Encontre serviços oferecidos pelo Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Serviços em destaque

Vídeos

Com a Palavra, o Governador - 10 de novembro de 2017

Com a Palavra, o Governador - 10 de novembro de 2017

No programa semanal Com a Palavra, o Governador, Raimundo Colombo fala sobre investimentos na Defesa Civil, Programa Juro Zero, formação dos novos policiais militares, Jogos Abertos de Santa Catarina e Ferrovia das Bromélias.


Oportunidades

Próximos eventos


Fotos: Julio Cavalheiro/Secom

O governador Raimundo Colombo inaugurou as obras no terminal rodoviário Rita Maria, nesta quarta-feira, 5, em Florianópolis. O investimento do Governo do Estado, de R$ 12,9 milhões, permitiu melhorias no telhado, pintura nova, substituição do piso e recapeamento asfáltico nas pistas. Também participaram o secretário de Estado da Infraestrutura, Luiz Fernando Vampiro, e o presidente do Departamento de Transportes e Terminais do Estado de Santa Catarina (Deter), Fúlvio Brasil Rosar Neto.

>>> Acesse a galeria de fotos

“Esta é a única rodoviária que o Estado administra diretamente. Foi realizado aqui um trabalho de restauração do edifício, que ficou muito bem equipado. É uma obra de mais de 30 anos, que precisava de melhorias e investimentos. Agora, o terminal irá oferecer um serviço ainda melhor à população. E numa cidade turística como Florianópolis, ter a rodoviária muito bem qualificada é um passo importante”, disse o governador.

As salas foram deslocadas para o andar superior, onde futuramente será instalado o Procon estadual. Os boxes de vidro das salas foram removidos e o piso emborrachado foi substituído por piso cerâmico em todo o andar superior, tal como foi feito no andar inferior. Outra melhoria feita na última etapa de obras foi a reforma do anexo onde funcionam os postos das polícias Civil e Militar.

O presidente do Deter, Fúlvio Brasil Rosar Neto, informou que a empresa responsável pela obra tem funcionários constantes no terminal para dar toda assistência e manutenção quando for necessário. “Iniciamos as melhorias com o intuito de apenas reformar o telhado, que já era uma obra complexa, mas para oferecer um melhor serviço e atendimento para a população, o Governo do Estado assegurou os recursos para a ampla reforma do terminal. É uma conquista importante. Estamos devolvendo à Capital catarinense um de seus cartões postais, totalmente revitalizado", ressaltou Neto.

O secretário de Estado da Infraestrutura, Luiz Fernando Vampiro, informou que, pelo terminal rodoviário, passam em média sete mil passageiros por dia e, na alta temporada, cerca 15 mil. “O espaço funciona 24 horas, durante o ano todo. Por isso, tínhamos que fazer uma obra de qualidade, com segurança, acessibilidade e garantia que as pessoas sejam atendidas na sua plenitude”, destacou.

As mudanças no Terminal Rita Maria começaram em abril de 2013, após a interdição do prédio em razão das excessivas goteiras. Com a ordem de serviço assinada pelo governador Raimundo Colombo, começaram os trabalhos de impermeabilização do telhado e recuperação das estruturas da cobertura e do subsolo.

Números do Terminal Rita Maria

● Área: 15.718 mil metros quadrados

● Fluxo médio de 450 ônibus por dia

● 25 empresas nacionais e internacionais de transporte de passageiros

● Serviços: caixa eletrônicos de dois bancos, lojas, lanchonetes, Santur com informações turísticas, Polícia Militar, Polícia Civil, SOS Desaparecidos e Grupo de Apoio aos Familiares de Desaparecidos (Gafad) e Deinfra

Quem foi Rita Maria

Rita Maria era uma senhora de cor negra, filha de escravos, que morava em uma casa rente à praia, no Centro, nos tempos do antigo Miramar. Ela ficou famosa com suas benzeduras e rezas, que oferecia aos marujos recém chegados à Ilha, além de pratos de comida. Era uma figura risonha, que recebia a todos com alegria. Por isso, deu nome ao terminal. Não há fotos dela, mas está imortalizada na escultura de sucata feita pelo gaúcho Paulo Siqueira, em frente ao terminal. Paulo tem 38 obras do gênero espalhadas pelo mundo. Entre elas, a estátua do Desbravador, em Chapecó, Oeste do Estado; e da Virgem de Guadalupe, no México.

Informações adicionais para a imprensa:
Elisabety Borghelotti
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: bety@secom.sc.gov.br
Fone: (48) 3665-3014 / 98843-5460
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC


Foto: ADR Lages

A revitalização do Mercado Público municipal de Lages, na área central, deverá começar em breve. Nesta terça feira, 4, os recursos, foram garantidos pelo Governo do Estado. O secretário executivo da Agência de Desenvolvimento Regional, João Alberto Duarte, assinou no gabinete do prefeito Antonio Ceron, o convênio de R$8 milhões para a realização da obra.


