Encontre serviços oferecidos pelo Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Serviços em destaque

Vídeos

Medalha Zilda Arns

Medalha Zilda Arns

A medalha Zilda Arns é uma justa homenagem a quem dedica a vida para fazer o bem às pessoas. Nesta semana, o governador Eduardo Pinho Moreira entregou o título ao médium Divaldo Pereira Franco. Homem que desenvolveu um belíssimo trabalho caritativo, fruto da vontade de servir o próximo.

Oportunidades

Próximos eventos


Foto: Agência de Notícias/Embrapa

O setor produtivo de carnes ganha espaço no mercado internacional e Santa Catarina amplia vendas para China e Hong Kong. Em março, os dois países foram os principais destinos das carnes produzidas no Estado e garantiram o aumento no faturamento com as exportações. No último mês, as vendas internacionais de carne suína e de frango geraram uma receita de US$ 194,9 milhões.

Em março, Santa Catarina exportou 83,6 mil toneladas de carne de frango, faturando US$ 143,9 milhões, um incremento de 23,7% em relação a fevereiro. O resultado positivo pode ser explicado pelo aumento das vendas para China, Hong Kong e México. Os três países estão na lista dos dez principais compradores da carne de frango catarinense e, juntos, responderam por 22,7% do valor das exportações.

No acumulado do ano, Santa Catarina já recebeu US$ 380,3 milhões pela venda de 219,4 mil toneladas de carne de frango. O desempenho é 12,7% menor do que o observado no mesmo período de 2017.

Segundo o secretário da Agricultura e da Pesca, Airton Spies, as carnes continuam sendo o principal produto da pauta de exportações do agronegócio catarinense. “As expectativas são do retorno das exportações de frango para União Europeia nos próximos meses e de um provável aumento das compras da China em decorrência do aumento das tributações para carne suína americana”, ressalta.

Carne suína

As vendas internacionais de carne suína também seguem em crescimento. Em março, foram embarcadas 25,5 mil toneladas do produto, com receitas que passam de US$ 51 milhões (28% e 22,2% a mais do que em fevereiro). O principal mercado da carne suína catarinense é a China, que ampliou em 108,9% as compras do produto, em relação a março de 2017.

No último mês, o país importou 9,6 mil toneladas de carne suína – 109,8% a mais do que no ano passado. Hong Kong e Chile também aumentaram as compras e acabaram minimizando os impactos do embargo temporário da Rússia para as carnes brasileiras.

Em 2018, o Estado já exportou 70,6 mil toneladas de carne suína, com receitas que passam de US$ 144 milhões. Os valores são inferiores aos registrados nos primeiros meses de 2017. O faturamento foi 10,5% menor e a quantidade teve uma queda de 1,53%.

“Os primeiros três meses do ano foram turbulentos para o mercado externo de carnes, mas com o fim do inverno no Hemisfério Norte é provável que as demandas aumentem, reequilibrando a produção de Santa Catarina”, explica Airton Spies. O secretário lembra ainda que a proteína animal é o carro-chefe da agropecuária catarinense e responde por 60% do PIB da Agopecuária.

Informações adicionais para a imprensa
Ana Ceron
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca 
E-mail: imprensa@agricultura.sc.gov.br
Fone: (48) 3664-4417/ 98843-4996
Site: www.agricultura.sc.gov.br


Fotos: SED

Pais e filhos de todas as regiões de Santa Catarina participaram neste sábado, 7, do Dia da Família na Escola. A data foi celebrada nas escolas municipais e estaduais, além da rede escolar da Fiesc (Sesi e Senai), Fecomércio (Sesc e Senac), Faesc (Senar) e Fetrancesc (Sest e Senat). A professora Djanira Müller, por exemplo, tem uma ligação muito forte com a Escola João Widemann, em Blumenau. Seu pai foi professor ali, sua mãe foi aluna, ela mesma cursou todo o ensino básico e, agora, acompanha o primeiro ano do seu filho, João Guido, de 6 anos. “Essa escola fez parte da vida do meu pai, da minha mãe e para mim foi muito importante. Agora, com o meu filho, a gente passa a ter mais contato com todo o desenvolvimento e aprendizagem dele”, conta. 

