Encontre serviços oferecidos pelo Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Serviços em destaque

Vídeos

Com a Palavra, o Governador - 22 de setembro de 2017

Com a Palavra, o Governador - 22 de setembro de 2017

O governador Raimundo Colombo destaca a conquista de Santa Catarina no ranking de competitividade dos estados e fala sobre a liberação de recursos do Fundam 2.


Oportunidades

Próximos eventos


Foto: James Tavares/Secom

A previsão da Epagri/Ciram indica sol em todas as regiões de Santa Catarina nesta quarta-feira, 13. A temperatura estará em elevação, com máximas que devem chegar a 35°C no Extremo-Oeste e 28°C no Litoral.

O meteorologista Clóvis Corrêa explicou que predomina, no estado, uma massa de ar mais seco e quente. “Na quinta-feira, 14, as temperaturas estarão mais elevadas em comparação aos últimos dias. Já na sexta-feira,15, a chegada de uma frente fria vai trazer chuva para SC, especialmente do Oeste ao Sul do estado, com declínio nas temperaturas”, informou.

Situação dos rios

A Epagri/Ciram chama a atenção para o nível de rios em 17 cidades de SC devido à estiagem. Estão em situação de emergência rios nos seguintes municípios: Forquilhinha, Chapadão do Lageado, São João Batista, Orleans, São Martinho, Coronel Passos Maia, São Carlos, Joaçaba, Rio das Antas, Tangará e Concórdia. Há rios em situação de alerta em Meleiro, Canoinhas, José Boiteux, Timbó, Tubarão, Concórdia e Rio Negrinho.

aviso estiagem 23 13 09 2017

Mais informações para a imprensa:
Central de Meteorologia
Epagri/Ciram
Fone: (48) 3665-5007 e (48) 3665-5172
E-mail: contatociram@epagri.sc.gov.br
Site: www.ciram.epagri.sc.gov.br
Facebook


Foto: Ricardo Lunge / ADR Blumenau

Com participantes de 25 municípios e 210 inscritos, aconteceu nesta terça,12, na Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) Blumenau, o sétimo workshop regional SC 2030. Cada tema foi analisado por pequenos grupos que foram divididos por áreas de conhecimento. Ao fim, foram apresentados os três principais pontos que necessitam de desenvolvimento na região por tema e apontadas as possíveis soluções em uma plenária para todos os participantes.

Os números que serviram como base para cada grupo de debate nas temáticas de infraestrutura, empreendedorismo, meio ambiente, agricultura, saúde, assistência social, trabalho e habitação, educação, turismo, cultura, esporte, segurança e ciência tecnologia e inovação foram extraídos de trabalhos de pesquisas e estudos realizados por doutores, professores e pesquisadores da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Workshop Macrorregional Blumenau

Segundo o diretor da Secretaria de Estado de Planejamento Norton Broppré, os workshops macrorregionais tem seus objetivos bem específicos. “Identificar os obstáculos que travam o desenvolvimento macrorregional e propor ações estratégicas para resolver essas demandas até 2030. Este será um plano de desenvolvimento para os próximos três governos estaduais.”

O secretário executivo da ADR Blumenau, Emerson Antunes, analisou a importância de eventos como o workshop regional. “Estamos hoje com um privilégio e uma responsabilidade. Privilégio em poder ajudar na criação de políticas públicas para o nosso futuro. E a responsabilidade como participantes deste workshop de destacarmos os principais pontos a serem melhorados na nossa região.”

Estiveram envolvidas e representadas, juntamente com os municípios de suas abrangências, as ADRs de Blumenau, Timbó, Brusque, Joinville, Jaraguá do Sul e Itajaí.

 O oitavo e último workshop macrorregional acontece na próxima quinta-feira,14, no município de Mafra. O plano de Desenvolvimento SC 2030, segundo a Secretaria de Planejamento, tem previsão de entrega e aprovação para o governador do Estado, Raimundo Colombo, para o fim deste ano.