A Secretaria de Estado da Saúde (SES) abriu processo seletivo para ampliar o número de funcionários nos hospitais públicos administrados diretamente pela pasta. As inscrições foram abertas na última segunda-feira, 3, e seguem até 2 de agosto. Há vagas para as cidades de Grande Florianópolis, Ibirama, Joinville, Lages e Mafra.

São 514 técnicos de enfermagem e 65 enfermeiros para suprir as demandas dos hospitais da rede pública de todo o Estado. A remuneração inicial para 30 horas de trabalho semanais é de R$ 2.533,80 para técnico de enfermagem e R$ 3.290,42 para enfermeiro.

Os candidatos devem realizar as inscrições pelo site da SES. O valor da inscrição para o nível técnico é R$ 75 e R$ 100 para nível superior.

Informações adicionais para a imprensa:
Gabriela Ressel
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado de Saúde
Telefone: (48) 3664-8822
E-mail: imprensa@saude.sc.gov.br e secretariadeestadodasaude@gmail.com



Foram divulgadas na noite desta segunda-feira, 3, as listagens dos projetos credenciados e não-credenciados no Edital Elisabete Anderle 2017, após análise da Comissão Permanente de Licitação (CPL) e Comissão de Organização e Acompanhamento (COA) do Edital. Dos 1.803 projetos inscritos, 1.543 foram credenciados e 260 não credenciados.

:: Acesse a listagem completa dos credenciados 

O credenciamento compreende triagem, de caráter eliminatório, com o objetivo de verificar se o proponente cumpre as exigências previstas para inscrição no Edital, constante do item 5. Será considerado credenciado o proponente que apresentar a documentação exigida pelo item 6. De 4 a 10 de julho está aberto o prazo para recursos desta primeira etapa. Até 17 de julho a CPL analisará os pedidos interpostos.

:: Confira a íntegra do edital

O Edital

A edição 2017 do Edital Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura recebeu inscrições entre 27 de abril e 26 de junho, com número recorde de projetos enviados: 1.803. O processo de inscrição digital foi a novidades desta edição e garantiu mais agilidade e segurança no envio das propostas.

Com investimento de R$ 5,6 milhões, o edital selecionará até 176 projetos em 11 premiações. Os recursos são do Governo do Estado de Santa Catarina, com promoção da Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte (SOL), por meio da Fundação Catarinense de Cultura (FCC) e do Conselho Estadual de Cultura (CEC). Proponentes de todo o Estado puderam submeter seus projetos para as seguintes premiações: Culturas Populares; Arte e Cultura Negra e Indígena; Artes Visuais; Dança; Literatura; Música; Patrimônio Material e Imaterial; Museus; Teatro e Circo, Apoio a Eventos Artísticos e Culturais; Bolsa de Trabalho, Intercâmbio e Residências.

Entre as premiações com mais projetos inscritos destacam-se a Música, Apoio a Eventos Artísticos e Culturais, Teatro e Circo, Artes Visuais, Letras e Patrimônio Cultural Material e Imaterial.

Dúvidas podem ser esclarecidas com a COA exclusivamente pelo e-mail anderle2017@fcc.sc.gov.br.

Informações adicionais para imprensa
Fernanda Peres
Assessoria de Comunicação Fundação Catarinense de Cultura
Telefone: (48) 3664-2571
E-mail: imprensa@fcc.sc.gov.br
Site: www.fcc.sc.gov.br 
Twitter: www.twitter.com/fccoficial   
Facebook: www.facebook.com/FundacaoCatarinensedeCultura 


Foto: SAR

Noite de comemoração para o agronegócio catarinense. Dez anos após a conquista do certificado internacional como área livre de febre aftosa sem vacinação, a Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) reuniu as personalidades que contribuíram nesse processo. Uma Sessão Especial homenageou as entidades, lideranças políticas e os técnicos que participaram dos trabalhos de erradicação da doença em Santa Catarina.

Entre as entidades homenageadas estavam a Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca e a Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc), que cumpriram papel de destaque no reconhecimento internacional do agronegócio catarinense.

Segundo o secretário de Estado da Agricultura e da Pesca, Moacir Sopelsa, até o estado conquistar a certificação internacional da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), foram muitas etapas cumpridas e um longo caminho trilhado. “Desde os tempos de vacinação obrigatória, Santa Catarina se mostrou um estado diferenciado. Além dos técnicos e da iniciativa privada, temos que reconhecer o papel fundamental do produtor rural nesse processo. Os produtores catarinenses aceitaram o desafio de deixar de vacinar e, desde então, são grandes parceiros do Governo do Estado na manutenção do nosso status sanitário diferenciado”, afirmou.