Essa relação entre família e escola se repete no caso de Francine Balduíno, professora da APAE de Blumenau. Ela também foi aluna da Escola João Widemann e, agora, participa da vida escolar do seu filho Raul, de 9 anos. “É uma emoção muito grande voltar aqui porque a gente vê a evolução da escola, que já teve seus altos e baixos, mas hoje está maravilhosa. Oferece vários recursos e estou satisfeita com o ensino do meu filho”, relata Francine, que sempre marca presença na escola. 

Neiva Kruger é mãe de duas crianças, de 3 e 7 anos, estudantes da Escola Básica Municipal Almirante Tamandaré. Ela também participa de várias atividades na unidade escolar e acha que é uma oportunidade inclusive de integração com a comunidade. “É bom ter o privilégio que muitos não têm de brincar e se envolver mais, inclusive com o pessoal do bairro. Sempre participo das atividades na escola dos meus filhos e conheço as professoras deles”, fala a dona de casa orgulhosa.  

Projeto de vida

É esse vínculo entre família e escola que a data estimula, lembrou o presidente da Fiesc, Glauco José Côrte, que acompanhou as atividades em escolas públicas de Blumenau e no Sesi. “Os pais são atores importantes na formação e na melhoria da qualidade do ensino. O tema deste ano justamente visa criar condições para que os estudantes possam escolher o seu projeto de vida e os pais têm uma participação muito importante. Não no sentido de conduzir ou de determinar a profissão que o filho vai escolher, mas criando condições para que as crianças, os estudantes, os seus filhos possam escolher livremente a profissão e o trabalho que se revela como um dom e um desejo pessoal”, destacou.

O secretário de Educação, Eduardo Deschamps, salientou que escolas onde os pais são atuantes, são mais efetivas. “O diretor consegue realizar um trabalho melhor e os professores conseguem ter um feedback daquilo que estão fazendo. Pesquisas internacionais mostram isso. Escolas onde a família tem uma participação efetiva são escolas com melhores resultados”, afirmou. 

Para Ari Rabaioli, presidente da Fetrancesc, o Dia da Família na Escola tem importância enorme porque integra pais, professores, alunos e direção da escola com as entidades empresariais. “A Fetrancesc apoia porque sabe da importância dessa integração, de cada vez mais convencer o jovem de que ele precisa completar os cursos regulares para chegar ao mercado de trabalho mais bem preparado”, disse.

O anfitrião da escola João Widemann, diretor Cornélio Pereira dos Santos Neto, afirmou que o evento auxilia a aproximação entre família e escola. “A gente sempre diz que a escola e as famílias são parceiras. Quanto mais presentes as famílias estão, temos a clareza de que o estudante rende melhor, flui melhor e tem um melhor andamento dentro da escola”, avaliou.

Temas 

Saúde, esporte, cultura e a relação da família com a escola foram os temas destaques do Dia da Família na Escola em diferentes regiões do Estado. No Instituto Estadual de Educação, a maior escola estadual da América Latina, os pais levaram os filhos e se divertiram juntos. Jogos de raquete, peteca, perna de pau, dobraduras, simuladores de remo e muita música e dança marcaram a manhã de sábado na escola. Gisela dos Santos Lima é mãe do Luan, 10 anos, da Laura, 6, e da Laís, 2, e sempre está presente na vida deles. “Acho importante este acompanhamento. Vai ficar na memória deles, afinal, a família é a base de tudo”, destaca a mãe.

