino médio e devem ser residentes em Blumenau ou cidades vizinhas. O programa atende também pessoas com deficiência. As aulas podem ser feitas no período matutino, vespertino ou noturno.

Os cursos em linguagem de programação têm carga horária de 400 horas e duração de cinco meses. Já as demais capacitações contam com 200 horas em média em três meses.

Desde 2006, o programa já beneficiou e encaminhou milhares de jovens para empregos de qualidade. O programa é financiado pelo Governo do Estado através da Fapesc, pela Prefeitura de Blumenau e pelas empresas de Blumenau e região.

Ele nasceu da necessidade de formação e reposição de mão-de-obra para o setor de informática do Vale do Itajaí, representado pelo Blusoft - Polo de Tecnologia da Informação e Comunicação da Região de Blumenau.

Centro de Inovação reforça investimentos do Estado na área da Tecnologia

Outro investimento do Governo do Estado na área da Tecnologia em Blumenau é a construção do Centro de Inovação. A obra será uma incubadora de novos projetos na área e conta com investimentos de R$ 6,7 milhões.

Para o governador Raimundo Colombo, o espaço é fundamental para os avanços, as discussões e o fomento de iniciativas que vão resultar em novas oportunidades e desenvolvimento para todas as regiões do Estado.

“Esse é o nosso diferencial, temos bons equipamentos, a exemplo das universidades, que capacitam a nossa mão de obra e nos colocam à frente no mercado de trabalho, fortalecendo a nossa competitividade. Cada vez mais isso é decisivo. Quem não for eficiente, não tiver acesso às tecnologias do futuro, vai perder o espaço”, disse Colombo.

As obras do Centro de Inovação de Blumenau estão 40% concluídas e a previsão é que estejam finalizadas no primeiro semestre do ano que vem.

Em todo o Estado estão sendo construídos 13 Centros de Inovação. Além de Blumenau, as cidades de Lages, Chapecó, Itajaí, Jaraguá do Sul, Joaçaba, São Bento do Sul, Tubarão, Brusque, Criciúma, Florianópolis, Joinville e Rio do Sul terão as estruturas.

Informações adicionais para a imprensa
Francieli Dalpiaz 
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: francieli@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3018/8843-5676
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e  @GovSC

Página 8 de 55