Os trabalhos para combater a febre aftosa no estado se iniciaram em 1965, com a união do Governo do Estado, Ministério da Agricultura, agroindústrias e produtores rurais. Santa Catarina, que chegou a ter uma média de 462 focos por ano entre 1971 e 1983, erradicou a doença e, em 1993, registrou a última ocorrência de febre aftosa.

Lá em 2000, quando foi suspensa a vacinação contra febre aftosa, a intenção era buscar a certificação internacional e conquistar mercados internacionais mais competitivos para a carne catarinense, além de garantir a segurança alimentar dos consumidores. Confirmando as expectativas, após o reconhecimento da OIE, Santa Catarina se tornou o maior produtor de suínos e o segundo maior produtor de aves do país.

“Hoje a economia de Santa Catarina está baseada no agronegócio. Só em 2016, as exportações da avicultura somaram US$ 1,7 bilhão e da suinocultura chegou a US$ 555 milhões. Fornecemos carnes para mercados importantes e exigentes, como Estados Unidos, Chile e Japão, o que prova a qualidade dos nossos produtos e a excelência sanitária do nosso rebanho”, ressaltou Sopelsa.

Para manter o status sanitário diferenciado, os esforços são imensos. A Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc) mantém 63 barreiras sanitárias fixas nas divisas com Paraná e Rio Grande do Sul e fronteira com Argentina que controlam a entrada e a saída de animais e produtos agropecuários. Além do controle do trânsito de animais e produtos de origem animal nas fronteiras, em Santa Catarina todos os bovinos e bubalinos são identificados e rastreados.

“Manter aquilo que conquistamos é ainda mais difícil e o nosso compromisso é dar seqüência ao trabalho iniciado há mais de 50 anos e garantir a sanidade dos rebanhos catarinenses”, destacou o presidente da Cidasc, Enori Barbieri. O presidente valorizou ainda o papel dos funcionários da Cidasc que já não fazem mais parte da empresa, mas que contribuíram para a conquista da certificação internacional. “Os trabalhos começaram há 50 anos, então muitas pessoas passaram pela Cidasc antes de colhermos os louros dessa conquista. Não estaríamos aqui se não fosse pela dedicação desses homens e mulheres, que trabalharam pelo fim da vacinação e pela manutenção da sanidade animal no estado” afirmou.

Além da Secretaria da Agricultura e da Cidasc, a homenagem se estendeu também para as seguintes entidades: Governo do Estado de Santa Catarina; Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa); Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri); Instituto Catarinense de Sanidade Agropecuária (Icasa); Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (Faesc); Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares do Estado de Santa Catarina (Fetaesc); Sindicato da Indústria de Carnes e Derivados no Estado de Santa Catarina (Sindicarne); Conselho Regional de Medicina Veterinária de Santa Catarina (CRMV); Polícia Militar de Santa Catarina; Sindicato dos Jornalistas de Santa Catarina; Polícia Militar Ambiental de Santa Catarina; Polícia Civil de Santa Catarina; Polícia Rodoviária Estadual; Polícia Rodoviária Federal; Polícia Federal; Exército Brasileiro; Marinha do Brasil; Organização das Cooperativas do Estado de Santa Catarina (OCESC) e Federação das Cooperativas Agropecuárias de Santa Catarina (Fecoagro). As personalidades homenageadas foram: Luiz Henrique da Silveira (in memoriam); Moacir Sopelsa; Antonio Ceron; Odacir Zonta; Victor Fontana; Roni Naschenveng Barbosa; Gécio Humberto Meller; Claudinei Martins; Hamilton Farias; Felipe da Luz; Wilmar Carelli; Enori Barbieri e Abel Just.

Vigilância permante

A erradicação da doença em Santa Catarina fez com que o estado tenha regras especiais para o trânsito de animais. Já que é proibido o uso de vacina contra febre aftosa em todo o território catarinense, não é permitida a entrada de bovinos provenientes de outros estados. Para que os produtores tragam ovinos, caprinos e suínos criados fora de Santa Catarina é necessário que os animais passem por quarentena tanto na origem quanto no destino e que façam testes para a febre aftosa, exceto quando destinados a abatedouros sob inspeção para abate imediato.

O Governo do Estado mantém ainda um sistema permanente de vigilância para demonstrar a ausência do vírus de febre aftosa em Santa Catarina. Continuamente, a Cidasc realiza inspeções clínicas e estudos sorológicos nos rebanhos, além de dispor de uma estrutura de alerta para a investigação de qualquer suspeita que venha a ser notificada pelos produtores ou por qualquer cidadão. A iniciativa privada também é uma grande parceira nesse processo, por meio do Instituto Catarinense de Sanidade Agropecuária (Icasa).

Informações adicionais para a imprensa
Ana Ceron
Assessoria de Imprensa 
Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca 
E-mail: imprensa@agricultura.sc.gov.br
Fone: (48) 3664-4417/ 98843-4996
Site: www.agricultura.sc.gov.br

Página 131 de 193