Encontre serviços oferecidos pelo Governo de SC

Reunimos neste site tudo o que o Governo pode fazer por você

Notícias em destaque

Serviços em destaque

Vídeos

Com a Palavra, o Governador - 23 de junho de 2017

Com a Palavra, o Governador - 23 de junho de 2017

O governador Raimundo Colombo fala sobre as obras de infraestrutura em São Joaquim, os números do Caged e o aumento nas exportações.

 

Oportunidades

Próximos eventos


Foto: Márcio Henrique Martins / FCC

Em julho, o Cineclube Escolar terá uma semana inteira de sessões de filmes dedicadas aos estudantes da rede de ensino estadual, municipal e particular. De 3 a 7 de julho, às 10h e às 14h, serão exibidos filmes que fazem parte da programação da Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis, no Cinema do Centro Integrado de Cultura (CIC). Para participar, é imprescindível que a escola faça o agendamento prévio junto ao Museu da Imagem e do Som (MIS/SC), pelo e-mail agendamentomis@fcc.sc.gov.br.

A programação do Cineclube Escolar será adaptada de acordo com as faixas etárias dos estudantes das escolas que marcarem presença. A realização é uma parceria entre a Fundação Catarinense de Cultura (FCC), por meio do MIS/SC), e a Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis.

O Cineaclube leva o cinema para mais perto dos estudantes, dando continuidade às ações da Mostra durante todo o ano com sessões de curtas-metragens infantis selecionados a partir do acervo do evento. As duas primeiras edições ocorreram nos dias 8 de maio e 6 de junho e há outras quatro agendadas até novembro: 24/08 (quinta-feira), 15/09 (sexta-feira), 23/10 (segunda-feira), 07/11 (terça-feira). Mais informações podem ser obtidas também pelo telefone (48) 3664-2652.

Informações adicionais para imprensa
Fernanda Peres
Assessoria de Comunicação Fundação Catarinense de Cultura
Telefone: (48) 3664-2571
E-mail: imprensa@fcc.sc.gov.br
Site: www.fcc.sc.gov.br 
Twitter: www.twitter.com/fccoficial  
Facebook: www.facebook.com/FundacaoCatarinensedeCultura 


Foto: Elvys Taffarel/ Epagri de São Miguel do Oeste 

As chuvas que atingiram Santa Catarina causaram estragos também ao setor agropecuário. A Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca e o Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola (Cepa/Epagri) já calculam os prejuízos, principalmente nas safrinhas de feijão e milho, que estão em fase final de colheita. O relatório preliminar foi divulgado nesta quarta-feira, 7, e seguirá com atualizações constantes.

O impacto maior do excesso de chuvas no setor agropecuário será sentido pelos produtores de feijão e milho. Apesar de boa parte da 2ª safra já ter sido colhida, as perdas nas áreas remanescentes podem chegar a 100%. As regiões mais atingidas foram a Oeste e Extremo-Oeste, lembrando que na região de Rio do Sul ainda não foi possível realizar levantamento de perdas agrícolas.

O relatório preliminar de eventuais perdas no setor agropecuário em Santa Catarina utilizou dados levantados pelas gerências regionais da Epagri e por técnicos da Epagri/Cepa nas regiões mais afetadas do estado.

Oeste Catarinense

Somadas as microrregiões de Chapecó, Concórdia e Xanxerê, são 71 municípios com 11,8 mil hectares plantados de feijão. E a produção da safrinha era esperada em 22,2 mil toneladas.

Segundo informações obtidas com técnicos e produtores dos municípios afetados, falta colher seis mil hectares de feijão e as perdas são estimadas em 50% da produção, ou seja, cinco mil toneladas que poderão ser perdidas.

Na produção de leite ainda não há registro de perdas. As coletas estão sendo executadas, mesmo com dificuldade devido às estradas danificadas.

Meio-Oeste

Na região de Joaçaba os maiores prejuízos são na atividade leiteira. A redução na produção já gira em torno de 10%. Além disso, os técnicos da Epagri descrevem o atraso tanto no plantio de alho quanto no término da colheita de milho.

Sul Catarinense

Os danos também são sentidos nas lavouras de feijão e, principalmente, nas hortaliças. A região de Criciúma já contabiliza perdas de aproximadamente 35% nas plantações de hortaliças e a safrinha de feijão pode ter 30% da produção comprometida.

A colheita de feijão esperada nas regiões de Tubarão, Criciúma e Araranguá era de seis mil toneladas, das quais 1,5 mil toneladas podem ser perdidas ou se forem colhidas o grão pode não ter qualidade comercial.

Na pecuária de leite, as perdas giram em torno de 20% em decorrência das pastagens de inverno que não se desenvolvem plenamente.