No Alto Uruguai um dos destaques da programação foi a apresentação do ensino da matemática por meio da robótica, atividade oferecida pelo Sesi na Escola de Educação Básica Deodoro, de Concórdia. Muitos alunos demonstraram interesse em conhecer as ferramentas de fabricação digital, que facilitam o processo de aprendizagem. O projeto desenvolve competências linguísticas, matemáticas, científicas e tecnológicas, instigando as crianças a buscarem novos conhecimentos. Na Escola Vidal Ramos Junior ocorreram palestras, apresentações musicais e momentos de interação entre pais alunos e professores. O Dia da Família na Escola também teve atividades culturais, teatro, dança e jogos.

Joinville

Na Regional de Joinville, 38 escolas realizaram atividades com o intuito de aproximar pais e estudantes no ambiente de ensino. Palestras de conscientização sobre saúde da mulher, sexualidade e adolescência, acidentes na infância, aulas de ginástica e horta medicinal integraram a programação de algumas escolas, que teve ainda exposição do conteúdo pedagógico e conversa sobre o desempenho dos estudantes. A programação diversificada incluiu também contação de histórias, apresentação de danças, declamação de poesias e campeonatos esportivos entre pais e filhos. “A presença dos pais na escola, além de colaborar com os múltiplos aspectos, inclusive o disciplinar, é uma valiosa ferramenta para o professor se achegar e conhecer melhor o seu aluno, compreendê-lo e então ajustar o processo pedagógico e fazer com que aprendizagem se torne concreta e eficaz. Esse dia é um estimulo a participação de todos os envolvidos na comunidade escolar”, destaca a gerente de Educação, Lorena Rothbarth.

Dia da Família na Escola

A proposta da criação do Dia da Família na Escola, que chega ao seu terceiro ano, surgiu da Campanha Pais pela Educação, lançada pelo Movimento SC pela Educação em 2014. Um dos estímulos é uma pesquisa do Instituto Ayrton Senna, em parceria com a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), segundo a qual os estudantes que recebem apoio e atenção dos pais na sua vida escolar estão, em média, quatro meses à frente no aprendizado em comparação com os que não recebem essa atenção. O objetivo da iniciativa é estimular a participação dos pais na vida escolar dos filhos.

Informações adicionais para a imprensa
Edinéia Rauta
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Educação  - SED
E-mail: edineiarauta@sed.sc.gov.br
Fone: (48) 3664-0353 / 3664-0161 / 3664-0356 / 9-9980-3136
Site: www.sed.sc.gov.br

 
Fotos: James Tavares/Secom

Está oficialmente aberta a Vila da Regata no Centro de Eventos de Itajaí para receber os velejadores que participam da Volvo Ocean Race - maior regata de volta ao mundo, conhecida como Fórmula 1 dos mares. Sete equipes, com aproximadamente dez integrantes cada uma, partiram da Nova Zelândia e, depois de percorrerem em milhas náuticas o equivalente a 14 mil quilômetros, farão escala na cidade catarinense, que sedia a competição pela terceira vez. Itajaí é a única parada na América Latina.

Na noite desta quinta-feira, 5, o governador Eduardo Pinho Moreira acompanhou a abertura oficial ao lado de lideranças, do CEO da Volvo Ocean Race, Richard Brisius, e do velejador e campeão olímpico Torben Grael, embaixador da competição no Brasil e pai de Martine Grael, única brasileira a participar da regata em 2018. Martine está na equipe holandesa Team AkzoNobel.

>>> Galeria de fotos

Para o governador, é fundamental que o Estado seja atrativo para eventos esportivos do porte da Volvo Ocean Race. “O turismo já representa 13% de toda a riqueza gerada em Santa Catarina, e o nosso Estado tem, neste evento, uma demonstração da capacidade de gestão estrutural para receber os profissionais, os visitantes e os catarinenses que quiserem conhecer toda essa grande atração”, convidou o governador.