Informações adicionais para a imprensa:
Ricardo Lunge
Assessoria de Imprensa
Agência de Desenvolvimento Regional de Blumenau
E-mail: imprensa@bnu.adr.sc.gov.br
Telefone: (47) 3378-8175 / 99232-6300
Site: sc.gov.br/regionais/blumenau


Foto: Giovanni Silva/PMSC

A Polícia Militar de Santa Catarina (PMSC) apresentou na tarde desta terça-feira, 12, mais um balanço da Operação Mão Forte, que começou no dia 31 de agosto. Ininterruptas operações policiais de combate à criminalidade e pronta-resposta à onda de violência registrada nos últimos dias vem sendo desenvolvidas nas 11 Regiões de Polícia Militar do Estado.

Em todas essas regiões o efetivo policial foi reforçado, sendo que em alguns horários chegou a ter um incremento de 100% em relação à quantidade de policiais escalados usualmente.

Até o momento já foram vistoriados 14.492 veículos, onde 432 desses acabaram apreendidos. Vinte e um veículos com registro de furto foram recuperados. Quanto ao número de abordagens, 18.521 pessoas foram consultadas, até o presente momento, onde 175 delas acabaram presas/apreendidas.

No quesito armas e munições apreendidas, a operação contabiliza 30 armas recolhidas e 191 munições de calibres diversos. Em relação a drogas apreendidas, o destaque foi a apreensão de mais de 40 quilos de maconha e em apreensões menores de crack, cocaína e ecstasy.

Os policiais estão sendo empregados na realização de barreiras, abordagens, patrulhamento tático e outras ações, em áreas de maior incidência criminal e em pontos estratégicos de cada região. Ao todo, 6.436 policiais já foram empregados diretamente na operação e 3.089 viaturas também servem como suporte direto nas ações realizadas.

Informações adicionais para a imprensa
Assessoria de Imprensa 
Polícia Militar de Santa Catarina - PMSC
E-mail: ccschefia@pm.sc.gov.br e ccssubchefia@pm.sc.gov.br
Fone: (48) 3229-6920/3229-6921
Site: www.pm.sc.gov.br



 


Foto de arquivo: Jaqueline Noceti / Secom

Santa Catarina, Argentina e Paraguai se unem para construir uma nova rota para o transporte de milho. O grão produzido no Paraguai poderá abastecer as cadeias produtivas de suínos, aves e leite em Santa Catarina. Esse será o tema do Encontro Transfronteiriço da Rota do Milho, que será nesta sexta-feira e sábado, 15 e 16, na cidade de Encarnación, no Paraguai.

Grande produtor de carnes e leite, Santa Catarina se tornou também o maior importador de milho do país. Todos os anos são mais de três milhões de toneladas do grão que saem do Mato Grosso, Goiás e Mato Grosso do Sul para abastecer as cadeias produtivas de suínos, aves e leite no Estado. A nova rota pode encurtar as distâncias percorridas pelo grão e dar mais competitividade para o agronegócio catarinense.

A ideia é que o milho saia do Paraguai, siga para Argentina (passando pela Provincia de Misiones em direção a Bernardo de Irigoyen) e chegue até Dionísio Cerqueira. O custo no frete poderia cair em até 70%, o que daria mais sustentabilidade para o agronegócio catarinense. O secretário de Estado da Agricultura e da Pesca, Moacir Sopelsa, explica que essa é uma possibilidade real e que pode representar a continuidade do modelo econômico catarinense.

“Nossa produção de milho é de 3,2 milhões de toneladas de milho e nosso consumo gira em torno de 6,5 milhões de toneladas do grão. Hoje para trazer milho do Mato Grosso pagamos mais no frete do que no grão, porque são em média dois mil quilômetros de distância, precisamos pensar em rotas alternativas que dêem mais competitividade para nossa cadeia produtiva”, ressalta.

Caso a Rota do Milho se concretize, o milho estará a 354 km de Dionísio Cerqueira, onde já existe um serviço de aduana, e a 555 km de Chapecó, maior centro de consumo do grão em Santa Catarina. Quase metade do trajeto feito pelos caminhões que trazem milho do Mato Grosso, por exemplo.