Planalto Norte

Na região de Canoinhas, os principais problemas estão na atividade leiteira. A captação de leite continua a ser feita por acessos alternativos, por causa das estradas interditadas, porém as pastagens estão sendo danificadas pelo excesso de chuvas.

No município de Ireneópolis, onde o plantio de cebola é realizado sob o sistema de plantio direto, poderá ocorrer replantio de algumas áreas devido às enxurradas.

Extremo-Oeste

Na região de São Miguel do Oeste há diminuição no volume de leite produzido e perdas na produção de silagem e de pastagens anuais.

Boa parte da produção de feijão já foi colhida, porém cerca de 1,8 mil toneladas poderão ser perdidas.

Informações adicionais para a imprensa:
Ana Ceron
Assessoria de Imprensa
Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca
imprensa@agricultura.sc.gov.br
Fone: (48)-3664-4417/ (48) 98843-4996
Site: www.agricultura.sc.gov.br
www.facebook.com/AgriculturaePescaSC/


Foto: Divulgação / CBMSC

Procurar a unidade da Defesa Civil do seu município é o primeiro passo para quem está disposto a ajudar no atendimento de famílias atingidas pelas chuvas dos últimos dias. O secretário adjunto da Defesa Civil, Fabiano de Souza, explica que os voluntários devem se identificar junto às unidades municipais, informarem as funções para qual estão habilitados para exercerem e aguardarem a convocação no momento oportuno para o auxílio. 


Fotos: James Tavares / Secom

Com 960 pessoas desabrigadas, Rio do Sul é um o mais afetados pelas chuvas dos últimos dias. Para acompanhar a situação, o governador Raimundo Colombo esteve na cidade na manhã desta terça-feira, 6. O secretário executivo da ADR Rio do Sul, Ítalo Goral, acompanhou as visitas com a comitiva do governador.


Fotos: Helena Marquardt/ADR Ibirama

Nos municípios que compõem a Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) de Ibirama, as aulas de mais de 2 mil alunos da Rede Estadual estão suspensas em virtude das chuvas. No setor da Educação, a situação mais crítica é registrada em Lontras onde grande parte da cidade foi atingida por alagamentos.

Por causa da enchente, a Escola de Educação Básica Regente Feijó, suspendeu as aulas dos 992 alunos. Já na Escola de Educação Básica Cecília Bertha Hildegard Cardoso 200 estudantes foram liberados.

O gerente de Educação da ADR de Ibirama, Nilo Poffo, explica que as aulas da EEB Lindo Sardagna, em Dona Emma, onde estudam 450 alunos e na Escola Indígena, Laklanõ, em José Boiteux, que atende 387 crianças e adolescentes, o atendimento precisou ser suspenso por causa de riscos no transporte escolar. “Essas escolas não foram atingidas diretamente por nenhum evento, mas decidimos em conjunto com a Defesa Civil suspender o atendimento para evitar riscos desnecessários já que muitas estradas enfrentam problemas e os alunos não conseguem chegar em segurança”, comentou.

Ele explicou ainda que nos demais municípios alguns alunos tem faltado as aulas por problemas pontuais, mas como são casos isolados, as escolas estão atendendo normalmente. “Daqui para frente vamos avaliando o comportamento do tempo e as orientações da Defesa Civil”, completou.

No Centro de Educação Superior do Alto Vale do Itajaí (Ceavi) da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) as aulas dos mais de 600 acadêmicos estão suspensas por tempo indeterminado. De acordo com o diretor, Carlos Alberto Barth, o atendimento será normalizado quando a situação das cheias se estabilizar na região.

Situação das rodovias estaduais na região

Mais de dois mil alunos seguem com aulas suspensas na Regional de Ibirama

Acesso a Presidente Nereu pela SC-110 segue alagado

Na região de Ibirama a situação das rodovias estaduais ainda é considerada tranquila, exceto a da SC-110 que liga Lontras a Presidente Nereu onde um trecho está completamente alagado e por isso o trânsito foi totalmente interrompido sem previsão de liberação. Os motoristas que precisarem sair ou entrar em Presidente Nereu ainda assim possuem rotas alternativas para chegar a BR-470 pela localidade de Concórdia, ainda em Lontras, ou via interior de Apiúna e Vidal Ramos.

Mais informações para a imprensa:

Helena Marquardt
Assessoria de comunicação 
ADR Ibirama
Fone (47) 3357-8908 / (47) 98819-9350
E-mail: imprensa@iir.sdr.sc.gov.br
Site: www.adrs.sc.gov.br/adribirama
Facebook: www.facebook.com/regional.ibirama

Página 16 de 58