Organização e sustentabilidade

Na Vila da Regata, os visitantes podem conhecer um pouco mais da competição em exposições fotográficas e observar os barcos das equipes. O local também conta com praça de alimentação, expositores do mercado náutico, construção civil, artigos esportivos, móveis, moda e acessórios, além de espaços para atividades culturais e educacionais. A estrutura foi elogiada pelo representante da Volvo Ocean Race. “Itajaí é um exemplo de organização com sustentabilidade. É fantástico estarmos aqui”, afirmou Brisius.

Este ano, a etapa catarinense chama a atenção para o problema da poluição plástica no planeta. A proposta é conscientizar a população para a redução do plástico descartável, protegendo as praias. Dentro da Vila, não serão utilizados copos descartáveis nem vendidas garrafas de plástico.

De Itajaí, os velejadores seguem no dia 22 de abril para a próxima escala em Newport, nos Estados Unidos. A perna entre Auckland e Itajaí é considerada a mais desafiadora da regata, com uma maratona de 7,6 mil milhas náuticas (14 mil quilômetros) cruzando águas ao Sul do continente americano e em torno do Cabo Horn, um dos pontos mais perigosos do mundo. Por este desafio, a etapa tem pontuação dupla, com um adicional extra atribuído ao primeiro navio que passar pelo Cabo.

Homenagem

Durante a abertura da Vila da Regata, em Itajaí, o CEO da Volvo Ocean Race, Richard Brisius, lembrou do velejador John Fischer que morreu no percurso entre a Nova Zelândia e Itajaí. “Um dos nossos homens não chegará até aqui e, a nós, resta homenagear ele e sua família”, pediu. Fogos de artifício foram queimados assim que foi aberta a visitação à Vila. “Quando o céu se iluminar, vamos olhar para cima. Assim, John Fischer saberá que estamos pensando nele”, homenageou.

Evento

No dia 20 de abril, haverá a In-Port Race, uma competição realizada nos locais de parada. No dia 21, os barcos estarão abertos ao público e, no dia 22, acontecerá a partida das sete equipes competidoras para o próximo porto, em Newport nos Estados Unidos.

Informações adicionais para a imprensa
Francieli Dalpiaz 
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: francieli@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3018 / 98843-5676
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC


Foto: Jeferson Baldo/Secom

Desde que declarou que “escolher prioridades é um dos grandes desafios na gestão pública”, no Centrosul, em Florianópolis, em 16 de fevereiro, o governador Eduardo Moreira deixou claras suas bandeiras de governo: Saúde e Segurança. Esta é a marca que está imprimindo no Estado há 49 dias, desde que assumiu como governador em exercício.
 
Nesta sexta-feira, 6, durante a sessão especial de posse na Assembleia Legislativa, em Florianópolis, ele reforçou esta disposição, uma vez que assume como governador, devido à renúncia de Raimundo Colombo ao cargo. Eduardo Pinho Moreira volta a enfatizar as palavras de ordem desde fevereiro – fazer mais com menos e manter um rigoroso controle de gasto público. E com isso, garantir a qualidade da prestação dos serviços, especialmente nas prioridades, que representam os principais anseios da sociedade catarinense.

>>> Galeria de fotos


Fotos: Mônica Foltran / SDS

Prefeitos do Oeste catarinense aderiram, nesta quinta-feira, 5, em Xanxerê, ao programa SC Bem Mais Simples, desenvolvido pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDS), e reduz em até cinco dias a abertura de empresas. A 13° edição do evento regional teve a adesão de 13 prefeituras. Ao total, 131 cidades catarinenses já fazem parte do SC Bem Mais Simples. Participaram ainda do ato secretários, entidades e empresários.

Aderiram ao programa as cidades de Abelardo Luz, Coronel Martins, Entre Rios, Faxinal dos Guedes, Ipuaçu, Marema, Ouro Verde, Ponte Serrada, Santiago do Sul, Vargeão, Xanxerê e Xaxim e Arvoredo.

Página 10 de 304