O secretário adjunto Airton Spies, que representará Santa Catarina no encontro, afirma que da reunião sairá uma documento onde serão apontadas as etapas para viabilizar a Rota do Milho. “Hoje, Santa Catarina já traz milho do Paraguai, porém por uma rota mais longa, passando por Foz do Iguaçu, com muitas dificuldades aduaneiras, formação de longas filas de caminhões que atrasam e geram custos. Essa nova rota reduziria o tempo de transporte e o custo. Colocando o estado com uma vantagem competitiva para produção de carnes e leite”, destaca.

Informações adicionais para a imprensa:
Ana Ceron
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca
imprensa@agricultura.sc.gov.br
Fone: (48)-3664-4417/ (48) 98843-4996
Site: www.agricultura.sc.gov.br
www.facebook.com/AgriculturaePescaSC/


Foto: Julio Cavalheiro / Secom

O Instituto de Metrologia de Santa Catarina (Imetro/SC), órgão responsável por proteger o consumidor enquanto comprador de produtos e serviços medidos e pesados, reuniu nesta terça-feira, 12, na sede do órgão em São José, na Grande Florianópolis, os estados do Sul e do Sudeste para discutir e avaliar os resultados obtidos de janeiro a agosto de 2017.

Também foram abordadas a renovação do convênio de delegação de competência e a pauta para a reunião plenária que acontece no final do mês em Natal (RN). O encontro contou com a presença de presidentes e representantes do órgão de Santa Catarina, Paraná, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e Espírito Santo.

“Discutimos a apresentação dos resultados obtidos de janeiro a agosto, de todas as áreas que o Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia) atua por estado. O ponto alto da nossa reunião foi a discussão do convênio que vai vencer em novembro e será abordado em Natal. São quatro anos que o Inmetro delega as atividades e poderes para os órgãos estaduais, a fim de trabalhar, arrecadar e repassar os recursos para manter a estrutura funcionando”, disse o presidente do Imetro/SC, João Carlos Ecker.

Em Santa Catarina, o Imetro foi criado em 28 de fevereiro de 2005 como uma autarquia estadual, vinculada à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável. Verifica instrumentos de medição como balanças em supermercados e bombas de postos de combustíveis. Ainda na medição, o órgão verifica a indicação quantitativa de produtos pré-medidos, ou seja, produtos já pesados e embalados. “Um produto congelado, como peixe ou frango, que tem um percentual de gelo, nós verificamos para saber se o consumidor não está levando água além da conta. Outro exemplo é uma caixa de fósforo ou palito de dentes que deve conter a quantidade exata informada na embalagem”, explicou Ecker.

Na qualidade, os produtos devem atender a requisitos especificados em normas e regulamentos técnicos, especialmente sobre os aspectos de saúde, segurança e meio ambiente. São verificados e avaliados pneus, fios e cabos, extintores de incêndio, brinquedos e preservativos. Atualmente, são 53 produtos cuja certificação é obrigatória no Brasil. Já no âmbito voluntário (não obrigatório), são mais de 80 produtos também contemplados por programas de certificação. “É muito importante verificarmos se um brinquedo não é muito pequeno para uma criança ou se um cabo elétrico está dentro dos padrões de segurança”, destacou o presidente do órgão em SC.

“A função institucional do Inmetro é proteger o consumidor e as relações de consumo. Isso se dá através da Rede Brasileira de Metrologia Legal, por meio dos Órgãos Delegados, como é o caso de Santa Catarina”, destacou o coordenador da Rede Brasileira de Metrologia Legal do Inmetro, Pedro Paulo de Carvalho Neto.

Informações adicionais para a imprensa:
Rafael Vieira de Araújo 
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Estado de Comunicação - Secom
E-mail: rafael@secom.sc.gov.br  
Telefone: (48)  3665-3018 / 99116-8992
Site: www.sc.gov.br
www.facebook.com/governosc e @GovSC

Página 15 de 145